Cogumelos mágicos para a dor crônica

A Universidade da Califórnia, em San Diego, lançou um programa para investigar se os cogumelos mágicos são um bom tratamento para a dor crônica. DaBoa Brasil

Enquanto os Estados Unidos estão tomando medidas para regular alguns produtos psicodélicos, como a psilocibina (que faz a “mágica” dos “cogumelos mágicos“), os pesquisadores estão tentando encontrar a utilidade terapêutica desses produtos. Estudos clínicos já descobriram que a psilocibina pode tratar a ansiedade e a depressão ou ajudar a combater vícios em opioides, álcool ou nicotina.

No ano passado, os pesquisadores lançaram ensaios clínicos que investigaram como a psilocibina pode ajudar a tratar distúrbios alimentares, lesões cerebrais, diabetes ou outras doenças.

DaBoa-Brasil-Legalizando-A-Informação-blog-O-uso-da-psilocibina-contra-a-dor-crônica

Seu trabalho, que está sendo publicado na revista regional Anesthesia & Pain Medicine, gira em torno de encontrar a psilocibina como um possível medicamento para a dor crônica. Com base no que pode ser lido no relatório, os pesquisadores descobriram que os psicodélicos podem estabelecer áreas de conectividade funcional no cérebro, o que pode ajudar a reverter as mudanças nas conexões neurais comumente vistas em pacientes com dor crônica.

“As condições de dor neuropática, como a dor nos membros fantasmas, geralmente são difíceis de tratar”, disse Timothy Furnish, professor clínico associado de anestesiologia e medicina da dor na Universidade da Califórnia, em um comunicado. “A possibilidade de os psicodélicos poderem reorganizar as vias de dor no cérebro promete um tratamento muito mais durável do que os atuais medicamentos”.

Estrutura química de Psilocibina

Psilocibina é um enteógeno, estando seu consumo substâncias estudadas há pouco mais de um século, ganhando popularidade, como os estudos de Drs. Timothy Leary e Richard Alpert na Universidade de Harvard (Harvard Psilocybin Project) na década de 1960 sendo culturalmente associado ao movimento hippie, junto ao LSD. Não foi tão popular quanto o mesmo apesar de produzir efeitos similares. Wikipédia, a enciclopédia livre.

Como a indústria do fumo enganou as pessoas?

A exposição “Propagandas de cigarro – como a indústria do fumo enganou as pessoas”, no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, a partir de 29 de agosto, Dia Nacional de Combate ao Fumo, até o dia 14 de outubro.


A mostra é gratuita e reúne propagandas veiculadas nos Estados Unidos entre as décadas de 1920 e 1950, quando não havia controle sobre a publicidade do produto, apresenta campanhas em que médicos, crianças e até o Papai Noel “vendiam” cigarros.

marlboroman

Icesp – Instituto do Câncer do Estado de São Paulo fica na Av. Dr. Arnaldo, 251 – Cerqueira César – próximo ao metrô Clínicas. BOL

cigarroimpotencia

Enxergue mais: A indústria farmacêutica está fora de controle?REFRIGERANTEEMV, Suco de limão e Bicarbonato, AlzheimerRESERVE™Semana do Consumidor, Você é o que você come., VIDACELL®Urna fraudetrônica, Umbrella Corporation, INSTANTLY AGELESS ™Mídia estão de luto, The wall, The wall, Multa não, ciclovia!, Multa não, ciclovia!, Em busca da onda perfeita., Symphony Of Destruction, The X-Files