Sambando no precipício

ricos-pagam-pouco-imposto

brasil-festeja-carnaval-no-precipicio

Os ricos no Brasil nunca pagaram o pato. Eles apenas convencem os patos que pagam.

mataram-todos1964

odio-politico-decada-de-50-aos-dias-de-hoje

 

Entenda mais: FICHA LIMPA!!!ATRÁS DE MIM!PRESÍDIOS NO REGIME MILITARCONSULTA CPFPIB???IMPOSTÔMETRO1994 VS 2015: 100 REAISEDUFINDECLARAÇÃO IRPF 2012GOVERNO ABERTOENFIA NO SUSCASO PARA-SAR, O ATENTADO AO GASÔMETROJUSTIÇA DE MIERDATÁXI VS UBER

Fair Play

Fair Play significa jogo justo, jogar limpo e ter espírito esportivo. O conceito de fair play está vinculado à ética no meio esportivo, onde os praticantes devem procurar jogar de maneira que não prejudiquem o adversário de forma proposital, sob pena de serem desclassificados, empregada em outros segmentos da sociedade significa trabalhar ou apresentar conduta de acordo com padrões éticos, sociais e morais.
copagasto
A influência do marketing e da mídia pressionando os atletas por melhores resultados, a pensar na vitória a qualquer preço, muitas vezes utilizando meios ilícitos, como o doping, a manipulação genética, processos de naturalização, distorcendo os princípios do jogo limpo. Significados

Veja também: Empoderamento dos recursos, O mar de Aral virou areia., Shark alive, Os sentidos da política – problemas e perspectivas, O Coxinha – uma análise sociológica, Na trave!, O de Otário, Vinte centavos, Robin Hulk, 35 verdades ditas sobre o Brasil, pelos olhos de um Turista, Quem paga o Carnaval!, Impostômetro, O povo da caixa

A guerra do vintém

A guerra do vintém

Exploradas por militantes republicanos, manifestações contra taxa sobre transporte urbano tumultuam capital do Império e deixam mortos e feridos pelas ruas.
José Murilo de Carvalho

No dia 28 de dezembro de 1879, a capital do Império viu algo inédito desde 1863, quando o Brasil rompeu relações com a Inglaterra por conta da Questão Christie: a multidão protestando na rua. A manifestação aconteceu no campo de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, em frente ao palácio imperial. Cerca de cinco mil pessoas, lideradas por um militante republicano, o médico e jornalista Lopes Trovão, reuniram-se para entregar a d. Pedro II uma petição solicitando a revogação de uma taxa de 20 réis, um vintém, sobre o transporte urbano, ou seja, bondes puxados a burro. O vintém era moeda de cobre, a de menor valor da época. A polícia não permitiu que a multidão se aproximasse do palácio. Enquanto os manifestantes se retiravam, o imperador mandou dizer que receberia uma comissão para negociar.
(…)
O novo imposto e a taxa atingiram diretamente duas categorias, os funcionários públicos e os usuários de bondes. Em 1870, a capital tinha 192 mil habitantes na área urbana, dos quais 11 mil funcionários públicos, entre civis, militares e eclesiásticos, já que naquela época o catolicismo era a religião oficial do Estado. Havia quatro grandes companhias de ferro-carris urbanos, ou de bondes, como ficaram conhecidos: a Botanical Garden Co., que cobria a zona sul, saindo da rua Gonçalves Dias, a Cia. de São Cristóvão, concentrada na zona norte, com ponto final no Largo de São Francisco, a Ferro-carril de Vila Isabel, que partia da Praça Tiradentes, e a Cia. de Carris Urbanos, que atendia ao centro, incluindo a zona portuária.
(…)
Desse clima de insatisfação, tiraram vantagem os agitadores republicanos. Ao que parece, na demonstração de São Cristóvão estavam presentes, sobretudo, pessoas de melhor situação social, certamente muitos funcionários públicos. Na do dia 1º, teria entrado em ação a massa dos usuários mais pobres, acrescida da tropa barra-pesada do centro e da zona portuária. Não por acaso, os líderes do movimento perderam o controle da multidão nesse dia.

Embora legal, a taxa do vintém era profundamente impolítica, como se dizia na época. O ministro fora alertado para as possíveis reações. Mas Afonso Celso era tão competente quanto teimoso. Pagou por isso alto preço em 1880, como pagaria em 1889, por ocasião da proclamação da República. A reação da polícia foi infeliz em 28 de dezembro, ao não negociar a audiência com o imperador, e imprudente em 1º de janeiro. A do Exército, simplesmente desastrada.
(…)
Mas a revolta não foi republicana, afirmaram seus próprios líderes. Muitos interesses feridos nela se fundiram, de grandes e de políticos, de gente miúda e de simples cidadãos. Uma grande explosão social, detonada por um pobre vintém.

José Murilo de Carvalho é professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), membro da Academia Brasileira de Letras, do IHGB e da Academia Brasileira de Ciências e autor de D. Pedro II: ser ou não ser. São Paulo: Cia. das Letras, 2007.

Veja também: Impostômetro, Pneu, Vasos e flores, Cantar, Mata Atlântica, Miniusina de energia, Água mata?, Efeito Borboleta, DECLARAÇÃO IRPF 2012, Se sentindo só? Anúncios de solteiros., Todo Dia Era Dia de Índio

Impostômetro

Impostômetro, que registra a quantidade de impostos pagos pelos contribuintes nas esferas federal, estadual e municipal.

Brasil: imposto de rico, serviço de pobre. Contribuinte trabalha quase quatro meses do ano para pagar impostos, mas tem o pior retorno dos recursos. Impostômetro BR

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, artigo 3º, inciso II, a garantia do desenvolvimento nacional é objetivo fundamental da República Federativa do Brasil.

Não há como negar que, em termos de arrecadação tributária, o Estado brasileiro é extremamente eficiente.

 

Veja também: Qual o volume ocupado por 1 trilhão de reais?, Pedagiômetro, Carta à Sra. “Presidenta” da República, Problemas sociais, FORDISMO??, A Terra a Gastar, Xeque Monte, Quem paga o Carnaval!, Incêndio, apenas 4° andar é salvo., O de Otário, Justiça de mierda