Nissan Leaf

O Nissan Leaf é um carro principalmente urbano, mas chega à máxima de 144 km/h e também encara eventualmente uma estrada. Pode ter centro de gravidade baixo por causa das baterias sob o assoalho, mas é macio (confortável na cidade) e tem tração dianteira, então não abuse nas curvas. O chassi não parece bem dimensionado para tanto torque e o modo como é entregue. Na estrada a 100 km/h, não fez muito mais que 6,5 km/kWh. Motorshow

Em tomada comum são 20 a 40 horas, com o carregador de parede (wall box, 32A), 6 a 8 horas, autonomia de até 240 km/dia.

O Nissan Leaf é ágil, mesmo sendo um elétrico com “só” 149 cv – mas torque de 32,6 kgfm entregue imediatamente, como em todo elétrico. Suficiente para 0-100 km/h em 7s9, e retomadas e acelerações empolgantes. Há força de sobra: mesmo a 50 km/h, se você pisar fundo ele destraciona as rodas dianteiras.


“O proprietário de um Nissan Leaf nunca mais vai pisar em um posto de gasolina na vida”, comentou Humberto Gómez, diretor de marketing da Nissan Brasil. “O que estamos fazendo não é apenas o lançamento de um carro, mas sim de um movimento social, com vista em beneficiar o meio ambiente e a vida das pessoas”, complementou. Canaltech

Além do anúncio, a empresa destacou todas as funções que o carro trará, como o sistema de proteção Nissan Inteligent Safety Shield, que impede colisões e atropelamentos, o ePedal, que faz com que o condutor utilize apenas um pedal para acelerar e frear o carro e muitas outras funcionalidades, como sistema de infotenimento completo e a assistência 24 horas exclusiva para os clientes do Leaf.

Como era de se esperar em um carro desse nível (e preço), o Leaf agrega o que há de mais moderno em sistema multimídia. Com sua central A-IVI, de 8 polegadas, o equipamento permite o uso de aplicativos como Waze, Spotify, Deezer, Google Maps, WhatsApp, Car Play e Android Auto, além de muitos outros. Já o sistema Over The Air permite a atualização do software da central utilizando apenas uma rede de Wi-Fi, sem necessidade de ir ao concessionário para a troca do cartão SD.

O veículo também é o único do seu segmento com a tecnologia Vehicle-to-Grid (V2G), que permite carregamento bidirecional. Na prática, ela transforma o carro em uma bateria sobre rodas, pois permite que o carro seja carregado e devolva energia à rede ou a uma casa, se necessário.

Avós da Razão

As 'Avós da Razão', Sonia Bonetti, 80, Gilda Bandeira de Mello, 76, e Helena Wiechmann, 90
Aos 90 anos, Helena Wiechmann (à direita, na foto) comanda desde outubro passado, junto com Sonia Bonetti (esq), 80, e a caçula Gilda Bandeira de Mello (ao centro), 76, um canal de vídeos no YouTube, o ‘Avós da Razão’. A dinâmica é simples: uma mesa redonda, drinques, salgadinhos e um mote para debater. Portal Terceira Idade

Helen Winkle, 90, em foto do seu Instagram
Nos Estados Unidos, uma mulher de 90 anos também está conquistando fãs na internet. No ar desde 2013, o perfil de Instagram de Helen Winkle (foto), com o título “Roubando seu homem desde 1928”, tem 3,8 milhões de seguidores.

Instagram

Raze-se: Glândula Pineal, Timo, Instantly Ageless ™, Depressão em idosos, Inteligência digital plus Inteligência emocional, Convivir, Se você é jovem ainda

Biobots

Chamadas de biobots, esses organismos consistem em uma terceira forma de vida, já que não são, especificamente, robôs e nem seres vivos. É uma mistura dos dois, feita de células da pele e do coração de sapos, e programada por computador.


A invenção dessas “máquinas viventes”, elaboradas com células animais e capazes de realizar pequenas tarefas, é de quatro cientistas norte-americanos, composto por dois biólogos, Michael Levin e Douglas Blackiston, e dois especialistas do campo da robótica, Josh Bongard e Sam Kriegman.
Em artigo publicado na revista PNAS, o grupo de pesquisadores descreve a criação desse tipo de biobots, os xenobots (as células são da espécie de sapo Xenopus laevis) — com a ajuda de algoritmos evolutivos.
Os pesquisadores utilizaram como matéria-prima dois tipos de células de rã-de-unhas-africana: as células de seu coração (contráteis) e as de sua pele (mais passivas). O principal resultado é uma máquina biológica de meio milímetro, com poucas centenas de células, capaz de se mover em uma direção determinada pelos cientistas. El País

Neon

A subsidiária da Samsung, STAR Labs, lançou oficialmente seu misterioso projeto “artificial humano”, o Neon. Inteligência Artificial

O neon são avatares digitais com semelhanças humanas animadas por computador, apelidado de “humano artificial” quanto Siri ou o holograma de Tupac.


Suas semelhanças são modeladas com humanos reais, mas geraram “expressões, diálogos e emoções” recém-geradas. Cada avatar (conhecido individualmente como “NEONs”) pode ser personalizado para tarefas diferentes e é capaz de responder a consultas com latência menor que alguns milissegundos.
Eles podem ser úteis em vários departamentos (Turismo e viagens). Esses seres virtuais podem ser ótimos representantes de clientes em campo. Eles também se apegam a essa coisa de empatia, em comparação com humanos reais que ficam confusos porque o cliente não está certo.
Esse pessoal do Neon precisará apenas de um cérebro e isso será fornecido por sensores, IA, software empresarial e gigantes da nuvem. Já existem partes suficientes para iterar os seres humanos digitais do Neon para os negócios.


NEON, our first artificial human is here. NEON is a computationally created virtual being that looks and behaves like a real human, with the ability to show emotions and intelligence.

Frank, Natasha, Hana. Not ‘Hey NEON.’ Not an AI assistant. Not an interface to the Internet. Not a music player. Simply, a friend. Friends, collaborators, and companions. They can connect and learn more about us, gain new skills, and evolve.

