Cursos online e gratuitos sobre agrofloresta, permacultura e ecodesign

Uma série de empresas começou a disponibilizar cursos gratuitos para quem está em quarentena. A CicloVivo lista abaixo cursos com o viés da sustentabilidade que está disponível nas redes, aproveite:

Sustentabilidade em Design de Interiores

Como adotar a sustentabilidade na aplicação de um design interno? Como ser sustentável na hora de projetar os espaços? É para abordar este tema que o Senac EAD está promovendo uma palestra online com a arquiteta Renata de Figueiredo.

Aromaterapia

A partir do dia 30 de março, a naturóloga Vanessa Puton dará quatro palestras para quem deseja trabalhar com aromaterapia. Os conteúdos são totalmente online e gratuitos, mas é preciso garantir sua vaga inscrevendo-se.

Introdução à Horta Urbana Orgânica

Por meio de vídeos no Youtube, você aprende como começar sua horta caseira.

Sistemas agroflorestais para pequenos produtores

Em quatro módulos, os técnicos do Instituto explicam a pequenos produtores rurais como eles podem realizar o sistema de plantio, quais os benefícios socioeconômicos que ele traz e como esse modelo também é importante para a biodiversidade.

Permacultura em situações de colapso

Ao longo das aulas serão tratados temas como produção de alimentos em pequenos espaços, soberania alimentar e autossuficiência de energia e água. Curso é disponibilizado pelo Instituto Pindorama.

Modelo de negócio de impacto socioambiental

O curso como criar um modelo de negócio de impacto socioambiental tem o objetivo de ensinar os conceitos essenciais para o entendimento e a estruturação de iniciativas que promovam as mudanças na sociedade e no meio ambiente. O curso é do Sebrae e tem carga horária de 24 horas.

Introdução ao sistema agroflorestal

Também ofertado pelo Instituto Pindorama, o curso é composto por 13 vídeos. Cada um tem em média 10 minutos de duração.

Ecodesign de cidades (University of British Columbia, do Canadá)

A proposta é mostrar como a ecologia pode orientar o design para evitar desastres ambientais e melhorar a vida das pessoas. Além de abordar projetos de destaque, também são exemplificadas pequenas ações que podem ser adotadas em qualquer comunidade.

Curso de arquitetura de Harvard

Uma das universidades mais prestigiadas do mundo disponibiliza um curso gratuito de arquitetura. O curso tem duração de 10 semanas, se for investido de três a quatro horas por semana.

Cursos edx

A edx é uma plataforma de aulas online bastante conhecida e reúne diversos conteúdos relacionados à sustentabilidade, confira aqui e aqui.

Cursos da ONU

O programa UN CC:Learn reúne uma série de conteúdos de capacitação sobre mudanças climáticas, economia verde e desenvolvimento sustentável. Apenas um deles possui versão em português: Curso online introdutório sobre mudança climática. Mas há outras opções para falantes de inglês.

Design permacultural

Quais os princípios e técnicas de design de Permacultura? E suas aplicações? A Universidade do Estado do Oregon, nos EUA, disponibiliza um curso em vídeos para aprofundar este tema. As aulas são sugeridas para serem concluídas em 10 semanas.

Na Natureza Selvagem (spoiler)

A vida começa a acabar no momento em que você entra na escola. Com sorte, depois dela você vai para a faculdade, mesmo que ainda não tenha a menor maturidade para escolher uma carreira. Com mais sorte ainda, depois da faculdade você vai arranjar um emprego, mesmo que ainda não tenha a menor condição de saber o que está fazendo ali. Então você vai passar os seus anos sonhando com férias e se aposentar quando a melhor fase da vida tiver ficado pra trás. O roteiro do que esperam de você já está pronto: casar, ter filhos, pagar as contas, tentar juntar algum patrimônio, pensar no seu futuro, pensar no futuro da sua família, pagar previdência, planos de saúde e seguro de vida. Paralelamente a isso tudo, você precisa aproveitar a vida, viver intensamente, aproveitar cada segundo, carpe diem, para não sentir que viveu em vão. Então você preenche o vazio com viagens, sexo, filhos, animais de estimação, comida, futebol, filmes, sei lá. E mesmo se conseguir fazer tudo isso, sempre vai aparecer alguém para dizer que você jogou a sua vida fora, que poderia ter feito muito mais, que é acomodado, fraco ou pouco ambicioso. A pressão só aumenta. Nunca fica mais fácil. Renato Thibes

“Na Natureza Selvagem” conta a história real de Christopher McCandless (Emile Hirsch), o jovem que fugiu de casa depois da formatura, em 1990, para viver como um andarilho pelos EUA sob o codinome Alexander Supertramp, até morrer no Alasca dois anos depois. Sua trajetória foi contada no livro de mesmo nome de Jon Krakauer e adaptada para o cinema por Sean Penn. Um road movie de grandes paisagens e muita contemplação, montado com flashbacks, recortes, narrações, improvisos, quebras da quarta parede e citações — ele abre com um poema de Lord Byron sobre amar mais a natureza do que o homem e depois são citados Tolstoi, Thoreau e Jack London. Medium

O cantor Eddie Vedder, que compôs toda a trilha sonora do filme e deu voz ao interior do personagem, disse em uma entrevista que Alexander talvez fosse a última pessoa no mundo a querer ver sua trajetória transformada em algo comercial e trivial, mas que o filme conseguiu capturar a visão simbólica que o garoto tinha e repassá-la de maneira comovente e verossímil, importando-se mais em contar a verdade do que apenas em vender ingressos. Laís Dias – Super interessante

Selvazem-se: Faça uma EvoluçãoGlobal Citizen FestivalIsolamento Domiciliar, Covid-19Nise – O Coração da LoucuraAssédio moral (bullying, manipulação perversa, terrorismo psicológico).Top 50 Cover Songs from MoviesA pele que habitoJay and Silent BobJosé Mojica MarinsBesourinha

Imunidade de rebanho

A idéia de “gerenciar a disseminação” de uma doença para que a população ganhe imunidade, conhecida como “imunidade de grupo” ou “efeito rebanho”, de acordo com esse conceito, aqueles que estão em risco de infecção podem ser protegidos porque estão cercados por pessoas resistentes à doença. Pallab Ghosh – BBC News

A “imunidade de grupo” é normalmente usada por epidemiologistas para falar dos benefícios da aplicação de vacinas recebidos por pessoas que não as tomaram. Isso porque, uma vez vacinados, elas ganham imunidade contra um determinado patógeno, beneficiando indiretamente toda uma comunidade, inclusive aqueles que não tiveram acesso à vacinação.

