Algumas coisas podem esperar!

Santos Futebol Clube


O Suicide Awareness Voices of Educations (SAVE), organização dedicada à prevenção do suicídio, apresenta alguns alertas de comportamento, como dormir muito pouco ou demais, exibir mudanças extremas de humor, isolamento, mostrar raiva ou demostrar desejo de vingança, agir com ansiedade, agitação ou imprudência, dizer que está desesperançoso ou que não tem propósito na vida. Portal da Cidade de Louveira

A genética, a poluição e até os agrotóxicos podem ser considerados como catalisadores de transtornos mentais, também existem fatores como estresse, mudanças bruscas na rotina e acontecimentos que desestabilizam o ser humano, como a perda de familiares. Os jovens são mais afetados por estarem ainda com o cérebro em desenvolvimento.

Se você está passando por um momento difícil, o Centro de Valorização da Vida (CVV) conta com telefones que oferecem auxílio 24 horas, sem custo. Ligue 188 e peça ajuda. Você vai ser acolhido, você vai ser ouvido. Ligue 188 ou converse através do CHAT.

Compartilhar sobre o quão suscetíveis podemos ser, e dividir nossos medos e fraquezas nos afeta profundamente, mas é uma das melhores maneiras de diminuir o fardo das aflições. A campanha do Setembro Amarelo acontece desde 2014, através de uma parceria entre CVV, Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), e visa intensificar a prevenção do suicídio. Blog Netion

Também é possível pedir ajuda através do site, clicando AQUI.


A cor e o mês para a campanha não foram escolhidos à toa, o amarelo representa a chama da vida e a esperança, já setembro, foi escolhido por ser o mês com maior índice de suicídios no mundo e em comemoração ao dia 10 de setembro (Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio).

Setembro Amarelo é uma campanha organizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em conjunto com a Associação Médica Brasileira (AMB), o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Federação Nacional dos Médicos (FENAM) e outras entidades como o Centro de Valorização à Vida (CVV).


No Brasil, é possível receber assistência gratuita nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), em algumas universidades, e entidades que prestam serviço social e acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Além disso, o Centro de Valorização da Vida (CVV) é referência em apoio e assistência emocional, recebendo até 800 mil ligações por ano através do telefone (141). TV Gazeta

Onde estudar maconha medicinal?!?

A comunidade acadêmica tem se interessado pelo tema, especialmente ao acompanhar estudos estrangeiros sobre o uso da maconha no tratamento de doenças como depressão, Síndrome de Hett, Alzheimer e esclerose múltipla.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte está abrindo o primeiro curso sobre o uso terapêutico da cannabis, além das informações sobre pesquisas recentes acerca da maconha medicinal, com foco na redução de dores crônicas e crises epiléticas, os participantes também vão aprender mais sobre a história da erva e de seu uso pela humanidade.

As inscrições podem ser feitas no Sistema Integrado de Atividades Acadêmicas da UFRN. Hipeness


Seguindo a onda de legalização da maconha para uso medicinal e recreativo, universidades pelo mundo todo estão lançando cursos especializados em seu uso medicinal, como é o caso em alguns lugares da Europa e Estados Unidos e Israel, que acaba de criar um curso de pós graduação neste mercado, que tem tudo para continuar crescendo.
Itzhak Harpaz – presidente da instituição, situada entre as cidades de Afula e Nazareth, a Max Stern Yezreel Valley College, completa: A indústria de cannabis hoje é o que a indústria cibernética fez há 10 anos e Israel precisa e pode liderar esta indústria também”. Enquanto isto, o Brasil continua perdendo tempo e dinheiro, já que em 2018 somente os Estados Unidos faturou mais de R$ 20 bilhões. Gabriela Glette


A combinação maconha e faculdade nunca foi uma novidade. Mas na Universidade do Norte do Michigan (MNU), nos EUA, a planta deixou o intervalo e as matadas de aula para virar tema de quatro anos de graduação, surgiu o curso de Química de Plantas Medicinais. Quase metade dos 50 estados norte-americanos já reconhecem o uso terapêutico da planta, sendo que oito unidades da federação legalizaram inclusive o uso recreativo. Nasceu assim um mercado bilionário, mas ainda faltam pessoas capacitadas para lidar com ele.

Somente no ano passado, no mercado legal de maconha e seus usuários movimentados U $ 6.7 bilhões somente nos EUA. A expectativa é de que o volume seja disponibilizado nos próximos anos, atingindo uma marca de U $ 44 bilhões em 2020, tanto para a revista Forbes como para o mercado de erva como a melhor oportunidade de negócios para empreendedores e investidores de startups. A Sociedade Americana de Química criou recentemente uma subdivisão que apresenta os novos lançamentos da indústria nos seus encontros nacionais. REDAÇÃO GALILEU
Reflexo disso é a consolidação e surgimento de novos cursos que visam esmiuçar e formar profissionais em diversas áreas relacionadas à maconha – de cultivo a empreendedorismo, passando por bioquímica e horticultura, conheça 10 universidades que oferecem cursos sobre maconha:

1- Oaksterdam;

2- THC University;

3- Cannabis Training University;

4- Niagara College;

5- Northern Michigan University;

6- Seattle Central College;

7- University of California/Davis;

8- The Ohio State University;

9- University of Washington;

10- Scuola Italiana Della Canapa. Maryjuana

A inteligência coletiva é fundamental no enfrentamento ao proibicionismo e e o preconceito.

O curso online “O uso médico da cannabis no tratamento da dor crônica”, oferecido pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID), Universidade Federal de São Paulo.

O curso conta com diversos recursos didáticos e interativos, como vídeos, imagens, ilustrações, entrevistas com especialistas, trabalhos científicos para download e discussão de caso clínico. É coisa de alto nível, com um time de pesquisadores que estuda essa querida planta há décadas. Hempadão

Para ter acesso ao conteúdo basta clicar neste link http://www.cebrid.com.br/curso/


O estudo foi divulgado pela Vegetation History and Archaeobotany, segundo o artigo, a maconha deve ter sua origem precisa pelos lados do Planalto do Tibete, próximo ao Lago Qinghai, uma parte especial do planeta. Hempadão
Mude conceitos, você pode e deve: VENDE-SE MACONHA, SNOOP DOGG LION, NAARA BEAUTY DRINK!!!™, MOVIDA A ÁGUA, NEVO™, MEDICINAL VIBES, VIRTUDE, INSTANTLY AGELESS™, NISE – O CORAÇÃO DA LOUCURA., KID VINIL, VIDACELL®, BECAUSE I GOT HIGH, RESERVE™, OIL, WHICH ONE TO CHOOSE HEALTHWISE?, FHC = THC, PLANTEI MACONHA?!?, Cursos de saúde da UFPB: Uso medicinal da maconha

