É ao morrerem que se tornam santos.

SOBRE GUGU LIBERATO

(Alexandre De Oliveira Périgo)

Ultimamente, relinchos e ameaças virtuais batem em mim e voltam.
Destarte cometi o crime inafiançável de escrever que Augusto Liberato foi um apresentador absolutamente sem talento e sem carisma que dedicou sua vida à alienação do povo brasileiro, foi um dos incubadores do fascismo que hoje nos assola, foi um propagador de fake news como a entrevista mentirosa com falsos líderes do PCC e foi também um dos responsáveis pela impregnação da cultura machista que mata milhares de mulheres todos os anos; escrevi que Liberato recebeu por tais desserviços somas milionárias como prêmio, que culminaram em um patrimônio de cento e cinquenta milhões de reais, comentei também que o cidadão, após ajudar a destruir o Brasil, resolveu covardemente morar no exterior, em uma mansão de quase setecentos metros quadrados, gozando da segurança e dos privilégios que a maioria esmagadora de seus compatriotas não desfruta, em alguma parte, por suas ações calhordas.

Não ri de sua morte, não fiz piadinhas com o acidente que o matou, não desrespeitei a família enlutada. Nada disso. Eu sou o tipo de comunista que acredita na utopia da revolução armada, porém que não se orgulha nem um pouco por ser a violência o único caminho para a derrubada da burguesia e a tomada popular do poder. A vida merece respeito. Toda vida merece. Mesmo a dos maiores canalhas.

Minhas críticas a Augusto Liberato foram contextuais, jamais destrambelharam para ofensas pessoais, mesmo porque não o conheci; pode ter sido um bom pai, um ótimo filho, não sei – e isso pouco importa. Meu foco foi exclusivamente destacar seu desserviço ao povo de meu país.

Foi aí então que a avalanche teve início.

Quando uma postagem atinge certo número de curtidas e de compartilhamentos no Facebook, a bolha estoura. E o que vem após esse estouro cheira mal, muito mal.

Fui xingado de tudo que era possível e imaginável. Disseram que eu era um “monstro que não respeitava a dor alheia”, um “oportunista que queria somente aparecer”, um “urubu que não respeitava o morto” e um “recalcado com inveja do sucesso do apresentador falecido”. Chamaram minha mulher de puta, minha mãe de vaca, meus filhos de animais. Daí para baixo.

Entretanto minha motivação para escrever essa reflexão não foram as ofensas; já mencionei que tenho o couro curtido. O que me chamou a atenção com os comentários ofensivos que recebi às centenas foram quatro aspectos conjunturais.

O primeiro é o luto e a moralidade seletivos da parcela mais conservadora do país. Para essa gente, rir e fazer piadas das mortes da esposa e do neto de Lula são práticas aceitáveis e até estimuladas. No entanto, essas mesmas gentes de bem, ao lerem uma mera crítica contextualizada às ações em vida de um apresentador de TV alguns dias após seu passamento, tomam para si as dores da família do morto com uma fidelidade perdigueira, passando a taxar de “monstruoso” e de “insensível” qualquer um que ouse fazer referências que não sejam loas ao defunto. Adicionalmente, aqueles que atualmente qualificam como “fim dos tempos” qualquer performance artística com algum grau de sensualização, em especial se assistida por crianças, passaram com a morte de Liberato a relativizar moralmente os quadros televisivos altamente erotizados promovidos pelo apresentador no passado, como eram os concursos de beleza com meninas de menos de dez anos e as banheiras com mulheres seminuas a serem bolinadas por homens de sunga na busca de sabonetes. A moral e os bons costumes dessa gente conservadora proveram hipócritas concessões travestidas com ares de “nostalgia” às putarias televisivas de Liberato nas tardes de domingo; tudo era “divertido”, “engraçado” e aceitável, afinal de contas, “isso faz muito tempo” – como se houvesse anacronismo nas críticas ao machismo recente dos programas do SBT.

