Novos negócios com potencial de ganhos milionários

Estamos falando de novos negócios com potencial de ganhos milionários. Em alguns casos, bilionários. Saiba que na semana passada a GM divulgou aos investidores seu planejamento estratégico para a próxima década, no qual assumiu que seus veículos conectados e novos negócios vão gerar mais de US$ 80 bilhões por ano em 2030.

Autopapo apresenta alguns dos empreendimentos que vão se popularizar em breve entre as principais marcas de veículos e não se surpreenda por não encontrar na lista a modalidade de carro por assinatura, já uma realidade no Brasil, onde quase uma dezena de marcas oferece essa modalidade.

1. Direção autônoma

A GM já disse que pretende faturar US$ 50 bilhões anuais em 2030 com sua empresa Cruise. Começará oferecendo a partir de 2023 um novo recurso para seus carros (poderá vir de fábrica ou ser adquirido após a compra) que vai permitir ao motorista tirar as mãos do volante em 95% das condições de uso em cidade ou estrada – deve, assim, superar o tão aclamado Autopilot, da Tesla.

O próximo passo é entregar em menos de 10 anos até 1 milhão de unidades do veículo Origin, que vai transportar passageiros pelas cidades sem usar motorista. O custo da viagem cairia dos atuais US$ 5 por milha em carros de aplicativo para US$ 1,50.

A Ford planeja colocar 1.000 carros autônomos para rodar em várias cidades americanas nos próximos cinco anos em parceria com a Argo AI, a mesma startup que também vai ajudar a Volkswagen a construir seu negócio de autônomos.

Esse é um segmento que envolve investimentos tão gigantescos, riscos tão grandes e uma expertise tão complexa que até empresas que atuam em transporte de passageiros ou compartilhamento de carros estão caindo fora.

No fim do ano passado, a Uber vendeu sua divisão interna de direção autônoma para a startup Aurora, que já fechou parcerias com Toyota e Hyundai. Em abril, foi a vez da Lyft, que repassou o mesmo departamento para uma subsidiária da Toyota por US$ 500 milhões.

2. Softwares e personalizações do veículo 

A Volkswagen inaugurou em setembro seu serviço de atualização à distância para os elétricos ID.3 e ID.4 – modelos que devem ser lançados no Brasil nos próximos anos – e que mais tarde será estendido aos novos modelos da marca.

Além de permitir corrigir automaticamente problemas no carro ou baixar novas versões dos sistemas eletrônicos que gerenciam o veículo, a inovação abre caminho para serviços que serão pagos à parte ou até mesmo em forma assinatura recorrente. Será possível desbloquear recursos pré-instalados e solicitar recursos adicionais, de aquecimento dos bancos a sistemas de navegação.

A marca alemã não esconde que espera que esse serviço se torne um negócio altamente lucrativo dentro de alguns anos, inspirado no trabalho pioneiro da Tesla, que há anos disponibiliza nos seus veículos itens como aumento da autonomia da bateria ou um pacote avançado do Autopilot, um opcional que já custou US$ 8 mil para ser baixado.

A GM já deixou claro que vai estrear em 2023 sua plataforma de software veicular chamada Ultifi, faz parte de uma estratégia “para aumentar a receita além das vendas de veículos”, já que o motorista poderá assinar serviços de streaming, baixar personalizações do veículo – que poderão ser transferidas de um carro para o outro, como fazemos hoje quando trocamos de celular – e até comprar aplicativos de terceiros, que deixarão uma porcentagem dessa venda no bolso da GM e que atenderá tanto automóveis a combustão quanto elétricos.

3. Seguro sob medida

A OnStar Insurance da GM, promete revolucionar esse setor com um formato inovador.

A nova seguradora vai possibilitar ao proprietário comprar o seguro diretamente da montadora por valores mais baixos, desde que ele dirija com segurança. O segredo estaria num sistema que analisa à distância o comportamento do motorista para elaborar uma apólice personalizada.

A Tesla já fazia isso antes, mas o seu é do tipo convencional, disponível só no da Califórnia e apenas para seus próprios veículos. A OnStar Insurance vai mais longe, pois oferece seu seguro a veículos de qualquer marca, inclusive caminhões.

4. Postos de recarga

Na medida em que mais carros elétricos chegam às ruas, mais pontos de recarga são necessários, especialmente nos Estados Unidos e na Europa. Uma parte dessa infraestrutura está sendo criada pelos governos locais, enquanto a outra está a cargo da iniciativa privada. É aí que entram as montadoras, que já perceberam que esse pode se tornar um novo negócio.

