Eles Vivem

Eles Vivem (1988)

John Carpenter, escolheu símbolos que, ao mesmo tempo, martelam o patriotismo e o controle estatal exercido pela América daquele período – para contextualização: o filme foi lançado na era Reagan, quando o autoritarismo de seu governo e de sua guerra às drogas resultaram em inúmeros eventos de violência policial –, como também evoca elementos da construção mitológica da nação  e de ícones da cultura do país que servem como ferramenta de alienação. Matheus FiorePLANO ABERTO

Baseado no conto de Ray Nelson, Eight O´Clock in the Morning, Eles Vivem conta a história de um trabalhador que encontra um óculos muito diferente. Ele faz com que se possa enxergar a real aparência de seres que estão manipulando os humanos. Carol Suiter – ScifiBrasil

filme Eles Vivem dublado 1988Tairo Pedralli

Realizado dez anos antes de Matrix, o filme de Carpenter aborda de maneira mais adulta, áspera e consistente a ideia de uma manipulação coletiva das consciências e percepções. José Geraldo CoutoOUTRAS PALAVRAS

Mas é aí que reside uma inversão desconcertante. Se os filmes B dos anos 1950 sobre invasores (O dia em que a terra parouA guerra dos mundosVampiros de almasA bolha assassina) refletiam e exorcizavam o medo do comunismo na época da Guerra Fria, os vilões alienígenas de Eles vivem são representantes do capitalismo mais voraz e sem limites. “São empreendedores”, diz um líder da resistência clandestina. “A Terra, para eles, é só mais um planeta em desenvolvimento. O Terceiro Mundo deles.”

Sob a capa de diversão popular e ligeira (o que não deixa de ser), esse filme cujos heróis são dois operários é um estudo da alienação, isto é, da ideologia que passa por normalidade.

Viveze-se: A Odisseia dos Tontos, La Science des rêves, SÓ É ÍNDIO QUEM OPTA POR SER!, O dízimo da educação!, Capital Cultural, Preconceitos, padrões, estigmas e outras anomalias, O POVO BRASILEIRO, Um sonho, Cabeza borradora – Eraserhead, Parenti Serpenti, Ready Player One

Bolsa família

Os povos que viviam na terra chamada de Pindorama – quando chegou Cabral – se organizavam em grandes grupos, mas não chegaram a formar civilizações como aconteceu com os incas, maias e astecas, em outras regiões deste grande continente. Os daqui eram nômades e coletores. Viviam num espaço tão generoso em água e frutos que não tinham ainda encontrado necessidade de organizar cidades ou outras estruturas parecidas como já faziam os povos andinos, premidos pelo ambiente inóspito. Hoje, sabe-se que todos os povos do continente de alguma forma se conheciam e se encontravam, como prova o Caminho de Piabeiru, que sai do litoral sul de Santa Catarina até a região inca, ligando os dois oceanos. O que faz crer que outros caminhos havia e que muitos encontros de davam, não necessariamente de conquista. Enfim, as gentes viviam aqui do seu jeito e com sua organização. Essa não era uma terra vazia. Elaine Tavares

A primeira missa no Brasil foi celebrada em um Domingo, dia 26 de abril, na ilhota da Coroa Vermelha. O que Victor Meirelles representou em seu quadro de 1860 é a primeira Missa celebrada em terras continentais do Brasil, na sexta-feira, 1º de maio de 1500. Salvem a Liturgia!

O processo de colonização levou á extinção de muitas sociedades indígenas que viviam no território dominado, há estimativas sobre o número de habitantes nativos naquele tempo que variam de 1 a 10 milhões de indivíduos, estes números nos dão uma idéia da imensa quantidade de pessoas e sociedades indígenas inteiras exterminadas, seja pela ação das armas e da força, seja pelo contágio de doenças trazidas dos países europeus para as quais os índios não tinham anticorpos ou ainda, pela aplicação de políticas visando a “assimilação” dos índios à nova sociedade implantada, com forte influencia européia. Portal São Francisco
gabriele_baraldi_inga_detalhe
O tupi (ou tupi-guarani) é a língua indígena brasileira, hoje extinta, pertencente ao grupo linguístico nativo tupi-guarani. Era originário dos índios tupinambá, ramo do grande povo tupi (que significa “o grande pai” ou “líder”), que viviam ao longo da costa brasileira, sendo também os primeiros habitantes nativos do país, com os quais os portugueses estabeleceram contato. A partir desta língua formaram-se dois dialetos que são considerados línguas independentes: a língua geral paulista, agora extinta, uma mistura de Tupi com o Português (que até o final do século XVIII manteve-se como a “língua brasileira”, isto é, a língua da maior parte da população do país) e o nheengatu, a língua geral da Amazônia, que até hoje é falada naquela região. Gabriele D’Annunzio Baraldi

