Burguesia (Version me)

Burguesia – Cazuza

A burguesia fede
A burguesia quer ficar (“mais”) rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia (haverá democracia)

A burguesia não tem charme nem é discreta
Com suas perucas de cabelos de boneca
A burguesia quer ser sócia do Country
A burguesia quer ir a New York fazer compras

Pobre de mim que vim do seio da burguesia
Sou rico mas não sou mesquinho
Eu também cheiro mal
Eu também cheiro mal

A burguesia tá acabando com a Barra
Afunda barcos cheios de crianças
E dormem tranqüilos
E dormem tranqüilos

Os guardanapos estão sempre limpos
As empregadas, uniformizadas
São caboclos querendo ser ingleses
São caboclos querendo ser ingleses

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

A burguesia não repara na dor
Da vendedora de chicletes
A burguesia só olha pra si
A burguesia só olha pra si
A burguesia é a direita, é a guerra

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

As pessoas vão ver que estão sendo roubadas
Vai haver uma revolução
Ao contrário da de 64
O Brasil é medroso
Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Pra rua, pra rua

Vamos acabar com a burguesia
Vamos dinamitar a burguesia
Vamos pôr a burguesia na cadeia
Numa fazenda de trabalhos forçados
Eu sou burguês, mas eu sou artista
Estou do lado do povo, do povo

A burguesia fede – fede, fede, fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

Porcos num chiqueiro
São mais dignos que um burguês
Mas também existe o bom burguês
Que vive do seu trabalho honestamente
Mas este quer construir um país
E não abandoná-lo com uma pasta de dólares
O bom burguês é como o operário
É o médico que cobra menos pra quem não tem
E se interessa por seu povo
Em seres humanos vivendo como bichos
Tentando te enforcar na janela do carro
No sinal, no sinal
No sinal, no sinal

A burguesia fede
A burguesia quer ficar (“mais”) rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia (haverá democracia)

Veja também: Candelária, No Capão Redondo, ninguém sonha em ser médico, Mídia estão de luto, E agora???, Fumaça Louca, PENA DE MORTE, Aniversário da revolução de 1964, Exu tranca-copa, Presidente FDP, O bom moço do Brasil, O Coxinha – uma análise sociológica, O analfabeto político

Foi o Dr. Delegado Que Disse

Foi o Dr. Delegado Que Disse – Bezerra da Silva

Foi seu doutor delegado que disse
Ele disse assim, está piorando
Até filho de bacana, hoje em dia está roubando

E na semana passada quase perdi a patente
Só porque grampeei um rapaz boa pinta
Em Copacabana botando pra frente
Deu um flagrante perfeito mais o meu direito foi ao léu
O esperto além de ter a costa quente
Ainda era filho de um coronel

E o comissário do dia disse assim já é demais
Vou sair na capitura desse tal de satanás
O meu livro de ocorrência
A cada dia está aumentando
Eu também prendi um pastor com a Bíblia na mão
Em um supermercado roubando

Bezerra_da_Silva___Intern_1363096036

Veja também: O dízimo da educação!, Vitórias e Conquistas, Candidato Caô Caô, Bike or die!, Verbo morrer, Território, Amigão Vacilão, Só isso!, Justiça de mierda, Dura, O Estado Laico, Arena, Tatu bola, Canceriano Sem Lar

Aquela Paz, Cheirando Cola

Cheirando Cola – Charlie Brown Jr.

Quero jogar um videogame, e estou aqui cheirando cola
Sou o lixo do mundo, a sociedade me ignora
Com os olhos de quem quer ter uma oportunidade
Com os olhos de quem quer ter uma vida de verdade
(2X)

Quem tem a mente limitada
Evoluir leva mais tempo
Segurança me segue na loja do departamento
Achei que fosse um cidadão
Mas eu sou só um elemento
Exposto a qualquer sol, exposto a qualquer tempo

Ah! Mantenha a calma
Em quem acreditar?
Será que devo confiar?
Em quem posso acreditar?
Será que essa porra um dia vai mudar?
Eu já vi muita coisa, já ouviu muita coisa, deixa pra lá…
Mas diz aí, os gringo tão mandando no Brasil
O construtor milionário inglês, o rico português
O Brasil virou freguês do gringo-americano, há 500 anos, nós entramos pelo cano

Os senhores da guerra são a banalização da vida, irmão
E o fim da esperança de milhares de pessoas oprimidas

Charlie Brown Jr.
Santos!

Veja também: Quinta-Feira, Ouro de tolo, Que País É Esse?, Minha Alma (A Paz Que Eu Nao Quero), Ser ou não ser., Omissão., Água mata?, V de vingança, Miniusina de energia, Outras formas, Pedal sinalizado, Saudação ao Sol, Sobre quem?