10 fatos sobre inteligência artificial

O conceito de IA se refere à criação de máquinas – não necessariamente com corpo físico – com a habilidade de pensar e agir como humanos. Softwares que conseguem abstrair, criar, deduzir e aprender ideias. O objetivo geralmente está em facilitar tarefas do dia a dia, avançar pesquisas científicas e modernizar indústrias. Veja, a seguir, dez fatos que o TechTudo reuniu sobre o passado, o presente e o futuro da inteligência artificial. Isabela Cabral

1. A história da inteligência artificial tem pelo menos 62 anos

 Já na Antiguidade, seres artificiais e homens mecânicos apareciam em mitos gregos e romanos. Filósofos e matemáticos de várias eras exploraram a possibilidade de mecanização do pensamento. No início do século passado, a ideia começa a surgir nas obras de ficção científica, como na peça teatral Rossum’s Universal Robots (1920), que introduziu a palavra “robô”, e no celebrado filme Metropolis (1927).

A Segunda Guerra reuniu cientistas de diversas áreas, incluindo neurociência, engenharia, matemática e computação. Alguns discutiam já nas décadas de 1940 e 1950 a criação de um cérebro artificial. Entre eles estava Alan Turing, conhecido como “o pai da informática”. Em 1956, nasceu oficialmente um campo de estudo voltado para a inteligência artificial. A Conferência Dartmouth formalizou o termo, determinou a missão da IA e seus pesquisadores precursores. Marvin Minsky, John McCarthy, Allen Newell e Herbert A. Simon foram alguns dos nomes fundamentais no processo.

2. Ela já está presente na sua vida

Assistentes virtuais como a Siri, a Cortana e o Google Assistant são bons exemplos de inteligência artificial em contato direto com os usuários. Mas os smartphones, computadores e outros gadgets do cotidiano também operam com IA de muitas outras maneiras, a começar pelo Google.

O app Fotos reconhece o conteúdo de suas imagens e permite que você faça uma busca digitando o nome de um objeto ou ação. O YouTube pode transcrever áudio e gerar legendas para os vídeos em 10 idiomas. O Gmail oferece respostas automáticas inteligentes para seus e-mails. O Google Tradutor traduz textos de placas, rótulos e cardápios com a câmera do celular. E vem mais por aí: a empresa anunciou que IA é um dos temas centrais das apresentações do Google I/O 2018, conferência anual que traz as novidades da companhia.

Spotify e a Netflix usam inteligência artificial para entender as preferências dos usuários e recomendar, respectivamente, músicas e filmes. A Amazon faz algo parecido ao oferecer a seus clientes novos produtos a partir de machine learning. O software ajuda a decidir até qual é o melhor momento para fazer as ofertas.

Carros autônomos também já são realidade e devem chegar ao mercado em poucos anos. Empresas como Google, UberSamsung e Volkswagen estão desenvolvendo e testando veículos que dirigem sozinhos. No cinema, a inteligência artificial cria multidões de pessoas para cenas de filmes. Na medicina, está ajudando a avançar estudos sobre o câncer.

3. Inteligência artificial não é o mesmo que machine learning

O “aprendizado de máquina” é uma aplicação de IA muito utilizada hoje, em que um programa acessa um grande volume de dados e aprende com eles automaticamente, sem intervenção humana. É o que acontece no caso das recomendações da Netflix e do Spotify e no reconhecimento facial em fotos do Facebook, por exemplo.

4. O aumento na coleta de dados em massa impulsionou a IA

Big Data, conjunto massivo de dados que serve de base para o aprendizado dos mais diversos softwares, como o machine learning, com mais informação disponível, os pesquisadores e as empresas ganharam mais motivação para buscar maneiras inteligentes e automatizadas de processar, analisar e usar os dados.

