CDB e Olímpiadas, as Cannalimpíadas!

Desde o surgimento da WADA, em 1999, os cannabinóides THC e CBD eram considerados de uso ilegal em competições esportivas oficiais, essa será a primeira Olimpíada onde atletas poderão se beneficiar dos efeitos do CBD em sua recuperação muscular e outros usos voltados ao esporte. Dr. Banz! 

Liberado pela Agencia Mundial Antidoping (WADA) em 2017 e retirado da lista de substâncias proibidas no esporte pela organização em 2018, o CBD já é uma realidade nas Olimpíadas de Tóquio deste ano. Atletas como o maratonista Daniel Chaves, que faz uso do CBD desde 2016 por conta uma depressão, afirma que a substância salvou sua carreira no esporte. João R. Negromonte – Sechat

De início, ele buscou ajuda nos remédios de tarja preta. “Não foi legal. Tomar aqueles medicamentos me deixava prostrado, por causa dos efeitos colaterais. Então parei de usá-los, mas não conseguia ficar estável”, relembra o corredor, que conheceu o óleo de canabidiol, também chamado de CBD, em 2018, por meio de um amigo que o utilizava para tratar dores resultantes de uma batida de carro. ANITA KREPP – piauí

Outros atletas brasileiros reforçam o time de Daniel, como o catarinense Pedro Barros, de 25 anos, considerado hoje o maior nome do skate brasileiro e Bruno Soares, tenista de 39 anos que faz uso do CBD há três anos.

O médico neurologista Renato Anghinah, professor da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) afirma também que não há relatos de efeitos colaterais relacionados com o uso da substância e que por isso, pode ser que cada vez mais atletas se interessem por esse medicamento.

Sha’Carri Richardson era a grande esperança dos Estados Unidos para acabar com o domínio da Jamaica na prova mais nobre do atletismo. O problema é que a norte-americana de 21 anos corre risco de ficar fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio por ter testado positivo para o uso de maconha. Kauê Vieira – Hypeness

Os outros compostos da cannabis, porém, continuam vetados. Não à toa, Sha’Carri Richardson, velocista norte-americana favorita ao ouro em Tóquio, foi suspensa dos cem metros rasos por testar positivo para o THC, a parte psicoativa da cannabis, que exibe propriedades terapêuticas similares às do canabidiol, mas também causa euforia e, dado o nível de estimulação dos atletas é um composto que possivelmente não sairá da lista de substâncias proibidas no esporte nos próximos anos.

O maratonista Daniel Chaves: atleta diz que o canabidiol o ajudou a vencer a depressão
O maratonista Daniel Chaves: atleta diz que o canabidiol o ajudou a vencer a depressão – FOTO: CADU VIGILIA/DIVULGAÇÃO

O episódio reavivou um debate antigo: por que seguir proibindo o THC se hoje os cientistas já sabem que o consumo da substância não influencia no rendimento dos atletas? Tanto é assim que até a Casa Branca, ainda em cima do muro sobre a legalização da cannabis em todos os Estados Unidos, vem tentando uma reunião com a Wada para discutir o afrouxamento das regras sobre o uso da planta por esportistas.

“Acredito que já na Olimpíada de 2024 o THC será permitido. Tomara, pois vai melhorar a qualidade de vida de muita gente. Eu sou a prova dos benefícios que a cannabis pode trazer quando ministrada na quantidade certa”, afirma Chaves. Com a pandemia, a procura pelo CBD aumentou no Brasil. Muita gente começou a buscá-lo para neutralizar a insônia e outros distúrbios psíquicos trazidos pela crise sanitária.

O tratamento de Chaves é patrocinado pela USA Hemp, empresa que produz desde medicamentos até sais de banho à base de cannabis. Criada em 2014 por uma família de Goiás que se estabeleceu nos Estados Unidos há 25 anos, a companhia reserva 500 mil reais por ano para apoiar atletas e doar produtos a brasileiros de baixa renda que necessitam de tratamento canábico. “A história de superação do Daniel nos inspirou tanto que vamos lançar uma linha com seu nome”, diz a matriarca Corina Silva, CEO da empresa.

Cada vez mais, empreendedores do gênero buscam patrocinar atletas de alto rendimento no Brasil como parte de um plano de marketing, uma vez que a publicidade explícita de produtos de cannabis está proibida no país, assim como o seu plantio (já importação, venda e uso são permitidos desde 2015 por uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a RDC 17/15). Motivar um esportista a relatar sua experiência positiva com a erva pode ser um golaço.

Na verdade, o óleo nunca enfrentou grandes barreiras no universo desportivo. Ao contrário, foi recebido com curiosidade por boa parte dos atletas profissionais no mundo. Só que a maioria dos adeptos ainda teme tocar publicamente num assunto que é tabu há várias décadas.

Dr Banz - CBD legalizado nas Olimpíadas do Japão 2020

O fato é o seguinte, alguns atletas por medo de perder seus patrocínios usarão produtos com CBD, mas não vão divulgar. Mas outros atletas seres humanos maravilhosos, vão levantar a bandeira, vão divulgar e por consequência levarão nossa torcida pelas medalhas!