Imunidade de rebanho é o conceito que explica como a maioria de uma população adquire resistência a um agente infeccioso, pode-se cogitar que apenas cruzar os braços enquanto a população fosse infectada pelo novo coronavírus e protegendo os mais vulneráveis.

imunidade de rebanho pode ser entendida assim, quanto maior o número de infectados pelo SARS-CoV-2, mais pessoas se tornariam resistente ao vírus devido à memória imunológica adquirida, chegando a um momento em que o patógeno pararia de se disseminar a rodo por falta de hospedeiros suscetíveis.

problema desse raciocínio é que o coronavírus é um agente infeccioso novo e não sabemos quantas pessoas ele é capaz de infectar caso nenhuma medida seja adotada. Além disso, a imunidade de rebanho tem ótimos resultados quando é feita de forma controlada, utilizando vacinas. Natalia Pasternak e Luiz Gustavo de Almeida

Era comum mães de crianças com catapora ou sarampo juntarem os filhos contaminados com outros pequenos saudáveis. Eram as “festas do sarampo”. Até podia funcionar, mas o processo não era isento de riscos. 

O número de reprodução básico (R0) é utilizado para medir o potencial de transmissão de um vírus, esse número é uma média de para quantas pessoas um paciente infectado é capaz de transmitir o patógeno, assumindo que as pessoas próximas ao paciente não são imunes a ele, fatores como condições ambientais, forma de transmissão, duração da infecção e comportamento da população infectada, afetam diretamente o cálculo.

O número de infecção efetivo (R), considerando que uma população raramente será totalmente suscetível a uma infecção no mundo real. Alguns contatos estarão imunes devido a uma infecção prévia que conferiu imunidade ou como resultado de imunização anterior, pela ação das vacinas. Portanto, nem todos os contatos serão infectados e o número médio de casos secundários por caso infeccioso será menor que o número básico de reprodução. Nesse cálculo, levamos em consideração as pessoas que são suscetíveis e não suscetíveis.

Com essas informações apresentadas, podemos concluir que, caso o valor de R seja maior do que 1, o número de casos aumentará, iniciando uma epidemia. Para que um vírus pare de se espalhar, o R tem que ser menor do que 1. Para fazer uma estimativa de R, multiplicamos o valor de R0 pela fração suscetível de uma população.

Utilizando o mesmo exemplo do sarampo, temos o R0 = 15. Esse vírus começa a se disseminar em um local em que 60% da população é imune, logo 40% da população é suscetível. O número reprodutivo efetivo para o sarampo nessa população é 15 x 0,4 = 6. Nessas circunstâncias, um único caso de sarampo produziria uma média de seis novos casos.

Utilizando o mesmo exemplo do sarampo, temos o R0 = 15. Esse vírus começa a se disseminar em um local em que 60% da população é imune, logo 40% da população é suscetível. O número reprodutivo efetivo para o sarampo nessa população é 15 x 0,4 = 6. Nessas circunstâncias, um único caso de sarampo produziria uma média de seis novos casos.

No cenário do sarampo, já conseguimos captar a importância da vacinação e podemos entender por que os agentes de saúde defendem que, nesse caso, precisamos ter uma cobertura vacinal de 95% da população. Não adianta 90%, tem que ser 95%. Veja os cálculos nesses dois cenários com esse vírus:

  • Se vacinarmos 90% da população, estimamos que 10% da população é suscetível, portanto o cálculo de R é 15 x 0,1 = 1,5. O R ainda é maior do que 1 e o vírus vai se espalhar.
  • Se vacinarmos 95% da população, estimamos que 5% da população é suscetível, portanto o cálculo de R é 15 x 0,05 = 0,75. O R é menor do que 1 e o vírus vai parar de se disseminar.

 Vacinar, portanto, não é uma questão pessoal, mas social. Ainda assim, vale notar que, em 2019, tivemos mais de 13 mil casos de sarampo no Brasil.

A conta toda é bem mais complicada e simplificamos ao máximo para que se tenha uma ideia da importância da vacinação e da irresponsabilidade de deixar a população exposta ao vírus sem tomar medidas não farmacológicas, caso do isolamento social.

Imunize-se: Pegadas na areia, Nós existimos para ajudar aqueles que precisam, Timo, Uma pandemia simulada?!?, Córnea feita de células-tronco “reprogramadas”, Abelha, o ser humano mais importante do planeta

Contos Indianos

Várias tradições antigas usavam contos como método didático, pois facilitava a apreensão mais profunda das idéias. Nova Acrópole (Internacional) apresenta, através da palestrante Lúcia Helena Galvão alguns dos mais belos contos indianos.

Contos Indianos com comentários filosóficos da Prof. Lúcia Helena Galvão – YouTube

MÚSICA – Inn Lamhon Ke Daaman Mein, da trilha sonora do belíssimo filme indiano JODHAA ACKBAR.

INÍCIO DE CADA CONTO:

0:53 — Ações e destinos

10:05 — Tudo acontece para o melhor

16:45 — Onde estamos verdadeiramente

22:41 — Os sonhos do rei

34:04 — A pergunta de Ananda

38:40 — A dúvida de Narada

48:37 — O filósofo e o sábio

57:43 — Valmiki

Nova Acrópole (Brasil – Centro-Oeste, Norte e Nordeste, exceto Bahia) é uma organização filosófica presente em mais de 50 países desde 1957, e tem por objetivo desenvolver em cada ser humano aquilo que tem de melhor, por meio da Filosofia, da Cultura e do Voluntariado. Nova Acropole (Brasil – Sul, Sudeste e Bahia) – Publicado em 27 de jun. de 2017

Facebook: www.facebook.com/NovaAcropoleBrasil

Como consertar o mundo?!?

Era uma vez, um cientista que vivia preocupado com os problemas do mundo e decidido a encontrar meios de melhorá-los. DANIEL PIAMOLINI

Passava dias e dias no seu laboratório à procura de respostas.

Um dia, o seu filho de sete anos invadiu o seu santuário querendo ajudar o pai.

Claro que o cientista não queria ser interrompido e, por isso, tentou que o filho fosse brincar em vez de ficar ali, atrapalhando-o.

Mas, como o menino era persistente, o pai teve de arranjar uma maneira de entretê-lo no laboratório.

Foi, então, que reparou num mapa do mundo que estava na página de uma revista. Lembrou-se de cortar o mapa em vários pedaços e depois apresentou o desafio ao filho:

– Filho, você vai me ajudar a consertar o mundo! Aqui está o mundo todo partido. E você vai arrumá-lo para que ele fique bem outra vez! Quando você terminar, me chame, ok?

O cientista estava convencido que a criança levaria dias para resolver o quebra-cabeças que ele tinha construído.

Mas surpreendentemente, pouco depois, o filho já chamava por ele:

– Pai, pai, já fiz tudo. Consegui consertar o mundo!

O pai não queria acreditar, achava que era impossível um miúdo daquela idade ter conseguido montar o quebra-cabeças de uma imagem que ele nunca tinha visto antes.

