Coala, funcionalmente, extinto

A Australian Koala Foundation (AFK), afirma não existir mais do que 80 mil coalas vivendo na Austrália, o que define extinção funcional. A AFK, considera o desmatamento e as mudanças climáticas como os principais contribuintes para o desaparecimento da espécie. Giovane AlmeidaCiencianautas

(Créditos da imagem: Lone Pine Koala Sanctuary).

Acredita-se que os coalas (Phascolarctos cinereus) evoluíram no continente australiano durante o período em que a Austrália começou a se deslocar lentamente para o norte, separando-se gradualmente da massa terrestre antártica, há cerca de 45 milhões de anos.

Restos fósseis de animais semelhantes a eles foram encontrados datando de 25 milhões de anos atrás. À medida que o clima mudou e a Austrália se tornou mais seca, a vegetação evoluiu para o que conhecemos hoje como eucalipto, tornando-se a fonte de alimento desses marsupiais.

Antes dos primeiros europeus chegaram ao continente, por volta de 1788, milhões e milhões de coalas viviam nele. Todavia, ao longo dos últimos 230 anos, o impacto das atividades humanas, assim como a perda das florestas, reduziu a população de coalas a números alarmantes. Suzana Camargoconexão planeta

De acordo com a Australian Koala Foundation, por causa desse declínio dramático da população dos coalas, eles se tornaram “extintos funcionalmente”, ou seja, quando os números de uma espécie diminuem a um certo ponto, ela não consegue mais se reproduzir de maneira a garantir sua perpetuação. A segurança e variação genética ficam comprometidas, já que o acasalamento, muitas vezes, ocorre entre “parentes” muito próximos.

Os coalas selvagens só existem em quatro dos seis Estados da Austrália: Queensland, Nova Gales do Sul, Vitória e Austrália do Sul. Margarida Martins Olhar Animal

Por favor, assinem a petição ao governo australiano para a proteção dos coalas ameaçados.

Fonte: Setúbal na Rede (Portugal) / mantida a grafia original

Poetize-se: ROBÔ EM BUSCA DE LIBERDADE, Extintor Humano!!, PHILIP K. DICK, CLAUDIA ANDUJAR: A LUTA YANOMAMI, ECONOMIA DE MERCADO, Emergencia Lingüística, Veteranas de guerra, Baobá, HUMANS, O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS

Vamos juntos!!!

Em 2015 mataram o Watu (Rio Doce), que é uma fonte de vida e energia sagrada para os Borum [Burum], o povo indígena Krenak.

Em 2019 matam nosso Paraopeba, que banha a aldeia Naô Xohã , do povo indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe. Xapuri

Editado via celular

Brumadinho made Japan?!?


Enxergue mais: UMA GRANDE CAGADA!, O MELHOR DO BRASIL FOI MESMO O BRASILEIRO, SÉRIE URNA ELETRÔNICA, ESCOLA DO LEGISLATIVO, ESCOLA DE DEMOCRACIA, INSTANTLY AGELESS ™, SUSPEITOS DE TERRORISMO, SEGUNDO A ABIN, NAARA BEAUTY DRINK!!!, POLÍTICA, SEMPRE ELA., LUMINESCE™, BOLSONARO, ORGULHO DO PAÍS, TIRIRICA, LEI ROUANET, O INGÊNUO ECONOMISTA, VERGONHA NA LAMA

Editado via celular

Extintor Humano!!

Apesar de representarem apenas 0,01% dos seres vivos do planeta, os humanos são responsáveis pela destruição de muitas espécies. Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Ciência Weizmann, em Israel, e do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos Estados Unidos, revela, inclusive, que a espécie humana acabou com 83% dos mamíferos selvagens da Terra. Galileu

Publicada no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences, a pesquisa compila os tipos de biomassa — matéria orgânica — dos reinos animais. “A análise revela uma visão holística da composição da biosfera e nos permite observar padrões de categorias taxonômicas e locais geográficos”, escrevem os cientistas.

Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Ciência Weizmann, em Israel, e do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos Estados Unidos, revela que a espécie humana já acabou com 83% dos mamíferos selvagens da Terra.

E outros milhares de espécies de seres vivos correm risco. Das 93.577 espécies registradas pela Lista Vermelha, da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês), 26.197 sofrem ameaça de serem extintas.

O Ministério do Meio Ambiente no Brasil lançou no ano passado a Estratégia Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção. O projeto prevê que, a partir da identificação de oportunidades e priorização de ações, todas as espécies ameaçadas de extinção estejam sob alguma medida de conservação até 2022. O projeto contou com uma doação de US$ 13.435.000 (R$ 51.698.141) do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, sigla em inglês para Global Environment Facility Trust Fund). Observatório do Terceiro Setor

Ron Milo, professor do Instituto Weizmann de Ciência em Israel e líder do estudo, teria dito ao The Guardian:

“Espero que isso dê às pessoas uma perspectiva sobre o papel muito dominante que a humanidade desempenha agora na Terra.”

Fez questão de acrescentar que ele tem comido menos carne em um esforço para evitar contribuir para a dependência da pecuária de nosso atual sistema alimentar global, este simples passo pode beneficiar seriamente nosso único planeta – estudos mostraram que mudar para uma dieta baseada em vegetais pode reduzir sua pegada de carbono pela metade e economizar 162.486 galões de água a cada ano. Fonte: One Green Planet, in Veganos Brasil

MUDE CONCEITOS, VOCÊ PODE E DEVE:Existe Água em SP, PHOTOSHOP CC 2018 E MAQUETE ELETRÔNICA 3DS MAX 2018 E VRAY: FREE, Um grande contador de histórias, Quando será anova crise hídrica?!?, ÍNDIOS, POEMA, POESIA E SONETO, GHOST WRITER, NAARA BEAUTY DRINK!!, HUNGU, INICIE UM ABAIXO-ASSINADO, BURGUESIA (VERSION ME),INSTANTLY AGELESS ™, SEDE PASSANTES

Editado via celular.

