Click Museus

O Coletivo “Akangatu” que significa memória em Tupi Guarani, apresenta o projeto “Click Museus”, que tem como missão aproximar e facilitar a comunicação dos Museus com as pessoas, abordando o patrimônio de forma transversal além de disseminar a ideia de que Museus são espaços de lazer e entretenimento, não apenas de Educação.

Pensando nisso, criamos uma plataforma única baseada em pesquisas de hábitos de Cultura dos Brasileiros (IBGE E JLEIVA). Nossos posts são releituras de ações educativas das próprias instituições Museológicas, além de usar como suporte matérias dos sites: SISEM, IPHAN e IBRAM para facilitar na interação e divulgação, acreditamos que assim, é mais fácil de inserir o Patrimônio Material e Imaterial ao cotidiano comum, sem usar nenhum tipo de Jargão Técnico, deixando o museu mais atraente e reduzindo as dificuldade de acesso para aqueles que pensam em visita-lo.Existe Guarani em SP

Muze-se: Museu Transgênero de História da Arte, Museu virtual Oba L’Okê 360°, Museu Galileo Galilei, Museu x AmBev

Lei do Preço Fixo ou Comum, se chamará Lei José Xavier Cortez

Por conta das divergências no nome da Lei Lang  – desde o início das discussões no país – ao invés de Lei do Preço Fixo ou Comum, ela se chamará Lei José Xavier Cortez, em homenagem ao fundador da Editora Cortez e que faleceu no último mês, aos 84 anos. “Acho que é uma belíssima homenagem, até porque ele mesmo era um grande defensor da lei”, declarou Prates, explicando ainda que o novo nome é muito mais “palatável e vendável, no bom sentido”. publishnews

Em sua fala, Jean Paul Prates, o presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, Leitura e Biblioteca detalhou o PL 49/2015 e resumiu os principais objetivos da Lei: assegurar ao público uma maior disponibilidade de livros e títulos – a chamada bibliodiversidade; respeitar a diversidade do público; garantir a sobrevivência das livrarias e editoras independentes e de médio porte; evitar a concentração do mercado livreiro nas grandes cidades; diminuir o preço do livro; fomentar a leitura no país e aumentar a existência das livrarias de bairro.

Sobre as regras do projeto, detalhou: todo livro sob edição nacional vai receber uma precificação única. Esse preço de capa de cada obra vai constar de lista publica eletrônica de emissão das editoras, devendo servir de referência para livreiros e revendedores para todo território nacional. Será também de obrigação do editor, a divulgação dos preços ao público de todo o seu catálogo editorial disponível. O preço de venda do livro ao consumidor final, não poderá ser estabelecido abaixo de 90% do preço de capa decidido pelo editor, durante o período de 12 meses contado da data de lançamento. “É apenas isso. Mas é uma grande coisa para o negocio do livro, para o pequeno livreiro”, resumiu.

Sobre as exceções, o senador explicou também que a Lei não se aplica às vendas efetuadas diretamente ao poder público, aos livros didáticos, obras raras antigas esgotadas, obras fora de catálogo, obras destinadas aos colecionadores, e às obras destinadas a entidades que recebam subsidio público.

Os defensores desse retrocesso garantem que ele deixa o mercado de livros mais saudável e equilibrado no Brasil. Segundo eles, o fato de as grandes livrarias comprarem um grande volume de livros de uma só vez as permite oferecer grandes descontos ao consumidor final no momento de lançamento de um livro, criando assim uma concorrência desleal com livreiros menores e independentes. João Luiz Mauad – Instituto Liberal

Quais as vantagens da Lei do Preço Fixo?

1. Assegurar uma maior disponibilidade de livros e títulos ao consumidor;

2. Respeitar a diversidade do público;

3. Assegurar a capacidade de conhecimento, do saber e da difusão da cultura do país;

4. Garantir a limitações de livrarias e editoras independentes e de médio porte;

5. Evitar a concorrência predatória por parte dos sites de venda de livros, grandes varejistas e supermercados;

6. Evitar a concentração do mercado livreiro;

7. Possibilitar aos autores e editores um controle mais real da distribuição dos livros e dos direitos autorais. ANL in: SlideToDoc

Dados estatísticos mostram que temos cerca de 2. 600 livrarias, 70% são de pequeno e médio porte. Com a Lei espera-se aumentar este número que deveria ser cerca de 4. 900 livrarias.

→ 92% das livrarias apoiam a Lei.

→ 74% das editoras apoiam a Lei.

→ 87% das entidades ligadas ao livro já apoiam a Lei.

Leze-se: , Garis montam biblioteca com livros que iriam para o lixo, A primeira biblioteca de livros censurados, O empilhador de livros, 2 mil livros sobre permacultura e bioconstrução, A árvore que dava dinheiro – AUDIOBOOK (AUDIOLIVRO), Domínio Público

Garis montam biblioteca com livros que iriam para o lixo

Em Ancara, na capital da Turquia, os profissionais de limpeza urbana tiveram uma iniciativa incrível. Ao perceberem que muitos livros estavam sendo descartados pela população, decidiram se unir para uma operação de coleta e armazenamento e abrir uma biblioteca comunitária. CicloVivo

A história começou com Serhat, de 32 anos, que sempre sonhou em ter uma biblioteca e decidiu juntar os livros que encontrava no lixo. Aos poucos, seus colegas se uniram a ele e em 7 meses conseguiram uma quantidade de livros suficiente para que os colegas do serviço de limpeza tivessem uma boa biblioteca.

