Fusca versão Porsche

Como uns dos carros os mais legendários de todos os tempos, o Volkswagen Fusca não necessita nenhuma introdução. Mais de 21 milhões de fuscas foram construídos nos últimos 65 anos e, embora a sua forma seja imediatamente reconhecível, está longe de ser o carro mais elegante alguma vez construído. Auto Car Style

O Fusca passou longe de ser esportivo, mas sabemos da relação que o modelo tem com os primeiros Porsche, principalmente quando se trata do motor boxer. Renan Bandeira – mobiauto

Ícone da indústria, modelo às vezes sofre nas mãos de entusiastas, digamos, empolgados demais, e recebe as mais impresíveis modificações

Na década de 1950, a empresa alemã Okrasa já realizava preparações nos Volkswagen. Mas mostrou que ainda não era o bastante quando lançou, em 1973, um Fusca com visual inspirado no Porsche 935, que era movido pelo motor boxer seis-cilindros de 255 cv.

Seus olhos, pode quase confundir com um velho Porsche 356 Speedster. O fundador de Memminger, Georg Memmingming, começou a restaurar os Clássicos Beetles, que são hoje o principal negócio da empresa, já em 1992. No entanto, acolher o Memminger Roadster 2.7 como um autêntico fusca pode ser um desafio.

O Fusca esportivo é obra dos alemães da Memminger Feine-Cabrios, empresa de restauração e customização de conversíveis e limusines. O Volkswagen surgir sob a forma de um rodster, com direito a motor 2.7 boxer de quatro cilindros e 210 cv. Gazeta do Povo

|

O modelo usado para a transformação foi um exemplar de 1992. O teto foi retirado e o carro ficou só com dois lugares, ao melhor estilo roadster. Também ganhou freios a disco de um Porsche 911, suspensão reforçada e rodas de liga aro 18.

O propulsor foi instalado em posição central para melhorar a distribuição do peso, afinal o Fusca teve o peso reduzido para 800 kg e ficou arisco demais com a nova motorização. O câmbio é manual de cinco marchas também emprestado da Porsche, o restaurador alemão transforma modelo original e instala motor 2.7 do Porsche 914, com 210 cavalos de potência

O Fusca roadster será exclusivíssimo, com apenas 20 unidades produzidas e colocadas à venda na Alemanha.

Além de mais largo e baixo, o pequeno conversível recebeu faróis com lâmpadas de xenônio, dupla saída de escapamento na traseira e rodas de aro 18 montadas com pneus largos. iG São Paulo

O visual é um tanto diferente dos demais Fusca. Ele tem a bitola mais larga, é mais baixo, e teve os bancos traseiros removidos, substituídos por santantônios para os passageiros da frente. Os pneus são bem mais largos do que os do modelo “civil” – 225/45 na frente e 255/40 atrás. G1

Fusca conversível da Memminger — Foto: Divulgação

Por dentro, os bancos com apoios laterais mais largos, volante de três raios e cluster com cinco instrumentos: velocímetro, contagiros, relógio e marcadores da pressão e do nível de óleo do motor.

Fuzca-se: Itaipu E-400: o primeiro carro elétrico brasileiro, Antártica 1, Bumblebee era um Fusca???, Volkswagen transforma Fusca em elétrico, Rolê De Natal Volks Club Mooca, Volkswagen SP2 Clássico, Van movida a energia solar ou com banheiro?!?, Wellcome Boxerville (Adulto)

Forte chuva causa estragos inimagináveis na Alemanha e Bélgica

Forte chuva causa estragos inimagináveis na Alemanha e BélgicaVisão Libertária

Somente na Alemanha já foram confirmadas 106 mortes e 1,3 mil pessoas estão desaparecidas, milhares de casas cederam, carros e árvores foram levados – além das crateras enormes que estão surgindo. Há até uma imagem assombrosa que está estampada em qualquer notícia sobre o incidente que mostra uma cratera formada em Erftstadt que, se comparada a cidade ao lado, pode ser facilmente maior do que 4 quadras. Ainda, na Alemanha, 114 mil casas estão sem energia e, em decorrência dos danos causados pela chuva, o abastecimento de água potável está comprometido. Se você acha que a situação não tem como ficar pior, está errado. A rede de telefonia está desativada na Alemanha.

Imagem de referência a

As enchentes causadas por fortes chuvas que atingem a região oeste da Alemanha e a Bélgica deixaram dezenas de mortos e centenas de pessoas ainda não foram localizadas, disseram autoridades alemãs na noite desta quinta-feira (15). Também há registros de inundações na Holanda e em Luxemburgo. Notícias BH

Após um dia de intensos trabalhos de resgate e de operações para evacuar as cidades que começaram na noite anterior, as autoridades alemãs confirmaram a morte de 58 pessoas em dois estados e disseram que não puderam localizar 1.300 moradores da cidade de Bad Neuenahr-Ahrweiler, no estado da Renânia-Palatinado.