Por isso, apenas levantou os olhos dos seus cálculos para ver o trabalho do filho que, pensava ele, não era mais do que um disparate digno de uma criança daquela idade.

Porém, quando viu o mapa completamente montado, sem nenhum erro, perguntou ao filho como é que ele tinha conseguido sem nunca ter visto um mapa do mundo anteriormente.

– Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, eu vi que, do outro lado da página, havia a figura de um homem.

Quando você me deu o mundo para eu consertar, eu tentei mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem. Virei os pedaços de papel ao contrário e comecei a consertar o homem que eu sabia como era.

Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que tinha consertado o mundo. Autor Desconhecido – Consciência Cósmica

Costa Oeste News

O autoconhecimento é o inicio para que as mudanças possam acontecer. Só depois que conhecemos nossos medos, sonhos, objetivos, propósitos e limites, poderemos nos policiar para melhorarmos e contribuirmos para um mundo mais humano e justo.  Mulheres Empreendedoras-PI

“Seja a mudança que tanto procura nos outros. As pessoas não mudam com cobrança, mudam com exemplos.”

HuMundanize-se: Esta estação de metrô parece abandonada?, Boas Idéias Que Todos Os Países Deveriam Adotar, Portas abertas, PLANKTON INVASION, Na trave!

TÁBUA DE ESMERALDA

TÁBUA DE ESMERALDA – Histórico, breve contextualização: LÚCIA HELENA GALVÃO

Parte 1 – Elementos históricos: A Escola de Filosofia Nova Acrópole apresenta um esboço de interpretação sobre um dos antigos textos que fundamentaram o famoso CAIBALION: A TÁBUA DE ESMERALDA. A professora e voluntária LÚCIA HELENA GALVÃO nos fala do texto atribuído ao misterioso sábio egípcio, HERMES TRISMEGISTO.

TÁBUA DE ESMERALDA 2 / 2 – Comentários filosóficos sobre O CONTEÚDO – LÚCIA HELENA GALVÃO

Parte 2 – Comentários Filosóficos: A Escola de Filosofia Nova Acrópole apresenta pesquisa sobre um dos antigos textos que fundamentaram o famoso CAIBALION: A TÁBUA DE ESMERALDA.

Quer receber conteúdos no whatsapp? Mande uma mensagem informando seu nome e cidade (Nome – Cidade – Sigla do Estado) para o número (63) 98442-7676 e participe da lista de transmissão filosófica.

Instagram: @novaacropolebrasil

Facebook: NovaAcropoleBrasil

Twitter: https://twitter.com/novaacropolebr1

Spotify: https://open.spotify.com/show/64tJx8P

Soudclound: https://soundcloud.com/palestrasfilos

Itunes: https://itunes.apple.com/us/podcast/i

A Nova Acrópole é um organização sem fins lucrativos, temos como objetivo promover a filosofia, cultura e voluntariado. Todos os envolvidos, incluindo professores e editores são voluntários. São mais de 80 unidades da Nova Acrópole no Brasil. Estude conosco na escola mais próxima!

Esmerelze-se: Convite à FilosofiaAscese, de Nikos Kazantzákis17 citações de Osho e SadhguruE-BOOKs GRATUITOSReceita contra a depressão21 gramasCouro de livroThe Matrix NorrisSanta BucetaA verdade pode estar no ovo

Caroço de abacate vira talher biodegradável no México

O México é responsável por 50% da produção de abacate no mundo e foi no país que uma empresa desenvolveu uma forma de utilizar a fruta de maneira mais consciente. Consumidor Moderno

A iniciativa da empresa mexicana é a redução da poluição plástica nos ecossistemas, inclusive em oceanos. A composição vegetal dos produtos pode biodegradar quando enterrada no subsolo ou dentro do depósito de lixo.

Os microplásticos são responsáveis por grande parte da poluição dos oceanos e pela contaminação da vida marinha e da vida terrestre.
Outros estudos indicam ainda que a inalação desses microplásticos — que têm produtos químicos em sua composição —, pode levar à irritação respiratória, inflamação, fibrose e até mesmo câncer de pulmão, devido a vida prolongada do material no organismo. Apenas 20% de todo o plástico produzido no planeta é reciclado. No Brasil, a reutilização não passa de 2%. Jade Gonçalves Castilho Leite

Folhas de árvores podem virar pratos, amido de inhame é usado para criar canudos e banana verde se transforma em diversos tipos de recipientes ecológicos. Marcia Sousa – Ciclo Verde

A BioFase coleta sementes de abacate de empresas que processam abacates para fazer guacamole ou óleo. A empresa mexicana BioFase está apostando em um subproduto bastante conhecido: o caroço de abacate.

Talheres e canudos fabricados pela companhia têm a matéria-prima ecológica em 60% de suas composições e outros 40% são formados por compostos orgânicos sintéticos. O produto final promete ser adequado para comidas quentes e frias, além de ser forte o suficiente para não dobrar.. Quando mantido em local fresco e seco, os talheres são utilizáveis por até um ano. Daí, quando o descarte for inevitável, basta enterrá-los no solo que eles se degradam em 240 dias.

Avocaze-se: SANDUÍCHES SEM PÃO, Conheça 13 maneiras de reaproveitar sobras e cascas de frutas e vegetais, Comer faz bem, Plástico Pena, China e 11 milhões de plásticos, Tapetes do fundo do mar e reflexão sobre preservação dos oceanos, A culpa das velhas plásticas

Operaçao Bandeira Vermelha

Quando uma bandeira vermelha é colocada na praia os humanos somem. Nenhum humano significa nenhuma poluição que, por sua vez, significa que não há aquecimento global. Em não havendo aquecimento global não haverá Invasão Plâncton! A missão do trio é a de se livrar da bandeira vermelha para trazer os humanos e a poluição de volta à praia, de qualquer maneira. WIKIA PLANKTON INVASION

Yidio – Plankton Invasion

Contagion

“O cinema ainda estava em sua infância quando, em 1902, Georges Méliès lançou Viagem à Lua, usando o romance Da Terra à Lua, de Júlio Verne, como inspiração. Demoraria mais de meio século até que, em 1969, o homem de fato chegasse à lua a bordo da Apollo 11, no caso de um filme como Contágio, dirigido por Steven Soderbergh, não era uma questão de possibilidade, uma simples questão de tempo. Bem pouco tempo.” Gazeta do Povo

O escritor Scott Z. Burns, roteirista do filme, pesquisou diversas patologias ao longo de três anos, contando com a consultoria do Dr. Ian Lipkin, então professor de epidemiologia na Universidade de Columbia, na Escola Mailman de Saúde Pública. Assim nasceu o ficcional MEV-1, vírus altamente contagioso e mortal.

