Feminismo não, ser humano!?!

Circula nas redes sociais uma cena em que uma mulher critica o feminismo durante um programa sob o olhar atônito de Fernanda Gentil. Legendas dizem que se trata de uma entrevista dada ao vivo no “Se Joga”, da Globo. É #FAKE.

Mais um indício de que o vídeo foi tirado de contexto é o fato de que, desde o final de agosto, Fernanda Gentil, que aparece nas supostas gravações, não apresenta mais o Se Joga. O programa foi cancelado. GUSTAVO QUEIROZpiauí

Na verdade, o que Simone de Beauvoir queria nos dizer é que existem inevitáveis dependências entre nosso corpo e nossa mente, e que se a experiência corporal condiciona a forma pela qual enfrentamos o mundo, no caso da mulher isso tem um efeito maior, pois são as significações sociais dadas a essa forma de nos relacionarmos com nossos corpos e sua importância para nos desenvolvermos como pessoas aquilo que estrutura uma sociedade profundamente desigual. MÁRIAM MARTÍNEZ-BASCUÑÁN – El País

Entre outras coisas, a contribuição dessa pensadora genial, a mais ilustre moradora do Quartier Latin parisiense, foi situar a reflexão sobre o corpo no centro do feminismo: se toda existência humana, segundo ela, é definida por sua localização, a corporalidade da mulher e os significados sociais que se lhe atribuem condicionam sua existência.

Camille Paglia não é uma mulher rotulável. A professora da University of Arts na Filadélfia, no Estado americano da Pensilvânia, critica abertamente os rumos do feminismo contemporâneo e algumas mulheres relacionadas ao movimento, que classifica como “loucas” e “neuróticas”. Apontada como feminista e antifeminista, Camille defende um protagonismo feminino genuíno. “A verdadeira libertação das mulheres ocorre por meio do empoderamento de si mesmas, de suas vozes, de suas mentes.” Capitu – Estadão

O que estou alertando às mulheres é que não se pode forçar um homem a ser como uma mulher. Essas mulheres, que frequentaram Princeton, Yale e Harvard, estão acostumadas com esse tipo de homem. Aqueles que entram nessas escolas já foram treinados sobre como você deve se comportar em relação a essas mulheres privilegiadas, de classe média alta. Elas esperam que todos sejam assim.

Na história, quando você tem essa aparição de androginia, transexualidade e transgênero, é geralmente um sintoma do colapso de uma civilização. É quando aparecem o declínio e a decadência. Se pudéssemos viajar no tempo para o Império Romano, encontraríamos pessoas muito tolerantes, muito sofisticadas em termos da sexualidade, que eram bastante abertas tanto à heterossexualidade quanto à homossexualidade. Era nisso que a elite educada de Roma acreditava também. Então, o que aconteceu? Houve um vácuo moral, um vácuo ético. O resultado final disso? Religiões que a princípio eram muito pequenas, vindas da Palestina, se espalharam por todo o mundo Mediterrâneo.

Foi o homem que construiu este mundo com seus escritórios, empresas, organizações e permitiu que as mulheres fossem financeiramente autossuficientes pela primeira vez na história. Isso não só no passado. É também o homem que está constantemente fazendo o trabalho sujo que mantém esse mecanismo fantástico da moderna sociedade industrial e pós-industrial. Essa falta de gratidão ao homem é um veneno terrível no feminismo contemporâneo. A liberdade moderna das mulheres vem deste mundo que o homem criou.

O feminismo não pode ser um lugar para as mulheres que têm ódio ao homem e problemas terríveis em suas vidas privadas. Movimentos políticos costumam atrair pessoas loucas e fanáticas e, a longo prazo, isso tende a ser uma praga. Isso realmente aconteceu na primeira onda do feminismo.

Corpoze-se: Feminismo, vai estudar!?!, Feminista versus World, Tag das séries by PARAÍSO NUBLADO, GENTE HONESTA E ESFORÇADA, OS DESVIANTES E OS COM SÍNDROME DE MANADA, AYU BRAZIL VS FEMINISTAS

Lei do Preço Fixo ou Comum, se chamará Lei José Xavier Cortez

Por conta das divergências no nome da Lei Lang  – desde o início das discussões no país – ao invés de Lei do Preço Fixo ou Comum, ela se chamará Lei José Xavier Cortez, em homenagem ao fundador da Editora Cortez e que faleceu no último mês, aos 84 anos. “Acho que é uma belíssima homenagem, até porque ele mesmo era um grande defensor da lei”, declarou Prates, explicando ainda que o novo nome é muito mais “palatável e vendável, no bom sentido”. publishnews

Em sua fala, Jean Paul Prates, o presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, Leitura e Biblioteca detalhou o PL 49/2015 e resumiu os principais objetivos da Lei: assegurar ao público uma maior disponibilidade de livros e títulos – a chamada bibliodiversidade; respeitar a diversidade do público; garantir a sobrevivência das livrarias e editoras independentes e de médio porte; evitar a concentração do mercado livreiro nas grandes cidades; diminuir o preço do livro; fomentar a leitura no país e aumentar a existência das livrarias de bairro.

