Meme Batman em Robin!?!

Na internet você já se deparou com o meme do Batman acertando um tapa na cara de Robin. A imagem editada se enquadrar em diversos contextos e ganhou repercussão mundial. Mas, por que exatamente o Cavaleiro das Trevas está agredindo o Menino Prodígio no original? A resposta tem relação com o Superman! NICK NARUKAMELegiao dos Heróis

O famoso tapa acontece na edição #123 de World’s Finest em uma história intitulada “The Clash of Cape and Cowl!” (publicada aqui no Brasil na 23ª edição da Coleção Invictus como “A Vingança de Batman”), segundo divulgado pelo site Polygon, um crossover com o Superman.

Imagem retirada do quadrinho em questão.

Nessa versão da história, os pais de Bruce Wayne não morreram quando ele era criança. Seu pai estava envolvido em estudos de um soro que prometia imunizar o Superman de sua fraqueza com kriptonitas, sendo assassinado no mesmo dia em que se recusou a entregar o tal soro para o herói. Bruce, que, assim como Clark, ainda era um adolescente na época, chega a conclusão de que foi o jovem Homem de Aço, decidindo se tornar o melhor detetive de todos os tempos para se vingar.

Na história, Batman presencia a morte dos Flying Graysons (Graysons Voadores, em uma tradução livre) e adota Dick, filho dos dois, como seu “aprendiz”. Mas Dick – agora vestindo o manto de Robin – acreditava na inocência de Superman, sendo um de seus maiores fãs. Robin enfrenta Batman e afirma acreditar que o outro herói não seria capaz de cometer um assassinato.

É então que acontece a famosa cena reproduzida pela internet. Batman esbofeteia Dick e o repreende por dizer que ele está errado e reiterando que “provar a culpa do Superman é a maior missão de toda a sua vida”. Robin então pede para que ele desista dessa obsessão e informa que nesse plano de vingança ele não poderá permanecer ao lado de Batman.

Imagem retirada do quadrinho em questão.

Batman perde a cabeça com essa “rebeldia” de Dick, apaga suas memórias de que um dia tenha sido Robin e o manda para um orfanato.

Batman se une a Lex Luthor para capturar o herói kriptoniano e, quando já estão com ele sob seu poder, Luthor admite que na verdade tinha sido ele o real assassino do pai de Batman usando uma versão robótica do Superboy. Isso acabou mostrando o quão sem sentido havia sido aquele plano todo de vida e que Robin, na verdade, estava certo.

Bruce liberta Superman e morre em seu lugar, levando uma bala especial destinada a ele e pede desculpas em meio ao seu último suspiro.

Sabia dessa história alternativa que originou o meme? Divida com a gente nos comentários!

Palavras Perdidas: CAMAZOTZ, O BATMAN DO MUNDO MAIA, A mente do coringa, The Art of the Brick: DC Super Heroes, SURFISTA PRATEADO VS DR. MANHATTAN, Morcego do interior

10 coisas bizarras que eram consideradas normais no passado

O mundo vive em constante transformação, e olhar para a forma como vivíamos há 20 anos percebermos como as coisas mudaram. O avanço da Internet, a era da comunicação, as redes sociais, e etc. Mas olhando ainda mais para o passado, as surpresas são ainda maiores, já que muitas práticas antigas são simplesmente inconcebíveis e inacreditáveis no século 21, no qual vivemos. Vivimetaliun

Shutterstock

1. Fumar em aviões.

Antigamente (e para algumas pessoas isso ainda continua fazendo sentido) fumar era uma questão de status, estilo, e era um hábito de pessoas “descoladas”. Isso fazia com que ninguém sequer se importasse em acender um cigarro dentro de um restaurante, uma loja, na casa de alguém ou até mesmo dentro de um avião. Como ainda não eram amplamente divulgados todos os malefícios do tabaco, os fumantes sequer sabiam do mal que faziam para si e para os demais. Hoje em dia esta prática é completamente proibida em todas as companhias aéreas.

Shutterstock

2. Violação de sepulturas em nome da ciência.

Quando a ciência ainda precisava evoluir no que diz respeito ao conhecimento sobre o corpo humano, normalmente os pesquisadores precisavam recorrer à métodos nada éticos para conseguir material de estudo. Em se tratando de cadáveres, por exemplo, para que estudassem anatomia, era comum que os cientistas invadissem cemitérios e violassem sepulturas para utilizar os cadáveres em suas aulas e estudos. Hoje em dia, por exemplo, os cientistas contam com os doadores voluntários, que dispõe de seu próprio corpo em nome da ciência depois da morte. É normalmente desta forma que os cursos de medicina conseguem oferecer a prática que precisam ao seus alunos.

3. Falta de higiene.

Mesmo em 2019, algumas pessoas insistem em não cuidar da própria higiene, mas as coisas eram muito piores antigamente. Durante a Idade Média, a maioria das pessoas tinha o hábito de se lavar, mas isso acabou mudando durante a Renascença, quando por motivos até hoje não muito compreendidos, os “médicos” da época passaram a acreditar que banhar-se com muita frequência poderia ser prejudicial para a saúde. Por isso, durante este período as pessoas costumavam lavar apenas as mãos e o rosto com frequência, mas muitas vezes nem mesmo trocavam suas roupas – que eram sempre embebidas em fragrâncias e perfumes.

4. Tratamentos envolvendo o uso de cocaína.

Antes de se tornar uma droga amplamente utilizada para fins recreativos, a cocaína era vista por grande parte da comunidade médica e científica como útil no tratamento de tosses e dores de dente. Por este motivo, era comum que ela fosse vista à venda em farmácias, sendo receitada inclusive como sedativo para crianças. Havia, inclusive, uma grande quantidade de anúncios e propagandas envolvendo a cocaína e seus supostos benefícios para a saúde. KiloByte/Wikipedia Commons

Uniformed Letter Carrier with Child in Mailbag

5. Envio de crianças pelo correio.

Era bastante comum que pais e responsáveis por crianças, principalmente nos EUA do século 20, enviassem suas crianças para outras cidades por meio de um serviço oferecido pelos Correios. Nesta modalidade, as companhias ofereciam um funcionário para acompanhar a criança até o destino, mediante um pagamento que costumava ser mais barato que uma passagem convencional. De acordo com a lei da época, era totalmente lícito que as crianças fossem transportadas desta forma.

6. Brinquedos radioativos.

Em meados dos anos 1950, os elementos radioativos ainda não eram totalmente compreendidos nem mesmo pelos próprios cientistas, muito menos pelas “pessoas comuns”. Nesta época, apareceram uma série de “brinquedos” infantis que faziam uso de substâncias químicas radioativas que, conforme sabemos hoje em dia, eram extremamente nocivas à saúde de quem entrava em contato com elas. Entre as substâncias, por exemplo, estava o urânio e o polônio. Webmc/Wikipedia Commons

7. “Zoológicos” humanos.

Em uma das tantas passagens tristes e lamentáveis da história da humanidade, muitos países europeus exibiam pessoas nativas da África e da Ásia como se fossem “animais”, em uma espécie de zoológico para humanos. Na foto, você pode ver uma criança africana exposta em um desses zoológicos, na Bélgica. Uma cena, sem dúvidas, extremamente revoltante.

8. Punições violentas e humilhantes.

Ao longo da história da humanidade, não foram poucas as formas que já encontramos de punir, humilhar, torturar e ridicularizar aqueles que, de alguma forma, atentavam contra os interesses de quem estava no poder. Decapitações, esquartejamentos, incineração, empalamento e guilhotina foram apenas algumas das técnicas utilizadas durante a história para tirar a vida de criminosos, presos políticos, pessoas que se revoltavam contra regimes autoritários e indivíduos que não aceitavam a imposição de certas religiões.

Infelizmente, em alguns países, ainda existem penas duríssimas (e até mesmo de morte) para atitudes que sequer podem ser classificadas como crimes. Este é o caso, por exemplo, do Brunei, que neste ano fez manchetes internacionais ao afirmar oficialmente que começaria a punir com apedrejamento condutas de adultério e homossexualidade.