A Tesla já é dona da Supercharger, uma rede que foi criada em 2012 e hoje conta com mais de 25 mil carregadores em mais de 2,7 mil estações próprias espalhadas pelo mundo. No momento, todas são exclusivas para os automóveis da marca, mas isso está para mudar.

A Volkswagen também atua nessa área, mas escolheu um modelo um pouco diferente. Como compensação pelo escândalo do Dieselgate, a companhia montou em 2017 a subsidiária Electrify America. É uma rede com cerca de 600 estações e 2,6 mil pontos de recarga que formam uma rota rodoviária que atravessa o país de Leste a Oeste e, ao contrário da Tesla Supercharger, é aberta a veículos de qualquer marca.

Mecânica elétrica universal, barata e utilizável

Com diferentes ideias presentes para converter um veículo usado em um com uma mecânica diferente, surgiram diversos projetos para transformar um veículo normal em um carro elétrico, e aí apareceu esse pequeno motor. É um sistema de propulsão de veículo elétrico portátil HPD de alta densidade. O objetivo é oferecer uma mecânica elétrica universal, barata e utilizável. Uplink

O HPD 80 kW, da britânica Swindon Powertrain. Isso permite sua transformação com um único sistema de propulsão. O melhor de tudo é que ele pode acomodar quase qualquer tipo de veículo e mecânico, de comerciais leves a carros esportivos e carros.

É um motor que pela unidade de 80kW custa 7.138 euros + IVA (cerca de 44 mil reais), com transmissão e um diferencial. Com diferentes opções de resfriamento, inclui cabeamento de até um metro e uma transmissão de velocidade única à qual um diferencial de deslizamento limitado pode ser adicionado.

Na verdade, o trem de força elétrico é menor do que o proposto originalmente, com uma largura de 441 mm e um comprimento de 384 mm. Apresentado em 2019 e em uso desde agosto de 2020, foi sendo aprimorado ao longo do tempo, atingindo as condições atuais mais avançadas.

Relativamente à sua construção, destaca-se que a corrente cinemática foi desenvolvida em cooperação com o fabricante de motores elétricos iNetic e a empresa de engenharia Code.

Ele tem uma potência de 80kW, pouco menos de 110 cv e um torque de 136 Nm e é capaz de girar a 10.500 rpm. Embora sejam cifras modestas, a verdade é que seu peso reduzido, abaixo de 50 quilos, permite que tenha um bom desempenho. Seu funcionamento é baseado em sistema de ímã permanente brushless e é oferecido com diferencial aberto, transmissão e um metro de cabo.

Tudo isto significa que pode equipar uma vasta gama de veículos, podendo ser opcionalmente impermeabilizada. Também pode ser aplicado a modelos clássicos. Graças ao seu pequeno tamanho, pode ser colocado no eixo dianteiro, atrás, em ambos para ter tração nas quatro rodas … ou ainda complementá-lo com o motor de combustão, e assim obter um veículo híbrido com boas características e desempenho .

Já à venda e em uso, o objetivo desta proposta é ter um motor “relativamente barato” (não para o nosso país) com uma infinidade de aplicações para fabricantes com poucos recursos ou mesmo indivíduos . “Com este motor ficou mais fácil do que nunca para qualquer pessoa converter um carro, caminhão ou até quadriciclo em elétrico”, confirmam da própria empresa.

Eletrize-se: Carro elétrico gastando R$3 mil, FUI A EXPOSIÇÃO DE CARROS CLÁSSICOS!, Alugar ou Comprar um Carro?!?, Motor elétrico para carros que pode ser instalado nas rodas dos veículos

O eVTOL da EMBRAER

O eVTOL da EMBRAER – Muito mais que um CARRO VOADORAero Por Trás da Aviação

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Avantto, líder no ramo de compartilhamento de aeronaves no Brasil, assinaram uma Carta de Intenções e anunciaram hoje uma parceria destinada ao desenvolvimento do ecossistema de Mobilidade Aérea Urbana (UAM, sigla em inglês) na América Latina. Essa parceria inclui um pedido de 100 aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL) da Eve, bem como uma colaboração para desenvolver uma nova operação do veículo aéreo no Brasil e em toda a América Latina. As entregas devem começar em 2026. Carlos FerreiraAeroin

“Há mais de uma década, a Avantto desenvolve softwares, sistemas e procedimentos que permitem oferecer serviços de transporte de helicóptero em áreas urbanas e de curta distância sob medida, 24 horas por dia, 7 dias por semana, para centenas de seus membros ativos. Esse conhecimento exclusivo será um dos principais pilares do ecossistema de mobilidade aérea urbana desenvolvido pela parceria Eve/Avantto”, explica Rogério Andrade, CEO e fundador da Avantto.