Sobre as regras do projeto, detalhou: todo livro sob edição nacional vai receber uma precificação única. Esse preço de capa de cada obra vai constar de lista publica eletrônica de emissão das editoras, devendo servir de referência para livreiros e revendedores para todo território nacional. Será também de obrigação do editor, a divulgação dos preços ao público de todo o seu catálogo editorial disponível. O preço de venda do livro ao consumidor final, não poderá ser estabelecido abaixo de 90% do preço de capa decidido pelo editor, durante o período de 12 meses contado da data de lançamento. “É apenas isso. Mas é uma grande coisa para o negocio do livro, para o pequeno livreiro”, resumiu.

Sobre as exceções, o senador explicou também que a Lei não se aplica às vendas efetuadas diretamente ao poder público, aos livros didáticos, obras raras antigas esgotadas, obras fora de catálogo, obras destinadas aos colecionadores, e às obras destinadas a entidades que recebam subsidio público.

Os defensores desse retrocesso garantem que ele deixa o mercado de livros mais saudável e equilibrado no Brasil. Segundo eles, o fato de as grandes livrarias comprarem um grande volume de livros de uma só vez as permite oferecer grandes descontos ao consumidor final no momento de lançamento de um livro, criando assim uma concorrência desleal com livreiros menores e independentes. João Luiz Mauad – Instituto Liberal

Quais as vantagens da Lei do Preço Fixo?

1. Assegurar uma maior disponibilidade de livros e títulos ao consumidor;

2. Respeitar a diversidade do público;

3. Assegurar a capacidade de conhecimento, do saber e da difusão da cultura do país;

4. Garantir a limitações de livrarias e editoras independentes e de médio porte;

5. Evitar a concorrência predatória por parte dos sites de venda de livros, grandes varejistas e supermercados;

6. Evitar a concentração do mercado livreiro;

7. Possibilitar aos autores e editores um controle mais real da distribuição dos livros e dos direitos autorais. ANL in: SlideToDoc

Dados estatísticos mostram que temos cerca de 2. 600 livrarias, 70% são de pequeno e médio porte. Com a Lei espera-se aumentar este número que deveria ser cerca de 4. 900 livrarias.

→ 92% das livrarias apoiam a Lei.

→ 74% das editoras apoiam a Lei.

→ 87% das entidades ligadas ao livro já apoiam a Lei.

Leze-se: , Garis montam biblioteca com livros que iriam para o lixo, A primeira biblioteca de livros censurados, O empilhador de livros, 2 mil livros sobre permacultura e bioconstrução, A árvore que dava dinheiro – AUDIOBOOK (AUDIOLIVRO), Domínio Público

Dia do professor

Instagram: saulo_pessato

O Dia dos Professores é comemorado no Brasil anualmente em 15 de outubro. Calendarr

A data foi criada para homenagear esses profissionais que dedicam suas vidas à transmissão do conhecimento e ao desenvolvimento da educação no nosso país.

Esta data foi oficializada nacionalmente como feriado escolar através do Decreto Federal nº 52.682, de 14 de outubro de 1963.

O Decreto define a razão do feriado:

“Para comemorar condignamente o Dia dos Professores, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias”.

Pinterest

A data era comemorada informalmente, mas foi um projeto de Antonieta de Barros a lei que criou o Dia do Professor e o feriado escolar nessa data (Lei Nº 145, de 12 de outubro de 1948), em Santa Catarina. A data seria oficializada no país inteiro somente 20 anos depois, em outubro de 1963, pelo presidente da República, João Goulart. Outras leis importantes foram concessões de bolsas de cursos superiores para alunos carentes e concursos para o magistério, para elevar o ensino público e evitar apadrinhamentos. ALINE TORRES – El País

Antonieta de Barros está entre as três primeiras mulheres eleitas no Brasil. A única negra. Foi eleita em 1934 deputada estadual por Santa Catarina, mesmo ano que a médica Carlota Pereira de Queirós foi eleita deputada federal por São Paulo. Sete anos antes, Alzira Soriano havia sido eleita prefeita num pequeno município do Rio Grande do Norte, primeiro estado a permitir disputas femininas.

A nível internacional, o Dia Mundial dos Professores é celebrado anualmente em 5 de outubro.

O dia 15 de outubro foi escolhido para comemorar o dia do professor, pois em 15 de outubro de 1827, Dom Pedro I, Imperador do Brasil, decretou uma Lei Imperial responsável pela criação do Ensino Elementar no Brasil (do qual chamou “Escola de Primeiras Letras”), e através deste decreto todas as cidades deveriam ter suas escolas de primeiro grau.

