Mapa de Áreas de risco: informação para prevenção

Áreas de risco: informação para prevençãoIPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas

Este vídeo traz informações relevantes para identificação de riscos e prevenção de acidentes em áreas de riscos. Ele é parte do trabalho realizado pelo IPT para a Prefeitura de Mauá no âmbito do Plano Municipal de Redução de Riscos (PMRR).

 “A ideia é que o vídeo seja difundido para todos, podendo ser usado em aulas ou qualquer outra situação pertinente. Ele é um instrumento de educação para alunos, técnicos que trabalham na área e principalmente para os moradores”, afirma o pesquisador Fabrício Araújo Mirandola, do Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas, o Cetae, unidade técnica do IPT que coordenou a produção do vídeo, feito em aproximadamente cinco meses.

Nosso objetivo é ensinar a autoproteção ao cidadão, levando o conhecimento para que ele faça o básico: identifique a situação de risco, deixe o local e comunique à Defesa Civil”, afirma Eduardo Soares de Macedo, pesquisador do Cetae.

A plataforma interativa reúne informações sobre áreas com alto e muito alto risco a deslizamentos de terra, inundações, enxurradas e queda de rochas, em mais de 1.600 municípios brasileiros. Elaborado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o mapa on-line contém uma base repleta de dados, que pode ser utilizada por gestores nacionais, estaduais e municipais, como as defesas civis e centros de monitoramentos, além da comunidade acadêmica, empresas privadas e a sociedade. Pedro Henrique Santos

A partir do sistema de busca, é possível localizar informações sobre os municípios mapeados pelo Serviço Geológico do Brasil.

“Na própria plataforma ainda é possível extrair e fazer download de dados, além de adicionar shapefiles para cruzar informações desejadas”, destacou Sandra Silva, chefe da Divisão de Geologia Aplicada. Silva e Lana explicam que recentemente um cientista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) utilizou o mapa on-line para interligar áreas de risco com uma região climatológica.

Outra possibilidade de uso é a opção de filtrar de forma ágil apenas uma determinada informação em nível estadual ou nacional. Exemplo: delimitar apenas as áreas em todo país com muito alto risco, reduzindo assim o tempo que seria necessário para baixar os dados e fazer a consistência das informações. Ou até mesmo saber se em locais onde possuem rodovias ou linhas de transmissão de energia elétrica apresentam baixa, média ou alta probabilidade de fenômenos danosos.

Desde 2011, a CPRM já mapeou 1601 municípios em 26 estados brasileiros quanto à risco alto e muito alto, realizando inclusive 142 revisitas. Já no que se refere à suscetibilidade dos fenômenos danosos foram elaboradas 492 cartas em 22 unidades da federação. Todas as publicações são enviadas para utilização das prefeituras e estão disponíveis no site (www.cprm.gov.br). Com base nestes mapeamentos elaborados pelo Serviço Geológico do Brasil, estima-se que mais de 4 milhões de pessoas vivem em áreas de risco.

Mapaze-se: Mapa 3D do cérebro humano, Mapa do envenenamento de alimentos no Brasil, Mapa dos ecossistemas intactos da Terra, Mapa Guarani Digital – Lançamento, Mapa da indecência, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Google Maps sem conexão de internet

É Assim Que Me Querem

Ira! – E Assim Que Me Querem (MTV Ao Vivo) – Deckdisc

Tom: G – cifraclub

(riff)

E |-----------------------------------------
B |-----------------------------------------
G |------------2/4-------------2--2b--0-----
D |-------0h2-------------0h2------------2--
A |--0h2-------------0h2--------------------
E |-----------------------------------------


G C G C G C

G
Estou sonhando de olhos abertos
C
Estou fugindo da realidade
G
Todas as cervejas já bebi
C
Todos os baseados já fumei
Em                    Bm
O que há de errado no mundo
                        Em
Meus olhos já não podem ver
                  C
Eu estou do jeito certo
                         D
Pra qualquer compromisso assumir
Em
É assim que me querem
Bm
Sem que possa pensar
C
Sem que possa lutar
D
Por um ideal
Em
É assim que me querem
Bm
Ao ver na TV todo o sangue jorrar
C
E ainda aprovar
D             G
A pena capital
C          G C
A pena capital

