Motor elétrico para carros que pode ser instalado nas rodas dos veículos

A britânica Saietta Group criou um novo produto voltado para carros elétricos, que é focado no ganho de espaço e eficácia. A empresa inventou um novo motor, conhecido como AFT 140 (tração por fluxo axial). Valdemar MedeirosClick Petróleo e Gás

Após anos trabalhando no projeto para novos carros elétricos, a empresa está pronta para mostrar o AFT 140, um motor de imã permanente sem escova que é totalmente selado. O objetivo da nova tecnologia da Saietta é transformar os carros elétricos mais eficientes com uma única carga.

A inclusão do motor na roda dos carros elétricos também reduz a complexidade da unidade motriz, permitindo a redução no número de peças necessárias, ou seja, diminuindo o peso total do conjunto. Esta solução permite a maximização do espaço disponível para o chassis e tem a vantagem de se poder adaptar a todo o tipo de veículos.

A inclusão dos motores nas rodas também reduz a complexidade da unidade motriz e permite diminuir o número de peças necessárias algo que, consequentemente, diminui o peso total do conjunto. “Nós não pretendemos tornar-nos num fabricante de plataformas e apenas desenvolvemos um chassis para demonstrar o potencial do nosso inovador motor na roda. Nós queremos trabalhar com criadores de plataformas, complementando ao invés de competir com as suas inovações”, refere Wicher Kist, CEO da Saietta Group. SAPO

Para saber a eficácia do motor nas rodas dos veículos, a Saietta testou a tecnologia em um Renault Twizy. O teste foi feito em Amsterdã, colocando dois modelos Twizy para competir. Um possuía o motor AFT 140 e o outro não, fora isso nada foi alterado. Os veículos dirigiram indefinidamente através de uma gama diversificada de tráfego, temperatura, clima e até mesmo diversas superfícies de estradas, apenas para avaliar se o motor é eficiente ou não.

Para que os testes fossem feitos de forma limpa, cada um dos veículos foi equipado com um laptop que processava todos os dados de desempenho para a empresa New Eletric. O motivo de utilizar o Twizy nos testes é que ele é um veículo de transição perfeito com qual a Saietta pode medir o quanto de batida o seu novo motor elétrico pode aguentar.

Apesar de parecer uma grande novidade, sempre bom lembrar que há mais de 100 anos, entre 1900 e 1905, o Lohner-Porsche usava esse conceito, inicialmente nas rodas dianteiras e, depois, nas quatro rodas. Auto&Técnica

A ideia era tão boa que, quase 70 anos depois, a Boeing e a NASA aplicaram os princípios desse projeto no Lunar Roving Vehicle, o “jipe lunar” que fez parte do Projeto Apollo.

Trazida para os dias de hoje, esta ideia pode trazer diversos benefícios para os veículos sem emissões poluentes, pois os motores elétricos nas rodas do Protean Drive System anunciam ganhos consideráveis em nível do espaço e peso para estes automóveis.

Além disso, poderá transformar carros elétricos que já estejam nas ruas apenas com tração dianteira ou traseira, em automóveis com tração integral. Esta tecnologia apresentada pelos britânicos da Protean Eletric poderá ser a primeira utilização comercial desta tecnologia em veículos de passageiros (a Schaeffer e a Ford, por exemplo, criaram em 2013 protótipos do Fiesta com este sistema), embora já existam aplicações em viaturas pesadas.

Este é um “pacote completo”, que inclui o motor elétrico, o imã permanente e toda a eletrônica exigida para o seu funcionamento. No site da empresa consta que este sistema tem potência de 54 kW (72 cv), que pode ser elevada no máximo aos 75 kW (100cv), o que significa interessantes 200 cv de potência para um modelo com tração em duas rodas. Isto com dois motores elétricos nas rodas que tenham dimensões de 16,5 polegadas de diâmetro e 4,5’ polegadas de largura. Entre as vantagens estão desde a eliminação da transmissão e do eixo da transmissão, bem como a utilização mínima de fiação, o que ajuda a reduzir o peso. Segundo apuramos, um par destes motores elétricos nas rodas acusa apenas 72 kg na balança, marca inferior em 30 kg ao total de 102 kg, por exemplo, da motorização do BMW i3.

