Primeira Carta Geotécnica do Brasil

A Carta Geotécnica é um documento cartográfico que traz informações sobre as características do meio físico e problemas existentes ou esperados. É uma ferramenta que pode ser utilizada para o planejamento urbano de determinada área, definindo se ela pode ser ocupada ou como deve ser ocupada.

Carta geotécnica dos Morros de Santos e São Vicentes (SP)

No Brasil, várias regiões são afetadas por ocupação indiscriminada de encostas, zonas alagadas ou sujeitas a inundações e deslizamentos. Nos anos 70, a Casa Militar do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Defesa Civil, convidou o IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas para indicar soluções de estabilização para os frequentes e trágicos deslizamentos dos morros de Santos e São Vicente. Essa região vinha sofrendo com esses problemas desde a década de 20, provocando dezenas de vítimas fatais nos acidentes ocorridos em 1929 e 1956.

O produto final desses estudos resultou na primeira Carta Geotécnica do País, editada como Publicação IPT “Morros de Santos e São Vicente” em 1980. A Carta Geotécnica teve como objetivo orientar a Prefeitura para minimizar os custos de urbanização, os riscos de ocupação, otimizar a utilização dos espaços, melhorar as condições de segurança e contribuir para qualidade de vida da população que habitava as áreas de risco.

Este foi um trabalho inédito no País, consolidando esse tipo de instrumento como referência para os trabalhos de planejamento territorial e urbano e implantando uma nova metodologia de trabalho na área: a cartografia geotécnica.

Geoze-se: Mapa de Áreas de risco: informação para prevenção, Substituto de agrotóxico: eucalipto, Veja tudo que o Google sabe sobre você !!, Society 5.0, “A MÃE DO BRASIL É INDÍGENA”, Abelha, o ser humano mais importante do planeta, Expedição pelas Nascentes do Rio Água Preta

Não Foi Acidente

bikebraco
bike_tallahassee
bikemotorista
“Todo mundo erra. Decidi perdoá-lo porque não adianta ter raiva da pessoa. Quanto mais raiva, mais mágoa eu vou ter dentro de mim e não vou ter chance de me recuperar. Eu perdoando vou ter a chance de ter o pensamento limpo e poder focar na minha recuperação. Isso [jogar o braço fora] é uma coisa que não se deve fazer com ninguém. É muito difícil saber que um pedaço do seu corpo não vale nada para outras pessoas”. David Souza dos Santos – Portal AZ

naofoiacidente
INICIATIVA POPULAR SOBRE CRIMES DE TRÂNSITO QUE ENVOLVAM A EMBRIAGUEZ AO VOLANTE, ASSINE a Petição!

Veja também: Quando Thor encontrou Wanderson, CAMPANHA NACIONAL DO DESARMAMENTO, Título de eleitor, Bike or die!, Estresse no seu corpo, PARE ou DIMINUA?, Outras formas, Evolução, 22 de todos os dias, Pedala Mundo!, Drive Thru, UOL, De Quem é a Culpa?, Brasileiro Reclama De Quê?, Página Da Notícia, Monte seu Fusca