Mas, os garis continuaram a recolher livros descartados pela população e a biblioteca foi crescendo cada vez mais. Com isso, surgiu a ideia de abrir uma biblioteca comunitária, para que mais pessoas tivessem acesso ao acervo. A princípio a biblioteca seria apenas para os profissionais de limpeza, amigos e família, mas o grupo de colegas decidiu procurar a prefeitura e levar os livros para um local acessível para toda a comunidade.

A prefeitura apoiou a iniciativa e e adaptou uma antiga olaria que estava fechada há mais de vinte anos. Com a divulgação do trabalho dos garis, dezenas de pessoas passaram a doar mais livros e outras publicações, como catálogos e revistas.

A biblioteca foi inaugurada no bairro de Çsankaya, com um incível acervo de mais de 6 mil títulos, catalogados com seções infantis, livros de pesquisa científica e até publicações em muitos em outros idiomas como inglês e francês. Para completar, a biblioteca ganhou um espaço de leitura, espaço zona infantil, espaços para jogos de tabuleiro e uma cafetaria.

Garize-se: Vida do Gari, Giorggio Abrantes, Biblioteca de objetos Leila Berlin, Biblioteca Web, Flash na Biblioteca, Kamikatsu, como separar o lixo?!?, Cataki, o “Tinder da reciclagem”

A primeira biblioteca de livros censurados

Dawit Isaak-biblioteket är ditt yttrandefrihetsbibliotek på Malmö Stadsarkiv. Här kan du hitta, läsa och låna hem böcker som du egentligen inte skulle fått läsa om någon annan fått bestämma.

A primeira biblioteca de livros censurada do mundo, chamada Dawit Isaak, foi inaugurada no prédio do Arquivo Geral em Malmö, no sul da Suécia. O nome homenageia jornalistas e escritores presos sem julgamento no país africano da Eritreia desde 2001 por publicarem críticas ao regime. Juliana RangelClick Museus

No dia 15 de setembro de 2020, foi inaugurada a primeira biblioteca de livros proibidos no mundo, entre eles, encontram-se obras do escritor brasileiro Paulo Coelho. O nome da biblioteca homenageia o jornalista e escritor Dawit Isaak, que se encontra preso na Eritréia sem direito a julgamento desde 2001 por fazer críticas ao regime. Isaak tem cidadania sueca, embora tenha nascido no país africano.

A coleção inclui obras antigas e contemporâneas cujo uso é proibido em determinados lugares do mundo, incluindo canções e peças de teatro. O objetivo é coletar livros censurados ou livros sujeitos a qualquer forma de proibição, incluindo livros que foram queimados no passado. Deve-se lembrar que não apenas os livros são censurados, mas os escritores geralmente são ameaçados, presos ou exilados.

A biblioteca possui atualmente 1.600 projetos e planos de expansão com novas propostas. Cada livro fornece informações sobre o motivo da revisão, prazo e local. Além disso, existem materiais sobre liberdade de expressão, censura e democracia. Os exemplos incluem títulos como “Versos Satânicos” de Salman Rushdie, que é considerado uma ofensa ao Profeta Muhammad.

Existem também obras que foram proibidas por atentarem contra a moral e os bons costumes e causarem escândalos sociais. Considerado subversivo, profano ou obsceno, como “Lolita” de Vladimir Nabokov (1955), que foi afetado em vários países incluindo o Brasil.

O Livro 1984, publicado por George Orwell em 1948, teve como tema comentários sobre regimes totalitários e foi censurado nos Estados Unidos e na União Soviética. A trilogia “Cinquenta Tons de Cinza” de E.L. James foi banida da pornografia em muitos lugares.

Malmö är en stad där det fria ordet och den konstnärliga yttrandefriheten ska få ta plats. Det är viktigt eftersom ett demokratiskt samhälle fungerar bättre om vi kan ta del av största möjliga mångfald av skilda idéer och perspektiv. Med biblioteket har vi skapat en plats där hotat innehåll kan samlas och viktiga samtal kan föras.

Dawitze-se: Banidas do Instagram, Os cães, 1984!, A bailarina Baderna, Revenge Porn, 400 Nudes, Kay Pike and Lianne Moseley, Halloween Saci!, George Orwell, 1984 e Revolução dos Bichos, TODOS PRECISAMOS DA UTOPIAEra da Pilhagem, Biblioteca de objetos Leila Berlin, Maior biblioteca de magia e ocultismo do mundo digitaliza seu acervo, Biblioteca Web, Flash na Biblioteca, Domínio Público

Livre de Guerre

Já dizia Nelson Mandela: “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”. Talvez esta frase tenha inspirado o artista argentino Raul Lemesoff, o responsável pela criação de uma arma que pode mudar a vida de muitas pessoas: ele transformou um antigo carro Ford Falcon, de 1979, em um tanque de guerra. Mas, ao invés de disparar balas, o veículo dispara livros, o projeto em que trabalhou nos últimos anos dá um novo significado a um dos principais símbolos de guerra, que foi batizado de “Arma de Instrução em Massa”.


Com a munição de livros pronta, o artista percorre as ruas de Buenos Aires, na Argentina, disparando livros por todos os lados e para todas as pessoas que cruzam o seu caminho. Não é necessário pagar nada pelos exemplares, apenas se comprometer com a leitura. Vicente CarvalhoRazões para acreditar

PLEASE WATCH: VIDEOSArma de Instruccion Masiva

In celebration of world book day on 5th march, 7UP has teamed up with buenos aires-based artist raul lemesoff in the creation of ‘weapons of mass instruction’, a traveling library that tours argentina in the shape of a tank. designboom