Os homens preferem a calma bruta da escravidão

“O grande inquisidor” é uma criação literária especialíssima de Dostoievski, inserida em “Os Irmãos Karamazov”. O genial escritor russo criou, dentro desta obra imortal, um capítulo especial sob o formato de uma lenda antiga, dedicado à denúncia da manipulação religiosa feita pela Igreja Católica durante a “Santa Inquisição”. Carlos Russo Jr.Espaço Literário Marcel Proust

A lenda é prometeica pois ao fincar os pés no passado, permitiu tanto ontem como hoje antever o futuro manipulável da sociedade de massas. A religiosidade utilitária aponta tanto para as recusas de liberdade real nas sociedades modernas e pós-modernas, quanto para formas tão somente exteriores das denominadas “democracias representativas”.

Ao mesmo tempo, este capítulo essencial de “Irmãos Karamazovi”, prenuncia profético os regimes totalitários do século XX e que ensaiam sua retomada no século XXI, como o controle do pensamento através de mentiras, do medo e de montagem de “histórias”. Antecipa também o prazer brutal imbecilizadas e dominadas das Danças de Nuremberg nazista, das massas ensandecidas na “Revolução Cultural” chinesa, assim como no Estádio de Moscou stalinista.

Nos dias de hoje segue sendo um sinal de alerta para as recusas de liberdade, para a invasão das privacidades, para as parvoíces hipócritas, para as mentiras, que “viralizadas” milhares e milhões de vezes, passam a ser são tidas como verdades.

Para o Inquisidor os homens conhecerão a felicidade somente quando um reino perfeitamente regulado for estabelecido sobre a terra, sob os auspícios dos milagres, da autoridade da Igreja e da “mano militari” e do pão.

Ao Inquisidor também se incorpora a ideia de um Falso Messias, um Anticristo, daquele que também viveu no deserto, alimentou-se de gafanhoto e mel e ofereceu a Cristo a tríplice tentação: os milagres, o pão e a autoridade, dos quais seriam decorrentes as Igrejas e o Estado.

Logo, as Igrejas punitivistas são as principais responsáveis por privarem os homens de sua liberdade essencial, interpondo entre Deus e a agonia da alma individual, a segurança da absolvição e dos mistérios dos rituais.

De um lado teremos o Inquisidor que era a seu modo autoritário um “progressista”, dado que tinha uma crença radical no progresso humano através de meios materiais, a qual aliava uma crença na razão pragmática.

De outro, um Cristo dostoiévskiano que não é um beato, um santo, mas humano, profundamente humano, parafraseando Nietzsche. Pois Dostoiévski, além do Inquisidor, também traçou o retrato de “seu Cristo” na lenda.

Os famintos, desiludidos, os desesperados “nos procurarão e depositarão sua liberdade a nossos pés dizendo: ‘reduzi-nos à escravidão, mas alimentai-nos’. Compreenderão que a liberdade e o pão da terra à vontade para cada um são irreconciliáveis, pois jamais saberão reparti-lo entre si. A impotência para a liberdade ocorre por serem fracos, depravados, nulos e revoltados. As multidões sendo fracas e, embora depravadas e revoltosas, tornar-se-ão dóceis.”

“Para dispor da liberdade dos homens é preciso dar-lhes paz de consciência… nisto Tu tinhas razão porque o segredo da existência humana consiste não somente em viver, mas ainda em encontrar um motivo pelo qual viver. Sem uma ideia nítida de sua finalidade, prefere o homem a ela renunciar e se destruirá embora cercado por montes de pão. Esqueceste-Te de que o homem prefere a paz e até mesmo a morte à liberdade de discernir o bem do mal? Não há nada de mais sedutor para o homem que o livre-arbítrio, mas também, nada de mais doloroso.”

Como Aprender Qualquer Assunto

Como Aprender Qualquer Assunto | Técnica Feynman (Método Definitivo) | 4 Passos

SUPERLEITURAS

Qual a melhor forma de estudar ? Como aprender qualquer coisa ? Como estudar da melhor forma? Como ser mais inteligente? Como aprender a aprender ? Essas são perguntas importantes e relevantes para todas às pessoas. Talvez, poucas técnicas de estudo sejam tão poderosas como as de Richard Feynman, físico vencedor do Nobel. Nesse Superleituras vamos dar o método passo a passo e definitivo desse grande professor e físico da humanidade.