Pinterest

Girafaleze-se: Dia do Professor, FELIZ DIA DOS PROFESSORES!, Dia dos professores, afinal você é um!?!, Comemoramos ou não o dia dos Professores?!?, Domínio Público, Índio Educa, EadGuru

Anciões nativos do ártico enviaram um aviso a NASA e disseram que algo esta acontecendo com a Terra

Anciões nativos do ártico enviaram um aviso a NASA e disseram que algo esta acontecendo com a TerraMundo Dos Mistérios

Hoje, vamos dar uma olhada no que os anciões do Ártico disseram à NASA. Os anciãos nativos do Ártico enviaram um aviso à NASA e ao mundo.

Os anciões Inuit do Ártico têm dito que o mundo está mudando, e eles podem dizer isso por causa da maneira como a terra e o clima estão agindo. Eles disseram que até coisas como o suprimento de alimentos não estão agindo como antes, e que o aumento das inundações está chegando às suas comunidades e administrando suas casas.

O Sol também foi observado de forma normal em relação ao Horizonte.

As tribos Inuit é indígena que vive no Ártico canadense, na Groenlândia, na Sibéria e no Alasca. Os mais velhos escreveram para a Administração Nacional do Espaço e Aeronáutica (a NASA) para lhes dizer que o eixo da Terra mudou. Thoth3126Oscar Brisolara

Os mais velhos não acreditam que as emissões de carbono efetuada pela civilização planetária dos seres humanos estão causando as mudanças climáticas atuais. Eles sentem que é exatamente o contrário, que a mudança do eixo da Terra é que esta causando as mudanças climáticas.

The Inuits of the Arctic regions have actually been enjoying the sun all their lives. Jay GreenbergNeon Nettle

For thousands of years, they and their ancestors before them, have taken note of the changes in its positions at all points throughout the day.

They declare that due to the tilt, the sunlight now strikes Earth from a greater angle.

The Inuits of the Arctic regions have actually been enjoying the sun all their lives.

For thousands of years, they and their ancestors before them, have taken note of the changes in its positions at all points throughout the day.

They declare that due to the tilt, the sunlight now strikes Earth from a greater angle.

The International Business Times reiterates NASA’s claim that this phenomenon is due to global warming.

The Inuits intended to alert NASA that the environmental change was a natural procedure of a moving Earth, not caused by global warming.

Antiga localização dos polos antes da última mudança ocorrida durante o DILÚVIO, em 10.986 a.C.

Em 20 de abril de 2011, a CNN News informou que um terremoto moveu a ilha principal do Japão por 8 pés (2,40 metros) e deslocou a Terra em seu eixo axial. Eles citaram Kenneth Hudnut, um geofísico do US Geological Survey, dizendo: “Neste ponto, sabemos que uma estação de GPS se moveu (8 pés) e vimos um mapa da GSI (Geospatial Information Authority) no Japão mostrando o padrão de mudança de uma grande área é consistente com o deslocamento da massa de terra”.

Eles citaram o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália, que estimou que “o terremoto de magnitude 8,9º no Japão deslocou o planeta em seu eixo em quase 10 centímetros”. Os astrônomos concordam que não houve uma mudança no eixo rotacional da Terra, mas que houve mudanças polares sutis nos últimos dez anos. Esta é uma mudança no que é chamado de eixo da figura.

Essas mudanças são causadas pela deriva continental, que vem mudando a localização do Pólo Norte para o sul em cerca de 10 cms por ano nos últimos 100 anos. Equipes da Universidade do Texas, usando o satélite GRACE da NASA, descobriram que a posição do Pólo Norte para o sul mudou em 2005 e, desde então, a tendência vem em seu deslocamento para leste. Eles detectaram uma mudança de 1,2 metros de 2005 a 2013. Eles concluem que a mudança é causada pelas mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global.

O povo inuit habita o extremo norte do Ártico canadense e o faz há milênios. A área em que habitam é quase continuamente congelada sob uma camada de permafrost. Por meses a fio, durante o período de inverno, seus dias começam e terminam na escuridão. Um povo nômade, eles constroem tendas de pele de caribu nos meses mais quentes, e vivem em iglus no inverno.

Anteriormente, eles eram conhecidos como esquimós. A palavra esquimó é de uma palavra em sua língua que significa “comedor de carne crua”. Este grupo de moradores do Círculo Polar Ártico foi renomeado Inuit, uma palavra que significa “o povo”. Inuk é a palavra para descrever um membro da tribo, ou “uma pessoa”. Os Inuit falam muitos dialetos diferentes, todos originários da língua Eskimaleut ou Inuit-Aleut.