5. Google, IBM, Microsoft, Facebook, Amazon e outras empresas formaram um grupo de pesquisa e defesa da IA

Em 2016, grandes corporações do mundo da tecnologia, incluindo Google, IBMMicrosoft, Facebook e Amazon, se uniram para criar a “Parceria em IA para beneficiar pessoas e a sociedade”. O grupo afirma que quer avançar pesquisas e defender implementações éticas da inteligência artificial.

6. A inteligência artificial vai substituir humanos em muitos empregos

De acordo com a empresa de consultoria e auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC), até 2030 robôs substituirão 38% das vagas de trabalho nos Estados Unidos, 30% no Reino Unido e 21% no Japão. Os setores de transporte, armazenamento, manufatura e varejo serão os mais afetados.

7. Especialistas acreditam que a inteligência artificial vai alcançar a capacidade humana em menos de 25 anos

Uma pesquisa realizada em 2013 fez a seguinte pergunta para centenas de especialistas em IA: quando o nível de inteligência artificial será 50% da inteligência humana? A resposta média foi 2040. Enquanto isso, outro estudo recente mostrou que 42% de um grupo de cientistas acreditam que a singularidade será atingida antes de 2030.

8. Ela já é melhor que seres humanos em algumas tarefas

Não há previsões de quando a inteligência artificial chegará ao patamar humano, mas já existem robôs que são melhores do que nós em tarefas específicas. Por exemplo, em 2011 o IBM Watson venceu os humanos no Jeopardy!, famoso programa americano de perguntas e respostas. Depois disso, a IA continuou em desenvolvimento e hoje já consegue fazer diagnósticos de câncer com maior precisão que os médicos. Sua taxa de acerto é de 90%, em comparação a 50% no caso dos seres humanos.

9. Grandes nomes da tecnologia estão preocupados com as consequências desse avanço

Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, já falou publicamente várias vezes que acredita que a inteligência artificial pode um dia se tornar uma ameaça para as pessoas e até pôr fim à humanidade. O empresário é entusiasta das mais avançadas tecnologias, mas ressalta a necessidade de regulamentação na área da IA e gostaria que armas autônomas fossem banidas. Armamentos operados por softwares inteligentes já são realidade em alguns governos.

O físico Stephen Hawking, que morreu em março, expressava sua preocupação também com o poder destrutivo de armas independentes e temia a substituição da força de trabalho humana, sem a criação suficiente de novas vagas. Bill Gates, fundador da Microsoft, concorda com Musk e Hawking e disse que não entende como algumas pessoas não estão preocupadas.

10. O basilisco de Roko é uma hipótese terrível sobre a IA

Existe um experimento mental assustador conhecido como Basilisco de Roko. A ideia é que, no futuro, uma poderosa inteligência artificial possa torturar todos que não a ajudaram de alguma forma a ser criada. Apenas o fato de saber sobre o basilisco, como você está fazendo ao ler estas palavras, colocaria alguém em perigo, já que a IA passaria a incluir tal pessoa em suas simulações.

O experimento está fundamentado em teorias complexas, mas que remetem a uma noção de que uma IA não teria limites por tentar tornar o mundo cada vez melhor. Com as ambiguidades da tarefa e sem a moral humana, ela faria de tudo que considerasse necessário, inclusive machucar pessoas. Assim, os que não facilitaram sua existência e desenvolvimento estariam sob ameaça.

O Basilisco de Roko foi proposto em um fórum de discussão do LessWrong, uma plataforma criada pelo pesquisador Eliezer Yudkowsky, que está a frente do Instituto de Pesquisa de Inteligência de Máquina (MIRI). O próprio Yudkowsky já deixou claro que acredita nos riscos da ideia.