Inspired by the rhythmic complexities of nature and extensively trained with how humans look, behave and interact. Life moves in realtime. So does CORE R3, with latencies of less than a few microseconds.
Os humanos Neon não são robôs ou assistentes por voz como a Siri ou Alexa. Eles são, na verdade, simulações que aparecem em telas e aprendem sobre as pessoas para dar respostas inteligentes e realistas. Saori Almeida Mundo Conectado
os avatares não foram projetados como assistentes eletrônicos ativos 24h – eles podem “se cansar” e não estarão às ordens o tempo todo.

“Não queremos substituir empregos humanos, mas melhorar as interações com o atendimento ao cliente, para que os clientes sintam como se tivessem um amigo junto dos Neons.” – Samsung.

Neonze-se: </div> Matéria de Capa: Empregos no futuro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, Painéis Solares sem céu!, Dia da consciência negra e dos seres humanos, Bill Gates, Heliogen and combustões, IA – Indígena é Ateu? E os emojis com isso?, Inteligência digital plus Inteligência emocional, Aranha azul elétrica, besouro aquático e mais 30 novas espécies descobertas na Amazônia, Arte mecaniza vida?

Nikola Tesla

Quem fez a revolução elétrica no mundo?

O inventor passava suas tardes alimentando pombos nos parques da cidade. Suas convicções o fizeram adotar uma dieta estritamente vegetariana, composta principalmente por pão, mel e sucos de fruta.Quando morreu em 7 de janeiro em 1943, aos 86 anos, uma pequena multidão compareceu ao seu funeral, realizado na Cathedral of Saint John, the Divine. O reconhecimento que lhe foi negado em vida veio anos depois. Hoje, sua figura é símbolo da inovação científica e vários pesquisadores dão continuidade ao seu trabalho em diversas universidades. History


De origem sérvia, nascido no dia 10 de julho de 1856, o inventor se naturalizou cidadão norte-americano. Foi nos EUA que sua carreira deslanchou, mas suas ideias desagradavam os cientistas influentes. Nascido no finado Império Austro-Húngaro, onde hoje seria a Croácia, em 1856 durante uma tempestade de raios, segundo a lenda, teve seu primeiro contato com a eletricidade na Universidade de Praga onde estudou engenharia elétrica até o terceiro ano, desistindo depois de assistir às aulas.

Thomas Edison contratou Tesla para resolver problemas que ele estava tendo com corrente contínua em geradores e motores. Se Tesla resolvesse o problema ganharia cerca de 50 mil dólares – o que corresponderia a 1 milhão de dólares em valores atuais -, essa era a promessa. Quando Tesla consertou ou problemas de Edison e perguntou sobre seu dinheiro, recebeu a seguinte resposta: “Tesla, você não entende o humor americano”. Sim, para ele a promessa era uma piada e nunca foi paga.
Para termos luz na sala de casa hoje, segundo o sistema de Thomas Edison, precisaríamos de uma usina de energia elétrica a cada quilômetro quadrado. Inviável, certo? Já o sistema de Tesla usava cabos menores, alcançava maiores voltagens e podia transmitir energia elétrica a distâncias muito maiores. Assim começava a famosa Guerra das Correntes.
Você sabe quem inventou o rádio?

Quem realmente inventou esta e muitas outras coisas que se atribuem a diversas pessoas foi Nikola Tesla, o mesmo homem que possui desde uma unidade de medida para medir a densidade do fluxo magnético, uma cratera na lua, um asteroide, o maior prêmio de engenharia elétrica do mundo até um aeroporto, uma banda de heavy metal com o seu nome, um dia só seu (10 de julho, em diversos países), além de ser personagem do filme O Grande Truque e nomear a marca que promete um futuro verde ao mundo.

Tesla recebeu 1 milhão de dólares pela venda de suas patentes a George Westinghouse e mais US$ 2,50 dólares de royalties por HP gerado por suas invenções. Tesla começava a ficar rico e famoso, certo? Mais ou menos. Devido a jogadas mal planejadas, a Westinghouse ficou à beira de uma falência, e Tesla, não querendo que centenas de pessoas perdessem seus empregos, teve a grandiosidade de rasgar o contrato dos royalties, o que hoje valeria TRILHÕES de dólares.
Fonte: Nikola Tesla, o gênio mais injustiçado da história

se você ainda não entendeu ainda a importância de Tesla para nossas vidas e da sua genialidade, saiba que:

  • Foi o responsável pela construção da primeira hidroelétrica do mundo, nas cataratas do Niágara, provando a todos que a água era um meio prático de obter energia;
  • Conduziu experimentos com engenharia criogênica, quase meio século antes de sua invenção;
  • Patenteou mais de 100 inovações que foram usados na criação do transistor, aquela pecinha primordial que faz com que seja possível o computador moderno existir e você ler isso neste momento;
  • Foi a primeira pessoa a captar ondas de rádio do espaço, o que o torna, indiretamente, o pai da radioastronomia;
  • Descobriu a frequência de ressonância da terra, que só pode ser confirmada 50 anos depois, já que era muito avançado à época;
  • Desenvolveu uma máquina de terremotos que quase destruiu um bairro inteiro em Nova Iorque;
  • Inventou a poderosa Bobina de Tesla, que você pode não conhecer de nome, mas com certeza já a viu em algum lugar.
  • Conseguiu, na década de 90, reproduzir em seu laboratório o fenômeno conhecido como “Ball Lighting”, que consiste em uma luz que aparece na forma de uma esfera e viaja devagar enquanto plana a alguns pés do chão. É um fenômeno muito raro e até hoje os cientistas ainda não conseguiram replicar o feito em moderníssimos laboratórios;
  • Inventou o controle remoto, a luz de neon, motor elétrico moderno, comunicações wireless, e outras coisas que tornam nosso dia a dia mais prático e legal;
  • Inventou um raio da morte que poderia destruir o mundo caso caísse em mãos erradas. Parece ficção, mas não é, ao menos é o que diversas fontes juram. No entanto, destruiu o projeto antes dele vazar (alguns acreditam que o projeto está em posse do governo dos EUA, confira mais sobre isso, alguns parágrafos abaixo). O raio chegou perto de ser vendido para a Inglaterra por 30 milhões de dólares, durante a 2ª Guerra Mundial, mas foi desfeito nos últimos momentos. O próximo comprador seriam os Estados Unidos, porém, a reunião que daria desfecho à compra nunca ocorreu. Tesla morreria antes.