Nothing is happening

Caso você não saiba:

🔥 Ilhas Canárias estão queimando
🔥Califórnia está queimando
🔥 Oregon está queimando
🔥 Washington está queimando
🔥 Columbia está queimando
🔥 Alberta está queimando
🔥 Montana está queimando
🔥 Nova Escócia está queimando
🔥 Grécia está queimando
🔥 O Brasil está queimando
🔥 Portugal está queimando
🔥 Argélia está queimando
🔥 Sibéria está queimando
🔥 A Amazônia boliviana está queimando

⛈Texas está debaixo de água
⛈ Índia, Paquistão e Nepal com enormes Monsones estão debaixo d’água
⛈ Serra Leoa e Nigéria com inundação maciça debaixo d’água

🌞 Itália, França, Espanha, Suíça, Hungria, Polônia, Romênia, Bósnia, Croácia e Sérvia são atacados por uma impressionante onda de calor
🌞 sul da Califórnia sob onda de calor infernal
🌞 Excepcionalmente em agosto, a cidade de San Francisco alcançou os recordes de 106 graus, quando chega a 115 graus Fahrenheit. Enquanto a Carolina do Norte ainda está cozinhando no inferno.
🌞 Groenlândia (a ilha que o presidente Trump quer comprar) é debatida em sua pior crise ambiental devido ao forte calor. Como se isso não bastasse, a possibilidade de um nível de tempestade solar X10 C.M.E é anunciada para as próximas semanas. O maior já registrado. Thuka Samarsdn – Facebook

Você ainda acha que nada está acontecendo?

Dia do Guarda Civil

Folha Dirigida

Os Guardas Civis apresentam-se como uma alternativa à segurança pública no Brasil. Todos os povos, sempre, ao se reunirem em grupo, passaram a necessitar da figura altaneira do “Guardião da Lei e da Ordem”, muitas vezes representado pelo próprio chefe da tribo, ou, então, sendo delegado este poder de polícia à determinadas pessoas do grupo.

Os Guardas Civis estão nas ruas para zelar pelo bem-estar da população, visitar uma escola, prender um bandido, tirar de circulação uma arma, atender um acidente de trânsito, ser psicólogo em brigas de família, passar frio, calor, existem ocorrências que podem durar minutos, até horas, e eles estão lá, firmes. Então, hoje o papel da Guarda Municipal representada por estes homens e mulheres é extremamente diverso e exige uma capacidade e vontade acima do normal! PoliceService

Outro momento relacionado é o dia 10 de Outubro. A data, porém, refere-se à corporação em si, ou seja, Dia da Guarda Municipal, instituído em 2009.

Tratada como uma das instituições de segurança mais antigas no País, sua história está ligada ao Império e ao surgimento das forças policiais. A mais antiga registrada é a criação do Regimento de Cavalaria Regular da Capitania de Minas Gerais, criado em 09 de junho de 1775, e da qual participou um personagem, digamos, conhecido: Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, um dos líderes da Inconfidência Mineira.

A data começou a ser celebrada em 1966, depois que o primeiro presidente do regime militar, Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, instituiu o Dia do Guarda Civil pela lei Nº 5. 088, de 30 de agosto de 1966. Na Constituição de 1988, os municípios brasileiros tiveram a organização da guarda civil legitimada e assegurada pelo Artigo 144, cujo texto dá poder de constituição das guardas municipais para a proteção de bens e serviços. G1

Poetize-se: SANDUÍCHES SEM PÃO, Fico com pena e levo para casa, DIA DO GUARDA CIVIL, TORNE-SE UM MENDIGO., CARTA DE UM POLICIAL NOS PROTESTOS DE SÃO PAULO, MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINE, GTA IV – GCM : Duster Guarda Civil Metropolitana de São Paulo, VIDACELL®, PRINCÍPIOS: O USO DA FORÇA, O CÃO DE GUARDA NOTÍCIAS, ONDE FUI ROUBADO, RESERVE™, A HISTÓRIA DO JARDINEIRO DE OXALÁ, SÓ ISSO!, UM GOLPE EDUCADO!, POLICIAL DA FLÓRIDA MOSTRA COMO SE TRATA RECLAMAÇÃO DE QUE GAROTOS ESTÃO JOGANDO BASQUETE NA RUA, Renildo Paulino Silva dos Santos, Casas de Mediação, Polícia 24 horas

O globo pisou na lua

“Acabei de postar aí uma matéria sobre o Merval Pereira. Palestra por 375 mil reais, tá legal? Tá ok? 375 pau uma palestra no Senac, tá ok? Façam matéria agora. Se vocês não fizerem nenhuma matéria sobre isso amanhã no jornal eu não dou mais entrevista pra vocês, tá legal? Tá combinado? Toda a imprensa. Tá combinado? E tem mais nome também, eu só botei um nomezinho hoje. Não estou perseguindo ninguém. Agora, gastar dinheiro público pra palestras, aí é brincadeira. Fica escrevendo o tempo todo lá críticas, criticar mas mostrar que é uma pessoa isenta, né? Imprensa isenta. Se não fizerem matéria escrita amanhã nos jornais, não tem mais entrevista pra vocês aqui, tá legal?” Gilberto Dimenstein – Catraca Livre

Fato ou Fake: 5 dicas de como checar uma mensagem falsa. Roney Domingos – G1

Barulho D’água

Montado em diversos países, o espetáculo critica a falta de uma política mundial de refugiados, narrando a tragédia de imigrantes que atravessam o mar mediterrâneo.

O elenco conta com o ator Alexandre Rodrigues, protagonista do filme Cidade de Deus. A dramaturgia do espetáculo, por sua vez, tem como eixo central o depoimento de cinco refugiados, que foram colhidos pelo próprio escritor na Ilha de Lampedusa, na região da Sicília (Itália). O texto original é um monólogo, em que um general conta a história desses refugiados.

A peça “Barulho D’água”, é do autor italiano Marco Martinelli, a versão brasileira da montagem nasceu do encontro dos artistas Carina Casuscelli e Lenerson Polonini, fundadores da Companhia Nova de Teatro. O Beijo

NOISE IN THE WATER, by the Italian playwright Marco Martinelli, which tells the story of the drama of thousands of refugees trying to cross the Mediterranean sea in precarious boats. The piece is in the repertoire of @cianovadeteatro and was in print in the years 2016/2017, supported of the Prize Ze Renato de Teatro.