Outros países, sobretudo a Arábia Saudita e o Irã, ainda aprovam penas de chibatadas para pessoas com condutas consideradas impróprias. Na Arábia Saudita, por exemplo, as chibatadas constituem uma opção de pena tanto para o agressor como, pasme, para a vítima também.

Shutterstock

9. Fumar durante a gravidez.

Como já abordado anteriormente, os fumantes eram muito menos controlados e enfrentavam regras nada restritivas em relação ao tabagismo. Inclusive, por mais assustador e inacreditável que isso possa parecer hoje em dia, no passado as mulheres chegavam a ser incentivadas por médicos a fumar para evitar as dores naturais da gestação. Além disso, era bastante comum, sobretudo nos Estados Unidos, ver mulheres fumante nas maternidades logo após o parto.

10. Tratamentos médicos duvidosos.

Antes de alcançar o patamar moderno (que obviamente está em constante aprimoramento), a medicina era extremamente limitada e cometia erros que muitas vezes eram fatais para os pacientes. Os tratamentos antigos consistiam, por exemplo, no uso de sanguessugas para realizar a “sangria”, no corte da língua para “curar” a gagueira, entre outras técnicas bizarras. Isso sem citar a lobotomia, que retirava um pedaço do lobo frontal do cérebro de pacientes mentais, em uma técnica que provou-se totalmente duvidosa e sem certezas de eficiência. Medical Archives/Wikipedia Commons

Na foto, você pode ver Lewis Sayre com uma paciente, em um de seus tratamentos ortopédicos, de onde resultaram várias falhas fatais. via

Palavras Perdidas: 4 FATOS BIZARROS NA HISTÓRIA QUE PARECEM MENTIRA MAS SÃO VERDADE!, Museu dos grandes fracassos criativos, TERRA OCA, Rio Tâmisa

Dia mundial da alfabetização

Dia mundial da alfabetização. Linkedin: Ricardo Amorim

No dia 08 de setembro comemora-se o Dia Mundial da Alfabetização: data criada pela ONU – Organização das Nações Unidas, por meio da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, instituída em 1966, mas que teve sua primeira celebração oficial em 1967. isaac

Você já imaginou como seria a sua vida se não fosse alfabetizado? Quantas oportunidades teria deixado para trás, quantos livros, mensagens ou notícias não teria lido, quantas vezes teria deixado de lutar pelos seus direitos como cidadão, quantos lugares não teria conhecido…

A alfabetização é um processo de aprendizado educacional onde desenvolve-se a gramática e suas variações, chamando de alfabetismo a capacidade de ler, compreender e escrever textos, e de calcular números.

Esse aprendizado não se resume apenas às habilidades mecânicas – codificação e decodificação – do ato de ler, mas também em interpretar, compreender, criticar, resignificar e tudo o que leva o indivíduo a colher e produzir conhecimento para si e para a sociedade no geral.

De acordo com o PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, é direito de todo ser humano ter acesso à alfabetização e educação de qualidade, garantindo amplas possibilidades de desenvolvimento que interferem na emancipação como indivíduo.

Segundo o artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “A educação deve ser gratuita, pelo menos a correspondente ao ensino elementar fundamental. O ensino elementar é obrigatório. O ensino técnico e profissional dever ser generalizado; o acesso aos estudos superiores deve estar aberto a todos em plena igualdade, em função do seu mérito.”

De acordo com dados divulgados pela Unesco, em 2019, apesar dos progressos feitos ao longo dos anos, cerca de 773 milhões de adultos em todo o mundo ainda não dominam as competências básicas em escrita e leitura. Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente – 08/09/2021

No Brasil, as taxas de analfabetismo têm diminuído nos últimos anos, mas ainda estão longe de serem ideais. O país ainda tem 11 milhões de analfabetos, segundo dados de 2019 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Como incentivar este processo de forma natural?

O ideal para a professora e pesquisadora da pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Silvia Colello é termos políticas públicas de distribuição, não só de livros, gibis e materiais escritos, mas também no sentido de promoção do acesso aos bens culturais (cinema, teatro, exposição), estimulo às campanhas de orientação aos pais de incentivo à leitura infantil e disponibilização de bibliotecas acessíveis às crianças e suas famílias.

Palavras perdidas: Capitão Fantástico, 10 brincadeiras para a família fazer dentro de casa nos dias de chuva, TEORIA DO CAPITAL HUMANO – RESUMO, BRANCA ALVES DE LIMA, Paulo Freire plagiou professor americano e destruiu a educação brasileira, Vovô Tech e outras aulas grátis para idosos, Maria Montessori

Somos Tão Jovens – Filme completo

Somos Tão Jovens – Filme completo. EltonExtreme

Somos tão Jovens é um filme de drama musical brasileiro de 2013, uma obra biográfica sobre a juventude do cantor Renato Russo.

Somos Tão Jovens conta a transformação de Renato Manfredini Jr. no mito Renato Russo, revelando como um rapaz de Brasília, no final da ditadura, criou canções como ‘Que País é Este’, ‘Música Urbana’, ‘Geração Coca-Cola’, ‘Eduardo e Mônica’ e ‘Faroeste Caboclo’, verdadeiros hinos da juventude urbana dos anos 80 que continuam a ser cultuadas geração após geração por uma crescente legião de fãs. Cinema 10

A canção “Faroeste Caboclo”, do Legião Urbana, foi adaptada ao cinema. O longa, com título Faroeste Caboclo – O Filme, estreou em 30 de maio de 2013.

Nicolau Villa-Lobos, filho do baixista Dado Villa-Lobos, interpreta o próprio pai no filme.

Thiago Mendonça foi quem cantou as músicas de Renato Russo no filme, o ator teve aulas de voz e violão antes de assumir o papel.

O ator Eduardo Moscovis (Cabeça a Prêmio) chegou a ser cogitado para interpretar Renato Russo no filme, mas o papel acabou ficando com Thiago Mendonça (2 Filhos de Francisco).

Somos Tão Jovens teve um orçamento de R$ 6,4 milhões. Parte desta quantia (R$ 700 mil) foi ofertado pelo BNDES.

Palavras Perdidas: Era Chaves, Perdidos na Noite 1986-1988, Baader-Meinhof Blues, 11 músicas que falam de saudade, Carnaval é Perfeição!, Que País É Esse?, Índios, Olá, mundo!

Simony Benelli Galasso

Simony Benelli Galasso era uma cantora e apresentadora brasileira conhecida desde a infância quando integrou o grupo infantil Balão Mágico. Purepeople

Na vida pessoal, em agosto de 2022 revelou um câncer no intestino, aos 46 anos, descoberto em exame de rotina.

“Não é um momento muito fácil, é um momento de aprender, de se reconectar com Deus mesmo, de verdade, com você. Entender algumas coisas que você não entende. Ressignificar sua vida. Nesses momentos algumas pessoas vão embora, outras pessoas vão ficar”, falou Simony. PAIS&FILHOS – 01.09.2022

Nascida em 1º de julho de 1976, em São Paulo, Simony é de família circense e foi revelada no ‘Programa Raul Gil’, exibido na década de 1980 pelo SBT. Em 1983, Simony se lança como apresentadora infantil no “Balão Mágico” ao lado de nomes como Orival Pessini, caracterizado de Fofão.

Após o fim da atração, Simony formou dupla com Jairzinho, seu colega de ‘Balão’. Em 1987, estreou o programa ‘Nave da Fantasia’, na extinta TV Manchete.

Um ano mais tarde é contratada pelo SBT para comandar o ‘Dó Ré Mi Fá Sol Lá Simony’, que dura até 1989, ano em que assume o ‘Show da Simony’, encerrado em 1990.

Paralelamente, emplaca hits em dupla ou em carreira solo como ‘Mãe me dá um dinheirinho’ e ‘Acho que sou louca’. Em 1994, volta à mídia como capa da ‘Playboy’, um ano antes de emplacar a música ‘Primeiros Erros’ na trilha da novela ‘Cara & Coroa’. Já em 2001, outro sucesso: ‘Caixa postal’.

