Gatoterapia

A gatoterapia é um tratamento para os problemas de ansiedade, estresse e depressão.  Melhora a qualidade de vida e cria uma conexão muito especial entre o felino e seu dono. Além disso, de acordo com vários estudos, as pessoas que sofrem de algum tipo de cardiopatia mostram uma progressiva melhoria após conviver com um gato. Acordo Coletivo

É bastante curioso que a mesma pesquisa realizada com cães tenha demonstrado resultados completamente diferentes. Os donos de cachorros, diferentemente dos donos de gatos, continuaram se mantendo na média. Isso significa que pessoas que possuem gatos têm menos chances de falecer por causa de um infarto do que as que não têm.

Os felinos costumam ser bastante recomendados para pessoas que vivem sozinhas, principalmente no caso dos idosos. Inclusive, pessoas que sofrem algum tipo de demência, como o Alzheimer, podem ter lembranças ao fazer carinho nos gatos, retardando a degeneração neuronal que sofrem. O ronronar do animal, por sua vez, estimula algumas terminações nervosas fundamentais na hora de se lembrar de histórias passadas.

Durante centenas de anos, os gatos foram tratados como seres infernais. Acreditava-se que eles eram os fiéis companheiros das bruxas, mensageiros do azar e enviados do diabo. O caráter indomável e imprevisível deles era temido tanto por pessoas comuns quanto por pessoas poderosas. Em algumas civilizações a presença dos gatos, no entanto, sempre foi sagrada. No Egito eles eram venerados por serem os protetores do deus mais importante.

Lendas à parte, a história dos gatos como animais domésticos também foi bastante curiosa. Diferentemente dos cachorros, utilizados como guardiões de ovelhas e caçadores, os gatos no início se mantiveram selvagens. Segundo estudos recentes, acredita-se que eles mesmos tenham decidido se aproximar dos humanos ao perceber que estes lhes proporcionariam comida.

Mulher idosa com seu gato

BENEFÍCIOS DA GATOTERAPIA

Melhora os sintomas da depressão e do estresse

Os felinos provocam uma notável melhoria nas pessoas que sofrem de transtornos de estresse, ansiedade e depressão. O ronronar é muito relaxante, estimula a concentração e cria um ambiente muito acolhedor.

Ajuda no tratamento do Alzheimer, do autismo e do TDAH

Como mencionamos anteriormente, os gatos são usados como terapia complementar em casos de autismo, Alzheimer ou TDAH. Embora cientificamente não existam pesquisas que apoiem esse uso, são conhecidos milhares de casos nos quais a presença dos gatos melhorou a qualidade de vida dos seus donos.

Representa uma companhia

Para uma pessoa que vive sozinha, o gato é a melhor opção. Ele é um animal muito independente quando quer, mas também muito carinhoso. Às vezes ele vai ser tão irritante que você vai desejar que não estivesse ali!

Uma oportunidade de conferir responsabilidade às crianças

Ter um gato em casa é uma grande responsabilidade para as crianças porque elas vão precisar cuidar, dar comida e educar o animal, o que nem sempre é uma tarefa fácil. É importante conversar com as crianças sobre o tema para que elas tenham consciência da importância das tarefas que devem realizar.

Não se esqueça de deixar claro que um animal NÃO é um brinquedo.

Não exigem muitos cuidados

Ao contrário de outros animais, os gatos não precisam de muitos cuidados além de vacinas ou alimentação. Eles são seres muito limpos e quando aprendem a utilizar a caixa de areia, vão utilizá-la sempre. Eles mesmos se banham e não exigem constante atenção.

Entretanto, é bom dar banho nos gatos de vez em quando. Também é preciso garantir que a alimentação oferecida seja adequada e não se esquecer de fazer consultas periódicas com o veterinário. Lembre-se de que um gato saudável representa um ser humano saudável.

Gatoze-se: Centro Municipal de adoção de cães e gatos, Dia do gato, Comedouro para cães e gatos com garrafas PET, 12 gatos, 12 artistas, São Francisco Gatos de Assis, Gato ‘estudante’, Vlog do Gato do Mal, 11 fotos de gatos que traduzem perfeitamente sua relação com dinheiro., Capa de disco com gatos.

Vovô Tech e outras aulas grátis para idosos

O vírus afeta, principalmente, pessoas acima de 60 anos, consideradas como um grupo de risco e obrigadas a ficar em quarentena em suas casas. Com foco nesse público, o Canaltech criou o Vovô Tech, uma plataforma online que ajuda os idosos a dominar recursos básicos de seus smartphones e também desbravar a imensidão que é a internet, entre outros módulos, para que não precise sair de casa para realizar algumas tarefas que os celulares podem cumprir perfeitamente. As dicas e tutoriais são transmitidas através de videoaulas bastante didáticas e que garantem que todos aprendam os principais truques rapidamente.