Eles são principalmente caçadores nômades, confiando na vida selvagem do Ártico para sua sobrevivência. Eles pescam, caçam mamíferos marinhos, como focas e morsas, e mamíferos terrestres, como a lebre ártica e o caribu, e usam peles de focas para suas roupas, fabricação de suas tendas e a gordura dos animais como combustível. A maior parte de sua dieta é composta de carne crua, pois há muito pouca vida vegetal em seu ambiente.

Terreze-se: Nós, povos da Amazônia, estamos cheios de medo. Em breve vocês também terão., Os guardiões das florestas, Destruição da natureza pelos humanos é suicida, alerta ONU, The Turning Point, Planeta Terra é um ser vivo !

O caminho do Peabiru

O Caminho de Peabiru é uma rota indígena antiga. Para alguns, o significado em guarani é “Terra sem males”, mas são encontradas várias versões para o significado de seu nome. Os Guaranis o chamavam de Peabiru, Piabiru ou Piabiyu, que significa “caminho” em guarani (pia, bia, pe, bia; ybabia: caminho que leva ao céu). Ou Caminho do Peru, sendo a palavra um híbrido de tupi – pe (caminho) + biru (Peru). Secretaria da
Educação e do Esporte do Paraná

Itinerário de Ulrich Schmidel com o Caminho de Peabiru em destaque. Adaptado de Maack (2002). Organizado por Ana Paula Colavite

Os primeiros portugueses, quando chegaram por aqui, ouviram dos índios histórias sobre um caminho que ligava o Oceano Atlântico a um lugar descrito como os Andes. Ele ia de São Vicente, litoral paulista, à Cusco, no Peru. Existiam também outros ramais, partindo de Cananeia, também em São Paulo, e São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Esse caminho atravessava os limites territoriais do Brasil até chegar ao Peru, ligando o Oceano Atlântico ao Oceano Pacífico, passando por matas, rios, pântanos e cataratas com uma extensão de três mil quilômetros, aproximadamente.

Esboço do Caminho de Peabiru na América do Sul. Adaptado de Bond & Finco (2004). Organizado por Ana Paula Colavite.

O caminho era uma estrada primitiva, porém muito bem ordenada rumo ao desconhecido, que possuía oito palmos de largura, ou seja, cerca de um metro e meio de largura e um rebaixamento de 40 centímetros. Alguns dizem que o percurso era coberto por uma espécie de gramínea que não permitia que arbustos, ervas daninhas e árvores crescessem em seu curso, e evitava também a erosão, pois ele era intensamente utilizado. O Caminho propiciava uma troca cultural e mercantil muito rica entre os povos. Além disso, atendia à necessidade desses povos em terem um caminho e uma forma de comunicação.

Historiadores e estudiosos do assunto garantem que ela liga a Baixada do Maciambu, em Palhoça, ao Peru. Dayane Bazzo – NSC Total

Flavio dos Santos, 48, nativo de Palhoça e pesquisador do Caminho do Peabiru, conta que tudo indica que os índios abriram a trilha quando estavam indo em busca da Terra sem Males, um lugar onde não havia guerra entre tribos.

Eles caminhavam em direção ao nascer do sol e chegaram na localidade conhecida antigamente como Porto dos Patos, entre o Rio Maciambu e a Enseada da Pinheira. A trilha, segundo Flavio, era o principal caminho que ligava as grandes tribos, assim como hoje as rodovias ligam as cidades.

Ela passa pelo litoral catarinense até o Rio Itapocu, em Barra Velha, sobe por Jaraguá do Sul, Corupá, passa pelo interior do Paraná, Foz do Iguaçu, Paraguai até chegar às atuais áreas da Bolívia e Peru, antigo território do império Inca, de onde os índios traziam ouro para o Brasil.

O primeiro trecho mapeado por Flavio teria saída ou chegada na Praia de Baixo, onde fica um sítio arqueológico, com caminhada por toda a Praia da Pinheira até acessar uma trilha que leva ao Parque Estadual da Serra do tabuleiro. Depois, a caminhada passa pelo viaduto da BR-101, pelo Maciambu, igreja católica, segue pelo Rio Maciambu até o trapiche, passa por Araçatuba, onde fica a trilha antiga, até chegar à Enseada de Brito. Esse trecho tem 25 quilômetros.

Já o segundo trecho, com mais 25 quilômetros, seguiria pela Enseada de Brito, Praia de Fora, Guarda do Cubatão até chegar à igreja de São Tomé, no bairro Passa Vinte. Segundo Flavio, a escolha da igreja foi porque há uma versão religiosa sobre a trilha, de que São Tomé também passou por ela ao vir para cá catequizar a população.

