Carteira de motorista grátis?

O sonho de tirar a carteira nacional de habilitação, às vezes, fica pelo caminho por conta do preço, que pode chegar a R$ 4 mil, dependendo da categoria. Alguns estados brasileiros, no entanto, estão com inscrições abertas para a chamada CNH Social, que permitirá a emissão gratuita do documento. Paulo Amaral/Jones Oliveira – Canaltech. 18 de Outubro de 2021 

A iniciativa faz parte de uma ação do Governo Federal em conjunto com a Associação Nacional de Detrans (AND) e conta, atualmente, com 9 estados ativos no programa, incluindo o Distrito Federal. Além da capital do país, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte já emitem a carteira de motorista gratuitamente.

São Paulo, por sua vez, ainda não aderiu ao programa que dá gratuidade para a emissão da CNH. Por enquanto, o governo do estado só oferece a 2ª via do documento sem custos, mas desde que a moradia do solicitante tenha sido atingida por “acidentes ou eventos da natureza”.

A situação pode mudar no futuro, já que tramita na Assembleia Legislativa (Alesp) o Projeto de Lei 318/19, de autoria do deputado Paulo Corrêa Jr. (DEM). O texto pede a gratuidade na emissão da primeira CNH para pessoas cuja renda familiar mensal não ultrapasse o valor de dois salários-mínimos.

Mesmo nos 9 estados em que a carteira nacional de habilitação é oferecida gratuitamente (só em sua 1ª emissão), há requisitos que precisam ser cumpridos para garantir o benefício ao futuro condutor. Apenas quem se enquadrar em uma das situações abaixo poderá procurar o Detran do estado participante do programa do Governo para buscar o benefício. Todos, seja qual for a condição em que se encaixem, precisam estar inscritos no CadÚnico.

  • Ter renda familiar de até dois salários mínimos;
  • Estar desempregado há mais de um ano;
  • Estar inscrito em algum programa social, como o bolsa família;
  • Pessoas com necessidades especiais;
  • Estudante de rede pública com bom desempenho escolar.

É importante ressaltar que, mesmo se o solicitante se encaixar em uma das exigências acima, ainda é necessário verificar junto ao Detran do estado em que reside quais os outros passos a seguir. Apenas depois de concluir todo o processo é que ele saberá se é, de fato, elegível para o benefício e se terá a CNH Social emitida pelo órgão. Auto Esporte – Band

Palavras Perdidas: Geração Uber, 5 acessórios que brasileiro adora, mas não deveria instalar no carro, eTruck, Poupatempo Digital, FUI A EXPOSIÇÃO DE CARROS CLÁSSICOS!

DIA HISTÓRICO: Sexta Turma STJ autoriza cultivo individual da cannabis

DIA HISTÓRICO: Sexta Turma STJ autoriza cultivo individual da cannabis – MovReCam

Live com a advogado do Projeto MMJ comentando a decisão do STJ, no RHC 147.169/SP que abre um grande precedente para o cultivo para fins medicinais.

@sbecmed (Instagram, Facebook, Twitter, Youtube)

@projetomaesjardineiras (Facebook)

Here’s more: 1ª Live MMJ – Chá das Mães Jardineiras – Farmácia Viva e Direito de Cultivo Doméstico4ª Aula do 3º Curso de Cannabis MedicinalCDB e Olímpiadas, as Cannalimpíadas!

COMO SE PREPARAR PARA A FALTA DE ÁGUA?

O diagnóstico feito pela Agência Nacional de Águas (ANA) mapeou as tendências de demanda e oferta de água nos 5.565 municípios brasileiros e estimou em R$ 22 bilhões o total de investimentos necessários para evitar a escassez, e como sabemos, o Brasil não tem fama de ser eficiente em seus projetos. Julio Lobo –  Sobrevivencialismo

O Brasil entrou em 2015 com um panorama econômico complicado, e o possível racionamento para cerca de 125 milhões de brasileiros, algumas regiões ficaram em situação preocupante. A questão é: O que você pode fazer para se preparar?

Curto prazo 

Aqui estamos falando do que você pode armazenar e irá gastar no primeiro momento.

  • Água engarrafada: A maioria das pessoas tem água engarrafada “jogada” em algum lugar em casa ou no carro, mas é interessante comprar uma quantidade razoável e armazenar;
  • Galões de grande capacidade: Para armazenar maior quantidade, só certifique-se que os galões são apropriados para água;
  • Caixa d’agua extra: Se o seu orçamento permitir, investir em uma caixa adicional em sua residência lhe dará maior segurança e capacidade de estoque.

O maior erro das pessoas em cenários de racionamento é querer utilizar a água da mesma forma como em um cenário normal de abastecimento. A forma como você racionará o seu estoque é mais importante do que ter enormes quantidades e gastá-las de maneira desmedida.

Médio prazo

Se a água não voltar após o primeiro momento, você precisará desenvolver meios de encontrar e purificar a água que conseguir.

  • Marque os lagos, córregos e poços artesianos na sua região: Ter um mapa com todas estas possíveis fontes anotadas poderá lhe ajudar a conseguir o que você precisa. Como a maioria das pessoas não se planejará para isso você terá a vantagem de chegar as fontes sem que estas estejam esgotadas ou demasiadamente contaminadas;
  • Adquira sistemas de filtragem: Aqui qualquer filtro é bem vindo, desde os portáteis (Life Straw e afins) até os estáticos como os filtros de barro e purificadores de água semelhante;
  • Estoque purificadores de água: Filtrar não basta, você precisa também eliminar os microorganismos nocivos que podem estar na água. Lembre-se que em cenários de falta de água a diarréia torna-se quase que epidêmica exatamente pela falta de purificação. Procure comprar pílulas como a Aquatabs ou até mesmo água sanitária para ter em seu estoque.

Longo Prazo

Longos prazo sem água podem desencadear caos social e uma série de complicações que vão muito além da sede.

  • Cisternas: Coletar água da chuva é uma alternativa barata e fácil de ser gerenciada. Um simples sistemas de calhas no seu telhado com direcionamento para uma cisterna ou até mesmo barris/baldes poderá lhe propiciar enormes quantidades de água quando haver chuva na sua região;
  • Poços artesianos: Apesar de ser algo difícil de ser feito e igualmente difícil de se conseguir permissão, os poços artesianos lhe darão um estoque virtualmente ilimitado de água. Claro que depende diretamente da sua região, em alguns lugares o lençol freático é fundo demais para ser alcançado;
  • Abandono da região: Como dissemos, a falta de água provavelmente causará caos social onde pessoas literalmente vão matar para conseguir uma garrafa de água. Caso você resida em uma região densamente populosa talvez esta seja a alternativa mais segura para ser levada em conta.

A falta de água causa preocupação e impacta diretamente a vida das pessoas, os impactos socioeconômicos podem ser severos: problemas com produções de alimento, êxodo de áreas urbanas em direção a outros estados e áreas rurais, aumento de violência e muitos outros pontos entrarão em cena.

Onde você mora está havendo racionamento? Qual a perspectiva para a sua região durante esse ano em relação ao abastecimento de água? O que você está fazendo para se preparar?

Palavras Perdidas: Quando será a nova crise hídrica?!?, Expedição pelas nascentes do Rio Saracura, A culpa é do Pedro!?!, Como coletar água, DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Fotógrafo capta a geometria de janelas de diferentes cidades pelo mundo

A arquitetura de uma cidade tem muito a dizer sobre a vida de seus habitantes, seus conceitos de beleza e os detalhes que você irá encontrar em cada residência e alguns fotógrafos preferem se especializar em algum tipo específico de imagens. Vivimetaliun

É o caso de Valentina, que busca recriar bandeiras de países no mundo real e do fotógrafo Jason Peterson, que registra o cotidiano das cidades por onde passa em preto e branco.

world-albufeira
Albufeira, Portugal

O fotógrafo português André Vicente Gonçalves foi um passo adiante ao transformar as janelas de diferentes cidades em uma série única e cheia de cores, que vai te inspirar a andar pelas ruas olhando para cima.

world-alpesAlpesworld-alpes2

Alpes

world-burano

Burano, Itália

Com o sugestivo nome de Windows of the World (“Janelas do Mundo”, em português), ele sai por aí fotografando este elemento da arquitetura e sua evolução em diferentes cidades do mundo. Por enquanto, a série já registra janelas clicadas em Portugal, Itália e nos Alpes europeus.

world-ericeiraEriceira, Portugalworld-evora

Évora, Portugal

world-guimaraes

Guimarães, Portugal

Com diferentes cores e formas, as janelas fotografadas por ele se mostram tão diversas que prometem chamar a atenção de qualquer turista desavisado. “Sempre tive curiosidade sobre janelas. Como a estrutura das casas, elas mudam de região para região”, conta o fotógrafo. E a série é uma prova disso.

world-lisboa1Lisboa, Portugalworld-porto

Porto, Portugal

world-sesimbraSesimbra, Portugalworld-trentoTrento, Itáliaworld-veneza1Veneza, Itália

Todas as fotos: André Vicente Gonçalvesvia

Palavras Perdidas: Tiny Houses: minha doce casinha, A Casa é Sua – Arnaldo Antunes, Soluções ecológicas para afastar insetos, Ergonomia no home office: 6 dicas para sua saúde, Glass Design

R.I.P.

All of the Murals or Graf featured on this page are gone. They have been painted over, tagged into oblivion, the building demolished or met another ill fate. To view what once was, click on the pic below the title of the post. Graffiti Lux Art & More

R.I.P. sweet art!