“Venho alimentando os pombos, milhares deles, há anos, mas havia um pombo, um pássaro bonito, branco puro com detalhes cinza claro em suas asas. Aquele era diferente… Não importa onde eu ia, aquele pombo iria me encontrar; quando eu queria ver ela só tinha que desejar e chamá-la para que ela viesse voando até mim… Eu amei aquele pombo… Eu a amava como um homem ama uma mulher, e ela me amava. Oficina da Net

Então, uma noite eu estava deitado na minha cama, no escuro, resolvendo problemas, como de costume, ela voou pela janela aberta e ficou na minha mesa. Eu sabia que ela me queria; ela queria me dizer algo importante, então eu me levantei e fui até ela. Quando eu a olhei eu sabia o que ela queria me dizer – ela estava morrendo. E então, eu saquei sua mensagem, vinha uma luz de seus olhos – poderosos feixes de luz… uma luz mais intensa do que eu já tinha produzido pelas lâmpadas mais potentes em meu laboratório.

Quando aquele pombo morreu, algo saiu da minha vida. Até aquele momento, eu sabia com certeza que iria completar meu trabalho, não importa o quão ambicioso fosse, mas quando algo como aquilo saiu da minha convivência eu sabia que o trabalho da minha vida tinha acabado”.

Teslaze-se: Carro da Tesla completa órbita ao redor do Sol, Tesla surf, Bobina de Tesla, Nikola Tesla, 900.000 km de elétrico, Blue Bug, Eneagrama: Os Centros

Matéria de Capa: Empregos no futuro

Matéria de Capa

O 1 digital vem transformando a maneira como trabalhamos e também criando novas profissões. Você confiaria em um robô para tratar de seus dentes? Faria uma cirurgia delicada sem a presença de um profissional humano e qualificado? A revolução digital traz muitas surpresas. Nos Estados Unidos, por exemplo, um estudante criou um sistema para conversar com o computador utilizando apenas o pensamento. Matéria de Capa – Empregos no Futuro – 06/10/2019 – msn

Painéis Solares sem céu!

A produção de energia limpa que mais cresce no Brasil é a de Geração Distribuída (GD), com expansão de 150% entre 2018 e 2019. Entretanto, a energia solar está correndo risco antes mesmo de deslanchar. A revisão de uma norma, proposta pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pode retirar os subsídios do setor. Vinicius Szafran


Desde 2012, a Resolução Normativa (REN) n° 482 da Aneel garante o sistema de compensação, quando a energia excedente gerada por um consumidor pode ser injetada na rede e abatida do consumo mensal. A regulação, contudo, será modificada até junho de 2020, e está em consulta pública até 30 de dezembro.Segundo Carlos Alberto Calixto Mattar, superintendente de Regulação dos Serviços de Distribuição da Aneel, a proposta é de que os consumidores que produzem energia solar paguem pela utilização da rede de distribuição “na exata medida de seu uso”.
Rodrigo Sauaia, presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), afirma que a GD proporciona mais ganhos do que custos. “Os benefícios são elétricos, econômicos, sociais e ambientais. Todo mundo ganha com a água economizada, com a termelétrica que não é acionada, sem perdas e com alívio nas redes. Evita investimento em novas linhas de transmissão, é energia limpa e sustentável”, diz.

O professor da Universidade da Califórnia, Rodrigo Ribeiro Antunes Pinto, compara o sistema no Brasil com o do estado norte-americano. “Na Califórnia, são 40 milhões de habitantes e geração de 80,3 gigawatts (GW), dos quais 13%, ou 10,7 GW, são provenientes de fonte solar. No Brasil, são 210 milhões de habitantes, geração de 157 GW e apenas 0,6% solar”, diz. “O que a Aneel propõe é usar uma taxação que só ocorre em locais com contribuição muito maior da energia solar. A Califórnia produz dez vezes mais do que todo o Brasil, tem 60 vezes mais painéis por habitante. Deveria estar desesperada para acabar com isso. Mas o estado subsidia 30% o setor, o direito de troca de energia é de 1 para 1 (da produzida pela consumida) e esses termos são garantidos por 20 anos”, explica. “Tem alguma coisa muito errada ocorrendo no Brasil”, conclui o professor. Correio Braziliense

Para o deputado Charles Fernandes (PSD-BA), a intenção da Aneel de taxar a energia solar é inadmissível. Ele lembra que os empresários e os agricultores investiram alto para conseguir baratear os gastos com energia elétrica.

Segundo a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica, há atualmente cerca de 120 mil consumidores que usam a geração distribuída. Também de acordo com a associação, cerca de 650 milhões de reais por ano são pagos pelos consumidores comuns com os subsídios. Maria Clarice Dias – Agência Câmara Notícias
Logicamente, a notícia não foi bem recebida pelo setor de energia solar, que agrega a maior parte das famílias que geram energia doméstica. Além é claro dos próprios consumidores, que investiram recursos financeiros em um momento em que a energia solar era ainda mais cara do que é hoje. Na prática, ele será lesado por não ter o retorno do investimento no prazo prometido quando decidiu instalar os equipamentos solares. Já para o deputado Heitor Schuch (PSB-RS), a medida vai prejudicar os pequenos agricultores que levaram tempo para se adaptaram a este tipo de energia. Marcia SousaCicloVivo