Organismos da ONU ativamente envolvidos nesta abordagem em grupo incluem a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), o Programa Mundial de Alimentos (PMA), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos (ACNUDH).
Acesse também a página especial da ONU sobre o tema: http://refugeesmigrants.un.org

Poetize-se: 35 verdades ditas sobre o Brasil, pelos olhos de um Turista, As aventuras de Alice sob a terra, Somos Harmonicos!?!, Convite à Filosofia, Olney Alberto São Paulo, Claude Monet, Garota indígena de 13 anos é indicada ‘Nobel infantil’ da paz, Turn around, Roberto Lage

“Vamos seguir resistindo”: recado dos povos da floresta

“Vamos seguir resistindo”. Essa é a principal mensagem que a campanha #PovosDaFloresta pretende passar. Por meio de um vídeo veiculado na internet, TV e cinemas, 25 lideranças indígenas, quilombolas e ribeirinhas tentam chamar atenção para a luta pela proteção ambiental e em defesa dos direitos dessas comunidades. A iniciativa é do Instituto Socioambiental (ISA), que completa 25 anos neste ano. MARINA ROSSI

“Se a floresta, ou a natureza de maneira geral, é nosso passaporte enquanto país para algum futuro, os povos que vivem nela são seus verdadeiros guardiões”, diz André Villas-Bôas, secretário-executivo do ISA. “Temos que valorizar a enorme contribuição dessas comunidades para o equilíbrio ecológico do planeta”. El País Brasil

Crianças brincam em aldeia dentro da Terra Indígena Yanomami, onde vivem 25.000 índios. ALEX ALMEIDA – Nosso Futuro Roubado

The Family: Democracia Ameaçada

A minissérie “The Family: Democracia Ameaçada”, Netflix, mostra questões que te farão pensar em uma teoria, considerada por muitos, “conspiratória”.

Você já pensou que pode existir um poder acima do poder? Que pode haver um grupo que toma decisões independentemente do governo que foi eleito?

Inspirada no livro “The Family: The Secret Fundamentalism at the Heart of American Power”, do autor Jeff Sharlet, a série, de apenas 5 episódios, coloca o espectador dentro de uma trama que mistura filmagens de reconstituição, depoimentos reais e outros registros históricos. Catraca Livre

Abelhas nos telhados de Paris

Começou na capital francesa, no início dos anos de 1980, e hoje já faz outras cidades da Europa. Há estudos que indicam que esta é uma cidade alternativa à produção rural, já que as colônias têm grandes taxas de mortalidade. Filomena Naves

Em 1982 a A Ópera de Paris tomou uma decisão de albergar colmeias no topo do seu edifício, com o propósito, e as coisas correram tão bem que a ideia pegou, as colunas multiplicaram nos telhados dos edifícios mais importantes da capital francesa, do Louvre ao Palácio da Bolsa, do Quai d’Orsay ao Hotel Savoy, por exemplo, de outros menos, e até anónimos. Certo é que o miel de Paris é hoje, na sua particularidade de produção em contexto urbano, um produto cobiçado gourmet.
Um Censo de 2017 apontou para a existência de mais de 700 colunas de melíferas nos telhados da capital francesa, e em outras cidades europeias, como Berlim, Bruxelas e Copenhagen.

A causa das tendências das abelhas não se completa, mas, na prática, acompanha um declínio generalizado dos próprios insetos que está bem documentado em países como uma Alemanha ou uma França – em Portugal Atinge os trabalhos de campo para a primeira lista vermelha dos invertebrados. Diário de Notícias

Grâce à la spécificité des fleurs parisiennes, le Miel de Paris a une saveur incomparable à d’autres miels. Au nez, une puissante et persistante senteur de cassis et de griottes macérées. En bouche, une belle rondeur avec une finale vive et fraîche.


Poetize-se: Manual de Apicultura em Pequena Escala, Mãe Abelha, Comida de tubarão, Vegeta, Carta da Terra, Carlos Marighella, Makota Valdina, Pare e pense, Na estrada havia uma pedra, Ervas medicinais, Abelha poliverde, Comida de gente

Era da Pilhagem

No quinto episódio desta série que traça a história da civilização humana, Andrew Marr mostra como a Europa foi da pirataria ao capitalismo.

A explosão do capitalismo global começou com Cristóvão Colombo tropeçando em toda a América enquanto procurava pela China. Enquanto a Europa se dividia em guerras religiosas após a Reforma, os espanhóis colonizaram o Novo Mundo e trouxeram de volta 10 trilhões de dólares em ouro e prata.

Mas foram os empresários bucaneiros holandeses e ingleses que inventaram o verdadeiro fazedor de dinheiro: empresas limitadas e a bolsa de valores. Disputavam o controle do comércio marítimo mundial de especiarias, peles e luxos como as tulipas. Nos 145 anos de 1492 a 1637, o capitalismo europeu nasceu e se espalhou pelo mundo. História Mundial com Andrew Marr

Os desafios da transição energética

O setor de energia passa por um momento crucial de transformação. Inovações relacionadas a fontes renováveis, veículos elétricos e capacidade de armazenamento de eletricidade devem mudar a forma como geramos e consumimos energia nas próximas décadas. G.Lab para EY – Valor
No cenário da transição energética global, o Brasil tem características distintas dos países que correm contra o tempo para descarbonizar seu ecossistema de energia, principalmente na Europa. Capitaneada pelas hidrelétricas, a matriz nacional já é uma das mais limpas do planeta. “Nossa questão não é o quanto vamos limpar nossa matriz, mas como vamos prepará-la para suportar as demandas e inovações da transformação energética”, afirma Carlos Assis, sócio-líder do Centro de Energia e Recursos Naturais da EY para a América do Sul.

As grandes companhias de petróleo já iniciaram o movimento de diversificar as atividades para antecipar um novo cenário energético. A aposta é nas energias renováveis. A norueguesa Equinor inaugurou, em 2018, seu primeiro projeto de geração solar no mundo, em Quixeré, no Ceará. A empresa também firmou parceria com a Petrobras para a produção de energia eólica offshore, com parques de turbinas em alto-mar.

A estatal brasileira incluiu no seu plano estratégico para 2040 atuar em negócios em energia renovável. No final de 2018, anunciou a criação de uma joint venture com a francesa Total para desenvolver uma carteira de projetos nos segmentos solar e eólico. E, em fevereiro de 2019, assinou com o Centro Suíço de Tecnologia e Microtecnologia um acordo de cooperação para o desenvolvimento de painéis fotovoltaicos flexíveis.