A administração regional de Bad Neuenahr-Ahrweiler afirmou que a rede de telefonia não está funcionando na região, e por isso as autoridades esperam que as pessoas que ainda não puderam ser contatadas estejam simplesmente passando por dificuldades de comunicação. Cerca de 3.500 pessoas da região estão em acomodações de emergência e mais de mil trabalhadores, entre bombeiros, policiais e outras forças, estão atuando no serviço de emergência.

Helicópteros de vários estados alemães estão ajudando no resgate de pessoas que estão presas no topo de casas e edifícios. As forças armadas da Alemanha enviaram soldados para as regiões afetadas, que estão usando veículos pesados, barcos e ambulâncias nas operações de emergência.

As chuvas em volumes recordes na região fizeram vários rios transbordar, inundando ruas e casas de várias cidades, arrastando carros e deixando pessoas presas em telhados.

Ze-se: Mapa de Áreas de risco: informação para prevenção, O Jardim do Éden e os Anunnaki, Nothing is happening, ILHAS PARA VISITAR ANTES QUE ELAS SUMAM DO MAPA, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Aldeia360, Fridays for Future global climate strike — live updates

MatemáTIC Libras

“Surdo desde os 5 anos de idade e apaixonado por matemática, o paranaense Carlos Eduardo de Carvalho sempre se dedicou aos estudos e se destacava entre os colegas. No entanto, sentia dificuldade em alguns momentos devido à falta de material baseado na Língua Brasileira de Sinais (Libras) que ajudasse os intérpretes a transmitir o conteúdo corretamente.” Gazeta do Povo

O app foi criado por estudantes do Paraná e ficou entre os finalistas do concurso Maratona Unicef Samsung deste ano

A professora Viviane Fuly, que já havia atendido alunos com deficiência auditiva no Instituto Federal do Paraná (IFPR) e percebeu a necessidade de reunir formas gestuais relacionadas à matemática para melhorar a explicação de cada conceito. “Não seria a criação de sinais novos, mas a organização de um sinalário acessível que os intérpretes usariam como fonte de pesquisa”, afirma a educadora. Raquel Derevecki – Sempre Familia

A ferramenta estimula o usuário a responder questões de matemática e mostra curiosidades sobre pessoas com deficiência auditiva que são referências no Brasil. Carlos também gravou vídeos para mostrar as sinalizações abordadas nos exercícios. Isabela AlvesOBSERVATÓRIO 3º SETOR

314 projetos foram inscritos na premiação e o MatemáTIC foi um dos 20 selecionados. A Samsung afirmou que o app já está sendo desenvolvido e passará por ajustes.

“Então, para conseguir a verba e a mão de obra necessária, a professora inscreveu o projeto na Maratona Unicef Samsung, concurso promovido pela Samsung em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância desde 2018 que incentiva a produção de novas tecnologias educacionais. “Eu já havia participado do evento no ano anterior com um resultado bem interessante, então não medi esforços para participar novamente”, conta a educadora, que tinha expectativas ainda maiores em relação à inscrição desta vez.”

““Nosso aplicativo de matemática e Libras não era só voltado à inclusão dos alunos surdos, mas tratava-se de um projeto no qual o surdo estava no papel de protagonista, e isso faria grande diferença”. E realmente fez. Assim que a banca avaliadora analisou os 314 projetos inscritos, o app MatemáTIC foi selecionado para ser um dos 19 aplicativos desenvolvidos pelos técnicos da Samsung e o preparo do software começou.”

Isabel Costa, gerente na Samsung Brasil, o trabalho ainda deve passar por alguns ajustes finais antes de ser disponibilizado para download gratuito com os demais selecionados, em agosto. No entanto, já chamou a atenção da equipe responsável pela maratona e promete facilitar bastante o aprendizado de estudantes surdos espalhados pelo país.”

