Conemo

O aplicativo Conemo (sigla para Controle Emocional) foi desenvolvido por pesquisadores da USP, do King’s College, de Londres, da Universidad Cayetano Heredia, no Peru, e da Northwestern University, nos Estados Unidos, com financiamento do National Institute of Mental Health (NIMH). Bruna Irala – Jornal da USP

Durante seis semanas, pessoas com doenças crônicas, como hipertensão e diabete, que apresentavam sintomas de depressão leve, participaram de um experimento para o tratamento do transtorno depressivo com o auxílio da tecnologia. O aplicativo Conemo (sigla para Controle Emocional) foi desenvolvido por pesquisadores da USP, do King’s College, de Londres, da Universidad Cayetano Heredia, no Peru, e da Northwestern University, nos Estados Unidos, com financiamento do National Institute of Mental Health (NIMH), para reduzir os sintomas da depressão dos pacientes por meio de uma série de sessões de ativação de comportamento, uma técnica da terapia cognitivo-comportamental que induz a pessoa a realizar atividades diárias prazerosas ou significativas para si. A intervenção digital conseguiu reduzir em 50% os sintomas de depressão nos pacientes que participaram do estudo. 

Um artigo descrevendo o projeto, Effect of a Digital Intervention on Depressive Symptoms in Patients With Comorbid Hypertension or Diabetes in Brazil and Peru: Two Randomized Clinical Trialsfoi publicado em maio na revista científica JAMA.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica a depressão como uma doença incapacitante caracterizada por uma tristeza constante e falta de interesse e prazer em realizar atividades do dia a dia ou que anteriormente foram prazerosas.

Segundo o responsável pelo projeto, o professor de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), Paulo Rossi Menezes, a ideia principal desse tipo de abordagem é “ampliar o acesso de pessoas com doenças crônicas e sintomas de depressão a algum tipo de cuidado que possa melhorar a vida delas sem precisar recorrer diretamente ao especialista, psicólogo ou psiquiatra.”

O aplicativo foi instalado em celulares entregues aos pacientes para uso restrito do experimento. As informações coletadas foram armazenadas em uma nuvem de dados de modo que os profissionais de enfermagem integrantes do projeto puderam acompanhar o progresso dos pacientes.

Duas cidades integraram a pesquisa: São Paulo, no Brasil, e Lima, no Peru. Em São Paulo, o estudo contou com a participação de 20 unidades de saúde da família na Zona Leste do município, com 880 pacientes ao todo. Metade fez parte do grupo controle. Eles receberam apenas o tratamento de rotina, ou seja, acompanhamento clínico e uso de medicamentos, mas sem o auxílio do aplicativo. A outra metade utilizou o aplicativo durante as seis semanas do projeto e recebeu tratamento clínico, quando necessário. Em Lima, 420 pessoas participaram da pesquisa, sendo 210 em cada grupo. O experimento com o aplicativo durou seis semanas, com três sessões de 10 minutos por semana.

 Se, por exemplo, o paciente deixasse de interagir com o aplicativo ou perdesse sessões, um enfermeiro entrava em contato para auxiliá-lo a dar continuidade às atividades. 

Ao final de três meses, os pesquisadores observaram uma maior proporção de pessoas com redução importante de sintomas no grupo que usou o aplicativo, em comparação ao grupo controle.

De acordo com o pesquisador, o resultado permitiu evidenciar que o aplicativo é, de fato, “uma ferramenta que ajuda pessoas nessa condição e pode ser utilizado sem a necessidade de um acompanhamento clínico especializado, o que amplia muito o acesso de pessoas a esse tipo de cuidado”.

A previsão dos responsáveis pelo aplicativo Conemo é de que uma nova versão será disponibilizada nas lojas de aplicativos de celulares em três meses, tanto para uso da população em geral, quanto para uso de profissionais de saúde, de forma que o seu acesso seja ampliado a um público maior e possa auxiliar no tratamento de outras pessoas.

