Arrendamento de terras indígenas ilegal

O Estado fez um levantamento inédito sobre as terras indígenas que hoje são alvo desse tipo de atividade irregular. Segundo dados fornecidos pela Fundação Nacional do Índio (Funai), por meio da Lei de Acesso à Informação, atualmente, 22 terras indígenas do País possuem áreas arrendadas para produtores. As negociações clandestinas entre produtores e indígenas incluem desde o pagamento de mensalidades para os índios, até a divisão da produção colhida ou vendida. André Borges – O Estado de S. Paulo09 Dezembro 2018, 05h00
As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios são bens da União, conforme o art. 20, XI, da Constituição Federal, sendo que os silvícolas possuem apenas o usufruto da terra, sendo vedada qualquer forma de disposição, alienação ou arrendamento. O Estatuto do Índio também define que as terras indígenas não poderão ser objeto de arrendamento ou qualquer ato ou negócio jurídico que restrinja o pleno exercício da posse direta pela comunidade indígena. Dessa forma, o arrendamento de terras indígenas é prática ilegal. Comunicação Social da Polícia Federal em Chapecó/SC

A Funai disse que tem procurado enfrentar essas situações para retirar os produtores externos das terras. Nos casos em que os povos indígenas manifestam interesse em continuar produzindo o que quer que seja, a fundação declarou que “tem organizado processos de transição que possam contribuir para que os povos indígenas se apropriem das técnicas e se capitalizem” para seguirem independentes. Racismo Ambiental

Editado via celular

Gustavo Guedes

“Minha família é militar. Sempre fui careta. Nunca vi maconha na minha vida. Se eu paro para pensar que eu dou três drogas para meu filho hoje (Topiramato e o Depakene, e dou o Klobazam, um tarja preta), para um bebê de um ano e três meses, por que não posso dar o CBD? Se a luz no fim do túnel é essa e se o CBD dá na maconha, OK. A gente vai usar maconha. Se desse no abacaxi, a gente usava folha do abacaxi, mas não dá”, diz Camila Guedes em cena do documentário Ilegal. Flavia Guerra , O Estado de S. Paulo – 08 Outubro 2014

1stnnif0i7_9ewfaaieu6_file

A morte do menino Gustavo Guedes, de um ano e quatro meses, que sofria da Síndrome de Dravet, no último domingo (1º), em Brasília, no Distrito Federal. A criança sofria uma doença rara que provoca crises epilépticas, assim como os pais da menina Anny Fischer, de 5 anos, a mãe de Gustavo Guedes lutava pela liberação de um medicamento derivado da maconha, o canabidiol (CBD), que diminui consideravelmente o número de crises.. DISTRITO FEDERAL – Do R7

camila-2

Uma caixa pequena protegida no fundo de um armário guarda as primeiras vezes de uma vida breve. Nela, há a mecha do primeiro corte de cabelo de Gustavo, a roupa usada nos primeiros dias, um par de sapatinhos e a chupeta. Os itens formam uma singela, porém significativa, coleção de lembranças do primeiro filho de Camila e Cristiano Guedes. O tempo passou diferente, em 25 de janeiro de 2013, às 6h, quando Gustavo nasceu. A vida começou a correr como os números de um cronômetro, diante dos olhos preocupados dos pais. LEILANE MENEZESMetropoles

20140603094715334345e

A morte do menino Gustavo Barbosa, de um ano e quatro meses, no domingo (1º/6), passará por um processo de investigação conduzido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A substância é proibida no Brasil, mas a Anvisa autorizou, em caráter excepcional, a família a importar o medicamento, no dia 17 de abril. No entanto, o medicamento ficou mais de 10 dias retido na Receita Federal. Por causa disso, o garoto só conseguiu usar o medicamento por nove dias, até ser internado no Hospital Santa Helena, e não resistir a uma série de convulsões. Roberta Pinheiro – Correio Braziliense

A nutricionista cearense, radicada em Brasília, Camila Guedes, foi a primeira pessoa, em 2014, a entrar com pedido na Anvisa para importar canabidiol dos Estados Unidos. Diagnosticado com Síndrome de Dravet, o filho dela, Gustavo, sofria desde os quatro meses com convulsões mensais que só paravam com medicações fortes e internação, ela recorreu à pediatra do filho, “Era algo que tinha de ser feito”, rememora a médica Cláudia Bueno, atualmente coordenadora da UTI Pediátrica do Hospital Regional de Marabá, no Pará. Ela foi a primeira médica brasileira a prescrever CBD. O povo

Mude conceitos, você pode e deve vidacell ®COMO A INDÚSTRIA DO FUMO ENGANOU AS PESSOAS?instantly ageless ™PIAUÍ AUTORIZA PRODUÇÃO DE ÓLEO DE CANABIDIOLnaara beaty drink!!!SUCOS VERDESJEUNESSE, VERDADE OU MENTIRA?ARROZ BASMATI COM MILHO (VEGANA)luminesce ™#ASCO: #ALCOHOL IS #CANCER RISKHERBICIDA ROUNDUP, CANCERÍGENO?!?!Pesticidas caseiros ecológicos para plantasPARATUDO DO LAR