G
Estou sonhando de olhos abertos
C
Estou fugindo da realidade
G
Todas as cervejas já bebi
C
Todos os baseados já fumei
Em                    Bm
O que há de errado no mundo
                        Em
Meus olhos já não podem ver
                  C
Eu estou do jeito certo
                          D
Pra qualquer compromisso assumir
Em
É assim que me querem
Bm
Sem que possa pensar
C
Sem que possa lutar
D
Por um ideal
Em
É assim que me querem
Bm
Ao ver na TV todo o sangue jorrar
C
E ainda aprovar
D          G
A pena capital
C          G C
A pena capital



C              Em
É assim que me querem
C              Em       C  D
É assim que me querem   ô, ô

Intro: G C G C G C
Solo


Em
E me vendem essa droga
F#m
E me proíbem essa droga
G                                          A
Para os desavisados poderem pensar que o governo combate
Em
Invadindo a favela
F#m
Empunhando fuzis
G                                    A
Juntando dinheiro corrupto para a platina no nariz

Em
É assim que me querem
Bm
Sem que possa pensar
C
Sem que possa lutar
D
Por um ideal
Em
É assim que me querem
Bm
Ao ver na TV todo o sangue jorrar
C
E ainda aprovar
D          G
A pena capital
C           G C
A pena capital

C              Em
É assim que me querem
C              Em       C  D
É assim que me querem   ô, ô

Intro: G C G C G C
Solo:

Em                     Bm C D
É assim que me querem
Em                     Bm C D    3X
É assim que me querem
Em                    Bm C D
É assim que me querem


Eu Sei.

Intro: G C G C G C
Solo

IRA! A Volta! Tour Núcleo Base

Observe mais: CIDADES DEMOCRÁTICASLUMINESCE™POLICIAL DA FLÓRIDA MOSTRA COMO SE TRATA RECLAMAÇÃO DE QUE GAROTOS ESTÃO JOGANDO BASQUETE NA RUAYES OU SISTEMA DE MELHORAMENTO DA JUVENTUDEA RAINHA DE MAIONAARA BEAUTY DRINK!!!VAMOS VIRAR JAPONÊSEMVVIDA SIMPLESVIA LÁCTEA PELO NAVEGADORINSTANTLY AGELESS ™MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINETHE JOLLY BOYSVIDACELL®AQUELA PAZ, CHEIRANDO COLARESERVE™BANDEIRANTES MODERNOSVIDA INTELIGENTE.LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Monólogo Ao Pé do Ouvido / Banditismo Por Uma Questão de Classe

1º vez no palco do Circo Voador – RJ – Março – 1994Acervo Chico Science

Monólogo Ao Pé do Ouvido / Banditismo Por Uma Questão de Classe – Chico Science & Nação Zumbi. Vagalume

Modernizar o passado é uma evolução musical
Cadê as notas que estavam aqui
Não preciso delas!
Basta deixar tudo soando bem aos ouvidos
O medo dá origem ao mal
O homem coletivo sente a necessidade de lutar
o orgulho, a arrogância, a glória
Enche a imaginação de domínio
São demônios, os que destroem o poder bravio da humanidade
Viva Zapata! Viva Sandino! Viva Zumbi!
Antônio Conselheiro!
Todos os panteras negras
Lampião, sua imagem e semelhança
Eu tenho certeza, eles também cantaram um dia.

