O que acontece quando amamos?

“O que acontece quando amamos?” Perguntei como uma escolar.
“Na alma não acontece nada” disse de pronto. “Os sentimentos não se desenvolvem na alma. Eles têm outro terreno. Mas passam também pela alma, como a enchente banha as margens de um rio”.
“Um homem inteligente, racional, é capaz de deter uma inundação dessas?” perguntei.
“Veja“ ele disse animado, “a pergunta é bem interessante. Eu me ocupei muito dela. Sou obrigado a responder até certo ponto sim. Quero dizer… a razão não é capaz de deter sentimentos. Porém pode controla-los. Os sentimentos, se forem perigosos, podem ser enjaulados.”
“Como um puma?…”, eu disse sem querer.
“Como um puma”, ele disse e deu de ombros. “Ali então o pobre sentimento anda em círculos, faz barulho, range os dentes, bate nas grades… mas por fim cede, o pelo e os dentes se resfriam, ele envelhece, se torna manso e triste. É possível… Já vi coisa parecida. Essa é obra da razão. O sentimento pode ser contido e domado. É claro”, disse prudente, “que não convém abrir a porta da jaula antes da hora. Porque o puma sai, e, se ele ainda não estiver suficientemente manso, pode causar muito desconforto”. Sándor Márai – De verdade

A consciência do coração é o nosso ser puro, um tipo de consciência de amor, de paz, de tranquilidade e contentamento, que apenas testemunha tudo, que não tem forma, nem limites, que nunca muda e portanto, nunca morre. Ela é a fonte de toda a criação, o campo absoluto de onde tudo se origina. Eduardo Chimenti

  • Nosso coração tem aproximadamente 40 mil neurônios com uma espessa rede de neurotransmissores e um sistema nervoso próprio;
  • O coração tem um campo eletromagnético 5000 vezes mais forte que o cérebro. Para termos uma ideia, enquanto para se fazer um eletroencefalograma precisamos colocar os eletrodos colados na cabeça, para se fazer um eletrocardiograma, podemos colocá-los até no dedão do pé. Isso acontece, porque o campo eletromagnético do coração pode ser medido em um diâmetro de até 3 metros de distância, e esse campo permeia cada célula do nosso corpo;
  • O coração é o único órgão que funciona independente do cérebro. Ele tem consciência própria, percebe, toma decisões e tem memória. Ou seja, ele é um órgão inteligente!
  • O coração envia 2 vezes mais informações ao cérebro, do que o cérebro envia ao coração, e ele pode inibir ou ativar determinadas partes do cérebro segundo as circunstâncias;
  • 65% das células que formam o coração, são células nervosas; mais do que qualquer outro orgão;
  • A ciência tem feito diversos experimentos, através da coerência dos batimentos, que comprovam que o coração recebe primeiro informações de algo que ainda não aconteceu, como noticias ruins e boas etc…
  • O coração é o primeiro órgão a ser formado no embrião. E muito mais…

Os Cegos e o Elefante

Numa cidade da Índia viviam sete sábios cegos. Como os seus conselhos eram sempre excelentes, todas as pessoas que tinham problemas recorriam à sua ajuda.
Embora fossem amigos, havia uma certa rivalidade entre eles que, de vez em quando, discutiam sobre qual seria o mais sábio.

Certa noite, depois de muito conversarem acerca da verdade da vida e não chegarem a um acordo, o sétimo sábio ficou tão aborrecido que resolveu ir morar sozinho numa caverna da montanha. Disse aos companheiros:

– Somos cegos para que possamos ouvir e entender melhor que as outras pessoas a verdade da vida. E, em vez de aconselhar os necessitados, vocês ficam aí discutindo como se quisessem ganhar uma competição. Não aguento mais! Vou-me embora.

