Centro de Mídias SP

A programação do canal 2.3 TV Educação e do aplicativo Centro de Mídias SP foi inaugurada nesta segunda-feira (06/04/2020), com uma aula de robótica da professora Débora Garofalo, eleita uma das dez melhores professoras do mundo em 2019, falou ao vivo na TV Educação, com transmissão simultânea pelo Centro de Mídias SP, sobre cultura maker, robótica e sustentabilidade. O estudante aprendeu como construir uma mão mecânica com papelão e barbante. O secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, entrou no ar para dar as boas-vindas a todos os alunos, professores e demais participantes da transmissão. Portal do Governo

O Centro de Mídias da Educação de SP é uma plataforma que vai permitir que os 3,5 milhões de estudantes da rede estadual tenham acesso gratuitamente a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos durante o período do isolamento social provocado pelo combate ao covid-19. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

O Centro de Mídias SP disponibilizará aulas ao vivo ministradas pelos professores da rede, a plataforma também contará com aulas de youtubers, permitindo que os alunos façam interações por meio de chat e vídeos. As aulas serão operadas em dois estúdios da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores da Educação do Estado de São Paulo (Efape), vinculada à Secretaria Estadual da Educação (Seduc).

A plataforma que vai viabilizar ensino presencial mediado por tecnologia já está disponível para acesso, com conteúdos diários. A ideia é que todos se familiarizem com a ferramenta antes do início de retorno das atividades escolares oficiais, em 22/04. Inclusive, a equipe que está na produção. Assim, nas próximas semanas poderá haver restrições de acesso e queda de transmissões, e por isso contamos com a colaboração e a compreensão de todos. Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação do Estado de São Paulo “Paulo Renato Costa Souza”

O download do aplicativo do Centro de Mídias SP está disponível para os sistemas Android e IOS. Para ter acesso, estudantes e professores da rede estadual terão de fazer o login com os mesmos dados usados na Secretaria Escolar Digital (SED).

O aplicativo https://centrodemidiasp.educacao.sp.gov.br/Centro de Mídias SP foi desenvolvido pela IP.TV e doado à Seduc. A pasta patrocinará internet para que alunos e professores da rede tenham acesso aos conteúdos via celular, sem qualquer custo.

Para isso, firmará contrato com cada uma das quatro maiores operadoras de telefonia: Claro, Vivo, Oi e Tim. Dessa forma, todo o estudante da rede poderá desfrutar das atividades do aplicativo sem utilizar o pacote 4G do celular, sinal de internet wi-fi, ou mesmo quando estiver sem créditos.

Os alunos dos anos iniciais terão programação específica transmitida pelo canal TV Educação e ainda receberão um material impresso disponibilizado pela Seduc. Assim, os alunos da rede estadual poderão contar com diferentes canais de transmissão e interatividade para continuar aprendendo mesmo durante o período da quarentena.

As ferramentas disponibilizadas pela pasta continuarão sendo usadas depois da reabertura das escolas para complementar as atividades presenciais.

Os Anos Iniciais também serão contemplados com programação específica, transmitida pela TV Educação. E para apoiar os pais, a SEDUC-SP enviará material impresso.

Campo Grande (MS), 13/11/2018 – O Ministério da Educação lançou nesta terça-feira, 13, em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e apoio da TV Escola e da Fundação Roberto Marinho, o Centro Nacional de Mídias da Educação (CNME), uma proposta inovadora de ensino presencial mediado por tecnologia. O lançamento foi feito pelo ministro da Educação, Rossieli Soares, na escola estadual Lúcia Martins Coelho, em Campo Grande (MS). Ministério da Educação

“Precisamos pensar a educação olhando para o que está acontecendo no mundo”, declarou o ministro. “A tecnologia chegou e temos que nos apropriar dela, cada vez mais, para dar oportunidade aos nossos jovens, utilizando o conhecimento dos nossos professores. Esse projeto traz tecnologia como forma de apoio, utilizando os professores que temos Brasil afora”.

“Nós começamos com 150 escolas, testando, conhecendo e construindo com os professores e com os alunos; estamos ainda aprendendo”, lembrou o ministro da Educação. “É um processo importante de aprendizado. “Agora a porta está aberta para a adesão de outras escolas, de outros estados. Temos hoje 17 estados trabalhando nesta primeira etapa e queremos, já no próximo ano, chegar a algumas centenas de escolas a mais e, quem sabe, tendo o desejo das redes e das escolas, chegar a milhares em muito pouco tempo”. 

