O DÓLAR VAI ACABAR?

O DÓLAR VAI ACABAR? – Como se preparar para a maior crise financeira do século?Investidor Sardinha

Robert Kiyosaki, escreveu o livro Pai Rico, Pai Pobre um dos livros de finanças mais lidos do mundo, no livro ele conta as diferenças entre o seu pai e o pai de um dos seus melhores amigos, um funcionário público e outro empresário e como cada um deles criavam os seus filhos.

Robert é filho do Pai Pobre e aprendeu a empreender com o pai do seu amigo. O livro é recomendado por 9 de cada 10 educadores financeiros e é simplesmente genial. Para além disso, Kyosaki conseguiu prever uma das maiores bolhas da história, a crise do subprime em 2008, e mais recentemente, Robert começou a dizer que uma das maiores crises da história se aproxima e que pode ser o fim do dólar. Isso abalaria todas as estruturas do mundo ocidental. Por que essa crise está pode acontecer?

Um truque velho. Quando o governo quer estimular o consumo ele injeta dinheiro na economia, existem diversas formas de se fazer isso. Uma delas é cortando a taxa básica de juros, o governo reduz os juros dos seus títulos, no Brasil a gente chama isso de Taxa Selic. Quando o governo faz isso, ele estimula o crédito, então as empresas conseguem empréstimos a custos mais baratos, aumentam suas contratações e com isso o mercado fica aquecido. As pessoas voltam a consumir de maneira louca, o dinheiro no mercado cresce. Só que, o que aumentou nesse caso, foi a oferta de DINHEIRO na economia, mas a produção não aumentou, correto? As pessoas estão comprando MAIS E MAIS mas a quantidade de produtos é a mesma.

O FIM DO DÓLAR – Como preparar? – A maior crise financeira global está por vir – Robert Kiyosaki. UM POUCO MELHOR

“Que bom que as pessoas da nação não entendem nosso sistema bancário e monetário, pois se entendessem, acredito que haveria uma revolução antes do amanhecer.”

Henry Ford

Resumo do livro chamado SECOND CHANCE, escrito por Robert Kiyosaki, ainda sem tradução para o português. Durante períodos de crise, a riqueza não é destruída — ela simplesmente é transferida de um grupo para outro. Se você estudar história, poderá prever o futuro e se posicionar corretamente. Este livro é dividido em três partes: Passado, Presente e Futuro.

Parte 1 – PASSADO

Kiyosaki fala sobre dois termos importantes ao revisar o passado. O primeiro é a flexibilização quantitativa e o segundo é o PADRÃO-OURO e o Acordo de Bretton Woods.

Parte 2 – Presente

Quando a crise chega, as pessoas que mais sofrem são as que ficam do lado esquerdo do quadrante do fluxo de caixa — empregados e autônomos. Porque são estas as pessoas que trabalham por dinheiro e serão os primeiros a perder. A riqueza verdadeira está do lado direito do quadrante do fluxo de caixa. Pessoas que estão deste lado não trabalham por dinheiro. Eles trabalham por ativos, como terras, imóveis, e empresas.

Parte 3 – Futuro

Nesta parte final, sera compartilhado com vocês alguns dos conselhos que o livro traz sobre como fazer a transição do lado esquerdo para o lado direito do quadrante. O primeiro conselho do autor é se educar financeiramente, jogando o jogo Cashflow. A primeira melhor maneira de aprender algo é faze-lo, e a segunda melhor é através da simulação, e é aí que o Cashflow pode ajudar. Nós geralmente nos lembramos de 10% da informação que lemos ou ouvimos. Em comparação, costumamos aprender 90% daquilo que simulamos. Jogue o jogo várias e várias vezes para que possa apreender o máximo possível, e então comece a jogar na vida real.

