Menta, aranhas, baratas, formigas e ratos?

Estamos trazendo uma dica simples. Cura pela Natureza

Ela é natural e totalmente ecológica, você não vai matar os insetos, vai apenas mantê-los longe da sua casa.

As duas são da mesma família, mas a menta tem sabor e cheiro mais fortes.

A hortelã também pode ser utilizada para a mesma finalidade, mas a menta é mais forte, por isso é mais efetiva.

Você pode plantar várias mudas de menta em torno do seu jardim, ou combine alguns gotas óleo essencial de menta (vende-se em lojas de produtos naturais ou na internet) com água e coloque a mistura em um frasco tipo spray.

Pulverize as janelas, portas e cada canto da sua casa, é natural e ecológico, você não colocará a saúde de sua família e de seu animal de estimação em risco.

Hortelã é a Mentha piperita e a menta é a Mentha spicata. São plantas muito parecidas, mas uma é mais forte no aroma e no sabor do que a outra. Dimóvel

Ratos plays esconde-esconde

Conhecida como pique, pique-esconde, esconde-esconde ou algum outro nome regional, o fato é que essa é uma brincadeira universal, capaz de superar diferenças de língua, nacionalidade, idade: em qualquer lugar do mundo, crianças se escondem e contam até certo número enquanto outros se escondem – para depois serem procurados. Já é comprovado que essa brincadeira traz diversos benefícios para o desenvolvimento do cérebro e mesmo do corpo, e tal universalidade parece, no entanto, ir ainda mais além, e superar até mesmo o limite da espécie: até os ratos gostam de brincar de esconder, e a ciência gosta de estudar o comportamento desses animais. Vivimetaliun

O estudo, realizado por cientistas da Universidade Humboldt, em Berlim, nasceu depois que o neurocientista Michael Brecht assistiu vídeos no Youtube nos quais humanos brincavam de esconde-esconde com ratinhos. Outros experimentos já haviam realizado brincadeiras com os animais, mas pela complexidade do esconde-esconde, o vídeo chamou a atenção do neurocientista. Para realizar o experimento, Brecht criou um “parque” de 30 metros quadrados com abrigos, caixas transparentes e caixas opacas para servirem de esconderijos – além de lugares para a cientista Annika Stefanie Reinhold também se esconder.

Seis ratinhos participaram da “brincadeira”, que começou com Annika se escondendo. Cada vez que os ratos a encontravam ganhavam recompensas, e então os papeis se invertiam. Ao longo de duas semanas de experimento, cinco dos seis ratos aprenderam a brincadeira, tanto se escondendo quanto procurando – e respeitando as regras. A complexidade dos papéis, estratégias, regras e possibilidades foi apontam para a própria complexidade do comportamento dos animais – que foi analisada através de testes neurais, indicando quais áreas dos cérebros eram atividades para cada camada da brincadeira.

Brinque: Veneno ecológico para matar ratos., Casa sustentável tem conta de luz de R$ 7,50 por ano, Papas Reformadores, Como aprendemos a comer plantas tóxicas sem ajuda da ciência, Real X-men: híbridos entre humanos e animais

Le disk wahouuu

diskwahouuu
“Você deve olhar para o círculo vermelho do meio – é a imagem no início deste post – por aproximadamente 30 segundos sem se mover, e depois olhar para algo não muito distante (como a mão no mouse …)”. Blog do ZEMARCOS

superman_bourre

Veja também: X-Maus, Rorschach, REVENGE!, A vida como ela é, Jacob’s Well, Conhecimento Ancestral, Ana Primavesi, Engenheira agrônoma., Cospe logo!, MORADOR DE RUA CUIDA DE 11 CÃES, Super Trunfo, Pare Pra Pensar