⭐

Night Fever

Sherrie:Ralph #4
⭐

Lime Refresher

Lime #3
⭐

When You’re Hot

Artists: Jarus and Wysper

Artists: Jarus and Wysper

⭐

Adventures in Graf with Sherrie 2

alisa-1
⭐

Destination Mammal Cabana

Artists: Birdo, Spudbomb and SKE 1

Artists: Birdo, Spudbomb and SKE 1

⭐

Adventures in Graf w/Sherrie – Call Girl

Call #1
⭐

Adventures in Graf 5 w/Sherrie

look-1
⭐

Anser at the Market

MarAns #2

Metallica(ts)

and

Alien Alley Kat

cat-graf-1
⭐

Water Birds & Rhino Love

Artists: Viviana Astudillo and Logan Miller

Artists: Viviana Astudillo and Logan Miller

⭐

Stone Free

⭐

A Fairy’s Secret

Fairy #2
⭐

Aquarius, Phoenix and Dragon

Aquarius #1
⭐

A very Handsome Man

AMan #1
⭐

Clark Gable

⭐

Buddha by Jarus

Artist: Jarus

⭐

BSM

IMG_2935
⭐

I Want Your Skulls

skulls-4
⭐

Tat Parlor Art

EKtat #7
⭐

Market Madness

Artist: Mike Parsons

⭐

Lo Zingaro

Lo #12
⭐

Adventures in Graf w/Sherrie – The Mother Lode

IMG_5102
⭐

“The Mother Lode” Center Section

097
⭐

Chainsaw Girl

chain-1
⭐

The Winds are Changing – Part 1

Artist: Andrew Schoultz

Artist: Andrew Schoultz

⭐

Art Nouveau Beauty

Nouveau #3
⭐

Phoenix Queen

Queen #3
⭐

Welcome to the Jungle

Artist(s): Mandy van Leeuwen, Jennifer Johnson
⭐

Blue Prince

Artists: Mandy van Leeuwen, Jennifer Johnson

Artists: Mandy van Leeuwen, Jennifer Johnson

⭐

A Rose Reflection

Rose #2
⭐

Lucky Seven Lives

⭐

Angel Carillo

I ♥ Angel Carillo

Angel Carillo ★★★★

Cruz #11
⭐

Interesting Alley Art

GardenR #1
⭐

Ice Blindness

Ice #3
⭐

Queen of Hearts

Hearts #1
⭐

Man Eats Fish

Fish #1
⭐

Street Groove

Dancers #2
⭐

The Guy Between

Guy #2
⭐

Wild Horses

Wild #1
⭐

Theatre Engagement Four

Gas #20
⭐

3D Graffiti

3d #1
⭐

Even Teenage Vampires Cry

Artist: unknown

Artist: unknown

⭐

Graf Reflection Glutton

OMG #1
⭐

Sea Bugs?

fence-21
⭐

 Lone Wolf

Wolf #1
⭐

Alley Girl

Bluebelle #1
⭐

Midas Tooth Man

Midas #7
⭐

Popeye Beside & Behind

Popeye #1
⭐

One Rain Girl Gone

Artist: François Pelletier

Artist: François Pelletier

⭐

Graffitification +3

gf-6
⭐

Graffitification +4

gf-7
⭐

Two Faced

2face #4
⭐

Buff Monster

Buff #1
⭐

Ottawa Man Head

Ottawa #1
⭐

Alien Invasion

alien-1
⭐

This Mural’s Roasted

RocaJ #1
⭐

Natasha Silver

Eagle ! to Natasha
⭐

Other Mother Brothas

OMB #1
⭐

Cat or Rabbit

CatRabbit
⭐

Same Lot Different Car Graf

Cars #4

Palavras perdidasGrafite Gardening, Grafite na rua, Grafite são artes públicas, Eco-grafite, Galeria ao ar livre é novo point cultural em Porto Alegre

Say “No” To Blog Abandonment

Yes my friend, giving up is easy to do. Therefore, any fool can scream, “I give up!”

Renard provides bloggers with some easy techniques to prevent blog abandonment. Renard MoreauRenard’s World

People abandon their blogs for various reasons; such as:

  • Loss of inspiration.
  • Not having enough time.
  • Receiving little or no views.
  • Lack of ideas.
  • An unpleasant encounter with trolls.

It takes a lot of perseverance to keep blogging until you see the results you want, blogging itself takes a lot of hard work and usually pays off in the end, so never make the mistake of giving up on your blog. Renard Moreau – Renard’s World

Many of you probably walked in without knowing anything about it, at least decided to get started (This is a thousand times better than wanting to start a blog), plus any blogger can learn the basics of blogging over time.

You must ask yourself, “What kind of content do I like?”

You need to have a plan, if you like a specific topic, your blog can be based on it (professional bloggers need to stick to a niche because it helps search engines identify the specialty of these bloggers).

If you are interested in multiple topics, your blog can be based on that (personal bloggers post multiple topics).

Creating content for your blog is not that hard to do, many bloggers around the world abandoned their blogs because they didn’t know how to consistently develop content for them.

Interacting with like-minded bloggers is fun; also encourages bloggers to keep blogging. You can locate like-minded bloggers through WordPress Reader, of course!

Some people struggle to create and publish a blog post daily when in reality they are only able to create a few blog posts a week, there are bloggers who are able to create and publish content daily.

If you are new to blogging, it would be unwise to expect an average of six hundred views to be received on your blog daily, all bloggers have to gradually work from scratch.

It takes a while for a blogger to build a readership, a popular blogger once stated that it took two years to acquire a large readership, so it is virtually “impossible” to achieve overnight success in the blogosphere.

People who are new to blogging should not focus their attention too much on the views they get, the number of views they get will be a little low, their views will gradually increase if they continue to post high quality content.

Facing trolls can be a little scary for some bloggers, these unscrupulous online characters, trolls should never be allowed to make them abandon the blog they’ve worked so hard on.

The next time the thought of leaving your blog creeps into your mind, think of those beloved readers of yours, who are eagerly awaiting your new posts (these readers are fans of your work).

Keep in mind that we all have something special to offer; either:

  • Passing our knowledge to the reader;
  • Amusing the reader;
  • Sharing our unique passion for a specific hobby;
  • In fact, readers love this sort of thing.

Where there is a will, there is a way. So anyone who is serious about blogging can do their share.

To make sure your blog doesn’t sit still, I advise you to get involved in the following things:

Learn how to create a blog post on a smartphone (this would come in handy the day your computer dies);
Invest your money in a good second-hand computer (A second-hand computer costs much less than a new one and will also come in handy the day your main computer dies);
Make an agreement with a friend or family member to borrow your computer on a specific day (while your computer is being repaired);
The idea here is to find a way for your blog to be updated with new content the day you run into a technological hiccup.

The only things that should stop you from updating your blog would be health or death related issues, there’s really no reason for you to neglect your blog, or worse yet, abandon it.

Palavras perdidas: Blog Grátis ou Blog Pago? Qual a Melhor Opção?, Ghost Writer ou Escritor Fantasma!!!, The Bee Is The Most Important Of The Planet

My blogs: A.I. Carr, Jesus Hemp: Vamos falar de ganja?, Existe Guarani em São Paulo: Conhecimento e cultura dos povos ancestrais.

Conheça nossa MBAE´MO PARA.

Aproveite para contribuir e fortaleçer a Arte e a Cultura Guarani.

Why I Might Give Up Commenting On WordPress

As someone who champions commenting as a means of growing your blog, I figured I should also point out the negative side of things. So what better way to do that than by breaking my regular habit of commenting on blogs? After all, I’d just published this post about being consistent in my blogging duties, […]

Why I Might Give Up Commenting On WordPress

Palavras perdidasGhost Writer ou Escritor Fantasma!!!, Bem-vindo (ou bem vindo?) ao mundo kafkiano do hífen, UM PASSADO AINDA MUITO PRESENTE, CASO MONARK

Cão espera 4 anos no mesmo lugar e consegue finalmente reencontrar tutores

Um filhote perdido esperou no mesmo local por quatro anos antes de finalmente se reunir com seus donos. Gabriela SaçaTribuna de Jundiai

Fotos do cachorro foram compartilhadas nas redes sociais depois que um morador tailandês, Anuchit Uncharoen, o viu parado na beira da estrada no distrito de Mueang, em um cruzamento na cidade tailandesa de Khon Kaen, parecendo ter sido abandonado.

Anuchit viu uma mulher vir dar comida ao cachorro e depois de perguntar, soube que o animal de estimação, que os habitantes locais chamam de Leo, foi visto esperando no mesmo local durante quatro anos.

Ele parecia sofrer de um problema de pele e era muito magro como resultado de viver nas ruas, então a mulher que o alimentou, Saowalak Pinnuchawet, tentou levar Leo para casa.

No entanto, alguns dias depois, ele escapou de sua casa e voltou para o lado da estrada em que foi visto pela primeira vez. Em vez de forçar o cachorro a ficar com ela, Pinnuchawet decidiu entregar a comida para ele todos os dias naquele lugar.

A história foi compartilhada nas redes sociais e, incrivelmente, uma família entrou em contato para dizer que Leo se parecia com o cachorro que havia perdido quatro anos antes.

Nang Noi Sittisarn, uma mulher de 64 anos da província de Roi Et, na Tailândia, quase teve um ataque cardíaco quando sua filha lhe mostrou uma foto de um cão que se parecia muito com BonBon, seu amado companheiro que ela havia perdido durante uma viagem de carro.