O autor diz que há muitos clubes de Cashflow por todo o mundo e as pessoas estão educando umas às outras. No entanto, fique atento, pois alguns destes clubes estão usando os jogos para atrair pessoas para seus próprios negócios e provavelmente tentarão te vender algo no fim das contas. Então pesquise bem antes de ingressar em um clube.

O segundo conselho é se tornar um empreendedor. Empregado e empresário são pessoas completamente diferentes. Sua abordagem e mentalidade são muito diferentes. Sempre ouvimos o conselho “estude muito e consiga um bom emprego em uma empresa grande”, mas raramente ouvimos o conselho “estude muito e se torne um empreendedor”. É por isso que as pessoas não percebem que têm essa opção. Elas nem mesmo consideram a possibilidade. Somos bem treinados para pedir peixes, mas não o suficiente para pescar peixes. Em alguns governos, o próprio governo deve construir as casas e prover empregos à população, mas no capitalismo são os indivíduos que constroem a economia. Há muitas pessoas que vivem em uma sociedade capitalista mas com uma mentalidade diferente, esperando que o governo forneça tudo o que precisam.

Dolaze-se: Ailton Krenak: próxima missão do capitalismo é se livrar de metade da população do planeta, Jeunesse, Verdade Ou Mentira?, 9 criptomoedas para movimentar o mercado em maio, Pitaia e o blockchain, Primo rico?, Cerejas do Brasil e Grumixama!?!, Preconceitos, padrões, estigmas e outras anomalias, SUICÍDIO, por que ENTENDER?!?

Eles Vivem

Eles Vivem (1988)

John Carpenter, escolheu símbolos que, ao mesmo tempo, martelam o patriotismo e o controle estatal exercido pela América daquele período – para contextualização: o filme foi lançado na era Reagan, quando o autoritarismo de seu governo e de sua guerra às drogas resultaram em inúmeros eventos de violência policial –, como também evoca elementos da construção mitológica da nação  e de ícones da cultura do país que servem como ferramenta de alienação. Matheus FiorePLANO ABERTO

Baseado no conto de Ray Nelson, Eight O´Clock in the Morning, Eles Vivem conta a história de um trabalhador que encontra um óculos muito diferente. Ele faz com que se possa enxergar a real aparência de seres que estão manipulando os humanos. Carol Suiter – ScifiBrasil

filme Eles Vivem dublado 1988Tairo Pedralli

Realizado dez anos antes de Matrix, o filme de Carpenter aborda de maneira mais adulta, áspera e consistente a ideia de uma manipulação coletiva das consciências e percepções. José Geraldo CoutoOUTRAS PALAVRAS

Mas é aí que reside uma inversão desconcertante. Se os filmes B dos anos 1950 sobre invasores (O dia em que a terra parouA guerra dos mundosVampiros de almasA bolha assassina) refletiam e exorcizavam o medo do comunismo na época da Guerra Fria, os vilões alienígenas de Eles vivem são representantes do capitalismo mais voraz e sem limites. “São empreendedores”, diz um líder da resistência clandestina. “A Terra, para eles, é só mais um planeta em desenvolvimento. O Terceiro Mundo deles.”

Sob a capa de diversão popular e ligeira (o que não deixa de ser), esse filme cujos heróis são dois operários é um estudo da alienação, isto é, da ideologia que passa por normalidade.

Viveze-se: A Odisseia dos Tontos, La Science des rêves, SÓ É ÍNDIO QUEM OPTA POR SER!, O dízimo da educação!, Capital Cultural, Preconceitos, padrões, estigmas e outras anomalias, O POVO BRASILEIRO, Um sonho, Cabeza borradora – Eraserhead, Parenti Serpenti, Ready Player One

Era da Pilhagem

No quinto episódio desta série que traça a história da civilização humana, Andrew Marr mostra como a Europa foi da pirataria ao capitalismo.

