IA projetada para dar conselhos éticos se mostra um bot racista e preconceituoso

Você confiaria num conselho dado por um sistema de inteligência artificial (IA) envolvendo questões éticas? Pesquisadores do Allen Institute for Artificial Intelligence, nos EUA, criaram um modelo de aprendizagem de máquina para ajudar humanos no julgamento e na tomada de decisões. Gustavo MinariCanaltech

O projeto Ask Delphi foi lançado na semana passada e já está dando o que falar, principalmente por conta do teor dos conselhos, carregados de preconceitos e racismo. Quando um usuário perguntou o que a IA pensava sobre “um homem branco caminhando em sua direção à noite”, ela respondeu: “Está tudo bem”.

Delphi mostrou comportamento racista, preconceituoso e influenciável (Imagem: iLexx/Envato)

Mas quando o hipotético homem branco foi substituído por uma pessoa negra na mesma pergunta, a resposta da inteligência artificial foi claramente racista: “Isso é preocupante”. Outras distorções aconteceram na ferramenta que permite que os usuários comparem situações aceitáveis ou não do ponto de vista ético.

Em perguntas sobre ser um homem branco e uma mulher negra, o Delphi fez a seguinte ponderação: “Ser um homem branco é moralmente mais aceitável do que ser uma mulher negra”. Em outra situação, a IA afirmou que “ser hétero é moralmente mais aceitável do que ser gay”, citando apenas alguns exemplos.

Quando perguntado se estava certo ouvir música alta de madrugada enquanto o colega de quarto dormia, o Delphi respondeu que a atitude era errada. Mas, ao acrescentar que isso deixaria a pessoa feliz, aí a IA disse que “tudo bem”, desde que alguém, não importando quem, estivesse contente com a situação.

Algoritmo do Delphi aprendeu a julgar com base no comportamento humano (Imagem: twenty20photos/Envato)

Os sistemas de aprendizagem de máquina costumam demonstrar tendências e comportamentos não intencionais, relacionados ao modo como foram programados. Os responsáveis pelo desenvolvimento dos algoritmos do Delphi usaram algumas fontes de caráter no mínimo duvidoso para treinar a IA, como as subseções “Am I the Asshole?”, “Confessions” e “Dear Abby” do Reddit.

“É importante entender que o Delphi não foi construído para dar conselhos às pessoas. Ele é um protótipo de pesquisa destinado a investigar as questões científicas mais amplas de como os sistemas de IA podem ser feitos para entender as normas sociais e a ética”, explica o estudante de engenharia Liwei Jiang, coautor do projeto.

A ideia, no final das contas, é mostrar as diferenças de raciocínio entre humanos e robôs, explorando as limitações éticas e o comportamento moral diante de situações que exijam tomadas de decisões incômodas ou que precisem seguir padrões preestabelecidos dentro de um código social.

“O Delphi está sujeito aos preconceitos de nosso tempo. De modo geral, a inteligência artificial simplesmente adivinha o que um norte-americano médio pode pensar em uma determinada situação. Afinal, o sistema não aprendeu a julgar sozinho. Tudo o que ele sabe veio de pessoas online que acreditam em coisas abomináveis”, encerra Jiang. Futurism

Delphize-se: Unimals, as criaturas virtuais que usam IA para evoluir seus corpos e vencer obstáculos, Inteligência artificial conclui a “Décima” de Beethoven, Inteligência Artificial aprende a jogar Street Fighter sozinha, O PARADOXO DE MORAVEC

Comprovante de vacinação e Novonor

COMPROVANTE DE V A C I N A Ç Ã O NOS RESTAURANTES

Você e sua esposa, ao chegar na entrada de um restaurante…

Recepcionista: Olá, como vai?

Você: Tudo bem. Mesa para dois, por favor.

Recepcionista: Claro! Qual o seu nome?

Você: Roberto.

Recepcionista: OK. Você e sua acompanhante possuem comprovante de vac¡nação?

