Boizinhos do #ÉTãoTrágico!

Chegou a hora de conhecer melhor os Boizinhos do #ÉTãoTrágico! Nessa corrida pela destruição ambiental, cada um deles representa um projeto de lei que pode ser aprovado a qualquer momento no Congresso. Pressione o presidente da Câmara dos Deputados (@oficialarthurlira) e do Senado (@rodrigopacheco ) para impedir que essas propostas absurdas cruzem a linha de chegada! Existe Guarani em SP

É tão trágico! – Greenpeace Brasil

Instagram: indios_do_brasil

Boizinhos do #ÉTãoTrágico!

Taoze-se: Yanomami isolados sob sério risco de ataques por garimpeiros, Lixo ou resíduos?, Muvuca, Vamos plantar água? , Reuso de água na Semana do Químico, LAMENTO DE UM RIO…, Água, sua linda, Manual dos remédios tradicionais Yanomami

MACACOS entraram na IDADE DA PEDRA, e agora?

MACACOS entraram na IDADE DA PEDRA, e agora?Ponto em Comum

Gorilas, chimpanzés, orangotangos e todos as outras espécies de primatas possuem muito em comum, porém dentre esses animais somente o ser humano é capaz de criar ferramentas tão complexas. A humanidade levou milhares de anos pra chegar até computadores e foguetes espaciais mas tudo começou com objetos bem mais simples, tudo começou quando éramos apenas caçadores coletores, mulheres e homens das cavernas que usavam somente pedras pra caçar e se defender de predadores. E recentemente macacos também entraram na sua própria idade da pedra. Porém será que isso quer dizer que eles vão dar os passos seguintes? Será que farão ferramentas cada vez mais complexas e vão se aproximar da nossa civilização humana? Será que um dia eles se tornarão tão inteligentes quanto nós? Será que o destino de todo primata é se tornar futuros humanos?

Mãe tem 30 reais e quer dividir entre suas duas filhas. Que horas são?

Mãe

Mãe tem 30 reais e quer dividir entre suas duas filhas. Que horas são? Davson FilipeRealidade Simulada

Muitas vezes, dizemos as horas através da quantidade de minutos que restam para a hora seguinte.

Por exemplo: são dez para o meio-dia; vinte pras quatro; 5 para as 3; 15 para as 2.

Ao forçar o seu cérebro a tentar solucionar uma questão qualquer, você está fazendo um esforço intelectual e dizendo para seu cérebro chegar ao máximo de sua capacidade, assimilando a informação, através do que foi apresentando e de seu conhecido com o intuito de solucionar uma questão.

No caso dos desafios lógicos, é possível exercitar sua mente e se divertir ao mesmo tempo, pois existem uma grande variedades de problemas e tarefas legais que além de te ensinarem, ainda te proporcionarão entretenimento.

Concurze-se: Tec Concursos, 14 maneiras de como pessoas positivas lidam com a negatividade e saiba aplicá-las em sua vida, Alfabetismo Funcional, Cursos acadêmicos online, MatemáTIC Libras, FGV libera 55 cursos online gratuitos

Câncer e depressão!?!

A detecção de câncer NÃO É UMA SENTENÇA DE MORTE. Heloisa Lima Sentido do Ser

O fato é que precisamos aceitar qualquer diagnóstico como parte da história física e emocional da pessoa acometida para, a partir de então, entendermos que a doença tornou-se um componente dela. Uma parte do todo.

Nesta fase, no entanto, tanto os pacientes quanto os familiares passam a se sentirem incapazes de enfrentar a realidade.

Muitos estudos vêm demonstrando que fatores psicológicos podem afetar o sistema imunológico ainda que isto nem sempre signifique que os mesmos fatores possam levar à cura das doenças.

No geral, as pessoas depressivas não produzem mais cânceres que as demais.

Embora a depressão não seja necessariamente um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer, sabemos que o depressivo crônico que sente uma tristeza recorrente, uma perda de interesse ou de capacidade de sentir prazer, uma fatigabilidade anormal, durante vários anos, está duas vezes mais propenso a ter câncer do que a pessoa não depressiva ou cuja depressão é apenas transitória.