Em 16 de fevereiro de 2015, ela e o marido pegaram BonBon e dirigiram para ver sua filha em Khon Kaen, no distrito de Mueang, na Tailândia, mas no caminho de volta, eles de alguma forma perderam o animal.

BonBon (ou Leo) estava na parte de trás do carro com a janela aberta e Dona Nang Noi suspeita que ele deve ter visto alguma coisa e pulou para fora do carro, enquanto esperavam no semáforo.

Noi, a dona do cachorro perdido, disse que eles trouxeram o animal em uma viagem para visitar parentes, mas depois de parar em um posto de gasolina, perceberam que ele não estava mais no carro. A família preocupada presumiu que o cachorro deveria ter saltado e começado a viver nas ruas, mas seus esforços para encontrá-los não tiveram sucesso.

Eles ficaram maravilhados ao saber que seu amado animal de estimação estava esperando por eles por tanto tempo. Então, partiram o mais rápido possivel para se reunir com BonBon.

A perseverança do adorável cão valeu a pena quando a família chegou e foi ao seu seu encontro, o filhote abanou o rabo de entusiasmo e de muita felicidade. Sua longa espera havia chegado ao fim, mas, surpreendentemente, ele não estava disposto a ir com Noi. Parece que durante todo esse tempo em que passou na estrada, ele se apegou à área.

Noi e Pinnuchawet falaram sobre o que poderia ser melhor para BonBon e chegaram à conclusão de que Pinnuchawet continuaria a cuidar dele, enquanto a Noi aparecia de vez em quando para ajudar.

O final, contudo, não poderia ser mais surpreendente: quando chegaram, ele decidiu que não queria ir embora, e escolheu ficar com Saowalak, que havia cuidado dele nos últimos anos.

BonBon foi levado ao veterinário para um check-up antes de começar a vida com sua nova tutora. Unilad

Desde então, Nang Noi e a filha visitam Leo regularmente e levam o que ele precisa.

Espeze-se: Pet Perdidos, O Elo Perdido (2019), Pica-pau extinto!?!, Animais e nossa personalidade!, Um cachorro ‘assassino’, Delegado cachorro., EU LEVO UMA VIDA DE CACHORRO!, Clínicas gratuita para seus pets

Ghost Writer ou Escritor Fantasma!!!

Seja para escrever livros, artigos, colunas ou até mesmo textos para marketing de conteúdo, há muitas opções disponíveis no mercado para quem quer ser um ghost writer.

Ghost writer é o profissional que não recebe créditos de autoria pelo texto que escreveu. Isso faz parte de um contrato ou acordo de cessão de direitos autorais. O ghost writer escreve livros, textos, apostilas e outros materiais, vende a uma pessoa (física ou jurídica) os direitos autorais sobre essa obra e recebe por isso. Luiza Drubscky – Comunidade Rock Content

Ghostwriter é definido como um “escritor fantasma”, um escritor profissional que é contratado para escrever obras pelas quais não receberá crédito oficial, permanecendo anônimo, prática comum desde tempos imemoriais, onde secretários e escribas escreviam discursos e cartas aos governantes, ou os discípulos de um mestre completavam seu trabalho sob a sua direção e, por vezes, a título póstumo. Até hoje, é costume os presidentes lerem discursos públicos que outra pessoa os tenha escrito, ou que “escritores fantasmas” respondam a cartas de cidadãos em nome do presidente, ou que sejam contratados para escrever suas “autobiografias”. UM CANCERIANO SEM LAR.

O “escritor fantasma” nas revistas médicas gera problemas éticos e legais. A preocupação se deve ao fato de que é frequente que as empresas farmacêuticas e as indústrias de produtos de tecnologia médica possam distorcer as evidencias produzidas por ensaios clínicos e não sejam imparciais. SciELO

Posteriormente, não há nenhuma violação ou irregularidade se o texto for divulgado como sendo de autoria de outra pessoa. Aliás, é justamente isso que se pretende fazer por meio da contratação de um escritor-fantasma. Então, se não há autoria e direitos sobre a obra, por que essa é uma ocupação que tem crescido tanto no mercado de trabalho?

Ser um ghost writer é uma forma de praticar suas habilidades de redação diariamente. Quanto maior o fluxo de trabalho, mais regularidade você terá para praticar sua escrita em frente ao computador.

Com o tempo, isso não apenas melhora sua capacidade de argumentação, organização de ideias e exposição de informações importantes, como também reduz a incidência de erros gramaticais e expande seu vocabulário. Ou seja, ainda que você queira escrever textos autorais no futuro, terá muita experiência com a qual contar para aprimorar suas habilidades.

Muitas vezes, o regime de contratação de ghost writers ocorre por meio de trabalhos freelancer. Isso significa que você é contratado por obra, livro ou texto que escreve. Assim, você ganha exatamente pelo trabalho que faz. Se quiser escrever mais textos e pegar mais trabalhos, vai receber mais por isso. Se precisar dar um tempo nas atividades e tirar férias, terá que se programar com um período sem essa renda.

Porém, em sua grande maioria, os contratos celebrados para serviços de escrita ghostwriting são pagos antecipadamente ou por pacotes fechados. Se um escritor convencional precisa aguardar os royalities e variáveis de sua produção, uma vez que o cliente esteja satisfeito com seu texto, o pagamento é realizado de acordo com o combinado.

Se você sabe o quanto vai receber e em que intervalo de tempo, pode planejar retiradas mensais que se assemelham aos salários convencionais do regime CLT.

Também é possível determinar valores mensais para a construção de um décimo terceiro, poupança emergencial e para investimentos com muito mais precisão.

Não há uma área específica em que o trabalho de um escritor-fantasma é mais requisitado. Existe a necessidade de escrever sobre os mais variados assuntos, desde livros sobre nutrição, fitness e saúde, até textos sobre finanças pessoais, administração e recursos humanos.

Se você é uma pessoa criativa, curiosa e interessada em aprender sobre temas distintos de sua área de formação, terá a oportunidade de escrever em várias temáticas. O que realmente importa é a qualidade de sua redação, correção ortográfica e gramatical, além de um trabalho preciso de pesquisa e verificação de informações.

Ghost writers não serão de forma alguma vinculados à autoria dos textos que escrevem. Por mais que isso possa ser um problema para alguns redatores, isso também representa uma boa oportunidade pessoal para se distanciar emocionalmente de seus textos e escrever com mais liberdade. Ao saber que sua autoria não será identificada, você pode se arriscar a escrever sobre temas até então inexplorados, sem medo da reação do público, amigos e familiares.

Na verdade, você inclusive poderá testar suas habilidades escrevendo sobre temas que sempre te interessaram, mas que você nunca teve a coragem de pesquisar e escrever. Nesse contexto, um engenheiro poderá escrever sobre psicologia e comportamento, assim como um advogado poderá explorar seus conhecimentos sobre arte e entretenimento.

O autor de um blog, colunista ou outro profissional de produção de texto intelectual, na maioria das vezes, precisa comercializar seu conteúdo.

Isso significa vender para um veículo de informação, compartilhar nas redes sociais, interagir com os leitores para gerar engajamento por e-mail marketing, fóruns especializados e comentários no post, são muitas responsabilidades, após a atividade produtiva, que demandam tempo e estratégia comercial.

Um ghostwriter não precisa se preocupar com a gestão comercial e relacionamento com leitores, e pode concentrar na produção de conteúdo. Isso é especialmente prazeroso para quem prefere criar a fazer marketing.

Uma paciente de câncer de mama de endstate de meia idade deitava-se na cama e conta sua história de vida para uma escritora fantasma escrever sua biografia e seu livro de memória depois de ela morrer.

Em geral, o ghost writer não é contratado diretamente pela pessoa ou empresa que assumirá a autoria dos textos. Esse tipo de distanciamento também é benéfico ao redator, que poderá escrever com mais liberdade e autonomia, tendo recebido suas instruções de escrita de forma objetiva e sintética.

Lidar com clientes é um problema para muitas pessoas, principalmente, aquelas mais introvertidas ou que têm pouca paciência para lidar com o público. Geralmente, o escritor-fantasma não tem que se preocupar com isso.

Cada vez mais, empresas, colunistas e outros interessados estão migrando sua atuação para plataformas online (sites, apps, blogs, redes sociais, etc.). Isso faz com que a importância do marketing de conteúdo, por exemplo, seja ainda maior.

Blogs institucionais são uma boa forma de atrair clientes, enriquecer os produtos e serviços oferecidos, além de fidelizar consumidores. Por essa razão, há uma demanda crescente por redatores nessa área. Além disso, os desenvolvimentos tecnológicos que facilitaram o acesso a e-books e outras obras digitais também expandiram as possibilidades de atuação como escritor.

Para se tornar profissional, não é preciso ter uma formação específica em letras, jornalismo ou áreas similares. Embora isso ajude bastante, não é um fator que elimine um candidato que goste de escrever e tenha bons conhecimentos gerais.

Escrever sobre pães sem glúten, pão-de-queijo sem glúten, água e até glúten sem glúten vai bombar! O conteúdo deve ser relevante para quem vai comprar, uma vez que ele atrairá o consumidor até dentro da padaria.

Quando ele chegar lá, o padeiro — ou o cheirinho do pão — se encarregará de fechar a venda.

Memes are funny not just because they are ridiculous, but because they point out something ridiculous about life. The fact is that most of us know very little about what other people do for a living. DAVID LEONHARDT – The Happy Guy Marketing

We have neighbours, and we have no clue what they do.

We meet people on the job, doing their job, and we still have no clue what they do.

We have brothers and sisters and aunts and, yes, spouses…and we have no clue what they do.