A previsão é de que os investimentos se intensifiquem nos próximos anos, e as empresas de óleo e gás assumam a liderança na transformação energética.

Por transição energética, entende-se uma mudança estrutural em um sistema energético. Várias transições energéticas ocorreram na história da humanidade. A transição energética em curso é chamada de descarbonização porque visa a substituição de fontes energéticas que causam aquecimento global e consequentes mudanças climáticas (combustíveis fósseis como petróleo, e carvão) por fontes não emissoras de gases causadores do efeito estufa (fontes renováveis e nuclear).
Em 2018 o mundo experimentou um aumento de 2,8% no consumo de energia primária. Só o gás natural cresceu 5,3% em todas as matrizes energéticas, pari passu ao aumento de 2% das emissões de gases de efeito estufa, muito em função do também aumento do uso do carvão (BP, 2019). Existe ainda, contudo, um desequilíbrio entre o uso de energias renováveis e energias fósseis. Mesmo assim as energias renováveis atingiram a sua maioridade, e em várias economias já são bastantes representativas nas suas matrizes energéticas. Os caminhos brasileiros na transição energética sobre duas óticas: a primeira é o crescimento robusto da demanda de energia, principalmente no mundo em desenvolvimento – incluindo óleo e gás, o que cria uma dificuldade para a descarbonização; e a segunda, que confiar apenas em energias renováveis pode deixar o sistema instável, gerando algum desequilíbrio momentâneo. cenários Petróleo

Os desafios do Brasil em um mundo em transição energética

O Brasil do pré-sal, das descobertas de Sergipe-Alagoas e da Foz do Amazonas tem muito óleo ainda a consumir e se afasta do modelo internacional preconizado descarbonizado, em um primeiro momento

Por transição energética, entende-se uma mudança estrutural em um sistema energético. Várias transições energéticas ocorreram na história da humanidade. A transição energética em curso é chamada de descarbonização porque visa a substituição de fontes energéticas que causam aquecimento global e consequentes mudanças climáticas (combustíveis fósseis como petróleo, e carvão) por fontes não emissoras de gases causadores do efeito estufa (fontes renováveis e nuclear).

Em 2018 o mundo experimentou um aumento de 2,8% no consumo de energia primária. Só o gás natural cresceu 5,3% em todas as matrizes energéticas, pari passu ao aumento de 2% das emissões de gases de efeito estufa, muito em função do também aumento do uso do carvão (BP, 2019). Existe ainda, contudo, um desequilíbrio entre o uso de energias renováveis e energias fósseis. Mesmo assim as energias renováveis atingiram a sua maioridade, e em várias economias já são bastantes representativas nas suas matrizes energéticas. Assim, dois pontos fundamentais pautam esse artigo, que visa discutir rapidamente os caminhos brasileiros na transição energética: o primeiro é o crescimento robusto da demanda de energia, principalmente no mundo em desenvolvimento – incluindo óleo e gás, o que cria uma dificuldade para a descarbonização; e o segundo, que confiar apenas em energias renováveis pode deixar o sistema instável, gerando algum desequilíbrio momentâneo.

Figura 1: Evolução temporal do consumo de energia primária e emissões de CO2 associadas. Fonte: Adaptado de BP Statistical Review, 2019.

Pela teoria dos recursos naturais, os países devem usar os recursos energéticos que possuem em maior abundância e que sejam de menor valor. No caso do Brasil, as vantagens competitivas são muitas: água, sol, vento, biomassa, e ainda, óleo e gás. Uma matriz diversificada traz a possibilidade de uma transição energética tanto via gás natural – e assim com o incremento do uso de combustíveis fosseis – quanto via energias renováveis. Vale destacar que há o entendimento de que em um processo de descarbonização, não há a participação de nenhum combustível de origem fóssil e, dessa forma, não incluiria a utilização do gás natural para esse fim[1].

Figura 2: Variação percentual anual da demanda de energia e emissões de carbono no mundo. Fonte: Adaptado de BP Statistical Review, 2019.

Entretanto, via gás natural parece a alternativa inicial, uma vez que vários países têm usado o gás natural como combustível de transição, por este emitir uma menor quantidade de GEE do que o óleo e o carvão. O espraiamento do uso do gás natural no mundo se deveu à descoberta de reservas e formações em vários países do mundo, e principalmente, à tecnologia do GNL[2], que permitiu a exportação desse gás via transporte marítimo. Dessa forma, uma maior quantidade de gás no mercado o tornou mais competitivo e reduziu o valor da molécula no mercado internacional. Trata-se de um “sub-step” no caminho da transição energética: usar um energético abundante, menos emissor, enquanto se transita para uma matriz completamente limpa, e por tal, de mais complexa administração.

No Brasil, fala-se de quatro milhões de barris/dia de produção de petróleo para daqui a alguns anos. Muito pautado no sucesso dos leilões de áreas de exploração que têm sido feitos, nas alterações regulatórias propostas e executadas, e na santidade dos contratos assinados, por meio da ação da ANP. Como dito, os recursos naturais mais abundantes e mais baratos serão utilizados como forma de desenvolvimento econômico e social de uma economia. Com isso, o Brasil do pré-sal, das descobertas de Sergipe-Alagoas e da Foz do Amazonas tem muito óleo ainda a consumir e se afasta do modelo internacional preconizado descarbonizado, em um primeiro momento.

Figura 3: Previsão de produção de petróleo e o número de plataformas esperadas para os próximos anos

Fonte: FGV Energia, 2019.

Sobre o mercado de gás natural, este ainda é uma incógnita no Brasil, apesar de estar em um momento muito particular e propício ao seu desenvolvimento. Entendeu-se recentemente, por exemplo, que o monopólio do gás prejudica a própria Petrobras, e com isso a empresa começou a se desfazer de alguns de seus ativos, deixando o mercado otimista em relação a entrada de novos agentes, e, no médio/ longo prazos, à queda dos preços. Outrossim, é importante que sejam fomentadas ações, legislações, resoluções, decretos que incentivem a concorrência pois, em um mercado competitivo, o consumidor é mais protegido e os preços tendem ao equilíbrio. Entretanto, independente da sobrepujança do gás, é importante considerar todas as fontes de energia disponíveis, donde suas características únicas sejam capazes de acomodar as especificidades dos sistemas energéticos, inclusive o óleo.