Hoje Chaves se considera um porta-voz dos benefícios da cannabis. Nascido e criado numa comunidade em Petrópolis, na serra fluminense, precisou bater um papo sobre o assunto com a mãe, que até então só relacionava a maconha a uma série de malefícios

Foi o triatleta amador Fernando Paternostro quem colocou a USA Hemp em contato com Chaves. Ele também fez a ponte entre quase cem outros esportistas e seus patrocinadores. Sócio da Atleta Cannabis com Peu Guimarães, Paternostro oferece toda a assessoria necessária para os interessados em aliar o esporte à erva. No mês retrasado, a empresa patrocinou o reality show de jiu-jitsu The New Star, exibido no YouTube. Treze dos dezesseis participantes tomaram CBD. Dois preferiram não experimentar o novo hype do esporte, e um foi desaconselhado a consumir o óleo por fazer uso de medicamentos controlados. 

Nos Estados Unidos, o uso de compostos da cannabis no contexto esportivo, seja na forma de óleo, cigarro, pastilha, bebida, creme, pomada e mesmo biscoito, vem se normalizando rapidamente. Vários atletas norte-americanos já admitem consumir a substância, como Megan Rapinoe, eleita melhor jogadora de futebol do mundo em 2019, e de sua companheira de equipe, Alex Morgan. De tão encantada com o tema, Morgan até criou a Just Live, marca de CBD feita por e para desportistas.

Mike Tyson também investe milhões em plantações da erva e promove debates sobre o assunto, que é especialmente interessante aos lutadores de boxe e MMA, não raro acometidos por problemas neurológicos devido às recorrentes pancadas na cabeça. Estima-se que pelo menos 30% desses atletas desenvolvam algum tipo de demência ou disfunção psicológica, como depressão e agressividade.

Foi o que aconteceu com o ex-companheiro da empresária Rose Gracie, cujo sobrenome é internacionalmente associado à prática do jiu-jitsu. “Vi meu então marido tentar o suicídio na minha frente. Ele lutava MMA na época e sofria de depressão. Quando conheceu a cannabis, passou a usá-la. Foi o que o salvou.”

Depois disso, Gracie fez parceria com uma marca norte-americana de produtos à base da erva e os colocou à venda em várias academias do grupo. A empresária virou uma espécie de consultora canábica dentro da própria família, que não estava muito confortável em relacionar o sobrenome de peso a algo que muitos enxergam como droga. Ela planeja abrir uma ONG para tratar com cannabis os atletas e ex-atletas que desenvolveram patologias decorrentes da luta.

De acordo com Gracie, cerca de 70% dos lutadores nos Estados Unidos já utilizam a erva recreativa ou terapeuticamente. A Comissão Atlética do Estado de Nevada (NSAC), que regulamenta algumas das lutas mais vistas no mundo, se juntou à Comissão de Boxe do Estado da Flórida e, no início de julho, decidiu acabar com as punições aos esportistas por uso de qualquer substância presente na cannabis.

No Brasil, o Sindicato de Atletas de São Paulo (Sapesp) será pioneiro na implementação de pesquisas sobre a planta com o intuito de oferecer maior conforto e apoio aos lutadores. A previsão é de que os estudos comecem ainda este ano. O presidente da instituição, Rinaldo Martorelli, já está testando em si mesmo o potencial da cannabis contra enfermidades como a dor no ombro que carrega desde os anos 1980, quando foi goleiro do Palmeiras. 

O médico Renato Anghinah, professor de neurologia na Universidade de São Paulo aposta que, a partir de 2022, as discussões acerca da cannabis irão avançar no mundo inteiro. “Cerca de 40% dos pacientes que tiveram Covid-19 se queixam de cansaço crônico e déficit de memória prolongados. Há indícios de que o CBD pode ajudar a vencer tais problemas, com poucos efeitos colaterais, como diarreia ou sonolência, mas nada muito intenso. Por isso, a tendência é que se abra um campo de estudos muito grande sobre o uso da erva em síndromes pós-Covid.”

Dr Banz - CBD legalizado nas Olimpíadas do Japão 2020

“Meu sonho é rodar o mundo disseminando informações sobre a planta enquanto me preparo para a Olimpíada de 2024. Quero levar o CBD às favelas do Rio, por exemplo, e dizer que se trata de um remédio de verdade. As comunidades quase não têm acesso a essas informações, e o Estado, quando pega um morador de lá com alguma quantidade de cannabis, só pensa em punir. Ninguém pergunta se o cara precisa daquilo para ficar estável psicologicamente.” Chaves planeja depois dos Jogos comprar um motorhome.

Olimpize-se: Que comecem os Doodle Champion Island Games!, Patrono do esporte brasileiro, Centro de Esportes Radicais, Toda bike importa, Capitão Fantástico, Canabidiol, o CBD, Os benefícios da cannabis no tratamento da Covid, Seus pés e sua saúde, Invista na cannabis ativa, Máquinas Voadoras, Van movida a energia solar ou com banheiro?!?