Contágio segue o rápido progresso de um vírus letal, transmissível pelo ar, que mata em poucos dias. Como a epidemia se espalha rapidamente, a comunidade médica mundial inicia uma corrida para encontrar a cura e controlar o pânico que se espalha mais rápido do que o próprio vírus. Ao mesmo tempo, pessoas comuns lutam para sobreviver em uma sociedade que está desmoronando. Medium

25 Things You Missed In Contagion

The Steven Soderbergh directed “Contagion” has been trending lately due to how the film deals with the possibility of a global health crisis. While some aspects of the film are right on the nose, it definitely exaggerates some aspects to make the movie more dramatic.

“Their goal was to try and really show people as accurate a picture that could be conjured, in hopes that it would motivate political leaders to get mobilized,” says Laurie Garrett, one of those health experts consulted by the filmmakers. New York Post

Garrett is a former senior fellow for global health at the Council on Foreign Relations who has been tracking outbreaks for decades. She published the bestselling book “The Coming Plague: Newly Emerging Diseases in a World Out of Balance” in 1994.

“We’ve generally seen a lot [of diseases] arising out of Asia because of the tremendous disruption in that part of the world,” Garrett says. “Bats and birds are deeply stressed because of deforestation and climate change.”

“I’ve been in more than 30 epidemics, and the same things happen over and over again,” Garrett says, argues that we had become complacent to the threat of a pandemic in part because modern history’s second-deadliest plague — HIV, which has killed 32 million — wasn’t treated as “a warning shot across the bow.” Instead, it was dismissed by many as a niche problem that only affected homosexuals.

Contagie-se: Macaé: cura tudo!?!Arango, cura câncer?!?As 11 ideias de negócio mais procuradas pelos brasileirosNanochip cura feridas e recupera órgãos usando células da pele“A minha especialidade é matar, não é curar ninguém”Prevenção curaPropriedades curativas do limão“Se for, vá na paz”

 

 

 

 

O filtro de barro

Alguns métodos foram iniciados pelo egípcio Imhotep (a.C 2655 – 2600 a.C) o primeiro homem na história humana que estudou a medicina. Várias formas foram desenvolvidas, desde a fervura da água, ou a própria água colocada em recipientes de metal quente, até a filtragem na areia e carvão bruto. Em 1700 a.C foram aplicados os primeiros filtros de água para aplicação doméstica, eram feitos de lã, esponja e carvão.

Séculos mais tarde Hipócrates (460 a.C – 370 a.C), o famoso “pai da medicina”, iniciou seus estudos na purificação da água e criou seu próprio purificador para tratar seus pacientes com água mais limpa, conhecida como “luva de Hipócrates”. O filtro era um saco de pano que através dele a água era filtrada, retendo qualquer sedimento na água que estava causando mau gosto ou cheiro.

A primeira estação de tratamento de água municipal foi projetada por Robert Thom, construído na Escócia. Em 1972 surgiu a lei da água limpa, com o grande crescimento de abastecimentos, houve uma grande descoberta: o cloro, preparado e estudado pelo químico sueco Carl Wilhelm Scheele. O cloro é um veneno cancerígeno, a água clorada tem sido associada à causa e ao agravamento de doenças respiratórias como a asma, entre outras doenças da pele.

tecnologia para purificação de água está avançando cada vez mais, e com isso novos conceitos estão sendo aperfeiçoados e desenvolvidos: infravermelho longo, magnetismo, filtros com o processo de filtragem mais longo e energia ultra violeta (UV).

filtro de argila é uma das invenções brasileiras de muita importância para o bem-estar da sociedade. Por mais que ele tenha sido desenvolvido, em uma época que a ciência não era tão evoluída como hoje, o filtro de barro já tinha a sua excelente função de filtragem da água. Cerâmica Stefani

O Brasil conquistou o título de melhor sistema de filtragem da água, ele é eficiente na retenção de bactérias, cloro, pesticidas, chumbo, alumínio e também do parasita Criptosporidiose, que causa uma grave infecção intestinal transmissível.

No país, a água nem sempre era de boa qualidade. Vinha de poços, rios ou era canalizada de maneira rudimentar até chegar a fontes e chafarizes construídos pelos governos. Giro MT – O Globo

Um exemplo, ainda do período colonial, continua de pé, no Rio de Janeiro: são os arcos da Lapa, um aqueduto do século 18, construído para levar água do rio Carioca até o centro da cidade, onde a população se abastecia.

“Nós tínhamos na virada do século 19 para o século 20 muitas epidemias. As cidades crescendo, mis população. E os serviços de água encanada das cidades eram muito insuficientes. Então, não havia no Brasil um equipamento que pudesse filtrar água de modo eficiente. E as pessoas morriam em epidemias, tomavam água suja”, explica o professor Júlio César Bellingieri.

A primeira grande mudança acontece com a chegada dos imigrantes italianos e portugueses no começo do século passado, traziam na bagagem as velas para filtrar água que já existiam na Europa, peças rudimentares, feitas de pedras porosas. Já os filtros eram de metal ou de pedra. Um dia alguém percebeu que as jazidas de argila do interior do estado podiam fornecer material para fazer bons potes de cerâmica.

No início, a vela era um disco de cerâmica porosa, colado com breu e cera. Passaram-se décadas até que chegasse ao que é hoje: por fora, uma camada de cerâmica porosa, por dentro, uma porção de carvão na parte interna e uma camada de prata coloidal, um produto bactericida usado para purificar ainda mais a água. E o carvão ativado, que tirar o cloro.

Campeão na filtragem de resíduos da água, o filtro retira até 99% dos parasitas, reduzindo a contaminação, pois sistema filtra calmamente a água, garantindo que micro-organismos não passem por causa da baixa pressão no fluxo do líquido. O filtro de barro é um dos primeiros produtos criados pela indústria nacional. Aquele Mato

Os imigrantes italianos e portugueses que trouxeram peças rudimentares, feitas de pedras porosas, esses filtros eram de metal ou de pedra, com cerca de 50 km em formato de cuba, em que se jogava a água para filtrá-la. Sistema caro, restrito e complicado.

Nos anos 1980, surgiu a água mineral engarrafada e de purificadores modernos, as vendas dos filtros de barro despencaram e, com isso, várias indústrias fecharam suas portas.

O Instituto Vital Brasil (laboratório oficial vinculado à Secretaria de Saúde do RJ) testou o filtro com água limpa misturada com água de esgoto para avaliar se ele eliminava as suas impurezas.

O Presidente do Instituto Vital Brasil, Edimilson Migowski, disse que a água extraída do filtro estava totalmente limpa e própria para beber, o que comprova com total segurança que os filtros de barro funcionam de fato, recebendo ainda uma nota 10 em sua avaliação. Eliane A Oliveira – greenMe

A água filtrada é então armazenada na parte inferior do filtro que, por também ser de argila, faz com que haja uma troca de calor, mantendo a temperatura da água sempre fresca. Dessa maneira, os filtros de barro conseguem manter a temperatura da água até 5ºC mais fria do que a temperatura ambiente.

