Indigenous Blood Journey

This education and awareness program provides the opportunity to learn about First Peoples history and current issues experientially through the perspectives of Indigenous youth. Using interactive activities, discussion and active engagement, you are invited to face the challenges of today and yesterday honestly, responsibly and with compassion.The Indigenous Journey

Marielle Franco

Mari dizia que ocupar a política é fundamental para reduzir as desigualdades que nos cercam.

Vamos defender e espalhar a sua memória para que mais Marielles possam surgir e mudar a realidade em que vivemos. Marielle Franco

Orgânico Simples

https://www.facebook.com/projetoorganicosimples/

Editado via celular

Mude conceitos, você pode e deve: Recarga Verde Fail !?!?LUMINESCE™A CEBOLA: O ELIXIR DESCONHECIDOPOLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASILNAARA BEAUTY DRINK!!!SEMENTE DE CHIA (SALVIA HISPANICA)NEVOTIMOVIA LÁCTEA PELO NAVEGADORINSTANTLY AGELESS ™SUCOS CASEIROS CHEIOS DE SAÚDE.BESOURINHAVIDACELL®EU SOU GUARANI KAIOWÁRESERVE™CAFÉ COM DENGUEFLORENCE NIGHTINGALE

​MANIFESTO MUNDURUKU

O povo Munduruku não fala à toa. As palavras pronunciadas por nossos pajés, velhos e velhas, caciques, cacicas, guereiros, guerreiras e lideranças realmente acontecem. Nossos cantos há muitos séculos contam que somos um povo guerreiro e não perdemos nenhuma batalha. 

Essas são palavras verdadeiras, por isso continuamos cantando e fazendo nossos rituais. Já a palavra dos pariwat é cheia de dapxi. É por isso que eles escrevem tudo, para ver se a palavra fica mais forte e esconde atrás do papel que assinam as coisas ruins que sempre fazem.

Para ensinar aos pariwat (brancos) o que significa “ogu~kirik oceweju” (compromisso firmado com o povo Munduruku), nós fizemos a audiência e recebemos o Ministério Público Federal com a ajuda de cada aldeia. Mostramos que aqui na Mundurukânia não é o dinheiro que manda. Temos terra para plantar, temos peixe, caça e o rio para navegar. Se não temos combustível, nós vamos remando e chegaremos sempre no lugar que queremos.

Nós já explicamos antes, mas parece que os pariwat ainda não entenderam. Nossos pajés estão ouvindo os lamentos dos espíritos depois da destruição de Karobixexe e Dekuka’a. Por isso nós somos obrigados a visitá-los e acalmá-los. 

Então, nós estamos avisando mais uma vez que vamos até o rio Teles Pires para cumprir nossa palavra verdadeira e visitaremos as urnas que nós descobrimos estamos resgatando, de acordo com o que dizem nossos pajés e sábios.  Não é a CHTP que faz o “resgate”, como ela diz no seu ofício. Ela mexeu no nosso lugar sagrado e retirou as urnas de lá em silêncio, escondida, mentindo mais uma vez. Mas nós descobrimos e vamos cobrar da empresa essa obrigação de nos levar até lá, porque são elas as culpadas pela tristeza dos nossos espíritos ancestrais.  

O Ministério Público Federal está levando nosso recado na carta da audiência. Mas vocês já viram que não somos “povo de papel”. Se preciso voltaremos ao canteiro de obras de São Manoel para cobrar das empresas e do Governo tudo o que eles roubaram da gente.  

Sawé!

Aldeia Missão Cururu – 01.10.2017

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=435831580146584&id=434227830306959

Editado via celular.