Snoop Dogg Lion

“Little 6-year-old girls are not supposed to die from a gunshot. But it keeps happening,” he told the Los Angeles Times Sept. 12. “From the mass shootings in Aurora and Newtown, to gang violence in the streets and murders in our own backyards, too many tears are being shed, too many young lives are being cut short. We need to come together to change this.” Hemp Beach TV

Calvin Cordozar Broadus, Jr., Long Beach, California, USA, October 20, 1971. AceShowbiz

Here are 13 reasons we suspect Snoop Dogg is an actual dog. BarkPost

Here, Snoop Dogg and Wiz Khalifa sampling the year’s best strain from the Amsterdam Cannabis Cup. Photograph by Mark Mann. Robb Rice Design

Snoop Dogg With French Manicured Male Nail Polish Trend (Reviewmanify/Redsilverj) – Redsilverj

Snoop Dogg Ends the Talk About His Manicure and Cosigns YG & DJ Mustard –  Complex News

Snoop Dogg was once a clean-cut high school senior back in 1989. The rapper’s dapper-looking high school photo has resurfaced on the Internet and the 43-year-old “Wiggle” singer looks nearly unrecognizable.  – Us Weekly

Snoop Lion – Smoke The Weed ft. Collie Buddz [Music Video]westfesttv

“Para aqueles que acham que não é real ou não é autêntico, digo que é o que é. Você vai ter suas próprias opiniões e visões. (…) O que posso fazer é colocar um copo de água limpa e um copo de água suja e você tem a escolha de beber o que preferir.” Reuters – G1

 Snoop Lion explains that he connected to Bob Marley’s spirit while in Jamaica and feels that he is “Bob Marley reincarnated.” Marley’s son Rohan was at Snoop’s conference to offer his blessing. Headlines & Heroes

The Snoopermarket”, Snoop’s merch page even has its own “Smoke Accessories” section featuring a dizzying array of smokers cases, rolling papers, vape pens, hats equipped with vape pen-holding straps and even a Snoop-branded iPhone case with a built-in lighter. News.com.au

Observe mais: HEMP CARYES OU SISTEMA DE MELHORAMENTO DA JUVENTUDECOINCIDENCE OR NOTVENDE-SE MACONHALUMINESCE™10 RAZÕES PARA LEGALIZAR AS DROGASREBELDIARESERVE™FINANCIANDO ÁRVORESNAARA BEAUTY DRINK!!!COMIDINHAS DE MACONHAJEUNESSE, VERDADE OU MENTIRA?FHC = THCLEGALIZE JÁINSTANTLY AGELESS ™O PODER DA MACONHAVIDACELL®ADRIANE GALISTEUMÃE GAIAMACONHA FAZ MAL.SETEMBRO VERMELHOE AGORA???

The Jolly Boys

Rehab – The Jolly Boys (Modern Mento version of Amy Winehouse’s hit)

Letra de canción de Rehab de The Jolly Boys lyrics

They tried to make me go to rehab
I said no, no, no.
Yes I been black, but when I come back
You wont know, know, know.

I ain’t got the time
And if my daddy thinks im fine
He’s tried to make me go to rehab
I wont go, go, go.

I’d rather be at home with ray
I ain’t got 70 days
Cos there’s nothing, nothing you can teach me
That I can’t learn from Mr. Hathaway

Didn’t get a lot in class
But I know it don’t come in a shot glass

They’re tryin to make me go to rehab
I said no, no, no
Yes I been black, but when I come back
You wont know, know, know.

I aint got the time,
And if my Daddy thinks im fine,
He’s tried to make me go to rehab,
I wont go, go, go.

The man said, why you think you here?
[ Rehab lyrics found on
I said, I got no idea
Im gonna, im gonna loose my baby
So I always keep a bottle near

Said, I just think you’re depressed
Kiss me, yeah baby
And go rest

I’m tryin to make me go to rehab
I said no, no, no
Yes I been black, but when I come back
You wont know, know, know

I don’t ever wanna drink again
I just, ooo, I just need a friend
Im not gonna spend 10 weeks
Have everyone think im on the mend

It’s not just my pride
It’s just til these tears have dried

They’re tryin to make me go to rehab
I said no, no, no
Yes I been black, but when I come back,
You wont know, know, know

I aint got the time,
And if my daddy thinks im fine
He’s trying to make me go to rehab
I wont go, go, go.

Joseph_Powda_Bennett_Website

 

Observe mais: Nick Cave, INSTANTLY AGELESS ™FOR WHAT IT S WORTH 1967Ingenue, NAARA BEAUTY DRINK!!!, SUCOS VERDESSteve’n’Seagulls, JEUNESSE, VERDADE OU MENTIRA?,  ALZHEIMERTEXT ME SOMETHING DIRTYLUMINESCE™, Pare Pra PensarUMA MENTE BRILHANTE