A manutenção é barata e prática, além da vida útil ser indeterminada, dependendo da maneira com que ele é cuidado. Alguns especialistas recomendam trocá-lo com 5 anos de uso, mas se cuidar dele direitinho, pode durar uma vida inteira, trocando apenas a vela conforme as instruções do fabricante.

Barreize-se: Existe água em SP, Movida a água, Água mortal, Aposentadoria da Água, Tráfico de águas, O mar de Aral virou areia., Water Crisis in Pakistan, Filtro de barro brasileiro é considerado o melhor do mundo, Piscina biológica sem cloro

Dia Internacional da Síndrome de Down

Dia Internacional da Síndrome de Down é celebrado anualmente em 21 de março, a data tem o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da luta pelos direitos igualitários, o seu bem-estar e a inclusão das pessoas com Down na sociedade. Calendar

Os motivos para a ocorrência da Síndrome de Down ainda são desconhecidos, mas o que se sabe é que começa na gestação, quando as células do embrião são formadas com 47 cromossomos, sendo que o normal seriam 46 cromossomos.

A Down Syndrome International anunciou o tema para o Dia Internacional da Síndrome de Down 2020:

NÓS DECIDIMOS – Garantindo que todas as pessoas com síndrome de Down possam participar plenamente da tomada de decisões sobre assuntos relacionados ou que afetem suas vidas. Movimento Down

A campanha deverá capacitar as pessoas com síndrome de Down, os que as apoiam e suas organizações representativas, a advogar por sua participação efetiva e significativa.

Downze-se: O filho eterno, Colegas, Eu tenho Down, Outro Olhar, Meu nome é Jonas, Coleção de arte japonesa de Van Gogh, para download, A arte de ler., LOCALIZE NOITE ESTRELADA

ImaginaC

ImaginaC, plataforma que dá voz e visibilidade às crianças na construção de um mundo melhor. Quando a violência deixa de dominar uma rua da cidade e dá espaço para crianças brincarem nela, é porque uma grande força entrou em cena. E não foi a polícia. Rede Nacional Primeira Infância

Nayana Brettas é uma socióloga, formada pela PUC SP com especialização na relação entre as crianças e a melhoria da vida nas cidades, e fundadora do ImaginaC. “A partir do olhar solidário e generoso das crianças, de seus sonhos e da imaginação única que possuem, surge um poder enorme de transformação e melhoria de nossas vidas. O problema é que ninguém as escuta”.

Em parceria com a empresa de impacto Rua Livre, de Marcos Dimenstein e Estêvão Romane, que há 4 anos realiza programas de ocupação e melhoria de vida no urbe, o conjunto de ferramentas chamado ImaginaC busca conectar e aproximar comunidades, famílias e escolas em torno das crianças na busca de uma vida melhor. Com a ajuda de aplicativos de celular, jogos para as escolas e famílias, programas de intercâmbio familiar e de cidades, além de uma agenda de comunicação positiva e de diálogo com o poder público, o programa é fruto de uma metodologia testada com sucesso em campo – no caso, o Glicério, bairro tradicionalmente violento de São Paulo que teve sua realidade mudada após a passagem do programa.

O programa, como diz a participante Thifanny Rodrigues, de 10 anos de idade, “não é só de brincadeira: é uma parte da nossa infância, que ajuda a gente a ficar mais disposta… É participar mais das coisas, gostar mais de escola, de estudar, da família”.

ImaginaC – Facebook

ImaginaC: Masaka Kids Africana, E você, o que pediria?, Suicide children, Algo Parecido, Fridays For Future, Bishop e o  “Oasis”, Felix Finkbeiner: Plant For The Planet, Flúor reduz o QI?

Uma pandemia simulada?!?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou em 28 de fevereiro de 2020:

Em 21 de fevereiro de 2020, a Comissão Nacional de Saúde da China informou que 36.157 pacientes foram designados como curados e receberam alta do hospital, as pessoas receberam tratamento e estão se recuperando da infecção pelo vírus. Michel Chossudovsky

De acordo com a Administração Nacional de Produtos Médicos da China, os hospitais estão usando o Favilavir, um medicamento antiviral, “como um tratamento para o coronavírus com efeitos colaterais mínimos”.

The Economist relata que “o coronavírus espalha o racismo contra e entre os étnicos chineses”

Liderados pela desinformação da mídia, há outra dimensão. Pânico nas bolsas de valores. O medo do Coronavírus provocou a queda dos mercados financeiros em todo o mundo.

Coronavírus, Evento 201, Pandemia, Wuhan, Guerra Biológica, Controle, Vacina, 5G

Em 18 de outubro de 2019, o Johns Hopkins Center for Health Security, Baltimore realizou uma simulação cuidadosamente projetada de uma epidemia de coronavírus chamada nCoV-2019. A simulação foi realizada apenas 2 meses antes do surto de COVID-19.



No Evento 201 Simulação de uma pandemia de coronavírus, um colapso de 15% dos mercados financeiros foi “simulado”. Não foi “previsto” de acordo com os organizadores e patrocinadores do evento, que incluiu a Fundação Bill e Melinda Gates, bem como o Fórum Econômico Mundial.

Coronavirus Epidemic: WHO Declares a “Fake” Global Public Health Emergency

A simulação realizada em outubro, intitulada nCoV-2019, foi realizada apenas 2 meses antes do surto de COVID-19. O que deve ser entendido é que os patrocinadores do “exercício de simulação” de John Hopkins são atores poderosos e conhecedores, respectivamente, nas áreas de “Saúde Global” (Fundação B. e M. Gates) e “Economia Global” (WEF).

O Johns Hopkins Center for Health Security, em parceria com o Fórum Econômico Mundial e a Fundação Bill e Melinda Gates, sediou o Evento 201, um exercício de pandemia de alto nível em 18 de outubro de 2019, em Nova York, NY. O exercício ilustrou áreas em que parcerias público-privadas serão necessárias durante a resposta a uma pandemia severa, a fim de diminuir as conseqüências econômicas e sociais em larga escala.

Recentemente, o Center for Health Security recebeu perguntas sobre se esse exercício de pandemia previu o atual novo surto de coronavírus na China. Para deixar claro, o Center for Health Security e os parceiros não fizeram uma previsão durante o exercício de mesa. Para o cenário, modelamos uma pandemia fictícia de coronavírus, mas declaramos explicitamente que não era uma previsão. Em vez disso, o exercício serviu para destacar os desafios de preparação e resposta que provavelmente surgiriam em uma pandemia muito grave. Agora não estamos prevendo que o surto do nCoV-2019 matará 65 milhões de pessoas.

Muitas publicações, além disso, assinalam que o novo coronavírus que assola a China teria sido criado pelos Estados Unidos e mostram como supostas provas algumas patentes antigas, mencionando o próprio Bill Gates como dono de uma delas. A AFP verificou essas postagens e você pode conferir a checagem em português e espanhol.

