inspirAR, o respirador e outros brasileiros!!!

Mulher sendo atendida em respirador antigo

Epidemia de poliomielite na década de 1950

Os respiradores são necessários, pois estima-se que aproximadamente 5% dos pacientes com covid-19 acabem sofrendo a chamada síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), que é uma resposta inflamatória excessiva (dos pulmões) à infecção, neste caso viral, por coronavírus, explica Oriol Roca, médico associado do serviço de medicina intensiva do Hospital Vall d’Hebron, em Barcelona, esses dispositivos fazem isso de duas maneiras: fornecendo ao paciente mais oxigênio do que o ar ao seu redor e trabalhando como uma bomba capaz de superar a resistência da membrana que impede sua passagem. Arturo Wallace – BBC

Novo design do respirador.

Grandes empresas também se juntaram a equipes que trabalham com impressoras 3D para ajudar a preencher a lacuna, na Catalunha (Espanha), alguns colegas estão desenvolvendo um respirador 3D em colaboração com uma equipe de engenheiros”, diz Roca.

“Os respiradores têm de ser operados por pessoas. E por pessoas que entendem essa tecnologia, (…) eles exigem uma estratégia de uso, uma estratégia de ventilação que requer algum nível de experiência”, relata Gustavo Zabert, pneumologista da Clínica Pasteur em Neuquén, Argentina, e presidente da Associação Latino-Americana do Tórax.

Disponibilidade de respiradores na América Latina
País Respiradores Índice por 100.000 habitantes
Brasil 66.000 31,4
Argentina 8.500 19,3
Colômbia 5.300 10,6
Chile 1.600 8,8
Equador 1.200 7
México 5.000 3,84
América Central 1.500 2,5
Peru 270 0,8
Números não oficiais relatados por membros da Associação Latino-Americana do Tórax, ALAT.
 
 
British home appliances firm Gtech, which specialises in making vacuum cleaners, has made a prototype of a medical ventilator which founder Nick Grey says can be scaled to mass production within weeks. Made largely from off-the-shelf parts, the ventilator runs on compressed air and can be assembled with a simple production line.
 
No Brasil, o mini ventilador respiratório batizado de Breath4Life, criado dentro da aceleradora de startups do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O dispositivo, que pode ser integralmente criado em uma impressora 3D, foi desenvolvido pelas startups Hefesto e Anestech, e é inspirado no mini ventilador criado pelo médico nipo-brasileiro Kentaro Takaoka, em 1955. O respirador não depende de energia elétrica, é portátil e é acionado através do próprio fluxo de oxigênio fornecido aos pacientes. Mariana Ceccon, especial para HAUS. In: Gazeta do Povo
 
ventiladores-pulmonares-impressão-3d-design
 
“Na carência de ventiladores mais robustos, como os microprocessados disponíveis em UTI, o Breath4Life poderá ser usado. Ele é considerado um ventilador de entrada e de transporte, liberando os ventiladores mais robustos para pacientes mais graves”, explica o médico Diógenes Silva, diretor da Anestech.
 
 
“A válvula batizada de Charlotte foi impressa em 3D em poucos dias, custou menos de um euro. O projeto está publicado no site do Isinnova e pode ser acessado gratuitamente. Os bons resultados da adaptação estimularam que a marca esportiva francesa “Decathlon” suspendesse as vendas na máscara de snorkel Easybreath e fizesse a doação desses materiais em diversos países, como Estados Unidos, França, Itália, Espanha e também no Brasil.”
 
A empresa mineira Tacom, especializada em soluções de mobilidade, criou o projeto social inspirAR. A iniciativa pretende desenvolver respiradores inteligentes, de fácil manuseio, para unidades de saúde que necessitem. Paula SantanaEstado de Minas
 
Os equipamentos inteligentes estão ligados a uma central que é capaz de monitorar diversos leitos ao mesmo tempo  e, por isso, os respiradores dispensam a necessidade de pessoas operando-os presencialmente a todo momento,  o que libera os profissionais da saúde para atuarem no procedimento de ventilação mecânica e atenderem pacientes em estado grave. De acordo com a empresa, os aparelhos também reduzem o risco de contaminação dos médicos e enfermeiros, pois são capazes de isolar o ar contaminado, expirado pelo paciente, por meio de um sistema de exaustão a vácuo.
 