Para além da transição para um energético imediato, abundante e de menores emissões, faltam-se discutir a questão das novas indústrias e seus impactos no consumo de energia. E hoje o principal desafio dessa natureza é se pensar em como fazer isso. A transição para o gás natural, assim como a continuidade da utilização do óleo cru, já está posta. Falta discutir o porvir. O porvir em relação ao papel das cidades, às questões geopolíticas, de segurança energética, de descentralização, de economia de escala, de crescimento econômico, de preços relativos, o papel do governo, o papel do regulador, das políticas de meio ambiente, entre outras.

Uma análise de mais longo prazo da questão da transição energética perpassa a própria estrutura da matriz energética brasileira associada à indústria 4.0. Acredita-se que hoje estejamos na quarta revolução industrial, que mudou a vida das pessoas impactando diretamente no modo e na quantidade de energia consumida no Brasil e no mundo. O que se chama hoje de indústria 4.0 é a indústria da inteligência artificial, da realidade aumentada, da internet das coisas, do machine learning, impactando sobremaneira o setor energético. Fernanda Delgado

Com exceção do caso brasileiro, os países do BRICS contam com elevada participação de fontes fósseis na matriz energética. Analisando as tendências dos vetores da transição, percebemos que esses países ainda estão atrasados na difusão de renováveis em relação aos países líderes, mas os ganhos de eficiência associados à expansão de fontes modernas foram significativos. A China tem mostrado um forte compromisso para a redução de emissões, e a escala dos programas de ampliação de fontes renováveis é destacada. A elevada participação de fontes renováveis particulariza a transição brasileira, em que as novas fontes renováveis, eólica e solar, têm o papel de compensar a perda de participação da energia hidrelétrica. Índia e África do Sul combinam os objetivos de transição aos de inserção social por meio do acesso à eletricidade, e a abundância de recursos fósseis acarreta menor engajamento da Rússia com a transição. As complementariedades e as similaridades no processo de transição energética resultam em oportunidades de cooperação entre os países do BRICS, pois há muito espaço para uma estratégia conjunta de transição energética. TD 2495 – Política Energética no BRICS: desafios da transição energética – Luciano Losekann e Felipe Botelho Tavares, Brasília, julho de 2019. ipea

Eduardo Vilas-Bôas!!!

O general Eduardo Vilas-Bôas, ex-comandante do Exército e atual assessor do Gabinete de Segurança Institucional do Palácio do Planalto, está com uma doença neuromotora e corre o risco de não falar mais. Ele conheceu o uso medicinal do canabidiol e cedeu uma entrevista falando em “hipocrisia social” ao mencionar as dificuldades de quem precisa do acesso ao tratamento. Facebook – Veja a matéria completa no link: http://bit.ly/2Zzx9WW

“Eu não entendo por que ao mesmo tempo que tem gente lutando aí, defendendo a legalização da maconha, está tão difícil se obter esses medicamentos para efeito medicinal. Eu acho, de certa forma, até uma hipocrisia social e vejo a luta de algumas pessoas que dependem disso para minimizar sintomas de efeitos de algumas doenças que têm dificuldade”, disse o general com dificuldade para respirar. defesanet

Ele afirmou que vai abrir um instituto com sua filha Adriana para ajudar pessoas que sofrem com doenças incapacitantes, assim como ele. Do UOL, em São Paulo 03/08/2019 21h30
O uso da cannabis para produção do medicamentos nos Brasil é criticado pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra. Em 23 de julho, o ministro disse que pode encerrar as atividades da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) caso o órgão aprove regras sobre cultivo de Cannabis no Brasil para o fim.


Portador de ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), doença neuromotora degenerativa, Villas Bôas foi diagnosticado com a doença em dezembro de 2016 e, com perda dos movimentos de forma acelerada, está sob o risco de perder a fala. Respeitado por militares, pela sociedade civil e classe jurídica, o general falou sobre as consequências da depressão, doença que o assola desde 2001. Poder360

Poetize-se: FHC = THC, José Mujica maconheiro?, Scoring drugs, Quarto poder, Doenças degenerativas, Suco de limão e Bicarbonato, Vamos acabar com o domínio da Monsanto, O Coxinha – uma análise sociológica, Paulo Freire, Jesus Negão, Carmina Burana: Introduction (O Fortuna), Índice de Desenvolvimento Humano, Cadê os Amarildos?, Ricardo LSD Boechat Doidão

Manual dos remédios tradicionais Yanomami

Os Yanomami são indígenas caçadores-agricultores que habitam o Brasil e a Venezuela. Redação CicloVivo

O Instituto Socioambiental (ISA) é uma organização u, sem fins lucrativos, que possui um vasto acervo relativo a povos indígenas, populações tradicionais e meio ambiente. Há artigos, livros, notícias e materiais audiovisuais -, isto para citar alguns dos materiais que podem ser encontrados. Entre tantas pérolas, está o manual dos remédios dos Yanomami.

O material é resultado de um longo trabalho de pesquisadores Yanomami. Jovens deste povo estão sendo formados para produzir pesquisas que ajudem a fortalecer seus conhecimentos tradicionais e dialogar com outros conhecimentos indígenas e não indígenas. O manual se inspirou na pesquisa do antropólogo Bruce Albert e do botânico William Milliken, realizada entre 1992 e 1994, que apresenta um extenso levantamento das plantas medicinais usadas pelos Yanomami para curar diferentes doenças.
Publicado em 2015, são mais de 200 páginas de conhecimento que não deve ser perdido. O livro apresenta as plantas em ordem alfabética e também por agrupamentos de remédios em função dos males a serem tratados. Veja aqui como fazer o download do manual dos remédios dos Yanomami. CicloVivo

Enxergue mais: CONTRA TODOS OS MALES, RELATÓRIO FIGUEIREDO, A INVASÃO DO BRASIL, EXPERIMENTO CIENTÍFICO?, GRAVIOLA, THE LONE RANGER, ÍNDIO EDUCA, NO CAPÃO REDONDO, NINGUÉM SONHA EM SER MÉDICO, REMÉDIO QUE CURA QUALQUER DOENÇA, VIDACELL®, UTILIDADES DA ASPIRINA PARA A SUA BELEZA., HINO NACIONAL EM DIALETO TICUNA, PLANKTON INVASION, UM MAR DE INFORMAÇÕES!!!, RESERVE™, TERRA SEM MALES, SUCO DE LIMÃO E BICARBONATO, MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINE

Demarcação de terras indígenas ou a MP 886!?!

