República dos bananas

O acampamento produzia anualmente mais de 7,2 mil toneladas de alimentos, gerando trabalho e renda para mais de 5 mil pessoas, segundo o MST. Juliana Almirante – Metro1

A ação de reintegração de posse foi deflagrada pela Polícia Federal em favor da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), para desocupação de uma área de aproximadamente 1727 hectares.

Banalize-se: Embalos de bananas, Banana power verde, 1ª Feira de Economia Solidária e Agricultura Familiar, Conheça 13 maneiras de reaproveitar sobras e cascas de frutas e vegetais, Banana, tumblr, Banana Republic, Gastronomia Funcional

Favela Orgânica

O Favela Orgânica é uma iniciativa pioneira que teve origem nas comunidades Babilônia e Chapéu Mangueira, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. Surgiu em setembro de 2011, com apenas R$140,00, como fruto do olhar sensível e da iniciativa de Regina Tchelly.

A partir de uma abordagem holística que engloba conceitos como consumo consciente, gastronomia alternativa, compostagem caseira e hortas em pequenos espaços.

A missão do Favela Orgânica (Facebook) é compartilhar experiências, valorização e compartilhamento do Ciclo do Alimento, através do respeito e amor ao que a natureza nos dá.

A ideia do Favela Orgânica é a de promover uma mudança profunda na cultura de consumo e desperdício através do aproveitamento integral de todas as partes do alimento que, por sua vez, é cultivado organicamente. As partes que não são comestíveis, e são poucas, viram adubo através da compostagem. greenMe


“Logo que cheguei no Rio de Janeiro fui trabalhar como empregada doméstica e via nas feiras livres e na minha própria comunidade a grande quantidade de alimentos sendo desperdiçados. E lá na Paraíba a cultura é aproveitar o máximo que a gente puder do alimento”. Regina Tchelly

Poetize-se também: Manual de agricultura urbana, Carta da Terra, Anestesia mental., Dia Mundial do Meio Ambiente., Opção de escolha?, Chora Darwin., Legalize Já, Porquê eu quis?, Brasileiro Reclama De Quê?, Hora do Código, Mãe Gaia

O ‘mercado grátis’ que está ajudando a combater o desperdício na Nova Zelândia

A Free Store, ou mercado grátis, foi criada pelo artista Kim Paton para ser um projeto temporário, de duas semanas de duração, reunindo sem suas prateleiras alimentos em perfeita qualidade que, por motivos diversos, tornaram-se excedentes em supermercados e padarias, e se tornariam parte da estatística do desperdício. Sete anos depois felizmente a iniciativa se tornou permanente, e já possui quatro lojas na Nova Zelândia.

Um dos males mais perversos do capitalismo e do mercado como regulador é sem dúvida o desperdício. São diversos os motivos, de controle de preços e mercados, custos diversos, publicidade ou outras intervenções que fazem com que quase metade da comida produzida no mundo seja jogada no lixo, alcançando cerca de 1,3 bilhões de toneladas desperdiçadas anualmente. Vivimetaliun

Veja também: Voluntário, Coincidence or not, Casas de Mediação, Dia Mundial do Meio Ambiente., Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Pessoas criativas são mais propensas à depressão e dependência química, Violentamente pacífico, Efeito Borboleta

Editado via celular.

Paratudo do lar

Erro
Este vídeo não existe

Editado via celular

Mude conceitos, você pode e deveVIABILIDADE???LUMINESCE™UM CARANGUEJO ELÉTRICOCAMPANHA RECOLHE ÓLEO DE FRITURA PARA FABRICAÇÃO DE BIODIESELNAARA BEAUTY DRINK!!!DEDO VERDE NA ESCOLA: TERRÁRIOS APROXIMAM BIODIVERSIDADE DAS CRIANÇASNEVOMANUAL SOBRE OS USOS DE PLANTAS AMAZÔNICASRELATÓRIO FIGUEIREDOINSTANTLY AGELESS ™MONÓLOGO AO PÉ DO OUVIDO / BANDITISMO POR UMA QUESTÃO DE CLASSEA TEORIA DE TUDOVIDACELL®VOCÊ APRENDEU ERRADO NA ESCOLARESERVE™SISTEMA NACIONAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGASGEOSAMPA

Consumo colaborativo

O movimento que recebeu o nome de consumo colaborativo, consiste no intercâmbio e o compartilhamento de bens por meio de venda, troca ou aluguel. A ideia de consumo colaborativo consiste em estimular 5 (cinco) “Rs”: reduzir, reciclar, reutilizar, reformar e redistribuir, criando uma cadeia sustentável de comércio.

A motivação de alguém que compra artigos de segunda mão, na maioria dos casos, é economizar ou adquirir produtos que são feitos com materiais melhores e com design que não existe mais. A idéia é negociar artigos antigos em vez de jogá-los fora, diminuindo o desperdício e a demanda por novas mercadorias.