Feynmanze-se: A Teoria de Tudo, Nikola Tesla, A HORA DO SUFOCO, Prêmio Nobel aos bombeiros de Brumadinho, Garota indígena de 13 anos é indicada ‘Nobel infantil’ da paz, Alfred Nobel, O quão próximo você esta?!?, Barulho D’água, GURGEL MOTORES: O LEGADO

Mestre Silvio Santos : –

Foi aos 51 anos de idade que eu me tornei dono da SBT. Sou casado, tenho seis filhas e oito netos. Continuo amando arroz, feijão, bife e batata, rsrs. Quero dizer a todos vocês, não desistam do seus sonhos, lute, batalhe e seja forte. Na vida sempre haverá as barreiras, as pedras em seu caminho querendo te parar. Mas se você souber contorna a barreira e usar a pedra como degrau. Nada nessa vida, vai poder lhe parar. Nunca use as pessoas para subir e humildade além de tudo isso. Um grande abraço e muita paz no coração de todos vocês. Linkedin

O exemplo dos Lobos: Os 3 primeiros são os mais velhos ou os doentes e marcam o ritmo do grupo. Eles são seguidos pelos 5 mais fortes que os defenderão em um ataque surpresa. No centro seguem os demais membros da alcateia, e no final do grupo seguem os outros 5 mais fortes que protegerão o grupo.Em último, sozinho, segue o lobo “alpha”,o líder. Em resumo, a alcateia segue ao ritmo dos anciões e sob o comando do líder que impõe o espírito de grupo não deixando ninguém para trás.”O verdadeiro sentido da vida, não é chegar primeiro, mas chegar todos juntos ao mesmo destino”.

Enxergue mais: INSTANTLY AGELESS ™A EXECUTIVA BEM SUCEDIDANAARA BEAUTY DRINK!!!, SUCOS VERDESVIA LÁCTEA PELO NAVEGADORLUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMINSTITUTO ALANA, VIDACELL®, 23ª FEIRA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO (FEICOOP)4 SINAIS DE QUE VOCÊ E SUA CARREIRA SÃO IDIOTASJEUNESSE, VERDADE OU MENTIRA?PROJETO DE LEI 4.330VOTO ABERTO, RESERVE™, REPO MAN4 SINAIS DE QUE VOCÊ E SUA CARREIRA SÃO IDIOTASHAKUNA MATATA

São as pequenas atitudes que fazem o mundo valer a pena.

Oitavo Anjo

Oitavo Anjo – 509-e

Acharam, que eu estava derrotado,
Quem achou estava errado,
Eu voltei, to aqui, se liga só, escuta aí:
Ao contrário do que você queria, to firmão, to na correria,
Sou guerreiro e não pago pra vacilar,
Sou vaso ruim de quebrar, oitavo anjo, do apocalipse, tenebroso,
como um eclipse. É, seu pesadelo tá de volta, no puro ódio, cheio de revolta, vou te apresentar o que você não conhece, anote tudo, vê se não esquece, você verá que não deixei me envolver, pra sobreviver por aqui tem que ser, mesmo no inferno é bom saber com quem se anda, se não embaça, vira, desanda. Vejo, vários irmãos tomando baque, o barato é feio, bem pior que o craque.
Quiaca todo dia Cabo branco na mão, encontrar a morte é um, dois, ladrão.
Mas um pilantra foi sentenciado, sua pena, morrer esfaqueado.
Aqui é foda, não tem comédia, o clima é de tensão maldade, inveja, a destruição, mora nesse lugar, e mesmo assim não deixei me levar,
soube chegar na humildade pá, faça o contrário, caro pode te custar.
Obrigado Deus, por me guiar, só em ti eu tenho forças para lutar.
(Descobri que além de ser um anjo, eu tenho cinco inimigos)
Irmãos de atitude, moram comigo, é, manos de estilo, Zé carnero doidera até os ossos, patrão de renome, vários sócios.
Facínoras contaminados pelo ódio, rejeição, abandono, é óbvio . Estar em cana é embaçado, quem nunca esteve, não tá ligado.
Uns querem te ajudar, outros te afundar, jogue o dado em quem confiar.
Quem é quem, difícil saber, só mesmo Deus, pra te proteger, fulano entra aqui, pede licença até pro boi, chega de vagar se vacilar, já foi.
Maluquinho primário, é cruel, sem tirar o gosto amargo do fél.
As grades, te fazem chorar, a saudade na direta, vem ti visitar.
É difícil ter a mente sã, detenção, pior que o vetinã, um cristão me ligou para me dar uma idéia, disse pra mim que jesus ta a minha espera, disse também, pra eu mudar de vida, ae mano, eu não me escondo atrás da bíblia.
Sou quem sou, assim sigo em frente, Deus está comigo, não preciso virar crente, nada contra quem é na fé, mas tem canalha que se esconde né?
Muitas coisas aprendi, várias fitas erradas, na prisão eu vi.
Injustiças aqui, humilhação ali, cadáveres sangrando, perto de mim, obrigado meu Deus por me guiar, só em ti eu tenho forças para lutar.
(Descobri que além de ser um anjo, eu tenho cinco inimigo).
Cadeia, um cômodo do inferno, seja no outono, no inverno.
Sem anistia, todo dia é foda, cadeia, ae maluco, to fora.
Continuar no crime, não to afim, não quero mais essa vida pra mim.
Num pássaro voando enxerguei minha verdade, compreendi o valor da liberdade. Na paz, sigo sempre mais, pena que esta idéia pra você tanto faz.
Escutar ou não, qual a diferença?
Representei, não tive recompensa.
Se conselho fosse bom, não se dava, luz pra cego, que piada.
Ae mano, pelos ouvidos, não seja você mesmo seu próprio inimigo. Termino por aqui, espero que me entenda, pra que depois não se arrependa.
É tudo no seu nome, decide aí, escolha seu caminho, o exemplo tá aqui.
Obrigado meu Deus,por me guiar, só em ti eu tenho forças pra lutar.
(Descobri que além de ser um anjo, eu tenho cinco inimigo,preciso de uma casa para minha velhice, porém preciso de dinheiro para fazer investimentos).