Você: Bem… Antes você pode nos informar quem nos atenderá?

Recepcionista: Sim, o Anderson será seu atendente hoje.

Você: Que bom! Você pode nos mostrar o comprovante de vac¡nação do Anderson?

Recepcionista: Hmmm…

Você: E você poderia também nos fornecer prova de que o Anderson não é portador de HIV, Hepatite A ou B ou qualquer outra enfermidade transmissível? Ah, claro, o mesmo se aplica a você e a equipe da cozinha.

Recepcionista: Hmmm…

Você: Além disso, preferimos não ser atendidos por alguém que usa drogas recreativas como maconha, cocaína, ecstasy, metanfetamina etc. Então você poderia nos disponibilizar o exame toxicológico mais recente do Anderson? Na verdade eu gostaria de ver o histórico médico de todos os empregados.

Recepcionista: Bem, deixe-me chamar o gerente para você.

Você: Seria ótimo. Obrigado. E certifique-se que ele traga o histórico médico e o cartão de vac¡nação, por favor.


A questão é: ninguém precisa de restaurantes e outros lugares. Mas eles precisam de nós.

Novoze-se: PLANO DA VACINA, Vacinas. A opinião de Machado de Assis, Golpe Palavra do Senhor, UM PASSADO AINDA MUITO PRESENTE, Os Guarani convocam povo de SP para proteger Terra Indígena Jaraguá, Os mais belos restaurantes do mundo

A VERDADE por trás da proibição da MACONHA


A produção de fake news parece coisa do século 21, mas a história da maconha revela que esta planta já sofre há quase 100 anos com um bombardeio de notícias falsas.
Boa parte das mentiras utilizadas como motivo para proibir a maconha já foram desqualificadas pela ciência, mas seguem sendo utilizadas até hoje, inclusive nos discursos políticos e médicos. Neste contexto, o questionamento de argumentos falaciosos é fundamental na luta pela legalização. O livro “Maconha: mitos e fatos” da socióloga Lynn Zimmer e do farmacologista John P. Morgan é uma ótima fonte de leitura sobre todo esse arcabouço de tolices que dizem sobre a erva.
Provavelmente o mito mais famoso sobre a maconha é história de que ela destrói neurônios.

O que é fato nesta questão dos efeitos neurológicos é que a maconha afeta a memória de curto prazo (responsável por armazenar informações de rotina do dia-a-dia), mas de forma temporária. Passado o efeito da erva, a capacidade de memorizar informações volta ao normal, sem provocar danos permanentes.

E tem aquela história, que muitos certamente já ouviram, da maconha ser porta de entrada para outras drogas. Mentira feia!

A tática mais utilizada por defensores da teoria da porta de entrada e listar usuários de maconha que passaram a usar cocaína. É tipo de conexão tão absurda como dizer que pessoas que andam de bicicleta vão despertar um desejo incontrolável de andar de moto.
Em 1937, o diretor do Departamento de Narcóticos dos EUA, Harry Anslinger (um dos maiores lobistas pela proibição da cannabis), escreveu em artigo que “inúmeros homicídios, suicídios, roubos, agressões, assaltos e invasões de residências” são relacionados a insanidade provocada pelo uso de maconha. Nesta mesma época jornais abusavam do sensacionalismo ao relatar crimes supostamente cometidos por pessoas sob efeito da maconha. Infelizmente parte da imprensa segue trabalhando da mesma forma.
O crime mais comum entre usuários da erva é fato de estarem comprando e portando algo ilegal. Carta Capital

Mude conceitos, você pode e deve: MANUAL PLANTAS AMAZÔNICAS, Funcional Obsoleto, Produtos para Consumo de Maconha, Hemp Car, Álcool, drogas e Sacklers, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?, A onda, BEBER MENOS

Bandeira falsa: 11 de Setembro

http://www.suprimatec.com/o-que-e-um-evento-de-bandeira-falsa/

“terrorismo da bandeira falsa” ocorre quando elementos dentro de um governo formam uma operação secreta pela qual as forças do próprio governo fingem ser um inimigo alvo, enquanto atacam suas próprias forças ou pessoas. Acusa-se então, falsamente, o inimigo fictício, a fim de justificar a guerra contra esse inimigo alimentando a indústria militar com recursos dos impostos que pagamos.