And many of us would be hard pressed to explain what we, ourselves, do. Yes, it sounds ridiculous. But it’s also true, and it’s reflected in the last two panels of most of these memes:

  • What I think I do.
  • What I really do.

É preciso escolher aquela que se adapta melhor ao seu estilo ou que lhe dará mais oportunidades de ganho e aprendizagem.

Textos escritos com estratégias de otimização do conteúdo. Ou seja, além de informarem o leitor, também contribuem para que os mecanismos de buscas priorizem o texto nos resultados.

Nesse caso, os conhecimentos de marketing de conteúdo se fazem necessários. Nos blog posts, a persona, o tipo de linguagem, o SEO e suas outras diversas estratégias farão companhia aos demais conhecimentos do escritor fantasma.

São conteúdos maiores, que exigem entrevistas e pesquisas mais intensas e estão atreladas a profissionais e pessoas que têm uma história para contar, mas não sabem como fazê-la interessante por meio das palavras.

Existem autobiografias, biografias de presidentes, de famosos, empresários, atletas, modelos, artistas e mais uma infinidade de temas que podem ser explorados pelo ghostwriter.

Além de contribuir para a concepção do conteúdo, nessa modalidade você também estará transmitindo seus conhecimentos. Ele pode ter, por exemplo, o domínio do conteúdo, mas não saiba como desenvolvê-lo.

É parecido com a relação do escritor fantasma na produção de uma biografia e com o foco mais direcionado para a área jornalística ou comercial de uma empresa.

Bom, você já viu que existem diversas oportunidades e iniciar na carreira não é propriamente difícil. Então, o que ainda é preciso considerar?

A rotina de um ghost writer não é livre de desvantagens. Inclusive, é preciso lidar com diversos problemas no dia a dia, que podem ser mais ou menos graves, a depender da personalidade e das características de cada redator.

Já que o texto não é seu, você precisa encontrar exatamente a voz de seus clientes. Muitas vezes, a linguagem deve ser jovem e informal, enquanto em outras precisa ser elaborada e técnica. Ou seja, cada texto apresenta necessidades próprias. Você precisa conseguir adaptar sua linguagem a elas!

Você está confortável com a ideia de ceder completamente seus direitos sobre um texto? Algumas pessoas não se sentem bem com essa ideia, preferindo escrever apenas para sites e editoras que garantam seus créditos de autoria.

Para suprir essa necessidade, você pode criar um blog para fazer suas publicações pessoais, com os temas que curte, e de quebra, ainda pode transformá-lo em seu currículo online e atrair clientes.

Ghost writers, normalmente, são contratados em regime de prestação autônoma de serviços (freelancer). Isso pode significar uma relativa incerteza profissional, já que há épocas com mais oferta de trabalho e outras com menos.

Para superar essa incerteza, é preciso muito planejamento e disciplina financeira, além de um bom histórico de compromisso e relacionamento com seus clientes para garantir maior regularidade de serviços no futuro.

Se você quiser se aventurar como uma profissional autônoma e abrir mão do conforto e abundância de tarefas das plataformas de redação, terá que negociar e colocar preço em sua produção. Ela poderá ser realizada de acordo com o tamanho do texto, volume de caracteres ou palavras, por exemplo.

É preciso preparar psicologicamente e financeiramente, pois, será freqüente ouvir contrapropostas indecentes, que desvalorizam seu trabalho e dedicação.

Existe Guarani em São Paulo
Conhecimento e cultura dos povos ancestrais.

Em alguns casos, será preciso aceitar ofertas de trabalho com valores abaixo de mercado e ainda ter que cobrar do cliente caso ele atrase seus pagamentos.

Outra situação que você como escritor-fantasma independente terá que lidar é com a concorrência. Fora de uma plataforma, será necessário disputar clientes com agências de conteúdo grandes e outros profissionais mais experientes ou dispostos a receberem bem menos que o projeto efetivamente vale.

Do you know what you really do? I mean, do you know what you do well enough to create a meme like this for yourself? The challenge is on!

Contact me: edsjesusii@gmail.com.br

Palavras perdidas: A INVASÃO DO BRASILPEIXE-BOI MARINHOA vida como ela é, Marvel, ThunderComics, Guia dos Quadrinhos, Flash na Biblioteca, Jornada ninja,Via Láctea pelo navegador, Criacionismo., Blue Dragon (Dragão azul), Neil Armstrong, Signo Geek, Cifras

As artérias da cidade

Os quatro anos trabalhando como desbravador renderam apelidos insinuantes: “o caçador de rios”, conforme o The Guardian ou “caçador de nascentes”, como dito no programa Esquenta!, da TV Globo. Da Pompeia ao Perus, são dezenas de riachos, lagos, nascentes, bicas e fontes descobertas por Adriano em suas expedições, disponível na página do Facebook Existe Água em São Paulo. Alex Tajra – Revista Saci

Meu trabalho com as nascentes começou em 2013, quando eu conheci a praça Homero Silva, no bairro em que eu moro, encontrei olhos d´água do rio Água Preta que estavam aflorando e juntamente com alguns amigos começamos a pensar o que poderíamos fazer pra dar vida àquele lugar. Um dia a gente foi lá, sem avisar ninguém e construiu um lago. A partir disso, nos apropriamos do espaço para cuidar das nascentes e a minha relação com as pessoas e com a cidade começou a mudar. Quando a comunidade começou a ver que aquilo era benéfico, que ajudava a reduzir até a dengue, famílias começaram a ter mais contato com a praça. É uma ação prática e, juntando os conhecimentos, é só cada um trazer uma sabedoria diferente. É preciso fazer desses seres, desses cidadãos, agentes transformadores. Cada comunidade, cada bairro, deveria fazer a gestão da sua água, e se reunir pra falar sobre isso. Só assim poderia fortalecer a vida na cidade, pra ter mais qualidade de vida. Fico realmente feliz quando vejo as crianças de quatro, cinco anos, falando de olho d’água, de nascente, de peixes. Esse é o lugar que eu quero alcançar.

Me apropriei daquela praça porque o próprio poder público é contrário a essas intervenções, não dão a liberdade e não capacitam as pessoas para que elas se apropriem dos espaços e cuidem dos espaços. E não só a prefeitura foi contra, vários ambientalistas e acadêmicos vieram me ameaçar de processo, falaram que eu estava mexendo onde não deveria. Já tomei porrada de todo mundo, principalmente dos que não aceitam conhecimentos tradicionais, acham que tem que ser técnico, acadêmico. Existem mais de trezentos rios na cidade e São Paulo tem tecnologia para recuperá-los, mas falta vontade política. Já existe uma biotecnologia que utiliza plantas aquáticas para recuperar as águas poluídas, a chamada fitorestauração. Foi o que fizeram no rio Sena, recuperaram o rio utilizando jardins filtrantes. Por isso eu acho que a gente tem que pôr a mão pra fazer acontecer, não tem como ficar esperando a prefeitura ou o governo, tem que se juntar com as pessoas e ser o agente transformador, não ficar só sonhando.

A convivência com os guaranis mudou muito a minha visão sobre a vida na cidade. Hoje acredito que a cidade deveria ter um formato de aldeia, eu percebi que esse é o melhor modo de se viver. Eu me dei a oportunidade de passar cem dias aqui na aldeia pra entender o modo de vida deles e transformar o meu. Nesses quatro anos que eu frequento a aldeia, eu comecei a perceber a quantidade de coisas erradas que tem lá fora e o quanto a gente vive uma vida individualista. A gente precisa de mais coletividade. Aqui os guaranis não falam que a terra é deles, eles falam que a terra é de todos. A minha relação mudou, tive uma compreensão maior sobre solidariedade, coletividade, de viver uma vida mais simples, menos consumista.

Vejo que as pessoas que vivem na cidade são individualistas, moram em casas cercadas por muros altos, portões altos, condomínios. Muitas vezes essa sensação de medo e insegurança é plantada pela mídia, que faz com que as pessoas tenham medo de sair na rua. Pra mim, a rua é como se fosse o quintal da minha casa. Acredito que as pessoas deveriam ver a rua como a extensão da sua vida. Penso que elas devem ocupar mais os espaços públicos, se organizarem entre si pra cuidar das áreas verdes sem esperar o poder público.Através do meu trabalho eu percebi que a gente pode transformar a cidade, mas também entendi que isso tem que partir de cada um. Você mesmo pode tomar uma atitude, se juntar com os amigos, cuidar de uma área verde, de uma praça. As pessoas têm isso dentro delas, essa coisa transformadora. Só que falta oportunidade, a vida na cidade acaba tomando o tempo de todos. Pra eu mudar totalmente minha vida eu tive que abrir mão de muitas coisas materiais, abrir mão de um bom salário, ganhar bem menos, mas ter uma qualidade de vida muito maior que eu tinha antes.

Quando as pessoas começam a ter essa consciência, já é um passo para se mudar a vida na cidade. A gente tem que derrubar certas barreiras, achamos que a natureza é uma coisa fora do nosso meio de vida, do nosso contexto. Mas não, tudo tem uma ligação: a natureza, o homem, a terra. Tudo está interligado. Quando se desliga isso, vemos essa cidade com pessoas doentes pela falta da natureza. E a gente não percebe porque os rios da cidade são como as veias do nosso corpo, as artérias. Se elas estão sujas, então todo o corpo está doente. São doenças físicas e espirituais.