O segundo é a sacralização do morto. Criticar o comportamento de alguém que morreu recentemente é, para boa parte dos brasileiros em geral, indesculpável. Partir desta para melhor veste inexoravelmente de qualidades os maiores crápulas. Se os canalhas envelhecem como disse Nelson Rodrigues, é ao morrerem que se tornam santos.

O terceiro é o despreparo retórico e conceitual do brasileiro médio para o debate; no imaginário coletivo de boa parte dos nossos, debater equivale a uma competição, uma verdadeira rinha de galo retórica. Não há troca de ideias nem provocações que levem a reflexões, nada disso; há tão somente uma luta, onde o vencedor, orgulhoso de sua inteligência, veste os louros da vitória e o perdedor, humilhado publicamente, a quem resta apenas retirar-se com o rabo entre as pernas. Também não é necessário arcabouço algum para a construção de argumentação. Opiniões, por mais despreparadas e pueris que sejam, devem ser religiosamente respeitadas. Um simples “eu acho que” derruba anos e anos de dedicação e de estudo sobre um tema. Sem nenhum constrangimento.

O quarto e último é sobre a força da televisão na formação do inconsciente coletivo nacional. Isso não pode ser subestimado. O Brasil inteiro vem sofrendo uma verdadeira lobotomia midiática nos últimos cinquenta anos que cobra um alto preço, inclusive dentro do dito campo progressista. Seguramente por conta disso tomei porrada de centenas de pessoas sedizentes de esquerda e defensores aguerridos das práticas de Liberato. Cheguei, não sem tristeza, a ler uma pessoa filiada ao PSOL chamando-me de “elitista” por criticar Liberato, pois o apresentador “fazia parte da sua infância” e “promovia a divulgação da cultura popular”. Bloqueei, sem exageros, mais de duzentas pessoas que foram desproporcionalmente agressivas em minha postagem; o desalento é que seguramente mais da metade delas usava “Ciro 2022” ou “Lula Livre” como fotos de capa.

O texto é grande, mas a conclusão é simples: somos ainda reféns da hipocrisia comportamental e dos ditames televisivos. E uma realidade maturada por décadas não muda de um dia para o outro. O importante é seguirmos em frente, ainda que a passos curtos e sem parar durante a caminhada. Temos problemas para muito além dos milicianos que estão no poder. Será preciso reeducar os brasileiros sem a presença da metástase midiática burguesa. E não podemos nunca nos esquecer: nadar contra a maré traz gosto de água salgada na boca.

Santifique-se: O POVO BRASILEIRO, Patrono do esporte brasileiro, Gugu Liberato, EU ESCOLHI VOCÊ, 400 Nudes, O bom moço do Brasil, Território Político – A Força da Ação Coletiva, As gémeas marotas

Emmy Awards 2018

Indicados Emmy Awards 2018: lista completa da maior premiação da TV,
no dia 17 de setembro, com apresentação de Michael Che e Colin Jost

A Television Academy anunciou os indicados ao Emmy Awards 2018, devido ao prazo de elegibilidade de 1º de junho de 2017 a 31 de maio de 2018, a série Game of Thrones está de volta à competição com um total de 22 indicações. IConnect

Confira os Indicados ao Emmy Awards 2018:

DRAMA

Melhor Série — Drama

  • The Americans
  • The Crown
  • Game Of Thrones
  • The Handmaid’s Tale
  • Stranger Things
  • This Is Us
  • Westworld

Melhor Ator De Drama

  • Jason Bateman (Ozark)
  • Sterling K. Brown (This Is Us)
  • Ed Harris (Westworld)
  • Matthew Rhys (The Americans)
  • Milo Ventimiglia (This Is Us)
  • Jeffrey Wright (Westworld)

Melhor Atriz De Drama

  • Claire Foy (The Crown)
  • Tatiana Maslany (Orphan Black)
  • Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale)
  • Sandra Oh (Killing Eve)
  • Keri Russell (The Americans)
  • Evan Rachel Wood (Westworld)

Melhor Ator Coadjuvante De Drama

  • Nikolaj Coster-Waldau (Game of Thrones)
  • Peter Dinklage (Game of Thrones)
  • Joseph Fiennes (The Handmaid’s Tale)
  • David Harbour (Stranger Things)
  • Mandy Patinkin (Homeland)
  • Matt Smith (The Crown)

