A Terceira Margem do Rio

A Terceira Margem do RioGuimarães Rosa

Nosso pai era homem cumpridor, ordeiro, positivo; e sido assim desde mocinho e menino, pelo que testemunharam as diversas sensatas pessoas, quando indaguei a informação. Do que eu mesmo me alembro, ele não figurava mais estúrdio nem mais triste do que os outros, conhecidos nossos. Só quieto. Nossa mãe era quem regia, e que ralhava no diário com a gente — minha irmã, meu irmão e eu. Mas se deu que, certo dia, nosso pai mandou fazer para si uma canoa. Projeto Releituras – Arnaldo Nogueira Jr

Era a sério. Encomendou a canoa especial, de pau de vinhático, pequena, mal com a tabuinha da popa, como para caber justo o remador. Mas teve de ser toda fabricada, escolhida forte e arqueada em rijo, própria para dever durar na água por uns vinte ou trinta anos. Nossa mãe jurou muito contra a idéia. Seria que, ele, que nessas artes não vadiava, se ia propor agora para pescarias e caçadas? Nosso pai nada não dizia. Nossa casa, no tempo, ainda era mais próxima do rio, obra de nem quarto de légua: o rio por aí se estendendo grande, fundo, calado que sempre. Largo, de não se poder ver a forma da outra beira. E esquecer não posso, do dia em que a canoa ficou pronta.Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras palavras, não pegou matula e trouxa, não fez a alguma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: — “Cê vai, ocê fique, você nunca volte!” Nosso pai suspendeu a resposta. Espiou manso para mim, me acenando de vir também, por uns passos. Temi a ira de nossa mãe, mas obedeci, de vez de jeito. O rumo daquilo me animava, chega que um propósito perguntei: — “Pai, o senhor me leva junto, nessa sua canoa?” Ele só retornou o olhar em mim, e me botou a bênção, com gesto me mandando para trás. Fiz que vim, mas ainda virei, na grota do mato, para saber. Nosso pai entrou na canoa e desamarrou, pelo remar. E a canoa saiu se indo — a sombra dela por igual, feito um jacaré, comprida longa.Nosso pai não voltou. Ele não tinha ido a nenhuma parte. Só executava a invenção de se permanecer naqueles espaços do rio, de meio a meio, sempre dentro da canoa, para dela não saltar, nunca mais. A estranheza dessa verdade deu para. estarrecer de todo a gente. Aquilo que não havia, acontecia. Os parentes, vizinhos e conhecidos nossos, se reuniram, tomaram juntamente conselho.Nossa mãe, vergonhosa, se portou com muita cordura; por isso, todos pensaram de nosso pai a razão em que não queriam falar: doideira. Só uns achavam o entanto de poder também ser pagamento de promessa; ou que, nosso pai, quem sabe, por escrúpulo de estar com alguma feia doença, que seja, a lepra, se desertava para outra sina de existir, perto e longe de sua família dele. As vozes das notícias se dando pelas certas pessoas — passadores, moradores das beiras, até do afastado da outra banda — descrevendo que nosso pai nunca se surgia a tomar terra, em ponto nem canto, de dia nem de noite, da forma como cursava no rio, solto solitariamente. Então, pois, nossa mãe e os aparentados nossos, assentaram: que o mantimento que tivesse, ocultado na canoa, se gastava; e, ele, ou desembarcava e viajava s’embora, para jamais, o que ao menos se condizia mais correto, ou se arrependia, por uma vez, para casa.No que num engano. Eu mesmo cumpria de trazer para ele, cada dia, um tanto de comida furtada: a idéia que senti, logo na primeira noite, quando o pessoal nosso experimentou de acender fogueiras em beirada do rio, enquanto que, no alumiado delas, se rezava e se chamava. Depois, no seguinte, apareci, com rapadura, broa de pão, cacho de bananas. Enxerguei nosso pai, no enfim de uma hora, tão custosa para sobrevir: só assim, ele no ao-longe, sentado no fundo da canoa, suspendida no liso do rio. Me viu, não remou para cá, não fez sinal. Mostrei o de comer, depositei num oco de pedra do barranco, a salvo de bicho mexer e a seco de chuva e orvalho. Isso, que fiz, e refiz, sempre, tempos a fora. Surpresa que mais tarde tive: que nossa mãe sabia desse meu encargo, só se encobrindo de não saber; ela mesma deixava, facilitado, sobra de coisas, para o meu conseguir. Nossa mãe muito não se demonstrava.Mandou vir o tio nosso, irmão dela, para auxiliar na fazenda e nos negócios. Mandou vir o mestre, para nós, os meninos. Incumbiu ao padre que um dia se revestisse, em praia de margem, para esconjurar e clamar a nosso pai o ‘dever de desistir da tristonha teima. De outra, por arranjo dela, para medo, vieram os dois soldados. Tudo o que não valeu de nada. Nosso pai passava ao largo, avistado ou diluso, cruzando na canoa, sem deixar ninguém se chegar à pega ou à fala. Mesmo quando foi, não faz muito, dos homens do jornal, que trouxeram a lancha e tencionavam tirar retrato dele, não venceram: nosso pai se desaparecia para a outra banda, aproava a canoa no brejão, de léguas, que há, por entre juncos e mato, e só ele conhecesse, a palmos, a escuridão, daquele.A gente teve de se acostumar com aquilo. Às penas, que, com aquilo, a gente mesmo nunca se acostumou, em si, na verdade. Tiro por mim, que, no que queria, e no que não queria, só com nosso pai me achava: assunto que jogava para trás meus pensamentos. O severo que era, de não se entender, de maneira nenhuma, como ele agüentava. De dia e de noite, com sol ou aguaceiros, calor, sereno, e nas friagens terríveis de meio-do-ano, sem arrumo, só com o chapéu velho na cabeça, por todas as semanas, e meses, e os anos — sem fazer conta do se-ir do viver. Não pojava em nenhuma das duas beiras, nem nas ilhas e croas do rio, não pisou mais em chão nem capim. Por certo, ao menos, que, para dormir seu tanto, ele fizesse amarração da canoa, em alguma ponta-de-ilha, no esconso. Mas não armava um foguinho em praia, nem dispunha de sua luz feita, nunca mais riscou um fósforo. O que consumia de comer, era só um quase; mesmo do que a gente depositava, no entre as raízes da gameleira, ou na lapinha de pedra do barranco, ele recolhia pouco, nem o bastável. Não adoecia? E a constante força dos braços, para ter tento na canoa, resistido, mesmo na demasia das enchentes, no subimento, aí quando no lanço da correnteza enorme do rio tudo rola o perigoso, aqueles corpos de bichos mortos e paus-de-árvore descendo — de espanto de esbarro. E nunca falou mais palavra, com pessoa alguma. Nós, também, não falávamos mais nele. Só se pensava. Não, de nosso pai não se podia ter esquecimento; e, se, por um pouco, a gente fazia que esquecia, era só para se despertar de novo, de repente, com a memória, no passo de outros sobressaltos.Minha irmã se casou; nossa mãe não quis festa. A gente imaginava nele, quando se comia uma comida mais gostosa; assim como, no gasalhado da noite, no desamparo dessas noites de muita chuva, fria, forte, nosso pai só com a mão e uma cabaça para ir esvaziando a canoa da água do temporal. Às vezes, algum conhecido nosso achava que eu ia ficando mais parecido com nosso pai. Mas eu sabia que ele agora virara cabeludo, barbudo, de unhas grandes, mal e magro, ficado preto de sol e dos pêlos, com o aspecto de bicho, conforme quase nu, mesmo dispondo das peças de roupas que a gente de tempos em tempos fornecia.Nem queria saber de nós; não tinha afeto? Mas, por afeto mesmo, de respeito, sempre que às vezes me louvavam, por causa de algum meu bom procedimento, eu falava: — “Foi pai que um dia me ensinou a fazer assim…”; o que não era o certo, exato; mas, que era mentira por verdade. Sendo que, se ele não se lembrava mais, nem queria saber da gente, por que, então, não subia ou descia o rio, para outras paragens, longe, no não-encontrável? Só ele soubesse. Mas minha irmã teve menino, ela mesma entestou que queria mostrar para ele o neto. Viemos, todos, no barranco, foi num dia bonito, minha irmã de vestido branco, que tinha sido o do casamento, ela erguia nos braços a criancinha, o marido dela segurou, para defender os dois, o guarda-sol. A gente chamou, esperou. Nosso pai não apareceu. Minha irmã chorou, nós todos aí choramos, abraçados.Minha irmã se mudou, com o marido, para longe daqui. Meu irmão resolveu e se foi, para uma cidade. Os tempos mudavam, no devagar depressa dos tempos. Nossa mãe terminou indo também, de uma vez, residir com minha irmã, ela estava envelhecida. Eu fiquei aqui, de resto. Eu nunca podia querer me casar. Eu permaneci, com as bagagens da vida. Nosso pai carecia de mim, eu sei — na vagação, no rio no ermo — sem dar razão de seu feito. Seja que, quando eu quis mesmo saber, e firme indaguei, me diz-que-disseram: que constava que nosso pai, alguma vez, tivesse revelado a explicação, ao homem que para ele aprontara a canoa. Mas, agora, esse homem já tinha morrido, ninguém soubesse, fizesse recordação, de nada mais. Só as falsas conversas, sem senso, como por ocasião, no começo, na vinda das primeiras cheias do rio, com chuvas que não estiavam, todos temeram o fim-do-mundo, diziam: que nosso pai fosse o avisado que nem Noé, que, por tanto, a canoa ele tinha antecipado; pois agora me entrelembro. Meu pai, eu não podia malsinar. E apontavam já em mim uns primeiros cabelos brancos.Sou homem de tristes palavras. De que era que eu tinha tanta, tanta culpa? Se o meu pai, sempre fazendo ausência: e o rio-rio-rio, o rio — pondo perpétuo. Eu sofria já o começo de velhice — esta vida era só o demoramento. Eu mesmo tinha achaques, ânsias, cá de baixo, cansaços, perrenguice de reumatismo. E ele? Por quê? Devia de padecer demais. De tão idoso, não ia, mais dia menos dia, fraquejar do vigor, deixar que a canoa emborcasse, ou que bubuiasse sem pulso, na levada do rio, para se despenhar horas abaixo, em tororoma e no tombo da cachoeira, brava, com o fervimento e morte. Apertava o coração. Ele estava lá, sem a minha tranqüilidade. Sou o culpado do que nem sei, de dor em aberto, no meu foro. Soubesse — se as coisas fossem outras. E fui tomando idéia.Sem fazer véspera. Sou doido? Não. Na nossa casa, a palavra doido não se falava, nunca mais se falou, os anos todos, não se condenava ninguém de doido. Ninguém é doido. Ou, então, todos. Só fiz, que fui lá. Com um lenço, para o aceno ser mais. Eu estava muito no meu sentido. Esperei. Ao por fim, ele apareceu, aí e lá, o vulto. Estava ali, sentado à popa. Estava ali, de grito. Chamei, umas quantas vezes. E falei, o que me urgia, jurado e declarado, tive que reforçar a voz: — “Pai, o senhor está velho, já fez o seu tanto… Agora, o senhor vem, não carece mais… O senhor vem, e eu, agora mesmo, quando que seja, a ambas vontades, eu tomo o seu lugar, do senhor, na canoa!…” E, assim dizendo, meu coração bateu no compasso do mais certo.Ele me escutou. Ficou em pé. Manejou remo n’água, proava para cá, concordado. E eu tremi, profundo, de repente: porque, antes, ele tinha levantado o braço e feito um saudar de gesto — o primeiro, depois de tamanhos anos decorridos! E eu não podia… Por pavor, arrepiados os cabelos, corri, fugi, me tirei de lá, num procedimento desatinado. Porquanto que ele me pareceu vir: da parte de além. E estou pedindo, pedindo, pedindo um perdão.Sofri o grave frio dos medos, adoeci. Sei que ninguém soube mais dele. Sou homem, depois desse falimento? Sou o que não foi, o que vai ficar calado. Sei que agora é tarde, e temo abreviar com a vida, nos rasos do mundo. Mas, então, ao menos, que, no artigo da morte, peguem em mim, e me depositem também numa canoinha de nada, nessa água que não pára, de longas beiras: e, eu, rio abaixo, rio a fora, rio a dentro — o rio.

