UM PASSADO AINDA MUITO PRESENTE

Ressurge das cinzas de um passado queimado,
Livres pra matar, matadouros humanos criar.
Os monstros estão soltos nas ruas novamente,
Filhos bastardos da violência demente
.”

In: Monstros Nazistas – de Delinquentes

Você já tinha ouvido falar da história dos trigêmeos Robert, David e Eddy que, apenas aos 19 anos, tomaram conhecimento da existência uns dos outros?

Pois é. Isto aconteceu em 1980, quando Robert, ao participar de uma festa universitária numa cidade do estado de Nova York, percebeu que era sistematicamente chamado de Eddy. Naquela altura, diante da confusão, alguém lhe perguntou se ele havia nascido no dia 12 de julho de 1961 e se fora adotado. Ele, surpreso, respondeu que sim. O Sentido do SerHELOISA LIMA

A “charada” começava a ser desvendada.

Descobertos os gêmeos, a história foi parar nas capas de todos os jornais. Daí para David, o terceiro, se reconhecer naqueles rostos tão familiares, foi um passo.

E foi por absoluta obra do acaso que três gêmeos, criados por famílias diferentes, se conheceram.

O reencontro dos irmãos causou uma espécie de euforia nacional, com os rapazes transformados em celebridades mundialmente conhecidas, aparecendo nos maiores programas de televisão e abrindo um disputado restaurante, tempos depois.

Passada a sensação inicial, e alguns meses, vários observadores começaram a desconfiar que algo naquela história não cheirava bem. Os pais dos jovens estavam revoltados com a ocultação de fato tão importante para a vida dos filhos. E foram em busca de respostas na Louise Wise Adoption Agency – renomada agência de ‘serviços sociais’ fundada para conectar órfãos judeus a novas famílias – onde todos haviam sido adotados. O que ouviram foi que se acreditava que nenhum dos pais teria aceito criar as três crianças juntas. 

Oras, como poderiam supor isto se jamais fizeram tal pergunta a nenhum dos pais adotivos?

Foi então que as famílias, aos poucos, descobriram uma série de fatos inquietantes: as crianças nasceram de uma mãe solteira judia e foram colocadas em três lares diferentes (uma família de trabalhadores, uma família de classe média e uma família abastada); nenhuma delas foi informada da existência dos outros dois irmãos. 

A agência de adoção também deixou os meninos em residências que não ultrapassavam o raio de 160 quilômetros.

Pouco depois, desvelou-se a pérfida e odiosa razão desta proximidade.

As crianças foram involuntariamente envolvidas em um estudo secreto, coordenado pelo psiquiatra Peter Neubauer – emigrante austríaco que chegou aos Estados Unidos no final da Segunda Guerra – que visava “estudar” gêmeos e trigêmeos separados na primeira infância.

Importante ressaltar que esta informação jamais teve qualquer ciência ou consentimento das famílias implicadas.

No entanto, muito diferente da felicidade do reencontro inicial, a terrível verdade foi se desvelando como parte do espectro das crueldades nazistas.

Olhando para a sua posição no estudo, o trigêmeo Robert Shafran denunciou exatamente o que o público passou a enxergar.

Tratava-se de uma pura e abominável experiência nazista. E o fato de entender que eram judeus repetindo esse trauma em outros judeus foi o que mais impressionou a todos.

Contudo, a Louise Wise Services se tornara uma entidade tão poderosa que os parentes dos trigêmeos não encontraram nenhum escritório de advocacia que aceitasse representá-los em qualquer ação judicial.

O único pesquisador que concordou em depor foi um dos que, mensalmente, se dirigiam às casas dos gêmeos para aplicar testes, questionários, fazer filmagens, etc, sob a alegação de tratar-se de um acompanhamento normal para casos de adoção.

A ‘pesquisa’ durou anos e foi financiada com dinheiro público e privado.

Este senhor declarou que ficava impressionado com as semelhanças entre todos os gêmeos que analisou, da mesma forma que os demais assistentes do médico-monstro, Peter Neubauer.