Eu comecei a ir pras zonas periféricas e fazer expedições por conta da quantidade de nascentes a céu aberto que se encontra nessas regiões. Percebi também que lá as pessoas estão cuidando das nascentes. Isso porque quando acaba a água na cidade, o primeiro lugar atingido é a periferia, e essas pessoas não vão comprar água mineral para tomar banho, elas vão pegar de uma bica ou nascente que tem nos arredores ou até mesmo no quintal de alguém. Quem vive mais afastado, longe do centro, cria uma outra relação com a cidade e com seu território.

Os eventos climáticos extremos, por conta das mudanças no clima, estão acontecendo em menor tempo. Um sinal que eu uso bastante é o volume das nascentes, e eu to vendo aqui hoje que diminuiu bastante o nível da água. É muito grave isso: a morte de um rio e o desmatamento, isso influencia as chuvas, os rios voadores, não estão vindo pra cá. O padrão de consumo de água continua o mesmo. Acho que quando voltou a chover, a chuva lavou a memória das pessoas. E a gente pode viver uma crise dessas de novo, uma nova crise hídrica vai causar um colapso hídrico. Outras pragas, como dengue e febre amarela, também são resultados da destruição da natureza. Estamos colhendo o que plantamos no passado.

Construímos uma cidade para os carros, não pras pessoas. Imagine se antes utilizássemos o rio Tietê como meio de transporte, que existissem portos nas pontes do rio para escoar as mercadorias. Iríamos depender muito menos do automóvel e teriam menos carros nas ruas. Se os nossos rios estivessem limpos teríamos parques lineares com reflorestamento. Agora, pense, imagine uma cidade com os rios limpos. O empresário está andando na Faria Lima, de terno e gravata, e pára para tomar um banho de rio no horário de almoço.

Ninguém mudou seu padrão de consumo, e o poder público insiste na ideia de buscar água cada vez mais longe e não se preocupa com o próprio quintal. Acredito na recuperação dos rios e na distribuição de água local na cidade. Poderia existir uma logística para distribuição de água aqui, como bairros ecológicos e pequenas estações de tratamento espalhadas. Se existisse esse tipo de organização, quando houvesse uma crise hídrica, as pessoas fechariam a torneira da Cantareira e abririam a dos rios da cidade. Existe essa possibilidade, isso pode ser feito.

No início de uma longa conversa na Aldeia Tekoa Itakupe, em frente ao lago que está desbravando junto aos guaranis, Edson Djekupe e colaboradores através de oficinas, Adriano explica que a região abriga a bacia hidrográfica do Ribeirão Manguinho, um rio vivo que não recebe nenhum tipo de poluição ou esgoto, mas que se encontra parcialmente assoreado, pois parte de sua mata ciliar foi derrubada pelos juruás (homens brancos) para o plantio de eucalipto. Fora

Artirize-se: Essa Terra Chamada Brasil Foi Invadida, Bolsa família, Nossas crianças estão sem água, precisamos da sua ajuda!, Kaingang, Acampamento Terra Livre, Entre Batismos e Degolas: (Des)Caminhos Bandeirantes em SP, John Mawe no Pico do Jaraguá

TEORIA DO CAPITAL HUMANO – RESUMO

A teoria do capital humano inovou a concepção de sociedade dos políticos e empresários modernos. Enquanto o mundo todo buscava aumentar a linha de produção, intensificar o ritmo de trabalho e focar no maquinário, Theodore Schultz caminhou na direção contrária, focando a economia na alegria do homem de carne e osso. TÊTE-À-TÊTE

A Teoria do Capital Humano alega que investimentos em educação e saúde podem aprimorar as habilidades e a vontade de trabalhar dos indivíduos, aumentando sua satisfação e produtividade, o que melhoraria a sociedade como um todo.

Capital vem do latim, capitale, palavra latina originada da palavra caput, que significa “cabeça”. Isto é uma alusão à riqueza, que em outros tempos era maior de acordo com a quantidade de cabeças de gado possuídas. O termo também pode significar liderança e poder.

Em economia, capital é um bem destinado à produção de outros bens econômicos. Por exemplo, uma máquina que faz xícaras é um capital, porque produz outros bens econômicos.

O dinheiro é uma espécie de capital, porque com ele é possível adquirir outros bens ou comprar materiais necessários para alguma produção. O dinheiro, portanto, gera valor ou itens de valor. 

Por sua vez, os bens de consumo estão diretamente ligados à satisfação do homem. Antes de Schutz, grande parte dos intelectuais da economia não consideravam os bens de consumo como capital.

A teoria do capital humano de Schultz, em resumo, traz uma inovação na maneira de classificar o capital e no modo de hierarquizar os bens econômicos.

Muitos economistas encaravam os bens de consumo como algo não produtivo, focando no desenvolvimento do capital técnico, ou seja, equipamentos e geração de valor stricto sensu. Schultz vê a economia de modo diferente.

Para ele, quanto mais um funcionário estiver satisfeito na vida pessoal, maior será a possibilidade de que ele trabalhe mais e melhor.

Schultz vê nos bens intelectuais, nos bens de consumo e nos bens pessoais uma possibilidade de aumentar as produções de capital. Assim, os bens da vida particular, que estão fora do termo capital da economia, foram chamados de capital humano.

A teoria afirma que o auxílio no aperfeiçoamento da vida pessoal dos trabalhadores é um investimento que pode ser feito pelo governo e pelas empresas. Alguns exemplos são:

  • investimento do governo para aprimorar escolas, pensando na diversão dos alunos e no ensino da moral;
  • investimento das empresas na saúde dos trabalhadores, fornecendo médicos, dentistas e nutricionistas;
  • investimento no aprimoramento intelectual dos funcionários, com cursos de ética, psicologia, literatura e etc.;
  • realização de palestras sobre temas importantes para a vida particular e social;
  • investimento das empresas no aprimoramento dos funcionários em questões técnicas, que não sejam 100% relacionadas com o trabalho do funcionário;
  • incentivo à união dos funcionários através de confraternizações e prática de esportes coletivos e atividades de lazer.

A maneira como Theodore Schultz descobriu esses elementos influenciou grande parte dos postulados da teoria do capital humano, segundo sua teoria, quanto maior o desenvolvimento do capital humano, maior o desenvolvimento do capital.

Theodore Schultz, criador da teoria do capital humano
Theodore Schultz, criador da teoria do capital humano.

A teoria do capital humano surgiu em 1971, através das observações do economista da Universidade de Chicago, Theodore Schultz, ganhador do prêmio Nobel de economia. Schultz estava desenvolvendo a disciplina da Economia da Educação, até que chegou ao ápice dos seus estudos no lançamento do livro Investment in Human Capital: The Role of Education and of Research, em 1971.

O rápido reerguimento de alguns países após a II Guerra Mundial foi vital para a teoria do capital humano.

O Japão e a Alemanha reergueram suas economias rapidamente no pós-guerra. Em contrapartida, a Inglaterra fazia racionamento de alimentos anos depois do fim dos conflitos.

Estudando esse fenômeno, Schultz percebeu que os países que melhor se reconstruíram, passaram por uma intensa dedicação nas áreas da saúde e da educação de todos os seus cidadãos.

Sem os empecilhos de ter que correr atrás de sua sobrevivência e com um bom foco profissional, fornecido pela educação, os cidadãos japoneses e alemães podiam dedicar-se à vida acadêmica e de produção técnica com muita facilidade.

Schultz também constatou que os EUA tinham uma vantagem que os favorecia economicamente: seus cidadãos investiam em aprimoramento pessoal. Os EUA eram a maior economia do mundo, e ao mesmo tempo eram um dos países que mais possuíam a cultura de desenvolvimento pessoal.

Schultz relacionou os dois fatores e descobriu que os investimentos pessoais eram uma das causas primárias do sucesso econômico dos Estados Unidos.

A teoria do capital humano passou a ver o investimento em bens particulares e bens de consumo como um dos principais potencializadores da economia, diferentemente do que propõe a tese marxista.

Os representantes da teoria econômica do capital humano, por sua vez, afirmam que a aplicação de seus métodos é benéfica tanto para os patrões quanto para os funcionários. Os trabalhadores receberiam o salário justo e investimentos que vão além do pagamento devido.

Os capitais humanos são todos os bens pessoais que geram satisfação à pessoa e que elevam as capacidades que não estão diretamente ligadas a função do trabalhador, exemplos de capitais humanos são:

  • Desenvolvimento cultural — conhecimentos humanos como filosofia, psicologia, literatura;
  • Desenvolvimento de conhecimentos técnicos, como informática, comunicação objetiva e conhecimento gramatical;
  • Conhecimento de bons valores através da ética, especialmente ética profissional;
  • Atividades de lazer.
Em que sentido a teoria do capital humano está presente nas políticas educacionais?

Um dos principais fatos sociológicos para a disseminação da teoria foi o apoio das instituições pertencentes ao acordo de Bretton Woods, que consistiu na resolução de grandes instituições financeiras para financiar iniciativas vocacionais e educacionais pelo mundo. As principais instituições que assinaram o pacto foram o Fundo Monetário Internacional – FMI e o Banco Mundial.

Um dos principais investimentos no Brasil é o BIRD, projeto que emprestou 250 milhões de dólares para a realização do projeto Novo Ensino Médio.

Gary Becker foi um dos responsáveis em disseminar a teoria do capital humano no meio acadêmico, fazendo com que o pensamento adquirisse importância intelectual em diversas faculdades.

Uma das influências de Schultz no Brasil pode ser vista no grande investimento do país em educação, que cresceu exponencialmente após a década de 80. Brasil, Pátria Educadora, era o principal lema do governo da presidente Dilma Rousseff, a partir de 2015.