Logo, a combinação de um transtorno depressivo com uma doença física grave como o câncer, pode tornar a identificação e o necessário tratamento da depressão mais difícil. Seus sintomas podem ser subestimados e atribuídos à doença principal.

O médico ou o terapeuta podem identificar e orientar aqueles que mostrem sinais de abatimento exagerado, prostração, melancolia exacerbada. A importância do tratamento de uma síndrome depressiva é capaz de prevenir que a doença progrida para a depressão crônica ou profunda.

Tanto o bom humor quanto o sorriso e a risada são manifestações primordiais para se superar a pressão do estresse e das dificuldades cotidianas. Trata-se de uma constatação universal que independe de cultura, idade e gênero.

Baile de favela

Baile de Favela – MC João. letras.mus

Ela veio quente, e hoje eu tô fervendo
Que ela veio quente, hoje eu tô fervendo
Quer desafiar? Num tô entendendo
Mexeu com o R7, vai voltar com a xota ardendo (vai)

Que o Helipa, é, baile de favela
Que a Marcone, é, baile de favela
Que a São Rafael, é, baile de favela
E os menor preparado pra foder com a xota dela (vai)

Eliza Maria, é, baile de favela
Invasão, é, baile de favela
E as casinha, é, baile de favela
E os menor preparado pra foder com a xeca dela (vai)

Que o Hebron, é, baile de favela
A Bailão, é, baile de favela
E na rua 7, baile de favela!
E os menor preparado pra foder com a xeca dela (vai)

Ela veio quente, hoje eu tô fervendo
Ela veio quente, hoje eu tô fervendo
Quer desafiar? Num tô entendendo
Mexeu com o R7, vai voltar com a xota ardendo (vai)

Que o Helipa, é, baile de favela
Que a Marcone, baile de favela
Que a são Rafael, é, baile de favela
E os menor preparado pra foder com a xota dela (vai)

Que o Helipa, é, baile de favela
Que a Marcone, baile de favela
Que a são Rafael, é, baile de favela
E os menor preparado pra foder com a xota dela (vai)

Que o Helipa, é, baile de favela
Que a Marcone, é, baile de favela
Que a São Rafael, é, baile de favela
E os menor preparado pra foder com a xota dela (vai)

Eliza Maria, é, baile de favela
Invasão, é, baile de favela
E as casinha, é, baile de favela
E os menor preparado pa foder com a xeca dela (vai)

MC João – Baile de Favela (KondZilla)

“Mas na hora do ‘Baile de Favela’, ela abriu um sorrisão e já começou a dançar com o fone no ouvido”, comenta o coreógrafo Rhony Ferreira que não foi para Tóquio.

“Quando começou o ‘Tocata e Fuga’, ela já me olhou com o olho arregalado assim e disse ‘Nossa, não vou conseguir fazer, é muito forte”. Gabriela Sarmento – G1

Faveze-se: Jesus do Funk, , A primeira palavra, Favela Orgânica, Cine Favela, CDB e Olímpiadas, as Cannalimpíadas!, STREET PRESIDENT, CORTA-JACA

Borba Gato deve cair

Por quais estátuas os sinos do nosso luto dobram, e por quais não? Thiagio AmparoGeledés

Foi sem choro que Hilter, na Alemanha, Franco, na Espanha, Hussein, no Iraque, foram arrancados dos panteões públicos. Ao ver que por aqui ainda choram a morte das figuras engessadas de Leopold II, na Bélgica, Colston, na Inglaterra, e Borba Gato, no Brasil, a ponto de compará-las a imagens religiosas destruídas em guerras entre católicos e protestantes no século 16, nos resta a dúvida àqueles que sofrem de luto.

O que nelas ainda consideram sacrossanto, senão a supremacia colonial que, em vida, utilizaram para dizimar centenas e que, em morte, enaltecemos com vergonha insincera?

África do Sul, 9 de março de 2015. No centro da praça central da Universidade da Cidade do Cabo jaz uma escultura em bronze do colonizador britânico Cecil John Rhodes. Nela, um dos principais arquitetos da segregação sul-africana se senta em uma cadeira, com as mãos no rosto, impávido e sereno.