Melhor Atriz Coadjuvante De Drama

  • Alexis Bledel (The Handmaid’s Tale)
  • Millie Bobby Brown (Stranger Things)
  • Ann Dowd (The Handmaid’s Tale)
  • Lena Headey (Game of Thrones)
  • Vanessa Kirby (The Crown)
  • Thandie Newton (Westworld)
  • Yvonne Strahovski (The Handmaid’s Tale)

Melhor Ator Convidado — Drama

  • F. Murray Abraham (Homeland)
  • Cameron Britton (Mindhunter)
  • Ron Cephas Jones (This Is Us)
  • Matthew Goode (The Crown)
  • Gerald McRaney (This Is Us)
  • Jimmi Simpson (Westworld)

Melhor Atriz Convidada — Drama

  • Viola Davis (Scandal)
  • Kelly Jenrette (The Handmaid’s Tale)
  • Cherry Jones (The Handmaid’s Tale)
  • Diana Rigg (Game of Thrones)
  • Cicely Tyson (How to Get Away with Murder)
  • Samira Wiley (The Handmaid’s Tale)

Melhor Direção De Episódio – Drama

  • Game Of Thrones “Beyond The Wall” – Alan Taylor
  • Game Of Thrones “The Dragon And The Wolf” – Jeremy Podeswa
  • Ozark “The Toll” – Jason Bateman
  • Ozark “Tonight We Improvise” – Daniel Sackheim
  • Stranger Things “Chapter Nine: The Gate” – The Duffer Brothers
  • The Crown “Paterfamilias” – Stephen Daldry
  • The Handmaid’s Tale “After” – Kari Skogland

Melhor Roteiro De Episódio – Drama

  • Game Of Thrones “The Dragon And The Wolf”
  • Killing Eve “Nice Face”
  • Stranger Things “Chapter Nine: The Gate”
  • The Americans “Start”
  • The Crown “Mystery Man”
  • The Handmaid’s Tale “June”

COMÉDIA

Melhor Série — Comédia

  • Atlanta
  • Barry
  • Black-ish
  • Curb Your Enthusiasm
  • GLOW
  • The Marvelous Mrs. Maisel
  • Silicon Valley
  • Unbreakable Kimmy Schmidt

Melhor Ator De Comédia

  • Anthony Anderson (Black-ish)
  • Ted Danson (The Good Place)
  • Larry David (Curb Your Enthusiasm)
  • Donald Glover (Atlanta)
  • Bill Hader (Barry)
  • William H. Macy (Shameless)

Melhor Atriz De Comédia

  • Pamela Adlon (Better Things)
  • Rachel Brosnahan (The Marvelous Mrs. Maisel)
  • Allison Janney (Mom)
  • Issa Rae (Insecure)
  • Tracee Ellis Ross (Black-ish)
  • Lily Tomlin (Grace And Frankie)

Melhor Ator Coadjuvante De Comédia

  • Louie Anderson (Baskets)
  • Alec Baldwin (Saturday Night Live)
  • Tituss Burgess (Unbreakable Kimmy Schmidt)
  • Tony Shalhoub (The Marvelous Mrs. Maisel)
  • Kenan Thompson (Saturday Night Live)
  • Brian Tyree Henry (Atlanta)
  • Henry Winkler (Barry)

Melhor Atriz Coadjuvante De Comédia

  • Zazie Beetz (Atlanta)
  • Alex Borstein (The Marvelous Mrs. Maisel)
  • Aidy Bryant (Saturday Night Live)
  • Betty Gilpin (GLOW)
  • Leslie Jones (Saturday Night Live)
  • Kate McKinnon (Saturday Night Live)
  • Laurie Metcalf (Roseanne)
  • Megan Mullally (Will & Grace)

Melhor Ator Convidado — Comédia

  • Sterling K. Brown (Brooklyn Nine-Nine)
  • Bryan Cranston (Curb Your Enthusiasm)
  • Donald Glover (Saturday Night Live)
  • Bill Hader (Saturday Night Live)
  • Lin-Manuel Miranda (Curb Your Enthusiasm)
  • Katt Williams (Atlanta)