Entre os destaques do sistema estão também a eliminação das perdas friccionais de energia por meio da transmissão entre 6% e 8%, num modelo com duas rodas motrizes. Esta situação tem também o benefício de melhorar a capacidade de regeneração da energia nas acelerações e frenagens.

A empresa utilizou um protótipo do Volkswagen Golf para testes, com ajustes específicos para a suspensão, tendo constatado funcionamento com eficácia similar ao do e-Golf. A versão de produção deste componente será fabricada na China, inicialmente com volume baixo, situado entre 5 a 10 unidades por semana.

Na pista, os protótipos com duas e-wheels traseiras (total de 109 cv) mostraram uma aceleração brilhante e enorme estabilidade, combinadas com uma agilidade fora do comum: mérito do controle independente dos motores. A ativação do controle de estabilidade é instantânea, pois ele é ligado ao powertrain elétrico, e não aos freios: a e-wheel reage em 5 a 10 milésimos de segundo, em comparação com 60 a 80 milésimos de um freio hidráulico. Tambores ou discos desaparecem das rodas traseiras: há apenas um pequeno tambor que funciona como freio de estacionamento, já que a desaceleração é con ada aos motores elétricos. Emilio BrambillaMotor Show

Rodeze-se: Reinventando a roda, Itaipu E-400: o primeiro carro elétrico brasileiro, Roda tecnobikelógica, Sobre Rodas, Quem matou o carro elétrico?, eTruck, Giorggio Abrantes, Conversão de veículos elétricos, EmDrive – O motor impossível, BATERIA ULTRA QUICK, Nikola Tesla, Carro autônomo vai atropelar VOCÊ, 900.000 km de elétrico

Society 5.0

A Sociedade 5.0 refere-se a uma nova sociedade criativa, aportada pela inovação e pela transformação digital, representando uma nova visão com o objetivo de resolver questões sociais, utilizando as evoluções tecnológicas. Esta sociedade sucede as passadas: a sociedade de caça (Sociedade 1.0), sociedade agrícola (Sociedade 2.0), sociedade industrial (Sociedade 3.0) e sociedade da informação e do conhecimento (Sociedade 4.0).

O termo “Society 5.0” surgiu no Japão em 2016, pelo Gabinete Japonês na 5th Science and Technology Basic Plan. Ela conecta todas as pessoas e coisas através da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things), compartilha vários conhecimentos e informações e cria novo valor nunca antes existente. Além disto, traz uma nova perspectiva de vida humana, aprimorando a produtividade e a qualidade de vida, com desenvolvimento pautado por transformações acopladas pela inovação científica e tecnológica. Por meio da inteligência artificial (IA), as informações e conhecimentos necessários são fornecidos, e tecnologias como robôs, drones,  transportes públicos automatizados, criptomoedas, Blockchain, mobilidade e veículos autônomos, vencerão questões que hoje estão nos bloqueando.

Bem-vindos à Sociedade 5.0

A Sociedade 5.0 é realizada por um sistema que combina espaço cibernético (espaço virtual) e espaço físico (espaço real), potencialmente conectados. Uma enorme quantidade de dados dos sensores do espaço físico é acumulada no ciberespaço. No ambiente do ciberespaço, a IA analisa esses dados e os resultados são devolvidos aos seres humanos no espaço físico de várias maneiras.

O ambiente ao redor do Japão e do mundo está em um período de grandes mudanças. À medida que o desenvolvimento econômico avança, a vida das pessoas se torna mais conveniente e rica, cresce a demanda por energia e alimentos, e aumenta a expectativa de vida e o envelhecimento das pessoas. Além disso, a globalização da economia progride, a concorrência internacional se intensifica e também há aspectos como concentração de riqueza e desigualdade entre regiões. Percebe como as questões sociais estão se tornando mais complexas? Medidas como a promoção da industrialização sustentável, realocação de riqueza e correção de disparidades entre regiões estão se tornando imprescindíveis. No entanto, no atual sistema social, é difícil alcançar o desenvolvimento econômico e a resolução de questões sociais. Acordo Coletivo