Os ‘pesquisadores’ foram regularmente enviados aos lares das crianças adotadas para testá-las e, em seguida, passarem os dados ao médico e seus métodos nazistas. Nunca revelaram aos pais o verdadeiro propósito de suas visitas ou que o irmão idêntico de seu filho, muitas vezes, morava a poucos quilômetros de distância.

Foi quando se descobriu que a experiência chocante envolvia dezenas, talvez centenas, de outras crianças gêmeas.

O fato de todos os enredados nesta verdadeira história de terror – a agência de ‘serviço social’, seus ricos e influentes financiadores, cientistas, professores, universidades americanas, pais, bebês, e até mesmo o editor do jornal que divulgou a história – serem judeus, torna a coisa toda ainda mais aterradora.

Impossível não estabelecer um paralelo entre este pretenso ‘estudo’ e o caso a seguir.

O carrasco nazista Josef Mengele, conhecido como ‘Anjo da Morte”, responsável pela morte de mais de 400 mil seres humanos, se promovia como um médico que ‘estudava’ gêmeos no Instituto de Biologia da Hereditariedade e Higiene Racial em Frankfurt, comecando a trabalhar no campo de concentração de Auschwitz, em maio de 1943.

Dentre seus horripilantes ‘experimentos’ foram catalogados: gêmeos presos dentro de gaiolas; remoção de órgãos sem anestesia; morte de crianças com injeção no coração; dissecação de corpos; retirada de olhos dos gêmeos para ‘estudar’ suas reações; aplicações de substâncias para ‘tentar’ mudar suas cores (Mengele colecionou milhares de olhos nas pareces de seu laboratório); injeções de bactérias com a finalidade de provocar gangrenas, além de toda sorte de torturas e abusos que não cabe aqui continuar descrevendo.

Importante lembrar que este sádico monstro, transformado num dos criminosos de guerra mais procurados do mundo, morreu em 1979 no Brasil, São Paulo, depois de passar pela Argentina e Paraguai, vivendo de maneira tranquila e abonada, sob o nome falso de Wolfgang Gerhard, tendo contado sempre com a ajuda do Vaticano e dos milhares de nazistas que encontram-se, ainda hoje, espalhados por aí.

Em poucos anos, este outro pesadelo foi descoberto e muitas das crianças separadas nas macabras experiências norte-americanas, guiadas por carrascos, lidaram com questões de saúde mental na adolescência e na idade adulta. 

Das que foram separadas após o nascimento, por Louise Wise e Neubauer, ao menos três cometeram suicídio. Eddy Galland, um dos trigêmeos, se matou em 1995. Nem todas puderam ser identificadas, é claro.

Ninguém conseguiu, até hoje, acessar a totalidade dos registros desta horrenda experiência, que se encontra escondida e armazenada na famosa Universidade de Yale

Como ‘bom’ nazista, Neubauer (falecido em 2008) ordenou que tais dados só sejam abertos ao público em 2066.

São histórias trágicas que falam não só da arrogância de cientistas judeus que não hesitaram – pouco depois do Holocausto – em usar seres humanos como ratos de laboratório, mas, principalmente, de psicopatas que conseguiram prosperar em solo norte-americano.

A obtusa experimentação humana cresceu, primeiramente, durante a Segunda Guerra Mundial. Porém, o fato é que estes experimentos continuaram após a guerra, colocando órfãos, prisioneiros, minorias e outras populações vulneráveis, ​​em risco, sob a desculpa da decantada “descoberta científica” que jamais justificará tamanhas atrocidades.

Ainda que em 1947, um tribunal do pós-guerra tenha emitido o Código de Nuremberg, projetado exatamente para proibir futuras pesquisas antiéticas, declarando que “o consentimento voluntário do sujeito humano é absolutamente essencial”, como princípio básico, ainda assim, os pesquisadores considerados ‘de alto nível’, de ‘prestigiosas escolas médicas americanas’, seguiram em frente, na contramão da ética e do respeito pela dignidade humana.

