Suicide

Suicide,
An unbearable self-punishment,
Every day in the news,
There will be at least one column,
About the people committing suicide,
Few people feel,
It’s better to die instead of suffering,
They believe in life after death,
In this life, they are not happy,
So they take such decisions,
They feel there is no need,
For leading such a painful life,
Majorly seen reasons,
Society, love and financial issues,
Firstly we should not try to impress any,
We should not be a toy for people,
We need to be strong,
Even the rumors, insults, sadness,
Everything dragging us down,
We have to try to wake up,
Without losing hope if we try hard,
Nothing looks painful,
Nothing looks sad,
Love hurts us most,
Feel it like a lesson,
Even though you lost everything,
Your happiness, your pride,
Maybe you failed,
Love yourself more than loving someone,
Stand up with self-respect,
Financial issues,
We have to work hard,
Day and night,
You have to fight,
Then you can easily blow all your debts,
But life teaches us everything,
In different aspects,
What all we need to do is leading a life,
We have live,
We have bear,
We have to confess,
We have to succeed,
When you love yourself,
When you trust yourself,
You can lead a happy life.

Prasanna Pala – The Essence of you

Essenze-se: Gamers e o CVV, CVV, redes e Ouvidoria, CVV nas mídias sociais, Natal e CVV, +20!, Setembro amarelo: prevenção ou mercantilização?, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

Setembro amarelo: prevenção ou mercantilização?

A prevenção do suicídio é um tema de esclarecimento necessário, sobretudo quando nos defrontamos com os dados epidemiológicos: quase 80% de todas as mortes por suicídio do mundo ocorrem nos chamados países em desenvolvimento; mesmo nos países com alta renda, os suicídios se concentram nas populações vulnerabilizadas e periféricas; no Brasil, os segmentos que mais se matam são aqueles que mais sofrem violência, a saber, a população indígena, preta, LGBTQIA+ e idosa. Deste modo, revela-se muito explicitamente a relação entre suicídio e violência estrutural, assim como a complexidade do fenômeno para se pensar políticas de prevenção de tipo universal, seletiva e indicada. THIAGO BLOSS DE ARAÚJO – a terra é redonda

Entretanto, a generalização da campanha para todo o mês de setembro produziu, nos últimos anos, um efeito contrário ao pretendido: a mercantilização e a desinformação sobre o comportamento suicida. Tornou-se já um “market trend” neste período que profissionais qualificados e não qualificados, blogueiros, celebridades e políticos se aproveitem da questão social do suicídio como plataforma de autopromoção.

Um dos dados equivocados repetidamente difundidos no Setembro Amarelo – tanto por alguns “especialistas”, quanto por oportunistas – é o de que 90% dos casos de suicídio estão associados a transtornos mentais.

Este dado, já refutado por sua fragilidade metodológica, tem sua origem em pesquisas de análise retrospectiva de mortes por suicídio no final dos anos 1990 e início dos 2000. Tais pesquisas estão embasadas sob forte olhar medicalizado do fenômeno humano, que acaba por reduzir o suicídio a uma patologia.

Com efeito, a reprodução irresponsável desses dados obedece a uma racionalidade mercadológica. Neste mês vemos crescer de forma exponencial profissionais da saúde mental ou até da administração de empresas, que vendem soluções mágicas para o comportamento suicida, sejam elas de origem comportamental, motivacional ou medicamentosa.

Deste modo, um fenômeno socialmente determinado como o suicídio, converte-se em objeto de discursos individualizantes e patologizantes, reduz-se a uma anormalidade a ser corrigida. Ou seja, tal como na Idade Média, o indivíduo que apresenta comportamento suicida se torna alvo de expiação e culpabilização por seu desespero diabólico.

Mesmo os profissionais com formação adequada no tema tendem a cair nesse tipo de racionalidade. A tendência neoliberal de converter tudo, inclusive a saúde mental, em objeto de administração empresarial de si, torna muitos profissionais qualificados reféns dessa lógica mercadológica. Mesmo sem a intenção, muitos colaboram para a espetacularização e mercantilização do suicídio ao restringirem seu campo de reflexão a soluções morais, discursos de união e empatia, por justamente serem os mais propícios ao consumo nas redes sociais e à aceitação pelo senso comum. Esta fórmula seduz inclusive gestores públicos, que compram a ideia e assim se eximem da responsabilidade de implementar políticas públicas de redução das desigualdades. Aliás, é importante lembrar que a redução das desigualdades tem impacto na redução dos suicídios. Por exemplo, os municípios brasileiros que dispõem de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e programas de transferência de renda bem estruturados apresentam números menores de suicídios.