Melhor Atriz Convidada — Comédia

  • Tina Fey (Saturday Night Live)
  • Tiffany Haddish (Saturday Night Live)
  • Jane Lynch (The Marvelous Mrs. Maisel)
  • Maya Rudolph (The Good Place)
  • Molly Shannon (Will & Grace)
  • Wanda Sykes (Black-ish)

Melhor Direção De Episódio – Comédia

  • Atlanta “FUBU” – Donald Glover
  • Atlanta “Teddy Perkins” – Hiro Murai
  • Barry “Chapter One: Make Your Mark” – Bill Hader
  • GLOW “Pilot” – Jesse Peretz
  • Silicon Valley “Initial Coin Offering” – Mike Judge
  • The Big Bang Theory “The Bow Tie Symmetry” – Mark Cendrowski
  • The Marvelous Mrs. Maisel “Pilot” – Amy Sherman-Palladino

Melhor Roteiro De Episódio – Comédia

  • Atlanta “Alligator Man”
  • Atlanta “Barbershop”
  • Barry “Chapter One: Make Your Mark”
  • Barry “Chapter Seven: Loud, Fast And Keep Going”
  • Silicon Valley “Fifty-One Percent”
  • The Marvelous Mrs. Maisel “Pilot”

SÉRIE LIMITADA OU FILME PARA TV

Melhor Série De Caráter Limitado

  • The Alienist
  • The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story
  • Genius: Picasso
  • Godless
  • Patrick Melrose

Melhor Filme Para A TV

  • Fahrenheit 451
  • Flint
  • Paterno
  • The Tale
  • USS Callister (Black Mirror)

Melhor Ator Em Série Limitada Ou Filme Para A TV

  • Antonio Banderas (Genius: Picasso)
  • Darren Criss (The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story)
  • Benedict Cumberbatch (Patrick Melrose)
  • Jeff Daniels (The Looming Tower)
  • John Legend (Jesus Christ Superstar Live in Concert)
  • Jesse Plemons (Black Mirror – “USS Callister”)

Melhor Atriz Em Série Limitada Ou Filme Para A TV

  • Jessica Biel (The Sinner)
  • Laura Dern (The Tale)
  • Michelle Dockery (Godless)
  • Edie Falco (Law & Order True Crime: The Menendez Murders)
  • Regina King (Seven Seconds)
  • Sarah Paulson (American Horror Story: Cult)

Melhor Ator Coadjuvante Em Série Limitada Ou Filme Para A TV

  • Jeff Daniels (Godless)
  • Brandon Victor Dixon (Jesus Christ Superstar Live in Concert)
  • John Leguizamo (Waco)
  • Ricky Martin (The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story)
  • Edgar Ramírez (The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story)
  • Michael Stuhlbarg (The Looming Tower)
  • Finn Wittrock (The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story)

Melhor Atriz Coadjuvante Em Série Limitada Ou Filme Para A TV

  • Sara Bareilles (Jesus Christ Superstar Live in Concert)
  • Penélope Cruz (The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story)
  • Judith Light (The Assassination Of Gianni Versace: American Crime Story)
  • Adina Porter (American Horror Story: Cult)
  • Merritt Wever (Godless)
  • Letitia Wright (Black Mirror – “Black Museum”)

VARIEDADES

Melhor Talk-Show

  • The Daily Show With Trevor Noah
  • Full Frontal With Samantha Bee
  • Jimmy Kimmel Live!
  • Last Week Tonight With John Oliver
  • The Late Late Show With James Corden
  • The Late Show With Stephen Colbert

Melhor Programa De Esquetes

  • At Home With Amy Sedaris
  • Drunk History
  • I Love You, America With Sarah Silverman
  • Portlandia
  • Saturday Night Live
  • Tracey Ullman’s Show

Melhor Série De Animação

  • Baymax Returns (Big Hero 6: The Series)
  • Bob’s Burgers
  • Rick And Morty
  • South Park
  • The Simpsons

Melhor Reality Show Estruturado

  • Antiques Roadshow
  • Fixer Upper
  • Lip Sync Battle
  • Queer Eye
  • Shark Tank
  • Who Do You Think You Are?