O STF julga em 1º de agosto, na primeira sessão na volta do recesso do judiciário, quem tem a responsabilidade pela demarcação de terras indígenas – a MP 886 editada por Bolsonaro transfere da Funai para o Ministério da Agricultura a competência. No entanto, quatro Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI) ajuizadas por PDT, PT e Rede contestam a mudança por ser uma reedição da MP 870 no mesmo ano – o que é proibido pela Constituição. Em agosto, os ministros decidem se mantém ou revogam a decisão monocrática de Barroso, que concedeu liminar e suspendeu os efeitos da MP. Gazeta do Povo

“Quem demarca terra indígena sou eu, não é ministro. Quem manda sou eu nessa questão, entre tantas outras. Eu que sou presidente, que assumo ônus e bônus“, presidente Jair Bolsonaro.

A Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais do Ministério Público Federal manifestou “perplexidade” com a decisão do governo federal de devolver a demarcação de terras indígenas ao Ministério da Agricultura.
Para o órgão da Procuradoria, a medida é um “desrespeito ao processo legislativo, afrontando a separação de Poderes e a ordem democrática” ao reeditar matéria já rejeitada pelo Congresso Nacional.

A nota da Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais, assinada por seu coordenador, o subprocurador-geral da República Antônio Carlos Bigonha, foi divulgada no mesmo dia (19/6) em que a Medida Provisória 886 foi publicada. Correio Braziliense

As mais belas estações

Estações de metrô mundo afora costumam ser uma atração à parte, visto que muitas delas são obras arquitetônicas incríveis, cheias de design, arte, cores, chegadas e partidas, e por muitas vezes, você está pisando em um espaço todo decorado e projetado pelos mais renomados profissionais, entre designers, artistas e estilistas.
Na Rússia, por exemplo, as estações de metrô são um importante registro de arte e arquitetura típica, nos transportando para uma época distante em cada curva clássica que as cerca.

Veja lista de 20 estações by Vivi Metalium que vão tornar sua viagem surreal:

1. Nápoles, Itália

Grandes estilistas e artistas como Anish Kappor e Karim Rashid decoraram as chamadas “estações de arte”, projeto implantado na cidade.

e16
2. Moscou, Rússia

A arte tradicional russa impressiona os turistas que passam, por exemplo, pela neoclássica Estação Komsomolskaya no Distrito Krasnoselsky, projetada por Dmitry Chechulin.

e18
3. Estocolmo, Suécia

O design moderno prevalece em Estocolmo, mas a Estação Kungstradgarden impressiona por sua estrutura diferente, inspirada no Palácio Makalos.

e15
4. Dubai, Emirados Árabes

Cheia de luxo, as estações de metrô de Dubai não poderiam ser diferentes. A estação Waleed Khalid Bin Al ostenta interiores esplêndidos, com grandes candelabros que chamam a atenção de qualquer passageiro.

e14
5. Santiago, Chile

Na estação de metrô Universidad de Chile, o mural Memoria Visual de una Nación de Mario Toral narra a política, religião, triunfos e tragédias chilenas.
UniversidadChile

6. Nova York, Estados Unidos

Segundo moradores, a estação mais bonita é a Astor Place, com uma entrada bem bonita e painéis de porcelanas geométricas projetadas por ninguém mais, ninguém menos que o artista gráfico Milton Glaser, o mesmo criador do icônico logotipo “I Heart [Coração] NY”.

e17
7. Xangai, China

Um dos maiores atrativos da cidade é o túnel iluminado que corre sob o rio Huangpu, transportando moradores e turistas de Bund para Pudong sob luzes coloridas.

e11
8. Kaohsiung, Taiwan

Criado pelo renomado artista Narcissus Quagliata, a “Dome of Light” na estação de Kaohsiung é a maior instalação de arte pública do mundo feita a partir de peças individuais de vidro colorido. Fascinante!

e19
9. Munique, Alemanha

A estação Westfriedhof ganhou nova vida graças ao designer Ingo Mauer, com suas chamativas luminárias de alumínio côncavas e luzes coloridas dão forma e profundidade à estação.

e10
10. Lisboa, Portugal

Projetado pelo arquiteto Tomás Taveira, a chamativa estação das Olaias, em Lisboa, é conhecida na Europa como uma das melhores do continente.

e13
11. São Petersburgo, Rússia

Assim como em Dubai, as estações de metrô da Rússia não deixam de ser luxuosas. A estação Avtovo é divina, com suas colunas, lustres belíssimos e arte da era soviética.

e1
12. Bruxelas, Bélgica

Com muita arte e design, entre as estações de metrô da Bélgica se destaca a instalação de arte de Paul Van Hoeydonck, com figuras suspensas acima dos trilhos da estação Comte de Flandre.
ComtedeFlandre

13. Paris, França

Em Paris, a entrada se destaca mais do que a parte subterrânea, ostentando a famosa Art Nouveau. A estação Auber tem um charme à parte.

e9
14. Bilbao, Espanha

Quem deu o ar moderno às estações de metrô de Bilbao foi o designer Norman Foster, que investiu em espaços simples e bem iluminados.

e4
15. Coréia do Norte

O metrô em Pyongyang foi construído para ligar instalações militares subterrâneas secretas. Mas agora é melhor do que isso, rico em arquitetura linda, arcos e murais patrióticos.

e8
16. Berlim, Alemanha

A Estação Platz Heidelberger, projetada pelo arquiteto alemão Wilhelm Leitgebel, é uma das estações mais decoradas da rede de metrô.
e2

17. Londres, Inglaterra

Na velha Inglaterra se destaca a Estação de Westminster, desenhada por Michael Hopkins. Moderna, é composta por tubos de aço, tetos bem altos e vigas de concreto, trazendo um ar industrial interessante.

e3
18. Chicago, Illinois

Se você quer voltar no tempo, precisa pegar a estação Monroe, um ótimo exemplo da arquitetura dos anos 1940. A fachada, a cabine de bilhete e alguns outros espaços permanecem originais desde aquela época.

e7
19. Frankfurt, Alemanha

Outro exemplo onde a entrada acaba sendo mais legal do que a estação. O acesso à estação Warte Bockenheimer faz alusão a um trem saindo do chão, inspirada no artista surrealista René Magritte, projetada pelo arquiteto Zbigniew Peter Pininski.

e5
20. Barcelona, Espanha

A Estação Drassanes foi decorada pelos estilistas Eduardo Gutierrez Munne e Jordi Fernandez Rio. Mesmo simples, a estrutura ao redor da plataforma antiga tem paredes de concreto reforçadas de vidro e pisos brancos à prova de vibração.