Simony
Simony. Playboy

“Liguei para a minha mãe chorando e ela disse: ‘filha, vai ficar linda’. Minha mãe é super de boa. No final, fiz as fotos e ficaram lindas”, relembrou Simony. “Cometi os meus erros, mas fui mulher para assumir. Errei, decepcionei pessoas. Mas, graças a Deus, tive outra chance de recomeçar. De lutar, ser e criar meus filhos”, disse ela, que é mãe de Ryan, de 20 anos, Aysha, de 18, Pyetra, de 14, e Anthony, de 7.

Em 2010, foi candidata à deputada federal e em 2016 participa do ‘Power Couple’. Já em 2019 comanda o ‘Bastidores do Carnaval’, envolvendo-se em polêmica com Dudu Camargo.

Na vida pessoal, namorou Alexandre Pires e foi casada com o rapper Afro-X, com quem teve dois filhos (Ryan e Aysha) e com o ator Marcelo Batista. Se envolveu ainda com o jogador Diego Souza, pai de sua filha Pyetra. Com o o engenheiro Patrick Silva, teve Anthony.

Em 2020 assume relação com o cantor Felipe Rodriguez, 14 anos mais jovem. Com cinco meses de namoro eles ficam noivos.

Na última semana, Simony fez mais uma sessão de quimioterapia para se curar do câncer. A cantora revelou detalhes sobre o tratamento e afirmou que o tamanho do tumor foi reduzido por conta da quimioterapia da qual foi submetida. NaTelinha – 01/09/2022

Palavras Perdidas: Turma da Mônica live-action, Irmão do Jorel, animação 100% brazuka, Se você é jovem ainda, O que ‘Supernanny’ viu em 10 anos, A voz do milênio

CIENTISTAS ESTÃO TENTANDO FAZER O UPLOAD DA CONSCIENCIA HUMANA

CIENTISTAS ESTÃO TENTANDO FAZER O UPLOAD DA CONSCIENCIA HUMANAComo a Mente Funciona

Seria possível viver para sempre? Bom, biologicamente, nós sabemos que temos uma série de limitações, já que, quanto mais envelhecemos, as células que compõem nossos corpos perdem a capacidade de se reparar, o que nos deixa vulneráveis. Mas e se não precisássemos dos nossos corpos para vivermos para sempre? Seria possível baixar nossa mente e colocá-la dentro de um computador para nos livrarmos das limitações biológicas? Então assiste o vídeo até o final porque hoje vamos tentar responder a essas perguntas.

REFERÊNCIAS

Acesso à representação 3D do fragmento de 1mm³ do cérebro humano: https://h01-release-dot-neuroglancer-…

Harari, Y. N. (2014). Sapiens: A brief history of humankind. Random House.

Nicolelis, M. (2020). O verdadeiro criador de tudo. Planeta Estratégia.

https://www.nature.com/articles/natur…

https://revistagalileu.globo.com/Tecn…

https://ai.googleblog.com/2021/06/a-b…

https://www.bbc.com/news/magazine-357…

https://www.bbc.com/portuguese/notici…

https://www.theatlantic.com/science/a…

Palavras perdidas: O Clube do Bangue-Bangue (Repórteres de Guerra), Tape Face Auditions & Performances, Fotógrafos dos quadrinhos (+18), CIENTISTAS CONSEGUIRAM REGENERAR MEMBROS!

O Clube do Bangue-Bangue (Repórteres de Guerra)

Clube do Bangue-Bangue (nome original, traduzido como Repórteres de Guerra) é um filme baseado no trabalho de fotógrafos para capturar os últimos dias do apartheid na África do Sul, um dos períodos mais violentos da História. iphotochannel

Publicado em 2001, com fotos de Greg Marinovich, João Silva, Kevin Carter e Ken Oosterbroek, o livro retrata os violentos conflitos entre diversos grupos políticos no período entre a libertação de Nelson Mandela, em 1990, e as primeiras eleições livres da história do país, em 1994. Rafael Pirrho, Johanesburgo (África do Sul) – BBC Brasil. 14 maio 2009

Quatro fotojornalistas arriscam suas vidas para mostrar ao mundo o que acontecia em lugares que ninguém mais tinha coragem de ir. O filme é baseado em fatos reais e é fundamental para todos apaixonados por fotografia (veja trailer abaixo e assista o filme completo no final do post. O filme é legendado e tem 105 minutos de duração).

Um dos 4 fotógrafos interpretados no filme é Kevin Carter, que foi um premiado fotojornalista sul-africano e membro do Clube do Bangue-Bangue. Em 1994, Carter ganhou um Prêmio Pulitzer por uma fotografia de sua autoria que retrata a fome no Sudão em 1993. Ele cometeu suicídio aos 33 anos de idade e sua história é retratada no filme.

A irmã de Oosterbroek, Athele, também participou da produção. Para ela, foi uma forma de homenagear o irmão assassinado.

“No início das filmagens tudo foi muito real e doloroso. Mas estou feliz em contar essa história que homenageia quatro amigos, incluindo meu irmão. O filme vai ajudar a curar feridas e creio que muita gente vai aprender com ele”, disse Athele.

Em 27 de julho de 1994, Kevin Carter dirigiu até um córrego, em Joanesburgo, uma área onde ele costumava brincar quando criança, e tirou a própria vida colocando uma das extremidades de uma mangueira no escapamento de sua caminhonete e a outra na janela do lado do passageiro. Ele morreu por intoxicação por monóxido de carbono, aos 33 anos de idade. Partes da nota de suicídio de Carter diziam:

“Eu sinto muito. A dor da vida ultrapassa a alegria ao ponto em que a alegria não existe…. deprimido … sem telefone … dinheiro para o aluguel … dinheiro para sustentar as crianças … dinheiro para dívidas … dinheiro! … Estou assombrado pelas vívidas memórias de mortes e cadáveres e raiva e dor … de crianças famintas ou feridas, de loucos com dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos assassinos … Fui juntar-me ao Ken (Ken Oosterbroek, seu colega fotógrafo que havia falecido há pouco tempo), se eu tiver tamanha sorte.”

Agora que você já sabe um pouco dos fotógrafos que fazem parte desse icônico filme, chegou a hora de assistir. Anteriormente o filme estava disponível na Amazon Prime, mas foi removido da plataforma recentemente. Mas o canal Extrema – Produção Criativa postou no Youtube a versão completa e legendada do filme. Assista abaixo:

Fontes: Adoro Cinema e Wikipedia

Banze-se: É ao morrerem que se tornam santos., Manguetown, Motivos para aprender sobre fotografia, O poço (El hoyo), “The Nu Project” – Nudez de mulheres comuns pelo mundo

16 MINUTOS QUE VALERÃO POR UMA VIDA INTEIRA! – EDUARDO MARINHO (EMPATIA E CONEXÃO)

16 MINUTOS QUE VALERÃO POR UMA VIDA INTEIRA! – EDUARDO MARINHO (EMPATIA E CONEXÃO)Saúde da Mente

Nesse vídeo Eduardo Marinho encara o desafio de falar sobre empatia e conexão entre pessoas, como tentou se encaixar. Fez concurso para o Banco do Brasil, para o Exército e depois entrou no curso de Direito. Mas não deu, era inconformado demais.

E desde que foi levado pela mãe, aos 6 anos, para distribuir pães numa comunidade pobre, como pagamento de uma promessa, nunca mais saiu do estado de choque diante da miséria. Para experimentar o sentimento de igualdade, fez das ruas a sua nova casa.

Hoje é é um artista plástico, escritor, ativista social e filósofo brasileiro e continua fora do padrão. ” Eu não estou aqui pra vencer na vida, eu estou aqui pra viver ” Eduardo Marinho

No canal Saúde da Mente você encontra vídeos motivacionais e reflexivos para colocar foco no desenvolvimento pessoal e profissional sempre visando fornecer conteúdo que agregue valor as pessoas.

Obrigado Senhor por fazer nossos vídeos chegarem ao maior número de pessoas!

