Gustavo Guedes

“Minha família é militar. Sempre fui careta. Nunca vi maconha na minha vida. Se eu paro para pensar que eu dou três drogas para meu filho hoje (Topiramato e o Depakene, e dou o Klobazam, um tarja preta), para um bebê de um ano e três meses, por que não posso dar o CBD? Se a luz no fim do túnel é essa e se o CBD dá na maconha, OK. A gente vai usar maconha. Se desse no abacaxi, a gente usava folha do abacaxi, mas não dá”, diz Camila Guedes em cena do documentário Ilegal. Flavia Guerra , O Estado de S. Paulo – 08 Outubro 2014

1stnnif0i7_9ewfaaieu6_file

A morte do menino Gustavo Guedes, de um ano e quatro meses, que sofria da Síndrome de Dravet, no último domingo (1º), em Brasília, no Distrito Federal. A criança sofria uma doença rara que provoca crises epilépticas, assim como os pais da menina Anny Fischer, de 5 anos, a mãe de Gustavo Guedes lutava pela liberação de um medicamento derivado da maconha, o canabidiol (CBD), que diminui consideravelmente o número de crises.. DISTRITO FEDERAL – Do R7

camila-2

Uma caixa pequena protegida no fundo de um armário guarda as primeiras vezes de uma vida breve. Nela, há a mecha do primeiro corte de cabelo de Gustavo, a roupa usada nos primeiros dias, um par de sapatinhos e a chupeta. Os itens formam uma singela, porém significativa, coleção de lembranças do primeiro filho de Camila e Cristiano Guedes. O tempo passou diferente, em 25 de janeiro de 2013, às 6h, quando Gustavo nasceu. A vida começou a correr como os números de um cronômetro, diante dos olhos preocupados dos pais. LEILANE MENEZESMetropoles

20140603094715334345e

A morte do menino Gustavo Barbosa, de um ano e quatro meses, no domingo (1º/6), passará por um processo de investigação conduzido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A substância é proibida no Brasil, mas a Anvisa autorizou, em caráter excepcional, a família a importar o medicamento, no dia 17 de abril. No entanto, o medicamento ficou mais de 10 dias retido na Receita Federal. Por causa disso, o garoto só conseguiu usar o medicamento por nove dias, até ser internado no Hospital Santa Helena, e não resistir a uma série de convulsões. Roberta Pinheiro – Correio Braziliense

A nutricionista cearense, radicada em Brasília, Camila Guedes, foi a primeira pessoa, em 2014, a entrar com pedido na Anvisa para importar canabidiol dos Estados Unidos. Diagnosticado com Síndrome de Dravet, o filho dela, Gustavo, sofria desde os quatro meses com convulsões mensais que só paravam com medicações fortes e internação, ela recorreu à pediatra do filho, “Era algo que tinha de ser feito”, rememora a médica Cláudia Bueno, atualmente coordenadora da UTI Pediátrica do Hospital Regional de Marabá, no Pará. Ela foi a primeira médica brasileira a prescrever CBD. O povo

Mude conceitos, você pode e deve vidacell ®COMO A INDÚSTRIA DO FUMO ENGANOU AS PESSOAS?instantly ageless ™PIAUÍ AUTORIZA PRODUÇÃO DE ÓLEO DE CANABIDIOLnaara beaty drink!!!SUCOS VERDESJEUNESSE, VERDADE OU MENTIRA?ARROZ BASMATI COM MILHO (VEGANA)luminesce ™#ASCO: #ALCOHOL IS #CANCER RISKHERBICIDA ROUNDUP, CANCERÍGENO?!?!Pesticidas caseiros ecológicos para plantasPARATUDO DO LAR

Relatos Salvajes

O humor sofisticado e inteligente é a principal característica de “Relatos Selvagens”, que foi escrito por Szifron e segue formato de antologia: são seis histórias diferentes, todas bastante regulares, algo raro no gênero, unidas por protagonistas fora de controle, que decidem fazer justiça com as próprias mãos. Luísa Pécora , iG São Paulo

Conviver, seja em casa, no trabalho ou no trânsito, é um exercício constante de paciência no qual nem sempre nos saímos bem. Naturalmente, algumas pessoas são mais tolerantes do que as outras, mas todo mundo tem um limite que, se quebrado, liberta o lado animalesco que há dentro de cada um de nós. Já viu esse? – LUCIANF 

Dirigido por Szifrón e fotografado por Javier Julia de maneira minimalista e praticamente invisível (o que se revela uma estratégia apropriada por conferir unidade visual ao projeto), Relatos Selvagens é irregular como boa parte das antologias, mas também pontualmente divertido em suas tentativas de vingar o espectador de bem das agruras da vida adulta neste mundo muitas vezes burocrático, algumas outras entediante e sempre limitador de nossos impulsos mais animais. Cinema de Buteco.

Enxergue mais: NÃO SOU DE POSTAR COISAS RELIGIOSAS, MAS AS VEZES, ESSE TIPO DE COISA É QUE ME DEIXA COM MUITA RAIVA DA SOCIEDADE!SANDUÍCHES SEM PÃOPHILIP K. DICKNAARA BEAUTY DRINK!!!GLÂNDULA PINEALTORNE-SE UM MENDIGO.EMVBE MY EYES APPADORO ESSA PARTE DA ANATOMIA FEMIMINA.INSTANTLY AGELESS ™MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINEÍNDIO EDUCAVIDACELL®DEPRESSÃO MASCULINAREMÉDIO QUE CURA QUALQUER DOENÇAIDONEIDADE MORAL E SOCIALRESERVE™A HISTÓRIA DO JARDINEIRO DE OXALÁRELIGIÃO MENTALDESENHO DE CRIANÇA