Naquele dia, o estudante Chumani Maxwele sujaria a estátua aos gritos solitários de “Onde estão nossos heróis e ancestrais?”. Levou 1 mês de protestos com milhares de jovens no movimento #RhodesMustFall (em português, RhodesDeveCair) até que a estátua de Rhodes seria retirada, sob aplausos de uma multidão de estudantes, e choro dos que ainda sentem falta do apartheid colonial.

Aqui, argumento que não é nas sociedades europeias que devemos nos inspirar para entender o que se passa ou que ainda há de se passar no Brasil. É da fonte de sociedades desiguais e pós-coloniais como a nossa que deveríamos beber. Da fonte de uma juventude indignada com a persistência da segregação de fato na África do Sul pós-apartheid. Da fonte de manifestantes antirracistas que, diante do monumento do general confederado Robert Lee, batalharam contra supremacistas da Ku Klux Klan em Charlottesville nos EUA em 2017.

Descolonizar a nossa história passa por arrancar de seu pedestal os assassinos que chamamos de heróis, para, enfim, fazer das suas cinzas um futuro que valha a todos.

Cidades são locais de memória e nosso direito a elas passa por poder dar novos sentidos àqueles que outrora esculpimos em pedra. Não se apaga a história, escrita com a caneta dos vencedores.

Do ponto de vista epistêmico, é um debate diferente da liberdade, na minha visão quase total, da veiculação ou não de filmes ou livros. No caso de estátuas, questiona-se quem merece um pedestal público.

Escolha não está entre depredar monumentos ou deixá-los intocáveis. Podemos, ao invés disso, ter a maturidade de escolher não elogiar genocidas em nosso espaço público e botar monumentos ao chão. Civilidade essa que é, aliás, infinitamente superior à das figuras neles representadas. Seja para pô-los em museus, para colocá-los em cemitérios de esculturas, para resignificá-los, quando o valor artístico permite, seja para destruí-los, quando este valor for pífio.

No livro “Written in Stone: Public Monuments in Changing Societies”’, republicado em 2018, Levinson detalha comissões estabelecidas na cidade de NY em 2018 e na universidade de Yale em 2016 que fizeram, mesmo com resultados modestos, justamente isso: detalharam quais princípios devem servir de base para analisar, caso a caso, a representação da história no espaço público. Por exemplo, nas redondezas de um Monumento às Bandeiras, dado o seu valor artístico, pode-se incorporar um monumento em memória ao genocídio indígena, preservando assim a obra, mas resignificando-a.

Tal como Lee, Colston e Leopold II, Borba Gato deve cair. Defender que se trata de revisionismo histórico ignora que é a própria heroicização dos bandeirantes, e não as matanças que cometiam, que configura revisionismo. Era extermínio antes, e o é hoje.

Borba Gato é em si produto do revisionismo da imagem de bandeirantes, revisionismo esse que mal tem um século. Em “Brasil: Uma Biografia”, historiadoras Schwarcz e Starling apontam que a imagem de bandeirantes como “destemidos exploradores” somente viria a ser reciclada no começo do século 20.

Se é a imagem revisionista de herói que se quer preservar em Borba Gato, pergunto: o que perderemos se a enterrarmos junto com a feiura da obra, senão o mito fundador da pujança sudestina construída sobre os ossos de indígenas dizimados, estes sim relegados ao esquecimento?

Desconheço da tolerância liberal que, iliberalmente, torna assassinos em santos e usa do poder do estado para vigiar 24h a versão oficial da história.

Choro, ao invés, pelos monumentos que não erguemos. Não erguemos monumentos para os milhares de corpos escravizados encontrados no centro do Rio de Janeiro em 2018 durante obras de transporte público. Sob o cemitério de pretos novos se construiu uma linha de trem. Não erguemos monumentos para os Yanomani massacrados ontem em 1993 e hoje em 2020 pelo garimpo ilegal. Não erguemos os monumentos para quem a história relegou a condição de perdedores. É por estes e estas que o sino do meu luto dobra.