A explosão do capitalismo global começou com Cristóvão Colombo tropeçando em toda a América enquanto procurava pela China. Enquanto a Europa se dividia em guerras religiosas após a Reforma, os espanhóis colonizaram o Novo Mundo e trouxeram de volta 10 trilhões de dólares em ouro e prata.

Mas foram os empresários bucaneiros holandeses e ingleses que inventaram o verdadeiro fazedor de dinheiro: empresas limitadas e a bolsa de valores. Disputavam o controle do comércio marítimo mundial de especiarias, peles e luxos como as tulipas. Nos 145 anos de 1492 a 1637, o capitalismo europeu nasceu e se espalhou pelo mundo. História Mundial com Andrew Marr

Martírio

Em uma analogia que faz Ailton Krenak quando “o mercado acorda de mau humor e quer comer uma montanha”, os Kaiowa e Guarani possuem uma precisa análise da situação em que se encontram e procuram traçar estratégias de autonomia e liberdade. Como enfrentar o capitalismo que também é responsável pela destruição cultural, além da física e outras dimensões que afligem os indígenas? Carta Capital

Mídia Ninja – Filme

TORNE-SE UM MENDIGO.

Para ter uma vida de mendigo feliz é preciso saber ser um! Ou não … . Filosofando de as coisas

mendigo2blula

Disse Cecília Meireles sobre a liberdade que “não há ninguém que explique e ninguém que não entenda” esta palavra. O Estranho Sem Nome

É claro que a felicidade segue variantes na visão de cada um, para ser um mendigo, primeiramente você tem que renunciar a muitas coisas: Conforto, horários, higiene e o principal, o materialismo. Se você consegue renunciar esses quatro itens ja está meio caminho andado.

torneseummendigo

O que é material não se conta mais, você não levará nem o chapéu, essa lei é universal e vale para todo mundo, ricos e pobres, votantes e votados. Rabix

O mundo é todo seu. Se tem um vizinho incômodo é só pegar suas tralhas e se mudar para um outro local, sem se preocupar com aluguel ou contratos que regem a vida dos trouxas….tem que pensar assim.

O único cuidado é evitar que o ateiem fogo como é de costume. Não é necessário se preocupar com obesidade. O regime já é forçado. Agora vem o melhor de tudo…, vc não vai mais precisar pagar imposto.

As garras sedentas do governo não o alcançam para usurpar seu dinheiro. Você deixa de pagar os 12% que vem junto com a conta de água da Sabesp e na verdade estará também livre dela da conta e do imposto. Estará também livre da conta da luz e dos 30% de taxa que vem embutido nela. Imposto de renda, nunca mais.

Não será mais roubado pela telefônica nos R$ 38,00/mês a título de assinatura,em conivência com o governo corrupto. Os bancos, se dependerem de vc, todos abrem falência … e a sua vida não muda em nada.

ilustra_mendigo_178treze

Patrão bandido, chefe mal educado, passar cartão, enfrentar filas, tudo se acabou, não há disputas, sacanagens, puxadas de tapete e concorrência para arranjar emprego, porque você não quer emprego. Ficará livre de todo stress que a sociedade impõe aos trouxas trabalhadores. Rabix

Mendigos há em toda cidade, estão por toda parte. Nova York tem muitos e alguns são “adotados” pela vizinhança. Em Paris, os sem-domicílio-fixo mendigam ativamente nos metrôs; referem-se a si mesmos pela sigla SDF. Em Buenos Aires, os passageiros dos trens ouvem diariamente os lamentos de homens que dizem ser veteranos das Malvinas.

A começar pelo estilo de vida que adotaram por vontade própria ou por força das circunstâncias. Não trabalhar, não ter endereço fixo – isso é uma afronta para muita gente que passa a vida em função dessas coisas. Marleth Silva – Gazeta do Povo

O maior valor que um homem tem, é a liberdade. Um mendigo é a pessoa mais livre do mundo. Faça um teste de mendicância nas ruas e veja que a vida pode lhe sorrir.