Melhor Reality Show Não-Estruturado

  • Born This Way
  • Deadliest Catch
  • Intervention
  • Naked And Afraid
  • RuPaul’s Drag Race: Untucked
  • United Shades Of America With W. Kamau Bell

Melhor Reality Show De Competição

  • The Amazing Race
  • American Ninja Warrior
  • Project Runway
  • RuPaul’s Drag Race
  • Top Chef
  • The Voice

Melhor Apresentador De Reality Show

  • Ellen DeGeneres (Ellen’s Game of Games)
  • Jane Lynch (Hollywood Game Night)
  • Heidi Klum & Tim Gunn (Project Runaway)
  • RuPaul ( Drag Race)
  • W. Kamau Bell (United Shades of America with W. Kamau Bell)

Mude conceitos, você pode e deve: Relatos Salvajes, LUMINESCE™, THE IMITATION GAME, A RAINHA DE MAIO, NAARA BEAUTY DRINK!!!, 15 robôs icônicos do cinema, NEVO, BATMÓVEL – INFOGRÁFICO, MUTAÇÃO, INSTANTLY AGELESS ™, A QUARTA PAREDE!, BESOURINHA, VIDACELL®, Three Little Pigs, RESERVE™, O ESCARAVELHO DO DIABO, TURA SATANA, JÁ NÃO ME SINTO EM CASA NESSE MUNDO

Les mutins de Pangée

Les mutins de Pangée (2005) é uma co-produção de televisão e cinema e edição (DVD, VOD). O grupo começou fabricando documentários AZ, ou seja, produzir, distribuir o filme e editar em DVD. Então, com o tempo, a edição filme foi aberta a outros diretores. Esta abordagem guiada pela curiosidade e o desejo de compartilhar descobertas continua de forma mais ampla com o estabelecimento de um VOD plataforma (Video on demand) no site lesmutins.org.

Enxergue mais: INSTANTLY AGELESS ™A QUARTA PAREDE!DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL50 FILMES QUE SÃO MELHORES DO QUE O LIVROPLANKTON INVASIONJUAN DOS MORTOSA INVENÇÃO DE HUGO CABRETO TESTE DE TURING

A Noite

A Noite – Tiê

Palavras não bastam, não dá pra entender
E esse medo que cresce e não para
É uma história que se complicou
E eu sei bem o porquê

Qual é o peso da culpa que eu carrego nos braços
Me entorta as costas e dá um cansaço
A maldade do tempo fez eu me afastar de você

E quando chega a noite e eu não consigo dormir
Meu coração acelera e eu sozinha aqui
Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão
Olhos nos olhos, no espelho e o telefone na mão

Pro tanto que eu te queria, o perto nunca bastava
E essa proximidade não dava
Me perdi no que era real e no que eu inventei
Reescrevi as memórias, deixei o cabelo crescer
E te dedico uma linda estória confessa
Nem a maldade do tempo, consegue me afastar de você

Te contei tantos segredos que já não eram só meus
Rimas de um velho diário, que nunca me pertenceu
Entre palavras não ditas, tantas palavras de amor
Essa paixão é antiga e o tempo nunca passou

E quando chega a noite, e eu não consigo dormir
Meu coração acelera e eu sozinha aqui
Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão
Olhos nos olhos, no espelho e o telefone na mão