Palavras perdidasObservar e Absorver, GREG NEWS – MST e Mineração, Jardim da Empatia, O poço (El hoyo), POR QUE ODIAMOS TANTO?

Você sabia que existem dois Amazonas na Amazônia? Ou três?

A Amazônia está presente no território de nove países na América do Sul e muitos termos e nomes acabam sendo parecidos. No Brasil sabe-se que o maior Estado em extensão territorial é o Amazonas, na Região Norte, e que abriga boa parte da floresta tropical. Portal Amazônia – 06/12/2021

Área com destaque em vermelho representa o Amazonas brasileiro. Google Maps

Maior Estado brasileiro, possui 1.559.167,878 km² e uma população estimada de 4.269.995 habitantes em 2021 de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Possui 62 municípios e a capital é Manaus.

A fronteira nacional é com Roraima, Pará, Mato Grosso, Rondônia e Acre. Já internacionalmente é com a Venezuela, a Colômbia e o Peru, onde existe o outro Amazonas.

Área com destaque em vermelho representa o Amazonas peruano. Google Maps

É uma das 25 regiões do Peru e possui 39.249,13 km². A população é de aproximadamente 390 mil habitantes, de acordo com dados governamentais. Sua capital se chama Chachapoyas.

A fronteira nacional é com Loreto, San Martín, La Libertad e Cajamarca. Já internacionalmente é com o Brasil, a Colômbia, o Equador, a Bolívia e o Chile.

Área com destaque em vermelho representa o Amazonas colombiano. Maps

O terceiro Amazonas é um dos 32 departamentos da Colômbia e o maior em termos de área territorial, com 109.665 km². A população é de cerca de 80 mil habitantes e a capital é Leticia.

É um importante centro eco turístico, com destaque para  os lagos Tarapoto e Canyon; as comunidades indígenas, como a Hitoma; e ainda as reservas e parques naturais.

Faz fronteira nacional com os departamentos de Caquetá, Vaupés e Putumayo, e ainda faz parte da tríplice fronteira internacional com o Peru e o Brasil, com o nosso Amazonas.

Palavras Perdidas: AYAHUASCA FUNCIONA? EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS?, Ademar Vieira, amazonense e suas tirinhas!!!, 5 mil anos sem destruir, Amazonas decreta situação de emergência, I AMazonia, Mapa dos ecossistemas intactos da Terra

How the Egyptians built the Great Pyramids

A different theory In the 1980s, a French materials scientist named Joseph Davidovits proposed a different theory – the Egyptians didn’t haul the blocks to the pyramids but rather formed the blocks by pouring an ancient concrete – he called it geopolymer – into wooden molds. This would have reduced drastically the number of laborers needed and explains the precision of the work. Pascal BORNET

Watch the full version by Fehmi Krasniqi on YouTube, via M. Soltani

Descrição

Grande Pirâmide K 2019 – Diretor Fehmi Krasniqi

84 mil

Marcações “Gostei”

5.392.091

Visualizações

2020

1 de nov.Para adquirir o livro e o filme em HD, acesse o link abaixo. https://grande-pyramide-k2019.com/boo… A construção da Grande Pirâmide e a Verdadeira História da Humanidade revelada. Para apoiar o filme e sua produção, siga o link do Paypal abaixo. Paypal https://www.paypal.me/gpk2019 Correção: Minha fala foi gravada, em maio de 2020. Naquela época, não fiz a pré-visualização para monetizar o filme. Mas com a crise econômica nacional, a monetização se tornou essencial para mim, então o filme agora está monetizado. Dediquei aproximadamente 1.296.000 minutos a este filme. Se você acha que o filme atende às suas expectativas, você está convidado a participar fazendo uma doação no link do Paypal acima. Com o objetivo de apoiar o trabalho voluntário da minha equipe. # greatpyramidk2019 # k2019 ************************************* https://youtu.be/IgN2DuOW7yU O medidor egípcio. A experiência. ————————————– Hoje estamos em 2020. Por que então K 2019? Pois o ano de 2019, marcou o início de uma nova História da humanidade com a estreia mundial deste documentário. ————————————- O filme tem legendas oficiais em: inglês, turco, dinamarquês (ainda não oficial) e francês. Versão francesa da Grande Pirâmide K 2019 https://www.youtube.com/watch?v=CcUjw… Arquivo de legenda em inglês para uso para tradução em outros idiomas. https://drive.google.com/file/d/1WfWF… ————————————————– —————- Obrigado por compartilhar Site Oficial https://grande-pyramide-k2019.com/ Facebook https://www.facebook.com/fehmi.krasni… Canal do Youtube: http://www.youtube.com/c/FehmiKrasniq… Com PAZ, AMOR e INTELIGÊNCIA. Fehmi Krasniqi

Secrets of the Antikythera Mechanism

Secrets of the Antikythera Mechanism: Session 1Computer History Museum. 22 de mai. [Recorded: May 13, 2015]

In 1900, sponge divers off the coast of the tiny Greek island of Antikythera made an astonishing discovery: the wreck of an ancient Roman ship lay 200 feet beneath the water, its dazzling cargo spread out over the ocean floor. Among the life-size statues and amphorae was an encrusted piece of metal, which after nearly a century of investigation, is finally revealing its secrets. Called the Antikythera Mechanism, study has shown that this improbably preserved object is actually an ancient Greek astronomical computer of a technical sophistication not seen until the clock making traditions of Medieval Europe—1,500 years after the Mechanism is believed to have been made (about 200 BC).Recent advances in computer imaging as well as painstaking scholarship have finally elucidated nearly all details of the Mechanism.

Join us as we dive into the mysterious history of the Antikythera Mechanism, guided by several world experts: Jonathan Knowles, from Autodesk, discusses the use of digital tools to recreate historical objects; Michael Wright, former curator of mechanical engineering at the Science Museum in London, describes the structure and recreation of the Mechanism at University College London and brought a model of the device to the Museum for audience members to explore; professor Nicolaos Alexopoulos presents on the sociology, engineering, and science of ancient Greece; marine archaeologist Brendan Foley describes his 2014 diving expedition to the original Antikythera wreck site; and, finally, Tatjana Dzambazova will discuss her projects at Autodesk for the digital preservation and dissemination of cultural heritage. The host of this event is Museum Trustee Michael Hawley.

Secrets of the Antikythera Mechanism: Session Two can be viewed here: https://www.youtube.com/watch?v=bYxwn…

Palavras perdidas: Computer History Museum, Detalhes de filmes que a maioria das pessoas deixou passar da primeira vez que assistiu, Reuso de água na Semana do Químico, Olimpíadas Brasileiras de Astronomia e Astronáutica

Tape Face Auditions & Performances

Tape Face Auditions & Performances | America’s Got Talent 2016 Finalist. Got Talent Global

Re-live each of Tape Face’s hilarious performances & auditions on America’s Got Talent 2016! From his first audition all the way to the final performance on AGT 2016! What’s your favourite performance? Let us know in the comments below.

Original Clips:

Tape Face First Audition: https://www.youtube.com/watch?v=O70Ww…

Tape Face Judges Cuts: https://www.youtube.com/watch?v=A_9MZ…

Tape Face Quarter Finals: https://www.youtube.com/watch?v=VLLfC…

Tape Face Semi Finals: https://www.youtube.com/watch?v=UMYFB…

Tape Face The Final: https://www.youtube.com/results?searc…

Got Talent Global brings together the very best in worldwide talent, creating a central hub for fans of the show to keep up to date with the other sensational performances from around the world.

Tape Face was a contestant on America’s Got Talent in Season 11. His mimicry took him all the way to the Top 10, but he was eliminated in the bottom five. His performances were strange. Tape Face managed to attract the audience as we all tried to find out what was going on. Justin Jenkins – Talent Recap. 20 de fevereiro de 2022

Tape Face, real name Sam Wills, is from New Zealand. He started his local career and eventually developed his hit show as a character called The Boy with Tape on his Face, known as the man who performed with duct tape over his mouth and still managed to make people laugh. His popularity grew and he took his show on the road, performing in London and Las Vegas.