Ana Maria Machado

https://scontent.fcgh11-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/fr/cp0/e15/q65/18194002_1456487494407633_6944140648985304195_n.jpg?efg=eyJpIjoidCJ9&_nc_eui2=v1%3AAeFL7uFm-dnLITtuVCt-owr9BQS87Mz-w8JnLvVloxGxonohl2fRDAcMh5hErhgQ52qZodQWls98grUdAFn-NzSRbP-ES3eqVzNmnjN3uIJF-A&oh=ec519521bae35e5b546ec4c5fcf05889&oe=597A7030

Considerada pela crítica como uma das mais versáteis e completas das escritoras brasileiras contemporâneas, a carioca Ana Maria Machado ocupa a cadeira numero 1 da Academia Brasileira de Letras, que presidiu de 2011 a 2013.

Não se iluda: Urna fraudetrônica, Mídia estão de lutoVIDACELL®, Reputação ilibada e notável saber jurídico.Medo?RESERVE™ , BesourinhaBBB por Antonio BarretoQUARTO PODERINSTANTLY AGELESS ™VOCÊ APRENDEU ERRADO NA ESCOLANEGUINHO DA BEIJA-FLOR

Editado via celular.

Elegância, eu?

A elegância no comportamento

Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento. É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.

É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.

É uma elegância desobrigada.

É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam. Nas pessoas que escutam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca. 

É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas.

Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É possível detectá-la em pessoas pontuais.

Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete.

É elegante não ficar espaçoso demais.

É elegante você fazer algo por alguém e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer…

É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.

É elegante retribuir carinho e solidariedade.

É elegante o silêncio, diante de uma rejeição….

Sobrenome, joias e nariz empinado não substituem a elegância do gesto.

Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante.

É elegante a gentileza; atitudes gentis falam mais que mil imagens…

Abrir a porta para alguém? É muito elegante.

Dar o lugar para alguém sentar? É muito elegante.

Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma…

Oferecer ajuda? Muito elegante.

Olhar nos olhos ao conversar? Essencialmente elegante.

Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação, mas tentar imitá-la é improdutivo.

A saída é desenvolver em si mesma a arte de conviver, que independe de status social: é só pedir licencinha para o nosso lado brucutu, que acha que “com amigo não tem que ter estas frescuras”.

Se os amigos não merecem uma certa cordialidade, os inimigos é que não irão desfrutá-la. 

Educação enferruja por falta de uso.

E, detalhe: não é frescura.

Martha Medeiros

Editado via celular.

Respeitar é Preciso!

resize-500x244_respeitar-e-preciso-3

O projeto “Respeitar é Preciso!” foi criado em 2014 pela parceria entre a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo, a Secretaria Municipal de Educação e  o Instituto de Vladimir Herzog. Portal de Educação em Direitos Humanos

i485981

O material pedagógico e de formação de professores está disponível na íntegra aqui no Portal, no fim desta página. Para saber mais sobre a formação de professores clique aqui.

Escolas da rede municipal de São Paulo recebem material para a implementação e difusão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Fernando Oliveira – Revista Educação

 

Enxergue mais: DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOSLUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMINSTANTLY AGELESS ™LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAPlano Municipal de Educação em Direitos HumanosHUMANIZA REDES PLÁGIO?PCD LEGAL: ACESSÍVEL PARA TODOSALIMENTO PARA OS INCONFORMADOS

I Encontro da Rede Municipal de Direitos Humanos

O Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil é uma agenda política ampla que  tem o objetivo de aperfeiçoar o ambiente jurídico  e institucional relacionado às organizações da  sociedade civil e suas relações de parceria com o Estado. II Seminário do Marco Regulatório das OSCs

1encontroredemundh

O evento será no Centro Cultural São Paulo, às 10h. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas aqui. O objetivo do encontro é informar as organizações sobre os princípios estabelecidos pela nova lei para parcerias entre órgãos públicos e instituições não governamentais. Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania

1encontrodhmrosc

I Encontro da Rede Municipal de Direitos Humanos, com o tema: “MROSC – Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil / Lei nº 13.019/2014 – Lei de Fomento e de Colaboração”

15 de Julho de 2016, das 9h às 13h (Terá entrega de certificados ao final)

Local: Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa – Rua Vergueiro, 1.000 – Paraíso

A Central de Capacitação Popular – Direitos Humanos (CECAP-DH) é fruto de um convênio entre a “Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo” com a “Associação Rede Cidadã Multicultural”, para realização de capacitação, assessoramento e consultoria públicas e gratuitas para os que tenham tal necessidade.