Texto extraído do livro “Primeiras Estórias”, Editora Nova Fronteira – Rio de Janeiro, 1988, pág. 32, cuja compra e leitura recomendamos.

Tudo sobre o autor e sua obra em “
Biografias“.


A casa onde o escritor nasceu e cresceu, em Cordisburgo, interior de Minas Gerais, foi transformada, em 1974, em um museu e está aberta para a visitação do público. Além da própria construção, o visitante poderá encontrar artigos pessoais do escritor como peças do vestuário, livros, manuscritos, correspondências e documentos. Rebeca Fuks – Cultural Genialhttps://youtu.be/aye0VPN9B1YO filme dirigido por Nelson Pereira dos Santos, lançado em 1994, o longa metragem foi indicado ao prêmio Urso de Ouro no Festival de Berlim. O elenco é composto por grandes nomes como Ilya São Paulo, Sonjia Saurin, Maria Ribeiro, Barbara Brant e Chico Dias.https://youtu.be/c4psxfwA_A8O pesquisador professor doutor José Miguel Wisnik dedicou uma palestra a reflexão proporcionada pela leitura do conto A terceira margem do rio, de Guimarães Rosa. A aula quatro da série Grandes Cursos Cultura na TV apresenta uma leitura cautelosa e demorada da narrativa breve, ajudando o leitor a desvendar alguns dos mistérios centrais do conto.
Roze-se: Henry Thoreau, Dia Nacional do Samba, Clarice, Clarices, Tapera Taperá, Cultura Indígena e Fantasia, A Rainha de Maio, A arte de ler., Jesus era Peripatético.

LITERATURA INDÍGENA: POR ONDE COMEÇAR?

LITERATURA INDÍGENA: POR ONDE COMEÇAR? #AbrilIndigenaLit #1# – All About That Book

O #AbrilIndigenaLit vai dar dicas de livros para você começar a sua jornada na literatura indígena!

Compre com os links e apoie o canal!