Libreze-se: LIBRAS no almoço, VLibras, Falando sobre YouTube – Libras, A língua falada por 27 vezes mais gente do que o país que a inventou, Sign-IO e Roy Allela, ALFALUVA e a Unipampa, 1°Mutirão Digital de Educação Financeira e Renegociação de Dívidas, GeoSampa

JACINDA ARDERN

Prime Minister Jacinda Ardern said today was a “sad and sobering reminder” of what we are dealing with, given the four new Covid-19 related deaths. Jason Walls

Our death toll now stands at nine.”It is our deadliest day to date.”At a wide-ranging post-Cabinet press conference this afternoon with Finance Minister Grant Robertson, the PM spoke about “considerable restrictions” still in place when New Zealand comes out of lockdown, a $130m support package for tertiary students, and the potential impacts of Covid-19 on the economy. New Zealand Herald. Go here to see all our Covid-19 dataJake McKee Cagney

“Jacindamania” – a term coined shortly after she became head of the New Zealand Labour party in 2017 – has reached new heights, with New Zealand’s prime minister winning worldwide praise for her handling of the national tragedy. Solange MOUGIN – FRANCE 24

Vestida de preto e de lenço na cabeça, Jacinda Ardern encontra no sábado (16/03) membros da comunidade muçulmana após ataques terroristas a duas mesquitas na cidade de Christchurch

A day after the attack, when Ardern visited a Christchurch refugee centre to meet community leaders, she earned the respect of the Muslim world when she arrived in a hijab, carrying off the headscarf with natural poise, placed her hand on her heart, a traditional Muslim gesture, and said a simple, “Asalaam alaykum,” (peace be with you) as the grieving crowd murmured, “Wa alaykum asalaam,” (And peace be to you too).

Às vezes, a política pode ser algo simples, feita com sensibilidade e sensatez: ignore o autor dos ataques, nomeie as vítimas, dê voz ao sofrimento delas. E prometa a elas fazer todo o possível para que algo assim jamais se repita – dificultando o acesso a armas semiautomáticas. Pois, em quase todo o mundo, sabe-se que menos armas significa mais segurança (e onde essa máxima não é conhecida, há mais coisas dando errado). Deutsche Welle

“Onde há perigo, lá também cresce o que salva”, diz uma frase do poeta alemão Friedrich Hölderlin, com a qual se pode descrever sucinta e resumidamente os últimos acontecimentos na Nova Zelândia.

Jacinda Ardern

O governo previu que o desemprego aumentaria em razão da desaceleração global e doméstica. “É aqui que podemos agir e é por isso que estamos fazendo isso”, afirmou Ardern em entrevista coletiva, anunciando a decisão. “Reconhecemos que os trabalhadores neozelandeses que dependem de salários sofreram cortes salariais e perderam seus empregos como resultado da pandemia global”. Estadão Conteúdo – Gazeta do Povo

A primeira-ministra da Nova ZelândiaJacinda Ardern, afirmou nesta segunda-feira (27), que o país não registrou mais casos de contágios locais de coronavírus, uma etapa fundamental para começar a afrouxar o isolamento. “Vencemos esta batalha”, celebrou, após cinco semanas de restrições. Pragmatismo Político


Jacindaze-seUniverCine, as mulheres no audiovisualEncontro Estadual de Mulheres IndígenasMulheres russas falam portuguêsMulheres ou Bruxas?Lá Vem o Brasil Descendo a Ladeira

Contagion

“O cinema ainda estava em sua infância quando, em 1902, Georges Méliès lançou Viagem à Lua, usando o romance Da Terra à Lua, de Júlio Verne, como inspiração. Demoraria mais de meio século até que, em 1969, o homem de fato chegasse à lua a bordo da Apollo 11, no caso de um filme como Contágio, dirigido por Steven Soderbergh, não era uma questão de possibilidade, uma simples questão de tempo. Bem pouco tempo.” Gazeta do Povo

O escritor Scott Z. Burns, roteirista do filme, pesquisou diversas patologias ao longo de três anos, contando com a consultoria do Dr. Ian Lipkin, então professor de epidemiologia na Universidade de Columbia, na Escola Mailman de Saúde Pública. Assim nasceu o ficcional MEV-1, vírus altamente contagioso e mortal.

Contágio segue o rápido progresso de um vírus letal, transmissível pelo ar, que mata em poucos dias. Como a epidemia se espalha rapidamente, a comunidade médica mundial inicia uma corrida para encontrar a cura e controlar o pânico que se espalha mais rápido do que o próprio vírus. Ao mesmo tempo, pessoas comuns lutam para sobreviver em uma sociedade que está desmoronando. Medium

25 Things You Missed In Contagion

The Steven Soderbergh directed “Contagion” has been trending lately due to how the film deals with the possibility of a global health crisis. While some aspects of the film are right on the nose, it definitely exaggerates some aspects to make the movie more dramatic.

“Their goal was to try and really show people as accurate a picture that could be conjured, in hopes that it would motivate political leaders to get mobilized,” says Laurie Garrett, one of those health experts consulted by the filmmakers. New York Post

Garrett is a former senior fellow for global health at the Council on Foreign Relations who has been tracking outbreaks for decades. She published the bestselling book “The Coming Plague: Newly Emerging Diseases in a World Out of Balance” in 1994.