Deste modo, em seu atual formato o Setembro Amarelo se mostra ineficaz para dar conta da principal raiz do comportamento suicida: a violência estrutural. Ao invés de o mês de conscientização sobre a prevenção do suicídio apontar para a necessidade da redução das desigualdades, da implementação de políticas públicas, da garantia de direitos e da busca por uma sociedade justa, o que se vê atualmente é a redução da saúde mental à sua dimensão mais abstrata, a saber, a do indivíduo convertido em “empresa-de-si”.

Fora desta relação, cada indivíduo-empresa defende os valores que bem entende, desvinculados de qualquer compromisso coletivo. Daí a contradição presente em muitos casos de pessoas que se dizem a favor da prevenção do suicídio e que, ao mesmo tempo, são a favor da pena de morte. Tornam-se defensores da “valorização da vida” conforme a ocasião, conforme o negócio, conforme a conveniência.

Obviamente, a solidariedade e a sensibilização com o sofrimento do outro é de extrema importância. Isto seria o fundamento de qualquer relação que se queira saudável e é sem dúvida uma premissa para a prevenção do suicídio. Entretanto, atualmente paramos nessa premissa.

É sempre necessário lembrar da importância do trabalho do Centro de Valorização da Vida (CVV) no acolhimento de pessoas em crise suicida. Trata-se de um serviço gratuito, disponível 24 horas por dia, que pode ser acessado pelo telefone 188 de qualquer região do país.

O que significa o 10 de setembro? com a psicóloga Luana Lima e a Jornalista Cleisla GarciaCVVOficial

Setemze-se: , , Setembro amarelo, UM PASSADO AINDA MUITO PRESENTE

Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

O suicídio pode ser definido como um ato deliberado executado pelo próprio indivíduo, cuja intenção seja a morte, de forma consciente e intencional, usando um meio que acredita ser letal. Também fazem parte do que habitualmente é chamado de comportamento suicida: os pensamentos, os planos e a tentativa de suicídio. Biblioteca Virtual em Saúde – MINISTÉRIO DA SAÚDE

É um comportamento com determinantes multifatoriais, resultado de uma complexa interação de fatores psicológicos e biológicos, inclusive genéticos, culturais e socioambientais. Dessa forma, deve ser considerado como o desfecho de uma série de fatores que se acumulam na história do indivíduo, não podendo ser considerado de forma causal e simplista apenas a determinados acontecimentos pontuais da vida do sujeito. É a consequência final de um processo.

Diversos fatores podem impedir a detecção precoce e, consequentemente, a prevenção do suicídio. O estigma e o tabu relacionados ao assunto são aspectos importantes. Durante séculos de nossa história, por razões religiosas, morais e culturais, o suicídio foi considerado um grande “pecado”, talvez o pior deles.

A prevenção deve ser também um movimento que leve em consideração os aspectos biológico, psicológico, político, social e cultural, no qual o indivíduo é considerado como um todo em sua complexidade.

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Preveze-se: Gamers e o CVV,Setembro Amarelo, CVV nas mídias sociais, Setembro amarelo, 10 de Setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, Setembro Vermelho

Setembro Amarelo

O voluntário do CVV doa seu tempo e sua atenção para quem deseja conversar com outra pessoa de forma anônima, sigilosa e sem julgamentos ou críticas.

Se você tem mais de 18 anos de idade, pelo menos quatro horas disponíveis por semana e vontade de ajudar pessoas, você pode ser um plantonista do Programa de Apoio Emocional do CVV. Para isto, você precisa participar de um curso gratuito de preparação de voluntários, em uma de nossas sedes ou no ambiente virtual. As principais frentes de atuação do plantonista são o atendimento por telefone, voip e chat.

Para se cadastrar e participar gratuitamente do curso presencial ou virtualmente, clique aqui e faça sua inscrição.