Editado via celular

Bom dia Blobo

“Queridas, antes de divulgar e exultar com a postura da Globo em “ punir” José Mayer por assédio ou afastar Otaviano Costa do vídeo show por rir de atitude machista do Big Brother lembrem-se de que:
Foi a Globo que universalizou entre nós a cobiça por Anita, apresentada como uma “ ninfeta” ousada que seduzia um homem casado e com idade de ser seu pai.
Foi a Globo que nos apresentou Angel, uma adolescente que permeou o imaginário dos desejos mantendo um ardoroso caso com o marido da sua própria mãe.
Foi a Globo que em Laços de Família envolveu o Brasil na polêmica trama em que a jovem filha rouba Edu, o namorado da mãe, interpretado por Reynaldo Gianecchini.
Foi a Globo que em Avenida Brasil nos trouxe como núcleo de comédia a trama com três mulheres envolvidas com o mesmo homem, o empresário Cadinho e que declinam de suas vidas e sem dignidade para se sujeitarem a viver com ele, mesmo após se descobrirem enganadas.
Em Império, a Globo preencheu o imaginário de desejos com a trama do charmoso Comendador que mesmo casado com Marta, mantinha um fogoso affair com uma menina mais jovem que sua própria filha.
Foi a Globo que fez o Brasil se divertir com o programa Zorra Total, que tinha em seu quadro principal duas amigas em um vagão de metrô, sendo uma delas, a Janete, bolinada de várias formas e tocada em suas partes íntimas com a batuta de um maestro enquanto a sua amiga Valéria, ao invés de defendê-la, dizia: “aproveita. Tú é muito ruim, Babuína se joga.”
Então queridas, quando essa emissora diz em nota que “repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito” está em verdade sendo dissimulada e ofensiva por nos considerar alienadas ou parvos.
A verdade é que a Rede Globo coisifica as mulheres, naturaliza a violência, os abusos e assédios, incentiva o desrespeito, ridiculariza o papel e a posição da mulher e subalterna nossa dignidade e destrói muitas Famílias. 
São mensagem explícitas e subliminares como as que está Rede Globo universaliza e crava no imaginário masculino brasileiro que estupram, abusam, ferem e vitimam milhares de Mirellas que habitam entre nós.
Por ROBERTA ARAÚJO – Juiza Federal do Trabalho TRT 6ª Região

Obs.: Demais emissoras também se enquadram aqui.

Lembrando a Rede Blobo apoiou e financiou a Ditadura.

Editado via celular.

Não se iluda: Mídia estão de luto, Reputação ilibada e notável saber jurídico.Medo?BesourinhaBBB por Antonio BarretoQUARTO PODERINSTANTLY AGELESS ™

Como a indústria do fumo enganou as pessoas?

A exposição “Propagandas de cigarro – como a indústria do fumo enganou as pessoas”, no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, a partir de 29 de agosto, Dia Nacional de Combate ao Fumo, até o dia 14 de outubro.