Inaugurada hoje (26/6) a usina solar da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que atenderá entre 18% e 20% do consumo anual da autarquia com uma média de geração de 710 MWh/ano. Estiveram presentes na cerimônia de inauguração os diretores da ANEEL, representantes do Ministério do Meio Ambiente, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), da Companhia Energética de Brasília (CEB), da Cooperação alemã para o desenvolvimento sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmBH, da Alsol energias renováveis, além de servidores da ANEEL.
O diretor da CEB, Maurício Velloso, destacou a parceria feita com a ANEEL e ressaltou que a iniciativa representa um modelo a ser seguido por todo o setor público.
O Coordenador de Planejamento Energético, Regulação e Gestão do Sistema da GIZ, Florian Geyer, afirmou que o projeto é pioneiro e deverá estimular o mercado fotovoltaico no país. “O lugar com menos sol, que é Florianópolis, ainda tem 20% a mais de irradiação solar do que o lugar com mais sol da Alemanha. Isso mostra o grande potencial da energia solar FV comparando com outros países como a Alemanha. A melhor insolação da Alemanha é de 3.500 Wh/m² (watt-hora por metro quadrado) por dia, disponível em uma pequena região sul do país, já o Brasil apresenta valores de insolação entre 4.500 e 6.000 Wh/m²”, enfatizou.
A usina fotovoltaica conta com 1.760 painéis de 1,65m2, com potência instalada de 510,40 quilowatts-pico (kWp), que foram dispostos de forma a otimizar o aproveitamento do sol e evitar áreas sombreadas das edificações. A área total ocupada pelos módulos e pelos seus acessos será de 3.580 m2. Cada conjunto de 96 módulos foi conectado em um inversor, e todos os inversores serão monitorados numa central de operação, com dados unificados. A energia gerada compensará o consumo do prédio da Agência pelo mecanismo do Sistema de Compensação de Energia¹, no qual até a geração nos fins de semana poderá ser injetada na rede e depois devolvida para a Agência.
“A Agência mostrou que é possível implementar uma iniciativa que gera lucratividade e benefícios por várias décadas mesmo após a amortização do investimento. Além disso, existe o fator de inserção da eficiência energética na cultura das instituições públicas. Precisamos considerar esse elemento no nosso dia-a-dia, aplicar os recursos de forma objetiva e garantir uma economia real de energia”, ressaltou o Superintendente de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética, Ailson de Souza Barbosa.

Choque-se: Eu vou de bike, e você?, Empoderamento dos recursos, Hemp Car, Planta autosuficiente, Quem matou o carro elétrico?, Ilha das Flores, Roda tecnobikelógica, Urna fraudetrônica, Velozes e Incompetentes

Fisker Ocean 2020

Um dos grande problemas dos veículos 100% elétricos é sem grandes dúvidas o carregamento lento das suas enormes baterias.
Para atingir este marco incrível, o futuro SUV vai ser capaz de receber pelo menos 350kW de energia através do carregador super-rápido fornecido pela Electrify America. Tenha em conta, que a maioria dos carregadores atuais (especialmente em Portugal) não conseguem fornecer este tipo de velocidades de carregamento. (Nem de perto nem de longe). Leak

O principal plano de negócios da empresa, que pretende que os seus clientes paguem uma mensalidade no valor de 379$ dólares, após um depósito inicial de 2999$. Dito isto, os entusiastas interessados podem desde já reservar este modelo com um único depósito de 250$ dólares, através da aplicação Fisker.

Curiosamente, a empresa Californiana revelou também que os seus primeiros modelos de produção são maioritariamente constituídos de materiais reciclados.

Fabricante informa que o SUV Ocean vai poder contar com as tão desejadas 5 estrelas de segurança!

A empresa garantiu que este carro irá conseguir alcançar a pontuação ‘máxima’ no que se trata de segurança, com a Fisker a destacar as barras de reforço laterais deste SUV. No entanto, ainda não existem informações sobre se o veículo já foi ou não testado pelas organizações de segurança responsáveis pela classificação.

Um fato curioso acerca deste carro, é que o teto deste veículo 100% elétrico é removível de forma a garantir a experiência de um descapotável desportivo, este SUV estará apenas disponível com tração às quatro rodas, com um motor elétrico em cada eixo. A nível de autonomia a empresa garante que o veículo vai alcançar uns interessantes 482Km com uma carga completa. Silvio José

Eletrilize-se: Aiways U5, na Europa, Van movida a energia solar ou com banheiro?!?, Conversão de veículos elétricos, Carro elétrico, 900 km com uma carga, Carro elétrico e a drogar da bateria, Aline Gonçalves Santos e o fusca elétrico

É ao morrerem que se tornam santos.

SOBRE GUGU LIBERATO

(Alexandre De Oliveira Périgo)

Ultimamente, relinchos e ameaças virtuais batem em mim e voltam.
Destarte cometi o crime inafiançável de escrever que Augusto Liberato foi um apresentador absolutamente sem talento e sem carisma que dedicou sua vida à alienação do povo brasileiro, foi um dos incubadores do fascismo que hoje nos assola, foi um propagador de fake news como a entrevista mentirosa com falsos líderes do PCC e foi também um dos responsáveis pela impregnação da cultura machista que mata milhares de mulheres todos os anos; escrevi que Liberato recebeu por tais desserviços somas milionárias como prêmio, que culminaram em um patrimônio de cento e cinquenta milhões de reais, comentei também que o cidadão, após ajudar a destruir o Brasil, resolveu covardemente morar no exterior, em uma mansão de quase setecentos metros quadrados, gozando da segurança e dos privilégios que a maioria esmagadora de seus compatriotas não desfruta, em alguma parte, por suas ações calhordas.

Não ri de sua morte, não fiz piadinhas com o acidente que o matou, não desrespeitei a família enlutada. Nada disso. Eu sou o tipo de comunista que acredita na utopia da revolução armada, porém que não se orgulha nem um pouco por ser a violência o único caminho para a derrubada da burguesia e a tomada popular do poder. A vida merece respeito. Toda vida merece. Mesmo a dos maiores canalhas.

Minhas críticas a Augusto Liberato foram contextuais, jamais destrambelharam para ofensas pessoais, mesmo porque não o conheci; pode ter sido um bom pai, um ótimo filho, não sei – e isso pouco importa. Meu foco foi exclusivamente destacar seu desserviço ao povo de meu país.

Foi aí então que a avalanche teve início.

Quando uma postagem atinge certo número de curtidas e de compartilhamentos no Facebook, a bolha estoura. E o que vem após esse estouro cheira mal, muito mal.