AIze-se: iDvogados, Google Doodle Jogos, 20 Startups Super Quentes para Observarmos em 2020, Neon, IA – Indígena é Ateu? E os emojis com isso?, Inteligência digital plus Inteligência emocional, Arte mecaniza vida?, Simulação de Estupro?!?, deepfake

Society 5.0

A Sociedade 5.0 refere-se a uma nova sociedade criativa, aportada pela inovação e pela transformação digital, representando uma nova visão com o objetivo de resolver questões sociais, utilizando as evoluções tecnológicas. Esta sociedade sucede as passadas: a sociedade de caça (Sociedade 1.0), sociedade agrícola (Sociedade 2.0), sociedade industrial (Sociedade 3.0) e sociedade da informação e do conhecimento (Sociedade 4.0).

O termo “Society 5.0” surgiu no Japão em 2016, pelo Gabinete Japonês na 5th Science and Technology Basic Plan. Ela conecta todas as pessoas e coisas através da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things), compartilha vários conhecimentos e informações e cria novo valor nunca antes existente. Além disto, traz uma nova perspectiva de vida humana, aprimorando a produtividade e a qualidade de vida, com desenvolvimento pautado por transformações acopladas pela inovação científica e tecnológica. Por meio da inteligência artificial (IA), as informações e conhecimentos necessários são fornecidos, e tecnologias como robôs, drones,  transportes públicos automatizados, criptomoedas, Blockchain, mobilidade e veículos autônomos, vencerão questões que hoje estão nos bloqueando.

Bem-vindos à Sociedade 5.0

A Sociedade 5.0 é realizada por um sistema que combina espaço cibernético (espaço virtual) e espaço físico (espaço real), potencialmente conectados. Uma enorme quantidade de dados dos sensores do espaço físico é acumulada no ciberespaço. No ambiente do ciberespaço, a IA analisa esses dados e os resultados são devolvidos aos seres humanos no espaço físico de várias maneiras.

O ambiente ao redor do Japão e do mundo está em um período de grandes mudanças. À medida que o desenvolvimento econômico avança, a vida das pessoas se torna mais conveniente e rica, cresce a demanda por energia e alimentos, e aumenta a expectativa de vida e o envelhecimento das pessoas. Além disso, a globalização da economia progride, a concorrência internacional se intensifica e também há aspectos como concentração de riqueza e desigualdade entre regiões. Percebe como as questões sociais estão se tornando mais complexas? Medidas como a promoção da industrialização sustentável, realocação de riqueza e correção de disparidades entre regiões estão se tornando imprescindíveis. No entanto, no atual sistema social, é difícil alcançar o desenvolvimento econômico e a resolução de questões sociais. Acordo Coletivo

5.0ze-se: Ka’apor buscam romper com o resto da sociedade, Aumento da Desigualdade ou Diminuição da Pobreza: o que mais importa para a sociedade?, Não sou de postar coisas religiosas, mas as vezes, esse tipo de coisa é que me deixa com muita raiva da sociedade!, Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída, Ailton Krenak: próxima missão do capitalismo é se livrar de metade da população do planeta

7 livros de ficção científica que todo homem deveria ler

╠ GeekTrooper ╣

FONTE: Manual do Homem Moderno | Site Masculino

Naves espaciais, viagem no tempo, robôs… Apesar de parecer escapista ao explorar universos imaginários, existe um valor alto na ficção científica que você só percebe com uma leitura mais atenciosa. Ela fala sobre a condição humana. Ao propor realidades paralelas ou visões do futuro, o gênero nos faz refletir sobre a humanidade em si. Quem somos? Para onde vamos? O quanto este momento no tempo importa para a história da civilização humana em si. Apesar de contar espaçonaves e por vezes perseguições em planetas alienígenas, a ficção científica sempre flertou muito com a filosofia. Autores como Arthur C. Clarke, Douglas Adams, William Gibson e Isaac Asimov sempre foram respeitados no meio acadêmico, recebendo diversos prêmios por suas realizações. Mesmo assim, muitos títulos que ficaram famosos no mundo, passaram – e ainda passam – desapercebidos no Brasil. Pensando nisso separei uma lista com 7 livros de ficção científica…

Ver o post original 779 mais palavras