Veja também: SOZINHO NÃO!, HAPPY TOGETHER, INEZITA BARROSO400 NUDESDIGA A ELANICK CAVE

Fahrenheit 451

F451_EX.jpg.CROP.rectangle3-large

fahrenheit_451

escalas-termometricas-9-638

Fahrenheit 451 TV_5003_00003A: Cyril Cusack

temp

Enxergue mais: BIBLIOTECA WEBDOWNLOAD: POSSO SER PRESO POR ISSO?Os cães, 1984!LIBERDADE PRIVATIZADAVIA LÁCTEA PELO NAVEGADOR50 filmes que são melhores do que o livro, COMPARTILHENAARA BEAUTY DRINK!!!Economia de mercado, The Truman Show, O de Otário,MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL (MROSC)EMVBE MY EYES APPUm golpe educado!A história de sempre?, O MISTÉRIO DO DISCO SUBMERSO NO BÁLTICOINSTANTLY AGELESS ™ CONSCIÊNCIA EVOLUTIVA, ERAM OS DEUSES ASTRONAUTAS??ÍNDIO EDUCA, , RANKING MUNDIAL DE LIBERDADE DE IMPRENSAVIDACELL®GOOGLE MAPS SEM CONEXÃO DE INTERNETTHE MARTIANVLIBRASRECADASTRAMENTO ELEITORAL BIOMÉTRICORESERVE™Estupidez, Bike or die!, Clarice Lispector do Samba, Clara Nunes.

Perfeição

Perfeição – Legião Urbana

Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos covardes
Estupradores e ladrões

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E sequestros

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta de bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão

Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!

Veja também: Carnaval é Perfeição!, Advogados, Impostômetro, Mapa da indecência, Só um minuto!, Oitavo Anjo, Justiça de mierda, Marx escreve uma carta de repúdio ao professor, Candelária, Liberdade de expressão, Desordem, FILHOS DA PROSTITUTA

Memória dos Campos

Em 1945, Alfred Hitchcock ficou em choque. O “mestre do suspense” ficou tão horrorizado ao ver as imagens da chegada das tropas aliadas aos campos de concentração, no fim da Segunda Guerra Mundial, que ficou uma semana sem conseguir voltar aos estúdios. Em seguida, empenhou-se na produção do filme, que editaria as imagens chocantes para mostrar aos alemães a dimensão dos horrores do Holocausto. Folha Social

Veja também: No gás, Mídia Ninja, Processo licitatório?, Mídia estão de luto, Atrás de mim!, Scoring drugs, Sua segurança?, Via Láctea pelo navegador, Terceira Onda, O mundo dos espertos, Brasileiro Reclama De Quê?, Homem e o diabo, Carta da Terra, Indivíduos perigosos, FORDISMO??, Vergonha alheia!!!, Individualidade fugaz, Cabo Jardim

José Mujica maconheiro?

José Mujicacanamo-capa
exemploops

mujicacool

O Uruguai criou polêmica em todo o mundo ao se tornar o primeiro país a legalizar a maconha. Essa foi a solução encontrada pelo presidente José Mujica para combater a violência e o narcotráfico. Jornal da Band

pepemujica
Chico Lopes solto depois de pagar fiança de R$ 300. (Senado Federal)

Veja também: Legalize Já, Ervas medicinais, FHC = THC, Saudação ao Sol, Comida de gente, Convite à Filosofia, Chás que Ajudam a Emagrecer, Paulo Freire, Jesus Negão, Umbrella Corporation, Piada sem sabor!, Sorvete de cachaça, Casa da árvore

Juan dos Mortos

O diretor Alejandro Brugués se perguntou o que aconteceria se uma epidemia zumbi afetasse a socialista Cuba.

O protagonista, Juan (Alexis Díaz de Villegas), é o malandro cubano. Ele não trabalha, prefere rum a alimentos, é divorciado, tem uma relação conturbada com a filha e gosta de se divertir com a mulher do vizinho. Quando é convidado pelo amigo Lazaro (Jorge Molina) a fugir para Miami, ele responde com sinceridade: “Mas lá eu ia ter que trabalhar”.

Uma epidemia misteriosa transforma os cidadãos em mortos-vivos. Pela televisão, a imprensa logo anuncia que a epidemia é obra de dissidentes cubanos financiados pelo governo norte-americano. Mariane Zendron – Do UOL, em São Paulo
poster_juan

Veja também: A indústria farmacêutica está fora de controle?, De quem é o poder?, Candidato Caô Caô, Incêndio, apenas 4° andar é salvo., Inside Job, Somos todos doadores, O Coxinha – uma análise sociológica, Casas de Mediação, Justiça em trânsito, Empoderamento dos recursos, Hortas e temperos, Legalize Já

Procon divulga listas de empresas

A Fundação Procon-SP divulgou nesta quarta-feira, 28, uma lista com sites que devem ser evitados pelo consumidor em compras pela internet. A lista apresenta o endereço eletrônico da empresa, a razão social e o número do CNPJ ou CPF.