NÓS: uma antologia de literatura indígena: https://www.livrariamaraca.com.br/pro…

Ideias para adiar o fim do mundo: https://www.livrariamaraca.com.br/pro…

Das coisas que aprendi: https://www.livrariamaraca.com.br/pro…

Lá não existe lá: https://amzn.to/340t94V

Ay Kakyri Tama: eu moro na cidade: https://www.livrariamaraca.com.br/pro…

Trail of Lightning: https://amzn.to/2w5E5Bz

As fabulosas fábulas de Iauareté: https://www.livrariamaraca.com.br/pro…

A caveira-rolante, a mulher-lesma e outras histórias indígenas de assustar: https://www.livrariamaraca.com.br/pro…

CONTATO: mayra@oxeconteudos.com.br

Podemos conversar sobre livros e outras coisas aqui também:

Goodreads: https://www.goodreads.com/maysigwalt

Skoob: http://www.skoob.com.br/perfil/may.si…

Instagram: @mayrasigwalt

Twitter: @mayrasigwalt

Comeze: Cultura Indígena e Fantasia, Reza a terra, A Rainha de Maio, Os Guarani convocam povo de SP para proteger Terra Indígena Jaraguá, Arrendamento de terras indígenas ilegal, Protagonismo indígena, O Brasil corre o risco de perder até 60 diferentes línguas indígenas, Primeiros brasileiros mortos, Radio Yandê, Querido professor, quem é indígena?, Manual sobre os usos de plantas amazônicas,  The Lone Ranger, A Invasão do BrasilOs índios nos gibis., Cavalo louco

Na Natureza Selvagem (spoiler)

A vida começa a acabar no momento em que você entra na escola. Com sorte, depois dela você vai para a faculdade, mesmo que ainda não tenha a menor maturidade para escolher uma carreira. Com mais sorte ainda, depois da faculdade você vai arranjar um emprego, mesmo que ainda não tenha a menor condição de saber o que está fazendo ali. Então você vai passar os seus anos sonhando com férias e se aposentar quando a melhor fase da vida tiver ficado pra trás. O roteiro do que esperam de você já está pronto: casar, ter filhos, pagar as contas, tentar juntar algum patrimônio, pensar no seu futuro, pensar no futuro da sua família, pagar previdência, planos de saúde e seguro de vida. Paralelamente a isso tudo, você precisa aproveitar a vida, viver intensamente, aproveitar cada segundo, carpe diem, para não sentir que viveu em vão. Então você preenche o vazio com viagens, sexo, filhos, animais de estimação, comida, futebol, filmes, sei lá. E mesmo se conseguir fazer tudo isso, sempre vai aparecer alguém para dizer que você jogou a sua vida fora, que poderia ter feito muito mais, que é acomodado, fraco ou pouco ambicioso. A pressão só aumenta. Nunca fica mais fácil. Renato Thibes

“Na Natureza Selvagem” conta a história real de Christopher McCandless (Emile Hirsch), o jovem que fugiu de casa depois da formatura, em 1990, para viver como um andarilho pelos EUA sob o codinome Alexander Supertramp, até morrer no Alasca dois anos depois. Sua trajetória foi contada no livro de mesmo nome de Jon Krakauer e adaptada para o cinema por Sean Penn. Um road movie de grandes paisagens e muita contemplação, montado com flashbacks, recortes, narrações, improvisos, quebras da quarta parede e citações — ele abre com um poema de Lord Byron sobre amar mais a natureza do que o homem e depois são citados Tolstoi, Thoreau e Jack London. Medium

O cantor Eddie Vedder, que compôs toda a trilha sonora do filme e deu voz ao interior do personagem, disse em uma entrevista que Alexander talvez fosse a última pessoa no mundo a querer ver sua trajetória transformada em algo comercial e trivial, mas que o filme conseguiu capturar a visão simbólica que o garoto tinha e repassá-la de maneira comovente e verossímil, importando-se mais em contar a verdade do que apenas em vender ingressos. Laís Dias – Super interessante

Selvazem-se: Faça uma EvoluçãoGlobal Citizen FestivalIsolamento Domiciliar, Covid-19Nise – O Coração da LoucuraAssédio moral (bullying, manipulação perversa, terrorismo psicológico).Top 50 Cover Songs from MoviesA pele que habitoJay and Silent BobJosé Mojica MarinsBesourinha

Contos Indianos

Várias tradições antigas usavam contos como método didático, pois facilitava a apreensão mais profunda das idéias. Nova Acrópole (Internacional) apresenta, através da palestrante Lúcia Helena Galvão alguns dos mais belos contos indianos.

Contos Indianos com comentários filosóficos da Prof. Lúcia Helena Galvão – YouTube

MÚSICA – Inn Lamhon Ke Daaman Mein, da trilha sonora do belíssimo filme indiano JODHAA ACKBAR.

INÍCIO DE CADA CONTO:

0:53 — Ações e destinos

10:05 — Tudo acontece para o melhor

16:45 — Onde estamos verdadeiramente

22:41 — Os sonhos do rei

34:04 — A pergunta de Ananda

38:40 — A dúvida de Narada

48:37 — O filósofo e o sábio

57:43 — Valmiki

Nova Acrópole (Brasil – Centro-Oeste, Norte e Nordeste, exceto Bahia) é uma organização filosófica presente em mais de 50 países desde 1957, e tem por objetivo desenvolver em cada ser humano aquilo que tem de melhor, por meio da Filosofia, da Cultura e do Voluntariado. Nova Acropole (Brasil – Sul, Sudeste e Bahia) – Publicado em 27 de jun. de 2017

Facebook: www.facebook.com/NovaAcropoleBrasil

Capitão Fantástico

Ben (Viggo Mortensen) tem seis filhos com quem vive longe da civilização, no meio da floresta, numa rígida rotina de aventuras. As crianças lutam, escalam, leem obras clássicas, debatem, caçam e praticam duros exercícios, tendo a autossuficiência sempre como palavra de ordem. AdoroCinema

Em uma clara inspiração ao filme e à história de Na Natureza Selvagem, nos divertimos e nos emocionamos com uma família que se recusa a ser retratada como “aberrações da natureza” ou “bichos do mato”. Apenas por uma opção de vida, percebemos, portanto, que não significa que seus filhos são menos educados do que aqueles que vão regularmente à escola. As crianças são estimuladas todo o tempo a desenvolver o senso crítico e a argumentação.

A família mora na floresta e rapidamente aprendemos a forma como eles vivem: caçam e plantam seus próprios alimentos, tocam instrumentos musicais, praticam esportes e outros treinamentos de resistência e condição física diariamente e são educados pelo próprio pai, o qual mantém este estilo de vida justamente para evitar que seus filhos sejam contaminados pela cultura consumista e materialista da sociedade urbana.