Há um tempo atrás se falava de bandidos
Há um tempo atrás se falava em solução
Há um tempo atrás se falava e progresso
Há um tempo atrás que eu via televisão

Galeguinho do Coque não tinha medo, não tinha
Não tinha medo da perna cabiluda
Biu do olho verde fazia sexo, fazia
Fazia sexo com seu alicate

Galeguinho do Coque não tinha medo, não tinha
Não tinha medo da perna cabiluda
Biu do olho verde fazia sexo, fazia
Fazia sexo com seu alicate

Oi sobe morro, ladeira, córrego, beco, favela
A polícia atrás deles e eles no rabo dela
Acontece hoje e acontecia no sertão
Quando um bando de macaco perseguia Lampião
E o que ele falava outros hoje ainda falam
\”Eu carrego comigo: coragem, dinheiro e bala\”
Em cada morro uma história diferente
Que a polícia mata gente inocente

E quem era inocente hoje já virou bandido
Pra poder comer um pedaço de pão todo fudido

Galeguinho do Coque não tinha medo, não tinha
Não tinha medo da perna cabiluda
Biu do olho verde fazia sexo, fazia
Fazia sexo com seu alicate

Galeguinho do Coque não tinha medo, não tinha
Não tinha medo da perna cabiluda
Biu do olho verde fazia sexo, fazia
Fazia sexo com seu alicate

Oi sobe morro, ladeira, córrego, beco, favela
A polícia atrás deles e eles no rabo dela
Acontece hoje e acontecia no sertão
Quando um bando de macaco perseguia Lampião
E o que ele falava outros hoje ainda falam
\”Eu carrego comigo: coragem, dinheiro e bala\”
Em cada morro uma história diferente
Que a polícia mata gente inocente

E quem era inocente hoje já virou bandido
Pra poder comer um pedaço de pão todo fudido

Banditismo por pura maldade
Banditismo por necessidade
Banditismo por pura maldade
Banditismo por necessidade
Banditismo por uma questão de classe!
Banditismo por uma questão de classe!
Banditismo por uma questão de classe!
Banditismo por uma questão de classe!

Na sociedade brasileira parece haver uma permeabilidade entre ordem e desordem [..] na prática da violência por parte do Estado, representante em princípio exemplar da ordem, e por parte da bandidagem, a desordem por definição. […] A percepção dessa permeabilidade […] está continuamente presente na cultura brasileira. […] a ideia de que é legítimo ao cidadão que não participa das benesses do poder agir com violência, mesmo porque o Estado age com violência para manter essas benesses com quem estão, tem validade até hoje, e está expressa em várias canções populares dos anos 90. SOUZA, Paulo Henrique Vieira de. CAMINHOS PARA UMA ANÁLISE DE CHICO SCIENCE & NAÇÃO ZUMBI

Banditismo: era chamado o tipo de movimento feito pelos Cangaceiros. Eles roubavam pela miséria, pela fome, pelos ideais de repartir os “frutos”(roubos) com o restante de seu povo. Daí a ideia de “por necessidade”, “por pura maldade” e “por uma questão de classe (social)”. Karol Almeida – Decifrando História

Observe mais: CHICO MENDESCHICO XAVIERNAARA BEAUTY DRINK!!!CLARICE LISPECTOR DO SAMBA, CLARA NUNES.MANTRALUMINESCE™CAMARÃO QUE DORME A ONDA LEVADE TODOS OS LOUCOS DO MUNDOINSTANTLY AGELESS ™INEZITA BARROSOÍNDIO EDUCAVIDACELL®SAUDOSA MALOCAHO’OPONOPONOTHX 1138RESERVE™DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOLA CIDADE