Um estudo feito por Ricardo Paes de Barros demonstra que os investimentos financeiros na educação brasileira cresceram, mas a produtividade profissional ficou estagnada e demonstrou quedas em alguns períodos.

Gráfico à respeito da evolução da qualidade de ensino em certos países, incluindo o Brasil.

Em 2018 o Brasil participou do PISA, uma pesquisa de avaliação do ensino escolar internacional. Dos 79 países que participaram, o Brasil ficou na 60ª posição. Atrás dos Emirados Árabes Unidos, Vietnã e México. 

O percentual do PIB brasileiro que sai dos cofres públicos para financiar a educação chega a ser de quase 6%, totalizando mais de R$100 bilhões de reais. Esse número não está abaixo do padrão da OCDE; antes, pelo contrário, é 30% maior que a média.

O problema da educação brasileira não é de investimento. É necessário analisar como é usado esse investimento e qual é o método de ensino.

O Brasil utiliza o método educacional do socioconstrutivismo, na vertente do educador Paulo Freire, que vislumbra uma educação que liberta. Platão, Aristóteles e tantos outros falaram sobre o papel que a educação tem, incluindo o viés de libertação da alma.

O professor de história, Thomas Giulliano, autor do livro Desconstruindo Paulo Freire, explica que o patrono da educação tratava a história do Brasil como formada pela alienação, pelas desigualdades e pela opressão e, assim, sua pedagogia deveria ser o meio de libertação do aluno, tornando-o um agente transformador da sociedade.

O ensino de Paulo Freire é baseado na doutrina da luta de classes de Karl Marx, segundo o aluno deve ser educado para militar contra a lógica da economia de mercado e dos valores conservadores, instituições que Marx encarava como as causas dos males da sociedade.

Segundo o especialista em educação, professor Felipe Nery, o problema da educação no Brasil não é um problema de falta de recursos ou de pouco investimento, o Brasil aplica em seu sistema educacional um “valor” acima da média dos países desenvolvidos. O problema é ideológico e começou no período militar. 

Nesse período, o primário passou a ser voltado à formação intelectual do aluno e o secundário à preparação de trabalhadores para o mercado.

Paulo Freire tornou-se secretário da educação de São Paulo, criou a medida da aprovação automática e sua doutrina educacional, que envolve a alfabetização e a educação militante, tornou-se regra nos currículos universitários brasileiros, estabelecendo esses fundamentos na sua maior obra, intitulada Pedagogia do Oprimido.

Ou seja, há um problema na cultura educacional: ela instrumentaliza politicamente os alunos ao mesmo tempo que compacta seus conhecimentos e técnicas para o mercado de trabalho. brasilparalelo

Humanize-se: E se Karl Marx vivesse hoje em dia? Socialismo vs ou = Capitalismo, Marx escreve uma carta de repúdio ao professor, BRANCA ALVES DE LIMA, Paulo Freire plagiou professor americano e destruiu a educação brasileira, Gatos x cachorros x escravos

PORQUE ARMAZENAR SAL – PROTOCOLO 550

PORQUE ARMAZENAR SAL É TÃO IMPORTANTE | PROTOCOLO 550 | ARMAZENANDO COMIDA EM CASAGuia do Sobrevivente

1001 UTILIDADES: UM DOS ALIMENTOS MAIS IMPORTANTES DO SEU ESTOQUE E COM CENTENAS DE USOS ALTERNATIVOS

Aos seis anos de idade “eu” comecei no escotismo e nunca mais parei, foi lá que pude aprender e treinar muitas habilidades. Como chefe escoteiro passei a me dedicar aos estudos e pesquisas sobre autossuficiência individual e doméstica e sobrevivência em todos os seus aspectos.

O 𝐂𝐮𝐫𝐬𝐨 𝐆𝐔𝐈𝐀 𝐎𝐅𝐅 𝐆𝐑𝐈𝐃, 𝐯𝐢𝐯𝐞𝐧𝐝𝐨 𝐟𝐨𝐫𝐚 𝐝𝐚 𝐫𝐞𝐝𝐞 te guiará pelo universo da sustentabilidade, autossuficiência, preparação para emergências e para uma vida sem depender de nada, nem de ninguém. Crie com tuas mãos tudo o que precisa para uma vida plena, segura e saudável.

Você está preparado para enfrentar situações que deixam você e sua família vulneráveis?

Eu não estava!

E em 2009 quando tivemos que enfrentar aquela conhecida “marolinha” eu e minha esposa vimos o nosso negócio afundar. E se não bastasse isso, ela estava grávida do nosso primogênito.

Morando longe da família, sem muitas perspectivas de emprego, resolvi começar a tornar o meu quintal mais produtivo afim de garantir nutrientes básicos para a gestação da minha esposa.

Em momentos de desespero, o humor nos centra e também nos une, fazendo com que nos sintamos mais fortes e encorajados à passar pelas dificuldades e pesos. CássiaUnebrasil

E foi aí que tudo começou! Na época eu acabei ganhando um problema de saúde sério e o medo de não poder repassar meus conhecimentos para o meu filho bateu na porta. Senti a necessidade de fazer um diário para, que na minha falta, a mãe pudesse treina-lo.

Só que nessa época os blogs estavam em alta e o Youtube começa a dar os primeiros passos no Brasil, foi quando um amigo sugeriu que ao invés de escrever eu deveria gravar vídeos.

Assim nasceu o Guia do Sobrevivente, que hoje se tornou uma gigantesca família cujo objetivo principal é preparar preparadores pelo Brasil.

𝗖𝗼𝗻𝗵𝗲ç𝗮 𝗻𝗼𝘀𝘀𝗼𝘀 𝗺𝗮𝗻𝘂𝗮𝗶𝘀: https://hotm.art/Hsm8zn

Nesses quase 10 anos já ouvimos muitas histórias, já presenciamos greves que por dias deixou o Brasil no caos.

Vimos o milhões de pessoas perderem seus empregos e outras tantas ficarem no desalento. Vimos epidemias fazer suas vítimas, chuvas devastarem cidades e tsunamis de lama soterrar centenas de pessoas. Vimos também a criminalidade aumentar e deixar o cidadão de bem, assim como eu e você, refém em suas próprias casas. Também presenciamos a crise hídrica que deixou milhares de paulistanos sem água nas torneiras por um longo período.

Foram inúmeras tentativas e erros até acertamos, para que você não precise errar na hora de colocá-los em prática, e foi assim que começamos a compilar nossos anos de estudo e pesquisas no que chamamos de Manual Básico de Preparação Civil: Guia do Sobrevivente. Para que você possa se preparar de forma eficiente, minimizando erros e maximizando os benefícios.

A previsão é que este manual ganhe novos volumes a cada ano. Ele evolui conforme nós evoluímos a nossa casa e já são três volumes de material exclusivamente adaptado a realidade brasileira.

No volume 1 – Como Sobreviver a Crises e Ameaças falamos sobre os princípios básicos da autossuficiência doméstica e o que é o conceito do sobrevivencialismo, como ele surgiu e quando começou a ganhar espaço no cenário brasileiro.

O volume 2 – Alimentação: como armazenar, conservar e cozinhar alimentos de sobrevivência traz diversas técnicas adaptadas sobre conservação e preparo de alimentos, visando a segurança alimentar do um indivíduo ou família, independente da sua situação.

Já o volume 3 – Planner para Preparadores é um modelo de planejamento e organização anual para preparadores que tem o intuito de ajudar no dia-a-dia de quem está montando suas preparações e facilitar que as metas sejam alcançadas. Com ele você também poderá definir as preparações que quer adquirir ao longo de cada mês, controlar o estoque de armazenamento de alimentos, primeiros socorros e ter um rápido controle de suas finanças, tendo tudo sempre ao alcance das mãos.

𝐀𝐠𝐨𝐫𝐚, 𝐬𝐞 𝐯𝐨𝐜ê 𝐪𝐮𝐞𝐫 𝐧𝐨𝐬 𝐞𝐧𝐯𝐢𝐚𝐫 𝐚𝐥𝐠𝐮𝐦𝐚 𝐜𝐨𝐢𝐬𝐚, 𝐚𝐧𝐨𝐭𝐞 𝐚í:

Caixa Postal Guia do Sobrevivente 270 – Monte Alto – Cep 15910000

Guia do Sobrevivente é um canal de tutoriais e projetos que salvam vidas e resolvem problemas do dia a dia. Ajudamos você a se preparar melhor para situações extremas, economizar uma grana e aprender coisas novas e úteis, a mais antiga mídia civil especializada em sobrevivencialismo no Brasil.

Salze-se: Flash na Biblioteca, Batman – O Livro dos mortos, Máquinas Voadoras, Salário necessário, Remedios Saludables, 10 utilidades do sal úteis no dia-a-dia, Um saco de sal, Sal Verde, Sal e vinagre

Personagem SP: Adriano Sampaio, Adversidade e III SEMAGEO

Conheça a história de vida de Adriano Sampaio, um dos grandes personagens da cidade de São Paulo. TV CÂMARA SÃO PAULO – Publicado em 21 de fev de 2018

A água em SP não acabouAdversidade em ação

O programa Adversidade entrevistou os caçadores de nascentes. Às margens da Represa Billings, o ativista ambiental, Adriano Sampaio, e o pesquisador, Ramon Bonzi, contaram onde está a água de São Paulo e deram dicas para solucionar a crise hídrica.

III SEMAGEO – Existe água em SP: Caçador de nascentesSemageo Ligea

Com a incrível presença de Adriano Sampaio, ouvimos e conversamos sobre a disponibilidade real da água em SP.