Caize-se: Borba Gato, em chamas., Levante indígena, gente branca, 365 NUS, The Rarámuri or Tarahumara, Felipe Guamán Poma de Ayala, Brincadeira meio idiota., Makota Valdina, TODOS PRECISAMOS DA UTOPIA, Conselhos para escrever bem!, Observar e Absorver

Prêmio Darwin

“Em memória de Charles Darwin, o prêmio Darwin presta homenagem aos indivíduos que protegem nosso ‘pool’ de genes através do supremo sacrifício de suas vidas. Os galardoados eliminaram a si mesmo do rol dos vivos de uma forma extraordinariamente idiota, portanto aumentando as chances de nossa espécie de sobrevivência a longo prazo”. B. PIROPOTechTudo

O Prêmio Darwin ou Darwin Awards surgiu a partir de um grupo de usuários da internet que foi colecionando situações inusitadas a partir de dados pesquisados na imprensa, em 1985. Por volta de 1991 a cientista britânica Wendy Northcutt, que vez por outra costumava a mandar para os amigos estas situações institucionalizou o Prêmio. Em 1993 ela organizou um site onde publica todas as situações com base no que foi publicado na imprensa. Mas que situações são essas? Cidade Verde

Charles Darwin estabeleceu as bases da Evolução Moderna. Darwin criou a Teoria da Seleção Natural, segundo a qual a vida, que apresenta grande diversidade (cores, formas, modelos, tamanhos, comportamentos, estágios, estratégias, formas de nutrição, modos de acasalamento etc.) é selecionada pela própria natureza. Ou seja: a natureza seleciona os mais aptos. O que os criadores do Prêmio Darwin fizeram foi passar a selecionar situações de pessoas que cometeram atos tão estúpidos que terminaram sendo vítima de sua própria burrice.

Livro “O prêmio Darwin – a evolução em ação”, publicado em 2001

Há um pitada de humor negro nas histórias, mas para nós, o mais interessante é a reflexão que precisa ser feita antes de tomarmos determinadas atitudes, vamos encontrar dezenas de milhares de situações que nos empurram fatalmente a candidatos ao Prêmio Darwin.

“Somente duas coisas são infinitas – o universo e a estupidez humana, e não estou certo quanto ao Universo”. Albert Einstein

Todo ano são concedidos alguns prêmios Darwin e eu costumo citar os mais relevantes. São exemplos que ilustram fielmente uma característica inerente à nossa espécie cuja crescente magnitude não cessa de me causar admiração: a estupidez. Tanto assim que, na página de abertura do sítio “The Darwin Awards: In Search Of Smart” (de onde foram extraídos os exemplos abaixo, cujos direitos autorais pertencem, portanto, à responsável por sua compilação, Wendy Northcutt) consta a afirmação: “Human Intelligence is MIA, Presumed Dead”. “MIA” é o acrônimo da expressão do inglês: “perdido em combate”, portanto a frase significa “A inteligência humana foi perdida em combate. Presumivelmente está morta”. O que faz todo o sentido.

Darwinze-se: Darwin cadê você?, Chora Darwin., Bishop e o “Oasis”, Eu te disse, eu te disse., Brincando de lógica, Bandeirantes Modernos, Horrible Histories, Bardo Thodol, Batman – O Livro dos mortos, Juan dos Mortos, E…que Deus nos ajude!!, Oito filmes que retratam o suicídio

DUBAI CRIA PRIMEIRA TEMPESTADE ARTIFICIAL

A cidade de Dubai inovou mais uma vez no uso da tecnologia. Nesta sexta-feira (23), a cidade iniciou uma série de tempestades de chuva artificiais que visam aliviar o calor que assola a região, cujos termômetros tem marcado mais de 50ºC. FERNANDA DE ANDRADE FANTINELvírgula

O que chama a atenção nesse caso é que o governo do país afirma que as chuvas foram criadas por drones especialmente elaborados para “semear” nuvens.  Eduardo SorrentinoOlhar Digital

A técnica da “semeadura de nuvens” foi criada em 1940 nos Estados Unidos por cientistas que usavam partículas — geralmente cloreto de sódio (sal) ou iodeto de prata — para obrigar a precipitação de chuvas em regiões específicas.

A chuva foi feita com o auxílio de diversos drones, que liberaram cargas elétricas variadas nas nuvens da cidade, o que fez com que elas se aglutinassem e formassem chuva. Essa foi a primeira vez que esse tipo de tecnologia foi usada de maneira bem sucedida.