Peabiruze-se: Cuaracy Ra’Angaba – O céu Tupi Guarani, Xokleng, Corredores ecológicos urbanos & Brent’s Bee Corridor, Era da Pilhagem, Jeguatá: Caderno de Viagem, As mais belas estações, Vale, acionistas e as terras indígenas, O Brasil é terra indígena, Reacts: Portuguesa reage a PORTA DOS FUNDOS (Colonizado)

Garis montam biblioteca com livros que iriam para o lixo

Em Ancara, na capital da Turquia, os profissionais de limpeza urbana tiveram uma iniciativa incrível. Ao perceberem que muitos livros estavam sendo descartados pela população, decidiram se unir para uma operação de coleta e armazenamento e abrir uma biblioteca comunitária. CicloVivo

A história começou com Serhat, de 32 anos, que sempre sonhou em ter uma biblioteca e decidiu juntar os livros que encontrava no lixo. Aos poucos, seus colegas se uniram a ele e em 7 meses conseguiram uma quantidade de livros suficiente para que os colegas do serviço de limpeza tivessem uma boa biblioteca.

Mas, os garis continuaram a recolher livros descartados pela população e a biblioteca foi crescendo cada vez mais. Com isso, surgiu a ideia de abrir uma biblioteca comunitária, para que mais pessoas tivessem acesso ao acervo. A princípio a biblioteca seria apenas para os profissionais de limpeza, amigos e família, mas o grupo de colegas decidiu procurar a prefeitura e levar os livros para um local acessível para toda a comunidade.

A prefeitura apoiou a iniciativa e e adaptou uma antiga olaria que estava fechada há mais de vinte anos. Com a divulgação do trabalho dos garis, dezenas de pessoas passaram a doar mais livros e outras publicações, como catálogos e revistas.

A biblioteca foi inaugurada no bairro de Çsankaya, com um incível acervo de mais de 6 mil títulos, catalogados com seções infantis, livros de pesquisa científica e até publicações em muitos em outros idiomas como inglês e francês. Para completar, a biblioteca ganhou um espaço de leitura, espaço zona infantil, espaços para jogos de tabuleiro e uma cafetaria.

Garize-se: Vida do Gari, Giorggio Abrantes, Biblioteca de objetos Leila Berlin, Biblioteca Web, Flash na Biblioteca, Kamikatsu, como separar o lixo?!?, Cataki, o “Tinder da reciclagem”

Poesia

Liberdade para as palavras

Verdades e mentiras são a mesma coisa

Uma buscando se firmar na outra

Na entrelinhas descubro sentimentos

Que só percebo após a leitura

Pois no momento de cinzar o papel

A vida se desenha no papel

Minha vida, misturada com a de outros

Coisas, a vida que habita o mundo

O meu mundo

Uma poesia me sopra a orelha

Para no papel deixar sua marca

O registro dos meus cismos

Cataclismo de pensamentos e tormentos

Nas palavras que me escondo

Acabou me entregando

Numa transparência que cega o Sol

O criador que é a cria da sua criação

A poesia me recuperando

Toda vez que a leio

É como me olhar no espelho

Curso de Escrita Criativa com Michel Yakini – Biblioteca Brito Broca, mar/abr de 2018. Palavras Perdidas

Feliz dia da poesia.

Peer to Peer – P2P, ou a economia compartilhada!?!

Também conhecido por Peer to Peer – P2P, o consumo na economia compartilhada se dá entre pessoas físicas, mas não exclusivamente, e não necessariamente há envolvimento de recursos financeiros. Essa forma de consumo explodiu com o uso e evolução da tecnologia oferecendo diversos formatos principalmente em forma de aplicativos e criação de inúmeras startups. CADE MEU TESOURO

Este consumo pode ser uma troca, compartilhamento ou aluguel de bens e serviços, enfim o uso coletivo de um produto ou serviço sem ter que comprar pelo mesmo.

Ou seja, usar ao invés de comprar. Usa-se apenas pelo tempo necessário. É uma excelente forma de otimização dos bens produzidos.

Dos mais conhecidos como os aplicativos de transporte, de delivery, aos aluguéis de quartos e casas por temporadas, passando por hospedagem de pets. Streaming de filmes, podcast e músicas, as áreas de coworking, moradias, doação de comida, hortas, compartilhamento de brinquedos, máquinas e ferramentas são alguns exemplos do poder desta economia e as diferentes maneiras que podem ser consumidas.

Existe um perfil específico do consumidor do futuro, que foi detectado pela Consultoria WGSN, que é chamado de Comunitário. São predominantemente equilibrados, solitários, conscientes e focados na carreira. São os que abandonaram os centros urbanos na busca de mais tranquilidade e equilíbrio em cidades menores e estão interessados na comunidade onde estão inseridos, querem fixar raízes, são localistas (o local onde vivem é mais importante do que a carreira) e ambientalistas.

Em uma só tacada, economia no bolso principalmente em tempos de crise financeira e inflação, nova fonte de renda em cenário de muito desemprego, diminuição do excesso de consumo aliviando a consciência e ajudando na postura mais minimalista onde o ser é mais importante do que o ter, praticidade em tempos do tudo para já, poupança dos recursos naturais cada vez mais escassos e ajuda nas comunidades cumprindo o seu papel social e cidadão.