Peixe-boi marinho

peixeboi_icmbio

O peixe-boi marinho é o mamífero aquático mais ameaçado do Brasil. Para tentar reverter a situação, o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos, o CMA, investe em programas de resgate, proteção e educação ambiental em todo o território nacional. Good News

peixeboi

manateesjusticeleague

peixe-boi-lenda

Enxergue mais: Comida de gente, O Ponto de Mutação, Convite à Filosofia, Morcego do interior, Cadeia plástica, Terroristas?, Manguetown, Norte Nordeste Me Veste, Curupira, MORADOR DE RUA CUIDA DE 11 CÃES

Veteranas de guerra

UMA HOMENAGEM ÀS ÁRVORES SOBREVIVENTES DA MATA ATLÂNTICA

São Paulo é o dinâmico resultado da demolição e reconstrução de sucessivas cidades em pouco mais de um século. Nesse curto espaço de tempo, a cidadela com 30 mil habitantes tornou-se a metrópole com 20 milhões de habitantes, e sua natureza praticamente desapareceu. Originalmente muito rica em biodiversidade, São Paulo apresentava extensas florestas de Mata Atlântica, araucárias, cerrados e várzeas, que formavam uma paisagem única. Durante o processo de urbanização, a vegetação ancestral foi sendo eliminada e substituída por espécies de origem estrangeira, motivação cultural que acarretou na extinção em massa da fauna e flora nativas e a situação atual de 80% da vegetação urbana ser de origem estrangeira, ou seja, exótica.

Mesmo com esse grave quadro ambiental, alguns exemplares da Mata Atlântica alcançaram nossa época, resistindo a gerações de interesses contrários, loteamentos e aberturas de ruas e avenidas que poderiam em poucos minutos acabar com a sua história, assim como aconteceu a inúmeras outras que não pudemos conhecer.

Árvores da Mata Atlântica sobreviventes em condições tão adversas podem ser consideradas monumentos vegetais e históricos paulistanos, um patrimônio ambiental que representa uma imensa herança não reconhecida. Muitas dessas árvores estão ameaçadas pelo descaso, poluição e idade avançada, e são sobreviventes de populações quase ou extintas e detentoras de genética única resultante de milhares de anos de evolução com o clima, solo e biodiversidade local, precisando ser valorizadas, tombadas e reproduzidas para sua perpetuação e repovoamento na cidade de São Paulo.

O meio ambiente urbano deve ser uma prioridade no século XXI, o século das cidades.

Ricardo Cardim, botânico e ambientalista

Veja também: Veteranas de Guerra, Fundação SOS Mata Atlântica, Monte seu Fusca, Vegeta, Miniusina de energia, John Titor , o VIAJANTE-ZER, Chás que Ajudam a Emagrecer, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Saudação ao Sol, Via Láctea pelo navegador, Arveres somos nozes

Faça uma Evolução

PearlJam Do the evolution

Do The Evolution – Pearl Jam

Woo…
I’m ahead, I’m a man
I’m the first mammal to wear pants, yeah
I’m at peace with my lust
I can kill ‘cause in God I trust, yeah
It’s evolution, baby

I’m at peace, I’m the man
Buying stocks on the day of the crash
On the loose, I’m a truck
All the rolling hills, I’ll flatten ‘em out, yeah
It’s herd behavior, uh huh
It’s evolution, baby

Admire me, admire my home
Admire my son, he’s my clone
Yeah, yeah, yeah, yeah
This land is mine, this land is free
I’ll do what I want but irresponsibly
It’s evolution, baby

I’m a thief, I’m a liar
There’s my church, I sing in the choir
(hallelujah, hallelujah)

Admire me, admire my home
Admire my son, admire my clothes
‘Cause we know, appetite for a nightly feast
Those ignorant Indians got nothin’ on me
Nothin’, why?
Because… it’s evolution, baby!

I am ahead, I am advanced
I am the first mammal to make plans, yeah
I crawled the earth, but now I’m higher
2010, watch it go to fire
It’s evolution, baby
It’s evolution, baby
Do the evolution
Come on, come on, come on
pearl jam

Veja também: O mundo dos espertos, Evolução, A casa dos outros, Via Láctea pelo navegador, Ouro de tolo, Carnaval é Perfeição!, Baleia ou sereia., Reign Over Me, Carta da Terra, Inside Job, Feliz Natal (A Guerra Acabou), Symphony Of Destruction

Mata Atlântica

Tribo de Jah – Mata Atlântica

Não, não, não mate as matas
Não, não desmate as matas não refrão … 2
vezes
Não, não, não mate a mata atlântica

Quando Cabral chegou e aqui ele encontrou
Prata beleza ouro, Pau Brasil
E sem falar do índio dono desse lugar
Homem da nossa Terra não tem onde morar

Óh homem … quanto você destrói
E consome … todos os recursos naturais
Da Terra … que clama por socorro chora e agonia

Refrão … 2 vezes

Rio diversidade, ar puro água potável
E sem falar das plantas de uso medicinal
Micos leão dourados, macucos, onças pintadas
Todos correm perigo de sua extinção

Óh homem … quanto você destrói
E consome … todos os recursos naturais
Da Terra … que clama por socorro chora e agonia

Refrão …

Veja também: Carlos Marighella, Perto do Fogo, Xeque Monte, A história das coisas, Amostra de tintas, Cantar, Feliz Natal (A Guerra Acabou), Faça uma Evolução