Fui xingado de tudo que era possível e imaginável. Disseram que eu era um “monstro que não respeitava a dor alheia”, um “oportunista que queria somente aparecer”, um “urubu que não respeitava o morto” e um “recalcado com inveja do sucesso do apresentador falecido”. Chamaram minha mulher de puta, minha mãe de vaca, meus filhos de animais. Daí para baixo.

Entretanto minha motivação para escrever essa reflexão não foram as ofensas; já mencionei que tenho o couro curtido. O que me chamou a atenção com os comentários ofensivos que recebi às centenas foram quatro aspectos conjunturais.

O primeiro é o luto e a moralidade seletivos da parcela mais conservadora do país. Para essa gente, rir e fazer piadas das mortes da esposa e do neto de Lula são práticas aceitáveis e até estimuladas. No entanto, essas mesmas gentes de bem, ao lerem uma mera crítica contextualizada às ações em vida de um apresentador de TV alguns dias após seu passamento, tomam para si as dores da família do morto com uma fidelidade perdigueira, passando a taxar de “monstruoso” e de “insensível” qualquer um que ouse fazer referências que não sejam loas ao defunto. Adicionalmente, aqueles que atualmente qualificam como “fim dos tempos” qualquer performance artística com algum grau de sensualização, em especial se assistida por crianças, passaram com a morte de Liberato a relativizar moralmente os quadros televisivos altamente erotizados promovidos pelo apresentador no passado, como eram os concursos de beleza com meninas de menos de dez anos e as banheiras com mulheres seminuas a serem bolinadas por homens de sunga na busca de sabonetes. A moral e os bons costumes dessa gente conservadora proveram hipócritas concessões travestidas com ares de “nostalgia” às putarias televisivas de Liberato nas tardes de domingo; tudo era “divertido”, “engraçado” e aceitável, afinal de contas, “isso faz muito tempo” – como se houvesse anacronismo nas críticas ao machismo recente dos programas do SBT.

O segundo é a sacralização do morto. Criticar o comportamento de alguém que morreu recentemente é, para boa parte dos brasileiros em geral, indesculpável. Partir desta para melhor veste inexoravelmente de qualidades os maiores crápulas. Se os canalhas envelhecem como disse Nelson Rodrigues, é ao morrerem que se tornam santos.

O terceiro é o despreparo retórico e conceitual do brasileiro médio para o debate; no imaginário coletivo de boa parte dos nossos, debater equivale a uma competição, uma verdadeira rinha de galo retórica. Não há troca de ideias nem provocações que levem a reflexões, nada disso; há tão somente uma luta, onde o vencedor, orgulhoso de sua inteligência, veste os louros da vitória e o perdedor, humilhado publicamente, a quem resta apenas retirar-se com o rabo entre as pernas. Também não é necessário arcabouço algum para a construção de argumentação. Opiniões, por mais despreparadas e pueris que sejam, devem ser religiosamente respeitadas. Um simples “eu acho que” derruba anos e anos de dedicação e de estudo sobre um tema. Sem nenhum constrangimento.

O quarto e último é sobre a força da televisão na formação do inconsciente coletivo nacional. Isso não pode ser subestimado. O Brasil inteiro vem sofrendo uma verdadeira lobotomia midiática nos últimos cinquenta anos que cobra um alto preço, inclusive dentro do dito campo progressista. Seguramente por conta disso tomei porrada de centenas de pessoas sedizentes de esquerda e defensores aguerridos das práticas de Liberato. Cheguei, não sem tristeza, a ler uma pessoa filiada ao PSOL chamando-me de “elitista” por criticar Liberato, pois o apresentador “fazia parte da sua infância” e “promovia a divulgação da cultura popular”. Bloqueei, sem exageros, mais de duzentas pessoas que foram desproporcionalmente agressivas em minha postagem; o desalento é que seguramente mais da metade delas usava “Ciro 2022” ou “Lula Livre” como fotos de capa.

O texto é grande, mas a conclusão é simples: somos ainda reféns da hipocrisia comportamental e dos ditames televisivos. E uma realidade maturada por décadas não muda de um dia para o outro. O importante é seguirmos em frente, ainda que a passos curtos e sem parar durante a caminhada. Temos problemas para muito além dos milicianos que estão no poder. Será preciso reeducar os brasileiros sem a presença da metástase midiática burguesa. E não podemos nunca nos esquecer: nadar contra a maré traz gosto de água salgada na boca.

Santifique-se: O POVO BRASILEIRO, Patrono do esporte brasileiro, Gugu Liberato, EU ESCOLHI VOCÊ, 400 Nudes, O bom moço do Brasil, Território Político – A Força da Ação Coletiva, As gémeas marotas

Aiways U5, na Europa

A Aiways, tem 3 anos de maturidade, uma startup que nasceu em Xangai e obteve pela TUV Rheinland a certificação necessária para comercializar o seu SUV U5 em qualquer parte da União Europeia, e entrou para o livro dos recordes, pois foi o primeiro veículo 100% elétrico de marca chinesa que é comercializado na Europa, e como a viagem mais longa de um veículo elétrico de sempre, exatamente 15.022 km! Vale lembrar que passaram em zonas onde as infraestruturas de carregamento não abundam, como o Deserto de Gobi ou os Montes Urais… mas ainda assim nada deteve os chineses.

Este modelo vem assim rivalizar com o Kia e-Niro, o Hyundai Kauai, e para isso passou no ECWVTA, o teste de aprovações para a Comunidade Europeia de veículos elétricos.

A viagem do U5 de Xangai a Frankfurt foi a 17 de julho que o U5 deu início à sua viagem, tendo terminado a 7 setembro de 2019! 53 dias de estrada, 12 países atravessados (China, Cazaquistão, Rússia, Finlândia, Noruega, Suécia, Dinamarca, Holanda, Bélgica, França, Suíça e Alemanha), comprovando assim a sua robustez e validade da tecnologia elétrica chinesa!
O preço base tem sido avançado nos mercados internacionais de cerca de 25000 €, não é assim apenas uma ameaça aos concorrentes de veículos elétricos, mas também compete com os combustíveis convencionais).
Autonomia de 460 km, que podem ir até aos 560 se forem alugados módulos de baterias adicionais (não se sabe qual o protocolo de medição usado). No site da empresa fala de 503 km, o que corresponde a menos de 400 km com o ciclo NEDC.
O motor deste elétrico gera uma potencia máxima de 125 kW (170 CV) nas rodas da frente, mas a Autocar diz que afinal tem é 190 CV, coincidindo com o binário de 315 NM! Portal da Energia

Fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, renunciam

Na tarde desta terça-feira (3), os cofundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, anunciaram que estão deixando o controle da empresa-mãe Alphabet para o atual CEO do Google, Sundar Pichai, mas os dois permanecerão empregados da Alphabet e manterão os assentos no conselho.