O Vovô Tech vai liberar, gratuitamente, uma versão “pocket” do seu programa (chamada de Vovô Tech Pocket), com três aulas básicas do seu curso de tecnologia para terceira idade, são elas:

1. Encontrando novos aplicativos;

2. Instalando o WhatsApp;

3. Google: o que é e como usar.

As videoaulas são ministradas por Adriano Ponte, especialista em hardware e software, além de apresentador do Canaltech e será acompanhado por Sílvio Matos, o “vovô-propaganda” do Vovô Tech que, além de ator dos mais experientes, é um dos primeiros alunos do programa e vem tirando nota 10 em todas as aulas! Para acessar o Vovô Tech Pocket, basta acessar o site http://canalte.ch/vovopocket e se cadastrar no final da página para receber, por e-mail, os links das videoaulas.

A Inclusão Digital é considerada uma segunda alfabetização e o Curso de Tecnologia para idosos da KDEMY é também uma resposta para quem quer saber ” como ensinar idosos a mexer no pc“. Faça esse Curso ou indique para alguém que precisa aprender como a Tecnologia pode melhorar a vida de pessoas na melhor idade.

O Curso de Informática para a Terceira Idade (Curso melhor idade) tem o objetivo de aproximar os Idosos com o Computador, capacitar e possibilitar às pessoas da terceira idade, o acesso à informática e recursos tecnológicos, e assim gerar maior independência na busca de informações, organização de seus arquivos pessoais, como fotos e documentos, entretenimento, comunicação, cultura e lazer.

Aprender a mexer em um computador e dominar a internet aproxima gerações separadas pela tecnologia e romper essas barreiras tecnológicas faz com que o idoso se sinta mais parte da sociedade e mais perto de quem tanto ama. inonni

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é curso-de-informatica-para-idosos.jpg

Fundação Bradesco oferece diversos cursos gratuitos para que o público 60+ possa aprender sem sair de casa. Para realizar algum curso online do Bradesco, o idoso precisa ter instalado em seu computador Java, Flash Player 7 e Internet Explorer versões 9, 10 ou 11. Vários cursos da Escola Virtual da Fundação Bradesco emitem certificado após a conclusão do curso, vale a pena dar uma olhada e realizar o quanto antes a sua matrícula!

canal de ensino que disponibiliza gratuitamente cursos de informática online para a terceira idade é o Prime Cursos. O curso possui um conteúdo programático bem simples, onde o aluno aprenderá as principais noções e conhecimentos de informática básica, como organizar a área de trabalho, navegar e pesquisar na internet, fazer downloads, enviar emails, utilizar editores de textos, criar planilhas, slides, instalar e utilizar programas e equipamentos. O curso possui a duração de 40 horas e não há pré-requisitos para sua realização, recomenda-se apenas que o aluno tenha o ensino médio completo.

Votechze-se: Ecovila para idosos, Dia do idoso, Depressão em idosos, Sexo frequente ajuda a turbinar o cérebro dos idosos, A VIDA… E SUAS PEDRAS!, A Terceira Margem do Rio, Avós da Razão, Convivir, Previdência e suicídio, A ÚLTIMA SACANAGEM DO CRIADOR CONTRA NÓS, Cursos online e conteúdos gratuitos

Ecovila para idosos

Envelhecer com qualidade de vida pode significar muitas coisas, como viajar com frequência ou estar perto dos filhos e netos. Para alguns idosos, a aposentadoria ideal deve ser desfrutada em ecovilas, onde é possível viver em comunidade de forma sustentável.

Ecovilas focadas na terceira idade estão se tornando populares principalmente pela vida simples — o que não significa falta de conforto. As vilas sustentáveis apresentam muito verde, alimentos frescos e saudáveis, superfícies fáceis de se locomover, atividades ligadas ao meio ambiente e casas projetadas com tecnologia para reduzir consumo de água e luz.