Mais informações: e-mail pmenezes@usp.br, com o pesquisador Paulo Menezes Rossi

Salveze-se: CVV, 57 anos!!!, CVV, Um Homem Chamado Ove, Care me!, Oito filmes que retratam o suicídio, Jardim da Empatia, 188, Algumas coisas podem esperar!, Por que setembro amarelo?!?, Dinamarca, combate depressão com vitamina de cultura

19 ervas medicinais

Chás medicinais são muito usados para tratar doenças. A fitoterapia, como é chamada essa abordagem terapêutica, é bastante antiga, mas tem se popularizado cada vez mais tanto no Brasil quanto em várias partes do mundo. VINICIUS DE VITA CAVALHEIROAtivo Saúde

No entanto, é preciso ter alguns cuidados na hora de consumi-las, e o melhor jeito de fazer é sempre consultar um especialista — sem deixar de lado a medicina convencional, é claro, que têm papel fundamental no tratamento de diversos problemas de saúde.

Propriedades de 19 ervas medicinais

1. Cidreira

Indutora do sono, alivia dores de cabeça e gases intestinais, a cidreira também é sedativa, analgésica, calmante, diurética, hipotensora, depurativa e expectorante. É indicada para:

  • Melhorar a digestão;
  • Aliviar cólicas menstruais e intestinais;
  • Tratar distúrbios renais;
  • Tratar conjuntivites;
  • Aliviar a tosse;
  • Evitar espasmos;
  • Combater a febre alta;
  • Eliminar diarreias;
  • Tratar sintomas relacionados a reumatismos;
  • Melhorar problemas de estômago;
  • Acalmar os nervos e palpitações do coração.

2. Marcela do Campo

A marcela do campo é uma erva estimulante que contribui para:

  • Bom funcionamento do sistema digestivo;
  • Prevenção de uma série de doenças do estômago;
  • Aliviar cólicas intestinais.

3. Marapuama

A marapuama também é uma erva estimulante. Ela ajuda no:

  • Combate à fadiga (cansaço);
  • Tratamento da depressão nervosa.

4. Guaraná

Bastante conhecida pelo refrigerante, as folhas de guaraná também têm seu papel na fitoterapia.

  • Combate o esgotamento físico e mental;
  • Ajuda a tratar depressão;
  • Estimula as funções cerebrais;
  • Favorece atividades intelectuais;
  • Previne arteriosclerose e artritismo

Além disso, também é uma excelente bebida tônica, estimulante e um substituto mais saudável dos energéticos.

5. Ginseng

O ginseng é uma erva revitalizante. Seus benefícios incluem:

  • Inibição do crescimento de células cancerígenas;
  • Ativação da circulação sanguínea;
  • Combate ao estresse;
  • Estímulo às funções sexuais, melhorando o desempenho na cama.

6. Boldo

Muito usado para curar ressaca, o chá de boldo:

  • Estimula a digestão e a secreção biliar, sendo bastante útil no tratamento de distúrbios intestinais e hepáticos;
  • Combate a prisão de ventre;
  • Alivia gases intestinais;
  • Ajuda a tratar transtornos do fígado;
  • Ajuda na queima de gorduras.

7. Camomila

chá de camomila é o preferido de quem está buscando um calmante natural. Só que suas propriedades vão além disso.

  • Desintoxica o fígado;
  • Auxilia no tratamento de reumatismo e da excitação nervosa
  • Alivia enxaqueca;
  • Diminui dores de dente;
  • Combate a insônia;
  • Alivia enjoos;
  • Tonifica a pele;
  • Tem ação anti-inflamatória;
  • Reduz febres intermitentes.

8. Carqueja

A carqueja é muito indicada para:

  • Melhorar a má digestão;
  • Reduzir o cansaço físico;
  • Aliviar a prisão de ventre;
  • Combater a gastrite;
  • Aliviar a azia;
  • Tratar anemia;
  • Prevenir contra distúrbios do fígado e dos rins;
  • Ajudar no tratamento de diabetes;
  • Tratar inflamações urinárias;
  • Combater problemas na próstata;
  • Combater o colesterol alto;
  • Melhorar quadros de gota e angina;
  • Auxiliar no processo de desintoxicação e emagrecimento;
  • Revigorar funções genitais;
  • Reduzir a retenção de líquidos, graças ao seu efeito diurético no organismo;
  • Combater asma;
  • Substituir alguns tipos de antibióticos.