Uma cartilha chamada “Guia de Comércio Eletrônico”,com orientações ao consumidor também foi disponibilizada pelo Procon-SP. o material traz dicas e cuidados que devem ser levados em consideração na compra de produtos ou contratação de serviços online.

Veja também: Banco Central do Brasil, Funcional Obsoleto, Semana do Consumidor, O de Otário, Justiça em trânsito, Impostômetro, Miniusina de energia, Amostras grátis, é possível., A Terra a Gastar, De onde você vem?, Estresse no seu corpo, Bicarbonato de Sódio e a Máquina de Lavar

BBB por Antonio Barreto

Antonio Barreto
Cordel que deixou Rede Globo e Pedro Bial indignados
Antonio Barreto nasceu nas caatingas do sertão baiano, Santa Bárbara/Bahia-Brasil.Amante da cultura popular, dos livros, da natureza, da poesia e das pessoas que vieram ao Planeta Azul para evoluir espiritualmente.
Professor, poeta e cordelista. Graduado em Letras Vernáculas e pós graduado em Psicopedagogia e Literatura Brasileira, também compõe músicas na temática regional: toadas, xotes e baiões.

Seu terceiro livro de poemas, Flores de Umburana, foi publicado em dezembro de 2006 pelo Selo Letras da Bahia.
Vários trabalhos em jornais, revistas e antologias, tendo publicado aproximadamente 100 folhetos de cordel abordando temas ligados à Educação, problemas sociais, futebol, humor e pesquisa, além de vários títulos ainda inéditos.

BIG BROTHER BRASIL UM PROGRAMA IMBECIL.

Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.

Em frente à televisão
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.

Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.

O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.

Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.

Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.

Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Da muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.

Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social

Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.

Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.

A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.

Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.

Talvez haja objetivo
“professor”, Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.

Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.

É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.

Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer”
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.

A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.

E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.

E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.

E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados

Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.

A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.

Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.

Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal.
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal.

FIM

Veja também: Rotina, Quarto poder, Jesus era Peripatético., A onda, O povo da caixa, PÁTRIA MADRASTA VIL, Somos todos doadores, Impostômetro, Atrás de mim!, Xeque Monte, Parabéns Néstle, Mídia estão de luto, FORDISMO??

Antena Caseira dipolo de meia-onda*

Material:
3 canos de PVC (sobras de cano de 1/2 ou 3/4 de polegada);
1 conexão tipo T para cano;
Fio paralelo (1,5 metros).**

Junte os 3 pedaços de cano usando a conexão em forma de “T”;
Separe as “pernas” do fio paralelo e introduza o fio paralelo de forma que cada das “pernas” do fio paralelo fiquem de cada lado da tubulação;
Descasque a ponta de cada “perna” do fio e enrole na a extremidade do cano;
Fixe com fita isolante.

Ligue o cabo da antena, posicione-a em um lugar bem alto.
Pronto!!!

Boa sorte!
ps. Se alguém souber como isso consegue funcionar explique…

* A antena é chamada assim pois o comprimento da parte horizontal é aproximadamente metade do comprimento de onda do sinal a ser captado.
O comprimento de onda é obtido dividindo a velocidade da luz (300 000 000 m/s) pela freqüência da onda.

** Quanto mais grosso o fio que forma a antena, mais larga a banda captada, ou seja mais canais captados com a mesma antena.
Fonte: Clube do Hardware

Veja também: Tijolo, Pneu, Lixo ou resíduos?, Minhocário., Lixo ou arte?, Manguetown, Águas de março, Individualidade fugaz, Miniusina de energia, Processo licitatório?, Planeta dos Macacos, O Livro de Eli