Em comunicados à imprensa publicados durante o encontro, o Centro para a Segurança de Saúde explicou que o Evento 201 era “um exercício multimídia de pandemia do qual participaram líderes governamentais, da política, de saúde pública e empresas globais que pertencem a indústrias-chave na resposta a pandemias e para que as economias e as sociedades se mantenham ativas durante um surto intercontinental grave e de transmissão rápida”.

De acordo com a descrição fornecida no vídeo do evento, o vírus fictício usado no exercício foi denominado Síndrome Pulmonar Associada ao Coronavírus (CAPS, na sigla em inglês). A história criada para a simulação relata que o vírus, que se espalhou pelo mundo, começou no Brasil, onde foi transmitido de porcos para humanos, provocando sintomas respiratórios que iam desde leves gripes a pneumonias severas.

El evento 201 simula un brote de un nuevo coronavirus zoonótico transmitido de murciélagos a cerdos a personas que eventualmente se vuelve eficientemente transmisible de persona a persona, lo que lleva a una pandemia severa. El patógeno y la enfermedad que causa se basan en gran medida en el SARS, pero es más transmisible en la comunidad por personas con síntomas leves. Beatriz Talegón

La enfermedad comienza en granjas porcinas en Brasil, de manera silenciosa y lenta al principio, pero luego comienza a propagarse más rápidamente en entornos de atención médica. Cuando comienza a extenderse eficientemente de persona a persona en los barrios de bajos ingresos y densamente poblados de algunas de las megaciudades de América del Sur, la epidemia explota. Primero se exporta por transporte aéreo a Portugal, Estados Unidos y China y luego a muchos otros países. Aunque al principio algunos países pueden controlarlo, continúa extendiéndose y reintroduciéndose, y finalmente ningún país puede mantener el control.

No hay posibilidad de que haya una vacuna disponible en el primer año. Existe un medicamento antiviral ficticio que puede ayudar a los enfermos pero no limitar significativamente la propagación de la enfermedad.

Como toda la población humana es susceptible, durante los primeros meses de la pandemia, el número acumulado de casos aumenta exponencialmente, duplicándose cada semana. Y a medida que se acumulan los casos y las muertes, las consecuencias económicas y sociales se vuelven cada vez más graves.

El escenario termina a los 18 meses con 65 millones de muertes. En ese momento la pandemia comienza a disminuir debido a la disminución del número de personas susceptibles. La pandemia continuará hasta que haya una vacuna efectiva o hasta que el 80-90% de la población mundial haya estado expuesta. A partir de ese momento, es probable que sea una enfermedad infantil endémica. Diário 16

O objetivo da simulação não era provocar medo, eles esperavam que isso servisse como uma experiência de aprendizado, destacando tanto o impacto potencial de uma pandemia quanto as lacunas atuais na preparação para esse tipo de problema, foi criada uma lista de sete ações que os líderes dos setores públicos e privados podem executar para ficarem prontos caso um cenário semelhante ao do Event 201 aconteça. Olhar Digital

Notificação de casos de doença pelo coronavírus 2019 (COVID-19). Plataforma IVIS

Simulize-se: Simulação de Estupro?!?, Simulador Solar, IMPRESSORA BRAILE FEITA EM LEGO, FAZENDA SOLAR, Projeto oferece coleta de lixo orgânico por assinatura e devolve adubo ou hortaliças,

Gripe Espanhola

É UM CRIME gritar “fogo!” num teatro cheio, mas também deveria ser um crime gritar “está tudo ok, fiquem sentados e assistam à peça!” num teatro que está sendo consumido por chamas. As pessoas precisam saber do risco.

A Organização Mundial da Saúde declarou que a Europa agora é o epicentro do vírus, e não a Ásia. Isso porque a China foi muito eficaz e organizada em suas medidas de contenção, e a Coreia do Sul também reagiu rapidamente para providenciar muitos testes e identificar casos logo, antes que a doença se espalhasse ainda mais. Japão, Taiwan, Singapura, Tailândia e Hong Kong foram ainda mais preparados.

O gráfico mostra a taxa de mortalidade pelo surto de gripe espanhola de 1918 em duas cidades dos EUA. Saint Louis imediatamente fechou todos os espaços públicos após descobrir que a doença tinha chegado. Enquanto isso, a Filadélfia decidiu realizar uma grande festa de rua. Andrew Fishman

dr-graph-1584135559

Gráfico: Proceedings of the National Academy of Sciences. Intercept Brasil

No Brasil, estabelecimentos foram fechados, aglomerações foram proibidas. Fiéis foram desaconselhados até a ir a missas. “Muita gente adoeceu, em grandes e pequenas cidades. Houve lugares em que mais da metade da população ficou doente e não havia quem cuidasse dos infectados”, afirma ao TAB a historiadora Christiane Maria Cruz de Souza, doutora em História das Ciências da Saúde e autora do livro “A Gripe Espanhola na Bahia” (Editora Fiocruz). Edison Veiga

Passageiros a bordo do navio Demerara, que saiu de Liverpool, Inglaterra, em 14 de setembro de 1918, foram os primeiros a carregar a doença. A embarcação fez escalas em Lisboa e, já no Brasil, em Recife e Salvador, até aportar no Rio de Janeiro, então capital do País. Altamente contagiosa — e sem medicamentos ou vacina —, a gripe se alastrou. “O que se tratava eram os sintomas: dor de cabeça, febre, coriza, essas coisas, esperando que o organismo reagisse à doença, ministrava-se tônicos para fortalecer o organismo, incentivada uma boa alimentação, ambientes arejados e que o doente não ficasse próximo das pessoas sãs.”

As orientações e os conselhos eram muito similares aos atuais: lavar as mãos, evitar aglomerações, preferir locais arejados, evitar apertos de mão e abraços. 

Uma das versões da invenção da caipirinha, o famoso drinque brasileiro, remonta ao período. Segundo acredita e difunde o Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), a bebida teria sido criada no interior paulista como um remédio popular para os doentes de gripe espanhola, seria uma adaptação da receita de xarope feito com limão, alho e mel — o acréscimo de álcool em remédio caseiro era comum porque se dizia que “acelerava o processo terapêutico”. Posteriormente, a retirada do alho e do mel — e o acréscimo do açúcar e do gelo — fizeram nascer o drinque mundialmente conhecido.

Nas palavras de um jornal da época: “a desordem dos espíritos causa a desordem das coisas”. 