A empresa busca reduzir os custos para iniciar a produção em massa. Marco também explica que a Tacom aguarda a homologação da Anvisa para que a fabricação em escala industrial comece, conta Marco Antônio Tonussi.
 
Respiradores inteligentes da Tacom sendo testados(foto: Tacom/Reprodução)
 

Empregados voluntários da General Motors (GM) no Brasil estão consertando respiradores hospitalares, equipamento que é utilizado para ajudar pacientes em estado grave a respirar, já foram recebidos 91 aparelhos defeituosos. Desses, 37 foram consertados e devem voltar para os hospitais nos próximos dias, após calibragem. Segundo a fabricante de automóveis, foram mapeados mais de três mil respiradores que não estão em operação no país devido a defeitos. Aline Leal – Agência Brasil

A ação faz parte de uma força-tarefa promovida pelo Ministério da Economia, General Motors, Associação Brasileira de Engenharia Clínica (Abeclin), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), entre outras entidades. De acordo com a GM, mais de 65 funcionários voluntários – treinados pelo Senai – estão participando da operação.

“Estamos realizado os reparos nas nossas instalações em Gravataí (RS), Joinville (SC), São Caetano do Sul (SP), São José dos Campos (SP) e Indaiatuba (SP). Mais de 65 empregados voluntários da GM estão envolvidos no processo e mais serão convidados a se juntar ao grupo conforme a demanda crescer”, ressaltou o gerente de Inovação da GM, Carlos Sakuramoto.

Os hospitais que necessitarem do serviço podem pedir informações pelo e-mail codia@mdic.gov.br.

A Moto Honda da Amazônia assinou um termo de cooperação técnica para o desenvolvimento de protótipo de respiradores artificiais com o Governo do Amazonas e a Universidade do Estado do Amazonas, o intuito de viabilizar um protótipo de respiradores de transporte, utilizado em pacientes que necessitam de suporte respiratório temporário ou enquanto são deslocados em curtos e médios trajetos, e também irá apoiar a iniciativa conjunta de manutenção de respiradores que estão fora de operação para serem utilizados por pacientes acometidos pelo novo coronavírus.

A empresa doará para a Defesa Civil do estado, dez motobombas para uso em ações específicas em favor da saúde pública, assim como está doando pulverizadores costais à Prefeitura de Sumaré para a higienização e desinfecção de áreas públicas. A iniciativa foi complementada com a doação de 2 mil máscaras de proteção individual e cestas básicas, que seguem para o Fundo Social de Solidariedade do município.

3D-printed face masks developed for medical staff in Basra

Uma equipe multidisciplinar da Escola Politécnica, da Universidade de São Paulo (Poli-USP) projetou um ventilador pulmonar emergencial de baixo custo, que poderá servir para o atendimento de pacientes de covid-19. Batizado de Inspire, o protótipo tem mais duas vantagens: pode ficar pronto em menos de duas horas e é feito de peças que podem ser encontradas no país, ou seja, não necessita de componentes importados. Letycia Bond – Agência Brasil

Os respiradores disponíveis no mercado custam, em média, R$ 15 mil, enquanto o valor do Inspire é de R$ 1 mil, aproximadamente. O modelo desenvolvido pelos pesquisadores da Poli-USP foi registrado com uma licença open source, o que significa que qualquer pessoa interessada pode acessar o passo a passo de manufatura e fabricá-lo. A exigência é de que se obtenha autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O professor Marcelo Knorich Zuffo, da Poli-USP, ressalta que o protótipo foi concebido para ser usado “em uma eventual condição catastrófica”, causada pela falta de ventiladores pulmonares comerciais,  e que a equipe se surpreendeu com a quantia de R$ 161 mil, arrecadada em uma vaquinha online criada para dar subsídio ao projeto. O resultado alcançado superou as expectativas dos pesquisadores, que imaginavam conseguir juntar em torno de R$ 20 mil. “Isso mostra que temos uma sociedade extremamente generosa, e a gente está tentando responder a essa generosidade da forma mais responsável e séria possível, a despeito da gravidade da situação”.