Como foi, por exemplo, o Estudo Tuskegee, que durou 1932 até 1972, no qual o Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos deliberadamente deixou homens sul-africanos pobres com sífilis, sem tratamento – e, portanto, com alto risco de morrer de uma doença potencialmente tratável. 

Centenas desses homens morreram para que os investigadores pudessem aprender mais sobre a “história natural” da sífilis.

Ou o que ocorreu em Willowbrook, uma instituição para crianças com distúrbios emocionais em Nova York, nas quais pesquisadores injetaram deliberadamente o vírus da hepatite, de 1955 até 1970, a fim de ‘aprender’ mais sobre a doença e desenvolver uma vacina. 

Ou como em 1953, o mais impressionante dentre todos os que ‘vazaram’, projetado pelo diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), Allen Dulles, que autorizou o projeto MK-ULTRA. Este programa secreto tinha como objetivo transformar humanos desavisados ​​em cobaias para suas pesquisas sobre drogas que alteram a mente, apoiando o psicólogo Timothy Leary que defendia os benefícios do LSD e exortava todos a “ligar, sintonizar, desistir“.

MK se propôs a estudar os efeitos do controle mental desta droga e de outros psicodélicos, criados pelos próprios americanos, usando cidadãos americanos e canadenses que não sabiam que seriam ratos de laboratório.

Psicopatas estes “cientistas”? Muito provavelmente. A serviço de quem? Bora raciocinar! Continuam fazendo pesquisas maquiavélicas e sigilosas mundo afora? Sem a menor sombra de dúvidas.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

A história dos trigêmeos encontra-se no NETFLIXhttps://www.netflix.com/br/title/80240088

Caso Tuskegeehttps://www.youtube.com/watch?v=5H24-PHs3Us

Sobre Willowbrookhttps://www.youtube.com/watch?v=HNLyKW8fCNg&t=1376s

Projeto MK-ULTRAhttps://www.netflix.com/br/title/80059446

Acompanhe os novos textos através do: http://www.facebook.com/aheloisalima

E, se desejar, envie seus comentários para psicologaheloisalima@gmail.com

Presenteze-se: Conemo, Fortalecer a imunidade é importante: saiba o que comer e o que evitar, Corona, Broncopneumonia e o Sistema Financeiro, quem leva a melhor?!?, Save Ralph, A indústria farmacêutica está fora de controle?, Farmácia de manipulação, Guernica, Thomas Malthus ou Thanos

Rick and Morty: 5ª temporada

O canal Adult Swim confirmou que a animação irá ganhar uma 5ª temporada. E junto com esse anúncio foi divulgado também o primeiro trailer dos novos episódios. Gabriela Freire PetryTecmundo

Fonte: Adult Swim/Reprodução

A nova temporada de Rick and Morty estará disponível no Brasil em junho, exclusivamente na plataforma da HBO Max, detentora dos direitos da série. Nos EUA, a estreia acontece em 21 de junho e vai marcar o “Rick and Morty Day“, um dia dedicado para a celebração do desenho e divulgação de materiais dos bastidores, produção e outras “surpresas”, como informou a Adult Swim. Heidy OruiADNews

Os novos episódios contam com o retorno da filha de Rick (Justin Roiland), Beth (Sarah Chalke), o genro Jerry (Chris Parnell) e a neta Summer (Spencer Grammer). A família estará unida nas aventuras intergalácticas do cientista e Morty (Justin Roiland).

Official Trailer #3: Rick and Morty Season 5

TRAILER OFICIAL Nº 3: RICK E MORTY, 5ª TEMPORADA. Adult Swim

RICK AND MORTY SEASON 5 UNCENSORED TRAILER!

Now you can start asking us about season 6. Rick and Morty returns for season 5 on Sunday, June 20 at 11pm ET/PT on Adult Swim.

