Huni Kuin: os caminhos da jiboia

A tribo Huni Kuin (ou Kaxinawá) desenvolveu um jogo eletrônico, que pode ser baixado gratuitamente, possibilitando uma experiência de intercâmbio de conhecimentos e memórias indígenas. Revista Prosa Verso e Arte

Isso mesmo, a comunidade indígena localizada no Acre, Brasil, montou uma equipe de programadores, artistas e antropólogos para criar seu próprio videogame. O projeto se chama Huni Kuin: os caminhos da jiboia e trata-se de um jogo de plataforma de cinco fases, onde cada fase conta uma antiga história do povo Huni Kuin.

A proposta é propiciar uma imersão no universo Huni Kuin, em que os jogadores possam entrar em contato com saberes indígenas – como os cantos, grafismos, histórias, mitos e rituais deste povo – possibilitando uma circulação destes conhecimentos por uma rede mais ampla.

“Um casal de gêmeos kaxinawá foram concebidos pela jiboia Yube em sonhos e herdaram seus poderes especiais. Um jovem caçador e uma pequena artesã, ao longo do jogo, passarão por uma série de desafios para se tornarem, respectivamente, um curandeiro (mukaya) e uma mestra dos desenhos (kene). Nesta jornada, eles adquirirão habilidades e conhecimentos de seus ancestrais, dos animais, das plantas e dos espíritos; entrarão em comunicação com os seres visíveis e invisíveis da floresta (yuxin), para se tornarem, enfim, seres humanos verdadeiros (Huni Kuin).”

Atari 2600

Retromotoca

A Atari (palavra retirada do jogo japonês Go, equivalente a xeque, do xadrez) foi fundada pelo engenheiro elétrico Nolan Bushnell. Em 1972, Nolan lançou o arcade Pong (na onda do ping-pong da Odyssey) que, sendo grande sucesso de vendas, o encorajou a lançar, dois anos depois, uma versão caseira deste jogo, o Home Pong.
Nolan vendeu o controle da empresa em 1976 para a Warner, ficando com o cargo de presidente. Depois de um ano de trabalho e muitos milhões de dólares, sai o Atari VCS (Video Computer System), primeiro console caseiro com jogos bem feitos e gráficos coloridos.
Brasil, 1983. Em maio é lançado timidamente o primeiro clone do Atari nacional, Dactari, pela Sayfi. No mesmo mês, o Odyssey, fabricado pela Philips, entrou no país em grande estilo. Em agosto do mesmo ano, outro clone: o Dynavision, da Dynacom.
Mas o console mais esperado…

Ver o post original 565 mais palavras