Qual pai ou mãe não se identifica com alguém que faz enormes sacrifícios, que às vezes carrega o fardo por errar ou tropeçar no meio do caminho, mas que sempre faz tudo em nome de seus filhos, para que eles tenham um futuro melhor e digno? Quem não quer proteger seus filhos dos males de uma sociedade falha e que se apresenta muitas vezes corrompida? Gabriella Tomasi – Cabine Cultural

Fantastique: Brazil, o filmeLavar as mãos (Mão)O Último Cine Drive-inPK12 MonkeysJay and Silent BobI, pet goat IIIdiocracyThe MartianRepo manOutro Olhar

Operaçao Bandeira Vermelha

Quando uma bandeira vermelha é colocada na praia os humanos somem. Nenhum humano significa nenhuma poluição que, por sua vez, significa que não há aquecimento global. Em não havendo aquecimento global não haverá Invasão Plâncton! A missão do trio é a de se livrar da bandeira vermelha para trazer os humanos e a poluição de volta à praia, de qualquer maneira. WIKIA PLANKTON INVASION

Yidio – Plankton Invasion

Contagion

“O cinema ainda estava em sua infância quando, em 1902, Georges Méliès lançou Viagem à Lua, usando o romance Da Terra à Lua, de Júlio Verne, como inspiração. Demoraria mais de meio século até que, em 1969, o homem de fato chegasse à lua a bordo da Apollo 11, no caso de um filme como Contágio, dirigido por Steven Soderbergh, não era uma questão de possibilidade, uma simples questão de tempo. Bem pouco tempo.” Gazeta do Povo

O escritor Scott Z. Burns, roteirista do filme, pesquisou diversas patologias ao longo de três anos, contando com a consultoria do Dr. Ian Lipkin, então professor de epidemiologia na Universidade de Columbia, na Escola Mailman de Saúde Pública. Assim nasceu o ficcional MEV-1, vírus altamente contagioso e mortal.

Contágio segue o rápido progresso de um vírus letal, transmissível pelo ar, que mata em poucos dias. Como a epidemia se espalha rapidamente, a comunidade médica mundial inicia uma corrida para encontrar a cura e controlar o pânico que se espalha mais rápido do que o próprio vírus. Ao mesmo tempo, pessoas comuns lutam para sobreviver em uma sociedade que está desmoronando. Medium

25 Things You Missed In Contagion

The Steven Soderbergh directed “Contagion” has been trending lately due to how the film deals with the possibility of a global health crisis. While some aspects of the film are right on the nose, it definitely exaggerates some aspects to make the movie more dramatic.

“Their goal was to try and really show people as accurate a picture that could be conjured, in hopes that it would motivate political leaders to get mobilized,” says Laurie Garrett, one of those health experts consulted by the filmmakers. New York Post

Garrett is a former senior fellow for global health at the Council on Foreign Relations who has been tracking outbreaks for decades. She published the bestselling book “The Coming Plague: Newly Emerging Diseases in a World Out of Balance” in 1994.

“We’ve generally seen a lot [of diseases] arising out of Asia because of the tremendous disruption in that part of the world,” Garrett says. “Bats and birds are deeply stressed because of deforestation and climate change.”

“I’ve been in more than 30 epidemics, and the same things happen over and over again,” Garrett says, argues that we had become complacent to the threat of a pandemic in part because modern history’s second-deadliest plague — HIV, which has killed 32 million — wasn’t treated as “a warning shot across the bow.” Instead, it was dismissed by many as a niche problem that only affected homosexuals.

Contagie-se: Macaé: cura tudo!?!Arango, cura câncer?!?As 11 ideias de negócio mais procuradas pelos brasileirosNanochip cura feridas e recupera órgãos usando células da pele“A minha especialidade é matar, não é curar ninguém”Prevenção curaPropriedades curativas do limão“Se for, vá na paz”

 

 

 

 

ImaginaC

ImaginaC, plataforma que dá voz e visibilidade às crianças na construção de um mundo melhor. Quando a violência deixa de dominar uma rua da cidade e dá espaço para crianças brincarem nela, é porque uma grande força entrou em cena. E não foi a polícia. Rede Nacional Primeira Infância

Nayana Brettas é uma socióloga, formada pela PUC SP com especialização na relação entre as crianças e a melhoria da vida nas cidades, e fundadora do ImaginaC. “A partir do olhar solidário e generoso das crianças, de seus sonhos e da imaginação única que possuem, surge um poder enorme de transformação e melhoria de nossas vidas. O problema é que ninguém as escuta”.

Em parceria com a empresa de impacto Rua Livre, de Marcos Dimenstein e Estêvão Romane, que há 4 anos realiza programas de ocupação e melhoria de vida no urbe, o conjunto de ferramentas chamado ImaginaC busca conectar e aproximar comunidades, famílias e escolas em torno das crianças na busca de uma vida melhor. Com a ajuda de aplicativos de celular, jogos para as escolas e famílias, programas de intercâmbio familiar e de cidades, além de uma agenda de comunicação positiva e de diálogo com o poder público, o programa é fruto de uma metodologia testada com sucesso em campo – no caso, o Glicério, bairro tradicionalmente violento de São Paulo que teve sua realidade mudada após a passagem do programa.

O programa, como diz a participante Thifanny Rodrigues, de 10 anos de idade, “não é só de brincadeira: é uma parte da nossa infância, que ajuda a gente a ficar mais disposta… É participar mais das coisas, gostar mais de escola, de estudar, da família”.

ImaginaC – Facebook

ImaginaC: Masaka Kids Africana, E você, o que pediria?, Suicide children, Algo Parecido, Fridays For Future, Bishop e o  “Oasis”, Felix Finkbeiner: Plant For The Planet, Flúor reduz o QI?

Cotação de histórias no Instagram

Acompanhem pelo Instagram alguns perfis que farão lives com contação de histórias para entreter as crianças durante a pandemia:

• Gira Cia Andante (a partir de quarta 18/3, diariamente às 16h)

http://www.instagram.com/giraciaandante

•Fafa Conta 10:30h (seg, qua e sex) e 16:30h (ter é qui).

https://instagram.com/fafaconta?igshid=t2fn2qnupqeg

•Mãe que lê 11:00h.

https://instagram.com/maequele?igshid=1tj1iqzc74as9

•Carol Levy as 11:30h.

https://instagram.com/carollevy?igshid=14yiw5frorjpy

•Marina Bastos as 12:30h.

https://instagram.com/marinabastoshistorias?igshid=fi0zcqwblr0z

•Camila Genaro 15h.

https://instagram.com/camila.genaro?igshid=1kski4hms7j55

•Fafá Conta.

https://instagram.com/fafaconta?igshid=t2fn2qnupqeg

•Marina Bigio.

https://instagram.com/marianebigio?igshid=14orckr43lfa6

Divulguem para outros mães e pais!

Takarazuka

Takarazuka, uma cidade com uma história peculiar e muito ligada à arte. Local onde se desenvolveu o talento de Osamu Tezuka, o pai dos mangás modernos, localizada na região de Osaka é famosa por um motivo: o Teatro Takarazuka! Blog do Japão

Um teatro bem peculiar, onde sua característica mais marcante é ser representado somente por mulheres, incluindo papéis masculinos (os otokoyaku 男役)!

Sua primeira apresentação foi em 1914, conseguindo ter prédio próprio em 1924. As peças costumam ser musicais originais ou adaptações de tramas e filmes ocidentais, como Guys and Dolls e Casablanca.

Após rígido processo seletivo, as aspirantes são contratadas e podem participar de uma das cinco trupes existentes, que se revezam ao longo do ano nas exibições do teatro. As tr2009upes são: Flor (花組), Lua (月組), Neve (雪組), Estrela (星組), e Cosmos (空組). A diferença consiste na importância e estilo das atrizes e o tipo de peça que costumam encenar.