O projeto foi feito em parceria com pesquisadores ingleses, que estudam a tecnica desde meados do século passado. “O que estamos tentando fazer é fazer com que as gotículas dentro das nuvens sejam grandes o suficiente para que, quando caem da nuvem, sobrevivam até a superfície”, explicou Keri Nicoll, meteorologista da Universidade de Reading.

A ideia é que esse pequeno pulso elétrico ajude no agrupamento de gotículas de água e outras partículas, que formam novas nuvens, essas maiores, que realmente têm chances de criar chuvas. Por estar localizado em uma zona desértica, Dubai normalmente vê apenas cerca de dez centímetros de chuva por ano.

Desde o começo deste ano, o Centro Nacional de Meteorologia (NCM) do país já induziu artificialmente a ocorrência de 126 chuvas em todo o território nacional. Jornal Ciência

De acordo com a revista Newsweek, os Emirados Árabes já investiram mais de 15 milhões de dólares desde 2017 para buscar uma solução para o calor intenso e a falta de umidade.

Dubai, que fica nos Emirados Árabes, faz parte de uma região desértica – como consequência, tem baixos índices pluviométricos. De acordo com autoridades da região, as tempestades que tem caído na cidade se assemelham as chuvas de monções que acontecem (naturalmente) na Índia.

A iniciativa serviu para diminuir os efeitos de uma forte onda de calor que tem atingido a cidade, que é uma das mais tecnológicas do mundo. Esse aumento repentino na temperatura é o mesmo que tem atingido países mais frios também localizados no hemisfério norte, como Canadá e Estados Unidos, que têm experimentado as temperaturas mais quentes dos últimos tempos.

Porém, apesar de representar uma esperança para locais como Dubai, o desenvolvimento de tecnologias capazes de alterar o clima em algumas áreas pode ser motivo de preocupação em outros locais. Segundo especialistas, equipamentos do tipo poderiam ser transformados em armas que “roubam” chuvas de um local e as levam para outro, provocando estiagens em países inimigos.

Chuze-se: Forte chuva causa estragos inimagináveis na Alemanha e Bélgica, Tempestade / Love Vigilantes, Nós, povos da Amazônia, estamos cheios de medo. Em breve vocês também terão., A Africa vai virar Mar, Concreto verde e parede viva

Feminista versus World

AS MULHERES SÃO MINORIAS? Cortes do Venus [OFICIAL]

O FEMINISMO MENTIU PARA VOCÊ! (VIOLÊNCIA DOMÉSTICA)

É bem comum associarmos a violência doméstica quase que exclusivamente aos homens agredindo as suas mulheres, mas será que esse imaginário popular de fato se reflete na realidade? Alguns dados e estudos sobre o tema podem acabar te surpreendendo!

A luta pela equidade de gênero | Joanna Burigo | TEDxLaçadorTEDx Talks

A FEMINISTA QUE FALIU POR CAUSA DO FEMINISMOCanal Tragicômico

Uma feminista chamada Samantha Brick decidiu abrir a própria empresa, porém com o diferencial de que ela contrataria apenas mulheres. Motivada pelo discurso sobre a irmandade feminina ela fez de tudo para que seu projeto fosse um sucesso, mas a realidade acabou sendo muito diferente do que ela esperava.

Ze-se: UMA MULHER EMPODERADA, Feminismo : Entrevista de Carolina Reis a Clarice Falcão, Kathrine Switzer e a Maratona de Boston de 1967, Dos crimes contra a honra, Sexo seguro!, Evolusex, GENTE HONESTA E ESFORÇADA, OS DESVIANTES E OS COM SÍNDROME DE MANADA, Tura Satana, Sensibilidade, Receita de Spa em casa

Andando de bike por ai!!!