Dia Internacional da Maconha – Weed`s Day

O dia 20 de abril, grafado como 4/20 em inglês, é comemorado internacionalmente como Weed`s Day. Traduzindo, é o Dia Internacional da Maconha. Ou Pot Day, como é conhecido em outros países. Jesus Hemp

14249

A data sempre foi marcada pela realização de mobilizações, marchas e manifestações, cujas lutas se centram na descriminalização e na regulamentação da maconha a nível global. Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis (SBEC)

Originária da região do norte do Afeganistão, a planta Cannabis Sativa, a maconha, é utilizada há aproximadamente 6.000 anos. O primeiro escritor a mencionar o uso do cânhamo em cordas e tecidos é Heródoto, um historiador grego que é considerado o pai da história. A fibra do cânhamo, presente no caule da maconha, foi muito utilizada nas cordas e velas dos navios gregos e romanos, e era usada também para fabricar tecidos, papel, palitos e óleo. ENTRETENIMENTOS

flor coracao vermelho São Paulo pode criar hoje o “Dia Municipal da Maconha Terapêutica”

Há registros do uso medicinal de maconha desde a era de Assurbanípal, o último grande rei da Assíria, que morreu em 626 a.C., de acordo com relato histórico no livro Cannabinoids as therapeutic agents (Canabinoides como agentes terapêuticos), publicado em 1986 pelo bioquímico israelense Raphael Mechoulam. Também há registros no Egito antigo, na Grécia e na Roma antigas. O naturalista Plínio, o Velho (23-79 d.C.), da Roma Antiga, descreveu em detalhe o uso médico.

Da Idade Média ao século XIX os registros continuaram na Europa, na Índia e na Pérsia (atual Irã), na medicina tradicional chinesa. Com o uso generalizado, tanto do ponto de vista geográfico como em tipos de tratamentos, o surpreendente é que a partir do século XX tenha se tornado uma substância tão proibida nos países de cultura ocidental. Aconteceu por motivos principalmente políticos, com liderança norte-americana.

Mas como surgiu o código 4:20? O que, dentro da cultura canábica, é um número usado para se referir ao ritual do uso da maconha, tem a origem em um mito da Califórnia. Por coincidência, um dos primeiros estados americanos a autorizar o uso medicinal (1996) e recreativo (2016) da maconha.

20 de abril ou 4/20: O Dia Mundial da Erva

Segundo o jornalista Steven Hager, de uma das mais conhecidas revistas especializadas em cannabis, a High Times, o termo surgiu em 1971 na Califórnia com um grupo de adolescentes da San Rafael High School, uma espécie de confraria chamada “Os Waldos”. Eles se encontravam sempre às 4:20 pm (16:20) para fumar maconha perto de um muro, na parte externa da escola.

Em certa ocasião, os jovens, que já curtiam a erva, receberam um mapa de um trabalhador da guarda costeira que levaria a uma plantação de maconha em Point Reyes, próximo à São Francisco. Outra referência era que 4:20 era um código usado para se referir ao momento que eles deveriam se encontrar para sair em busca do tesouro nunca encontrado.

Uma outra crença comum é que 420 era a polícia da Califórnia ou o código penal para a maconha. Mas não há muitas evidências sobre essa teoria. Cannabis & Saúde

Há também a versão de que existem 420 compostos químicos ativos na maconha, daí uma conexão óbvia entre a droga e o número. Mas esse número é, na verdade, superior a 500 – sendo mais de 100 canabinoides.

Segundo Steve Bloom, editor High Times, uma das primeiras publicações sobre a maconha nos Estados Unidos. o termo virou uma um código semiprivado, que os usuários de maconha vão encontrar por todos os lados. O número aparece até no filme Pulp Fiction, de Quentin Tarantino, no relógio de um dos personagens. BBC

Bom, seja como for, 4:20 se tornou universal símbolo da cultura canábica em todo o mundo. Em países onde o consumo adulto da Cannabis já está legalizado, festas e festivais são amplamente promovidos para celebrar o Dia da Maconha.

A promessa de contribuir para todos esses tratamentos tem gerado interesse na esfera acadêmica sobre a farmacopeia produzida pela planta Cannabis sativa. Uma busca na base de dados Pubmed revela um número quintuplicado de artigos científicos entre 2000 e 2019 sobre essa classe de substância.

Na mídia, as menções também se tornaram mais e mais frequentes em anos recentes, assumindo ares de novidade apesar do histórico de uso que remonta a cerca de 2 mil anos. É por isso que a empresária Viviane Sedola, fundadora da empresa Dr. Cannabis e eleita pela High Times – revista norte-americana que defende a legalização da erva – como uma das 50 mulheres que se destacaram nessa área no mundo, qualifica a planta e seus derivados como uma novidade milenar. Em alguns países, como parte dos Estados Unidos, Uruguai e Canadá, a medida adotada foi liberar o uso medicinal da maconha – por vezes a própria erva a ser fumada –, uma decisão controversa. Nos Estados Unidos também está disponível uma profusão de preparados vendidos como suplementos alimentares, cremes para a pele, biscoitos que prometem acalmar bichos de estimação estressados ou com dor, entre outros. Maria Guimarães – Revista Pesquisa FAPESP

Here’s more: Horóscopo Canábico: confira o que os astros reservam para os canabistas em 2022.Sisters of the Valley, 1ª Live MMJ – Chá das Mães Jardineiras – Farmácia Viva e Direito de Cultivo Doméstico

Todo Dia é Dia de Indígena

A escolha da data recorda a realização do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, que ocorreu em 19 de abril de 1940 em Patzcuaro, México. Calendar

O objetivo deste congresso era reunir os líderes indígenas das diferentes regiões do continente americano e zelar pelos seus direitos. Na ocasião, foi proposto que os países da América adotassem o dia 19 de abril como o Dia do índio.

Afinal, antes da chegada dos primeiros europeus em terras americanas, todos os países deste continente eram amplamente povoados por grandes nações indígenas.

Infelizmente, a ganância e a crueldade humana fizeram com que muitas “tribos” (na verdade ‘Tekoa’) fossem totalmente dizimadas e grande parte da cultura indígena fosse esquecida.

No Brasil, a data foi oficializada através do Decreto-lei nº 5.540, de 2 de junho de 1943, e tem como objetivo mostrar à população brasileira o quanto o povo indígena contribuiu para a sua formação.

A Organização das Nações Unidas (ONU) também criou o Dia Internacional dos Povos Indígenas (9 de agosto) para conscientizar os governos e população mundial sobre a importância de preservar e reconhecer os direitos dos indígenas.

Em 1500, quando os portugueses chegaram ao Brasil, estimava-se que havia por aqui cerca de 6 milhões de índios. Nos anos 50, segundo o antropólogo Darcy Ribeiro, a população indígena brasileira estava entre 68.000 e 100.000 habitantes.

Passados os tempos de matança, escravismo e catequização forçada, atualmente há cerca de 280.000 índios no Brasil, segundo Lucas Kuaray da etnia Guarani Mbya os números seriam superiores a estes apresentados.

Contando os que vivem em centros urbanos, a população indígena ultrapassa os 300.000. No total, quase 12% do território nacional pertence aos índios.

Quando os portugueses chegaram ao Brasil, havia em torno de 1.300 línguas indígenas. Atualmente existem apenas 180. O pior é que cerca de 35% dos 210 povos com culturas diferentes têm menos de 200 pessoas.

Hoje em dia, o que parecia impossível está acontecendo: o número de índios no Brasil e na Amazônia está aumentando cada vez mais. A taxa de crescimento da população indígena é de 3,5% ao ano, superando a média nacional, que é de 1,3%.

Por quê: homenagear os povos indígenas do Estado – AS&M Publicidade e Marketing.
Regina Mendes 

Em melhores condições de vida, alguns índios recuperaram a sua auto-estima, reintroduziram os antigos rituais e aprenderam novas técnicas, como pescar com anzol.
Muitos já voltaram para a mata fechada, com uma grande quantidade de crianças indígenas. “O fenômeno é semelhante ao ‘baby boom’ do pós-guerra, em que as populações, depois da matança geral, tendem a recuperar as perdas reproduzindo-se mais rapidamente”, diz a antropóloga Marta Azevedo, responsável por uma pesquisa feita pelo Núcleo de Estudos em População da Universidade de Campinas.

Com terras garantidas e população crescente, pode parecer que a situação dos índios se encontra agora sob controle. Mas não! O maior desafio da atualidade é manter viva sua riqueza cultural.

Aqui tem mais, divirta-se: Existe Guarani em São Paulo, Medicina

Conheça a loja MBAE´MO PARA.

Aproveite para contribuir e fortalecer a arte e cultura Guarani.

Norman: Confie em Mim

Norman: Confie em Mim – Filme Completo Dublado – Suspense | Adrenalina Freezone BR

Norman: Confie em Mim, com Richard Gere (Uma linda Mulher), Lior Ashkenazi, Michael Sheen.

Dirigido por Joseph Cedar.

Título original: Norman: The Moderate Rise and Tragic Fall of a New York Fixer

Sinopse: Norman é um “faz-tudo” da política que consegue tudo o que quer, custe o que custar. Quando acaba envolvido em escândalo por sua relação com o primeiro-ministro de Israel, ele fará de tudo para defender sua reputação.