3º opção

3º opção – Trilha Sonora Do Gueto

celular óctoc
na mão,
do zé polvim é uma arma poderosa nisso eu acredito sim
embocamo num assalto de pistola e matraca
e eu grudei logo o gerente
com a quadrada engatilhada
o meu parceiro com a matraca
dominava o salão
zé povim era mato
tudo deitado no chão
nóis achava que é o seguinte
que o baguio tava aguentado
mó engano sangue bom ,
tava memo era cercado
tinha rota
tava o goe a pm mais o gate
tava tipo aquela fita que cê viu na reportagem e eu grudado cum refém , comecei raciocinar
os motivos que fizeram eu no crime ingressar
residente do capão ,
ser humano pique jão
que não teve uma cultura
uma boa educação
morador de uma favela
que aprendeu morre por ela
nego ,né comédia não ,
sofredor que num dá guela
voltando para a real ,
eu me vi logo enquadrado
me lembrei ni um minuto
que eu tava ni um assalto
escutava gritaria
vamo pega ele já
vagabundo num tem vaga nesse mundo que deus dá
veja bem como é as coisa ninguém tinha coração
só eu e deus sabia da minha situação
eu peguei minha quadrada fui pa guerra com o sistema
só que pá é o seguinte sempre existe um dilema
a vida traiçoeira me pregou uma lição
eu só tinha 2 minutos pra vive 3 opção
se eu saisse pelo fundo eu morria assassinado
se eu vazasse pela frente pelos bico era linchado
e a 3º opção
era eu engatilhar a quadrada na cabeça
e eu mesmo me matar
só que deus tava presente
acredite eu
não me engano
em fração de 2 segundo
eu bolei aquele plano
“ai chara é o seguinte
eu só vo me entrega
quando aquele sem futuro
do datena me filma
to ligado que pu seis
eu nun valo um real
só que seis invadi
o refém vai passa mal
ele tá todo borrado ta mijado ta com medo
ta pagando até com juros
o racismo e o preconceito
derrepente” pá pá
caraio que tiroteio
fiquei com a cabeça a mil
me bateu um desespero
mais se eu sai daqui eu vo muda (2x)
parece que é hoje
quando eu da cena lembro
minha roupa cheia de sangue
eu algemado mo veneno
linchado pelos bico
com ajuda dos gambé
desacerto no crime
eu to ligado qual que é
um dia é da caça
outro do caçador
ditado que meu pai
já herdara do meu vô
quando eu era pivete
me lembro ele dizia
um homem sem moral
sempre entra numa fria
mas só que eu cresci
desandei virei ladrão
eu só tinha 18
quando eu fui pra detenção
ai choque a rua tá daquele jeito hó
mo par de mano armado nun
encherga um palmo na frente do nariz
pensa que é super ladrão
super heroi
só que ai jão
são paulo nun é hollywood
os cara ta iludido o diabo dá o pé
pra suaga até a alma
sorte que eu tenho os parceiros
lado a lado comigo
pra debater minhas loucuras
seis deve ta achando que isso é ibope
ibope é trabalha
eu encano era lok
os manos na ventana
gritava “vai morre
triagem na cadeia
se não tive proceder”
foi lá que eu conheci
a tal dá rua 10
também foi lá que eu li a história de moises
o tempo foi passando
eu fui me adaptando
e quando eu fui nota
já passara 7 ano
bem que o meu pai dizia
“filho o tempo é rei
tentei te dar o melhor me desculpe se eu falhei”
aquilo na minha mente batia tipo tyson
viver na detenção tem que ser homem de aço
o homem só é grande quando ele se ajoelha diante do senhor pra tomar puxão de orelha
naquela madrugada
não consigui dormi
fazendo um castelo
liberdade vem ni mim
o tempo foi passano
meu corpo foi cansano
o dia clariano
na seqüência eu fui deitano
mais se eu sai daqui eu vo muda
dá meu revolver enquanto cristo não vem
mais se eu sai daqui eu vo muda
mais de 15 caras lá fora diversos calibres
mais se eu sai daqui eu vo muda
quero sair do inferno e não volta mais
mais se eu sai daqui eu vo muda
vida loka o os bandido beneficente, maluco consciente
mais se eu sai daqui eu vo muda
este é um testemunho de um homem

Veja também: Oitavo Anjo, Brô Mc´s, No Capão Redondo, ninguém sonha em ser médico, Brasil de bandidos, Portal da Transparência, Respeito É Pra Quem Tem, Medo?, Touché Turtle, Eu sou Guarani Kaiowá, UM “DEVOGADO” E… DUS BÃO!‏, Carta da Terra, Biblioteca Web, Somos todos doadores, Carlos Marighella, V de Vingança, Aquela Paz, Cheirando Cola, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?