CVVze-se: Por que setembro amarelo?!?, Oito filmes que retratam o suicídio, SUICÍDIO, por que ENTENDER?!?, Amigos são melhores que morfina, Ilumina o Mundo

CVV nas mídias sociais

Gostaríamos de convidar todos a visitar, seguir e compartilhar as páginas do CVV nas mídias sociais. Divulgar é uma forma de mantermos as pessoas informadas sobre seus serviços, além de cientes de que NÃO ESTÃO SOZINHAS e de que o CVV está pronto para acolhê-las de coração aberto.
Facebook
https://www.facebook.com/cvvoficial/
Instagram
https://www.instagram.com/cvvoficial/?hl=pt-br
Twitter
https://twitter.com/cvvoficial
YouTube
https://www.youtube.com/c/cvvoficial
Site
https://www.cvv.org.br/

CVVze-se: CVV, 57 anos!!!, CVV, Psiquiatra, Conemo, Um Homem Chamado Ove, 10 palavras positivas para todos os dias, Oito filmes que retratam o suicídio, Jardim da Empatia

Tempestade / Love Vigilantes

Pato Fu – Tempestade / Love Vigilantes (ao vivo)

Tempestade – Maskavo

Chegou a tempestade devastando o lugar
E quem viu desesperou-se e comecou a chorar

O frio, queimando as plantas, castigando animais
A fome era o que mais assolava
Matando bons e maus em uma soh tacada

O sol retoma logo a dianteira
Mandando avisar que o ceu eh dele
E que tudo vai mudar

Tudo vai mudar
tudo vai mudar
Tudo vai mudar

E ja nao existia mais tristeza no ar
Assim que o sol nasceu
e comecou a brilhar

A luz tranquilizou toda a populacao
A chuva ja nao nos preocupava
Havia novo gas pra crowd da parada

Eh o sol quem toma conta do planeta
E manda avisar que o seu povo
nao precisa mais chorar
Nao precisa mais chorar
Nao precisa mais chorar
Nao precisa mais chorar


aa…

O sol que toma conta do planeta
Mandando avisar que o ceu eh dele
E que tudo vai mudar
Tudo vai mudar
tudo vai mudar
tudo vai mudar


ooo..
ooo..

Love vigilantes

Pato Ze-se: Diversão em cena – Música de brinquedo 2, com Pato Fu, Pato Fu – Bem Brasil, 1999, Falando sobre Pato Fu, Anormal, Um ponto oito, Vida imbecil, Um dia, um ladrão, Sobre O Tempo

Tabaco e álcool sim, Maconha não. Por que?!?

O principal argumento dos proibicionistas é que drogas prejudicam o indivíduo e a sociedade e que a proibição diminui o consumo. Ambos argumentos que a priori se sustentam: psicotrópicos realmente podem “fazer mal” e em geral as drogas proibidas são menos utilizadas do que as drogas legalizadas. nicolas teixeira cabral

Contudo, isso não justifica que o álcool seja legalizado, enquanto a maconha ou o LSD são proibidos; afinal, essas drogas se mostram menos maléficas para o indivíduo do que o álcool. Além disso, a “guerra às drogas” mostra um custo social muito grande, talvez maior do que os custos sociais do aumento do consumo advindo da legalização.

No fim, parece que a manutenção da proibição de algumas drogas se funda muito mais em moralismo do que em razões objetivas. “Usar droga é errado, logo, deve ser proibido”. Seria como, p. ex., proibir o adultério.

Mas por que proibir a maconha, e não o tabaco? Uma das teorias, a qual encaro com ceticismo, é que nessa época de Nixon a maconha era uma droga típica de negros e hispânicos, e que a proibição da substância legitimaria a perseguição a esses grupos.

A proibição das drogas no século XX pode ter sido motivada por interesses econômicos, moralismo e xenofobia; esses mesmos fatores, somados ao medo de que as drogas corrompam a sociedade, sustentam a proibição até hoje.
O cigarro, assim como o café, o chá e o cacau, é uma droga ao mesmo tempo muito prazerosa e pouco entorpecente. Você pode fumar um cigarro e dirigir ou trabalhar, como faz após tomar um café. Isso não é verdade com o álcool, a maconha, a cocaína nem o LSD. Ademais, o tabaco também é socialmente estimulante, o que lhe favorece ainda mais. Antes da década de 1950, o tabaco era até utilizado como remédio para doenças respiratórias! Não fazia sentido proibir!
O álcool é menos inocente a curto prazo do que o cigarro: ele altera importantemente nossa percepção, causa mortes no trânsito, violência doméstica, brigas de rua. Eu acho que não foi proibido simplesmente porque é uma droga mais querida (assim como o cigarro e o café) pelos humanos ou pelo menos pelos humanos ocidentais (países árabes têm muito maiores restrições ao consumo de álcool). Provavelmente tem a ver com o cristianismo também.