No dia seguinte, chegou à cidade um comerciante montado num enorme elefante. Os cegos nunca tinham tocado nesse animal e correram para a rua ao encontro dele.
O primeiro sábio apalpou a barriga do animal e declarou:
– Trata-se de um ser gigantesco e muito forte! Posso tocar nos seus músculos e eles não se movem; parecem paredes…

– Que palermice! – disse o segundo sábio, tocando nas presas do elefante. – Este animal é pontiagudo como uma lança, uma arma de guerra…

– Ambos se enganam – retorquiu o terceiro sábio, que apertava a tromba do elefante. – Este animal é idêntico a uma serpente! Mas não morde, porque não tem dentes na boca. É uma cobra mansa e macia…

– Vocês estão totalmente alucinados! – gritou o quinto sábio, que mexia nas orelhas do elefante. – Este animal não se parece com nenhum outro. Os seus movimentos são bamboleantes, como se o seu corpo fosse uma enorme cortina ambulante…

– Vejam só! – Todos vocês, mas todos mesmos, estão completamente errados! – irritou-se o sexto sábio, tocando a pequena cauda do elefante. – Este animal é como uma rocha com uma corda presa no corpo. Posso até pendurar-me nele.

E assim ficaram horas debatendo, aos gritos, os seis sábios. Até que o sétimo sábio cego, o que agora habitava a montanha, apareceu conduzido por uma criança.

Ouvindo a discussão, pediu ao menino que desenhasse no chão a figura do elefante. Quando tateou os contornos do desenho, percebeu que todos os sábios estavam certos e enganados ao mesmo tempo. Agradeceu ao menino e afirmou:

É assim que os homens se comportam perante a verdade. Pegam apenas numa parte, pensam que é o todo, e continuam tolos!”

Enxergue mais: CEGUETASNARCISO DE ÉBANONAARA BEAUTY DRINK!!!GLOSS DELIVERYA ÚLTIMA SACANAGEM DO CRIADOR CONTRA NÓSEMVCOLEIRA PARA CRIANÇAS, ABSURDO?INSTANTLY AGELESS ™KOMBI HOUSEÍNDIO EDUCAO ANALFABETO POLÍTICOVIDACELL®ESTUPIDEZEMDRIVE – O MOTOR IMPOSSÍVELRESERVE™ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA HÍDRICABE MY EYES APP

Fumaça Louca

Fumaça Louca – Ventania

oh oh oh oh oh oh oh oh oh… oh oh oh oh oh oh oh oh ohhhh

Quantas noites sem durmir olhando da minha janela
Luzes da cidade viajo o pensamento
Madrugada adentro enquanto muitos dormem
Quando os loucos atearam fogo aceleraram a mente
Viajaram na fumaça louca
Que passando a todos foi de boca em boca
No silêncio sinto esta fumaça me lavar o rosto
Maquinar meu cérebro fazendo louco
Me indagando a noite pela lucidez
Como posso eu parar na noite pra dar mais um trago
Se eu vivo esta lucidez tão louco
Só por mais um pouco eu vou pirar de vez
São os olhos de um poeta louco que contempla a noite
Na palavra certa de um pensamento
Só por um momento de inspiraçao
Quantas noites sem durmir olhando da minha janela
Luzes da cidade viajo o pensamento
Madrugada a dentro enquanto muitos dormem

oh oh oh oh oh oh oh oh oh… oh oh oh oh oh oh oh oh ohhhh

Quantas noites sem durmir olhando da minha janela
Luzes da cidade viajo o pensamento
Madrugada adentro enquanto muitos dormem
Quando os loucos atearam fogo aceleraram a mente
Viajaram na fumaça louca
Que passando a todos foi de boca em boca
No silêncio sinto esta fumaça me lavar o rosto
Maquinar meu cerebro fazendo louco
Me indagando a noite pela lucidez
Como posso eu parar na noite pra dar mais um trago
Se eu vivo esta lucidez tão louco
Só por mais um pouco eu vou pirar de vez
São os olhos de um poeta louco que contempla a noite
Na palavra certa de um pensamaneto
Só por um momento de inspiraçao
Quantas noites sem durmir olhando da minha janela
Luzes da cidade viajo o pensamento
Madrugada adentro enquanto muitos dormem….

oh oh oh oh oh oh oh oh oh… oh oh oh oh oh oh oh oh ohhhh
ventania

Veja também: FHC = THC, Só Pra Variar, Doenças degenerativas, Banana, A importância do Doutorado, Repo man, O Livro de Eli, A indústria farmacêutica está fora de controle?, DIA DA ÁRVORE, Ruas de Belém, Eu sou o meu Deus., Me lave por favor!, O dízimo da educação!