Paralelamente, o projeto de Gestão do Tráfego Aéreo Urbano da Eve alcançou um novo marco em sua colaboração com a Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido (CAA, sigla em inglês), para desenvolver um ambiente escalável necessário para hospedar voos da UAM.

A Honda está oficialmente se juntando ao grupo de desenvolvedores eVTOL, confirmando os planos de uma aeronave híbrida-elétrica para transporte interurbano de longo alcance. A montadora revelou seu conceito eVTOL em 30 de setembro, junto com detalhes de um robô avatar e novas tecnologias espaciais .

Em um comunicado à imprensa, a Honda disse que a aeronave apresentará uma unidade de energia híbrida de turbina a gás para permitir o transporte entre as cidades, não apenas dentro delas. A empresa afirma que o único caso de uso “realista” para táxis aéreos totalmente elétricos hoje é o transporte intra-cidade, devido às limitações atuais da bateria.

Estamos desenvolvendo nosso eVTOL (Veículo elétrico de pouso e decolagem vertical) com uma abordagem única: combinando inovação disruptiva e uma filosofia de design centrada no usuário, juntamente com os mais altos níveis de padrões de segurança e os 50 anos de excelência em engenharia da EMBRAER.

EMBRAERze-se: Invenções Geniais Que Provam Que Você Está Vivendo No Futuro, eBussy, os Carros Modulares chegaram!, Society 5.0, Quem disse que não dá, surpreendentes usbs xtreme, Dolly vai a luta, WEG: A Gigante do Brasil

1955 Porsche 356 Pre-A Speedster Full Restoration

1955 Porsche 356 Pre-A Speedster Full Restoration | Classic FabricationsClassic Fabrications

In this video, we show you a major 3 year restoration of a 1955 Porsche 356 Pre-A Speedster. This vehicle came to us from Switzerland in a very bad state (a lot of people would consider it too far gone) but we were confident that we could bring this iconic Porsche back to its former glory.

This video details all of the major metal, engine, transmission and paint work completed to the vehicle and shows the extensive changes made to the body in order to be correct to the original dimensions of a Pre-A Speedster.

A large amount of original parts were sourced for this car from all over the world in order to keep the maximum originality possible, a true no expense spared restoration.

The large majority of this project was completed solely in house by our specialist team and all metalwork was completed by Steve Kerti, Owner of Classic Fabrications and Porsche Specialist.

Porze-se: FUI A EXPOSIÇÃO DE CARROS CLÁSSICOS!, FERRO VELHO DE MINIATURAS, COMO CONSTRUIR UM MOTORHOME, DIA NACIONAL DO FUSCA, PARABÉNS!!!, Fusca Azul, a chegada, Restoration VW Monster Beetle Classic – Off Road Bug, Old Porsche 356b cabrio in ICE Restoration

WEG: A Gigante do Brasil

WEG: A Gigante do BrasilElementar

Chamada de fenômeno da bolsa em 2020 e fábrica de bilionários, a WEG é uma empresa que lidera a transformação energética no Brasil e no mundo. Mas como exatamente que a WEG surgiu? E qual a importância dela no cenário mundial atual?

WEG

Conheça nossas soluções com máquinas elétricas, automação e sistemas de energia para a indústria e descubra como os nossos negócios se interligam para melhorar sua empresa. WEG

Empresas do Grupo WEG

WEGze-se: GURGEL MOTORES: O LEGADO, A Incrível História de Elon Musk!, A SURPREENDENTE HISTÓRIA DA DOLLY, Observar e Absorver, IBMEC: 10 cursos gratuitos com certificado, Onde estudar maconha medicinal?!?

Motorista de ônibus de bike!?!

Kwai

De acordo com o Art. 201 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), motoristas de veículos automotores devem respeitar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros (1,5m) ao passar ou ultrapassar um ciclista.

“Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito:
(…)
XIII – ao ultrapassar ciclista:
Infração – grave;
Penalidade – multa.”

O que o Código de Trânsito diz sobre bicicletas e ciclistas.

Com o objetivo de conscientizar seus motoristas de uma maneira prática sobre os riscos de não respeitar a distância mínima de rodagem em relação aos ciclistas, uma empresa de San Luis, no México, resolveu realizar um treinamento diferente. Jornal do Caminhoneiro

MOTORISTA DE ÔNIBUS X BIKESaint Clair CICLISTA

Motoristas de ônibus em treinamento sentido na pele o que passa o ciclista quando ele passam em velocidade por eles.