As peças são completamente em japonês e não há guias em inglês para ajudar os espectadores não falantes da língua nipônica. A compra dos ingressos também é complicada, além de ser bem disputada.

O Teatro apresentou em 2009 uma peça baseada no jogo da Capcom, Phoenix Wright (aquele jogo do advogado).

Takarazukaze-ze: SUPER PROMOÇÃO EDSON NOVAES E JEUNESSE, LEADUniverCine, as mulheres no audiovisualEncontro Estadual de Mulheres IndígenasMulheres russas falam portuguêsMaior grafite do mundo feito por uma mulher acaba de ser inaugurado no Rio de Janeiro20 EASTER-EGGS E REFERÊNCIAS EM MULHER-MARAVILHA!

 

Memória Quântica made in Rusnet

Transmitir informação equacionando grandes distâncias com velocidade alta e curto período de tempo sempre foi um desafio em busca da internet perfeita. Uma equipe de cientistas chineses venceu mais uma etapa nessa direção ao enviar dados entre duas memórias quânticas a quase 50 quilômetros de distância, registrado por pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, marcou um novo recorde de distância no entrelaçamento de duas memórias quânticas. tecmundo

O experimento, apesar de lidar com conceitos ainda desconhecidos, foi relativamente simples. Duas estações idênticas foram montadas em um único laboratório, cada uma delas gerando fótons pelo uso de um laser atravessando uma nuvem de átomos de rubídio (pense no gato morto/vivo de Schrödinger).

Os fótons foram enviados para uma terceira estação, em um laboratório a 11 quilômetros de distância. Ali, instantaneamente, reproduziram na terceira nuvem a conexão de emaranhamento original das nuvens atômicas distantes. A ligação das duas nuvens originais foi transmitida então para outra nuvem, dessa vez, a 50 quilômetros.

O trabalho de Xiao-Hui Bao, Jian-Wei Pan e seus colegas, eles reconhecem, precisa ser aprimorado antes que se pense em criar um repetidor quântico (como um repetidor de sinal da internet). 

As autoridades do governo da Rússia anunciaram um investimento de RUB$ 50 bilhões (cerca de US$ 790 milhões) em um projeto de desenvolvimento de um computador quântico. Com o investimento, o país eslavo entra na disputa global pela supremacia quântica. As informações são da Nature. ComputerWorld

Os pesquisadores são capazes de manipular a física quântica para realizar cálculos muito complexos ou longos, que um computador tradicional sofre ou é incapaz de resolver. Os bits quânticos, ou qubits, como são chamados, são capazes de processar informações de uma forma exponencialmente mais rápida que os bits binários.

O protótipo de computador quântico russo tem um processador que opera com dois qubits. Diferente do computador quântico do Google que opera com 53 qubits.

“Infelizmente, as medidas tomadas pela Rússia são apenas mais um passo no crescente desmembramento da internet”, disse Alan Woodward, cientista da computação da Universidade de Surrey, no Reino Unido. BBC

A internet é composta por milhares de redes digitais pelas quais a informação viaja. Essas redes estão conectadas por pontos de roteamento de dados – e eles são, sabidamente, o elo mais fraco desta cadeia.

A terceira filha de Jang Ji-sung, Na-yeon, morreu repentinamente há quatro anos de um distúrbio incurável do sangue. BBC

O documentário, chamado “Meeting You” (Encontrando Você, em tradução livre), estreou em uma grande rede de TV, a MBC, e foi assistido por milhões de sul-coreanos.

A cena mais emocionante é quando mãe e filha “se reencontram”.

A recriação virtual de Na-yeon chega até Jang Ji-sung dizendo: “Mãe, por onde esteve? Você pensou em mim?”

Ela soluça enquanto tenta abraçar a imagem da realidade virtual de Na-yeon enquanto a equipe de produção de TV assiste.

Quantize-se: Reza quântica, Seres superiores existem?, Princípio do ou não, Segurança da informação, Humans, Neon, Starlink Musk Skynet, Robô em busca de liberdade, Perdido na traducão, A EVOLUÇÃO DOS ROBÔS.

José Mojica Marins

O cineasta e ator José Mojica Marins morreu em 19 de fevereiro de 2020, aos 83 anos, em São Paulo. Filho de um casal de artistas circenses, Mojica nasceu em São Paulo em 1936. Apaixonado por cinema e histórias em quadrinhos, ele ganhou uma câmera V-8 aos 12 anos, que usou para fazer seus primeiros experimentos cinematográficos. Em 1956 ele montou uma escola de atores e dois anos depois concluiu seu primeiro filme, “A Sina do Aventureiro”. History

A estreia do personagem no cinema aconteceu em 1963, em “À Meia-Noite Levarei Sua Alma”. No filme, o agente funerário macabro com unhas enormes aterrorizava uma pequena cidade enquanto buscava gerar o filho perfeito. O personagem voltou a aparecer em outros filmes de Mojica, como “Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver” (1966), “O Estranho Mundo de Zé do Caixão” (1967) e “Encarnação do Demônio” (2008). 

No início dos anos 1990, Mojica encarnou Zé do Caixão para apresentar o programa Cine Trash, da TV Bandeirantes, ganhando a admiração internacional de membros das bandas Ramones e White Zombie, entre outros artistas. Nos anos 2010, comandou o programa de entrevistas O Estranho Mundo de Zé do Caixão, na TV Brasil. Em 2015, um canal por assinatura fez uma minissérie biográfica sobre Mojica, intitulada Zé do Caixão, na qual o cineasta foi interpretado por Matheus Nachtergaele.

O grande mestre do cinema de terror brasileiro, mais conhecido como Zé do Caixão, nasceu em 13 de março de 1936, em São Paulo, segundo ele, uma sexta-feira 13, José Mojica Marins celebrizou no cinema brasileiro principalmente pelos seus filmes de terror, normalmente feitos com pouquíssimo orçamento e muita criatividade. Agência Brasil

O personagem, cujo nome real seria Josefel Zanatas, conhecido no exterior como Coffin Joe, era um agente funerário sádico, que vestia uma cartola e tinha unhas longas e a vontade de ser pai de uma criança perfeita.

Marins dirigiu 43 filmes e atuou em 64. Além do terror, gênero pelo qual foi mundialmente conhecido, Mojica também trabalhou com filmes de faroeste, drama, aventura e até filmes pornográficos. Seu primeiro longa foi A Sina do Aventureiro, de 1958.

Zé-se: Exame com uma gota de sangue, Dura, Eu, não, meu senhor, PLANKTON INVASION, Dinâmicos, Te desejo Vida, Besourinha, Jardim da Empatia, HAKUNA MATATALUMINESCE™CLARICE LISPECTOR DO SAMBA, CLARA NUNES.INEZITA BARROSOSAUDOSA MALOCA

Horas Iguais!!!

Desde a Grécia antiga, os números tornaram-se uma obsessão no estudo dos filósofos, que através da matemática, sempre tentaram explicar esse fenômeno. Um número não é tangível, mas ele existe. Alguém já viu o número 1 em essência, sabe como ele é? Horas Iguais – Luz da Serra

Os números são sagrados, pura divindade, são sinais de que o universo quer lhe dar um aviso importante para que você evolua mais depressa!