A mostra é gratuita e reúne propagandas veiculadas nos Estados Unidos entre as décadas de 1920 e 1950, quando não havia controle sobre a publicidade do produto, apresenta campanhas em que médicos, crianças e até o Papai Noel “vendiam” cigarros.

marlboroman

Icesp – Instituto do Câncer do Estado de São Paulo fica na Av. Dr. Arnaldo, 251 – Cerqueira César – próximo ao metrô Clínicas. BOL

cigarroimpotencia

Enxergue mais: A indústria farmacêutica está fora de controle?REFRIGERANTEEMV, Suco de limão e Bicarbonato, AlzheimerRESERVE™Semana do Consumidor, Você é o que você come., VIDACELL®Urna fraudetrônica, Umbrella Corporation, INSTANTLY AGELESS ™Mídia estão de luto, The wall, The wall, Multa não, ciclovia!, Multa não, ciclovia!, Em busca da onda perfeita., Symphony Of Destruction, The X-Files

Estupidez sem monopólio

estupidez3

estupidezpiramide

estupidezvotocorrupção

estupidezImage0005

estupidezheinze (1)

estupizcomunicacao3

estupidezglobo

Observe mais: GRAFITE SÃO ARTES PÚBLICASLUMINESCE™ BOLSA RURALISTA, QUER QUE DESENHE?YES OU SISTEMA DE MELHORAMENTO DA JUVENTUDEVOTO NULORESERVE™BRASILEIRO RECLAMA DE QUÊ?UM DEPUTADO NO CÉUNAARA BEAUTY DRINK!!!CONTROLE SOCIALBURGUESIA (VERSION ME)ENSINAM AS CRIANCAS CUIDAR DO PLANETAVIDACELL®O INGÊNUO ECONOMISTAERA PRA COPA? NÃO VAI SAIR, PARECE.CONSCIÊNCIA ESCOLARHO’OPONOPONO

Faça uma Evolução

PearlJam Do the evolution

Do The Evolution – Pearl Jam

Woo…
I’m ahead, I’m a man
I’m the first mammal to wear pants, yeah
I’m at peace with my lust
I can kill ‘cause in God I trust, yeah
It’s evolution, baby

I’m at peace, I’m the man
Buying stocks on the day of the crash
On the loose, I’m a truck
All the rolling hills, I’ll flatten ‘em out, yeah
It’s herd behavior, uh huh
It’s evolution, baby

Admire me, admire my home
Admire my son, he’s my clone
Yeah, yeah, yeah, yeah
This land is mine, this land is free
I’ll do what I want but irresponsibly
It’s evolution, baby

I’m a thief, I’m a liar
There’s my church, I sing in the choir
(hallelujah, hallelujah)

Admire me, admire my home
Admire my son, admire my clothes
‘Cause we know, appetite for a nightly feast
Those ignorant Indians got nothin’ on me
Nothin’, why?
Because… it’s evolution, baby!

I am ahead, I am advanced
I am the first mammal to make plans, yeah
I crawled the earth, but now I’m higher
2010, watch it go to fire
It’s evolution, baby
It’s evolution, baby
Do the evolution
Come on, come on, come on
pearl jam

Veja também: O mundo dos espertos, Evolução, A casa dos outros, Via Láctea pelo navegador, Ouro de tolo, Carnaval é Perfeição!, Baleia ou sereia., Reign Over Me, Carta da Terra, Inside Job, Feliz Natal (A Guerra Acabou), Symphony Of Destruction

Terceira Onda


A Onda (Die Welle) é um filme alemão de 2008 dirigido por Dennis Gansel, estrelado por Jürgen Vogel, Frederick Lau, Jennifer Ulrich e Max Riemelt, e produzido por Christian Becker. É inspirado no livro homônimo de 1981 do autor americano Todd Strasser e no experimento social da Terceira Onda. (Wikipédia)

Em 1967, o professor norte-americano William Ron Jones resolveu fazer um experimento diferente em sala de aula. Para mostrar como agiam os regimes totalitários, o educador reproduziu na prática as estratégias usadas por ditadores, aplicando-as em seus alunos. O objetivo era simples: demonstrar como o Adolf Hitler dominou as massas e chegou ao poder na Alemanha. (Cineplayers)


A Onda (The Wave 1981)

Veja também: A onda, Voto Nulo, Trator, Cospe logo!, Universidades do mundo, BBB por Antonio Barreto, Jesus era Peripatético., Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Batman – O Livro dos mortos