Engineering staff, students work to deliver automated bag valve mask to address COVID-19 crisis

A team at Rice University has developed an automated bag valve mask ventilation unit that can be built for less than $300 in parts and help patients in treatment for COVID-19. The university expects to make plans to build the unit freely available online. Up-to-date details about the project, dubbed the ApolloBVM, and its progress are available here: http://oedk.rice.edu/apollobvm/

Cursos de saúde da UFPB: Uso medicinal da maconha

A UFPB será a primeira instituição do Brasil a ministrar a disciplina em três cursos da área da saúde, os estudantes dos cursos de medicina, biomedicina e farmácia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) terão aulas sobre o uso medicinal da maconha, por meio da disciplina Sistema Endocanabinoide e Perspectivas Terapêuticas da Cannabis Sativa e Seus Derivados.


“Já faz um tempo que trabalho com pesquisa e extensão e percebi que há uma demanda enorme de profissionais de saúde, principalmente médicos, que não se sentem seguros em prescrever a medicação porque não tiveram essa formação dentro da universidade”, afirmou Katy Albuquerque, do departamento de fisiologia e patologia da UFPB e idealizadora da disciplina.
A professora destacou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já libera a importação de remédios a base de maconha para tratar pessoas com autismo, depressão, esclerose múltipla, alguns tipos de câncer etc, uma vez que muitas vezes a terapia medicamentosa tradicional não responder de forma satisfatória.


“Há uma gama enorme de doenças que pode ser tratada com a cannabis, e cada vez mais essas doenças se tornam frequentes na população”.

Poetize-se: HEMP ROLL, NAARA BEAUTY DRINK!!! (10% de DESCONTO), Inicie um abaixo-assinado, Carta de um policial nos protestos de São Paulo, VIDACELL® (10% de DESCONTO), De quem é o poder?, HEMP CAR, K2, SPICE OU MACONHA SINTÉTICA?, FIM DOS TRAFICANTES?!?, SNOOP DOGG LION, A IGREJA DE TODOS OS DEUSES, LUMINESCE™ (10% de DESCONTO), SETEMBRO AMARELO,VOCÊ NUNCA ESTEVE SOZINHO?, Hemp Church

Eduardo Vilas-Bôas!!!

O general Eduardo Vilas-Bôas, ex-comandante do Exército e atual assessor do Gabinete de Segurança Institucional do Palácio do Planalto, está com uma doença neuromotora e corre o risco de não falar mais. Ele conheceu o uso medicinal do canabidiol e cedeu uma entrevista falando em “hipocrisia social” ao mencionar as dificuldades de quem precisa do acesso ao tratamento. Facebook – Veja a matéria completa no link: http://bit.ly/2Zzx9WW

“Eu não entendo por que ao mesmo tempo que tem gente lutando aí, defendendo a legalização da maconha, está tão difícil se obter esses medicamentos para efeito medicinal. Eu acho, de certa forma, até uma hipocrisia social e vejo a luta de algumas pessoas que dependem disso para minimizar sintomas de efeitos de algumas doenças que têm dificuldade”, disse o general com dificuldade para respirar. defesanet

Ele afirmou que vai abrir um instituto com sua filha Adriana para ajudar pessoas que sofrem com doenças incapacitantes, assim como ele. Do UOL, em São Paulo 03/08/2019 21h30
O uso da cannabis para produção do medicamentos nos Brasil é criticado pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra. Em 23 de julho, o ministro disse que pode encerrar as atividades da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) caso o órgão aprove regras sobre cultivo de Cannabis no Brasil para o fim.


