Todo o excesso que deve valer a pena?

São Filipe Néri é considerado o padroeiro dos humoristas. É dele o pensamento abaixo, que nos pede para excedermos na paciência e na amabilidade. Rafael PorcariDISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES

Fazemos isso hoje? Faremos isso no futuro?

Se a resposta é não, façamos esse exercício de vida a partir de agora.

bomba.jpg

Excesze-se: O iluminado esquema pirâmide, Gregório Duvivier e Ricardo Araújo + Super Casal Xou, E…que Deus nos ajude!!, Ivo Holanda de Barros, 8 REGRAS DE SCHOPENHAUER PARA A FELICIDADE, O país da piada pronta!, Comedia dell’arte

Papa temer Brazil!!!

http://verdadesoccultas.blogspot.com.br/2017/04/papa-francisco-rejeita-visitar-o-brasil.html?m=1

A direção da Sala de Imprensa da Santa Sé – Cidade do Vaticano (RV) acrescenta “tratar-se da resposta do Papa a uma carta do Sr. Michel Temer na qual o Chefe de Estado convidava o Pontífice a visitar o Brasil em 2017 por ocasião dos 300 anos de Aparecida. O Papa respondeu infelizmente não poder ir porque outros compromissos não lhe permitiam”. Rádio Vaticano

Enxergue mais: YES OU SISTEMA DE MELHORAMENTO DA JUVENTUDE,Urna fraudetrônicaO de OtárioViolentamente pacíficoPRESIDENTE FDPSANTO PADRE JOSÉ DE ANCHIETACADÊ OS AMARILDOS?REDISTRIBUIÇÃO DE RENDAESSES ATEUS!!!

Editado via celular.

Missa no Céu

Garantir um lugar no reino dos céus é fácil. Não precisa reciclar seu lixo nem fazer trabalho voluntário, basta seguir o que diz a Bíblia. CÉU CATÓLICO – Porta dos Fundos

Em tempos de internet, conquistar a atenção do público não é fácil. MISSA – Porta dos Fundos

Poucas coisas são capazes de aterrorizar o homem como a danação ao inferno, nessa hora, nada mais justo que aguardar o seu castigo e pagar sua penitência por pior que ela seja. Amém! INFERNO – Porta dos Fundos

Observe mais: A CHEGADA DE LAMPIÃO NO INFERNOO BICHO CORRUPTOPHILIP K. DICKNAARA BEAUTY DRINK!!!A RAINHA DE MAIOTORNE-SE UM MENDIGO.EMVUM DEPUTADO NO CÉUPROJETO EM BAMBU PROJETOINSTANTLY AGELESS ™MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINETHE JOLLY BOYSVIDACELL®PROJETO DIVASSYMPHONY OF DESTRUCTIONDEUS E O DIABO NA TERRA DO SOLRESERVE™A CARTA DE DEUS À POPULAÇÃO DO BRASIL!POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASILOITAVO ANJO

Pecados Capitais e seus Demônios

Os conceitos incorporados no que se conhece hoje como os sete pecados capitais se trata de uma classificação de condições humanas conhecidas atualmente como vícios que é muito antiga e que precede ao surgimento do cristianismo mas que foi usada mais tarde pelo catolicismo com o intuito de controlar, educar, e proteger os seguidores, de forma a compreender e controlar os instintos básicos do ser humano.  Devorador do Pecado – Os Sete Pecados Capitais e seus respectivos Demônios

Em 1589, Peter Binsfeld comparou cada um dos pecados capitais com seus respectivos demônios, seguindo os significados mais usados. De acordo com Binsfeld’s Classification of Demons.

Asmodeus – Luxúria


Belzebu – Gula


Mammon – Ganância


Belphegor – Preguiça


Azazel – Ira


Leviatã – Inveja


Lucifer – Orgulho



Fonte: Wikipédia

Enxergue mais: ME LAVE POR FAVOR!LUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMNAARA BEAUTY DRINK!!!DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOLUM DEPUTADO NO CÉUSUPERNATURALSEVENCURUPIRAPERDIDO NA TRADUCÃO

A guerra do vintém

A guerra do vintém

Exploradas por militantes republicanos, manifestações contra taxa sobre transporte urbano tumultuam capital do Império e deixam mortos e feridos pelas ruas.
José Murilo de Carvalho

No dia 28 de dezembro de 1879, a capital do Império viu algo inédito desde 1863, quando o Brasil rompeu relações com a Inglaterra por conta da Questão Christie: a multidão protestando na rua. A manifestação aconteceu no campo de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, em frente ao palácio imperial. Cerca de cinco mil pessoas, lideradas por um militante republicano, o médico e jornalista Lopes Trovão, reuniram-se para entregar a d. Pedro II uma petição solicitando a revogação de uma taxa de 20 réis, um vintém, sobre o transporte urbano, ou seja, bondes puxados a burro. O vintém era moeda de cobre, a de menor valor da época. A polícia não permitiu que a multidão se aproximasse do palácio. Enquanto os manifestantes se retiravam, o imperador mandou dizer que receberia uma comissão para negociar.
(…)
O novo imposto e a taxa atingiram diretamente duas categorias, os funcionários públicos e os usuários de bondes. Em 1870, a capital tinha 192 mil habitantes na área urbana, dos quais 11 mil funcionários públicos, entre civis, militares e eclesiásticos, já que naquela época o catolicismo era a religião oficial do Estado. Havia quatro grandes companhias de ferro-carris urbanos, ou de bondes, como ficaram conhecidos: a Botanical Garden Co., que cobria a zona sul, saindo da rua Gonçalves Dias, a Cia. de São Cristóvão, concentrada na zona norte, com ponto final no Largo de São Francisco, a Ferro-carril de Vila Isabel, que partia da Praça Tiradentes, e a Cia. de Carris Urbanos, que atendia ao centro, incluindo a zona portuária.
(…)
Desse clima de insatisfação, tiraram vantagem os agitadores republicanos. Ao que parece, na demonstração de São Cristóvão estavam presentes, sobretudo, pessoas de melhor situação social, certamente muitos funcionários públicos. Na do dia 1º, teria entrado em ação a massa dos usuários mais pobres, acrescida da tropa barra-pesada do centro e da zona portuária. Não por acaso, os líderes do movimento perderam o controle da multidão nesse dia.

Embora legal, a taxa do vintém era profundamente impolítica, como se dizia na época. O ministro fora alertado para as possíveis reações. Mas Afonso Celso era tão competente quanto teimoso. Pagou por isso alto preço em 1880, como pagaria em 1889, por ocasião da proclamação da República. A reação da polícia foi infeliz em 28 de dezembro, ao não negociar a audiência com o imperador, e imprudente em 1º de janeiro. A do Exército, simplesmente desastrada.
(…)
Mas a revolta não foi republicana, afirmaram seus próprios líderes. Muitos interesses feridos nela se fundiram, de grandes e de políticos, de gente miúda e de simples cidadãos. Uma grande explosão social, detonada por um pobre vintém.

José Murilo de Carvalho é professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), membro da Academia Brasileira de Letras, do IHGB e da Academia Brasileira de Ciências e autor de D. Pedro II: ser ou não ser. São Paulo: Cia. das Letras, 2007.

Veja também: Impostômetro, Pneu, Vasos e flores, Cantar, Mata Atlântica, Miniusina de energia, Água mata?, Efeito Borboleta, DECLARAÇÃO IRPF 2012, Se sentindo só? Anúncios de solteiros., Todo Dia Era Dia de Índio