Pegadinhas do Marco Civil da Internet

O Marco Civil da Internet está cheio de pegadinhas que o tornam um verdadeiro Cavalo (ou “Burro”) de Tróia.
É fundamental pressionarmos os senadores para que os parágrafos 3° e 4° do artigo 19 sejam removidos, já que poderiam instaurar um serviço de censura expressa na internet brasileira, além disto, temos que exigir o fim da possibilidade do presidente da república instituir o Traffic Shaping por decreto, ou comprometer a Neutralidade da Rede. Otário Anonymous

A lista de telefone e email de todos os Senadores pode ser acessada através do link a seguir: http://www.senado.gov.br/senadores/

Nenhum direito a menos! Liberdade, Neutralidade e Privacidade! Idec

PROJETO DE LEI, estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil.

Veja também: Relatório Figueiredo, VERGONHA INTERNACIONAL (France Football), OPERAÇÃO POLÍTICA SUPERVISIONADA, Ranking Políticos, Suzy And Freedom, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?, Reclame Aqui, A máscara e algumas verdades, Sheherazade e a Secom, Violentamente pacífico, Ditadura da propaganda, O pai da propaganda, O de Otário

Só Pra Variar

Só Pra Variar – Raul Seixas

Tem que acontecer alguma coisa, neném
Parado é que eu não posso ficar
Quero tocar fogo onde bombeiro não vem
Vou rasgar dinheiro, tacar fogo nele
Só pra variar

Antes d’eu me confessar pro padre, neném
Vou comer três quilos de cebola
Ver de perto o papa, ai, que luxo, meu bem
Vou rasgar dinheiro, tacar fogo nele
Só pra variar

Pena não ser burro
Não sofria tanto
Essa noite eu vou dormir
Botar as manguinhas de fora
Dizer que eu estou chegando
Botando pra quebrar

Vou jogar no lixo a dentadura, neném
Vou ficar banguelo numa boa
É que eu vou fundar mais um partido também
Vou rasgar dinheiro, tocar fogo nele
Só pra variar

Diz que o paraíso já tá cheio, neném
Vou levar um lero com o diabo
Antes que o inferno fique cheio também
Vou rasgar dinheiro, tocar fogo nele
Só pra variar

Vou rasgar dinheiro, tocar fogo nele
Só pra variar

Veja também: O de Otário, Coleira para crianças, absurdo?, Portal da Transparência, Ministério da Saúde, Carlos Marighella, Saramago, Santa Buceta, Brasil de bandidos, Inside Job, Catastrofe natural?, Justiça em trânsito, Xeque Monte

O analfabeto político

O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe,
da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política.
Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta,
o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista,
pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo.
Bertolt Brecht (in: Kona-kona)

AngeliSP3

Um sujeito comprou uma geladeira nova e pra se livrar da velha, colocou-a em frente à casa com o aviso: “De graça. Se quiser, pode levar”. A geladeira ficou três dias, sem receber um olhar dos passantes. Ele chegou à conclusão que as pessoas não acreditavam na oferta. Parecia bom demais pra ser verdade, e ele mudou o aviso: “Geladeira à venda por R$ 50,00”. No dia seguinte, ela tinha sido roubada!

Cuidado! Esse tipo de gente vota!

Olhando uma casa para alugar, meu irmão perguntou à corretora de imóveis de que lado era o Norte, porque não queria que o sol o acordasse todas as manhãs. A corretora perguntou: “O sol nasce no norte?” Quando meu irmão explicou que o sol nasce no Leste (aliás, há um bom tempo isso acontece) ela disse: “Eu não me mantenho atualizada a respeito desse tipo de coisa “.

Ela também vota!

Antigamente, eu trabalhava em suporte técnico num centro de atendimento a clientes em Manaus. Um dia, recebi um telefonema de um sujeito que perguntou em que horário o centro de atendimento estava aberto. Eu disse a ele: “O número que o senhor discou está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana.” Ele perguntou: “Pelo horário de Brasília ou pelo horário de Manaus?” Pra acabar logo com o assunto, respondi: “Horário de Manaus.”

Ele vota!

Meu colega e eu estávamos almoçando no restaurante self-service da empresa, quando ouvimos uma das assistentes administrativas falando a respeito das queimaduras de sol que ela havia tido, ao ir de carro ao litoral. Estava num conversível, por isso, “não pensou que ficaria queimada, pois o carro estava em movimento.”

Ela também vota!

Minha cunhada tem uma ferramenta salva-vidas no carro, projetada para cortar o cinto de segurança, se ela ficar presa nele. Ela guarda a ferramenta no porta-malas!

Minha cunhada também vota!

Meus amigos e eu fomos comprar cerveja para uma festa e notamos que os engradados tinham desconto de 10%. Como era uma festa grande, compramos 2 engradados. O caixa multiplicou 10% por 2 e nos deu um desconto de 20%.

Ele também vota!

Saí com uma amiga e vimos uma mulher com um aro no nariz, atrelado a um brinco, por meio de uma corrente. Minha amiga disse: “Será que a corrente não dá um puxão a cada vez que ela vira a cabeça?” Expliquei que o nariz e a orelha de uma pessoa permanecem à mesma distância, independente da pessoa virar a cabeça ou não.

Minha amiga também vota!

Eu não conseguia achar minhas malas na área de bagagens do aeroporto. Fui, então, até o setor de bagagem extraviada e disse à mulher que minhas malas não tinham aparecido. Ela sorriu e me disse para não me preocupar, porque ela era uma profissional treinada e eu estava em boas mãos. “Apenas me informe… o seu avião já chegou?”

Ela também vota!

Esperando ser atendido numa pizzaria observei um homem pedindo uma pizza para viagem. Ele estava sozinho e o pizzaiolo perguntou se ele preferia que a pizza fosse cortada em 4 pedaços ou em 6. Ele pensou algum tempo, antes de responder: “Corte em 4 pedaços; acho que não estou com fome suficiente para comer 6 pedaços.”

Isso mesmo, ele também vota!

Agora, você sabe QUEM elege os políticos. 31st March 2008. Guionardo Furlan

Veja também: Controle Social, Quem é o povo?; A culpa é de quem!; Carta à Sra. “Presidenta” da República, Política, sempre ela., Candidato Caô Caô, Impostômetro, Tem que casar!!!, Os sentidos da política – problemas e perspectivas, Um golpe educado!, Comida para pássaros