Uma mudança no estilo de vida que traz impactos positivos para o orçamento, porque possuir bens além do dinheiro necessário para comprar traz consigo muitos gastos para mantê-los.

O consumidor está na busca de mais protagonismo, está saindo do papel passivo para o ativo. Ele entende que, enquanto consumidor, possui em suas decisões de compra o poder do futuro.

Compartilhize-se: Carta da Terra, Licitação Sustentável, Consumo alienígena, Consumo colaborativo e sustentabilidade, Consumo colaborativo, Reuso de água na Semana do Químico, A chocante monotonia das prateleiras de supermercados

Motorista de ônibus de bike!?!

Kwai

De acordo com o Art. 201 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), motoristas de veículos automotores devem respeitar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros (1,5m) ao passar ou ultrapassar um ciclista.

“Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito:
(…)
XIII – ao ultrapassar ciclista:
Infração – grave;
Penalidade – multa.”

O que o Código de Trânsito diz sobre bicicletas e ciclistas.

Com o objetivo de conscientizar seus motoristas de uma maneira prática sobre os riscos de não respeitar a distância mínima de rodagem em relação aos ciclistas, uma empresa de San Luis, no México, resolveu realizar um treinamento diferente. Jornal do Caminhoneiro

MOTORISTA DE ÔNIBUS X BIKESaint Clair CICLISTA

Motoristas de ônibus em treinamento sentido na pele o que passa o ciclista quando ele passam em velocidade por eles.

Uma das maiores empresas de ônibus do Grande Recife, a Itamaracá, realizou um treinamento prático colocando os motoristas em bicicletas, enquanto os coletivos tiravam “fino” deles (ou “fina”, dependendo do lugar do Brasil onde você está). “A proposta é sensibilizar os condutores da nossa equipe de motoristas para uma boa convivência com os ciclistas”, conta Maria Amélia, diretora da empresa. Vá de Bike

Motoristas de ônibus vivem dia de ciclistas em treinamentoDiário de Pernambuco

Os motoristas de ônibus tiveram a oportunidade de se colocar no lugar dos ciclistas que enfrentam, diariamente, o trânsito da Região Metropolitana do Recife (RMR).

O treinamento foi realizado durante a SIPATMA, Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho e Meio Ambiente, em 2013. A atividade prática foi uma sugestão da Ameciclo – Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife.

Entrevista com motoristaRoberta Soares

Para aproximar motoristas de ônibus e ciclistas a empresa Itamaracá, uma das maiores do Grande Recife, realizou um treinamento prático colocando os motoristas para pedalar, enquanto os coletivos tiravam fino deles.

Entrevista com diretora da Itamaracá

“Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
(…)
§ 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.”

Motoristas de ônibus no papel de ciclistas3

Buze-se: Toda bike importa, Industria da multa, Capivaras na faixa!?!, Seguro e certeiro?!?, Bike or die!

Round 6 apavora partido comunista chinês com sucesso estrondoso na China, apesar do firewall

Round 6 apavora partido comunista chinês com sucesso estrondoso na China, apesar do firewallVisão Libertária

A série sul coreana Round 6 está fazendo um enorme sucesso aqui no Brasil. Embora o roteiro não seja algo absolutamente original, o conceito de filmes em que jogadores humanos jogam um jogo de vida ou morte para ganhar prêmios, já foi bem explorado por vários outros filmes, como Battle Royalle, de 2000, e a série de filmes Hunger Games, de 2012 a 2015, a forma como a série é montada é bastante interessante.

Focada em brincadeiras infantis coreanas que, de forma não surpreendente, são similares em outros países da região e não são totalmente diferentes daqui do Brasil.

O fato é que a série é o maior sucesso mundial da netflix de todos os tempos. De longe. Inclusive vamos fazer um vídeo aqui no canal mostrando os paralelos entre a série e o estado, aguarde nos próximos dias. Mas aqui quero falar sobre um outro aspecto surpreendente dessa série que deve deixar a elite política socialista brasileira apavorada: como essa série está fazendo um sucesso absoluto na China.

Sim, com grande firewall proibindo Netflix e tudo mais. Não vou falar detalhes sobre a série, para não dar espoilers e porque, como expliquei, vamos falar sobre ela em um outro vídeo, que já está quase pronto e deve sair nos próximos dias. Mas basta, para o interesse desse vídeo, saber que, na série uma das principais protagonistas é uma norte coreana, fugitiva do regime comunista da coréia do norte.