Agora é com você: PROJETOS para FAZER EM CASA, Cursos online e conteúdos gratuitos, FGV libera 55 cursos online gratuitos, Cursos na USP, Resuscitation, 80 atividades para crianças: simples, divertidas, de baixo custo e todas dentro de casa, Museu Pelé, The Disgusting Food Museum, The Metropolitan Museum of Art, Computer History Museum

juiz, mas não Deus!

“Ao apregoar que o demandado era ‘juiz, mas não Deus’, a agente de trânsito zombou do cargo por ele ocupado, bem como do que a função representa na sociedade”. José Carlos Paes – UOL

Juiz-Joao-Carlos-de-Souza-Correa-que-dirigia-carro-sem-placa-prestando-depoimento-na-14DP-no-Leblon-Foto-Marcio-AlvesAgencia-O-Globo

A blitz da Lei Seca ocorreu na Rua Bartolomeu Mitre, no Leblon, em fevereiro de 2011. O juiz João Carlos conduzia um Land Rover sem placas e não portava carteira de habilitação. Luciana, na condição de agente de trânsito, informou que o veículo teria de ser apreendido e encaminhado a um pátio. Do G1 Rio

ols_rogerio_santana_3

Fiscal é condenada por ‘zombar’ de juiz. Destak

vaquinha

João Carlos de Souza Correa já havia se envolvido em uma confusão, com um policial rodoviário, em 2009, quando foi parado em Rio Bonito. Além do excesso de velocidade, chamou a atenção dos agentes um giroflex azul (luz de emergência giratória, usada por carros da polícia) no teto. Assim como no caso da agente da Lei Seca, ele também deu voz de prisão ao policial que fez a abordagem.

illusion

Segundo o policial rodoviário Anderson Caldeira, logo que desceu do veículo, o magistrado, aos berros, disse que era juiz de direito:

“Ele relutou muito em se identificar e em nenhum momento parou de gritar e me ameaçar, dizendo que me colocaria na rua, que a minha carreira no serviço publico estava acabada, etc”. Extra

operacao-lei-seca-luciana-silva-tamburini

Veja também: Ignorância e sucesso?, PARE ou DIMINUA?, UM “DEVOGADO” E… DUS BÃO!‏, Coincidence or not, 10 razões para legalizar as drogas, O país da piada pronta!, O crime compensa, Brincando de lógica, CONSCIÊNCIAS NOTÓRIAS: ALBERT EINSTEIN

Mídia Ninja

ninja2-292x280Mídia NINJA (Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação), é um coletivo de mídia formado em 2011, conhecida pelo ativismo sociopolítico, declarando ser uma alternativa à imprensa tradicional. As transmissões são em streaming em tempo real, pela internet, usando câmeras de celulares e uma unidade móvel montada em um carrinho de supermercado, com a estrutura descentralizada e uso das redes sociais, especialmente o Facebook, na divulgação de notícias. Wikipédia, a enciclopédia livre.

Veja também: A onda, Medo?, Pai (de quem) trocinio!, Globo terrestre virtual, Princípio do ou nãoPor que estamos nas ruas, V de Vingança, Água mata?, Arena, Portal da Transparência, Território, Carta de um policial nos protestos de São Paulo, Inicie um abaixo-assinado, Quem é o povo?

Brô Mc´s

“não quero tua esmola / nem a sua dó, minha terra não é pó / meu ouro é o barro onde piso, onde planto / e que suja seu sapato quando vem na reserva fazer turismo”

O rap dos Brô MC´s é cantado em Português e em Guarani, mistura inédita no país, e as rimas falam do preconceito que passam, do sofrimento do povo indígena e sua história, mas apresentam um povo guerreiro que tenta conquistar o seu lugar. UFGD
Guarani-Kaiowa - violência do homem branco
O Brô MC`s é o primeiro grupo de rap indígena do Brasil, formada pelos jovens indígenas da aldeia Jaguapirú Bororó, localizada na área urbana da cidade de Dourados, Bruno Veron, Clemersom Batista, Kelvin Peixoto, Charlie Peixoto, Higor Lobo e Dani Muniz, em 2008 eles encontram com Higor Marcelo coordenador estadual da Central Única das Favelas de Mato Grosso do Sul (CUFA – MS), vocalista do grupo de rap Fase Terminal, que os convida para participarem de uma música do seu segundo álbum intitulado Outra Fase, a música “No Yankee”. Toque no Brasil

Veja também: Eju Orendive, Portal Rap Nacional, Xeque Monte, Catastrofe natural?, Território, A Terra a Gastar, O povo da caixa, Tribo de Jah – Mata Atlântica, A verdade pode estar no ovo, Feliz dia do índio!!!