A epidemia da gripe espanhola teve, em São Paulo, os primeiros casos registrados em 16 de outubro e os últimos em 19 de dezembro de 1918. Em pouco mais de dois meses foram notificados 116.777 infectados (22,32% da população da capital), sendo 86.366 apenas no mês de novembro. Em apenas três dias, entre 29 e 31 de outubro, 14.066 pessoas adoeceram”, conta a historiadora Monica Musatti Cytrynowicz, autora do livro “Do Lazareto dos Variolosos ao Instituto de Infectologia Emilio Ribas: 130 Anos de História da Saúde Pública no Brasil” (Editora Narrativa Um). Aliás, é provável que o número seja superior aos oficiais: a médica Rita Barradas Barata calcula que tenham sido 350 mil os casos na capital paulista, o que significa dois terços da população.

“A inexistência de leis trabalhistas que garantissem a convalescença remunerada, a jornada de até 16 horas no chão de fábrica e os parcos salários — mesmo após as reivindicações da grande greve de 1917 — fizeram de operários gripados a grande parcela de vítimas da epidemia na cidade de São Paulo: trabalhavam enfermos sob o risco de condenar suas famílias à absoluta miséria”, escreveu Anna Ribeiro.

“Um dos maiores problemas foi a contaminação dos médicos e enfermeiros, o que dificultava ainda mais o atendimento. No Hospital de Isolamento, atual Instituto de Infectologia Emílio Ribas, quase todos tiveram a gripe, excetuando-se, além do diretor, o cozinheiro, o jardineiro chefe e dois serventes”, diz Cytrynowicz.

“Foram então criados, além do hospital da Hospedaria e da enfermaria especial da Santa Casa, cerca de 40 hospitais provisórios na capital para receber os doentes de gripe, em espaços cedidos por entidades como clubes — entre eles o Paulistano e o Palestra Itália — e escolas, destacando-se o Grupo Escolar da Barra Funda (com 500 leitos) Colégio Diocesano (com 400), Mackenzie (400), Salesianos (300), Ginásio do Carmo (300) e Santa Inês (250). Além dos hospitais, foram criados 44 Postos de Socorros e 83 farmácias foram autorizadas a distribuir receitas gratuitas aviadas por conta do governo”, enumera a pesquisadora.

Eleito presidente da República pela segunda vez, o político Francisco de Paula Rodrigues Alves (1848-1919) foi uma das mais ilustres vítimas: morreu antes de assumir seu mandato. Edison Veiga – TAB, de Bled (Eslovênia)

Dezenove-se:

O caso do Cine Oberdan

Inaugurado em maio de 1929, o Cine Oberdan foi projetado para ser majestoso desde sua concepção, um prédio magnífico na rua Xavantes (trecho que posteriormente foi renomeado para Firmino Whitaker), no então efervescente bairro do Brás. São Paulo Antiga

Elegante e imponente, o Oberdan era um empreendimento da Sociedade Italiana Leale Oberdan quee posteriormente foi repassado para a Empresa Teatral Paulista. O Oberdan foi um cinema que impressionava pelo luxo em suas escadarias, na sala de exibição, no hall e principalmente em sua fachada.

Sempre que se pesquisa sobre a trágico acontecimento do Cine Oberdan, a razão do grito de fogo e o pânico que desencadeou-se em seguida sempre é atribuída à cena do filme onde há o choque de aviões no ar. Esta versão, no entanto, é equivocada. A polícia conseguiu apurar os fatos com rigor e descobriu que tudo começou devido a uma diarreia.

Um garoto estava passando muito mal e precisa ir urgente ao banheiro, mas o lanterninha não aparecia. Ele teria começado a ficar tenso porque no final da exibição todos vão ao banheiro e o mesmo fica com grande fila.

Cansado de esperar, ele decidiu aproveitar os minutos finais e se dirigiu até o sanitário, mas não chegou a tempo fazendo parte de suas necessidades pelo caminho. Ao chegar no banheiro, encontrou outra surpresa: as luzes estavam desligadas.

Foi ai que o garoto teve a ideia de pegar um fósforo e colocar fogo em um punhado de jornais para poder enxergar o que estava fazendo, deixando a porta do banheiro entreaberta para também pegar um pouco da luz da tela.

Foi neste momento que alguém viu as chamas pela porta do banheiro e gritou “fogo”. No banheiro, a perícia realmente encontrou os jornais queimados e a bermuda do menino que serviu para a conclusão do caso.

ober7

Uma cenário de correria e pânico tomava conta da enorme sala de cinema, que comportava 1.600 pessoas, mas apesar de ser gigantesca, por causa da falta de planejamento suas saídas não eram pensadas para situações desse tipo, as saídas rumo ao hall se davam por duas estreitas escadarias. Crianças desesperadas corriam para estas estreitas escadas, juntamente com adultos maiores e mais fortes. Nesta hora não existiu cavalheirismo e nem gentileza. O que ocorreu em poucos minutos foi um total massacre. O Arquivo

Após a tragédia, houve mudanças na lei que passou a ter condições de funcionamento priorizando a segurança de todos os cinemas. Onde travas passaram a ficar do lado de dentro, portas passaram a ficar abertas, iluminação nos corredores e áreas úteis em todas as salas de cinema, passou a ter também saídas de emergência. Sombrio e Sobrenatunal

Oberdanze: Extintor Cola, Mutant VW, Fahrenheit 451, Hein? hã?, Só Pra Variar, Fogo Sagrado

Os Guarani convocam povo de SP para proteger Terra Indígena Jaraguá

Empreiteira que ameaça vida dos Guarani do Jaraguá tem como slogan de venda: Tenda, Construindo Felicidade. Para quem, cara pálida?

“O POVO INDÍGENA ESTÁ COM OS NEGROS, ESTÁ COM OS POBRES, ESTÁ COM OS FAVELADOS, ESTÁ COM O RAPPERS. NÓS PRECISAMOS MUDAR NOSSO PAÍS, ESTAMOS À BEIRA DO COLAPSO FINAL. NÓS GUARANI ESTAMOS ALERTANDO ISSO HÁ MUITO TEMPO”

Sônia apresenta a luta Guarani para diverso coletivos da cidade de São Paulo

Sônia Barbosa (Ara Mirim), apresenta a luta Guarani para diversos coletivos de São Paulo, liderança Guarani, saudou coletivos de Rap, Saraus periféricos, coletivos LGBTQI+, movimentos de catadores de recicláveis, representantes do MTST, professoras de escolas públicas e tantas outras pessoas que se juntaram na ocupação Yari Ty na última quinta feira, 27/02. Os coletivos foram convocados pelos Guarani do pico do Jaraguá para colaborarem na luta contra um condomínio da Construtora Tenda a ser construído em território sagrado Guarani num terreno vizinho à Terra Indígena Jaraguá. Os participantes ouviram as lideranças Guarani e propuseram ações que dessem visibilidade à resistência Guarani na Ocupação Yari Ty. Jornalistas Livres

Construtora Tenda pretende construir 5 torres totalizando 396 apartamentos num terreno sagrado para os cerca de 800 Guarani que vivem ao redor do empreendimento em 6 aldeias da Terra Indígena Jaraguá. Surpreendidos pelo início inesperado das obras na última semana de janeiro os Guarani iniciaram a ocupação assim que  as primeiras árvores foram cortadas. Eles denunciam que o condomínio ameaça aproximadamente 4.000 árvores, além de cursos d’água, nascentes e animais que habitam a região. Como protesto a esse cenário de destruição estão construindo a Ocupação Yari Ty, um lugar de vida focado na preservação do meio ambiente. Os Guarani exigem que o terreno seja destinado à  construção de um parque e memorial Guarani aberto e formando um corredor verde para a cidade.  Nesse espaço aberto, eles poderão praticar e demonstrar suas práticas sustentáveis, como a criação de abelhas nativas, o desenvolvimento de uma agrofloresta, além da realização de formações em práticas agrícolas sustentáveis.