A Alphabet, no ano de 2015, marcava uma nova estrutura corporativa sem precedentes para o Vale do Silício, em uma época que gigantes da tecnologia estavam acumulando grande poder e consolidando indústrias. A empresa foi projetada para dividir o Google em seu negócio principal, incluindo os mecanismos de pesquisa e outros produtos massivos, além dos braços diversos, como o laboratório X (anteriormente chamada de Moonshot Google X) e agora a auto-unidade motriz Waymo.
Desde a criação da Alphabet, o preço das ações da empresa mais do que dobrou, assim como a receita. O primeiro relatório trimestral de ganhos da Alphabet registrou vendas de US$ 18,7 bilhões, enquanto o mais recente apontou US$ 36,6 bilhões.
“Não poderíamos imaginar que, em 1998, quando transferimos nossos servidores de um dormitório para uma garagem, a jornada se seguiria”. Olhar Digital

A blogueirinha e a Joana

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2825413017520908&id=173920672670169

Gabriela Pugliesi, a blogueirinha fit, postou no seu instagram que não tem nada melhor do que: “acordar, meditar, alongar, fazer atividade física, ir pra crioterapia e depois fazer drenagem!” Numa Segunda-feira. Não, ela não está de férias!

Ela recebe pra fazer atividade física, pra publicar as marcas que a patrocinam, pra divulgar a massagista, pra dizer que a vida é “mara” e que ela é muito feliz.

Ela também diz que Cúrcuma e Magnésio são “mara” e que fazem bem “pra tudo”. E aí, a Joana (nome fictício) vê isso.

Ela, Joana, acorda cedo, passa um café rapidinho, corre pro trabalho, come no refeitório do serviço, chega em casa depois das 19h, pega seu material de estudos e corre pro inglês. Volta, come qualquer coisa, e dorme porque “todo dia ela faz tudo sempre igual, se sacode às 6h da manhã”. Então, a Joana que é uma pessoa normal, começa a se sentir fracassada. Triste. Talvez seja falta de cúrcuma ?

Ela não consegue acordar, meditar, alongar, treinar, fazer crioterapia e drenagem.
Enquanto a blogueira faz drenagem, ela já está na segunda reunião. Entregando o quarto relatório do dia. E nem 10min de meditação ela consegue fazer!

E o que que essas blogueiras fazem pra humanidade, além de demonstrar uma vida fictícia que NINGUÉM normal pode ter?

E aí vemos jovens cada dia mais depressivos, pessoas cada vez mais imediatistas, profissionais mais frustrados e, a vida real, que era pra ser a vida realmente boa, mesmo com os seus tropeços, vai sendo vista como uma vilã cruel.

Umas semanas atrás, um “coach de life style” se matou. Um tal de Coach Bueno.
Desses que tinham a vida plena na rede social. Mas a vida real, que é boa mesmo com seus percalços, pesou. E ele não aguentou. Vejam só: a maioria dos influenciadores digitais se consultava com ele.
E ele? Se consultava com quem?

Em tempos de cúrcuma, magnésio, vida “mara”, água com limão de manhã, crioterapia, meditação e life style… eu fico com o churrasco, o arroz (pode até ser com açafrão!) com feijão, a vida em família, a religião, a atividade física moderada, e um brigadeiro, que nunca matou ninguém de decepção.

(Texto: Valéria Araujo)

Van movida a energia solar ou com banheiro?!?

Por anos Brett Belen idealizou veículos elétricos abastecidos coma luz do sol. Ou seja, nada de posto de gasolina, bastava estacionar o carro e esperar algumas horas para cair na estrada de novo. E para viabilizar suas viagens em família, ele transformou a icônica “pão-de-forma” da Volkswagen numa van elétrica alimentada a energia solar, altamente funcional.solarvan3

Aproveitou o modelo de 1973, espaçoso e com uma vasta área de tejadilho para aplicar um enorme painel fotovoltaico, que proporciona exposição solar máxima ao sol. Ele é composto por quatro paineis LG de 305 watts que, quando levantados, assumem a posição diagonal num ângulo máximo de 40º, e se encarregam de gerar mais combustível para a van.

Quando posicionada de forma correta para acompanhar o movimento do sol, ela pode ser carregada e aproveitar 6 horas de energia solar! Seu interior é equipado com mesas dobráveis as laterais feitas com tecido à prova de água, como o de uma tenda de campismo, garantido conforto para toda a família. Vivimetaliun

solarvan1

Todas as fotos © Brett

Concentrador Solar Luminescente

Pesquisadores da Universidade Estadual do Michigan, EUA, desenvolveram painéis solares completamente transparentes, que podem ter inúmeras aplicações na arquitetura e também em outros campos, como por exemplo no desenvolvimento de automóveis, um concentrador solar luminescente transparente, que pode ser colocado sobre uma superfície transparente como uma janela, por exemplo. Pode colher energia solar sem afetar a passagem da luz. bastanteinteressante

A tecnologia utiliza moléculas orgânicas que absorvem comprimentos de onda de luz que não são visíveis ao olho humano, como a luz infravermelha e ultravioleta.