Por meio de escambo, é possível levar para casa produtos e serviços de todo tipo sem pagar nada, isso inclui bens intangíveis, como tempo e habilidades, compartilhar um mesmo bem com outra pessoa, como carros, bicicletas e escritórios, etc. .

Escaboo é um website desenvolvido para o consumo colaborativo e integrado às redes sociais onde as pessoas podem trocar seus bens, serviços e produtos já sem utilidade para uma pessoa, mas em bom estado, podem perfeitamente atender as necessidades de outra pessoa, e assim reciprocamente.

Reduz-se assim o impacto ambiental de toda a cadeia produtiva e logística desde a exploração das matérias primas até o produto final.

Desapego já!

SEBO LIVRE!

Veja também: Consumo colaborativo e sustentabilidade, Biblioteca Web, Empoderamento dos recursos, Licitações, A importância do Doutorado, FHC = THC, Miniusina de energia, Pare e pense

Dia Mundial do Meio Ambiente.

O que vc está fazendo por Ele?

Reciclar reduz a utilização desenfreada dos recursos naturais, economiza água, energia, gera trabalho e renda para milhares de pessoas. Lembrando sempre que Consumismo e Prosperidade são coisas antagônicas.

Os 5 R’s nos ajudam a entender e avaliar melhor nossas atitudes, comece devagar ou se já começou introduza novos hábitos, mas faça disso um jogo diário, o jogo da Vida.

Considere suas atitudes e veja o que pode fazer ainda mais pelo Meio Ambiente.
· Antes de comprar perguntar: Preciso realmente disto?
· Posso ir a pé a determinados lugares em vez de carro? E que tal ir de bicicleta, mais divertido?
· Separo embalagens, matéria orgânica e óleo de cozinha?
· Prefiro embalagens de papel ou papelão?
· Jogo no lixo apenas o que não é mais reutilizável ou reciclável?
· Procuro utilizar produtos de limpeza orgânicos e biodegradáveis ou alternativas caseiras como vinagre, sal, limão e bicarbonato de sódio, mais baratos e que não fazem mal à Saúde e à Natureza?
· Utilizo lâmpadas econômicas e pilhas recarregáveis?
· Evito o excesso de sacos plásticos e embalagens? Hoje temos sacolas de pano bem legais para nossas compras, e não só no supermercado, recuse plásticos na farmácia, nas lojas, e onde mais puder. Sempre esclarecendo à vendedora que plástico polui, por isso não uso.
· Escolha produtos com embalagens mais econômicas, priorize as retornáveis.
· Prefira produtos certificados que não agridam o Meio Ambiente e cobre Empresas quanto ao quesito Saúde. Porque temos que engolir agrotóxicos e transgênicos? Porque os amidos de milho como Maizena e Yoki , ou produtos como Cremogema, Arrozina, Fermento Royal tem o símbolo de transgênico tão pequeno se Transgênico é “legal” ? Não devia vir em letras bem grandes como um benefício?
· Exija qualidade, pois nela está embutida a durabilidade do produto. Portanto, menos resíduos e desperdícios (água, energia e recursos naturais).
· Na cozinha invente receitas e reaproveite de forma integral os alimentos, sendo orgânicos não precisamos descartar as cascas por causa dos agrotóxicos, então podemos aproveitar melhor e diminuir o lixo orgânico.
· Que tal uma composteira caseira, é mais fácil do que você imagina.
· Alugue equipamentos em vez de comprar. Quer um exemplo? Quantas vezes realmente usou sua furadeira? Então você precisava de um furo e não de uma furadeira, não é?
· Utilize melhor seu computador, crie pastas de documentos em vez de imprimir, quando não puder evitar a impressão, faça frente e verso e utilize papel reciclado. Faça blocos de papel-rascunho.
· Crie ou procure artesãos que criam produtos artesanais e alternativos reutilizando embalagens de papel, vidro, plástico, metal, isopor e CDs .
· Doe objetos e roupas que possam servir a outras pessoas.
· Crie a reciclagem em seu prédio, em sua casa ou escritório. Temos estações de reciclagem nos Supermercados e Lojas de materiais de construção, não custa levar até lá, enquanto a Prefeitura não se organiza para isso. Afinal a Prefeitura não se organizou ainda porque nós cidadãos não cobramos dela, assim como não cobramos das Empresas que nos atendem mal ou oferecem produtos ruins e prejudiciais.
Instituto Pedro Cozzi – Espaço DAR VIDA

Veja também: O mar de Aral virou areia., Garfield e fast food.22 de todos os dias, Carta da Terra, Nunca comer., Estresse no seu corpo, Repelente de insetos