Conde Nast  – Pinterest
Só o Brasil mesmo - meme
Só o brasil mesmo – Memedroid

Bicize-se: Ciclista desenha rena, 2º Pedal Anchieta, hiBike, Multa Moral, Carro autônomo vai atropelar VOCÊ, Dia Mundial Sem Carro, CADTEC e Lei de Zoneamento, 7 applicativos para ciclistas, Velório da Floresta!, Batata Frita, o Ladrão de Bicicleta

Museu Transgênero de História da Arte

Um acervo virtual, preparado e gerido por pessoas de todo o Brasil e dedicado ao resgate histórico da memória trans no Brasil. Essa é a mensagem por trás do Museu Transgênero de História e Arte (Mutha), o primeiro do tipo no Brasil e vanguarda na América Latina. 

Criado pelo pesquisador Ian Habib, o Mutha começou a tomar forma no começo de 2020, mas só no fim do ano é que o projeto começou a sair do papel de fato. Com a entrada da primeira verba, foi possível organizar um sarau com dez artistas e levantar o que hoje é o museu. Por meio da página do museu no Instagram é possível acompanhar as novidades.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

A primeira exposição, dividida em duas partes “Transespécie” e  “Transjardinagem” já foi inaugurada e pode ser acessada de forma virtual. Ela é formada por obras de artistas da Bahia e de outros estados brasileiros. Para visitá-la, basta clicar aqui.

O Mutha é um museu que pretende catalogar dados sobre a população transgênero no Brasil, seja ela do passado ou presente, e ainda apresentar possibilidades para “um novo futuro”. 

Falar de História é falar de um passado, presente e futuro coexistente. Se a gente faz um resgate do passado no presente, a gente possibilita um novo futuro. Nesse sentido, o Mutha, através de um resgate histórico, ele pretende dizer: ‘nós sempre existimos’. A transgeneridade não existe em um momento específico da História, pessoas trans sempre existiram”,  explica Ian Habib, pesquisador e criador do projeto, em entrevista ao “Hypeness”. 

Muze-se: Felipe Guamán Poma de Ayala, 10 livros que ensinam as criancas cuidar do planeta, Carta da Terra, Jesuis Gay, Ana Smile, Quebrada Queer, Mulheres russas falam português, Museu virtual Oba L’Okê 360°, Arte Fora do Museu, A primeira biblioteca de livros censurados

Mapa 3D do cérebro humano

O conjunto de dados H01 inclui uma grande quantidade de dados, mais de 50.000 células e 130 milhões de conexões sinápticas. O mundo 3D do cérebro é navegável no Neuroglancer , tudo incluído, desde grandes neurônios até sinapses únicas. 

Pyramidal neurons are the main excitatory neuron in the cerebral cortex, you can find them in all layers except L1, they have a characteristic look and vary in their projections and for example how spiny the dendrites are.
Interneurons come in different shapes and sizes across the cerebral cortex, they are mainly inhibitory and vary a lot in the number of synapses.
Astrocytes perform numerous functions, some of their main functions are supporting the neurons with energy and neurotransmitter recycle, their endfeet are surrounding the blood vasculature as part of the blood brain barrier.
Oligodendrocytes main function is myelination of neuronal axons, insulating for faster transmission, potentially also involved in providing axons with energy. Most oligodendrocytes are found in the myelin dense white matter.
Oligodendrocyte precursor cells (OPC’ s, also called NG2 cells)) are a versatile group of cells that differentiate into oligodendrocytes. Microglia are the local macrophages of the brain, involved in maintaining a healthy brain. OPC’s and microglia share morphological details and are therefore combined in the dataset.

Uma parceria entre cientistas do Google e do laboratório Lichtman, da Universidade de Harvard, se lançaram a uma complexa e monumental tarefa: mapear o cérebro humano em suas múltiplas e complexas funcionalidades. Para construir o mapa de 1.4 petabytes disponível online foram levantadas 225 milhões de imagens a partir de um milímetro cúbico de tecido do córtex cerebral, onde funções cognitivas vitais como o pensamento, a memória, a linguagem e outras percepções ocorrem – o petabyte é equivalente a 1024 terabytes, ou aproximadamente 1.024.000 gigabytes. Vitor Paiva – Hypeness

Cerca de 4000 fibras nervosas conectadas a um único neurônio

O milímetro cúbico do córtex cerebral utilizado como base para o mapeamento foi dividido em 5.300 fragmentos, medindo 30 nanômetros de espessura – como exemplo, para mensurar um nanômetro é preciso multiplicar 1 metro por 1 bilhão a fim de alcançar tal dimensão. No tecido utilizado como base encontram-se milhões de neurônios, 130 milhões de sinapses anotadas e muito mais – as 225 milhões de imagens em 2D foram “costuradas” para criar um dos mais elaborados mapas cerebrais já montados.

