MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINE

“Quando alguém na aldeia adoece a aplicação dos remédios extraídos da floresta é feita em conjunto com a ação do xamã. O conhecimento sobre estes remédios era mantido e repassado tradicionalmente pelas mulheres idosas, que os aplicavam em complemento e em acordo com o trabalho de cura dos xamãs”.

manual-yanomami

Kami Yamaki Urihipë, Nossa Terra-Floresta é uma entidade viva, um ser da natureza que nos dá a comida e a cura. O manual de remédios tradicionais yanomamis vêm mostrar um pouco dessa riqueza que é nossa, brasileira. GreenMe.com.br

yanomami-pesquisa

Aqui você poderá fazer o download do Manual de Medicina Yanomami

Os Yanomami são um dos maiores povos indígenas no Brasil. Atualmente são 22 mil pessoas que vivem nos estados do Amazonas e Roraima, no norte do País e nas regiões venezuelanas fronteiriças com o Brasil.

davi-kopenawa-yanomami

“A terra-floresta só pode morrer se for destruída pelos brancos. Então, os riachos sumirão, a terra ficará friável, as árvores secarão e as pedras das montanhas racharão com o calor.

Os espíritos xapiripë, que moram nas serras e ficam brincando na floresta, acabarão fugindo. Seus pais, os xamãs, não poderão mais chamá-los para nos proteger.

A terra-floresta se tornará seca e vazia. Os xamãs não poderão mais deter as fumaças-epidemias e os seres maléficos que nos adoecem. Assim, todos morrerão.” GreenMe.com.br

Enxergue mais: CONTRA TODOS OS MALESRELATÓRIO FIGUEIREDOA INVASÃO DO BRASILEMVEXPERIMENTO CIENTÍFICO?GRAVIOLATHE LONE RANGERINSTANTLY AGELESS ™ÍNDIO EDUCANO CAPÃO REDONDO, NINGUÉM SONHA EM SER MÉDICOREMÉDIO QUE CURA QUALQUER DOENÇA, VIDACELL®UTILIDADES DA ASPIRINA PARA A SUA BELEZA.HINO NACIONAL EM DIALETO TICUNAPLANKTON INVASIONUM MAR DE INFORMAÇÕES!!!RESERVE™TERRA SEM MALESSUCO DE LIMÃO E BICARBONATO

 

Todos querem ser felizes!

limãomel
peixevegano
notreenome
segundasemcarne

Veja também: Meio o quê?, Piada sem sabor!, De onde você vem?, O Amaranto Inca Kiwicha invade plantações de soja transgênica da Monsanto nos Estados Unidos, Sua cara, O papel da lareira, Reclame Aqui, Leite de aveia, Processo licitatório?, LEVITATION, Coletores de sementes, Bolsa ruralista, quer que desenhe?, Parabéns Néstle, A chegada de Lampião no Inferno, Enciclopédia do Surf, Repo man, Instituto Pindorama, voluntariado.

Do lixo ao luxo!

no_lixo_brasil
catadorlixocopa
carrinhocatador
mundonolixo
O Dia Nacional do Catador de Material Reciclável é comemorado na data de 10 de dezembro, uma atividade é reconhecida pelo Ministério do Trabalho desde 2002, o que garante direitos e obrigações de um(a) trabalhador(a) autônomo(a), mesmo apesar da falta de reconhecimento pela sociedade, o trabalho do(a) catador(a) é de grande importância para a preservação do meio ambiente. Humberto Pessoa

Veja também: Fair Play, A importância do Doutorado, Neil Armstrong, Hour guitar, Cospe logo!, Em progresso, Cadê os Amarildos?, PRESÍDIOS NO REGIME MILITAR

Veteranas de guerra

UMA HOMENAGEM ÀS ÁRVORES SOBREVIVENTES DA MATA ATLÂNTICA

São Paulo é o dinâmico resultado da demolição e reconstrução de sucessivas cidades em pouco mais de um século. Nesse curto espaço de tempo, a cidadela com 30 mil habitantes tornou-se a metrópole com 20 milhões de habitantes, e sua natureza praticamente desapareceu. Originalmente muito rica em biodiversidade, São Paulo apresentava extensas florestas de Mata Atlântica, araucárias, cerrados e várzeas, que formavam uma paisagem única. Durante o processo de urbanização, a vegetação ancestral foi sendo eliminada e substituída por espécies de origem estrangeira, motivação cultural que acarretou na extinção em massa da fauna e flora nativas e a situação atual de 80% da vegetação urbana ser de origem estrangeira, ou seja, exótica.

Mesmo com esse grave quadro ambiental, alguns exemplares da Mata Atlântica alcançaram nossa época, resistindo a gerações de interesses contrários, loteamentos e aberturas de ruas e avenidas que poderiam em poucos minutos acabar com a sua história, assim como aconteceu a inúmeras outras que não pudemos conhecer.

Árvores da Mata Atlântica sobreviventes em condições tão adversas podem ser consideradas monumentos vegetais e históricos paulistanos, um patrimônio ambiental que representa uma imensa herança não reconhecida. Muitas dessas árvores estão ameaçadas pelo descaso, poluição e idade avançada, e são sobreviventes de populações quase ou extintas e detentoras de genética única resultante de milhares de anos de evolução com o clima, solo e biodiversidade local, precisando ser valorizadas, tombadas e reproduzidas para sua perpetuação e repovoamento na cidade de São Paulo.

O meio ambiente urbano deve ser uma prioridade no século XXI, o século das cidades.

Ricardo Cardim, botânico e ambientalista

Veja também: Veteranas de Guerra, Fundação SOS Mata Atlântica, Monte seu Fusca, Vegeta, Miniusina de energia, John Titor , o VIAJANTE-ZER, Chás que Ajudam a Emagrecer, Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ, Saudação ao Sol, Via Láctea pelo navegador, Arveres somos nozes