Mas se você observar as tentativas brasileiras de “controle da internet” ou “campanhas contra fake news” ou ainda “contra discursos de ódio”, no final das contas, o objetivo parece ser o mesmo. Peter TurgunievThis is Libertarian View, your source of decentralized and distributed information

Não é só a elite socialista brasileira que está desesperada para implantar o modelo chinês de controle da internet aqui. Nos estados unidos, os democratas querem algo bem próximo disso também. A mais recente delatora do facebook, que fizemos um vídeo recentemente, “A informante que derrubou o facebook”, quando questionada sobre como ela achava que o problema seria resolvido, disse que achava que o governo deveria criar uma agência de regulamentação de mídias sociais. O fato é que todos os governos do mundo, todos inerentemente socialistas, estão preocupados com as pessoas tendo opiniões próprias derivadas da internet, sem nenhum controle de nenhuma agência do governo. Todos os governos do mundo, nesse momento adorariam ter um controle sobre a internet tão grande quanto o governo chinês tem.

Roundze-se: Turn around, Herbicida RoundUp, cancerígeno?!?!, Mapa 3D do cérebro humano, Trilha sonora de Akira, Músic of Cold Case, Coreia do Norte, a paranoia, AI WEIWEI: NEVER SORRY

Artur Nabeth & Kriança India – Tiradentes [Clipe Oficial]

Artur Nabeth & Kriança India – Tiradentes [Clipe Oficial]Artur Nabeth

Assista agora a “Tiradentes”, quinto vídeo de “Mitos”, álbum de estreia do cantor e compositor Artur Nabeth.

Tiradentes (Artur Nabeth e Manfredo Jr.)

Arrasta a mão do meu sono

Eu quero dormir

Beber mentiras num copo

Até cair E me esgueirar pelas ruas que já não existem mais

Bêbado, trôpego, cego à luz da manhã

Pra afugentar essa sombra que insiste em acompanhar

Cada passo que dou

Não vê que esse é seu dom

Querer ser imortal

A mesma mão que te afaga

Te faz cair

Trama em segredo em tuas costas

Quer te trair

Mas na tua frente, sorrisos solares pra disfarçar

Pra conquistar teu afeto e vender-te ilusão

E em meio as meias e malas e madres, te apunhalar

Pra provar que você

Também padece em dor

E não é imortal

Tiradenteze-se: Joaquim, Os índios nos gibis., Zanshin, Dinâmicos, Eles eram muitos cavalos, Privatização de parques, O choro dos imóveis!

Dia do Nordestino

Dia do Nordestino é comemorado anualmente em 8 de outubro, no Brasil. Calendarr

Esta data homenageia a cultura nordestina e a diversidade folclórica típica da região Nordeste do Brasil. O povo nordestino é um grande tesouro da cultura nacional, um dos maiores traços da identidade do Brasil.

O Nordeste brasileiro é conhecido pelas belíssimas paisagens naturais, culinária, artesanatos, musicalidade e danças que atraem turistas do mundo todo.

A criação desta data é uma homenagem ao centenário do poeta popular, compositor e cantor cearense Antônio Gonçalves da Silva, conhecido como Patativa do Assaré (1909 – 2002).

O Dia do Nordestino foi oficializado com a lei nº 14.952, de 13 de julho de 2009, na cidade de São Paulo, região com a maior concentração de nordestino em todo o país (com exceção do próprio Nordeste, obviamente).

A imagem que tem sido designada ao Nordeste é a de região problema, atrasada e subdesenvolvida. “Essa imagem historicamente atribuída ao nordestino tem relação direta com o papel histórico que essa região desempenha na divisão regional do trabalho dentro do desenvolvimento capitalista”. A professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Evelyne Medeiros, sobre o assunto.

Doutora em Serviço Social, a professora estudou a questão social no Nordeste brasileiro. aponta que o Brasil integra as regiões, mas integra de forma desigual. Segundo ela, é a forma que o capitalismo se desenvolve internamente no país, e faz uma analogia quanto a dependência do Brasil em relação a outros países, que internamente, se manifesta com a desigualdade entre as regiões. “A relação de dependência que acontece externamente se reproduz também internamente através dessa divisão regional do trabalho e dessa integração desintegradora das regiões.”  Júlia Vasconcelos – Brasil de Fato – Recife (PE)

Por aqui é assim… é assim, temos um jeito de falar bem diferente, típico da nossa região e nem a internet escapa disso.

Para ela, o papel desempenhado pela região é fundamental para a produção de riqueza, na transferência de matéria prima e recursos naturais, para o Brasil, sobretudo na exportação e reprodução de força de trabalho barata para outras regiões e para a manutenção das elites locais.

“Não fosse assim, não teríamos uma produção incessante de pobreza e desigualdades, ao mesmo tempo em que se alcança patamares nunca vistos de riqueza no país, mas riquezas essas que são cada vez mais acumuladas privadamente por poucas famílias bilionárias. A pandemia, inclusive, escancara isso”, aponta.

Em um dia para se pensar o que significa ser nordestino e o que representa uma data como o Dia do Nordestino, Evelyne diz que o sentimento é contraditório.