Aposentadoria da Água

onu-agua

maparecursohidrico2011

crisehidricafgts

“Nós [da construção civil] somos responsáveis pela metade dos materiais consumidos na sociedade”, afirma o professor Agopyan. Agência Universitária de Notícias

Conheça o consumo de água em algumas atividades:

Para se produzir 1 litro de cerveja utiliza-se de 5 a 25 litros de água.
Para se produzir 1 kg de cimento utiliza-se 35 litros de água.
Para se produzir 1 kg de aço utiliza-se de 300 a 600 litros de água.
Para se produzir 1 litro de álcool utiliza-se 2.700 litros de água.
Para se produzir 1 litro de leite utiliza-se de 2,5 a 5 litros de água.
Para se produzir 1 kg de estreptomicina utiliza-se 4 milhões litros de água.
Para abater 1 cabeça de gado utiliza-se 500 litros de água.
Para se fabricar 1 carro utiliza-se 35.000 litros de água.
Para se produzir 1 kg de forragem utiliza-se 1.100 litros de água.
Para se produzir 1 kg de arroz utiliza-se 4.500 litros de água.
Para se produzir 1 kg de algodão utiliza-se 10.000 litros de água.
Para lavar 1 metro de sarjeta utiliza-se 25 litros de água.
Para limpar 1 m² de um mercado utiliza-se 5 litros de água.
Para suprir o consumo de 1 criança na escola utiliza-se 100 litros de água/dia.
Para suprir o consumo de 1 paciente num hospital utiliza-se 450 litros de água/dia.
Na limpeza das mãos utiliza-se 5 litros de água.
Tomar uma ducha utiliza-se de 20 a 50 litros de água.
Na lavagem, manual, de pratos utiliza-se 20 litros de água.
Na lavagem, automatizada, de pratos utiliza-se 80 litros.
Na lavagem, automatizada, de roupas utiliza-se de 50 a 120 litros de água.
Para lavar 1 carro utiliza-se 90 litros de água.
(Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Paranaíba – AMVAP)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Veja também: Por que falta água?, Águas de março, Caso Sério, Parabéns Nestlé, De onde você vem?, Catastrofe natural?, O mar de Aral virou areia., Ho’oponopono, Clima louco?, Symphony Of Destruction, Homem e o diabo, Robin Hulk, Exame com uma gota de sangue, Empoderamento dos recursos, RECICLE MAIS, PAGUE MENOS, Quem matou o carro elétrico?, Hora do Planeta, O que, de quem?, A história das coisas, Simulador Solar, Qual o volume ocupado por 1 trilhão de reais?, Manguetown, O Amaranto Inca Kiwicha invade plantações de soja transgênica da Monsanto nos Estados Unidos, A Revolta dos Macacos, Controle Social, Bicarbonato de Sódio e a Máquina de Lavar

Coletores de sementes

A não aplicabilidade do novo Código Florestal, a anistia aos desmatadores, somado a ausência de um plano de execução para o novo Código, estão sendo fortemente criticados pelas entidades da sociedade civil, por outro lado, aumentou e acelerou as discussões sobre o mercado de sementes e mudas nativas, o que influencia o trabalho da Rede de Sementes do Xingu. Axa

As principais características de um bom “mateiro”, são curiosidade inata para conhecer árvores nativas e suas espécies, disposição para acordar antes de o sol nascer, entrar na mata e ficar o dia todo colhendo e identificando sementes. O coletor primeiramente tem que gostar muito do que faz, pois terá de enfrentar a mata, de se sujar e, se expor a alguns riscos, a atividade envolve também muita pesquisa e busca de informações, isso será recorrente nos primeiros dois ou três anos de profissão, pois a variedade da flora brasileira é imensa. Leandro Costa
rede-sementes-fluxograma

Veja também: Experimento científico?, Veteranas de guerra, Território, Robin Hulk, Vamos acabar com o domínio da Monsanto, Não é Pirâmide!, Inseticida Natural contra lesmas e lagartas, Galhos e bugalhos, Por que Pinga?

Mídia Ninja

ninja2-292x280Mídia NINJA (Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação), é um coletivo de mídia formado em 2011, conhecida pelo ativismo sociopolítico, declarando ser uma alternativa à imprensa tradicional. As transmissões são em streaming em tempo real, pela internet, usando câmeras de celulares e uma unidade móvel montada em um carrinho de supermercado, com a estrutura descentralizada e uso das redes sociais, especialmente o Facebook, na divulgação de notícias. Wikipédia, a enciclopédia livre.

Veja também: A onda, Medo?, Pai (de quem) trocinio!, Globo terrestre virtual, Princípio do ou nãoPor que estamos nas ruas, V de Vingança, Água mata?, Arena, Portal da Transparência, Território, Carta de um policial nos protestos de São Paulo, Inicie um abaixo-assinado, Quem é o povo?