Conhecimento Ancestral

Letra: Gideon dos Lakotas
Voz e Violão: Lucas Avelar
Percussão: Dudu Sanábio

Eis que o 11 se cumpriu a rigor
Em DNA e espírito, o meu amor

O passado sai das sombras e revive
No DNA , todo conhecimento ancestral
teus ancestrais vivos em você
marcha coletiva e marcha individual
Viverá nas gerações que virão
São regras da evolução universal

Herdeiros de conhecimentos acumulados
Eco da experiência humana de gerações
Que orienta a humanidade em teus atos
Sabedoria e experiência, são suas lições
Ouçam a voz dos séculos, é o nosso legado
Ouvidos abertos as tuas recomendações

Eis que o 11 se cumpriu a rigor
Em DNA e espírito, o meu amor

O animal já nasce com os instintos dos pais
Encontra o alimento sem ninguém ensinar
Já com roupagem que lhe dá proteção
Mas o neném humano apenas sabe chorar
Sente fome e não sabe onde procurar
Nasceu nu e precisou alguém lhe amparar
Mas crescendo ganha força e memória
A experiência ancestral fortalecendo a razão
Mas não permita as travas do passado
Travas tradição, preconceito, trava supertição .
Sobrecargas de um passado morto
Teus conceitos atualizados , boa remodulação

Eis que o 11 se cumpriu a rigor
Em DNA e espírito, o meu amor

Quanto vale tua vida, na tristeza e na alegria ?
Amar a vida nos momentos de satisfação
E não existir nos momentos de tristeza ?
A vida não é a culpada da sua desilusão
Nem pela tua alegria, fartura ou pobreza
Veja ancestralidade com bom senso e razão

A vida esta acima da dor e da alegria
Na vida , rosa e chicote experimentado
Precisa amar a vida, ela é tua companheira
Momentos vitorioso e momentos derrotado
Dominar a própria dor, eis a vitória certeira
Tristeza e sofrimento pela vontade suplantado

Eis que o 11 se cumpriu a rigor
Em DNA e espírito, o meu amor

O poder da vontade é a firmeza universal
Esta em toda a parte, poderosa eminência
Quem deseja desenvolver a vontade
Decisão de não temer a resistência
Ser integro e justo na adversidade
Manter-se amável na sua convivência

Influências contrária e conflitos no coração
Aproveite a batalha, exercite a tua vontade
Aprender apaziguar e acalmar tua emoção
A luz da vontade acaba com a tempestade
O frio do cérebro passivo será em vão
Alcançará uma fonte que jorra felicidade

A verdadeira vitória é saber se relacionar
Olhar homens e ver bons companheiros
Ser parte da grande família humana
Na vontade com bom senso, será um luzeiro
Mas no amor de Mitakue Oasin
É força ancestral na luz do teu candeeiro

Eis que o 11 se cumpriu a rigor
Em DNA e espírito, o meu amor.

Veja também: Só Por Hoje, Amor do pai, Batman – O Livro dos mortos, Individualidade fugaz, O Livro de Eli, Licitações, Efeito Borboleta, A Escalada do Monte Improvável, de Richard Dawkins, Olá, mundo!, Via Láctea pelo navegador

Ana Primavesi, Engenheira agrônoma.

O solo sempre me fascinou, porque do solo dependem as plantas, a água, o clima. Tudo está interligado. Não existe ser humano sadio se o solo não for sadio e as plantas bem nutridas” – Ana Maria Primavesi

“Uma planta precisa de 45 nutrientes para crescer bem, e não apenas três (nitrogênio, fósforo e potássio), como prega a agricultura convencional, que é feita sobre um solo morto.” Ana Primavesi, primeira filiada da AAO – Associação de Agricultura Orgânica.

Para recuperar um solo morto, leva no mínimo quatro anos, é necessário agregar ao solo vida, os microrganismos, precisa de comida, que é a matéria orgânica, restos vegetais principalmente, a adubação química só mata o solo.

A produção num solo vivo é até três a quatro vezes superior do que a agricultura convencional e a obrigatoriedade de certificação orgânica é uma maneira de cobrar mais caro pelo produto orgânico.

Fonte: Grupo Estado

Veja também: Carta da Terra, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Território, Meio o quê?, Makota Valdina, Bolsa ruralista, quer que desenhe?, Free Energy, Steve’n’Seagulls, Coletores de sementes