Veja também: Atrás de mim!, The wall, Fátima, Procon divulga listas de empresas, Reputação ilibada e notável saber jurídico., Justiça de mierda, Advogados, No Capão Redondo, ninguém sonha em ser médico, Ta foda ser brazileiro!!!, PÁTRIA MADRASTA VIL

Jesus era Peripatético.

Numa das empresas em que trabalhei, eu fazia parte de um grupo de treinadores voluntários. Éramos coordenados pelo chefe de treinamento, o professor Lima, e tínhamos até um lema: ‘Para poder ensinar, antes é preciso aprender’ (copiado, se bem me recordo, de uma literatura do Senai).

Um dia, nos reunimos para discutir a melhor forma de ministrar um curso para cerca de 200 funcionários. Estava claro que o método convencional – botar todo mundo numa sala – não iria funcionar, já que o professor insistia na necessidade da interação, impraticável com um público daquele tamanho. Como sempre acontece nessas reuniões, a imaginação voou longe do objetivo, até que, lá pelas tantas, uma colega propôs usarmos um trecho do Sermão da Montanha como tema do evento. E o professor, que até ali estava meio quieto, respondeu de primeira. Aliás, pensou alto:

– Jesus era peripatético…

Seguiu-se uma constrangida troca de olhares, mas, antes que o hiato pudesse ser quebrado por alguém com coragem para retrucar a afronta, dona Dirce, a secretária, interrompeu a reunião para dizer que o gerente de RH precisava falar urgentemente com o professor.
E lá se foi ele, deixando a sala à vontade para conspirar.

– Não sei vocês, mas eu achei esse comentário de extremo mau gosto – disse a Laura.
– Eu nem diria de mau gosto, Laura. Eu diria ofensivo mesmo – emendou o Jorge, para acrescentar que estava chocado, no que foi amparado por um silêncio geral.
– Talvez o professor não queira misturar religião com treinamento – ponderou o Sales, que era o mais ponderado de todos. – Mas eu até vejo uma razão para isso…
– Que é isso, Sales? Que razão?
– Bom, para mim, é óbvio que ele é ateu.
– Não diga!
– Digo. Quer dizer, é um direito dele. Mas daí a desrespeitar a religiosidade alheia…

Cheios de fúria, malhamos o professor durante uns dez minutos e, quando já o estávamos sentenciando à fogueira eterna, ele retornou. Mas nem percebeu a hostilidade. Já entrou falando:

– Então, como ia dizendo, podíamos montar várias salas separadas e colocar umas 20 pessoas em cada uma. É verdade que cada treinador teria de repetir a mesma apresentação várias vezes, mas… Por que vocês estão me olhando desse jeito?
– Bom, falando em nome do grupo, professor, essa coisa aí de peripatético, veja bem…
– Certo! Foi daí que me veio a idéia. Jesus se locomovia para fazer pregações, como os filósofos também faziam, ao orientar seus discípulos. Mas Jesus foi o Mestre dos Mestres, portanto a sugestão de usar o Sermão da Montanha foi muito feliz. Teríamos uma bela mensagem moral e o deslocamento físico… Mas que cara é essa?… Peripatético quer dizer ‘o que ensina caminhando’.

E nós ali, encolhidos de vergonha. Bastaria um de nós ter tido a humildade de confessar que desconhecia a palavra que o resto concordaria e tudo se resolveria com uma simples ida ao dicionário. Isto é, para poder ensinar, antes era preciso aprender.
Finalmente, aprendemos.

Duas coisas:

A primeira é: o fato de todos estarem de acordo não transforma o falso em verdadeiro.

A segunda é: que a sabedoria tende a provocar discórdia, mas a ignorância é quase sempre unânime.

(Artigo escrito por Max Gehringer publicados na Revista VOCÊ SA.) – NÃO CONSEGUI CONFIRMAR A FONTE.

Veja também: Carlos Marighella, Os cães, 1984!, A importância do Doutorado, Funcional Obsoleto, Via Láctea pelo navegador, A importância do Doutorado, Carta à Sra. “Presidenta” da República, V de Vingança, Estrito cumprimento do dever