O que significa quando você sempre olha para o relógio nas horas iguais??? O que os números, esses mensageiros celestes querem lhe mostrar?

01:01 – Comece um novo projeto, abra espaço para o novo em sua vida. Faça alguma coisa nova! Talvez estudar uma nova língua, um novo corte de cabelo, uma viagem.

02:02 – Invista em novas amizades, novos relacionamentos, se sociabilize. Procure novos grupos e pessoas das suas áreas de interesse. Por exemplo, se você gosta de dançar, procure um grupo de pessoas que possuem afinidade com a dança.

03:03 – Equilibre a sua energia, encontre o caminho do meio, o seu centro. Pare de oscilar entre as polaridades + e -.  O centramento é seu maior aliado.

04:04 – Cuidado com o excesso de preocupações da vida material. Procure se organizar com uma lista de tarefas e pendências e alivie sua mente de preocupações. Preocupação não resolve problemas. Organização e ação sim!

horas iguais 04

05:05 – Saia do seu casulo e mostre-se para o mundo. Se você sofre de timidez, é hora de agir para trabalhar essa questão. Procure um bom terapeuta, faça práticas de expressão, como aulas de canto ou teatro. Saia da casca!

06:06 – A família é a união de espíritos, que se unem por laços cármicos e de afinidade. A felicidade da sua família não depende de você e a sua felicidade não depende deles. Dê limites aos seus familiares e preserve mais a sua intimidade. Nem tudo deve ser compartilhado onde há muito carma envolvido. Ame muito seus familiares, mas mantenha o equilíbrio entendendo que amar não é interferir no livre arbítrio alheio e reserve-se energeticamente.

07:07 – Você precisa se dedicar mais ao seu lado intelectual e procurar estudar mais. Encontre um assunto que você goste e esse estudo será prazeroso. O conhecimento não pode ser confundido com sabedoria, mas ele aniquila a ignorância. Em que ponto da sua vida você precisa estudar mais? Espiritualidade? Área Financeira? Relacionamentos??? Pense nisso!

08:08 – É hora de dar mais importância à sua organização financeira. Como está a sua prosperidade? Seu fluxo financeiro é equilibrado? Seu dar e receber estão na mesma proporção? Você é feliz e equilibrado nesta questão? Procure ajuda, pois a área financeira é uma das que mais facilmente se desequilibram.

09:09 – É hora de finalizar e colocar em prática os projetos que você começou e não terminou. Pense sobre eles, descarte aqueles que você definitivamente não quer mais e ponha em prática aqueles que você já começou.

10:10 – É hora de limpar o passado e se concentrar no momento presente. Limpe a estrada do seu passado e não olhe mais para trás. Comece organizando sua casa, seus armários, gavetas e tudo o que estiver bagunçado na sua vida. Faça uma triagem nas suas roupas, calçados, objetos, e liberte-se dos cacarecos, doando ou mesmo vendendo em sites de objetos usados. Deixe em sua casa somente aquilo que é utilizado. Juntar cacarecos tranca o fluxo de energia e cada vez mais você se torna um ser triste e preso ao seu passado. Não tem como o novo chegar se sua vida estiver entulhada de tranqueiras físicas e emocionais. Quando limpamos as físicas, as emocionais também sem limpam.

11:11 – É uma chamada urgente do plano espiritual para você  se espiritualizar e buscar um caminho que eleve seu espírito. São seus mentores dizendo que é hora de buscar desenvolvimento e consciência espiritual, antes que alguma doença se instale. É a última chamada para evoluir pelo amor. A próxima chamada será através da dor de uma doença grave.

12:12 – É o plano espiritual dizendo que você precisa de equilíbrio entre os corpos físico, emocional, mental e espiritual. É hora de parar, pensar e se conectar a Deus através da natureza, do estado contemplativo, do relaxamento, da meditação.

13:13 – Se você não buscar novidades na sua vida, a tendência é que você fique triste, melancólico e até depressivo. Procure novidades sempre! Novas músicas, novos sabores, novas cores…

14:14 – Nesse caso, é um “puxão de orelhas” mais forte no que se refere a sair do casulo. Você precisa se sociabilizar, se divertir, participar de algum grupo, fazer alguma atividade com mais pessoas.

15:15 – Pare de se preocupar tanto com o que as outras pessoas pensam a seu respeito. Tome suas decisões baseando-se nas suas vontades e não nas vontades dos outros. Faça suas escolhas de acordo com seus desejos! Liberte-se das opiniões alheias!!!

16:16 – Existem muitas maneiras de evoluir e aprender, mas três coisas sempre estão presentes nesse caminho: estudo/leitura, silêncio e resiliência. Pratique!!!

17:17 – Prosperidade não se trata somente de dinheiro, mas de ter abundância em todos os aspectos. Abundância de bons relacionamentos, felicidade, saúde e também dinheiro. Sem esses quatro elementos, nenhuma pessoa pode se considerar próspera.  Direcione seu foco para um estado de espírito próspero.

18:18 – É hora de colocar um ponto final em tudo o que atrapalha a sua vida! De pessoas que não agregam em nada até sapatos apertados! Chegaaaaa! Dê o seu grito de liberdade e mande embora tudo aquilo que lhe faz infeliz!

19:19 – Pense na sua missão de vida, reflita sobre ela! O que você veio fazer aqui na Terra? Em que assunto você pode se tornar um  ajudante de Deus para fazer um bom trabalho aqui no mundo? Em que área Deus pode contar com você? Você é um bom amigo, conselheiro, é bom na resolução de problemas? Se Deus lhe pedisse ajuda para tornar o mundo um lugar melhor, o que você poderia oferecer a ele?

20:20 – É hora de agir. Porque tanta lentidão? Você não nasceu com seus pés colados no chão. Levante-se daí e movimente-se em busca dos seus sonhos e objetivos!!! Faça alguma coisa agora, anote, crie um projeto!!! O sucesso é construído à noite! Vamos lá! Mãos a obra! Abandone a preguiça e recupere o tempo perdido com lamentações!

21:21 – É hora de ajudar outras pessoas a encontrarem um caminho de luz. Tem tanta gente precisando de ajuda neste mundo! Seja com um conselho, uma doação de dinheiro, de tempo, de carinho, você pode contribuir de alguma forma. Ajude alguém todos os dias. Seja gentil, caridoso! Tenha mais paciência! Leve mais amor para o mundo. Ele está dentro de você!

22:22 – Dê mais atenção para a sua saúde. Negligência com o corpo físico, que Deus lhe emprestou com tanto amor para que você pudesse evoluir aqui na Terra, gera um grande carma. Cuide-se. Alimente-se melhor, pratique alguma atividade física, melhore sua hidratação, durma bem, respire melhor… Liberte-se dos vícios emocionais (raiva, medo, mágoa, tristeza) pois eles geram doenças. É difícil ter sucesso na vida com um corpo debilitado pelas suas ações irresponsáveis!!!

23:23 – Você é muito mais do que você imagina. Exija mais dos seus potenciais. Você pode ir mais além. Muito mais.

00:00 – Você é a semente divina de um Deus ilimitado, poderoso e misericordioso. A árvore mora na semente. Sem semente não existe árvore. E você é uma semente que tem potencial para ser uma árvore com todos os dons de Deus. Apenas seja!