Além disso, são locais tranquilos e serenos, onde a vida em comunidade é valorizada. Assim ninguém se sente sozinho. Free the Essence

Existem conjuntos residenciais exclusivos para idosos em todo o mundo, com estruturas fenomenais, atividades físicas e cuidadores à disposição 24 horas por dia para os senhores e senhoras. No entanto, viver nestes locais tem um custo elevadíssimo — alguns aqui no Brasil chegam a ter mensalidades de mais de R$ 10.000. Ana Júlia Caires

Mas, então, o que fazer para resolver essa situação e proporcionar qualidade de vida também aos idosos com menor poder aquisitivo? Foi pensando nisso que alguns governos e organizações brasileiras construíram condomínios acessíveis voltados para idosos em diferentes estados do país.

Instituído em 2009 em uma parceria entre a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), secretarias e prefeituras de municípios paulistas, o Programa Vila Dignidade também é voltado a idosos independentes de baixa renda e já conta com unidades em cidades como Ribeirão Preto, Avaré e Mogi das Cruzes. Hometeka

É como se as ecovilas resgatassem o modo de sobrevivência mais primário da humanidade, que por milhares de ano viveu em comunidade, num convívio íntimo com a natureza, utilizando-a de forma inteligente e sempre respeitando o ciclo natural das coisas. A partir de 1998, as ecovilas consagraram-se então como uma das 100 melhores práticas para o desenvolvimento sustentável, nomeadas oficialmente através de uma lista da ONU.

Chamadas também de eco-aldeia e eco-comunidade, o modelo de vida acaba por preservar áreas já degradadas ou que poderiam estar se degradando, além de trazer soluções viáveis para a erradicação da pobreza. Hipeness

Confira aqui algumas ecovilas interessantes para você visitar, ou morar, no Brasil.

Mude conceitos, você pode e deve: Convivir, Depressão em idosos, LUMINESCE™ (10% de DESCONTO), A ÚLTIMA SACANAGEM DO CRIADOR CONTRA NÓS, FAKE NEWS JOURNAL, Previdência e suicídio, GHOST WRITER, NAARA BEAUTY DRINK!!! (10% de DESCONTO), Dia do idoso, Inicie um abaixo-assinado, SEXO FREQUENTE AJUDA A TURBINAR O CÉREBRO DOS IDOSOS, INSTANTLY AGELESS ™(15% de DESCONTO), Propriedades curativas do limão

Editado via celular.

A culpa das velhas plásticas

Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
– A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.

A senhora pediu desculpas e disse:
– Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu:
– Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso meio ambiente.

– Você está certo – respondeu a senhora. Nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente, não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo.
Até as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. A secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas secadoras elétricas. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela de 14 polegadas, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado, como não sei.
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia batedeiras elétricas, que fazem tudo por nós. Quando enviávamos algo frágil pelo correio, usávamos jornal velho como proteção, e não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava motor a gasolina para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam à eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos água diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.
Na verdade, não tivemos uma onda verde naquela época. Naquele tempo, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus coletivos e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar os pais como serviço de táxi 24 horas.
Então, não é incrível que a atual geração fale tanto em “meio ambiente”, mas não queira abrir mão de nada e não pense em viver um pouco como na minha época!

Uma aula gratuita ministrada por uma idosa considerada ultrapassada.

Autor desconhecido. (WhatsApp)

www.desistirnunca.com.br
Entenda mais: A ILHA DE LIXO, CUCO, O MAR DE ARAL VIROU AREIA., BE MY EYES APP, PEIXE-BOI MARINHO, Plástico Pena, XEQUE MONTE, O AMARANTO INCA KIWICHA INVADE PLANTAÇÕES DE SOJA TRANSGÊNICA DA MONSANTO NOS ESTADOS UNIDOS, CARTA DA TERRA, ÁGUAS DE MARÇO, THE MARTIAN, PLANETARIO, PELADOS EM SANTOS

Convivir

Sabe aquele sonho que você tinha quando criança, de morar junto com todos os seus amigos? Pois vários idosos de Cuenca, na Espanha, tornaram isso realidade.

Victor Gómez e Cruz Roldán, que se conheceram durante uma excursão há 46 anos, resolveram inovar, e fundaram uma espécie de república da terceira idade, e foi assim que, há quinze anos, surgiu a Convivir, gerida pelos próprios idosos, hoje são 87 idosos morando por lá.

O local funciona num espaço de mais de 7 mil m², e conta com jardim, pomar, bar, ginásio, biblioteca e diversas oficinas para distrair os moradores. Gabriela Alberti – Hypeness

², e conta com jardim, pomar, bar, ginásio, biblioteca e diversas oficinas para distrair os moradores. Gabriela Alberti – Hypeness

A velhice chega mais tarde hoje, mas pensa-se nela desde cedo. Os mais velhos atualmente –especialmente europeus e japoneses – vivem mais e não querem passar a última fase da vida entre desconhecidos ou “ser uma carga para os filhos”. É o que demonstra um estudo de 2015, realizado pelo ministério da Saúde espanhol.