e6
Fotos: Vivienne Gucwa, kylamandel, obstanovka, J-O Eriksson, sudarte, dubaimetro, layylaovertherooftopsoftheworld, urbanfragment, , , abandonedkansai, schuminweb, on-a, mimoa, 04varvara,

Um bom lugar


[Intro: Sabotage]
Ha, ha, ha-ha, ha, ha, ha!
Sou Sabotage
[Refrão: Sabotage]
Um bom lugar se constrói com humildade
É bom lembrar, aqui é o mano Sabotage
Vou seguir sem pilantragem, vou honrar, provar
No Brooklin, tô sempre ali
Pois vou seguir com Deus, enfim

[Verso 1: Sabotage]
Não sei qual que é, se me veem, dão ré
Trinta caras a pé, do Piolho vêm descendo
Lá na Conde, ferve
Pisque-clack, enlouquece, breck só de arma pesada
Inferno em massa
Vem violentando a minha quebrada, basta
Eu registrei e vim cobrar, sangue bom
Boa ideia: quem tem, não vai tirar a ninguém
Meditei, mandando um som com os irmãos da Fundão
Volto ao Canão
Se os homens virem, disfarço o grandão
Rap é o som
Embora, lá no morro, só louco
A união não tem fim, vai moscar?
Se envolve, jão
Já viu seu pivete dizer que rap quer curtir?
O beat fortalece, nunca esquece
Quem conclui é o mestre, basta
Quem longe for, vem com pudor
Lutou pra conseguir, forte dor
Tem que depôr e não voltar, sujou
Bem-vindo ao inferno
Aqui é raro, eu falo sério
Pecados do anticristo, imortal
Patifaria, aí, meu!
Vai batalhar, tenta a sorte, seja forte
Só o destino, aqui, resolve
Pauleca, Bulinho, só saudades
Fez da vida, por aqui, de mente erguida
Sem mentira, com malícia
Me passou lição de vida
[Refrão: Sabotage]
Um bom lugar se constrói com humildade
É bom lembrar, aqui é o mano Sabotage
Vou seguir sem pilantragem, vou honrar, provar
No Brooklin, tô sempre ali
Pois vou seguir com Deus, enfim
[Verso 2: Sabotage]
Dois caras simples, gostavam mais de ouvir e aprender
Até que fatalidades, com certeza, e é o seguinte
Sempre assim, maquiavélico
E maldade se percebe, aqui, cuidado
É falsidade, estopim
Dois mil graus (boom!) é ser sobrevivente
E nunca ser fã de canalha

A luta nunca vale a experiência
Santo Amaro a Pirituba, o pobre sofre, mas vive
A chave é ter sempre resposta
Àquele que infringe a lei
Na blitz, pobre tratado como cafajeste

Nem sempre polícia, aqui, respeita alguém
Em casa, invade a soco
Ou fala baixo, ou você sabe: maldade

Uma mentira deles, dez verdades
Momentos oculares, respeito, estilo um cofre
Só levam os fortes
Filhos do vento, um super-homem
Lá, cada vez tem um largado atrás do poste
Quando inflama
É capaz de entregar o irmão pros homens
Fuja, se jogue, o vaps não se envolve, anda só
Na sul, respeito é lei, também, melhor
Tipo madeira, estilingue, exige uma forquilha
Rap é milidia
Um integrante da família, com uma ideia fixa
Que atinge a maioria que ainda acredita
Plano B, periferia
Hoje, quem pratica
Tá ligado que é o que liga
Porque vira, vira, vira

[Verso 3: Black Alien]
Do ano 2000 pra frente
Homens do passado, pisando no futuro, vivendo no presente
Há três tipos de gente:
Os que imaginam o que acontece (ha, ha, ha!)
Os que não sabem o que acontece
E nós, que faz acontecer

Do bolo, o glacê
Unido, a gente fica em pé, dividido, a gente cai
Quem falha, cai; bum, biri, bye-bye-bye!
A colaboração do som é a carta na mesa
Aqui rima: Black Alien, Sandrão, Helião, Sabotage
À vontade, na balada, desde ontem à tarde
Habilidade é o álibi
No beat, Ganjaman e Zé Gonzales
Quem tá no erro, sabe
Cocaína no avião da FAB
Ninguém vai deter o poder, o crème de la crème
De Niterói à SP
PhD em THC, no país de FHC
Dream Team da rima, essa união me dá autoestima
Mestres das armas, do microfone à esgrima
Vê se me entende: o estudante aprende, o professor ensina
O verbo que fortalece, como vitamina

Contamina, na nova, velha escola, como o vírus Ebola
Biatch! Rebola (ha, ha, ha, ha!)
[Refrão: Sabotage]
Um bom lugar se constrói com humildade
É bom lembrar, aqui é o mano Sabotage
Vou seguir sem pilantragem, vou honrar, provar
No Brooklin, tô sempre ali
Pois vou seguir com Deus, enfim
[Verso 4: Sabotage]
Sobreviver no inferno
A obsessão é alternativa
Eu quero o lado certo
Brooklin-Sul, paz eu quero
Prospero, eu vejo um fim pro abandono
Deixa rolando
Ninguém, aqui, nasceu com dono
Mas, por enquanto
Ainda tem muita mãe chorando
Alguns parando
Trampando ou se recuperando
Do eterno sono
Tipo o Rafinha e o Adriano
Milagre em dobro
O livramento vem pros manos
Tem que ter fé, aqui, sim, tem que insistir
Humilde! Só assim para progredir, enfim
Quero juntar, sim, com os manos
Que protestaram o preconceito, daquele jeito
Eu sei que vou traçar os planos
Cantar pras minas e os manos

Eu me emociono, eu não me escondo
Me levantando, como deve ser

Lá vem polícia, sai da pista
Hasta la vista, baby
Andar de monte, a chave, a cara é ter Deus em mente
Longe daquela e dois pentes
Há quem não precise, entende
Sonic e Cyclone, ágil, ouriço e resistente
Brooklin-Sul, Canão
O sobrevivente, a-gente, a-gente, a-gente
[Ponte: Sabotage]
Sou Sabotage, um bom lugar
Lugar, lugar, lugar, lugar
Um bom lugar, ha, ha, ha, ha, ha
Um bom lugar, lugar
Ha, ha, ha, ha, ha, ha
[Refrão: Sabotage]
Um bom lugar se constrói com humildade
É bom lembrar, aqui é o mano Sabotage
Vou seguir sem pilantragem, vou honrar, provar
No Brooklin, tô sempre ali
Pois vou seguir com Deus, enfim

Fonte: Genius

Apesar de não ter relação com minha equipe, o episódio de ontem, ocorrido na Espanha, é inaceitável. Exigi investigação imediata e punição severa ao responsável pelo material entorpecente encontrado no avião da FAB. Não toleraremos tamanho desrespeito ao nosso país!