Portador de ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), doença neuromotora degenerativa, Villas Bôas foi diagnosticado com a doença em dezembro de 2016 e, com perda dos movimentos de forma acelerada, está sob o risco de perder a fala. Respeitado por militares, pela sociedade civil e classe jurídica, o general falou sobre as consequências da depressão, doença que o assola desde 2001. Poder360

Poetize-se: FHC = THC, José Mujica maconheiro?, Scoring drugs, Quarto poder, Doenças degenerativas, Suco de limão e Bicarbonato, Vamos acabar com o domínio da Monsanto, O Coxinha – uma análise sociológica, Paulo Freire, Jesus Negão, Carmina Burana: Introduction (O Fortuna), Índice de Desenvolvimento Humano, Cadê os Amarildos?, Ricardo LSD Boechat Doidão

Arango, cura câncer?!?

Vídeo: ARANTO – PLANTA QUE CURA CANCER, COMO USAR

O aranto (nome popular da kalanchoe daigremontiana) é uma planta ornamental divulgada no universo online como suposto tratamento para o câncer, conhecido também como “mãe de milhares”, o aranto é nativo da África, mas se adaptou facilmente ao clima brasileiro, onde também é encontrado. Trata-se de uma kalanchoe, uma espécie de planta suculenta que vive bem em regiões tropicais e subtropicais. Elas são utilizadas pela população da África e das Américas no tratamento de infecções e inflamações.

Só que existem poucos estudos confiáveis sobre as propriedades farmacológicas da família. A maioria é feita in vitro, ou seja, com células isoladas.

“As pesquisas não chegaram na fase clínica, que testa os efeitos terapêuticos em seres humanos”, aponta o biomédico João Ernesto Carvalho, diretor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual de Campinas, no interior de São Paulo, e membro da Câmara Técnica de Fitoterápicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Chloé Pinheiro

Fonte: Gaúcha ZH
Aranto (Kalanchoe daigremontiana) é uma planta nativa da ilha de Madagascar, na África, pertencente à família das suculentas (Crassulaceae), que foi trazida para a América pelos negros escravizados. Ela é encontrada facilmente na América do Sul, especialmente na Amazônia, mas tanto o uso quanto os estudos para o tratamento de doenças como o câncer é mais frequente em países como Argentina, Colômbia e Paraguai.

O aranto também serve para curar doenças de pele, lesões, feridas, gangrenas e hemorragias. Isso porque ele também é considerado um anti-inflamatório e adstringente, podendo ser usado ainda para tratar reumatismo, hipertensão, cólica renal, febre e diarréia, devido ao seu efeito sedativo, diz-se ainda que ajuda a tratar problemas psicológicos, como por exemplo a esquizofrenia, síndrome do pânico e depressão.

Para todos os casos mencionados acima é importante procurar primeiro uma opinião médica para depois iniciar com um tratamento complementar. greenMe

Fonte: greeMe

As plantas são usadas, frequentemente, pela população para o tratamento e cura de alguns tipos de doenças, a análise do extrato bruto aquoso (EBA) das folhas secas do Aranto, cultivado no Campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e os testes Fitoquímicos mostraram a presença dos metabolitos secundários fenóis, catequinas, flavonas e esteroides. As frações em diclorometano (FRD) e metanol (FRM) analisadas por HPLC-DAD, apresentaram perfil característico de compostos fenólicos e flavonoides.

Os resultados dos testes Fitoquímicos realizados com o extrato aquoso das folhas secas da planta Aranto e a análise cromatográfica por HPLC-DAD, das frações FRD e FRM, foram satisfatórios e promissores, pois de posse destes, podemos dar continuidade a pesquisa no sentido de fornecer, através de métodos científicos complementares, dados que justifiquem seu uso na medicina popular. Mendonça, C.J.S.M. (UFMA) ; Ribeiro, D.G. (UFMA) ; Pires, T.P.R.S. (UFMA) ; Prazeres, G.M.P. (UFMA) ; Maciel, A.P. (UFMA) ; Silva, F.C. (UFMA) – ABQ (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE QUÍMICA)

O aranto é bem conhecido por brotar espontaneamente, é muito fácil para se espalhar e, por isso, muito fácil para encontrar. Caso more ou vá para cidades pequenas, é possível que encontre facilmente alguém que tenha conhecimentos para reconhecê-la ou até mesmo saiba como cultivá-la.