Você já parou para pensar que nós não estamos aqui por acaso? Você, sabe como permanecer no seu caminho de evolução espiritual?! 

Orgânico SimplesEspiritualize-se: O ( Pi ) π e o ( Phi ) Φ, 188, gratuito para o suicídio, Saudação Nazista, Algo Parecido, Orgânico Simples, Remédio caseiro para controle de pulgas, Jesus, O estranho!

Neon

A subsidiária da Samsung, STAR Labs, lançou oficialmente seu misterioso projeto “artificial humano”, o Neon. Inteligência Artificial

O neon são avatares digitais com semelhanças humanas animadas por computador, apelidado de “humano artificial” quanto Siri ou o holograma de Tupac.


Suas semelhanças são modeladas com humanos reais, mas geraram “expressões, diálogos e emoções” recém-geradas. Cada avatar (conhecido individualmente como “NEONs”) pode ser personalizado para tarefas diferentes e é capaz de responder a consultas com latência menor que alguns milissegundos.
Eles podem ser úteis em vários departamentos (Turismo e viagens). Esses seres virtuais podem ser ótimos representantes de clientes em campo. Eles também se apegam a essa coisa de empatia, em comparação com humanos reais que ficam confusos porque o cliente não está certo.
Esse pessoal do Neon precisará apenas de um cérebro e isso será fornecido por sensores, IA, software empresarial e gigantes da nuvem. Já existem partes suficientes para iterar os seres humanos digitais do Neon para os negócios.


NEON, our first artificial human is here. NEON is a computationally created virtual being that looks and behaves like a real human, with the ability to show emotions and intelligence.

Frank, Natasha, Hana. Not ‘Hey NEON.’ Not an AI assistant. Not an interface to the Internet. Not a music player. Simply, a friend. Friends, collaborators, and companions. They can connect and learn more about us, gain new skills, and evolve.

Inspired by the rhythmic complexities of nature and extensively trained with how humans look, behave and interact. Life moves in realtime. So does CORE R3, with latencies of less than a few microseconds.
Os humanos Neon não são robôs ou assistentes por voz como a Siri ou Alexa. Eles são, na verdade, simulações que aparecem em telas e aprendem sobre as pessoas para dar respostas inteligentes e realistas. Saori Almeida Mundo Conectado
os avatares não foram projetados como assistentes eletrônicos ativos 24h – eles podem “se cansar” e não estarão às ordens o tempo todo.

“Não queremos substituir empregos humanos, mas melhorar as interações com o atendimento ao cliente, para que os clientes sintam como se tivessem um amigo junto dos Neons.” – Samsung.

Neonze-se: </div> Matéria de Capa: Empregos no futuro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, Painéis Solares sem céu!, Dia da consciência negra e dos seres humanos, Bill Gates, Heliogen and combustões, IA – Indígena é Ateu? E os emojis com isso?, Inteligência digital plus Inteligência emocional, Aranha azul elétrica, besouro aquático e mais 30 novas espécies descobertas na Amazônia, Arte mecaniza vida?

Nikola Tesla

Quem fez a revolução elétrica no mundo?

O inventor passava suas tardes alimentando pombos nos parques da cidade. Suas convicções o fizeram adotar uma dieta estritamente vegetariana, composta principalmente por pão, mel e sucos de fruta.Quando morreu em 7 de janeiro em 1943, aos 86 anos, uma pequena multidão compareceu ao seu funeral, realizado na Cathedral of Saint John, the Divine. O reconhecimento que lhe foi negado em vida veio anos depois. Hoje, sua figura é símbolo da inovação científica e vários pesquisadores dão continuidade ao seu trabalho em diversas universidades. History


De origem sérvia, nascido no dia 10 de julho de 1856, o inventor se naturalizou cidadão norte-americano. Foi nos EUA que sua carreira deslanchou, mas suas ideias desagradavam os cientistas influentes. Nascido no finado Império Austro-Húngaro, onde hoje seria a Croácia, em 1856 durante uma tempestade de raios, segundo a lenda, teve seu primeiro contato com a eletricidade na Universidade de Praga onde estudou engenharia elétrica até o terceiro ano, desistindo depois de assistir às aulas.

Thomas Edison contratou Tesla para resolver problemas que ele estava tendo com corrente contínua em geradores e motores. Se Tesla resolvesse o problema ganharia cerca de 50 mil dólares – o que corresponderia a 1 milhão de dólares em valores atuais -, essa era a promessa. Quando Tesla consertou ou problemas de Edison e perguntou sobre seu dinheiro, recebeu a seguinte resposta: “Tesla, você não entende o humor americano”. Sim, para ele a promessa era uma piada e nunca foi paga.
Para termos luz na sala de casa hoje, segundo o sistema de Thomas Edison, precisaríamos de uma usina de energia elétrica a cada quilômetro quadrado. Inviável, certo? Já o sistema de Tesla usava cabos menores, alcançava maiores voltagens e podia transmitir energia elétrica a distâncias muito maiores. Assim começava a famosa Guerra das Correntes.
Você sabe quem inventou o rádio?

Quem realmente inventou esta e muitas outras coisas que se atribuem a diversas pessoas foi Nikola Tesla, o mesmo homem que possui desde uma unidade de medida para medir a densidade do fluxo magnético, uma cratera na lua, um asteroide, o maior prêmio de engenharia elétrica do mundo até um aeroporto, uma banda de heavy metal com o seu nome, um dia só seu (10 de julho, em diversos países), além de ser personagem do filme O Grande Truque e nomear a marca que promete um futuro verde ao mundo.

Tesla recebeu 1 milhão de dólares pela venda de suas patentes a George Westinghouse e mais US$ 2,50 dólares de royalties por HP gerado por suas invenções. Tesla começava a ficar rico e famoso, certo? Mais ou menos. Devido a jogadas mal planejadas, a Westinghouse ficou à beira de uma falência, e Tesla, não querendo que centenas de pessoas perdessem seus empregos, teve a grandiosidade de rasgar o contrato dos royalties, o que hoje valeria TRILHÕES de dólares.
Fonte: Nikola Tesla, o gênio mais injustiçado da história

se você ainda não entendeu ainda a importância de Tesla para nossas vidas e da sua genialidade, saiba que:

  • Foi o responsável pela construção da primeira hidroelétrica do mundo, nas cataratas do Niágara, provando a todos que a água era um meio prático de obter energia;
  • Conduziu experimentos com engenharia criogênica, quase meio século antes de sua invenção;
  • Patenteou mais de 100 inovações que foram usados na criação do transistor, aquela pecinha primordial que faz com que seja possível o computador moderno existir e você ler isso neste momento;
  • Foi a primeira pessoa a captar ondas de rádio do espaço, o que o torna, indiretamente, o pai da radioastronomia;
  • Descobriu a frequência de ressonância da terra, que só pode ser confirmada 50 anos depois, já que era muito avançado à época;
  • Desenvolveu uma máquina de terremotos que quase destruiu um bairro inteiro em Nova Iorque;
  • Inventou a poderosa Bobina de Tesla, que você pode não conhecer de nome, mas com certeza já a viu em algum lugar.
  • Conseguiu, na década de 90, reproduzir em seu laboratório o fenômeno conhecido como “Ball Lighting”, que consiste em uma luz que aparece na forma de uma esfera e viaja devagar enquanto plana a alguns pés do chão. É um fenômeno muito raro e até hoje os cientistas ainda não conseguiram replicar o feito em moderníssimos laboratórios;
  • Inventou o controle remoto, a luz de neon, motor elétrico moderno, comunicações wireless, e outras coisas que tornam nosso dia a dia mais prático e legal;
  • Inventou um raio da morte que poderia destruir o mundo caso caísse em mãos erradas. Parece ficção, mas não é, ao menos é o que diversas fontes juram. No entanto, destruiu o projeto antes dele vazar (alguns acreditam que o projeto está em posse do governo dos EUA, confira mais sobre isso, alguns parágrafos abaixo). O raio chegou perto de ser vendido para a Inglaterra por 30 milhões de dólares, durante a 2ª Guerra Mundial, mas foi desfeito nos últimos momentos. O próximo comprador seriam os Estados Unidos, porém, a reunião que daria desfecho à compra nunca ocorreu. Tesla morreria antes.

