Panicat

O tema mudança sempre é um transtorno para os gatos. Quem tem gato sabe como eles odeiam qualquer alteração em sua rotina. Em caso de mudança de casa, seu bichano não terá muita opção a não ser se adaptar! Para que não seja tão estressante para ele, preparei algumas dicas:

1. Alguns dias antes da mudança deixe a caixa de transporte na sala de sua casa, com petiscos, cobertorzinho e brinquedos que ele goste dentro dela, para que não seja um ambiente tão estranho quando ele tiver de ficar confinado por algumas horas até a nova casa.
2. No dia da mudança, prenda seu gato em um cômodo da casa, com água, comida, caixa de areia etc., para que ele não fique no meio das caixas e do movimento. Cuidado redobrado para que ele não fuja!
3. Durante o transporte até a nova casa o gato deve ficar dentro da caixa de transporte, no carro, com você. Não o deixe ao sol ou próximo a uma janela totalmente aberta. Se a viagem for longa, não se esqueça de deixá-lo fazer suas necessidades no caminho.
4. Ao chegar à casa nova, coloque-o em um cômodo, com água, comida etc., para que se acostume aos poucos ao novo ambiente. Ele deve ficar trancado nesse cômodo por umas duas semanas. Durante este período, deixe-o explorar o novo ambiente por algumas horas sempre sob sua supervisão. Certifique-se de que não há nenhuma janela ou fresta para que ele saia por ela.
5. Esfregue delicadamente uma toalha em sua carinha felpuda e em seguida passe nos móveis para que ele sinta o cheiro dele no ambiente.
6. Se seu gato gosta de passear no quintal, deixe-o explorar esse ambiente após duas ou três semanas. Sempre com a sua presença. De preferência, deixe-o sem comer por 12 horas antes do passeio, para que esteja com fome quando chamá-lo de volta para sua refeição.
7. Não se esqueça de colocar uma coleirinha com seu nome e telefone, caso ele fuja ou se perca no novo bairro.
8. Por fim, tenha bom senso e veja como está se comportando no novo ambiente. Além de paciência, pois logo as coisas voltarão ao normal.

Dra. Luelyn Jockymann
Médica veterinária especialista no comportamento de gatos
luelyn@terra.com.br

testeanimal

Veja também: Remédio caseiro para controle de pulgas, Lixo! Eu?, Repelente de pescador, Remédio que cura qualquer doença, Outras formas, Cãovalo, Trator, The X-Files, Adoro essa parte da anatomia femimina., LEVITATION, Desinfetante ecológico, Pet é tudo de bom, FORDISMO??

PÁTRIA MADRASTA VIL

‘PÁTRIA MADRASTA VIL’

Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência… Exagero de escassez… Contraditórios?? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.

Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade.

O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada – e friamente sistematizada – de contradições.

Há quem diga que ‘dos filhos deste solo és mãe gentil.’, mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil; está mais para madrasta vil.

A minha mãe não ‘tapa o sol com a peneira’. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.
E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa. A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra… Sem nenhuma contradição!

É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!

A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão.

Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura. As classes média e alta – tão confortavelmente situadas na pirâmide social – terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)… Mas estão elas preparadas para isso?

Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.

Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona?
Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos…
Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente… Ou como bicho?

Clarice Zeitel Vianna Silva, 26, estudante da Faculdade de Direito da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro – RJ), concorreu com outros 50 mil estudantes universitários, foi a Paris receber um prêmio da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) por uma redação sobre ‘Como vencer a pobreza e a desigualdade.’ A redação intitulada ‘Pátria Madrasta Vil’, foi incluída num livro, com outros cem textos selecionados no concurso. A publicação está disponível no site da Biblioteca Virtual da UNESCO.

Veja também: Cabeças de bagre, Brasileiro Reclama De Quê?, A onda, Inside Job, Carta da Terra, UNESCO BR, Mundo Vestibular, Os cães, 1984!, Opção de escolha?, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Convite à Filosofia, Saramago, Estrito cumprimento do dever, Impostômetro, Problemas sociais, O analfabeto político, Carlos Marighella, Ficha Limpa!!!, O Combate a Corrupção nas Prefeituras do Brasil, Incêndio, apenas 4° andar é salvo., O mundo dos espertos, Carta à Sra. “Presidenta” da República, Bandeirantes Modernos

Andanças


Pipoca ou pororoca é um prato feito a partir de uma variedade especial de milho, o milho-pipoca (Zea mays everta), que estoura quando aquecido. A umidade interna do grão é convertida em vapor e a pressão estoura a casca externa, transformando a parte interna numa massa pouco consistente de amidos e fibras, maior do que o grão original. Wikipédia, a enciclopédia livre.

Veja também: Chás que Ajudam a Emagrecer, Ser ou não ser., Sua cara, A casa dos outros, Lixo ou resíduos?, De quem é o poder?, Leite de aveia, O ESPELHO ENEVOADO, Homem e o diabo, Ver dura?, Casas de Mediação, Arena, Princípio do ou não, Comer faz bem

Brasileiro Reclama De Quê?

Tá Reclamando do Lula? Do Serra? Da Dilma? Do Arrruda? Do Sarney? Do Collor? Do Renan? Do Palocci? Do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos políticos distritais de Brasilia? Do Jucá? Do Kassab? Dos mais 300 picaretas do Congresso?

O Brasileiro é assim:

1. Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

4. Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.

5. Fala no celular enquanto dirige.

6. Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

7. Pára em filas duplas, triplas em frente às escolas.

8. Viola a lei do silêncio.

9. Dirige após consumir bebida alcoólica.

10. Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

11. Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

12. Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

13. Faz “gato” de luz, de água e de tv a cabo.

14. Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

15. Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

16. Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

17. Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.

18. Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

19. Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

20. Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

21. Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

22. Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

23. Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

24. Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

25. Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

26. Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis, … como se isso não fosse roubo.

27. Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

28. Falsifica tudo, tudo mesmo … só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

29. Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

30. Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

E quer que os políticos sejam honestos …
Escandaliza- se com a farra das passagens aéreas …

Os políticos que aí estão foram eleitos por esse mesmo povo ou não?
Brasileiro reclama de quê, afinal?

“Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos …”

A mudança deve começar dentro de nós, nas nossas casas, nos nossos valores, nas nossas atitudes!

Email recebido.

Veja também: Michael Moore, Consulta CPF, Andanças, Omissão., Lixo ou resíduos?, Carta da Terra, Somos todos doadores, Quem paga o Carnaval!, Ficha Limpa!!!, Polícia 24 horas, Que País É Esse?, O de Otário, Impostômetro, Pedal sinalizado, A culpa é de quem!