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) June 26, 2019. hypeness

Observe mais: CIDADES DEMOCRÁTICAS, POLICIAL DA FLÓRIDA MOSTRA COMO SE TRATA RECLAMAÇÃO DE QUE GAROTOS ESTÃO JOGANDO BASQUETE NA RUA, A RAINHA DE MAIO, EXAME COM UMA GOTA DE SANGUE, A ÚLTIMA SACANAGEM DO CRIADOR CONTRA NÓS,VIDA SIMPLES, AUTODOMÍNIO E O PAPEL DA CONSCIÊNCIA NA CRIAÇÃO DA REALIDADE, MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINE, THE JOLLY BOYS, VIDACELL®, Respeito É Pra Quem Tem, RESERVE™, A HISTÓRIA DO JARDINEIRO DE OXALÁ,VIDA INTELIGENTE., LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Kamikatsu, como separar o lixo?!?

Você acha que separar lixo por papel e plástico é uma tarefa árdua? Então pense nos moradores de Kamikatsu, uma pequena cidade nas montanhas da ilha de Shikoku, no sudoeste do Japão, que precisam separar o lixo em 45 categorias diferentes.

No centro de coleta de lixo, há caixas separadas para diferentes tipos de produtos: jornais, revistas, caixas, tampas de metal, garrafas de plástico, latas de alumínio, latas de aço, latas de spray, lâmpadas fluorescentes e assim por diante. Você pode pensar que isso é um exagero, mas os moradores de Kamikatsu têm uma meta para alcançar – o desperdício zero, e eles já já alcançaram 80% desta meta. Vivimetaliun

O Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), que reúne, entre outros dados, detalhes sobre o gerenciamento de resíduos no país, estima que, por ano, cada habitante produz cerca de 347 kg de lixo. Mas, ainda de acordo com esses estudos, apenas 13,7 kg (ou 4%) do lixo gerado anualmente por cada brasileiro vai para a reciclagem.
As lixeiras de reciclagem são divididas basicamente em quatro cores, uma para cada tipo de material: azul (papel), vermelho (plástico), verde (vidro) e amarelo (metal). O lixo orgânico é representado pela cor marrom.
Se o seu município tem serviço de coleta seletiva, você só precisa separar o lixo em duas categorias: recicláveis e não recicláveis (orgânicos). Tudo o que pode ser descartado nos lixos de cor vermelha, azul, verde e amarela entra na parte dos recicláveis, enquanto o lixo orgânico (marrom) vai para a lixeira de não recicláveis.
Você pode entregar o lixo reciclável para catadores ou diretamente em cooperativas de reciclagem na sua cidade. O Cempre (Compromisso Empresarial para Reciclagem) disponibiliza online o Mapa da Reciclagem, onde você pode encontrar os pontos de coleta de materiais recicláveis mais próximos da sua residência. O mapa também mostra locais de coleta de lixos tóxicos, isto é, que não podem ser descartados no lixo comum, itens como pilhas, baterias, óleo de cozinha, medicamentos vencidos, pneus, produtos eletrônicos e lâmpadas fluorescentes não podem ser descartados no lixo reciclável e nem no orgânico! Consulte o mapa aqui. Vivimetaliun

Quase todo mundo sabe da importância da reciclagem de lixo, mas, na prática, pouca gente adere ao hábito de separar os resíduos secos (sem falar nas áreas onde não há coleta seletiva): um estudo de 2017 aponta que apenas 13% do lixo que poderia ser reciclado no Brasil realmente tem esse destino.

Por isso é necessário destacar iniciativas que contribuem para mudar esse quadro. É o caso do Club do Condomínio, criado em Santos, no litoral de São Paulo, para incentivar síndicos de prédios a convencer os moradores a separar os resíduos.

Para isso foi criada uma espécie de moeda virtual, chamada bio-coin. A cada quilo de material recolhido por recicladores parceiros da iniciativa o prédio recebe 1 bio-coin, que equivale a 20 centavos. A cada 5000 bio-coins acumulados, o condomínio pode fazer o resgate de mil reais para ser usado nos serviços que o síndico considerar necessários. Vivimetaliun

A empresa belga Ecover foi fundada em 1980 para criar produtos de limpeza sem fosfato, um componente que poluía as águas. Por bastante tempo eles se dedicaram às fórmulas, mas recentemente perceberam que também era preciso prestar atenção nas embalagens.

Foi assim que surgiu o Rubbish Cafe (algo como “Café do Lixo”), uma ação promovida pela subsidiária da Ecover em Londres. Por dois dias, moradores da capital inglesa e turistas puderam ir ao local e trocar embalagens plásticas usadas por refeições. Vivimetaliun

Patinhos, versão combustível!

A Caça dos Patinhos navegantes expôs as preocupações sobre o acúmulo de lixo nos oceanos. Em janeiro de 1992, um carregamento com 28 mil bichinhos de brinquedo acabou derramado no meio do Oceano Pacífico.

Por serem projetados para flutuar, eles foram guiados pela correnteza e se esparramaram em áreas diversas dos mares. Alguns deles chegaram a percorrer um trajeto de mais de 3 mil quilômetros, chegando por exemplo na costa do Alasca. Outros patinhos foram encontrados na Austrália e Escócia. Vivimetaliun

Desde 2000, a empresa canadense Enerkem se dedica a estudar e implementar maneiras de transformar lixo orgânico em biocombustível, o projeto da companhia consiste em uma parceria com a The Ocean Legacy Foundation, que faz limpeza na costa do país, para aplicar a mesma tecnologia usada em detritos urbanos ao lixo que a organização retirar dos mares canadenses. Vivimetaliun

Com apenas 18 anos, o estudante holandês Boyan Slat impressionou o mundo ao criar um sistema de limpeza dos oceanos, a ferramenta funciona como um filtro que recolhe o lixo flutuante e o leva até um sistema em terra, onde pode ser reciclado. Durante o transporte, o lixo permanece em contato com a água, o que evitaria a morte de animais que fossem arrastados por engano pelo equipamento.

Para transformar a ideia em realidade, Boyan criou a empresa The Ocean Cleanup, segundo as estimativas do jovem, as correntes dos oceanos poderiam ser usadas para acelerar a limpeza das águas e retirar metade de todo o plástico da Ilha de Lixo do Pacífico em apenas cinco anos. Vivimetaliun