O que a saúde bucal tem a ver com a sua qualidade de vida

O conceito de qualidade de vida abrange a saúde física, o estado psicológico, o nível de independência, relações sociais em casa, na escola e no trabalho. A sua relação com o meio ambiente também está inserida nessa concepção. Pitacos e Achados

A qualidade de vida está diretamente associada à auto-estima e ao bem-estar pessoal, mas ela compreende todas as camadas. Ou seja, o conceito está relacionado desde o seu estado emocional até a sua satisfação profissional.

O cuidado com a boca traz a manutenção do bem-estar do indivíduo e até uma melhora da autoestima e relações sociais.

Uma boa higienização e visitas periódicas ao dentista podem evitar gengivites e periodontites, que causam grande desconforto. Esse desconforto pode atrapalhar atividades como a fala e a concentração, impactando na qualidade de vida. 

Uma boca mal higienizada ou alguma alteração estética pode causar uma má impressão externa. Dores e desconfortos na região bucal podem prejudicar a fala e a comunicação com as outras pessoas.

A perda dos dentes, por exemplo, pode ter sérias consequências para a autoestima das pessoas, em qualquer idade. Ao sorrir, o indivíduo pode ficar desconfortável, talvez ouvir piadas dos amigos, e a sua auto estima fica bem abalada. 

Outra alteração causada pela falta de cuidado com a saúde bucal pode ser o mau hálito. Ela é uma condição que aparece devido à uma higienização precária da boca ou por doenças nesta região.

Mesmo no período dos dentes de leite, é importante que a família se atente para a saúde bucal da criança. Uma higienização frequente impede a proliferação da bactéria causadora da cárie. 

A cárie pode causar problemas mais sérios depois do nascimento dos dentes permanentes da criança. É importante falar também que, em alguns casos, a correção ortodôntica dos dentes pode ser feita mais rápido e fácil na infância.

O cuidado com a saúde da boca é importante na terceira idade. Isso porque, nessa fase, é comum o enfraquecimento natural de diversas partes do corpo, o que inclui também os dentes. A partir da devida atenção com a saúde bucal, é possível aumentar muito a qualidade de vida do idoso.

Dessa maneira, não cuidar da saúde bucal pode trazer consequências graves para a autoestima do idoso. Quem tem doenças, como diabetes, precisa de cuidados mais intensos, principalmente na prevenção de gengivites e periodontites. 

O adulto deve ir regularmente ao dentista e manter a higiene bucal em casa. Cuidar da sua boca influencia no modo como você se enxerga, por isso, ao cuidar dela, é possível elevar a sua autoestima. Uma boa pedida, pode ser ter um plano dentário, que aí essa ida ao dentista fica mais fácil!

Lembre-se de ir periodicamente ao dentista e manter a sua saúde bucal em dia! Maria Gabriela Ortiz

Denteze-se: Rir até cair os dentes, 69 com moral da história., 10 sinais de que seu corpo está com falta de vitamina D + Bônus, Abacaxi (Ananas comosus), Vem, quebra meus dentes., População excedente, reprodução social, e o problema da formação de classe, DENTE DE LEÃO, Joaquim

Organizando a casa

As personal organizers, Lígia Hironaka e Leticia Schiavon pensam que organizar a casa é um processo sequencial que funciona basicamente em criar uma rotina e definir os espaços dos objetos dentro da casa. Os que ainda possuem uso são organizados de forma harmoniosa, e os que não são mais utilizados são descartados. tua casa

Cada cantinho da casa pode ser aproveitado e se transformar em um espaço funcional, respeitar os locais definidos por você e manter tudo onde deveria estar, depois de usar, guarde as coisas no lugar.

Organização está ligada à qualidade de vida, deve ser uma constante, permitindo o descarte do que está estragado e a doação do que está em bom estado, mas não é mais usado”, afirma a personal organizer Helen Feijó. Gazeta do Povo

Quarto: roupas íntimas velhas e roupas rasgadas e com manchas, assim como enxoval de cama, podem virar belos panos de limpeza, . Desfaça-se também daquele par de sapatos com a sola furada, rasgado, sem salto ou muito usado. Bijuterias velhas ou sem par também devem ir para o lixo.

Doe peças repetidas de roupas e aquelas que você não usa há mais de um ano. “Se nesse tempo você não se lembrou dela, é porque não fez falta”, garante Helen, que também aplica o pensamento às peças que precisam de ajuste e nunca ganharam. O mesmo vale para calçados: ele pode ser lindo e estar novo, mas, se não foi usado em um ano, é porque não tem espaço na sua vida.

Bijuterias em bom estado, mas que você não usa, podem fazer a alegria de amigas ou até mesmo de pessoas em instituições de caridade, assim como perfumes que você não quer mais. Malas de viagem de sobra também podem ser passadas adiante.

Home-office: canetas que não funcionam bem, tampinhas de caneta, plugues antigos, cabos e pedaços de cabos inutilizados. Pilhas, celulares e outros aparelhos estragados ou que você não usa mais devem ser descartados em pontos de coleta especializados, geralmente presentes em supermercados. Livre-se também de propagandas e panfletos, assim como cartões de visita que não serão mais úteis (os telefones úteis podem ser transcritos em uma agenda ou colocados nos contatos do celular).

Doe: celular ou computador em bom estado. Guarde apenas livros, revistas, CDs e DVDs pelos quais tem carinho, doando o resto. Cadernos e agendas em branco há muito tempo poderão ser úteis para outras pessoas.

Banheiro: medicamentos vencidos devem ser descartados em farmácias ou postos de saúde. Cosméticos fora da validade também devem ser jogados fora. Transforme toalhas de banho muito velhas em pano de chão.

Doe: cosméticos como cremes e óleos que você não quer mais e que estejam dentro do prazo de validade, toalhas em excesso que estejam em bom estado.

Cozinha: panelas velhas ou que estão perdendo revestimento. Potes velhos, manchados ou sem tampa. Pratos lascados, rachados ou quebrados também.”

Doe: toalhas e jogos americanos em bom estado e que você não use mais. Pense sobre quantos potes você precisa e doe o restante. Utensílios duplicados também devem ser passados adiante.

Área de serviço: vassouras velhas, cabos de vassoura sem uso, baldes furados, rodos que não funcionam mais e pás de lixo quebradas. Panos muito usados também devem ser descartados, assim como grampos de roupa estragados e fios de varal sem uso.

Doe: se tiver muitas vassouras e baldes em bom estado, doe alguns para liberar espaço.

Sala: almofadas e cobertas com manchas que não saem podem ser descartadas ou doadas a instituições que resgatam animais de rua. Se o sofá já está muito velho, troque a capa ou descarte-o.”

Doe: peças de decoração que já não combinam mais com seu estilo ou com a casa (uma mesinha lateral, uma almofada ou uma prateleira).

Organize-se: PLANTE SUA COMIDA ORGÂNICA na cidade!, spa day by home, Tesla surf, Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), Chase Neyland-Square, Ecovila para idosos