5.0ze-se: Ka’apor buscam romper com o resto da sociedade, Aumento da Desigualdade ou Diminuição da Pobreza: o que mais importa para a sociedade?, Não sou de postar coisas religiosas, mas as vezes, esse tipo de coisa é que me deixa com muita raiva da sociedade!, Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída, Ailton Krenak: próxima missão do capitalismo é se livrar de metade da população do planeta

3º ENINTAU – Encontro Internacional de Ambiente Urbano: Cidades Produtivas

3° ENINTAU

O 3º ENINTAU – Encontro Internacional de Ambiente Urbano: Cidades Produtivas, a ocorrer nos dias 11 e 12 de agosto de 2016, seguirá a proposta multidisciplinar das edições anteriores e contará com a participação de conferencistas pesquisadores de formação nacional e internacional, que debaterão, entre outros temas: Agricultura Urbana; Produção Imobiliária e de Moradia; Autossuficiência e Infraestrutura Urbana; Recursos Hídricos; Mobilidade Urbana; Gestão de Resíduos Sólidos; Produção Cultural na Cidade.

Enxergue mais: 1ª ARENA DE INOVAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULOLUMINESCE™CELLULAR REJUVENATION SERUMNAARA BEAUTY DRINK!!!IMPRESSORA BRAILE FEITA EM LEGODe quem é o poder?ArautoProcon divulga listas de empresasJuan dos MortosQuase imortal!!!

Governo Aberto

spaberta

São Paulo Aberta é uma iniciativa do governo municipal que visa articular, integrar e fomentar ações de governo aberto na Prefeitura Municipal de São Paulo. Governo Aberto em São Paulo

infografico-mobilabpmsp

cafehacker-redwnld

Controladoria Geral do Município (CGM), com apoio de diversas Secretarias e órgãos públicos municipais, vai organizar esses encontros periodicamente, de maneira itinerante. A ideia começou com a equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, para a construção da Plataforma Gestão Urbana. São três os tipos de bate-papo pensados para o Café Hacker:
  • sobre sites e sistemas da Prefeitura, em funcionamento ou desenvolvimento;
  • dados e informações de políticas públicas no município, o “Papo com Dados”; e
  • ferramentas e experiências sobre as quais vale a pena trocar ideias!

Entenda mais: GOVERNO ABERTOControle Social, O Combate a Corrupção nas Prefeituras do Brasil, Ensaio sobre a cegueira hídrica, Licitações, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Impostômetro, Reputação ilibada e notável saber jurídico., Voluntário, O analfabeto político

A HORA DO SUFOCO

Boechat percorre trajeto de trem entre zona leste e centro de São Paulo a fim de verificar de perto o que passam os passageiros que são obrigados a enfrentar duas vezes por dia os vagões e plataformas superlotados. Ricardo Eugênio Boechat

BOECHATBand

Cardiologista explica os efeitos do estresse nos usuários de trens e metrôs, Rafael Munerato, lembra que não é por acaso que esses transportes têm serviço de socorro para quem está passando mal. Veja a entrevista completa para o Jornal da Band com exclusividade.

Panes e superlotação fazem parte da rotina dos usuários de trem e metrô, o drama diário dos passageiros, as viagens em meios de transporte geram desgastes físicos e emocionais, em São Paulo, não são raras as disputas por lugares em trens e metrôs terminarem em cenas de guerra. Jornal da Band

metroahoradosufoco

Jornal da Band registra aperto em trens e metrôs de cidades brasileiras para mostrar o sofrimento dos passageiros que não têm alternativa além do transporte público, embarcou nos vagões nos horários de maior movimento. Jornal da Band

Veja também: O de Otário, A culpa é de quem!, Ficha Limpa!!!, 2014, Ano do Pão e Circo, Carta à Sra. “Presidenta” da República, A guerra do vintém, Vinte centavos, Eu vou de bike, e você?, Marcha Fúnebre da Arte, Instituto Pindorama, voluntariado., Neste Chão Tudo Dá