In 2016, Tape Face appeared in a three-night concert series at Planet Hollywood Resort & Casino in Las Vegas. He was joined by America’s Got Talent Season 11 winner Grace VanderWaal and runner-up The Clairvoyants. He also appeared on America’s Got Talent: The Champions, but was quickly eliminated.

Tape Face, an artist capable of turning the mood of the simplest of things, trained to be a clown when he was 13 and was a stand-up comedian. He tapped into viewers’ love of music to help elevate his performances, and when he arrived on America’s Got Talent, he received 4 yes.

The judges and viewers fell in love with Tape Face. The performer was able to make an audience laugh, without saying a word. There were other fans who didn’t understand how he was able to stay in the competition. America’s Got Talent fans were divided, and both sides expressed their feelings on social media.

Fans credited Tape Face for reviving silent film acting, using his facial expressions and body movements to lure them in. The ups and downs of the entertainment industry showed when the same year that Tape Face did not win America’s Got Talent, he won the International Achievement Award from the Variety Artists Club of New Zealand. Tape Face created a career that others simply could not understand. A contestant on a Brazilian talent show actually copied his act, hoping for lighting to strike twice.

Judges and spectators fell in love with Tape Face, who managed to make the audience laugh without saying a word, other fans who didn’t understand how he managed to stay in the competition.

Fans credited Tape Face for reviving silent film acting, using his facial expressions and body movements to draw them in. The ups and downs of the entertainment industry showed when in the same year that Tape Face didn’t win America’s Got Talent, it won the International Prize Award from the Variety Artists Club of New Zealand. Tape Face created a career that others just couldn’t understand. A contestant at a Brazilian talent show actually copied his act, hoping the light would hit twice.

Vegas resurfaced in 2018 when it offered Tape Face a three-year residency deal. His new show takes place at Harrah’s Las Vegas. The venue built a room just for Tape Face and called it The House of Tape. The animator keeps the presentations fun by making the show interactive with the audience. His show recently restarted after going through the pandemic. Fans have expressed outrage that Tape Face’s busy schedule sometimes means he has to wear a doppelgänger to perform. Attendees took notice, but the show remains a success. Even though he lost, Tape Face came to a net worth of around $3 million.

Palavras PerdidasBou Bou, Dia do Artista de Teatro, O Espião Inglês, Póstumo, A voz do milênio, Ademar Vieira, amazonense e suas tirinhas!!!, O DIA QUE EU CAI DE BICICLETA, APRENDA A SE COMUNICAR COM DEFICIENTES AUDITIVOS OU PESSOAS SURDAS

OS SETE MISTÉRIOS DE UM VW BEETLE ‘64

Um Fusca 1964 zero-quilômetro que ficou por 52 anos guardado para depois reaparecer em grande estilo num evento de carros antigos em 2016. Nele apareceu a descrição de “Sete mistérios de um VW Beetle” isto em 1964, e vamos conhecer quais são estes mistérios. Alexander GromowAUTOentusiastas. AGFalando de Fusca & Afins02/05/2022

Nascido em 3 de abril de 1927, o falecido Rudy Zvarich sempre teve um grande interesse em entender como os itens mecânicos funcionavam, um talentoso mecânico de automóveis e um expert em consertar rádios, ele entendia o que fazia as coisas funcionarem e poderia resolver problemas complexos para manter quase tudo funcionando como pretendido. Ele era uma daquelas pessoas talentosas com um dom para consertar as coisas.

Em 1964, Zvarich dirigia um Fusca 1957 como seu carro diário, mas não estava animado com as mudanças introduzidas no novo modelo VW Beetle de 1965, queria um para-brisa plano, então ele partiu para a compra de um Fusca 1964 de reserva, pegou o telefone e encontrou um dos últimos disponíveis na área, na concessionária de Gilbert e Seibel localizada em Vancouver, Washington.

A bateria original do Fusca 64 era americana, do tipo seco-carregada ainda fechada em sua embalagem original

Zvarich comprou o carro (trazendo sua própria bateria para não ativar o sistema de carga seca original) e levou-o, à noite, para o depósito de um amigo, e o carro estava sem seguro.

Ele nunca licenciou o carro e, depois de dois anos no depósito de seu amigo, Zvarich terminou seu próprio prédio e mudou o carro para lá. Notavelmente, o carro permaneceu imperturbado de 1966 a 2016, tendo percorrido apenas 22 milhas (35,4 km).

Ao longo dos anos, os interesses e a coleção de carros de Zvarich cresceram. Nunca houve uma razão para ele precisar do Fusca, então ele dormia no canto de trás de sua coleção com todos os fluidos drenados e um lençol sobre ele para evitar a poeira.

O Fusca em seu canto onde ficou parado por 50 anos, já na garagem do Zvarich!

Embora seu Fusca de 1964 nunca tenha visto a luz do sol, Zvarich tinha paixão por usar seus outros carros e participou de muitos eventos de veículos.

Abaixo fotos de quando o Fusca ’64 foi acordado de sua longa hibernação:

Zvarich adorava apontar detalhes sobre como e por que as escolhas de engenharia eram feitas, e você não podia deixar de se achar um pouco mais inteligente depois de uma conversa com ele.

O “belo adormecido” a caminho do concurso de elegância para onde foi de reboque, já que seu motor não foi acionado

Mas esta Beleza Negra, o 64 Beetle, foi um dos destaques do Concours d’Elegance do dia 17 de julho de 2016 em Forest Grove: uma categoria de premiação foi criada especialmente para este Volkswagen antigo.

No Concours d’Elegance, depois de ser lavado e preparado para o evento
Detalhe do motor impecável, visão que deixou muita gente fortemente impressionada no concurso de elegância

Zvarich morreu em 2014, aos 87 anos, e seu sobrinho, Mike Burback, de Portland, herdou sua coleção de carros, também um mecânico talentoso, passou por cada carro para se certificar de que todos estão em boas condições de funcionamento, como o próprio Zvarich teria feito. Já o Fusca 1964 foi cuidadosamente retirado de sua cápsula do tempo. Isto foi feito com uma atenção especial para não prejudicar a sua originalidade.

Seguem alguma fotos de detalhe deste Fusca ’64, tiradas durante o concurso de elegância:

Os limpadores de para-brisa, espelho retrovisor externo e calotas nunca foram instalados no carro e ainda estavam em suas embalagens originais da concessionária.

No porta-malas, o jogo de ferramentas original e a embalagem do espelho retrovisor que ainda não tinha sido instalado no carro. Detalhe do estepe com faixa branca.

Estado da pintura quando o carro foi resgatado, sua pintura preta estava um pouco empoeirada porque ele nunca havia sido lavado. Detalhe para os adesivos originais colocados pela Volkswagen of America com detalhes mostrando para que concessionária o carro foi enviado

Bancos dianteiros e ao fundo o acabamento da porta direita. Detalhe para a caixa da bateria original, em primeiro plano, e ao fundo, também no chão do carro, as calotas, como estavam no carro.

Banco traseiro em seu acabamento “Leatherette Red” (curvim vermelho) muito apreciado nos EUA, e que era opcional, parece que acabou de ser instalado na linha de montagem.

Adesivos que a concessionária tinha colado na janela em 1964, com as características do carro, concessionária de revenda e itens opcionais. Comparando os dois documentos, parece que o adicional pelos pneus com faixas brancas (white wall tires) foi cobrados duas vezes.

A expressão usada com frequência “eles são originais apenas uma vez” parece aplicável aqui. No mundo de hoje, onde a obsolescência incorporada está girando cada vez mais rápido, o pensamento de comprar um carro de backup não é algo que vem à mente com muita frequência. Zvatich era um proprietário meticuloso que amava tanto seu Fusca, que queria ter uma reserva. Como o tempo provou, Zvatich nunca precisou colocar seu “Fusca de reserva” em serviço.

O orgulho da propriedade era suficiente para fazê-lo feliz.