Uma das maiores empresas de ônibus do Grande Recife, a Itamaracá, realizou um treinamento prático colocando os motoristas em bicicletas, enquanto os coletivos tiravam “fino” deles (ou “fina”, dependendo do lugar do Brasil onde você está). “A proposta é sensibilizar os condutores da nossa equipe de motoristas para uma boa convivência com os ciclistas”, conta Maria Amélia, diretora da empresa. Vá de Bike

Motoristas de ônibus vivem dia de ciclistas em treinamentoDiário de Pernambuco

Os motoristas de ônibus tiveram a oportunidade de se colocar no lugar dos ciclistas que enfrentam, diariamente, o trânsito da Região Metropolitana do Recife (RMR).

O treinamento foi realizado durante a SIPATMA, Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho e Meio Ambiente, em 2013. A atividade prática foi uma sugestão da Ameciclo – Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife.

Entrevista com motoristaRoberta Soares

Para aproximar motoristas de ônibus e ciclistas a empresa Itamaracá, uma das maiores do Grande Recife, realizou um treinamento prático colocando os motoristas para pedalar, enquanto os coletivos tiravam fino deles.

Entrevista com diretora da Itamaracá

“Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
(…)
§ 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.”

Motoristas de ônibus no papel de ciclistas3

Buze-se: Toda bike importa, Industria da multa, Capivaras na faixa!?!, Seguro e certeiro?!?, Bike or die!

A Incrível História de Elon Musk!

A Incrível História de Elon Musk [De 0 a 200 BILHÕES]!Buyandhold Brasil

Em 2020, enquanto o mundo sofreu com a pandemia e milhões de pessoas ficaram sem empregos, Elon Musk ganhou mais de 150 bilhões de dólares, se tornando o homem mais rico do mundo. Ele ganhou, em média, 410 milhões de dólares por dia, durante todos os dias do ano. E quando isso foi divulgado, a sua resposta foi apenas “Que estranho! Bem, de volta ao trabalho.”

O que fez alguém ganhar mais de 150 bilhões em um ano em que a maioria está se tornou mais pobre? Essa a primeira parte de dois vídeos em que Buyandhold Brasil conta sobre como Elon Musk se tornou um dos empreendedores mais inovadores desse século. Mas antes de entender como, primeiro eu quero contar a sua história.

0:00:00 Introdução

0:01:16 Infância

0:03:54 Canadá

0:06:12 ZIP2

0:07:43 PayPal

0:09:59 SpaceX

0:12:08 Tesla e Solar City

0:15:14 The Boring Company, OpenAI, Neuralink e Hyperloop

0:16:14 Conclusão

0:19:13 Agradecimento

Muskze-se: O QUE ELON MUSK DISSE SOBRE NIKOLA TESLA É REVOLTANTE!, GURGEL MOTORES: O LEGADO, Carro da Tesla completa órbita ao redor do Sol, Starlink Musk Skynet, LIVE: STARMAN DRIVING IN SPACE

Lightyear One

Lightyear One is a long range solar electric vehicle designed to be grid independent and to drive anywhere. Its unique vehicle architecture and technology have been developed with high efficiency in mind, allowing Lightyear One to consume only 83 Wh/km — two to three times less energy than any other electric vehicle on the market today. This results in an exceptional range of 725 km (WLTP) with the lowest emissions, the lowest charging frequency and 7,000 to 20,000 kilometres of free, effortless and clean solar range every year.

A fabricante de pneus Bridgestone anunciou uma parceria com a Lightyear, uma empresa de veículos da Holanda, para o desenvolvimento exclusivo de pneus para o Lightyear One, o primeiro carro elétrico movido a energia solar de longo alcance. A data prevista para ser lançado é no final de 2021 no mercado europeu.

No lado externo, o Lightyear One é totalmente focado na aerodinâmica. Sua carroceria traz traços futuristas, com painéis de energia solar que vão do capô até a parte traseira. Por dentro, o carro elétrico conta com linhas minimalistas, com acabamento em tecidos e madeiras. Ele possui também um painel de instrumentos digital, uma central multimídia com suporte à funções como Apple CarPlay e Android Auto.  Valdemar Medeiros – Click Petróleo e Gás

Para possuir tão grande autonomia, o veículo possui quatro motores elétricos, um em cada roda, e uma vetorização de torque avançada. A empresa não revelou muitos detalhes sobre o carro elétrico, mas garantiu que os motores elétricos permitem que o modelo tenha uma aceleração de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos.

A bateria de 60 kWh pode ser recarregada por meio de um carregador ou através da energia solar. A montadora promete uma autonomia de 725 km e, em termos de energia, uma eficiência três vezes maior do que os carros elétricos que estão no mercado atualmente.