“Venho alimentando os pombos, milhares deles, há anos, mas havia um pombo, um pássaro bonito, branco puro com detalhes cinza claro em suas asas. Aquele era diferente… Não importa onde eu ia, aquele pombo iria me encontrar; quando eu queria ver ela só tinha que desejar e chamá-la para que ela viesse voando até mim… Eu amei aquele pombo… Eu a amava como um homem ama uma mulher, e ela me amava. Oficina da Net

Então, uma noite eu estava deitado na minha cama, no escuro, resolvendo problemas, como de costume, ela voou pela janela aberta e ficou na minha mesa. Eu sabia que ela me queria; ela queria me dizer algo importante, então eu me levantei e fui até ela. Quando eu a olhei eu sabia o que ela queria me dizer – ela estava morrendo. E então, eu saquei sua mensagem, vinha uma luz de seus olhos – poderosos feixes de luz… uma luz mais intensa do que eu já tinha produzido pelas lâmpadas mais potentes em meu laboratório.

Quando aquele pombo morreu, algo saiu da minha vida. Até aquele momento, eu sabia com certeza que iria completar meu trabalho, não importa o quão ambicioso fosse, mas quando algo como aquilo saiu da minha convivência eu sabia que o trabalho da minha vida tinha acabado”.

Teslaze-se: Carro da Tesla completa órbita ao redor do Sol, Tesla surf, Bobina de Tesla, Nikola Tesla, 900.000 km de elétrico, Blue Bug, Eneagrama: Os Centros

2020 eletrizante!

Os consumidores já mostraram que têm interesse neste tipo de combustível. Filipe Alves – 4gnews

Ainda que os carros elétricos estejam longe da perfeição, principalmente com o tempo de carregamento, acredita-se que o futuro seja promissor na área. Já são muitos os fabricantes a pensar lançar o seu modelo elétrico e como sempre, quanto mais concorrência melhor e mais barato o produto final será.

Os carros elétricos para 2020 para todos os gostos e feitios.

E E; Fiat 500e – ZEEV; Mini Cooper SE; Porsche Taycan; Citroen DS 3 Crossback E-TENSE; Peugeot e-2008; Peugeot e-208; Tesla Model Y; Volvo XC40 Recharge; Renault Zoe 2020; Seat Mii Elétric; Polestar 2; Audi e-Tron Sportback; Mazda MX-30; Lexus UX300e; Opel Corsa-e; Kia e-Soul 2020

Principais vantagens de um carro elétrico

  • O ambiente agradece com menos emissões de carbono
  • Condução mais silenciosa
  • Bom poder de arranque na maior parte dos casos
  • … .

Potenciais desvantagens de um carro elétrico

  • Poucos locais de carregamento
  • Demora no carregamento
  • Pouca autonomia (na maior parte dos casos)
  • Condução silenciosa pode ser uma desvantagem
  • Troca de bateria (pode ser necessário entre 3 a 10 anos)
  • Preço geralmente mais alto

Eletrize-ze: Conversão de veículos elétricos, Carro elétrico, 900 km com uma carga, Carro elétrico e a drogar da bateria, Itaipu E-400: o primeiro carro elétrico brasileiro

The Look

Roxette – The Look

Cold Case, ou Arquivo Morto para quem assistia na SBT, foi uma série criminal que estreou em meados de 2003. Tendo ao todo 7 temporadas, a série é muito cultuada pelos fãs e sua trilha sonora era uma verdadeira protagonista da série. Apaixonados por Séries
Para conferir a trilha sonora da 1°, 2° e 3° temporada clique aqui!
Walking like a man
Hitting like a hammer
She’s a juvenile scam
Never was a quitter
Tasty like a raindrop
She’s got the look
Heavenly bound, cause heaven’s got a number
When she’s spinning me around
Kissing is a colour
Her loving is a wild dog
She’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
What in the world can make a brown-eyed girl turn blue
When everything I’ll ever do I’ll do for you
And I go: La la la la la
She’s got the look
Fire in the ice naked
To the t-bone
Is a lover’s disguise
Banging on the head drum
Shaking like a mad bull
She’s got the look
Swaying to the band
Moving like a hammer
She’s a miracle man
Loving is the ocean
Kissing is the wet sand
She’s got the look
Walking like a man
Hitting like a hammer
She’s a juvenile scam
Never was a quitter
Tasty like a raindrop
She’s got the look
Heavenly bound, cause heaven’s got a number
When she’s spinning me around
Kissing is a colour
Her loving is a wild dog
She’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
What in the world can make a brown-eyed girl turn blue
When everything I’ll ever do I’ll do for you
And I go: La la la la la
She’s got the look
Fire in the ice naked
To the t-bone
Is a lover’s disguise
Banging on the head drum
Shaking like a mad bull
She’s got the look
Swaying to the band
Moving like a hammer
She’s a miracle man
Loving is the ocean
Kissing is the wet sand
She’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
What in the world can make a brown-eyed girl turn blue
When everything I’ll ever do I’ll do for you
And I go: La la la la la
She’s got the look
Walking like a man
Hitting like a hammer
She’s a juvenile scam
Never was a quitter
Tasty like a raindrop
She’s got the look
And she goes
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
She’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
She’s got the look, she’s got the look
What in the world can make a brown-eyed girl turn blue
When everything I’ll ever do I’ll do for you
And I go: La la la la la
She’s got the look
What in the world
Can make you so blue?
When everything I’ll ever do
I’ll do for you
And I go: La la la la la
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
She’s got the look
And she goes
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
She’s got the look
She’s got the look
And she goes
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
She’s got the look
She’s got the look
And she goes
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na

UniverCine, as mulheres no audiovisual

Esta edição do UniverCine reflete a presença das mulheres no mercado audiovisual. Dados da ANCINE mostram que, entre 2007 e 2015, as mulheres representaram 40% da força de trabalho no audiovisual, mas receberam 13% a menos que os homens.

A partir de números que mostram tamanha diferença, convidamos algumas mulheres para falar sobre a importância da igualdade e do reconhecimento nessa área.

Univercine-se: Meu nome é cinema, Piratas do Tietê vão invandir os cinemas, Filmografia dos carros do cinema, Spcine, Colegas