Tenha atenção para sempre que for consumir chás de qualquer planta, só o faça depois de ter a certeza que escolheu a espécie correta, para não correr riscos de intoxicação. Portal Cultura

Fonte: Muito Chique

Avaliação da Atividade Antiúlcera de
Kalanchoe pinnata (Lam.) Pers (Crassulaceae). Versão corrigida da Dissertação conforme Resolução CoPGr 5890. O original encontra-se disponível no Serviço de Pós-Graduação da FCF/USP. Flávia Carvalho Sobreira

Benefícios do aranto:

Recomenda-se também não ultrapassar a ingestão total diária de 5 gramas da planta para cada quilo de peso da pessoa que irá consumi-la, pois doses maiores que essa podem ser tóxicas.

O aranto também não deve ser consumido por grávidas. DicasOnLine

Mude conceitos, você pode e deve: Adoro essa parte da anatomia femimina., Suco de limão e Bicarbonato, Doenças degenerativas, Limão: alcalino x ácido, FORDISMO??, Projeto Divas, Chás que Ajudam a Emagrecer, Graviola, Sexo seguro!, vidacell®

Piauí autoriza produção de óleo de canabidiol

Se o Brasil passou a aceitar a importação de produtos à base de Canabidiol para tratamento de saúde, deve também permitir o plantio da maconha para o mesmo fim, pois o contrário privilegiaria apenas quem tem condições de comprar substâncias caras do exterior. Assim entendeu o juiz federal Walter Nunes da Silva Junior, da 2ª Vara Federal do Rio Grande do Norte, ao conceder salvo-conduto para uma idosa importar sementes e cultivar cannabis para tratar o mal de Parkinson. Diario do Centro do Mundo
Piauí autoriza produção de óleo de canabidiol, substância presente na maconha. Expectativa é que a produção possa atender a 150 pessoas que precisam do óleo para tratar doenças como epilepsia. Estado é o 1° do país a adotar a medida. Carlos Rocha, G1 PI
“A proposta inicial é que se trabalhe com 150 pacientes para iniciar o projeto. A ideia é que em até seis meses se consiga produzir o extrato”, disse o neurologista Francisco Alencar.
“Não precisa de autorização da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], a não ser que haja uma produção mais ampla”, completou Francisco Guedes, da Fapepi.
As Universidades Federal e Estadual, assim como o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), estão à frente das pesquisas relacionadas à produção do composto que é de fundamental importância para muitas pessoas, especialmente crianças, que necessitam dele para melhorar a qualidade de vida ou mesmo para sobreviver.
O uso do composto, assim como de outros derivados da planta cannabis sativa, foi discutido em Teresina, em março de 2017, durante o Simpósio sobre o Uso Medicinal dos Canabinoides, que contou com a participação da Defensoria Pública, na pessoa do defensor público Rogério Newton de Carvalho Sousa, que é o titular do Núcleo Especializado da Saúde da instituição. Ângela Ferry
A pesquisa, que foi iniciada no primeiro semestre de 2017, é um investimento do Estado que visa uma melhora na qualidade de vida das pessoas que sofrem com convulsões e epilepsias, como afirma o governador Wellington Dias. “Adotamos na rede de saúde do Piauí, pacientes que fazem uso do medicamento, de forma gratuita. Antes importávamos o canabidiol da Califórnia e de Israel, o que gerava um custo muito elevado e, a partir da autorização da produção, o Piauí passa a produzir seu próprio produto, com um investimento de cerca de 1 milhão de reais”, pontua.  Smoke Buddies
O Laboratório de Análises Toxicológicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) divulgou as instruções de um serviço gratuito e inédito no país de análise de óleos artesanais que deve dar mais segurança aos pacientes que recorrem à produção clandestina. Agora, eles podem levar seu produto ao laboratório e saberem exatamente os teores de CBD e THC. “É uma ferramenta para monitoramento farmacêutico da terapia”, diz a toxicologista Virgínia Carvalho, responsável pelo projeto de extensão, batizado de Farmacannabis. Tarso Araújo

 