Para alcançar todo esse feito em autonomia, até os pneus do carro elétrico são feitos de forma especial. Os pneus Turanza Eco, projetados pela Bridgestone, oferecem uma baixa resistência ao rolamento e contam com um peso menor, para que a vida útil da bateria seja preservada e que o veículo garanta uma maior economia. Para que o peso do pneu fosse reduzido, foram utilizadas tecnologias como Enliten e Ologic.

A Lightyear foi fundada por um grupo de ex-alunos da Universidade de Eindhoven, na Holanda, que venceram a corrida do World Solar Challenge com seus carros solares, batizados de “Stella”. Esses veículos foram realmente capazes de gerar mais energia em seus painéis solares, do que consumiram em média, o que significa que você pode terminar uma jornada com mais carga do que quando começou. Olhar Digital

Porém ainda há o desafio de se tornar acessível para todos, uma vez que seu preço de reserva deverá variar entre R$ 700 mil a R$ 900 mil e será lançado primeiramente na Europa. Engenharia Hoje

Oneze-se: Van movida a energia solar ou com banheiro?!?, Fusca híbrido, eBussy, os Carros Modulares chegaram!, BATERIA ULTRA QUICK, Fisker Ocean 2020, Empoderamento dos recursos

Como o Robô da Tesla Vai Mudar Nosso Mundo?

Como o Robô da Tesla Vai Mudar Nosso Mundo?Inventores do Futuro

O Tesla bot será o robô humanóide da Tesla. E por isso nesse vídeo eu vou falar a minha opinião sincera sobre o futuro dessa tecnologia e quais os impactos que ela trará para nossas vidas. A verdade é que o que foi anunciado no Tesla AI day pode trazer consequências avassaladoras para a forma como nós interagimos com o que está ao nosso redor e eu vou te explicar o porquê.

Prepaze-se: AMAZON APRESENTA TÁXI ROBÔ, Robôs do Face criam língua própria – mas calma, não é a revolução das máquinas, Como Fazer um Robô, A evolução dos robôs., Humans

Restoration VW Monster Beetle Classic – Off Road Bug

Restoration VW Monster Beetle Classic – Off Road BugRestoration

A Monster Classic Beetle for Absolute Off-Roading ! About the Car : The Volkswagen Beetle—officially the Volkswagen Type 1, informally in German the Käfer (meaning “beetle”), in parts of the English-speaking world the Bug and known by many other nicknames in other languages—is a two-door, rear-engine economy car, intended for five occupants (later, Beetles were restricted to four people in some countries), that was manufactured and marketed by German automaker Volkswagen (VW) from 1938 until 2003.

The need for a people’s car (Volkswagen in German, and in the English-speaking world in the early 20th century as “folks’ wagon”), its concept and its functional objectives were formulated by the leader of Nazi Germany, Adolf Hitler, who wanted a cheap, simple car to be mass-produced for his country’s new road network.

FERRO VELHO DE MINIATURAS, Wellcome Boxerville (Adulto), CUPINS DE FERRO, Rolê De Natal Volks Club Mooca, FUSCA ACELERADOS, Fusca Azul, a chegada

5 acessórios que brasileiro adora, mas não deveria instalar no carro

Utilizar acessórios fora das especificações autorizadas ou vetados rende prejuízo e dor de cabeça: na maioria dos casos, a prática é tipificada como infração grave, com acréscimo de cinco pontos no prontuário da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), multa de R$ 195,23 e retenção do veículo até a sua regularização. Alessandro Reis – Uol

A mesma penalidade é aplicável em caso de alterações nas características originais não autorizadas, que exigem a emissão do CSV (Certificado de Segurança do Veículo), expedido mediante vistoria por instituição técnica credenciada.

De posse do CSV, é necessário requerer novas vias do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo), o documento de porte obrigatório, e do CRV (Certificado de Registro do Veículo), o documento de compra e venda.

Confira cinco exemplos de acessórios proibidos.

1 – Engate em carro incapaz de tracionar reboque

Vale esclarecer que engate não é equipamento de proteção contra batidas. Além disso, nem todos os automóveis estão habilitados a receber o item, pois não têm capacidade para tracionar reboques.

Também podem perder a garantia de fábrica.

O uso de engate por veículos leves é regulamentado pela Resolução 197 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

“Essa regulamentação não proíbe engate para fins estéticos. Se o equipamento atender os requisitos legais e o veículo possuir capacidade de tração de reboque, não há como coibir sua utilização”, informa Marco Fabrício Vieira, conselheiro do Cetran-SP (Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo) e autor do livro “Gestão Municipal de Trânsito”.

2 – Película G5

A Resolução 254 do Contran exige que os vidros do veículo tenham uma transparência mínima – com ou sem a aplicação de película.

