Aposentadoria da Água

onu-agua

maparecursohidrico2011

crisehidricafgts

“Nós [da construção civil] somos responsáveis pela metade dos materiais consumidos na sociedade”, afirma o professor Agopyan. Agência Universitária de Notícias

Conheça o consumo de água em algumas atividades:

Para se produzir 1 litro de cerveja utiliza-se de 5 a 25 litros de água.
Para se produzir 1 kg de cimento utiliza-se 35 litros de água.
Para se produzir 1 kg de aço utiliza-se de 300 a 600 litros de água.
Para se produzir 1 litro de álcool utiliza-se 2.700 litros de água.
Para se produzir 1 litro de leite utiliza-se de 2,5 a 5 litros de água.
Para se produzir 1 kg de estreptomicina utiliza-se 4 milhões litros de água.
Para abater 1 cabeça de gado utiliza-se 500 litros de água.
Para se fabricar 1 carro utiliza-se 35.000 litros de água.
Para se produzir 1 kg de forragem utiliza-se 1.100 litros de água.
Para se produzir 1 kg de arroz utiliza-se 4.500 litros de água.
Para se produzir 1 kg de algodão utiliza-se 10.000 litros de água.
Para lavar 1 metro de sarjeta utiliza-se 25 litros de água.
Para limpar 1 m² de um mercado utiliza-se 5 litros de água.
Para suprir o consumo de 1 criança na escola utiliza-se 100 litros de água/dia.
Para suprir o consumo de 1 paciente num hospital utiliza-se 450 litros de água/dia.
Na limpeza das mãos utiliza-se 5 litros de água.
Tomar uma ducha utiliza-se de 20 a 50 litros de água.
Na lavagem, manual, de pratos utiliza-se 20 litros de água.
Na lavagem, automatizada, de pratos utiliza-se 80 litros.
Na lavagem, automatizada, de roupas utiliza-se de 50 a 120 litros de água.
Para lavar 1 carro utiliza-se 90 litros de água.
(Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Paranaíba – AMVAP)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Veja também: Por que falta água?, Águas de março, Caso Sério, Parabéns Nestlé, De onde você vem?, Catastrofe natural?, O mar de Aral virou areia., Ho’oponopono, Clima louco?, Symphony Of Destruction, Homem e o diabo, Robin Hulk, Exame com uma gota de sangue, Empoderamento dos recursos, RECICLE MAIS, PAGUE MENOS, Quem matou o carro elétrico?, Hora do Planeta, O que, de quem?, A história das coisas, Simulador Solar, Qual o volume ocupado por 1 trilhão de reais?, Manguetown, O Amaranto Inca Kiwicha invade plantações de soja transgênica da Monsanto nos Estados Unidos, A Revolta dos Macacos, Controle Social, Bicarbonato de Sódio e a Máquina de Lavar

Qual o volume ocupado por 1 trilhão de reais?

Arrecadação de impostos, dívida pública, pacotes de estímulos, copa do mundo, desvio de verbas, enfim, nos jornais e revistas é muito comum aparecer valores da ordem dos bilhões ou mesmo trilhões de reais!

Mas o que será que isto significa? (visualmente falando)

O tamanho
Vamos começar com uma nota de R$100 reais (de 7cm de altura e 15,6cm de comprimento). Que pode ser guardada em qualquer carteira ou até mesmo dentro de um livro.

Um pacote contendo 100 (cem) notas de R$100 reais possui cerca de 1cm de espessura e contém R$ 10.000 reais. Cabe no seu bolso com facilidade e, de acordo com o DIEESE, este valor seria suficiente para sustentar cerca de 4 famílias (cada uma composta por 2 adultos e 2 crianças) durante 1 mês.

Você poderia colocar R$ 1 milhão de reais (ou 100 pacotes de R$ 10.000) em um saco de supermercado e passear com ele.

R$ 100,8 milhões ocupa um palete (bloco ou pallet – em inglês) de 1 metro de largura por 1 metro de comprimento e uma altura de aproximadamente de 96 centímetros.

10 Bilhões de reais (R$10.000.000.000) poderia formar uma pista de corrida e seria possível percorrer 100 metros sobre uma pilha de dinheiro de 1 metro largura e quase 96 centímetros de profundidade.

– E aí? Está curioso para ver o que seria 1 trilhão de reais!