A tendência mundial tem sido legalizar ou tolerar o consumo da maconha, que não por coincidência é a droga ilícita mais utilizada ao redor do mundo. Temos exemplos na Holanda, EUA, Uruguai, Portugal etc.

Algumas anfetaminas são apenas controladas, e não proscritas, por oferecerem potencial terapêutico importante (como para TDAH). Outros psicotrópicos também entram nessa: alguns derivados de cannabis, metilfenidato, opioides etc.

Para a Organização Mundial da Saúde, podem ser consideradas drogas as substâncias naturais ou sintéticas com capacidade de modificar uma ou mais funções do organismo . As alterações dependem das características de composição da droga, formas de uso, quantidades e tempo e também das características de quem utiliza, pois a mesma droga pode provocar diferentes efeitos em cada indivíduo. nesp
Os tipos e efeitos são os mais variados, desde as lícitas como medicamentos para dormir ou emagrecer, álcool e tabaco, até as ilícitas como a maconha, cocaína, crack, ecstasy, entre outras.

As drogas fazem parte da história da humanidade, sendo consumidas em busca de prazer, socialização, alívio de dores e da ansiedade e outras alterações do nível de consciência.

Na adolescência, uma época da vida de experimentações e transformações, o consumo é especialmente preocupante, pois estão em busca da autonomia e não aceitam bem recomendações. A dependência química e social é um risco e pode prejudicar o desenvolvimento de jovens causando danos ao seu potencial intelectual, emocional e social.
Para prevenção ao uso de álcool e outras drogas, é importante considerar o tripé: indivíduo-substância-contexto social, político e econômico.

Libertize-se: Milton Friedman, TRAFICANTES DE POLÍTICAS, 15 MIND OPENING LSD QUOTES, #LAS TÉCNICAS #’MINDFULNESS’ AYUDAN AL #ENFERMO MENTAL A SER CONSCIENTE DE SUS #EMOCIONES Y A ESCUCHAR SUS NECESIDADES, FHC LEGALIZE, TIMOTHY LEARY, MACONHA NO SENADO, RICARDO LSD BOECHAT DOIDÃO

Dia Internacional do Voluntário

O Dia Internacional do Voluntário (ou Dia Internacional do Voluntariado) é celebrado anualmente em 5 de dezembro e foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1985. Os voluntários são aquelas pessoas que têm espírito cívico e interesse por ajudar a construir uma sociedade melhor, dedicando para isso parte do seu tempo em trabalhos sociais, sem receber qualquer tipo de remuneração por isso.

No Brasil, o Dia do Voluntário também é celebrado em 28 de agosto, data esta conhecida como Dia Nacional do Voluntariado, e instituída através da Lei nº 7.352, de 28 de agosto de 1985. Calendarr

Imagens: Natalia KelbertVoluntariado Empresarial
Veja também: Voluntário, Coincidence or not, Casas de Mediação, Dia Mundial do Meio Ambiente., Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Pessoas criativas são mais propensas à depressão e dependência química, Violentamente pacífico, Efeito Borboleta

A blogueirinha e a Joana

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2825413017520908&id=173920672670169

Gabriela Pugliesi, a blogueirinha fit, postou no seu instagram que não tem nada melhor do que: “acordar, meditar, alongar, fazer atividade física, ir pra crioterapia e depois fazer drenagem!” Numa Segunda-feira. Não, ela não está de férias!

Ela recebe pra fazer atividade física, pra publicar as marcas que a patrocinam, pra divulgar a massagista, pra dizer que a vida é “mara” e que ela é muito feliz.

Ela também diz que Cúrcuma e Magnésio são “mara” e que fazem bem “pra tudo”. E aí, a Joana (nome fictício) vê isso.

Ela, Joana, acorda cedo, passa um café rapidinho, corre pro trabalho, come no refeitório do serviço, chega em casa depois das 19h, pega seu material de estudos e corre pro inglês. Volta, come qualquer coisa, e dorme porque “todo dia ela faz tudo sempre igual, se sacode às 6h da manhã”. Então, a Joana que é uma pessoa normal, começa a se sentir fracassada. Triste. Talvez seja falta de cúrcuma ?

Ela não consegue acordar, meditar, alongar, treinar, fazer crioterapia e drenagem.
Enquanto a blogueira faz drenagem, ela já está na segunda reunião. Entregando o quarto relatório do dia. E nem 10min de meditação ela consegue fazer!