Enxergue mais: INSTANTLY AGELESS ™NAARA BEAUTY DRINK!!!, JEUNESSE, VERDADE OU MENTIRA?LUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMNÃO SOU DE POSTAR COISAS RELIGIOSAS, MAS AS VEZES, ESSE TIPO DE COISA É QUE ME DEIXA COM MUITA RAIVA DA SOCIEDADE!35 VERDADES DITAS SOBRE O BRASIL, PELOS OLHOS DE UM TURISTASÃO AS PEQUENAS ATITUDES QUE FAZEM O MUNDO VALER A PENA.JUSTIÇA EM TRÂNSITO

Liberdade Privatizada

liberdadeprivatizadaPikachu_OS

1 – Quando você instala o jogo em seu smartphone é dado todo o acesso às suas informações que estão nele;
2 – Por meio do jogo a Google (Niantic) e Agências de Estado mapeiam os espaços inexplorados – usando seu aparelho;
3 – Alguns críticos chamam o jogo de futilidade e desperdício de tempo caçando bichinhos virtuais;
4 – O jogo, Pokémon Go não deixa de ser um nicho tecnológico da “realidade aumentada” – mistura de mundo virtual à adequação exagerada da realidade;
5 – Há riscos á privacidade trazidos pelo jogo;
6 – Inclusive de informações pessoais;
7 – O que da sua “vida privada” o Pokémon Go tem acesso?
– contas de redes sociais;
– localização;
– dados armazenados;
– cartões e conexões USB;
– acesso a outros dispositivos usando o Bluetooth sem você ao menos perceber;
– identificações de redes de acesso, tipo Wi-Fi e acesso a elas e;
– controle da vibração.
8 – Ele também adiciona funcionalidade dentro do Grupo de Permissões.
9 – Para jogar o usuário deve permitir que o jogo instale no aparelho os “cookies”.
10 – O que é COOKIES? São programas “espiões” de coleta de informações baseadas em perfil de usuário. Com infinitos objetivos: econômicos, comerciais, de publicidade, de investigação, etc.
11 – NÃO É TERRORISMO, MAS É O ITEM MAIS PREOCUPANTE: o Pokémon Go diz assim no contrato de “ACEITE DE TERMOS”, na seção 3.e enuncia:
“Nós cooperamos com o governo, com órgãos de fiscalização ou com terceiros para aplicar e respeitar a legislação. Nós podemos repassar qualquer informação sobre você que está em nossa posse ou controle ao governo, a órgãos de fiscalização ou a terceiros caso entendamos como apropriado para: (a) responder a solicitações, processos; (b) proteger nossa propriedade, direitos e segurança e direitos de um terceiro ou do público em geral; (c) identificar e interromper atividades que nós consideremos ilegal, antiética ou legalmente questionável”. Traduzindo: colabora com os Governos.
12 – Há denúncias de que a Niantic (startup da Google) é parceira da CIA – Agência de Inteligência dos Estados Unidos. Blog do Marcone

Aconteceu igual com o rock, o punk, o movimento LGBT ou o black power. O capitalismo enxerga a tendência e, com ela, a possibilidade de reduzir as lutas ao que interessa: dinheiro. O significado por trás daquilo pouco importa. Cynara Menezes – O Papiro

Na universo dos jogos de Pokémon, as primeiras versões lançadas – Red, Blue e Yellow – se passam no início da história, simultaneamente aos da terceira geração – Ruby, Sapphire e Emerald. Três anos depois, as tramas da segunda – Gold, Silver e Crystal – e quarta – Diamond, Pearl e Platinum – gerações acontecem. As sequências Black e White acontecem 11 anos depois do segundo ponto na linha do tempo, e dois anos depois disso, os jogos Black 2 e White 2. Pokémon Go se passaria antes disso tudo, no começo da história Pokémon. PH Mota – Fatos Desconhecidos