Lembrando que 1 trilhão (R$1.000.000.000.000) é um milhão de milhões, ou mil bilhões, ou ainda 1 (um) seguido de 12 zeros.

Se fosse colocado um palete em cima do outro, daria uma altura de 9600 metros, o que seria maior do que o monte Everest ou 22 vezes o edifício Empire States.

Everest1trilhao

E lembre-se … essas são notas de R$100 reais! Se fossem notas de R$50, multiplique tudo por 2.

Então, da próxima vez que você ouvir esses números… tenha estas imagens em mente.

Curiosidade
Em 2012, o governo arrecadou em impostos cerca de 2 vezes este montante! Ou seja, aproximadamente 1,7 trilhões de reais!

Para mais informações sobre os cálculos realizados, confira o site original (em inglês), basta clicar aqui.

Veja também: Robin Hulk, Impostômetro, Fair Play, Ficha Limpa!!!, Orçamento doméstico, Michael Moore, Cidadão, Miniusina de energia, Empoderamento dos recursos, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Palets, Comida

Fair Play

Fair Play significa jogo justo, jogar limpo e ter espírito esportivo. O conceito de fair play está vinculado à ética no meio esportivo, onde os praticantes devem procurar jogar de maneira que não prejudiquem o adversário de forma proposital, sob pena de serem desclassificados, empregada em outros segmentos da sociedade significa trabalhar ou apresentar conduta de acordo com padrões éticos, sociais e morais.
copagasto
A influência do marketing e da mídia pressionando os atletas por melhores resultados, a pensar na vitória a qualquer preço, muitas vezes utilizando meios ilícitos, como o doping, a manipulação genética, processos de naturalização, distorcendo os princípios do jogo limpo. Significados

Veja também: Empoderamento dos recursos, O mar de Aral virou areia., Shark alive, Os sentidos da política – problemas e perspectivas, O Coxinha – uma análise sociológica, Na trave!, O de Otário, Vinte centavos, Robin Hulk, 35 verdades ditas sobre o Brasil, pelos olhos de um Turista, Quem paga o Carnaval!, Impostômetro, O povo da caixa

Juan dos Mortos

O diretor Alejandro Brugués se perguntou o que aconteceria se uma epidemia zumbi afetasse a socialista Cuba.

O protagonista, Juan (Alexis Díaz de Villegas), é o malandro cubano. Ele não trabalha, prefere rum a alimentos, é divorciado, tem uma relação conturbada com a filha e gosta de se divertir com a mulher do vizinho. Quando é convidado pelo amigo Lazaro (Jorge Molina) a fugir para Miami, ele responde com sinceridade: “Mas lá eu ia ter que trabalhar”.

Uma epidemia misteriosa transforma os cidadãos em mortos-vivos. Pela televisão, a imprensa logo anuncia que a epidemia é obra de dissidentes cubanos financiados pelo governo norte-americano. Mariane Zendron – Do UOL, em São Paulo
poster_juan

Veja também: A indústria farmacêutica está fora de controle?, De quem é o poder?, Candidato Caô Caô, Incêndio, apenas 4° andar é salvo., Inside Job, Somos todos doadores, O Coxinha – uma análise sociológica, Casas de Mediação, Justiça em trânsito, Empoderamento dos recursos, Hortas e temperos, Legalize Já

Vinte centavos

Pra quem não entendeu ainda: os vinte centavos, um por um:

00,01 – a corrupção
00,02 – a impunidade
00,03 – a violência urbana
00,04 – a ameaça da volta da inflação
00,05 – a quantidade de impostos que pagamos sem ter nada em troca
00,06 – o baixo salário dos professores e médicos do estado
00,07 – o alto salário dos políticos
00,08 – a falta de uma oposição ao governo
00,09 – a falta de vergonha na cara dos governantes
00,10 – as nossas escolas e a falta de educação
00,11 – os nossos hospitais e a falta de um sistema de saúde digno
00,12 – as nossas estradas e a ineficiência do transporte público
00,13 – a prática da troca de votos por cargos públicos nos centros de poder que causa distorções
00,14 – a troca de votos da população menos esclarecida por pequenas melhorias públicas (pagas com dinheiro público) que coloca sempre os mesmos nomes no poder
00,15 – políticos condenados pela justiça ainda na ativa
00,16 – os mensaleiros terem sido julgados, condenados e ainda estarem livres
00,17 – partidos que parecem quadrilhas
00,18 – o preço dos estádios para a copa do mundo, o superfaturamento e a má qualidade das obras públicas
00,19 – a mídia tendenciosa e vendida
00,20 – a percepção que não somos representados pelos nossos governantes

Se precisarem tenho outros vinte centavos aqui, é só pedir.