“We’ve generally seen a lot [of diseases] arising out of Asia because of the tremendous disruption in that part of the world,” Garrett says. “Bats and birds are deeply stressed because of deforestation and climate change.”

“I’ve been in more than 30 epidemics, and the same things happen over and over again,” Garrett says, argues that we had become complacent to the threat of a pandemic in part because modern history’s second-deadliest plague — HIV, which has killed 32 million — wasn’t treated as “a warning shot across the bow.” Instead, it was dismissed by many as a niche problem that only affected homosexuals.

Contagie-se: Macaé: cura tudo!?!Arango, cura câncer?!?As 11 ideias de negócio mais procuradas pelos brasileirosNanochip cura feridas e recupera órgãos usando células da pele“A minha especialidade é matar, não é curar ninguém”Prevenção curaPropriedades curativas do limão“Se for, vá na paz”

 

 

 

 

Organizando a casa

As personal organizers, Lígia Hironaka e Leticia Schiavon pensam que organizar a casa é um processo sequencial que funciona basicamente em criar uma rotina e definir os espaços dos objetos dentro da casa. Os que ainda possuem uso são organizados de forma harmoniosa, e os que não são mais utilizados são descartados. tua casa

Cada cantinho da casa pode ser aproveitado e se transformar em um espaço funcional, respeitar os locais definidos por você e manter tudo onde deveria estar, depois de usar, guarde as coisas no lugar.

Organização está ligada à qualidade de vida, deve ser uma constante, permitindo o descarte do que está estragado e a doação do que está em bom estado, mas não é mais usado”, afirma a personal organizer Helen Feijó. Gazeta do Povo

Quarto: roupas íntimas velhas e roupas rasgadas e com manchas, assim como enxoval de cama, podem virar belos panos de limpeza, . Desfaça-se também daquele par de sapatos com a sola furada, rasgado, sem salto ou muito usado. Bijuterias velhas ou sem par também devem ir para o lixo.

Doe peças repetidas de roupas e aquelas que você não usa há mais de um ano. “Se nesse tempo você não se lembrou dela, é porque não fez falta”, garante Helen, que também aplica o pensamento às peças que precisam de ajuste e nunca ganharam. O mesmo vale para calçados: ele pode ser lindo e estar novo, mas, se não foi usado em um ano, é porque não tem espaço na sua vida.

Bijuterias em bom estado, mas que você não usa, podem fazer a alegria de amigas ou até mesmo de pessoas em instituições de caridade, assim como perfumes que você não quer mais. Malas de viagem de sobra também podem ser passadas adiante.

Home-office: canetas que não funcionam bem, tampinhas de caneta, plugues antigos, cabos e pedaços de cabos inutilizados. Pilhas, celulares e outros aparelhos estragados ou que você não usa mais devem ser descartados em pontos de coleta especializados, geralmente presentes em supermercados. Livre-se também de propagandas e panfletos, assim como cartões de visita que não serão mais úteis (os telefones úteis podem ser transcritos em uma agenda ou colocados nos contatos do celular).

Doe: celular ou computador em bom estado. Guarde apenas livros, revistas, CDs e DVDs pelos quais tem carinho, doando o resto. Cadernos e agendas em branco há muito tempo poderão ser úteis para outras pessoas.

Banheiro: medicamentos vencidos devem ser descartados em farmácias ou postos de saúde. Cosméticos fora da validade também devem ser jogados fora. Transforme toalhas de banho muito velhas em pano de chão.

Doe: cosméticos como cremes e óleos que você não quer mais e que estejam dentro do prazo de validade, toalhas em excesso que estejam em bom estado.

Cozinha: panelas velhas ou que estão perdendo revestimento. Potes velhos, manchados ou sem tampa. Pratos lascados, rachados ou quebrados também.”

Doe: toalhas e jogos americanos em bom estado e que você não use mais. Pense sobre quantos potes você precisa e doe o restante. Utensílios duplicados também devem ser passados adiante.

Área de serviço: vassouras velhas, cabos de vassoura sem uso, baldes furados, rodos que não funcionam mais e pás de lixo quebradas. Panos muito usados também devem ser descartados, assim como grampos de roupa estragados e fios de varal sem uso.

Doe: se tiver muitas vassouras e baldes em bom estado, doe alguns para liberar espaço.

Sala: almofadas e cobertas com manchas que não saem podem ser descartadas ou doadas a instituições que resgatam animais de rua. Se o sofá já está muito velho, troque a capa ou descarte-o.”

Doe: peças de decoração que já não combinam mais com seu estilo ou com a casa (uma mesinha lateral, uma almofada ou uma prateleira).

Organize-se: PLANTE SUA COMIDA ORGÂNICA na cidade!, spa day by home, Tesla surf, Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), Chase Neyland-Square, Ecovila para idosos