Contra todos os males

De fato, a resposta pode estar onde menos se imagina: no quintal de casa. Mas nada de sair por aí catando folha e medicando a família. Remédio – mesmo natural – é coisa séria. Roberto d’Ávila, conselheiro corregedor do Conselho Federal de Medicina, explica que “o tratamento à base de produto vegetal não tem nada a ver com chazinho”. O procedimento deve ser o mesmo adotado para os medicamentos sintéticos: consultar um especialista, conhecer o diagnóstico e tomar apenas o que for prescrito. (Correio Braziliense – Texto recebido em janeiro de 2006)

plantas-medicinales-que-podemos-cultivar-en-casa

Veja também: Hortas e temperos, Ervas medicinais, Veneno ecológico para matar ratos., Umbrella Corporation, Inseticida Natural contra lesmas e lagartas, Neste Chão Tudo Dá, 11 ingredientes que ajudam perder peso, Índio Educa, Eco-grafite,

Agrotóxicos da mesa nossa de cada dia.

Da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), sobre os resultados do relatório:

…chama a atenção a grande quantidade de amostras de pepino e pimentão contaminadas com endossulfan, de cebola e cenoura contaminados com acefato e pimentão, tomate, alface e cebola contaminados com metamidofós. Além de serem proibidas em vários países do mundo, essas três substâncias já começaram a ser reavaliadas pela Anvisa e tiveram indicação de banimento do Brasil. De acordo com Dirceu Barbano, diretor da Anvisa, “são ingredientes ativos com elevado grau de toxicidade aguda comprovada e que causam problemas neurológicos, reprodutivos, de desregulação hormonal e até câncer”.

Veja também: Refrigerante, O Futuro da Alimentação, Adoro essa parte da anatomia femimina.Você é o que você come., Semana do Consumidor, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?, Viabilidade???, Veneno ecológico para matar ratos., Outros olhos

Saúde nossa de cada dia!

correntes-mentais1

“Às vezes, as correntes que nos impedem de sermos livres, são mais mentais que físicas.” (Foto) – Um canceriano sem lar

Os 10 MANDAMENTOS DOS MÉDICOS DO SUS

1 – Se você não sabe o que tem, dá VOLTAREN;
2 – Se você não entende o que viu, dá BENZETACIL;
3 – Apertou a barriga e fez ‘ahhnnn’, dá BUSCOPAN;
4 – Caiu e passou mal, dá GARDENAL;
5 – Tá com uma dor bem grandona? Dá DIPIRONA;
6 – Se você não sabe o que é bom, dá DECADRON;
7 – Vomitou tudo o que ingeriu, dá PLASIL;
8 – Se a pressão subiu, dá CAPTOPRIL;
9 – Se a pressão deu mais uma grande subida, dá FUROSEMIDA!
10 – Chegou morrendo de choro, ponha no SORO.

image348

e mais…

Arritmia doidona, dá AMIODARONA…
Pelo não, pelo sim, dá ROCEFIN.
… e SE NADA DER CERTO, NÃO TEM NEUROSE DIGA QUE:
É SÓ ESSA NOVA VIROSE!!!

0sbuk

No dia do Juízo Final, os médicos terão de responder por mais vidas do que os generais.

Napoleão Bonaparte – Pensador

image361

A Anvisa desenvolve estratégias de educação com orientações sobre os riscos da auto-medicação, o consumo seguro de medicamentos, e a influência da propaganda enganosa e abusiva, além de promover a capacitação do profissional para desenvolver ações e estratégias em educação, comunicação e saúde para serem trabalhadas pelas escolas.

Enxergue mais: UM MEDICO DE BELZONTE, NAARA BEAUTY DRINK!!!, MEDICINA TRADICIONAL YANOMAMI ON-LINE, Como a indústria do fumo enganou as pessoas?, INSTANTLY AGELESS ™,  A onda, Os cães, 1984!, A culpa é de quem!, Alzheimer, Adoro essa parte da anatomia femimina., Não Foi Acidente, Quem paga o Carnaval!, Instituto Pindorama, voluntariado., RESERVE™Repo man, E agora???, Exame com uma gota de sangue, EMVSucos caseiros cheios de saúde., VIDACELL®JA Escalada do Monte Improvável, de Richard Dawkins