Ao invés de cimento e concreto, os Guarani agem para a construção de um espaço com floresta, alimento e cursos de água limpa que sirva como um corredor verde para a cidade. Eles mesmo já iniciaram o processo e nesse quase um mês de ocupação já foram plantadas 800 mudas de espécies nativas e uma horta de plantas medicinais. Além disso, um lago para a criação de peixes está sendo construído a partir de um trecho do Ribeirão das Lavras.

Lago sendo construído em área ameaçada pela construtora Tenda

O Jaraguá possui inúmeras nascentes de ribeirões que correm diretamente para o Rio Tietê. Se forem construídas, as torres da Construtora Tenda vão impermeabilizar toda uma grande área, fazendo com que a água que não for absorvida vá direto para o Rio Tietê, gerando alagamentos em toda cidade de São Paulo. O empreendimento tende a piorar a situação trágica que já presenciamos com os alagamentos de janeiro deste ano. 

No aspecto jurídico os advogados atentam para a ilegalidade da obra, por se tratar de empreendimento a menos de 8 quilômetros de distância de uma Terra Indígena, o que torna obrigatória a consulta prévia aos Guarani como pré-condição para o licenciamento das obras, como garante a Portaria Interministerial 60, de 2015. Além disso a consulta prévia aos povos é assegurada pela Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), da qual o Brasil é signatário e a área também é protegida como parte da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), desde 1994. Trata-se de um dos últimos pontos de Mata Atlântica da região.

A prefeitura tem sido evasiva diante da situação e mantém a autorização para a obra. A Construtora Tenda alega estar com todas as licenças ambientais. A Justiça de São Paulo autorizou a reintegração de posse e a PM afirma que esta deverá ser realizada até o dia 10 de março. Diante dessa situação David Karai Popygua, liderança Guarani, promete resistir de todas as maneiras.

É com o apoio de todas e todos habitantes da cidade que os Guarani pretendem barrar a reintegração de posse e garantir a criação do Parque Ecológico YARY TY (CEYTY) e Memorial da Cultura Guarani. Com a reintegração de posse agendada para 10 de março, essa semana é decisiva para a ocupação que construiu uma extensa programação para marcar a resistência com aulas de guarani, mutirões, oficinas e tantas outras atividades socioambientais. É uma ótima oportunidade para quem está interessado em conhecer a ocupação e colaborar com os Guarani. A ocupação é de fácil acesso de transporte público, está a 10 minutos de caminhada da estação Vila Clarice da CPTM e a apenas 5 estações do terminal Barra Funda pela linha 7-Rubi. Vale também assinar o abaixo assinado para a criação do Parque Ecológico (http://bit.ly/37YwRwb).

Além disso, todas as ações da ocupação estão sendo divulgadas nas páginas “Existe Guarani em Sp” (www.facebook.com/existeguaraniemsp/), “Tenonderã Ayru” (https://www.facebook.com/tenonderaayvu)  e da @lutaparquejaragua do Instagram (www.instagram.com/lutaparquejaragua)

#JARAGUÁÉGUARANI.

Programação ocupação/centro ecológico YARY TY segue até 11 de março.

Endereço: Rua Comendador José de Matos, 139 – Vila Clarice

Estação Vila Clarice da CPTM (linha 7- rubi)

Página do Evento: https://tinyurl.com/yx4465oz

Guaranize-se: A primeira palavra, Brô Mc´s, Jeguatá: Caderno de Viagem, Eu sou Guarani Kaiowá, Protagonismo indígena, Mapa Guarani Digital – Lançamento, Pico do Guarani, Índio? No Brazil? Nunca existiu?!?

20 ALIMENTOS FAZEM VOCÊ MAIS JOVEM!

Nesse vídeo Peter Liu compartilha os segredos dos 20 alimentos rejuvenescedores.

Confira a lista de baixo:

1, Salmão e Tilápia, ricos em omega-3, vitamina A, Cálcio, magnésio, zinco e fosforo, salmão silvestre oferece antioxidante natural ao seu corpo além do colágeno. Tilápia tem proteínas mais fácil de absorção para formar colágenos da sua pele.

2, Cebolinha, cebola e pepino. São colágenos vegetais mais potentes. Além de desinchar sua pele e fonte de ácido fólico.

3, Espinafre. O espinafre tem uma importante antioxidante Luteína que melhora seus olhos e a sua visão.

4. Cenoura. Maior reserva de beta carotena natural. Fonte de vitamina A para uma pele elástica e nova.

5. Iogurtes e probióticos incluindo Kerfir. São fontes de desintoxicação intestinal. Assim, promove uma limpeza na sua pele das manchas.

6. Café. Acelera todas metabolismo no seu corpo incluindo renovação celular. Café contem antioxidantes para pele saudável

7. Frutas Cítricas. Limão, laranja, são fontes de vitamina C importantes para fixar o colágeno alem de oferece ácido para melhorar absorção dos alimentos no estomago.

8. Frutas vermelhas contem licopeno como melancia, uva, morango, tomate. Eles protegem pele livre de radiação ultra violeta.

9. Folhas verdes. Fontes de ácido fólico, vitamina de rejuvenescimento.

10. OLEAGINOSAS, amêndoa, nozes, castanhas, avelã. essas frutas secas são fontes de proteína vegetal, colágeno vegetal. Faz sua pele mais jovem.

11. Abacate. Contem antioxidantes para pele, gordura saudável. fonte de colágeno vegetal.

12. Chocolate amargo. Antioxidante natural. Serotonina para ter mais disposição, motivação.

13. Chá verde

14. mamão

15. cogumelo

16.água de cóco

17. Algas

18, Gengibre

19. Chá de Gojiberry

20. Vinho seco

20 ALIMENTOS FAZEM VOCÊ MAIS JOVEM! – Peter Liu

Rejuvenize-se: Cursos de saúde da UFPB: Uso medicinal da maconha, Medicina fake, Medicinal Vibes, Pai da medicina egípcio, MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINE, quem sou eu com #60+, Abelha Mãe, What The Health