Rio 40 Graus

Rio 40 Graus – Fernanda Abreu

Rio 40 Graus..(2x)

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Capital do sangue quente
Do Brasil
Capital do sangue quente
Do melhor e do pior
Do Brasil…(2x)

Cidade sangue quente
Maravilha mutante…

O Rio é uma cidade
De cidades misturadas
O Rio é uma cidade
De cidades camufladas
Com governos misturados
Camuflados, paralelos
Sorrateiros
Ocultando comandos…

Comando de comando
Submundo oficial
Comando de comando
Submundo bandidaço
Comando de comando
Submundo classe média
Comando de comando
Submundo camelô
Comando de comando
Submáfia manicure
Comando de comando
Submáfia de boate
Comando de comando
Submundo de madame
Comando de comando
Submundo da TV
Submundo deputado
Submáfia aposentado
Submundo de papai
Submáfia da mamãe
Submundo da vovó
Submáfia criancinha
Submundo dos filhinhos…

Na cidade sangue quente
Na cidade maravilha mutante…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

Eh! Rio 40 graus…

Quem é dono desse bêco?
Quem é dono dessa rua?
De quem é esse edifício?
De quem é esse lugar?…(2x)

É meu esse lugar
É nosso Esse lugar
Eu quero meu crachá
Sou carioca,brasileira e Vascaína
Pô!…

“Canil veterinário
É assaltado liberando
Cachorrada doentia
Atropelando!
Na xinxa das esquinas
De macumba violenta
Escopeta de sainha plissada
Na xinxa das esquinas
De macumba gigantescas
Escopêta de shortinho algodão”…

Cachorrada doentia do Joá, eh!
Cachorrada doentia Madureira
É Cachorrada doentia de Ipanema
Cachorrada doentia da Rocinha
É Cachorrada doentia da Rocinha
É Cachorrada doentia do Leblon…

Na cidade sangue quente
Na cidade maravilha mutante…

Rio!…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

A novidade cultural
Da garotada
Favelada, suburbana
Classe média marginal
É informática metralha
Sub-uzi equipadinha
Com cartucho musical
De batucada digital…

Gatilho de disket
Marcação pagode, funk
De gatilho marcação
De samba-lance
Com batuque digital
Na sub-uzi musical
De batucada digital
Eh!…

Meio batuque inovação
De marcação prá pagodeira
Curtição de falação
De batucada
Com cartucho sub-uzi
De batuque digital
Metralhadora musical…

De marcação invocação
Prá gritaria
De torcida da galera
Funk!
De marcação invocação
Prá gritaria
De torcida da galera
Samba!
De marcação invocação
Prá gritaria
De torcida da galera
Tiroteio!
De gatilho digital
De sub-uzi equipadinha
Com cartucho musical
De contrabando militar
Da novidade cultural
Da garota Favelada
De shortinho, de chinelo
Sem camisa, carregando
Sub-uzi equipadinha
Com cartucho musical
De batucada digital
Ulalá!…

Na cidade sangue quente
Na cidade maravilha mutante
Huuuummm!…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

Capital do sangue quente
Do Brasil
Capital do sangue quente
Do melhor e do pior
Do Brasil…

(O Rio de Janeiro!)
(O Rio De Janeiro!)
(Soy Loco Por Ti!)…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…
Fernanda Abreu

Rio 40 Graus..(2x)

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Capital do sangue quente
Do Brasil
Capital do sangue quente
Do melhor e do pior
Do Brasil…(2x)

Cidade sangue quente
Maravilha mutante…

O Rio é uma cidade
De cidades misturadas
O Rio é uma cidade
De cidades camufladas
Com governos misturados
Camuflados, paralelos
Sorrateiros
Ocultando comandos…