Veja também: Comida de gente, Individualidade fugaz, Mosquitos vinho na foto, Ai meu Deus!, Não Foi Acidente, Casas de Mediação, Inside Job, Pra quem não entendeu ainda os vinte centavos, Jô Soares explica um por um

Brasil de bandidos

O juiz Ronaldo Tovani, 31 anos, substituto da comarca de Varginha, ex-promotor de justiça, concedeu liberdade provisória a um sujeito preso em flagrante por ter furtado duas galinhas e ter perguntado ao delegado: ‘desde quando furto é crime neste Brasil de bandidos?’ O magistrado lavrou então sua sentença em versos:

*No dia cinco de outubro*
*Do ano ainda fluente*
*Em Carmo da Cachoeira*
*Terra de boa gente*
*Ocorreu um fato inédito*
*Que me deixou descontente.*

*O jovem Alceu da Costa*
*Conhecido por ‘Rolinha’*
*Aproveitando a madrugada*
*Resolveu sair da linha*
*Subtraindo de outrem*
*Duas saborosas galinhas.*

*Apanhando um saco plástico*
*Que ali mesmo encontrou*
*O agente muito esperto*
*Escondeu o que furtou*
*Deixando o local do crime*
*Da maneira como entrou.*

*O senhor Gabriel Osório*
*Homem de muito tato*
*Notando que havia sido*
*A vítima do grave ato*
*Procurou a autoridade*
*Para relatar-lhe o fato.*

*Ante a notícia do crime*
*A polícia diligente*
*Tomou as dores de Osório*
*E formou seu contingente*
*Um cabo e dois soldados*
*E quem sabe até um tenente.*

*Assim é que o aparato*
*Da Polícia Militar*
*Atendendo a ordem expressa*
*Do Delegado titular*
*Não pensou em outra coisa*
*Senão em capturar.*

*E depois de algum trabalho*
*O larápio foi encontrado*
*Num bar foi capturado*
*Não esboçou reação*
*Sendo conduzido então*
*À frente do Delegado.*
*Perguntado pelo furto*
*Que havia cometido*
*Respondeu Alceu da Costa*
*Bastante extrovertido*
*Desde quando furto é crime*
*Neste Brasil de bandidos?*

*Ante tão forte argumento*
*Calou-se o delegado*
*Mas por dever do seu cargo*
*O flagrante foi lavrado*
*Recolhendo à cadeia*
*Aquele pobre coitado.**
*
*E hoje passado um mês*
*De ocorrida a prisão*
*Chega-me às mãos o inquérito*
*Que me parte o coração*
*Solto ou deixo preso*
*Esse mísero ladrão?*

*Soltá-lo é decisão*
*Que a nossa lei refuta*
*Pois todos sabem que a lei*
*É prá pobre, preto e puta…*
*Por isso peço a Deus*
*Que norteie minha conduta.*

*É muito justa a lição*
*Do pai destas Alterosas.*
*Não deve ficar na prisão*
*Quem furtou duas penosas,*
*Se lá também não estão presos*
*Pessoas bem mais charmosas.*

*Afinal não é tão grave*
*Aquilo que Alceu fez*
*Pois nunca foi do governo*
*Nem seqüestrou o Martinez*
*E muito menos do gás*
*Participou alguma vez.*

*Desta forma é que concedo*
*A esse homem da simplória*
*Com base no CPP*
*Liberdade provisória*
*Para que volte para casa*
*E passe a viver na glória.*

*Se virar homem honesto*
*E sair dessa sua trilha*
*Permaneça em Cachoeira*
*Ao lado de sua família*
*Devendo, se ao contrário,*
*Mudar-se para Brasília.*

Um juiz arretado!

Veja também: Brasileiro Reclama De Quê?, Justiça em trânsito, Estrito cumprimento do dever, Saramago, Quem é o povo?, De Quem é a Culpa?, Água mata?, O de Otário, O Combate a Corrupção nas Prefeituras do Brasil, PÁTRIA MADRASTA VIL, Orçamento doméstico