Yimu Zhao, estudante e doutorada em engenharia química e ciência dos materiais, e Richard Lunt, professor assistente de engenharia química e ciência dos materiais – Fotografia: por GL Kohuth

“Se as células puderem ser feitas de forma a durarem muito tempo, estes dispositivos poderão ser integrados em janelas de modo relativamente barato, já que grande parte do custo da energia fotovoltaica convencional não é da própria célula solar, mas dos materiais em que é aplicada, como o alumínio e o vidro. O revestimento de estruturas existentes com células solares eliminaria parte desse custo de material.” New York Times

O material é ajustado para captar ondas no campo do ultravioleta e do infravermelho, convertendo depois essa energia em eletricidade, graças a pequenos filamentos de células fotovoltaicas presentes no seu interior, por conta disso não há perda nenhuma de visibilidade — já que nenhum humano consegue ver acima do ultravioleta ou abaixo do infravermelho.

De acordo com Richard Lunt, que liderou os experimentos, as células solares transparentes registraram eficiência na casa dos 5%. A efeito de comparação, a eficácia de painéis tradicionais fica entre 15 e 18%. A principal diferença entre os dois, no entanto, é a possibilidade de se aplicar a cobertura transparente em uma área maior e mais diversa. Guilherme Eler, de SUPERExame

Blocos de vidro que geram energia solar são desenvolvidos por pesquisadores na Inglaterra.

Na Inglaterra, pesquisadores da Universidade de Exeter desenvolveram blocos de vidros com pequenas células solares integradas. Esta invenção foi batizada de “Solar Squared”. Os responsáveis pelo invento garantem que os blocos contam com isolamento térmico e também permitem que a luz natural entre nas casas e edifícios.
Fabricados com tecnologia que garante máxima absorção solar, os blocos possuem outra vantagem: eles podem ser utilizados tanto em novas construções quanto em reformas. Portal Solar

Sistema fotovoltaico transparente de gel de silício

Semicondutor que explora a propriedades do silício. Os fotões, que compõem os raios solares, atingem os átomos de silício presentes no gel, provocando energia cinética (é como um impulso que gera movimento e este se transforma em energia elétrica dentro da estrutura cristalina do silício, que atua como semicondutor).

É aplicado entre o vidro duplo, através de uma injeção do gel no espaço do vidro duplo, mas se for num vidro simples, este é pulverizado.

Sistema fotovoltaico transparente de base orgânica

Determinados tipos de polímeros. As novas células solares consistem em dois elétrodos no meio dos quais se coloca uma camada de semicondutor orgânico.

Este tem a função de absorver a energia solar incidente e gerar eletrões, quando estes são recolhidos pelos elétrodos é produzida a corrente elétrica.

Sistema fotovoltaico transparente de grafeno

O grafeno é composto por uma única camada de átomos de carbono, e devido a ser transparente, não bloqueia a absorção de luz solar. Mas este não adere à base da célula, como tal, ainda há investigadores a tentar modificar a superfície que é impura. Portal Energia

Bill Gates, Heliogen and combustões

O mais importante passo para reduzir ou mesmo acabar com o uso de combustíveis fósseis e enfim começar a salvar de fato o planeta pode ter sido dado pela combinação de duas tecnologias, uma supermoderna, e outra ancestral: inteligência artificial e espelhos. A técnica, desenvolvida e realizada pela startup Heliogen, cria uma espécie de forno de altíssima potência, capaz de atingir temperaturas acima de mil graus – o equivalente a um quarto da temperatura do sol – e, com isso, substituir o uso de combustíveis fósseis nas indústrias mais poluentes do mundo. Vivimetaliun

O sistema é tão simples quanto eficaz: ao invés de capturar energia com painéis solares, ele concentra e acumula os raios do sol em um único ponto – apontando milhares de espelhos para o tal “forno” com precisão através da inteligência artificial. “Se você pegar mil espelhos e alinhá-los exatamente em um único ponto, poderá atingir temperaturas extremamente altas”, diz Bill Gross, fundador e CEO da Heliogen. A novidade pode, por exemplo, reduzir em até 60% o uso de combustíveis fósseis para produção de cimento, aço, vidro e mais materiais – responsáveis por boa parte da emissão de carbono no planeta.

Um dos apoiadores e patrocinadores da Heliogen foi o bilionário estadunidense Bill Gates, que vê na empresa um trabalho “promissor na busca de um dia substituir o combustível fóssil”, afirmou. Segundo Gross, a usina – que funciona mesmo em dias nublados, graças a um sistema de reserva – é capaz de gerar energia suficiente para um dia poder sintetizar hidrogênio em larga escala, capaz de ser transformado em combustível para aviões e carros. A produção de um hidrogênio “verde” seria, segundo Gross, uma mudança de jogo real na questão ambiental. “A longo prazo, queremos ser a empresa do hidrogênio verde”, afirmou.

Até lá, porém, a produção de energia solar e a substituição dos combustíveis fósseis nessas industrias poluentes é o foco da Heliogen. Em breve serão anunciados os primeiros clientes da startup, para assim convencer outras empresas e indústrias a escolherem o novo sistema, mais sustentável e limpo – e com o selo de aprovação de Bill Gates e do futuro do planeta. © fotos: divulgação/fonte:via

Zero Carbonize-se: Miniusina de energia, Planta autosuficiente, Minhocário., NAARA BEAUTY DRINK!!!, Árvores?, Empoderamento dos recursos, Árvore de energia solar, Parede de energia infinita, Energia eólica, 30% do Nordeste, Casa sustentável tem conta de luz de R$ 7,50 por ano

Conversão de veículos elétricos

componentes

Segundo a figura, observem:

Potbox: É o acelerador/potenciômetro.

DC/DC Converter: é o conversor DC – DC, isto é converte a tensão das baterias que o motor exige (72V ou mais) para os componentes eletrônicos do carrro que são os 12V. Deste modo não há a necessidade de deixar uma bateria exclusiva para este fim no veículo elétrico.

Contactor: é um dispostivo eletro-magnético para acionamento do motor.

Motor: na figura é o local destinado a instalação do motor.