No estudo, mais da metade dos pesquisados acha pouco provável viver em um asilo, enquanto quatro em cada dez veem como alternativa o cohousing, moradias criadas e administradas pelos próprios idosos, que decidem entre amigos como e onde querem viver sua aposentadoria. Os apartamentos pertencem a uma cooperativa, mas podem ser deixados de herança para os filhos. Na Espanha, há oito projetos construídos e vários em gestação. Portal Terceira Idade

Portal Terceira Idade

Una cooperativa integral, constituida en principio por ese grupo de personas del que hablábamos en el primer punto, pero abierta a otras nuevas que puedan integrarse en la Cooperativa y/o venir a vivir con nosotros.

Que ya ha construido el Centro Convivir en Horcajo de Santiago -un gran edificio, con jardín y huerto, 66 apartamentos, comedor, cafetería, gimnasio, biblioteca, talleres de actividades, salas comunes… . Convivir

Ensaio sobre a cegueira hídrica

crisehidricaprojeto

1. O abastecimento do precioso líquido será feito de modo a atender apenas às necessidades mais elementares, como a preparação de alimentos, tomar uma breve ducha e escovar os dentes. Para descarregar a privada, fazer a limpeza da casa e dar banho no cachorro, o jeito será contar com a água das chuvas.
2. Restaurantes serão obrigados a baixar as portas. Não haverá água para lavar tanta louça. Outros estabelecimentos podem vir a ser obrigados a restringir o uso de seus banheiros.
3. Empresas que dependem do uso intensivo de água começarão a se preparar para sair de São Paulo, já que não há previsão para o término da crise. Vão em busca de melhores condições hídricas.
4. Depois do colapso do Sistema Alto Tietê, que abastece a zona leste de São Paulo, a água potável passou a ser um bem raro e caro. Bandidos já fazem sequestros-relâmpagos de caminhões-pipa cheios, a fim de vender a carga em condomínios fechados. Uma carga de 15 mil litros de água pode facilmente ser repassada por R$ 2.500.
5. O tráfico de água campeia. Em Itu, durante o apogeu da falta d’água, em setembro de 2014, quadrilhas comercializavam a água que deveria ser distribuída gratuitamente à população. É previsível que o mesmo ocorra por aqui.
6. Todos os 50 mil poços em funcionamento na cidade de São Paulo serão “confiscados”, mesmo os localizados em terrenos privados. Só o Estado estará autorizado a explorá-los.
7. Moradores de casas humildes terão de ir trabalhar sem tomar banho e com a mesma roupa do dia anterior. Quando eles chegaram em casa, não havia água; quando saíram, a água ainda não havia voltado. E a caixa d´água nem chegou a encher por causa da redução da pressão.
8. Haverá creches que interromperão os serviços por falta de água, gerando um efeito cascata. Se as crianças não puderem ir para a creche, a mãe terá de faltar no emprego.
9. Começarão os pedidos de socorro por parte de idosos, acamados, e de gente com deficiência de mobilidade, que não conseguirão colocar uma lata enorme de água na cabeça e levá-la para casa.
10. Surgirão aqui e ali focos de desidratação, atingindo principalmente indivíduos de terceira idade e crianças até 4 anos, mais vulneráveis.
11. Já se esperam protestos. Em Itu, vizinho de São Paulo, até donas de casa colocaram fogo nas ruas. “Aqui em São Paulo, vai haver um escalonamento de manifestações e de violência porque a água mexe com a questão da dignidade. Quantos dias nós aguentamos sem poder dar descarga?”, pergunta Marussia Whately. A tropa de choque da PM dará show de truculência, como sempre. Conta D’Água

logoarsesp

LEI Nº 9.433, DE 8 DE JANEIRO DE 1997, institui a Política Nacional de Recursos Hídricos.

ana_ag_nac_agua

Veja também: Parabéns Nestlé, Empoderamento dos recursos, Fome, Um Monte de mentiras, Ana Primavesi, Engenheira agrônoma., Rios do céu!, Por que falta água?, DECLARAÇÃO IRPF 2012, Michael Moore, Fátima, Qual o volume ocupado por 1 trilhão de reais?, Air Purifier Bike, Santa Buceta, Feliz dia do índio!!!, Quem paga o Carnaval!, Mídia Ninja, Aniversário da revolução de 1964, No gás, Bolsa ruralista, quer que desenhe?