O para-brisa incolor tem de apresentar transparência de pelo menos 75% e o colorido, de 70% – o mesmo percentual vale para os vidros laterais dianteiros.

No caso dos vidros traseiros, estes podem ser mais escuros: pelo menos 28%, desde que o carro seja equipado com retrovisor externo no lado direito.

O percentual deve obrigatoriamente estar gravado em cada película, geralmente precedido pela letra G. As películas também têm de trazer o nome da empresa fabricante e exibir o selo de homologação pelo Inmetro.

Uso de película ilegal é infração grave, que prevê retenção do veículo para regularização.

3 – Envelopar carro sem alterar documento

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), conduzir veículo com cor alterada é infração grave, com retenção do automóvel até a respectiva regularização. Para evitar as penalidades.

Para evitar as penalidades, deve-se requerer a emissão de novos CRLV e do CRV, informando a mudança de cor.

A exceção, válida tanto para pintura quanto para veículos envelopados, é quando a alteração não ultrapassa 50% da área da carroceria – nesse caso, não são exigidos novos documentos.

4 – TV visível pelo motorista com carro em movimento

No entanto, central multimídia no carro equipada com tocador de DVD e TV digital, essas funcionalidades só podem ser desfrutadas pelo motorista caso o veículo esteja estacionado ou se houver um recurso que impeça a respectiva visualização com o carro em movimento – conforme determina a Resolução 242 do Contran.

O descumprimento da resolução constitui infração grave e retenção do veículo até que seja regularizado.

5 – Faróis de xenônio não originais

A Resolução 384 do Contran, publicada em 2 de junho de 2011, proíbe a instalação dos faróis de descarga de gás, popularmente conhecidos como faróis de xenônio, caso o equipamento não seja item original do automóvel.

A exceção é referente a veículos nos quais o acessório não original foi instalado cujo CSV tenha sido emitido antes da data de publicação da referida resolução.

Braze-se: Industria da multa, Bolo da retenção, Capivaras na faixa!?!, Seguro e certeiro?!?, Semana Nacional do Trânsito, pensamentos perigosos

Ora Ballet Cat, um Fusca elétrico?!?

On the Shanghai Auto Show, Great Wall’s trendy ORA EV brand unveiled the ORA Punk Cat, a concept that looked a tad too much like a mix between the Volkswagen Beetle and the New Beetle, with two extra doors. ORA has just released an official image of the production version of the Punk Cat. CarNewsChina

Através da submarca baseada em veículos elétricos da Great Wall, chamada Ora, o famoso Fusca reaparece com duas opções de acabamento, uma sob o nome de Punk Cat (para o público masculino) e outra com o nome de Ballet Cat (para o público feminino), movimento inclusive que vai na contramão do mundo focado em ESG.

A marca aponta que não se trata do mesmo carro pois um deles tem asa traseira e novas cores e as diferenças devem ser relacionadas com os conjuntos óticos tanto dianteiros como traseiros.

Durante o Salão de Chengdu, a empresa Great Wall fez a apresentação oficial do Ora Ballet Cat, o controverso carro elétrico com visual inspirado no VW Fusca. Julio CesarInsideEVs

Na prática, o Ballet Cat é uma versão atualizada do conceito Ora Punk Cat, apresentado em abril no Salão de Xangai e que causou alvoroço pela semelhança com o clássico alemão, inclusive com declarações e ameaças de processo por parte Volkswagen. Isso motivou algumas modificações no conceito, que tem lançamento e início de vendas previsto para o início de 2022 na China.

A aparência do Punk Cat é mais retrô que a dos modelos New Beetle e Beetle produzidos pela Volkswagen entre 1997 e 2019. Parece mesmo um Fusca alargado e esticado. São quatro portas, mas até que os acessos ao banco de trás estão bem disfarçados.

Algumas alterações foram realizadas no modelo pela Great Wall Motors, em relação à versão apresentada em Xangai (o Ora Punk Cat) . Por exemplo, os faróis dianteiros e as lanternas traseiras receberam novo design, a fim de diferenciar o Ballet Cat do Fusca original. Além disso, uma nova placa surgiu na tampa do porta-malas. Garagem 360

Por dentro, o ambiente destoa da inspiração exterior, exceto pelo volante de três raios com aro cromado “meia-lua”. Cluster digital, multimídia de tela grande e um console de cristal, mostram que a proposta desse Fusca passa longe de ser popular. Ricardo de OliveiraNotícias Automotivas

Com relação à parte mecânica, as opções que ventilaram sobre as baterias seriam de 47,8 kWh e 59,1 kWh, com 401 km e 501 km de autonomia, respectivamente. Claudia Carsughi

Com bancos em couro com costuras retas, o Ballet Cat busca o cliente feminino e exibe no acabamento desenhos de flores, plantas e pássaros, tudo para agradar aquelas que passarão o cartão magnético para ter um, na garagem.