Comando de comando
Submundo oficial
Comando de comando
Submundo bandidaço
Comando de comando
Submundo classe média
Comando de comando
Submundo camelô
Comando de comando
Submáfia manicure
Comando de comando
Submáfia de boate
Comando de comando
Submundo de madame
Comando de comando
Submundo da TV
Submundo deputado
Submáfia aposentado
Submundo de papai
Submáfia da mamãe
Submundo da vovó
Submáfia criancinha
Submundo dos filhinhos…

Na cidade sangue quente
Na cidade maravilha mutante…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

Eh! Rio 40 graus…

Quem é dono desse bêco?
Quem é dono dessa rua?
De quem é esse edifício?
De quem é esse lugar?…(2x)

É meu esse lugar
É nosso Esse lugar
Eu quero meu crachá
Sou carioca,brasileira e Vascaína
Pô!…

“Canil veterinário
É assaltado liberando
Cachorrada doentia
Atropelando!
Na xinxa das esquinas
De macumba violenta
Escopeta de sainha plissada
Na xinxa das esquinas
De macumba gigantescas
Escopêta de shortinho algodão”…

Cachorrada doentia do Joá, eh!
Cachorrada doentia Madureira
É Cachorrada doentia de Ipanema
Cachorrada doentia da Rocinha
É Cachorrada doentia da Rocinha
É Cachorrada doentia do Leblon…

Na cidade sangue quente
Na cidade maravilha mutante…

Rio!…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

A novidade cultural
Da garotada
Favelada, suburbana
Classe média marginal
É informática metralha
Sub-uzi equipadinha
Com cartucho musical
De batucada digital…

Gatilho de disket
Marcação pagode, funk
De gatilho marcação
De samba-lance
Com batuque digital
Na sub-uzi musical
De batucada digital
Eh!…

Meio batuque inovação
De marcação prá pagodeira
Curtição de falação
De batucada
Com cartucho sub-uzi
De batuque digital
Metralhadora musical…

De marcação invocação
Prá gritaria
De torcida da galera
Funk!
De marcação invocação
Prá gritaria
De torcida da galera
Samba!
De marcação invocação
Prá gritaria
De torcida da galera
Tiroteio!
De gatilho digital
De sub-uzi equipadinha
Com cartucho musical
De contrabando militar
Da novidade cultural
Da garota Favelada
De shortinho, de chinelo
Sem camisa, carregando
Sub-uzi equipadinha
Com cartucho musical
De batucada digital
Ulalá!…

Na cidade sangue quente
Na cidade maravilha mutante
Huuuummm!…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

Capital do sangue quente
Do Brasil
Capital do sangue quente
Do melhor e do pior
Do Brasil…

(O Rio de Janeiro!)
(O Rio De Janeiro!)
(Soy Loco Por Ti!)…

Rio 40 graus
Cidade maravilha
Purgatório da beleza
E do caos…(2x)

Rio 40 graus
Purgatório da beleza
E do caos…

Veja também: Juan dos Mortos, Sobre quem?, Universidades do mundo, Clarice Lispector do Samba, Clara Nunes., Deixa eu Falar, Amor do pai, V de Vingança

De Quem é a Culpa?

De Quem é a Culpa? – Filosofia Reggae

De quem é a culpa, da miséria do nosso brasil
De quem é a culpa, da favela na beira dos rios
De quem é a culpa, desse salário vergonhoso
Ninguém se preocupa, com a vida do nosso povo
Não posso ficar parado, vendo tudo acontecer
Presidentes e deputados, abusando de seu poder
Estenda-se levante, não tente tapar o sol com a peneira
Acorde meu amigo, não seja uma vítima do sistema
De quem é a culpa, da miséria do nosso brasil
De quem é a culpa, da favela na beira dos rios
De quem é a culpa, desse salário vergonhoso
Ninguém se preocupa, com a vida do nosso povo

Veja também: Cantar, A culpa é de quem!, De quem é o poder?, Cabeças de bagre, Quem é o povo?, Que País É Esse?, Coleta seletiva de lixo, Saudação ao Sol, Somos todos doadores, Inside Job, Comida esperta, Comida de gente, Flubs! – Seu Portal do Reggae