E o que que essas blogueiras fazem pra humanidade, além de demonstrar uma vida fictícia que NINGUÉM normal pode ter?

E aí vemos jovens cada dia mais depressivos, pessoas cada vez mais imediatistas, profissionais mais frustrados e, a vida real, que era pra ser a vida realmente boa, mesmo com os seus tropeços, vai sendo vista como uma vilã cruel.

Umas semanas atrás, um “coach de life style” se matou. Um tal de Coach Bueno.
Desses que tinham a vida plena na rede social. Mas a vida real, que é boa mesmo com seus percalços, pesou. E ele não aguentou. Vejam só: a maioria dos influenciadores digitais se consultava com ele.
E ele? Se consultava com quem?

Em tempos de cúrcuma, magnésio, vida “mara”, água com limão de manhã, crioterapia, meditação e life style… eu fico com o churrasco, o arroz (pode até ser com açafrão!) com feijão, a vida em família, a religião, a atividade física moderada, e um brigadeiro, que nunca matou ninguém de decepção.

(Texto: Valéria Araujo)

188

Eu Consegui sair da Depressão e fiz essa musica pra você que nesse momento acha que sua vida não tem mais faz sentido.
Saiba que você é MUITO IMPORTANTE pras pessoas que estão ao seu arredo, converse com elas conte o que você esta sentindo busque ajuda e assim como eu você vai ficar bem.

Em “188”, Das Quebradas imprime certa confusão mental e tristeza profunda, além de um grito de socorro. Segundo o cantor e compositor, a ideia da música é ajudar as pessoas a identificarem a doença e incentivar a procura por ajuda, até por isso a canção foi batizada com o número de telefone do Centro de Valorização da Vida, disponível 24 horas por dia para auxiliar pessoas depressivas.

“A melhor forma para a pessoa sair da depressão é conversar, pedir ajuda. Fale com as pessoas que te ama, com as pessoas que estão do seu lado. A gente está no tempo do virtual e, muitas vezes, não temos um contato real com as pessoas. E, claro, se não estiver confortável para falar com os amigos e familiares, ligue 188”, finaliza.

Contato para Shows: contato.dasquebradas@gmail.com

Facebook: https://www.facebook.com/dasquebradas
Instagram:

http://instagram.com/dasquebradas
Twitter:

https://twitter.com/DasQuebradasDQ

Mude conceitos, você pode e deve: CVV, Ilumina o Mundo, A MEDITAÇÃO E SEU CERÉBRO, SAUDAÇÃO AO SOL, Eju Orendive, Portal Rap Nacional, Xeque Monte, Catastrofe natural?, Território, Quebrada Queer, O povo da caixa, Tribo de Jah – Mata Atlântica, A verdade pode estar no ovo, MC SOFFIA

Algumas coisas podem esperar!

Santos Futebol Clube


O Suicide Awareness Voices of Educations (SAVE), organização dedicada à prevenção do suicídio, apresenta alguns alertas de comportamento, como dormir muito pouco ou demais, exibir mudanças extremas de humor, isolamento, mostrar raiva ou demostrar desejo de vingança, agir com ansiedade, agitação ou imprudência, dizer que está desesperançoso ou que não tem propósito na vida. Portal da Cidade de Louveira

A genética, a poluição e até os agrotóxicos podem ser considerados como catalisadores de transtornos mentais, também existem fatores como estresse, mudanças bruscas na rotina e acontecimentos que desestabilizam o ser humano, como a perda de familiares. Os jovens são mais afetados por estarem ainda com o cérebro em desenvolvimento.

Se você está passando por um momento difícil, o Centro de Valorização da Vida (CVV) conta com telefones que oferecem auxílio 24 horas, sem custo. Ligue 188 e peça ajuda. Você vai ser acolhido, você vai ser ouvido. Ligue 188 ou converse através do CHAT.

Compartilhar sobre o quão suscetíveis podemos ser, e dividir nossos medos e fraquezas nos afeta profundamente, mas é uma das melhores maneiras de diminuir o fardo das aflições. A campanha do Setembro Amarelo acontece desde 2014, através de uma parceria entre CVV, Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), e visa intensificar a prevenção do suicídio. Blog Netion

Também é possível pedir ajuda através do site, clicando AQUI.


A cor e o mês para a campanha não foram escolhidos à toa, o amarelo representa a chama da vida e a esperança, já setembro, foi escolhido por ser o mês com maior índice de suicídios no mundo e em comemoração ao dia 10 de setembro (Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio).