Curiosamente, a mídia chinesa informa que a ORA solicitou a patente para o design do Punk Cat no Escritório de Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO) e que o pedido foi aprovado. A patente é considerada válida por 5 anos, podendo ser renovada por um máximo de 25 anos. Naturalmente, o máximo de 25 anos significa que todas as patentes do Volkswagen Fusca original perderam a validade há muito tempo, mas o Novo Fusca estreou em 1997 + 25 = 2022.

Great Wall Motors | Ora Ballet Cat | Fake Chinese Volkswagen Beetle Has a New Name | Ora Ballet Cat

Oraze-se: Nada se cria, tudo se copia!, Fusca versão Porsche, O Fusca está de volta e agora será elétrico, , Aline Gonçalves Santos e o fusca elétrico, ID.3, quer ser o Fusca elétrico.

Chery QQ elétrico

Recém-revelado, o novo Chery QQ elétrico foi uma das atrações no Salão de Chengdu, na China. No entanto, em sua primeira aparição pública, a Chery optou por apresentar o carrinho urbano em versões cheias de personalização e detalhes exclusivos. Durante o evento chinês, também foi confirmado que o lançamento oficial do modelo será em novembro de 2021. Julio CesarInsideEVs

Falando das versões especiais do novo Chery QQ, a primeira é a Ice Cream, que conta com um visual que reflete totalmente a essência do nome. O modelo abusa de cores e tons suaves, rodas personalizadas, para-choques mais elaborados e apliques nas portas. O interior se destaca pelo acabamento mais refinado e em tons claros, como na parte externa.

Já a segunda opção é claramente voltada para o público masculino. Ela leva o nome Lightning e deixa evidente o visual mais agressivo e pintura em tons escuros. Também chama a atenção pelos faróis interligados, para-choque frontal robusto, saias laterais e um exagerado spoiler. A cabine adota volante e bancos esportivos e um acabamento que remete a carros de pista. 

O mini carro urbano mede 2.980 mm de comprimento, 1.496 mm de largura e 1.637 mm de altura. A distância entre eixos é de apenas 1.960 mm. A Chery ainda não deu detalhes, mas o sistema de propulsão será composto por um motor elétrico de 27 kW. Mais informações serão reveladas antes do lançamento oficial, em novembro.

A Chery divulgou as primeiras fotos oficiais do mini carro elétrico, que promete bater de frente com o Wuling Hongguang MINIEV, produzido pela joint venture da GM na China, e que se tornou uma febre no país asiático, sendo o elétrico mais vendido desde o início do ano. InsideEVs

De acordo com informações oficiais divulgadas anteriormente, o novo carrinho terá sete opções de pintura bem chamativos.

Os chineses interessados no novo Chery QQ Ice Cream podem participar da inusitada reserva ‘às cegas’ para o mini carro elétrico com um taxa simbólica de 9,9 yuans (R$ 7,90). Ao aderir, os clientes podem optar por cinco opções do que podemos chamar de ‘caixa surpresa’ (incluindo cupons para sorvetes, cartão mensal Keep, e outros cupons ou cartões para plataformas de jogos).

Fruto da nova submarca ecológica batizada de iCar, o novo Chery QQ elétrico será um carro zero emissões, urbano e com as tecnologias mais recentes em conectividade. No entanto, seu preço será acessível para combater os principais rivais, especialmente o subcompacto da GM. Os valores oficiais ainda não foram revelados, mas a imprensa chinesa estima algo abaixo de 4.500 euros, ou cerca de R$ 25.000 em uma conversão direta.

Eletrize-se: Conheça o Zetta O carro elétrico mais barato do mundo, eBussy, os Carros Modulares chegaram!, Carro elétrico gastando R$3 mil, FUI A EXPOSIÇÃO DE CARROS CLÁSSICOS!, Alugar ou Comprar um Carro?!?

Fries car

Você não sabe como descartar o óleo vegetal e acaba juntando potes de óleo usados ou até mesmo jogando no ralo contaminando águas, ecossistemas aquáticos e o solo, impermeabilizando a área? Saiba que é possível  que esse óleo se torne um ótimo combustível para o seu carro, barato e pouco poluente. Engenharia Hoje – 23/02/2021

O ecologista Paulo Roberto Lenhardt, residente no Rio Grande do Sul, foi pioneiro na instalação de um sistema que permite ao motor a diesel funcionar à base de óleo vegetal. Ele começou a reciclar o óleo vegetal utilizado e adaptou a sua S10, motor MWM 2.8 turbo, para funcionar com esse produto que seria futuramente descartado.