Todos os dias nos deparamos com alguém na internet disposto a falar umas verdades, dizer aquilo que todo mundo gostaria de dizer, e essas bobagens. Nós ouvimos, aplaudimos, viramos do lado e esquecemos. De novo: criticar o Sistema é fazer parte dele. Não adianta. Luide – Amigos do Forum

Enxergue mais: Akai Kōdan Zillion, LUMINESCE™ CELLULAR REJUVENATION SERUMPALETS, INSTANTLY AGELESS ™, Projeto de Lei 4.330, Polícia 24 horas, Empoderamento dos recursos, Quarto poder, Ilustrador desmascara os personagens de filmes, games e animações, The Imitation Game

Narciso de ébano

capaovidentedarua46

Osvaldão foi menor abandonado, adolescente fugitivo da Febem, e agora, passados os seus trinta anos de idade, tornara-se um homem desempregado e sem perspectivas. Um cidadão exemplar do terceiro mundo. Sem que disso tivesse consciência, Osvaldão era a estatística mais bem-acabada do capitalismo globalizado e dos excluídos pelo neoliberalismo. E, além disso, negro.

Osvaldão carregou sempre o estigma de viver numa sociedade morena sem preconceitos de raça e de doce miscigenação. Seu único orgulho, adquirido em meio a mitos e tabus de uma forçada promiscuidade pela sobrevivência, era o membro viril que carregava sob as calças rotas de algodão. Troféu de pouco uso, dada a sua condição social, mas manuseado a saciedade. Já fora procurado por homens e mulheres que tinham ouvido falar do instrumento. Alguns, por curiosidade; outros, pelo desejo de consumo. Era o único capital que dispunha Osvaldão.

Tratava o membro da melhor maneira possível, venerava-o quase. Costumava exibi-lo nos finais de tarde junto às paredes da catedral da Sé, sem preocupações, sem malícias, com carinho. Empinando-o, como a um cabo de um látego de ébano, vendia seu produto como qualquer outro ambulante da região.

ALMADA, Izaias. O vidente da Rua 46: contos eróticos. Editora Mania de Livro. SP, 2001. p. 23.

14-08-07_izac3adas-almada_rodrigueanos

Quem lê melhora o mundo. Leia e deixe um livro em algum lugar público.

Veja também: CHICO XAVIER, Turismo sexual, SAUDOSA MALOCA, 400 Nudes, NELSON NED D’ÁVILA PINTO, Candelária, EVOLUSEX, 3º opção, CRASSEFICADOS‏, TEXT ME SOMETHING DIRTY, NÃO ERA BEM ASSIM., SENSIBILIDADE, RAPE ME, COMEÇOU O CARNAVAL!, LIVROS PARA COLORIR, SEXO SEGURO!, CONSCIÊNCIAS NOTÓRIAS: ALBERT EINSTEIN

PRESÍDIOS NO REGIME MILITAR

Falem o que quiserem, mas as cadeias da época da ditadura militar eram muito boas.

Existem comprovações irrefutáveis que, elas sim, recuperavam presos e deveriam servir de exemplo para o mundo.

Nenhum país e nenhum modelo prisional conseguiu reabilitação igual.

Orgulho brasileiro!

ENTRARAM:
– GUERRILHEIROS, TORTURADORES, FRAUDADORES, LADRÕES, ASSASSINOS E SEQÜESTRADORES; E

SAÍRAM:
– GOVERNADORES, MINISTROS, PREFEITOS, DEPUTADOS, SENADORES, VEREADORES e UM PRESIDENTE, ou melhor: DOIS!
dimaditademo

Veja também: Marx escreve uma carta de repúdio ao professor, A importância do Doutorado, Incêndio, apenas 4° andar é salvo., DECLARAÇÃO IRPF 2012, Universidades do mundo, A culpa é de quem!, 35 verdades ditas sobre o Brasil, pelos olhos de um Turista, Por que estamos nas ruas