O final da quarta temporada foi ao ar em maio de 2020. E agora, a nova temporada estreará pouco mais de um ano após. O TVLine confirmou que a estreia da quinta temporada nos Estados Unidos acontecerá no dia 20 de junho de 2021. No Brasil, entretanto, ainda não há previsão. Anderson NarcisoMix de Séries

No Brasil, a temporada 5 de Rick and Morty estreará exclusivamente por meio da HBO Max, também em junho, quando a plataforma de streaming chegar ao país.

Apesar de nenhum detalhe oficial sobre a estreia tenha sido divulgado, especulamos que deve ocorrer entre Maio e Junho de 2021. No entanto, na Netflix, a série chegará sempre, um mês após a exibição nos Estados Unidos, ou seja, entre Junho e Julho. Alex CanvaStreamings Brasil 

Lançada em 2013, Rick and Morty conta a história de Rick, um cientista que é um gênio, mas também um sociopata, que arrasta seu tímido neto Morty em aventuras perigosas e selvagens em todo o universo, em episódios que misturam comédia, dimensões paralelas, mundos alienígenas e dramas familiares que vão do existencial ao emocional. CAMILA SOUSAomelete

Em uma entrevista de setembro de 2017 à Entertainment Weekly, Dan Harmon admitiu que o plano original era para a 3ª temporada ter 14 episódios, mas as lutas criativas os obrigaram a fazer uma versão “mais curta” da 3ª temporada. Dado o número arredondado de 70 episódios que o Adult Swim encomendou, e o fato de que a 4ª temporada também tem 10 episódios, provavelmente estamos olhando para mais seis temporadas, cada uma com 10 episódios.

Dan Harmon e Justin Roiland, no intervalo entre a primeira e segunda parte do quarto ano, afirmaram que já estavam trabalhando no roteiro do quinto ano. No entanto, pausas devido à pandemia estão ocorrendo de fato, contudo, ‘Rick and Morty‘ é um programa de animação, pode-se esperar que a produção não seja tão afetada quanto a de uma série não animada.

Tudo sobre a quinta temporada de Rick and Morty, na Netflix

Collider compilou uma lista de possíveis ideias de histórias publicadas no Instagram de Harmon. O escritor postou uma foto em que diversas ideias de episódios para o próximo ano. Confira abaixo – Observe que a tradução foi feita de forma literal dos escritos em inglês.

  • Pessoa artificial com perna real
  • Rick descobre o 11º mandamento
  • Overdrive máximo, mas com grama
  • Planeta sem sinais de parada
  • Gabardine feito de sonhos
  • A quadra do povo (basquete)
  • Wesley Sniper
  • When-Wolf
  • Voltron mas com vegetais
  • Biblioteca de comida
  • Mulher feita de peixe
  • Jerry leva uma pinha na bunda
  • Dedos destacáveis ​​(ou artelhos)
  • Contas Anal
  • Planeta movido a chips e salsa
  • Morty compra um barco
  • Bark-nado
  • Planeta de Hodags
  • Derramamento de sangue
  • Porcos invisíveis
  • Jerry faz uma cabana de madeira com cabelo

Durante a Comic-Con@Home, em 2020, o cocriador Dan Harmon afirmou que os roteiros da quinta temporada já haviam sido finalizados, e que a equipe já trabalhava nos episódios da sexta temporada. Víctor Aliaga  – IGN Brasil 

Durante a Comic-Con@Home, foi revelado o primeiro vídeo da quinta temporada de Rick and Morty. O material, ainda não-finalizado, apresenta a dupla principal em apuros ao escapar de um grande alienígena e ter a nave danificada.

As quatro primeiras temporadas de Rick and Morty estão disponíveis na Netflix. Você também pode acompanhar a produção no canal pago Warner Channel.