Existem alguns VW Beetles originais incríveis em exibição em todo o mundo em homenagem ao seu criador. Na Alemanha, o Porsche Museum (Stuttgart), o AutoMuseum Volkswagen e o Zeithaus Museum (Wolfsburg) e o famoso Prototype Museum (Hamburgo) têm coleções impressionantes, mas dos 948.370 Beetles fabricados em 1964, poderia o do falecido Zvatich ser o mais original que resta no planeta? Já os carros destas coleções, em sua maioria, são exemplares cuidadosamente restaurados, pois foram muito usados em suas vidas úteis.

O mundo pode nunca ver outro Fusca igualmente original e sem uso. O Fusca de Zvarich é realmente um instantâneo no tempo.

O carro foi posto à venda através do site Hemmings por US$ 290.000,00 e causou uma grande celeuma, mas seguramente este valor é justificado, é um Fusca 1964 zero-quilômetro. O seu valor é por ser possivelmente o Fusca mais antigo nestas condições que existe. Certamente é um carro para um museu e não para uso, mesmo porque, para que ele fosse colocado em condições de uso, seria necessária uma restauração com troca de diversos itens que devem ter ressecado e estragado pela inatividade de tantos anos.

O Fusca ainda era desconhecido nos EUA no início da década de 60 e esta foi a maneira que a Volkswagen encontrou para dar algumas dicas sobre o carro para usuários que nunca tivessem visto um Fusca pela frente. De início vinha uma observação de cunho geral, publicada no canto esquerdo superior da lista de mistérios:

“A esta altura você provavelmente conhece as soluções para esses pequenos mistérios. Mas se você deixar esta informação em seu para-sol por algumas semanas, sua família terá a chance de conhecê-los também.”

1- POR QUE A IGNIÇÃO “TRAVA”?

Se você fizer esta pergunta, provavelmente você não desligou o motor completamente. O VW tem um bloqueio de não repetição para evitar o repetido acionamento acidental de um motor em funcionamento. Desligue a ignição até o fim, depois tente novamente.

2- ONDE ESTÁ A MARCHA A RÉ?

Está em um plano diferente das marchas para a frente. Coloque a alavanca de câmbio em ponto morto; empurre-a diretamente para baixo e, em seguida, desloque-a para a esquerda e para trás.

3- O QUE É O “R” NO MEDIDOR DE GASOLINA?

Modelos antigos de Volkswagens não tinham medidor de gasolina; eles contavam com uma alavanca que abria um suprimento “Reserva” de 1,3 galão de gasolina (4,92 litros). O “R” ainda significa 1,3 galão — e você tem cerca de 40 milhas (64 quilômetros) para chegar a um posto de gasolina.

4- COMO O ATENDENTE CHEGA AO TANQUE DE GASOLINA?

A tampa do tanque está travada com segurança sob o capô dianteiro (o que evita furtos). Puxe o botão de liberação do capô, localizado na extrema esquerda sob o painel.

5- POR QUE O LAVADOR DE PARA-BRISA NÃO FUNCIONA?

Pode ser que você precise de água; verifique seu reservatório, localizado atrás da roda sobressalente. Como o lavador é pneumático, ele também pode precisar de ar — cerca de 35 libras de pressão de uma mangueira de ar (a válvula está no reservatório). No inverno, você pode evitar o congelamento do lavador adicionando solvente de degelo, disponível em seu revendedor.

6- SEM PERÍODO DE “AMACIAMENTO”. ISSO SIGNIFICA QUE POSSO IR A TODA VELOCIDADE IMEDIATAMENTE?

A velocidade máxima não vai prejudicar o Volkswagen. Mas se você nunca teve um VW antes, é melhor ir com calma até sentir a direção rápida e positiva (não há folga), troca de marchas e fácil manobrabilidade. Experimente no trânsito de autoestradas, nas curvas e no estacionamento paralelo. Quando começar a parecer completamente natural, você vai gostar ainda mais de dirigi-lo.

7- QUANDO DEVO VER MEU CONCESSIONÁRIO VW NOVAMENTE?

A 300 milhas a partir de agora. Sempre que você usar o primeiro tanque cheio de gasolina, deixe isso lembrá-lo de que é hora do primeiro check-up gratuito do seu VW. Chamamos esses check-ups de Serviços de Manutenção Preventiva e eles são projetados para manter seu Volkswagen funcionando da maneira que você deseja. Há um livro de cupons que explica a importância da Manutenção Preventiva e lembra quando você deve recorrer a ela. Nos vemos em 300.

Como se pode ver eram dicas úteis para os novos proprietários de Fusca nos EUA. Para outras questões existia o manual do proprietário ou uma visita a uma oficina.

Este trabalho contou com as seguintes fontes de pesquisa: As fotos são do site The Samba; A matéria “Owner of ’64 Beetle kept car in time warp” de Mike Spicer escrita para o Pamplin Media Group trouxe informações importantes; Pesquisas forma feitas no Site Hemmings e no Facebook. Pesquisas de apoio foram feitas na internet.

NOTA: Nossos leitores são convidados a dar o seu parecer, fazer suas perguntas, sugerir material e, eventualmente, correções, etc. que poderão ser incluídos em eventual revisão deste trabalho.

Em alguns casos material pesquisado na Internet, portanto via de regra de domínio público, é utilizado neste trabalho com fins históricos/didáticos em conformidade com o espírito de preservação histórica que norteia este trabalho. No entanto, caso alguém se apresente como proprietário do material, independentemente de ter sido citado nos créditos ou não, e, mesmo tendo colocado à disposição num meio público, queira que créditos específicos sejam dados ou até mesmo que tal material seja retirado, solicitamos entrar em contato pelo e-mail alexander.gromow@autoentusiastas.com.br ou edsjesusii@gmail.com para que sejam tomadas as providências cabíveis. Não há nenhum intuito de infringir direitos ou auferir quaisquer lucros com este trabalho que não seja a função de registro histórico e sua divulgação aos interessados.

A coluna “Falando de Fusca & Afins” é de exclusiva responsabilidade do seu autor.

Orgulhe-se: Aniversário da revolução de 1964, A NASA CHEGOU NO BRASIL! FUSCA GIGANTE COM MECÂNICA V8 NA DIANTEIRA, Fusca T87, Plágio, A última despedida do Fusca!?!, Fusca azul: conheça a origem da brincadeira que gera socos e tapas

Guia para quem vai a SP pela primeira vez na vida…e Sozinha!

Se você está com pouca grana ou está com dinheiro bem contadinho, invista no transporte público. O metrô de São Paulo funciona perfeitamente, são 104 quilômetros de extensão divididos em cinco linhas. Procure hospedagens que ficam próximas da estação, pois 90% dos lugares de SP usam estes locais como ponto de referência. Ou seja, a cidade é movida nos trilhos e sem contar que é uma forma de entender um pouquinho a rotina do paulistano e por R$ 4,40 (aceita em pagamento em dinheiro e PIX através do Whatsapp da companhia que gerencia o transporte, no qual dão os QR Code por mensagem e não precisa levar um monte de papel). Brechando em SP (2022)

Na República, por exemplo, você rapidamente vai conhecer importantes pontos boêmios de SP, como o SESC da 24 de março, a Galeria do Rock, o CopanViaduto do CháLargo do Paiçandu (foto acima)Teatro Municipal e os bares da região. 

Ao todo, são cinco linhas: Azul (a maior quantidade de estações), Verde (maior em extensão), Vermelha, Amarela e Lilás. O detalhe que todas elas se conectam entre si e os trens da região.

São Paulo é incrivelmente arborizada, principalmente nos bairros que tem uma circulação bacana de gente. Assim, a cidade fica fresquinha e não morremos de calor com o excesso de andança. Além disso, existem vários parques para visitar.

Umas das áreas verdes do Ibirapuera, que tem 10 portões de acesso, museus e acesso por vários bares.

Um local que me surpreendeu positivamente foi o Parque Ibirapuera, que é um espaço enorme de área verde, que une a prática esportiva, museus e atividades de lazer. O mais legal que funciona tanto durante o dia quanto a noite. Ele é ótimo para jogar futebol, praticar frescobol, tomar banho de sol e, inclusive, fazer aquele almoço gostosinho.  Ele é o parque mais visitado da América Latina. 