Cérebro humano

O mapa permite a exploração online de células segmentadas, partes celulares, vasos sanguíneos, mielina, sinapses inibitórias e excitatórias,100 células revisadas manualmente, e mais – é possível explorar neurônios de perto, assim como uma única sinapse, e cada aspecto do mapa está explicado na página do mapa. Junto da publicação do mapa, um estudo detalhando o processo e os resultados do levantamento foi publicado no servidor BioRxiv – a dimensão do mapeamento e as possibilidades que se abrem são tantas a partir do estudo que o feito está sendo comparado ao Projeto Genoma, iniciado nos anos 1990 para mapear o genoma humano.

The vascular system of the H01 brain sample includes different types of blood vessels, including arteries/arterioles and veins/venules, however, the narrowness of the volume limits the possibility to track the blood flow.

Cerebroze-se: Prato do dia: Cérebro, Doenças que podem ser tratadas com Canábis Medicinal, O que acontece quando amamos?, A Meditação e seu cerébro, Timothy Leary, Uncanny Valley, Emergencia Lingüística, Biblioteca Web, Sexo frequente ajuda a turbinar o cérebro dos idosos, Implante de Estimulador Cerebral Profundo e o Alzheimer

Cassey de ser gorda!!!

Há séculos as mulheres são pressionadas a se adequar a padrões de beleza para se encaixar nos modelos que a sociedade considera mais agradáveis para os homens. Para mostrar como o conceito de belo muda com o tempo e como a tentativa de padronização é estúpida, Cassey Ho decidiu usar o Photoshop para “se encaixar” em diferentes décadas.

A educadora física criticou a mídia, que define quais tipos de corpo estão na moda através da publicidade, televisão e cinema, e as próprias redes sociais onde ela se destaca, com influenciadoras que ficam famosas e desaparecem tão logo seu padrão de beleza é trocado pelo próximo.

Durante a realização do projeto eu pensei que poderia gostar de algum dos resultados, mas nenhum pareceu certo para mim. Prefiro meu corpo como é, com peito e bunda pequenos, mas pernas e ombros fortes, formando uma silhueta que é minha”, reflete. “Por favor, trate seu corpo com amor e respeito e não sucumba ao padrão de beleza. Abrace seu corpo porque ele é SEU corpo perfeito”, concluiu Cassey. Hypeness

Corpoze-se: A Ditadura da Beleza. PhotoChallenge 2019, Modelos da Playboy recriam capas que protagonizaram 30 anos atrás, O que é colágeno?!?, Ugly Models, Pin-up, Simulação de Estupro?!?, 400 Nudes, Baleia ou sereia., O Poder Que A Bunda Tem

Fortalecer a imunidade é importante: saiba o que comer e o que evitar

O sistema imunológico é responsável pela defesa do nosso organismo contra invasores externos como bactérias, fungos e vírus. Portanto, estar com uma boa imunidade diminui as chances de contrair algum desses microorganismos e, consequentemente, algumas doenças. Uma das formas de aumentar a imunidade é através da alimentação e, por causa da pandemia da Covid-19, tem aumentando bastante a procura por alimentos que ajudem a aumentar a imunidade, embora nenhum alimento ou vitamina seja capaz de combater o novo coronavirus. Professor José Costa

Mas de acordo com a coaching nutricional Tamara Ferreira, especialista em nutrição clínica e esportiva, uma alimentação balanceada e rica em alimentos e compostos bioativos fortalece o sistema imunológico e com isso as chances de evitar as formas mais graves da Covid-19. “O sistema imunológico é o exército que nos protege de gripes, resfriados e infecções. E mesmo após a pandemia, eu considero importante que as pessoas continuem a se preocupar com a imunidade uma vez que ela nos protege contra diversos tipos de doenças e infecções”.