“A nossa história não é harmônica, é uma história atravessada por conflitos. Dentro dessa contradição do sentimento de ser nordestina nesse momento histórico, há uma sensação que é a necessidade de rememorar e de tornar vivo o processo de resistência do qual nós fomos e somos protagonistas. É saber que há esse potencial de luta e que isso, uma hora ou outra, deve romper esse limbo que a história está nos colocando”.

Evelyne finaliza dizendo que, embora massacrada e ameaçada, a memória da resistência anda viva.

Nordeze-se: Conheça o trabalho de 19 tatuadores do norte e nordeste que precisam ser divulgados, Energia eólica, 30% do Nordeste, Norte Nordeste Me Veste, Consciência Negra, FAKE X DISCERNIMENTO e CARTA 7 de Platão, 15 RECEITAS COM TAPIOCA: PRÁTICAS E DELICIOSAS

USP oferece 20 cursos gratuitos para fazer on-line

USP (Universidade de São Paulo) disponibiliza, por meio do Sistema Apolo, cursos livres gratuitos que são realizados on-line e gratuitamente. Estudantes que obtiveram o mínimo de presença exigida recebem o certificado de conclusão. Catraca Livre

Para se inscrever, acesse o sistema da USP e tenha atenção às datas e aos pré-requisitos de cada curso. As vagas são limitadas.

Abaixo, veja alguns dos cursos:

1.      Educação midiática: vídeo, ensino e aprendizagem

2.       Ambiguidades da Preservação de Acervos

3.       As artes aplicadas no século 20 no acervo do MAC USP

4.       Atualidades das Relações Internacionais para a Terceira Idade

5.       Biossegurança em ambientes clínicos da FORP

6.       Capacitação sobre imunização de pessoas que vivem com a infecção pelo vírus da imunodeficiência adquirida – HIV

7.       Ciência de Animais de Laboratório (Workshop em Bioterismo)

8.       Corra que o TCC vem aí! Como fazer apresentações com eficiência

9.       Curso de Verão do Programa de Pós-Graduação em Reabilitação Oral

10.   Desenvolvimento Web com PHP, HTML, CSS, JAVASCRIPT e MYSQL

11.   Dominando Big Data com plataformas gratuitas (nível intermediário)

12.   Elementar, meu caro! Como a ciência desvenda os mistérios da Terra e de corpos do Sistema Solar

13.   Espinosa e Marx: conexões históricas e teóricas (on-line)

14.   Fakenews: reconhecimento e atitudes para fazermos a diferença

15.   Meninas Programadoras: Introdução à Programação para o Ensino Médio (curso remoto – 3 turmas)

16.   Montaigne e a educação em tempos de incerteza

17.   O programa de Educação do Novo Museu do Ipiranga

18.   Projeto Ciências da Vida na Escola: Comportamento Alimentar

19.   Projeto Ciências da Vida na Escola: Comportamento Emocional e Psicopatologias

20.   Videoarte: do filme experimental ao smartphone

Uspze-se: Cursos na USP, Conemo, Elisa de Oliveira Flemer e o Homeschooling, Cursos acadêmicos online, IBMEC: 10 cursos gratuitos com certificado

A árvore que dava dinheiro – AUDIOBOOK (AUDIOLIVRO)

A árvore que dava dinheiroVisão Libertária

“A árvore que dava dinheiro” é um livro infantojuvenil escrito por Domingos Pellegrini em 1981, bem no início da famosa década perdida brasileira, na qual o país sofreu com uma terrível hiperinflação.

Curiosamente, o livro até parece uma espécie de premonição exagerada e bem humorada do que estava por vir.

Apesar de ser um livro infantojuvenil com apenas 60 páginas, o autor consegue mostrar de forma hilária como funciona a inflação, além de apresentar conceitos como oferta e demanda, de forma até melhor do que certos livros ditos “científicos”.

A história se passa em uma cidade fictícia do Brasil, chamada Felicidade.

Uma cidade pequena e pobre, na qual vivia um velho pão duro que economizava em tudo para acumular dinheiro e propriedades.

A árvore que dava dinheiro (AUDIOLIVRO) AUDIOBOOK COLEÇÃO VAGALUMEjhone nada

Acredito que o vídeo do meu canal não infringe os direitos da “Domingos Pellegrini” por estar de acordo com a lei de direitos Autorais Nº LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998, Capítulo IV, Art.46, III que diz que a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra;

Este trecho está disponível no Link:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/…

Os habitantes de Felicidade descobrem que uma árvore está dando dinheiro. Euforia geral! Mas três moradores se recusam a participar daquela loucura…

Felicize-se: Poupatempo Digital, Three Little Pigs, Super Trunfo, Onde Investir o meu dinheiro? O tempo, Lixo é dinheiro., Tela de dinheiro, Dinheiro da Venezuela vale menos que ouro de World of Warcraft