9. Erva doce

  • Acalma os nervos;
  • Elimina o mau hálito;
  • Elimina as toxinas da pele;
  • Alivia cólicas intestinais;
  • Reduz prisão de ventre;
  • Estimula o apetite;
  • Melhora a digestão e a secreção biliar;
  • Restaura o fluxo menstrual;
  • Aumenta a produção de leite das lactantes;
  • Alivia a azia;
  • Muito usado na culinária também como aromatizante.

10. Hortelã

Indicada para:

  • Tratamento da febre;
  • Eliminar vermes;
  • Reduzir espasmos;
  • Combater gases intestinais;
  • Melhorar a saúde do sistema nervoso;
  • Combater inflamações uterinas;
  • Tratar resfriados, faringites, tosse e problemas de garganta
  • Aliviar coceiras;
  • Reduzir inchaços;
  • Combater dores de cabeça;
  • Tratar rinite, conjuntivite, cólicas, diarreias e outros problemas estomacais, intestinais e respiratórios.

O chá é estimulante digestivo, anti-séptico, descongestionante nasal, anestésico e analgésico.

11. Chá preto

O chá preto é o chá mais consumido no mundo.

  • Alivia os sintomas da depressão;
  • Combate dores de cabeça;
  • É tônico, energético, estimula os nervos, músculos e cérebro e auxilia no tratamento de obesidade

12. Canela

O chá de canela é indicado:

  • Contra ulcerações da gengiva e na mucosa da boca;
  • Combate dores estomacais e diarreia;
  • Reduz calafrios e tosses;
  • Combate amenorreia, pressão baixa, respiração ofegante e espasmos;
  • Trata o escorbuto e reumatismos.

13. Porangaba

  • Altamente diurética e não laxativa;
  • Elimina o excesso de gordura e edemas;
  • Tem ação tônica sobre a circulação e auxilia no emagrecimento;
  • Auxilia no combate da fadiga, da asma e da bronquite;
  • Ajuda a tratar diarreia aguda, cólicas intestinais e inflamações renais;
  • Ajuda a diminuir a barriga, inchaço nas pernas e queima de gorduras localizadas.

14. Chá misto de morango

  • É depurativo, vermífugo e diurético;
  • Combate as areias da bexiga, retenção da urina e inflamação dos rins;
  • Indicado em casos de azia, diarreia, reumatismo e gota;
  • Contém cálcio, ferro, fósforo e vitamina C.

15. Chá misto sabor maracujá

  • É refrescante, sedativo, calmante, diurético, desinfetante, anti-inflamatório e depurativo;
  • Indicado para insônia e dores em geral;
  • Combate diabetes, asma e diarreia;
  • A raiz e a semente também atuam como vermífugos.

16. Chá misto sabor de cereja

  • Calmante, vermífugo, elimina cálculos renais e da bílis;
  • É bom para dores reumáticas, nervos, diarreias;
  • Regula o sono;
  • Combate gripes, anginas do peito e afecções da garganta.

17. Chá de abacaxi

  • Auxilia nas doenças respiratórias;
  • Alivia a dor de garganta;
  • Trata bronquite;
  • Previne osteoporose
  • É expectorante, depurativo e diurético;
  • Auxilia na digestão e revigora as funções do fígado.

18. Chá de maçã

  • É tônico, calmante, sonífero e diurético;
  • Possui atividades antibacteriana, antiviral e anti-inflamatória;
  • Ativa o fígado e dissolve o ácido úrico.

19. Chá de frutas cítricas

  • Rico em vitamina C;
  • É calmante;
  • Contribui para o bom funcionamento do intestino;
  • Evita problemas na garganta.

Chaz-se: Aplicativos para fazer chamada de vídeo, As abelhas-azuis, Erva Mate, 7 ervas legais, A erva malária, Ervas medicinais, KINH CHÚ ĐẠI BI, Vamos plantar água? , Água aromatizada