1encontroparticipa

No processo de elaboração, aprovação e implementação da Lei 13.019 de 2014 diversos materiais foram e estão sendo produzidos no sentido de orientar e qualificar a formação de todos os atores centrais à implementação do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC). Participa.br

Enxergue: LUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMINSTANTLY AGELESS ™HINO NACIONAL EM DIALETO TICUNAOUVIDORIA MUNICIPAL DE DIREITOS HUMANOSPLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOSPROJETO DE LEI 4.330PROJETO PARDO VS. PROJETO BRANCODECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

Audiência pública: Comissão da Verdade Municipal

Audienciapublicaditadura

02 de junho de 2016

HORÁRIO: 19:00 – 22:00

EVENTO: Reunião com a Comissão da Verdade Municipal

LOCAL: Sala Tiradentes 8º andar

VEREADOR: Senival Moura

PARTIDO: PT

03 de junho de 2016

HORÁRIO: 09:00 – 17:00

EVENTO: Audiência Pública de Comissão da Verdade Municipal

LOCAL: Sala Tiradentes 8º andar

VEREADOR: Liderança do PT

Acesso ao registro taquigráfico integral das audiências públicas, responsabilidade de SGP 4 – Secretaria de Registro Parlamentar e Revisão. Disponível para consulta, download e impressão. CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

Enxergue mais: LUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMNAARA BEAUTY DRINK!!!RELATÓRIO FIGUEIREDOBOLSONAROA INVASÃO DO BRASILCADTEC E LEI DE ZONEAMENTOPEGADINHAS DO MARCO CIVIL DA INTERNETDITADURA DA PROPAGANDAANIVERSÁRIO DA REVOLUÇÃO DE 1964

Ouvidoria Municipal de Direitos Humanos

A Ouvidoria Municipal de Direitos Humanos – OMDH funcionará em parceria com a Comissão Municipal de Direitos Humanos, dando continuidade ao trabalho de forma sistematizada em relação ao prestado até agora nessa área.

A Prefeitura paulistana já presta assistência na área de direitos humanos, com atendimento direto ao público, que pode apresentar suas queixas e denúncias no chamado Balcão de Atendimentos da SMDHC.

 Contato com a Ouvidoria via:

Telefone: (11) 31138993/8994

Email: cmdh@prefeitura.sp.gov.br

Carta: Líbero Badaró, 119, térreo, Cep 01009-000

Pessoalmente através do endereço: Líbero Badaró, 119, térreo, Cep 01009-000. Portal da Juventude

Parabéns Nestlé 2

Um canceriano sem lar.

african_activis wAter
Peter Brabeck-Letmathe, presidente mundial da Nestlé, uma das maiores empresas de gêneros alimentícios mundiais, afirma que a água é como qualquer outra commoditie agrícola, e deveria ser privatizada, explorada comercialmente e precificada, e acredita que “o acesso à água não é um direito público nem um direito humano.”.
Grandes empresas multinacionais de bebidas, como a Coca-Cola e Nestlé sugam milhões de litros de água de poços subterrâneos, deixando o público sofrer com tais faltas e geralmente recebem privilégios sobre a água (e até isenções fiscais) e sobre a sociedade porque criam postos de trabalho.
água5motivos

Veja também: Sucos caseiros cheios de saúde., Planeta dos Macacos, Individualidade fugaz, Piada sem sabor!, Juan dos Mortos, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?, O Amaranto Inca Kiwicha invade plantações de soja transgênica da Monsanto nos Estados Unidos, Sugestão de desintoxicação ayurvédica após os excessos., Um…

Ver o post original 28 mais palavras