Rickze-se: 4ª temporada de “Rick e Morty”, Patrick Kilonzo Mwalua, Rick & Morty & Você, um personagem da 4ª temporada?!?, The Art of the Brick: DC Super Heroes, Tradições americanas by Rick and Morty, Rick and Morty, Stanley Kubrick, RICK AND MORTY, TODOS PRECISAMOS DA UTOPIA, 20 comics para quem entende a loucura do mundo de hoje

Ratos plays esconde-esconde

Conhecida como pique, pique-esconde, esconde-esconde ou algum outro nome regional, o fato é que essa é uma brincadeira universal, capaz de superar diferenças de língua, nacionalidade, idade: em qualquer lugar do mundo, crianças se escondem e contam até certo número enquanto outros se escondem – para depois serem procurados. Já é comprovado que essa brincadeira traz diversos benefícios para o desenvolvimento do cérebro e mesmo do corpo, e tal universalidade parece, no entanto, ir ainda mais além, e superar até mesmo o limite da espécie: até os ratos gostam de brincar de esconder, e a ciência gosta de estudar o comportamento desses animais. Vivimetaliun

O estudo, realizado por cientistas da Universidade Humboldt, em Berlim, nasceu depois que o neurocientista Michael Brecht assistiu vídeos no Youtube nos quais humanos brincavam de esconde-esconde com ratinhos. Outros experimentos já haviam realizado brincadeiras com os animais, mas pela complexidade do esconde-esconde, o vídeo chamou a atenção do neurocientista. Para realizar o experimento, Brecht criou um “parque” de 30 metros quadrados com abrigos, caixas transparentes e caixas opacas para servirem de esconderijos – além de lugares para a cientista Annika Stefanie Reinhold também se esconder.

Seis ratinhos participaram da “brincadeira”, que começou com Annika se escondendo. Cada vez que os ratos a encontravam ganhavam recompensas, e então os papeis se invertiam. Ao longo de duas semanas de experimento, cinco dos seis ratos aprenderam a brincadeira, tanto se escondendo quanto procurando – e respeitando as regras. A complexidade dos papéis, estratégias, regras e possibilidades foi apontam para a própria complexidade do comportamento dos animais – que foi analisada através de testes neurais, indicando quais áreas dos cérebros eram atividades para cada camada da brincadeira.

Brinque: Veneno ecológico para matar ratos., Casa sustentável tem conta de luz de R$ 7,50 por ano, Papas Reformadores, Como aprendemos a comer plantas tóxicas sem ajuda da ciência, Real X-men: híbridos entre humanos e animais

Nada se cria, tudo se copia!

Cinco casos de fraude científica – incluindo plágio e fabricação de dados – foram divulgados nesta terça pela Fapesp, fundação pública que financia a pesquisa científica no Estado de São Paulo. Desde o lançamento do Código de Boas Práticas Científicas, em 2011, é a primeira vez que a instituição expõe conclusões de investigações. A medida é inédita no Brasil. Estadão

cienciadenisealves

“É importante que os recursos para pesquisa não caiam em mãos erradas. A divulgação dos nomes ajudará a coibir as violações de boas práticas”. (Sérgio Pena, um dos autores do guia Rigor e Integridade na
Condução da Pesquisa Científica, da Academia Brasileira de Ciências – ABC)

thebeagles

O Brasil apareceu no mapa da fraude cientifica mundial pela primeira vez com o caso de Denis de Jesus Lima Guerrater por ter forjado onze artigos anulados pela Elsevier, maior editora científica do mundo, conforme publicou a revista Piauí, de 2011. (olhar direto)

arardilla

CalvinAndHobbespalgio

“Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”, Lei de Lavoisier. Sobrevivendo na Ciência

ratos-de-laboratorio

Veja também: Umbrella Corporation, Mão Santa, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?, A máscara e algumas verdades, Turbina eólica caseira, Demãos dadas, A Ultima Ceia, Fusca híbrido, Free Energy, Veneno ecológico para matar ratos., Quem matou o carro elétrico?, Recadastramento Eleitoral Biométrico, Pegadinhas do Marco Civil da Internet, Sheherazade e a Secom, Ranking Mundial de Liberdade de Imprensa