Ela indica os grupos de alimentos que favorecem a imunidade:

Vitamina C: laranja, limão, acerola, abacaxi, kiwi, pimentão, tomate, goiaba, caju e folhas verde escuras. Podem ser consumidos no café da manhã, lanches, sobremesa e na ceia (antes e dormir).

Ácido fólico: folhas verdes escuras como couve, agrião, espinafre, rúcula, brócolis, assim como lentilha, feijão, fígado e quiabo. Podem ser consumidos como salada ou na sopa. E também assados, cozidos, refogados ou grelhados. A couve, o espinafre e o agrião podem ser batidos com frutas para fazer sucos.

Zinco: amendoim, castanha de caju, amêndoa, fígado, ostra e carne vermelha. As oleaginosas podem ser consumidas no lanche ou junto com frutas, e em receitas como bolos.

Selênio: castanha do Pará, semente de abóbora, semente de girassol, carne, ovo, atum, feijão, queijo, aveia.

Vitamina D: Gema de ovo, atum, sardinha, fígado, cavala.

Ômega 3: semente de linhaça, semente de chia, atum, cavala, sardinha, castanha, nozes, amêndoas, azeite de oliva.

Temperos e especiarias: alho, cebola, açafrão, pimenta preta, gengibre, aipo, coentro.

Também é indicado:

Aumentar a ingestão de água e o consumo de fibras para o melhor funcionamento do intestino, que é um importante órgão do sistema imunológico. Sugestão de fibras: aveia, farelo de aveia, farinha de linhaça e farinha de chia.

Aumentar o consumo de beterraba, cenoura, abóbora, chuchu, folhas verde escuras, batata yacon, iogurte, de preferência natural, ameixa e banana.

Aumentar o consumo de frutas, com casca e bagaço, como maçã, uva e pera.

O que evitar (não favorece a imunidade):

Alimentos ricos em sal, como salgadinhos de pacote; alimentos ricos em açúcar como refrigerantes, doces, chocolates com muito açúcar, biscoitos recheados; embutidos como mortadela, salame, peito de peru, presunto; e excesso de bebida alcoólica

Suplementos e medicamentos manipulados

De acordo com a farmacêutica Anick Andrade Cunha, diretora técnica da A Fórmula, farmácia de manipulação com produtos para a saúde, beleza e bem-estar, o avanço da medicina preventiva tem feito as pessoas se preocuparem mais com a imunidade, o que fez crescer muito o consumo de produtos e medicamentos naturais e suplementos, mas após a pandemia a procura aumentou bastante, principalmente por vitamina C , vitamina D, e Zinco.

Ela explica que os medicamentos e suplementos são fundamentais para o perfeito funcionamento do nosso corpo e podem, e devem, ser usados por qualquer pessoa, mas desde que orientado por um profissional de saúde. “O tipo de suplemento, assim como a dose, pode variar de acordo com a necessidade de cada um, por isso precisa ser avaliado individualmente. Não podemos esquecer que nosso corpo é a nossa morada, então devemos zelar por ele”.

De acordo com ela, cada um de nós temos nossas próprias necessidades nutricionais ou deficiências metabólicas e por isso o medicamento manipulado faz toda a diferença, porque a dose vai ser preparada especialmente para isso. “Ou seja, é um medicamento manipulado para atender a necessidade de cada um”.

A nutricionista Tamara reforça, que além de ser fundamental  a prescrição de um profissional de saúde, é importante alertar que nenhum suplemento, sozinho, aumenta a imunidade. “Precisa estar associado a uma alimentação saudável e equilibrada. Por isso é importante individualizar a prescrição”.

De acordo com a nutricionista, os suplementos mais indicados são:  probiótico, ômega 3, glutamina, vitamina C, zinco, vitamina D, curcuma, quercitina, capsula de alho, whey protein e extrato de própolis.

Além da alimentação, a prática de outros cuidados favorece o sistema imunológico:

Atividade física

Sono regular

Reduzir o estresse

Evitar o tabagismo

Evitar o consumo de bebida alcoólica,

O queze-se: Oito dicas dicas importantes para que seu organismo melhore a imunidade, Nutrição a favor da imunidade, Imunidade de rebanho, QUANDO O BRASIL VICIOU O MUNDO, Limões e a sua saúde!, Copaíba do Brazil!?!, Saudação ao Sol