Debaixo dos Caracóis dos seus Cabelos

Fernanda Takai – Debaixo dos Caracóis dos seus Cabelos (ao vivo)Deckdisc

Tom: D

    D
Um dia a areia branca
      Em7
Seus pés irão tocar
   A7
E vai molhar seus cabelos
  D      G      D  
A água azul do mar
   D
Janelas e portas vão se abrir
     Em7
Pra ver você  chegar
  A
E ao se sentir em casa
    D     G      D  A
Sorrindo vai chorar

REFRÃO
   D                             Em7
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
                          A7
Uma história pra contar
                 D    G D A
De um mundo tão distante
   D                                             Em7
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
                          A7
Um soluço e a vontade
                     D     G D A
De ficar mais um instante

REFRÃO
    D
As luzes e o colorido
      Em7
Que você vê agora
   A7
Nas ruas por onde anda
  D      G      D  
Na casa onde mora
    D
Você olha tudo e nada
   Em7
Lhe faz ficar contente
    A
Você só deseja agora
    D     G      D  A
Voltar pra sua gente

REFRÃO
    D
Você anda pela tarde
      Em7
E o seu olhar tristonho
   A7
Deixa sangrar no peito
  D      G      D    A
Uma saudade um sonho
    D
Um dia vou ver você
      Em7
Chegando num sorriso
   A7
Pisando a areia branca
  D      G    D    A
Que é seu paraíSo

REFRÃO

Insensatez

Fernanda TakaiInsensatezDeckdisc

A insensatez que você fez
Coração mais sem cuidado
Fez chorar de dor
O seu amor
Um amor tão delicado
Ah, porque você foi fraco assim
Assim tão desalmado
Ah, meu coração que nunca amou
Não merece ser amado

Vai meu coração ouve a razão
Usa só sinceridade
Quem semeia vento, diz a razão
Colhe sempre tempestade
Vai, meu coração pede perdão
Perdão apaixonado
Vai porque quem não
Pede perdão
Não é nunca perdoado

Combien d’entre eux, laissent un tel plaisir à écouter , presque 50 ans après ????. Le talent, la bonne musique est éternelle !!!!. Peace, everybody, everywhere !!!.

FRANK SINATRA & ANTONIO CARLOS JOBIM Medley bossa nova 1967 – oliounidizlove

Observe mais: PERTO DO FOGOLUMINESCE™CLARICE LISPECTOR DO SAMBA, CLARA NUNES.MAKOTA VALDINARESERVE™FALANDO SOBRE PATO FU, NAARA BEAUTY DRINK!!!AELITA ANDRECAPITÃO GANCHO, INSTANTLY AGELESS ™MONÓLOGO AO PÉ DO OUVIDO / BANDITISMO POR UMA QUESTÃO DE CLASSEPOR QUE PINGA?VIDACELL®WELLCOME BOXERVILLE (ADULTO)HO’OPONOPONOEMVOITAVO ANDARMONTE SEU FUSCA

A Cidade

A Cidade – Chico Science & Nação Zumbi

O Sol nasce e ilumina as pedras evoluídas,
Que cresceram com a força de pedreiros suicidas.
Cavaleiros circulam vigiando as pessoas,
Não importa se são ruins, nem importa se são boas.

E a cidade se apresenta centro das ambições,
Para mendigos ou ricos, e outras armações.
Coletivos, automóveis, motos e metrôs,
Trabalhadores, patrões, policiais, camelôs.

A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce.
A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce.

A cidade se encontra prostituída,
Por aqueles que a usaram em busca de saída.
Ilusora de pessoas e outros lugares,
A cidade e sua fama vai além dos mares.

No meio da esperteza internacional,
A cidade até que não está tão mal.
E a situação sempre mais ou menos,
Sempre uns com mais e outros com menos.

A cidade não pára, a cidade só cresce
E de cima sobe e o de baixo desce.
A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce.

Eu vou fazer uma embolada, um samba, um maracatu
Tudo bem envenenado, bom pra mim e bom pra tú.
Pra gente sair da lama e enfrentar os urubus. (haha)
Eu vou fazer uma embolada, um samba, um maracatu
Tudo bem envenenado, bom pra mim e bom pra tú.
Pra gente sair da lama e enfrentar os urubus. (ê)

Num dia de Sol, Recife acordou
Com a mesma fedentina do dia anterior.

Observe mais: Manguetown, Pare Pra Pensar, LUMINESCE™Brô Mc´s, Curupira, Antena Caseira dipolo de meia-onda*, Falando sobre Pato Fu, NAARA BEAUTY DRINK!!!O poder da maconha, Na contramão?, INSTANTLY AGELESS ™Quem paga o Carnaval!, Lucy, VIDACELL®Instituto Pindorama, voluntariado., RESERVE™, Consumo colaborativo e sustentabilidade, Carta da Terra

Voce Pode ir na Janela

Você Pode Ir Na Janela – Gram

Se não vai
Não desvie a minha estrela
Não desloque a linha reta

Você só me fez mudar
Mas depois mudou de mim
Você quer me biografar
Mas não quer saber do fim

Mas se vai

Você pode ir na janela
Pra se amorenar no sol
Que não quer anoitecer

E ao chegar no meu jardim
Mostro as flores que falei

Vai sem duvidar
Mas se ainda faz sentindo, vem
Até se for bem no final
Será mais lindo

Como a canção que um dia fiz
Pra te brindar

Você pode ir na janela
Pra se amorenar no sol
Que não quer anoitecer
E ao chegar no meu jardim
Mostro as flores que falei

Você só me fez mudar
Mas depois mudou de mim

Veja também: Capa de disco com gatos., Couro de livro, 3º opção, Feliz dia do índio!!!, O ESPELHO ENEVOADO, Cantar, A Invenção de Hugo Cabret, Saudação ao Sol, Voluntário, Crazy Circle Illusion!, Seven Ages of Rock, Canceriano Sem Lar, Meu nome é cinema