Peer to Peer – P2P, ou a economia compartilhada!?!

Também conhecido por Peer to Peer – P2P, o consumo na economia compartilhada se dá entre pessoas físicas, mas não exclusivamente, e não necessariamente há envolvimento de recursos financeiros. Essa forma de consumo explodiu com o uso e evolução da tecnologia oferecendo diversos formatos principalmente em forma de aplicativos e criação de inúmeras startups. CADE MEU TESOURO

Este consumo pode ser uma troca, compartilhamento ou aluguel de bens e serviços, enfim o uso coletivo de um produto ou serviço sem ter que comprar pelo mesmo.

Ou seja, usar ao invés de comprar. Usa-se apenas pelo tempo necessário. É uma excelente forma de otimização dos bens produzidos.

Dos mais conhecidos como os aplicativos de transporte, de delivery, aos aluguéis de quartos e casas por temporadas, passando por hospedagem de pets. Streaming de filmes, podcast e músicas, as áreas de coworking, moradias, doação de comida, hortas, compartilhamento de brinquedos, máquinas e ferramentas são alguns exemplos do poder desta economia e as diferentes maneiras que podem ser consumidas.

Existe um perfil específico do consumidor do futuro, que foi detectado pela Consultoria WGSN, que é chamado de Comunitário. São predominantemente equilibrados, solitários, conscientes e focados na carreira. São os que abandonaram os centros urbanos na busca de mais tranquilidade e equilíbrio em cidades menores e estão interessados na comunidade onde estão inseridos, querem fixar raízes, são localistas (o local onde vivem é mais importante do que a carreira) e ambientalistas.

Em uma só tacada, economia no bolso principalmente em tempos de crise financeira e inflação, nova fonte de renda em cenário de muito desemprego, diminuição do excesso de consumo aliviando a consciência e ajudando na postura mais minimalista onde o ser é mais importante do que o ter, praticidade em tempos do tudo para já, poupança dos recursos naturais cada vez mais escassos e ajuda nas comunidades cumprindo o seu papel social e cidadão.

Uma mudança no estilo de vida que traz impactos positivos para o orçamento, porque possuir bens além do dinheiro necessário para comprar traz consigo muitos gastos para mantê-los.

O consumidor está na busca de mais protagonismo, está saindo do papel passivo para o ativo. Ele entende que, enquanto consumidor, possui em suas decisões de compra o poder do futuro.

Compartilhize-se: Carta da Terra, Licitação Sustentável, Consumo alienígena, Consumo colaborativo e sustentabilidade, Consumo colaborativo, Reuso de água na Semana do Químico, A chocante monotonia das prateleiras de supermercados

Dia Mundial do Meio Ambiente.

O que vc está fazendo por Ele?

Reciclar reduz a utilização desenfreada dos recursos naturais, economiza água, energia, gera trabalho e renda para milhares de pessoas. Lembrando sempre que Consumismo e Prosperidade são coisas antagônicas.

Os 5 R’s nos ajudam a entender e avaliar melhor nossas atitudes, comece devagar ou se já começou introduza novos hábitos, mas faça disso um jogo diário, o jogo da Vida.

Considere suas atitudes e veja o que pode fazer ainda mais pelo Meio Ambiente.
· Antes de comprar perguntar: Preciso realmente disto?
· Posso ir a pé a determinados lugares em vez de carro? E que tal ir de bicicleta, mais divertido?
· Separo embalagens, matéria orgânica e óleo de cozinha?
· Prefiro embalagens de papel ou papelão?
· Jogo no lixo apenas o que não é mais reutilizável ou reciclável?
· Procuro utilizar produtos de limpeza orgânicos e biodegradáveis ou alternativas caseiras como vinagre, sal, limão e bicarbonato de sódio, mais baratos e que não fazem mal à Saúde e à Natureza?
· Utilizo lâmpadas econômicas e pilhas recarregáveis?
· Evito o excesso de sacos plásticos e embalagens? Hoje temos sacolas de pano bem legais para nossas compras, e não só no supermercado, recuse plásticos na farmácia, nas lojas, e onde mais puder. Sempre esclarecendo à vendedora que plástico polui, por isso não uso.
· Escolha produtos com embalagens mais econômicas, priorize as retornáveis.
· Prefira produtos certificados que não agridam o Meio Ambiente e cobre Empresas quanto ao quesito Saúde. Porque temos que engolir agrotóxicos e transgênicos? Porque os amidos de milho como Maizena e Yoki , ou produtos como Cremogema, Arrozina, Fermento Royal tem o símbolo de transgênico tão pequeno se Transgênico é “legal” ? Não devia vir em letras bem grandes como um benefício?
· Exija qualidade, pois nela está embutida a durabilidade do produto. Portanto, menos resíduos e desperdícios (água, energia e recursos naturais).
· Na cozinha invente receitas e reaproveite de forma integral os alimentos, sendo orgânicos não precisamos descartar as cascas por causa dos agrotóxicos, então podemos aproveitar melhor e diminuir o lixo orgânico.
· Que tal uma composteira caseira, é mais fácil do que você imagina.
· Alugue equipamentos em vez de comprar. Quer um exemplo? Quantas vezes realmente usou sua furadeira? Então você precisava de um furo e não de uma furadeira, não é?
· Utilize melhor seu computador, crie pastas de documentos em vez de imprimir, quando não puder evitar a impressão, faça frente e verso e utilize papel reciclado. Faça blocos de papel-rascunho.
· Crie ou procure artesãos que criam produtos artesanais e alternativos reutilizando embalagens de papel, vidro, plástico, metal, isopor e CDs .
· Doe objetos e roupas que possam servir a outras pessoas.
· Crie a reciclagem em seu prédio, em sua casa ou escritório. Temos estações de reciclagem nos Supermercados e Lojas de materiais de construção, não custa levar até lá, enquanto a Prefeitura não se organiza para isso. Afinal a Prefeitura não se organizou ainda porque nós cidadãos não cobramos dela, assim como não cobramos das Empresas que nos atendem mal ou oferecem produtos ruins e prejudiciais.
Instituto Pedro Cozzi – Espaço DAR VIDA

Veja também: O mar de Aral virou areia., Garfield e fast food.22 de todos os dias, Carta da Terra, Nunca comer., Estresse no seu corpo, Repelente de insetos