Normaze-se: 50 filmes que são melhores do que o livro, Filmes e seus carros, OS ETERNOS DA MARVEL ESTÃO NA BÍBLIA, Antes que eu vá, O Anjo de Auschwitz

🏹 Garanta já sua vaga para o Acampamento Terra Livre 2022 🏹

Le Congrès brésilien accélère un projet de loi génocidaire sur le “paquet de la mort”, PL191, afin d’ouvrir les terres autochtones à l’exploitation minière – une activité interdite par la Constitution.Selon les dirigeants autochtones, «Cela détruira notre forêt et contaminera les animaux et les poissons, ainsi que notre sol et nos eaux sacrés.» Les peuples autochtones ont manifesté devant le STF (Cour Suprême Fédérale) de Brasilia appelant les législateurs : «Ne légalisez pas le vol de nos terres et la mort de nos enfants !» Barbara Crane Navarro in: Tiny Life

🏹 Acampamento Terra Livre 2022 🏹

Esse ano o ATL retoma suas atividades presenciais em Brasília, entre os dias 4 e 14 de abril, com o tema: Retomando o Brasil: demarcar territórios e aldear a política. Existe Guarani em SP

Preenchendo o formulário abaixo você garante sua vaga no busão que sairá da Barra Funda, dia 10/04 de manhã e volta 15/04.

No formulário de inscrição tem mais informações!

Formulário: http://soniaguajajara.com.br/atl-2022/

Nos vemos na luta! ✊🏼

Acampamento Terra Livre, ano de 2021, segunda edição virtual. Demarcando as telas e lutando por direitos.

Após o pior março das nossas vidas, traremos o abril de maior mobilização das nossas lutas! Vimos mais de 1000 dos nossos caírem para a pandemia da covid-19, e sentimos a dor da perda de nossos velhos. Mas nós, povos indígenas, também temos ao nosso lado a força dos ancestrais. Há dezessete anos realizamos o Acampamento Terra Livre, e no ano de 2021 realiamos a nossa segunda edição virtual. Demarcando as telas e lutando por direitos entre os dias 5 e 30 de abril.

O abril indígena é uma das principais referências de mobilização popular nos tempos democráticos. Somos a maior mobilização do movimento indígena, que tradicionalmente ocupa Brasília para reivindicar nossos direitos garantidos na Constituição de 1988. Em 2020, fomos o primeiro grande movimento a realizar uma programação inteira virtualmente no contexto da pandemia de covid-19. Continuaremos a ser a vanguarda dos movimentos sociais no combate à agenda de morte do atual governo.

J

Ao longo do penúltimo ano nos unimos a especialistas, pesquisadores e profissionais das mais diversas áreas, mas sobretudo, voltamos a nossas aldeias, a nossas terras, e falamos com os ancestrais, para discutir propostas, buscar soluções e cobrar ações. Em um mundo doente e enfrentando um projeto de morte, nossa luta ainda é pela vida.

Acompanhe nossas transmissões e a programação nas redes da Apib.

@lutaparquejaragua

Instagram: (www.instagram.com/lutaparquejaragua)

Outras lutas: Maior encontro dos povos indígenas do Brasil on-line!!URGENTE!! Votação do PL #CinturãoVerdeGuaraniOs Guarani convocam povo de SP para proteger Terra Indígena Jaraguá, Cartilhas de agroecologia, saberes técnicos e tradicionais

Motores de dobra: não são mais apenas ficção científica!

Todo fã de Star Trek deve saber quem foi Zefram Cochrane, responsável pela invenção do motor de dobra espacial. AnjosEngenharia Hoje

No entanto, poucos sabem quem é Miguel Alcubierre, o físico que, no ano de 1994, afirmou que seria possível utilizar motores de dobra sem ser necessário entrar em conflito com a Teoria da Relatividade.

Nesse momento, dois físicos anunciaram como realizar isso, cientes da hipótese de Alcubierre, mas não creem nos motores de dobra dentro da Física.

Segundo Alexey Bobrick, astrofísico da universidade Lund, isso, porém, não é o mais correto. A pesquisa mostrou que há, na realidade, outras classes de motores de dobra que podem existir segundo a Relatividade Geral.

Massas de imensa grandeza são naturalmente capazes de formar o espaço-tempo.

O trabalho de Alcubierre, “The Warp Drive: Hyper-Fast Travel Within General Relativity” (em português, algo como “Dobra espacial: viagem hiper-rápida dentro da relatividade geral), sugere um mecanismo pelo qual o espaço-tempo pode ser “deformado”, tanto na frente quanto atrás de uma nave espacial. Hypescience

O físico Harold White e sua equipe na NASA anunciaram que estavam trabalhando no desenvolvimento de um motor de dobra capaz de viajar mais rápido do que a luz.

Alcubierre sugeriu, então, que seria possível dobrar o tecido do Universo para que a nave escorregaria para frente, avançando pelo espaço sem sair do lugar. 

Problema encontrado: o motor deveria ser construído com matéria exótica, produzindo energia negativa, mas ambas existentes somente no campo teórico.

Integrantes da Applied Physics são eles: Bobrick e o coautor do trabalho, o físico Gianni Martire, caracterizados como um grupo independente de cientistas, engenheiros e inventores que auxiliam empresas e governos, assessoram por meio da ciência e tecnologia para serem aplicadas em fins  humanitários e comerciais.

O modelo sugerido pelos dois integrantes seria o de uma nave com forma de disco, que deslizava empurrado pela força da inércia após atingir uma velocidade. Tudo parece muito empolgante, porém o problema (até porque sempre há algum) é que esse protótipo teria que ser projetado por materiais com densidades inalcançáveis pela atual tecnologia.

 Mesmo que seja matemática e fisicamente possível, os motores de dobra ainda estão longe de ocorrer, para Martire, mesmo que  não seja possível quebrar a velocidade da luz, não é preciso realizar isso para tornarmos uma espécie interestelar.

O físico Miguel Alcubierre sugeriu o uso da famosa “matéria exótica”, um tipo teórico de matéria com energia negativa. Se pudesse ser descoberta ou criada, a matéria exótica faria o trabalho de repelir o tempo e o espaço e criar o campo gravitacional. Infelizmente, por mais longe que as possíveis fontes de combustível possam chegar, há mais problemas que soluções quando falamos sobre o conceito de fornecer energia à velocidade da dobra espacial. Mesmo que a Enterprise viajasse a velocidades abaixo da luz, conhecidas como propulsão de impulso pelos fãs de Star Trek, a quantidade de combustível e energia necessária para viajar rapidamente pelo espaço seria demasiada para uma única nave. Essa propulsão da Enterprise é alimentada por fusão nuclear, o mesmo tipo de reação que ilumina o Sol e cria grandes explosões de certas bombas nucleares. De acordo com o Dr. Lawrence Krauss, físico teórico e autor de “A física de Star Trek“, se o Capitão Kirk quisesse viajar à metade da velocidade da luz (150 mil quilômetros por segundo), a nave precisaria queimar 81 vezes sua massa em hidrogênio, o combustível usado para uma fusão nuclear. O manual técnico de “Star Trek” cita a Enterprise com um peso de mais de 4 milhões de toneladas métricas, daí, a nave precisar de mais de 300 milhões de toneladas métricas de hidrogênio para se deslocar. Para reduzir e parar, a nave precisaria de outros 300 milhões de toneladas métricas de combustível, e uma possível viagem pelas galáxias precisaria de 6642 vezes a massa da “Enterprise”. Memória Alfa

Avaliações iniciais sugeriam quantidades de energia monstruosas, basicamente iguais à massa-energia do planeta Júpiter (que é de 1,9 × 10 elevado a 27 quilos ou 317 massas terrestres). Como resultado, a ideia tinha sido posta de lado no passado. Mesmo que a natureza permitisse uma velocidade de dobra, nunca seríamos capazes de criá-la.

O novo design pode reduzir significativamente a quantidade de matéria necessária; White diz que a velocidade de dobra pode ser alimentada por uma massa ainda menor do que a sonda Voyager 1. A redução da massa de um planeta do tamanho de Júpiter a um objeto que pesa apenas 725 kg redefiniu completamente a plausibilidade do projeto.

Essa plausibilidade é muito interessante, mas ainda é teórica. Agora, White e a equipe da NASA buscam provar que o conceito pode ser prático. Para tanto, eles estão fazendo diversos testes, como a medição das perturbações microscópicas no espaço-tempo a partir de uma versão modificada do interferômetro de Michelson-Morley. Ou seja, os pesquisadores estão tentando simular uma bolha de dobra em miniatura usando lasers para perturbar o espaço-tempo.

“Isso, no entanto, não é mais correto; seguimos em uma direção diferente da NASA e outros [pesquisadores], e nossa pesquisa mostrou que existem, na verdade, várias outras classes de motores de dobra na Relatividade Geral. Em particular, formulamos novas classes de soluções de motores de dobra que não requerem energia negativa e, assim, tornam-se físicos,” completou. Inovação Tecnológica

Na verdade, o modelo criado pela dupla é genérico, unificando todas as propostas de motores de dobra feitas anteriormente, sendo o motor de Alcubierre apenas um desses casos.

“Apresentamos o primeiro modelo geral para motores de dobra subluminais de energia positiva, esfericamente simétricos; a construção de soluções para motores de dobra superluminais que satisfazem as desigualdades quânticas; fornecemos otimizações para a métrica de Alcubierre, que diminui as necessidades de energia negativa em duas ordens de magnitude; e introduzimos um motor de dobra espaçotemporal no qual a capacidade de espaço e a taxa de tempo podem ser escolhidas de maneira controlada,” escreveram eles.

Dobraze-se: Star Trek, Cavalo louco, Assista ao Trailer da 11ª Temporada de DOCTOR WHO, A Teoria de Tudo, Outros viajantes do tempo, Planetario, The Martian, Rick and Morty, C1.21, Thomas Malthus ou Thanos