Lá tem restaurantes para você se alimentar bem e não necessariamente precisa ser health food.

Há também aparelhos de ginástica, quadras, playground, quiosques (inclusive para pedir comida do Ifood), ciclovia, maquininha de Red Bull (igual para tirar lata de Coca-Cola, sendo mais chique) e planetário.

A avenida Paulista, uma das principais via da cidade, aparece na mídia o tempo todo, poderíamos falar sobre os prédios dos importantes bancos, das principais empresas, a sede da Cásper Líbero (coincidentemente da TV Gazeta), do MASP (Museu de Arte de São Paulo) e entre outras coisas.

A Paulista é o novo e velho se encontrando. São paulistanos de nascença com os imigrantes juntos e conversando sobre amenidades. É poesia estampada na calçada. Pessoas almoçando no Burger King contando as horas para bater o ponto novamente.

É comprar aquela roupa na loja de Departamento, ir ao shopping para comprar o livro. Visitar aquele Mc Donald’s novo, que restauraram um casarão abandonado e deixaram quase uma atração da Disney. Além disso, eles vendem um sorvete com coca muito bom. 

Paulista é a cidade por si só, para quem quer viajar a trabalho e está sem tempo de fazer grandes passeios.

Beco do Batman pode parecer sinônimo de graffiti, mas, garota, calma, não é apenas um museu ao céu aberto, o pessoal realmente fez o local como um complexo cultural. 

No metrô, parei na estação de Vila Madalena e com o Uber cheguei ao local. De longe já dá para ver as cores e os motoristas dão dicas dos melhores restaurantes para almoçar. As cores em direção ao beco já dão os primeiros sinais que estamos chegando no local. 

A rua já está fechada para que pedestres possam andar em quase um quilômetro de graffitis vindos de artistas de SP e de vários países. Foi por causa dele que surgiu as pinturas do Beco da Lama, em Natal-RN. Além disso, o local é cheio de restaurantes com bons drinks, PFs ou pratos bem elaborados para sair com a família e os amigos. 

O trecho recebeu esse nome devido a um grafite do personagem homônimo da DC Comics há muitos anos, e acabou por se tornar um ponto de turismo devido a dezenas de grafites pintados em seus muros; atualmente conta até mesmo com visitas monitoradas realizadas na área.

Na região central existe a Liberdade, fui no local no sábado e mal sabia que teria a presença de uma feira que traz não só os melhores artigos asiáticos, mas também produtos artesanais do Brasil e de outros países da América do Sul. Além disso, lá tem barraquinhas trazendo o melhor das comidas japonesas fugindo daquele tradicional sushi. Em volta da praça também tem os prédios e restaurantes alinhados com a temática da cultura, com livrarias vendendo mangá em japonês, cafés com doces customizados com personagens de anime e também uma rua com várias lojas importadas, inclusive mercadinhos com os produtos vindos do Japão, Coreia e China, para os curiosos levarem para os outros estados do Nordeste.

Uma experiência diferente em São Paulo foi assistir um concerto de música clássica, que tocava clássicos do rock and roll. E, o melhor, a luz de vela, o show se chama Candlelight e acontecem no tradicional Theatro São Pedro, construído no século XX, para receber concertos e óperas. A banda que se apresentou era o Sexteto de Cordas do Monte Cristo Coral e Orquestra, que eles tocaram os sucessos de Beatles e Rolling Stones.

As pessoas sempre pediam que eu fizesse um rápido guia sobre a via. E, realmente, ela é a minha cara, principalmente porque as ruas paralelas também tem o mesmo espírito de bares, boates, cinemas e teatros voltados para o público alternativo.

Tem muita coisa para se fazer na Augusta. Se você não quer festa, tem cinema com filmes que você não veria nas grandes redes do shopping, shows de bandas locais e famosas, restaurantes, bistrôs ou seja, o mundo inteiro está lá. E quanto mais avança os horários, mais gente. 

Museu da Língua Portuguesa fica dentro da Estação da Luz

Museu da Língua Portuguesa fica dentro da Estação da Luz e só chegar e pronto. Mata dois pontos turísticos em um, ele foi fundado em 2016 e reinaugurado em julho de 2021, no qual é dividido por três andares que falam sobre como português do Brasil teve influências não só de Portugal, mas de vários países e a contribuição da imigração no nosso vocabulário.

No meio de um bairro de luxo, existe o Museu da Imagem e do Som – MIS, em um prédio construído no final dos anos 60. O seu objetivo é armazenar dados de pessoas que contribuíram com a televisão, rádio, música e também no clipe. O acervo do MIS conta com mais de 200 mil itens relacionados à história da produção audiovisual brasileira. São fotografias, filmes (curtas, longas, vídeos e documentários), vídeos, cartazes, peças gráficas, equipamentos de imagem e som e registros sonoros e audiovisuais, além dos livros, catálogos, periódicos, CDs, DVDs, VHS, coleções, cuja coleta e criação esteve sempre ligada aos acontecimentos contemporâneos. Também conhecido pela exposição sobre o Castelo Rá-Tim-Bum, programa infantil de sucesso da TV Cultura.

A principal de duas exposições que visitei, sendo uma de graça, mostrava os trabalhos da cantora Rita Lee com a curadoria do próprio filho dela, que expôs roupas, discos, anotações e toda memória física de 60 anos de carreira da “Rainha do Rock do Brasil”.

A exposição gratuita é um coletivo de artistas que mostraram a vida das travestis, dos doentes de Covid-19 e da periferia de SP de uma forma crua, mas também usaram canais de omnichannel para que os visitantes pudessem expressar a sua opinião sobre os temas retratados. 

São Paulo tem muito museu e é uma das formas de passeio mais barata, quase todos cobram o preço de estudante (a meia-entrada), basta comprovar que você estuda, além de todos ficarem próximos de estações e paradas de ônibus.

Procura aqueles que são perto de sua hospedagem ou dos lugares que obrigatoriamente vai visitar.  Se você é do tipo de pessoa que curte passeios culturais, São Paulo vai fazer seus olhos brilharem. A capital paulista reúne uma série de museus e um acervo que não fica atrás de lugar nenhum no mundo.

Consegui viajar e gastar apenas o necessário. Para que eu pudesse conciliar o turismo e não atrapalhar o curso, eu tive que fazer uma ampla organização, aqui vai algumas dicas:

  1. Monte a planilha com o que vai gastar diariamente;
  2. Pense no que vai comprar, principalmente se a única mala for a de mão e uma mochila;
  3. Comida em São Paulo é realmente caro, mas existem opções nutritivas e gastronômicas incríveis. Procure olhar Trip Advisor e o Google, o público não mente mesmo quando algo é ruim. Se você ver algum restaurante que tenha crítica de 1 estrela, observe bem essa crítica para saber se isto iria lhe incomodar ou não.
  4. Leve bateria portátil na sua bolsa, pois nunca se sabe quando vai pedir ajuda e celular não descarregar.
  5. Sempre observe os lados e não tenha medo de caminhar,  isso te ajuda a ter uma excelente memória fotográfica dos locais. 
  6. Se conhece alguém na cidade, peça dicas e converse sobre lugares interessantes para visitar. Afinal, ele sabe quais são os locais que vale a pena e o que não vale. 
  7. Vai encontrar alguém? Combine de se encontrar nas estações de metrô e lugares públicos. 
  8. Informe a localização para todos amigos de confiança, pais, irmãos e quem você confia para não se perder ou caso aconteça alguma coisa eles saberem onde você está.
  9. Procure hospedagens perto do transporte público e que tenha locais para fazer as principais refeições, farmácias para comprar remédios e um posto de saúde. 
  10. Cuide bem de sua saúde, principalmente se você está em uma cidade que o clima é totalmente diferente do seu. Alongue-se, use roupas leves, tênis e pequeno kit de sobrevivência para poder fazer longas caminhadas. 