Agora abaixo é uma figura muito interessante que é o circuito típico de instalação.

esquematipico

A maioria destas informações agradeço a pesquisa do Alfredo e para mais detalhes acessem o site dele, que é este aqui. O seu carro elétrico

Um carro elétrico é bem simples, separando em grandes blocos, teremos:

Motor Elétrico

1-Motor elétrico: propulsão do veículo. Devemos escolher bem esse item, pois além de ser um dos componentes mais caro é mais crucial no rendimento do automóvel;

Controlador

2-Controlador de potência: este será responsável quando o motorista acelerar, transmitir maior velocidade ao motor, em outras palavras, controlar o motor ou a aceleração do veículo, de modo bem, mas bem resumido é ele que fará o carro acelerar e também a ajudar o carro converter a energia mecânica em elétrica acionando o motor para funcionar para este fim. Para quem não conhece, o motor elétrico é um conversor de energia, quando aplicamos corrente elétrica ele transforma a energia elétrica em cinética (movimento) da mesma forma que ao movimentá-lo, ele transformará a energia cinética em energia elétrica, e assim poderemos carregar as baterias;

Conversor

3-Conversor DC-DC: para tornar o automóvel mais econômico, vamos retirar o conjunto alternador para carregar a bateria que server para a parte elétrica do carro tradicional, e com este conversor vamos converter a tensão do banco de baterias para a tensão de trabalho do conjunto elétrico do automóvel. Por exemplo, se tivermos um banco de baterias de 84V, teremos que ter um conversor DC-DC para 12v (84-12);

Bateria

4-Conjunto de Baterias: o combústivel elétrico do nosso veículo; O seu carro elétrico

Apesar da falta de incentivos, falta de estrutura, falta de interesse de fabricantes e preços elevados, tentar colocar a roda da mobilidade elétrica para girar “criando” um elétrico por conta requer, além de conhecimento técnico, enfrentar muita burocracia e gastos para regularizar o veículo, alterando o documento junto ao órgão de trânsito, informando de que se trata de um carro movido a baterias.
A Abravei (Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores), inclusive, tenta apresentar um projeto para normatizar a conversão, com certificação de órgãos de segurança e aval das montadoras, a ser apresentado ao Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e ao MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços). UOL Carros

O Denatran publicou a Portaria 279/10 em abril de 2010, a primeira a tratar sobre o tema, autorizando a homologação de automóveis, camionetas, caminhonetes e utilitários convertidos para tração elétrica”, afirma Elifas Gurgel que decidiu montar seu próprio veículo movido a baterias, usando como base um Gol G4 2009.


Aline Gonçalves, engenheira eletricista e dona de uma empresa de painéis fotovoltaicos em Vila Velha (ES), está adaptando um Fusca 1972 para rodar apenas com baterias. “Percebi que há pouquíssima oferta ou quase inexistente no Brasil e os carros disponíveis possuem preços muito acima da realidade da da população”, relata.

Poetize-se: Aline Gonçalves Santos e o fusca elétrico, Volkswagen transforma Fusca em elétrico, Fusca híbrido, , , Itaipu E-400: o primeiro carro elétrico brasileiro, iEV20

Grude na Tela Rural


Grude de Extremoz…
Ingredientes:
1 kg de goma de mandioca ( aquela de fazer tapioca);
3 cocos secos (ralados);
1 leite de um coco (sem acrescentar água) quanto baste;
Sal a gosto.
Modo de preparo:
Junta a goma os cocos ralados e o sal e mistura ate dar liga.
Dispõem a massa em uma assadeira e molha com o leite de coco, logo a pois, por no forno pré-aquecido.
Ficar no forno até dourar e a faca sair limpa.
Obs1.: o sal a gosto, você tem que por e sentir o sal, pois o coco é adocicado.
Obs2.: você pode por folhas de bananeira para cobrir a assadeira e dispor a massa.
Obs3: você pode fazer em fogo a lenha também, fica muito saboroso.
Obs.: Também pode ser feito na própria quenga do coco, fica muito bonito e da um charme na apresentação. Por que não, é gostoso

Carro elétrico, 900 km com uma carga

Os alunos da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, desenvolveram um carro elétrico capaz de percorrer uma distância de 900 km com apenas uma carga, uma distância considerada entre Londres e Edimburgo, consegue ter esse desempenho com a mesma quantidade de eletricidade necessária para ferver água em uma chaleira elétrica.O veículo recebeu o nome de Helia e pode alcançar a velocidade máxima de 120 km/h. Com quatro passageiros, é possível chegar a 80 km/h. O alto desempenho e a eficiência energética do veículo vêm de sua estrutura ultraleve de fibra de carbono e da sua aerodinâmica, além de pneus com baixa resistência ao rolamento. R7A equipe da Eco Racing da universidade é composta por 20 estudantes e liderada pelo diretor do programa, o Xiaofan Zhang. O projeto foi desenvolvido em parceria com diversas fabricantes de automóveis e levou cerca de dois anos para ser finalizado

For The Throne

Para aquecer as expectativas pela oitava e última temporada de Game of Thrones, que teve a estreia em 14 de abril, a HBO espalhou seis tronos de ferro pelo mundo. Os fãs da série foram convocados a uma verdadeira caçada destas relíquias em uma ação que ganhou o nome de #ForTheThrone.

Foram divulgadas imagens de cinco dos seis tronos, veja as fotos e a localização das réplicas reveladas – e tente adivinhar onde está o derradeiro trono antes do prazo, que termina em cinco dias. Vivimetalun

Trono da Floresta – floresta de Puzzlewood (Inglaterra)

Trono do Norte – montanha de Björkliden (Suécia)

Trono de Valyria – Praia das Fontes, em Beberibe, Ceará

Trono de Joy – Castelo de Atienza (Espanha)

Trono do Gelo – Tumbler Ridge (Canadá)

Último trono – desconhecido

O último enigma deve ser publicado em breve pela empresa, que costuma divulgar três vídeos em 360º, com sessenta minutos de duração cada, mostrando os arredores de onde o trono está escondido. Cada produção mostra uma faixa horária diferente: no crepúsculo, durante o dia e ao amanhecer.

Será que você consegue adivinhar onde ele estará? Fique de olho no canal do Youtube da HBO para ser informado de todas as novidades.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Poetize-se: 13 Reasons Why: trilha sonora da série, Rick & Morty & Você, um personagem da 4ª temporada?!?, Dinâmicos, Gregory House M. D., Músic of Cold Case, Emmy Awards 2018