Essa ideia vai além da questão ambiental e sanitária provocados pela destinação inadequada do óleo vegetal. O óleo de cozinha usado, é uma importante matéria-prima para um biocombustível de eficiência que pode ser comparada com a do diesel comum.

Carro Movido a Óleo de Cozinha

O inventor viajou o mundo buscando alguns exemplos de uso de óleo vegetal nos carros. Essa ideia está ligada aos princípios do Instituto Morro da Cutia de Agroecologia, em que faz parte, que é promover o desenvolvimento rural sustentável, por meio da agroecologia, e da educação ambiental, atuando regional, nacional e internacionalmente.

Entre os benefícios da utilização do combustível a base de óleo vegetal, os ambientalistas destacam a redução de até 75% de emissão de gases estufa, se comparado aos combustíveis fósseis. Além da alta disponibilidade de óleos vegetais no Brasil também, o que também torna positiva a utilização desse óleo como combustível. Outro benefício que pode ser citado é a possibilidade de auto-suficiência de cada cidadão.

Rio grande do sul - óleo de cozinha- carro

Um outro ponto a favor desse biocombustível é que ele lubrifica o motor,  tendendo a aumentar sua vida útil , inclusive dificultando que a bomba injetora acabe ficando entupida.

Dentre os benefícios para quem usa um carro com combustível à base do óleo de cozinha, os ambientalistas destacam a redução de até 75% de emissão de gases do efeito estufa. Valdemar Medeiros – Click Petróleo e Gás

Oleoze-se: Campanha recolhe óleo de fritura para fabricação de biodiesel, Óleo de Copaíba, Motor elétrico para carros que pode ser instalado nas rodas dos veículos, Hemp Car, Por que os jovens já não querem comprar carro nem casa própria?, O carro flutuante, Fiat 147 a álcool, 40 anos., Patinhos, versão combustível!, Empoderamento dos recursos, Movida a água

Gasolina sintética

A gasolina sintética esta sendo chamada de efuel. O novo  produto não é derivado do petróleo e possui água e dióxido de carbono como matéria-prima, prometendo salvar o mercado de combustíveis. Valdemar Medeiros in Petróleo, Óleo e Gás

As empresas Audi, Bosch e Porsche, além do governo alemão, tem investido na nova gasolina sintética. A Porsche já iniciou os testes com o novo combustível em ambiente de competição.

Ao mesmo tempo, a Fórmula 1 já avalia o uso do efuel a partir de 2025, quando deverá entrar em uso o novo regulamento de motores, mantendo os híbridos, mas com o novo combustível e também a eletrificação. A expectativa é de que a nova gasolina sintética garanta a sobrevida dos motores a combustão internos, tanto de forma pura ou com algum nível de auxílio elétrico.

De acordo com o engenheiro Everton Lopes, os combustíveis semelhantes à gasolina sintética possuem a vantagem, assim como o etanol, de neutralizar o carbono que é gerado na sua queima, além de aproveitar a infraestrutura dos postos de reabastecimento. Podem ser extraídos na forma de diesel ou gasolina, portanto, não exigem alterações nos motores antigos que utilizavam a versão fóssil dos combustíveis.

De acordo com Everton, a projeção de benefícios econômicos e ambientais gerados pela gasolina sintética é de suma importância, mas sua produção ainda é mais cara comparada com a gasolina derivada do petróleo. A meta é diminuir o custo da extração do hidrogênio que é necessário para fazer a gasolina sintética, a partir de um processo chamado de hidrólise.

A gasolina sintética já era utilizada na época da Segunda Guerra Mundial e de lá pra cá as pesquisas tem evoluído bastante. Porém, o petróleo ainda é mais barato e de “fácil acesso’ para ser obtido.

O Hidrogênio é a grande aposta de vários países, como a Alemanha, para renovar sua matriz elétrica. Além de ser usado na sintetização do combustível líquido, o gás também pode ser utilizado no lugar das baterias de veículos elétricos.

Através das células de combustível, incorporadas a automóveis, o hidrogênio gera energia para impulsionar as rodas. Modelos como o Toyota Mirai já utilizam essa tecnologia e são abastecidos com hidrogênio, chegando a bater um recorde de autonomia com o combustível, que foi de 1 mil quilômetros.  

Gasze-se: eTruck, OURO VERDE E PROTEÇÃO DO PLANETA, Micro hidrelétrica e redemoinhos, 2020 eletrizante!, Bill Gates, Heliogen and combustões