Palavras PerdidasDia do turista!!!, Museu Pelé, Arte Fora do Museu, Aldeia360, Expedição pelas Nascentes do Rio Água Preta, Biblioteca a noite, Jaider Esbell e Bienal de São Paulo

A Maçonaria que conheço tem TDAH?

Realmente, não é possível conhecer totalmente a Maçonaria, pois, do ponto de vista vivencial pode-se conjecturar a existência de muitas formas de ser Maçom; por vezes, exagero pensando que a sua prática seja quase individualizada; há um senso comum, contudo, reina uma série enorme de convicções individuais. Walter Roque Teixeira (Médico Neurologista)

A Maçonaria que conheço tem TDAH?

Assim pensando, cada Loja, unidade legal básica e fundamental, para não nos estendermos além deste microambiente, tem características próprias e isto, naturalmente, faz com que, do ponto de vista prático, afora os Rituais e a legislação específica, a Instituição, igualmente ao seu elemento mais básico, o Homem Maçom, acabe comportando-se como um mosaico. BIBLIOT3CA FERNANDO PESSOA

O que eu falo é bem pensado. Não receio escaramuça. E que aceite a carapuça quem se sente melindrado”. Victória de Noel Rosa

TDAH, significa “Transtorno do Défice de Atenção com (… ou sem) Hiperactividade”.

O Transtorno do Défice de Atenção com Hiperactividade é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida, caracterizada por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade”.

Metáfora, é uma figura de linguagem em que se transfere o nome de uma coisa para outra com a qual é possível estabelecer uma relação de comparação, segundo o autor.

O título talvez devesse ser “parte dos líderes maçónicos comporta-se como se tivesse TDAH”, pois a Maçonaria tem a organicidade de uma Instituição juridicamente reconhecida e, antes de tudo, é iniciática, filosófica, filantrópica, progressista e evolucionista. Logo, não é portadora de TDAH!

Crítica é somente uma figura linguística que se refere à expressão de uma reacção pessoal que algo, seja um tema ou comportamento, me provoca; desta forma, como visão individual não pode pretender representar verdades e, assim, não deve ter outra interpretação além da intenção de estimular discussões que possibilitem mudanças.

Como base comportamental do portador de TDAH, especialmente no adulto, para a qual devemos atentar-nos e priorizar é a habitual e prejudicial característica de desatenção às consequências futuras do que fazemos ou deixamos de fazer, as decisões, estabelecimento de prioridades, acções e atitudes adoptadas no presente é que determinarão como será o nosso futuro.

O “presente nada mais é do que a preparação para as consequências futuras”, e esta é uma das maiores dificuldades dos portadores de TDAH!

Temos um condicionamento neurobiológico no funcionamento dos nossos lobos frontais, isto inclui um sistema de recompensas voltado para, socialmente, obter-se algo no futuro a partir do se faz agora. A conquista de metas planejadas dá prazer e prestígio. Se estivermos desatentos para o que pode acontecer depois, não conseguiremos dar a importância, o peso real, para fazer o que se deve fazer agora.

Existem, portanto, sintomas que poderiam ser considerados comuns, como dificuldade de focar e persistir, procrastinação e subvalorização do tempo, como se pudéssemos resolver qualquer problema tão logo surja, e sem qualquer dúvida, poderá dar errado lá na frente!

Se a isto não dermos a devida importância, acabaremos cumprindo o básico das nossas obrigações, deixando apenas o tempo passar, esperando sair aparentemente ilesos das responsabilidades que, social e institucionalmente, nos foram atribuídas.

Indivíduos que agem buscando caminhos para antecipar consequências são taxados de “extemporâneos”, “apressados”, “nervosos” ou “ansiosos”, invariavelmente são pouco entendidos ou valorizados no presente, talvez o serão no futuro!

Outros, mais voltados para o presente, têm, portanto, uma insensibilidade às consequências futuras dos seus actos no presente, não activam o sistema de recompensas futuras, pois as buscam no presente e pelas suas aparentes “proactividades” (ou impulsividade?) são taxados como “realizadores” e valorizados.

E estas são características comumente encontradas naqueles portadores de TDAH! Foco no presente e sem condições neurobiológicas de planear o futuro!

somos responsáveis não só pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer” (Molière)

O futuro sempre é responsabilidade do presente! Será? Como denominou Daniel Kahneman, uma ilusão cognitiva do Viés da Validade ou Heurística da Auto Validação.

A Maçonaria do autor continua a navegar em “mar de almirante”, confiante de que nenhuma marola vai afectar o seu percurso, independentemente dos fartos exemplos existentes (“Somos um grupo que está fora de moda e com o número de membros a diminuir – talvez não nos países em desenvolvimento, mas no mundo desenvolvido, somos vistos como um anacronismo, com um modo de estar que constitui um embaraço” – Michael W. Walker).

Aprender a aproximar o futuro do presente, estratégia psicoterapêutica frequentemente usada nos portadores de TDAH deveria também ser fonte de discussão e ensinamento persistente nas Lojas Maçónicas criando cenários e preparando a Instituição para possíveis impactos negativos no futuro do que já está a acontecer hoje.

Palavras Perdidas: Tim Maia – Racional, AS BABUCHAS DE ABU KASEM, Uma Viagem Extraordinária, Ghost Writer ou Escritor Fantasma!!!, Gatoterapia, Pessoas com autismo se surpreendem menos com eventos inesperados

A Demonização Científica

A ciência não é boazinha nem tenta ser. A sua única promessa é a de encontrar relações evidentemente verdadeiras entre as ideias e a realidade. Não é um processo divino, mágico ou obscuro. É humano e documentado. Despenhadeiro

Algumas religiões colocam o sofrimento como uma necessidade que será recompensada em outro mundo, um plano eterno e soberano. Para a ciência, este outro mundo é irrelevante, simplesmente porque ele é imensurável. É exatamente por isso que tentar comprovar a inexistência de Deus com a ciência seria a mesma coisa que tentar trocar o pneu de um carro utilizando uma jabuticaba. O método científico é uma ferramenta com funcionalidade em um mundo específico: o natural.

Existem ramos desta ferramenta engajada na compreensão da realidade que são utilizados para a diminuição dos sofrimentos. A psicologia é um exemplo e graças a sua documentação, qualquer pessoa pode percorrer todo o caminho para se chegar em todas as conclusões e explicações sobre os tratamentos mais complexos. Não há mistério nem deturpação de qualquer coisa criada por Deus, pois tudo o que há é um encadeamento de observações básicas e conclusões simples sobre o que se é observável na Natureza.

A demonização do método científico é uma resposta religiosa aterrorizada pela possibilidade da desmitificação dos fenômenos naturais. Quando livros escritos por homens interpretando a palavra de Deus tentam explicar a realidade, eles erram, porque a conservação dogmática de uma explicação sobre o mundo não é pariu para a constante competição entre as explicações dentro da ciência.

O meio científico, para além de um pequeno grupo acadêmico, recompensará o mais ultrajante dos questionamentos. A completa destruição de falsos axiomas, a quebra de qualquer teoria fundamentalmente equivocada será celebrada, desde de que todos os argumentos dessa antítese sejam observáveis. Graças a isso, a ciência se tornou a melhor ferramente para explicarmos a realidade.

Existem outros mundos além da explicação de fenômenos observáveis, temos a necessidade de definir o que é felicidade e perseguir propósitos. Para isso lhe servirá, além de qualquer outra coisa, a religião.

Não use o dogma para confrotar a realidade, pois aquilo que a ciência chama de real já é por si uma provável obra daquilo que você chama de Deus. Por exemplo, não veja a teoria da evolução como uma depreciação da humanidade, pois o mesmo mecanismo que criou a sua capacidade de pensar, se apaixonar e enxergar beleza, também foi responsável por criar a capacidade dos pássaros voarem e não há nenhum demérito nisso.

Palavras PerdidasGhost Writer ou Escritor Fantasma!!!, EXPERIMENTOS SOCIAIS SIGILOSOS | Cortes do Venus