Setembro Amarelo é uma campanha organizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em conjunto com a Associação Médica Brasileira (AMB), o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Federação Nacional dos Médicos (FENAM) e outras entidades como o Centro de Valorização à Vida (CVV).


No Brasil, é possível receber assistência gratuita nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), em algumas universidades, e entidades que prestam serviço social e acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Além disso, o Centro de Valorização da Vida (CVV) é referência em apoio e assistência emocional, recebendo até 800 mil ligações por ano através do telefone (141). TV Gazeta

Por que setembro amarelo?!?


“Don’t blame yourselves, Mom and Dad, I love you.” It was signed, “Love, Mike 11:45 pm”. Yellow Ribbon

Em 1994, o americano Mike Emme, filho do casal Dale Emme e Darlene Emme, suicidou-se com apenas 17 anos. Mike era conhecido por sua personalidade caridosa e por saber muito sobre mecânica. Sozinho, o garoto conseguiu restaurar um Mustang 68 e pintou o carro todo de amarelo. Porém, aqueles que conviviam com Mike não viram os sinais de angústia.

No dia do funeral do jovem, uma cesta de cartões com fitas amarelas presas a eles estava disponível para quem quisesse pegá-los. Os cartões e fitas foram feitos por amigos de Mike e possuíam uma mensagem: “Se você precisar, peça ajuda”. Em pouco tempo, os cartões se espalharam pelos Estados Unidos e começaram a surgir mais e mais cartões com pedidos de ajuda. Um professor de outro estado americano havia recebido um dos cartões de uma aluna, pedindo por ajuda.

Resumindo a história: por conta da grande repercussão do caso, a fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscar ajuda.

Em 2003 a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio e o amarelo do Mustang de Mike é a cor escolhida para representar esta campanha.

A campanha Setembro Amarelo teve início no Brasil em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). As primeiras atividades da campanha aconteceram na capital do país, Brasília, e no ano seguinte outras regiões também aderiram ao movimento.

O objetivo do Setembro Amarelo é reforçar a importância do diálogo, quebrando o tabu sobre o assunto e ajudando quem está mais vulnerável.

Em 2017, estava muito popular um vídeo sobre esse mesmo rapaz, essa é apenas uma das versões sobre a origem do Setembro Amarelo, e que até então não se tinha conhecimento de outro país além do Brasil que dedicasse um mês todo à prevenção do suicídio, em um esclarecimento feito pela Elaine, da Comissão Nacional de Estudos. Existem várias versões para o Setembro Amarelo a da Fita Amarela é uma delas.

O Setembro Amarelo surge no Brasil havendo um pequeno e simbólico movimento em 2014, quando da escolha da cor inicialmente isso teve relação com o significado de alerta, atenção, luz, sol, vida, e a escolha do mês de deu por conta do dia 10/09 dia Mundial de Prevenção do Suicídio

O Setembro Amarelo possui um símbolo e um domínio na internet, sua data de criação foi numa quarta-feira, 22 de outubro de 2014 19:17.

www.setembroamarelo.org.br

Mude conceitos, você pode e deve: CVV, Setembro Amarelo, A MEDITAÇÃO E SEU CERÉBRO, SAUDAÇÃO AO SOL, Setembro Amarelo,você nunca esteve sozinho?, OS JOVENS, O SUICÍDIO E A AUTOMUTILAÇÃO, CVV, 57 anos!!!, EM BUSCA DA VERDADE, LIVROS QUE ENSINAM AS CRIANCAS CUIDAR DO PLANETA, Efeito Werther, MEDO?, ATARI 2600, SUICÍDIO, por que ENTENDER?!?, I WILL SURVIVE, HO’OPONOPONO, BESOURINHA, OS CINCO PRINCÍPIOS DE BEM VIVER, Hannah Baker, 17 anos, vadia e suicida.

Paenitet Amicus

Gratidão amigos e seguidores e parentes e família. One team All world

Mude conceitos, você pode e deve: Vitórias e Conquistas, Dia do Amigo e Internacional da Amizade, Luzes, Remédio caseiro para controle de pulgas, Saudação ao Sol, En+coleira+ar, Casa da árvore, Bandeirantes Modernos, Somos todos doadores, Coleta seletiva de lixo, Estresse no seu corpo, Veteranas de guerra, Em progresso, Dia da Amizade, A EVOLUÇÃO DOS ROBÔS.