Veja também: Bolsa ruralista, quer que desenhe?, Manual de agicultura urbana, Eu sou Guarani Kaiowá, Clima louco?, 35 verdades ditas sobre o Brasil, pelos olhos de um Turista, Um Monte de mentiras, Jacob’s Well, Jesus Negão, Urna fraudetrônica, O Amaranto Inca Kiwicha invade plantações de soja transgênica da Monsanto nos Estados Unidos, A chegada de Lampião no Inferno

Vitórias e Conquistas

Vitórias e Conquistas – Raizion

Eu não preciso te seguir pra saber
como inúteis ainda tentam te guiar
por classes sociais que ainda tentam se alinhar
O destino que eles fazem ordenará mais uma luta
um motivo a mais pra desbancar o fraco, pra desbancar o fraco

Eu & Eu orarei pelas vidas pobres
e que Sião ainda possa nos salvar
Não temas mal algum por que Jah Jah está contigo
Jah Jah está contigo

Se for pra te esperar, eu espero
Se for pra te ensinar, eu ensino
Mas se for prejudicar, eu critico

Suas vitórias, suas conquistas
a minha fé ainda garante que um dia
teremos nossa vez, teremos nossa vez
Espero que o amor possa te conduzir
Espero que o amor possa te conduzir

Eu & Eu orarei pelas vidas pobres
e que Sião ainda possa nos salvar
Não temas mal algum por que Jah Jah está contigo
Jah Jah está contigo

Se for pra te esperar, eu espero
Se for pra te ensinar, eu ensino
Mas se for prejudicar, eu critico

Veja também: Cheirando Cola, Brô Mc´s, Ana Primavesi, Engenheira agrônoma., O mar de Aral virou areia., Por que Pinga?, Dia Mundial do Meio Ambiente., Plante uma árvore, Barata de colo, Brasil de bandidos, A Revolta dos Macacos, Coletores de sementes, Vergonha de ser brasileiro, FILHOS DA PROSTITUTA, Curupira, Trator, Curativo urbano, Candidato Caô Caô, A guerra do vintém, Veteranas de guerra, Instituto Pindorama, voluntariado., Mata Atlântica, MORADOR DE RUA CUIDA DE 11 CÃES, Aquela Paz, Cheirando Cola

Pare Pra Pensar

Pare Pra Pensar – Natural Reggae

Pare Pra Pensar, bem que a vida.
Tenta te mostrar, uma saída.
Seja como for a situação,
Sempre haverá a solução.

Pare, Pense,
Olhe ao seu redor,
Tem gente que esté mto pior,
e mesmo assim batalha,
amanha será melhor.

Pare Pra Pensar, bem que a vida.
Tenta te mostrar, uma saída.
Seja como for a situação,
Sempre haverá a solução.

Não to aqui pra falar nem de praia nem maconha
Mas vou te fazer pensar naquilo que te envergonha
Na miseria e opressão que você nem faz questão
Vendo a mão que você negua de estender pro seu irmão
U m coração infantil, é o retrato do brasil!
A cultura nossa história ninguem sabe ninguem viu!
PLAYBOY, seja você ou seja eu!
Branco, preto, rico ou pobre… o teu filho é igual ao
meu!
Não prego religião, nem te digo o que é bom!
Tento mostrar uma parte da tua alienação!
Geral, cultural você pensa que é normal!
Pessoas estão morrendo na fila do hospital!
Não to sendo pessimista, so mostro a realidade!
Acredite se quiser, tudo bem, não sou dono da
verdade!
Acredito em um Deus, o supremo criador!
A quem clamo por justiça…

E alivia a minha dor…
E alivia a minha dor…
E alivia a minha dor…
E alivia a minha dor…

Pare Pra Pensar, bem que a vida.
Tenta te mostrar, uma saída.
Seja como for a situação,
Sempre haverá a solução.

Pare Pra Pensar, bem que a vida.
Tenta te mostrar, uma saída.
Seja como for a situação,
Sempre haverá a solução.

Pare pra pensar…bem que a vida…!!!

Veja bem: Cantar, Manguetown, Super Trunfo, Scoring drugs, Legalize Já, Clarice Lispector do Samba, Clara Nunes., Cadê os Amarildos?, Museu Virtual, Enciclopédia do Surf, A casa dos outros, Índice de Desenvolvimento Humano, Sexo seguro!, Fair Play, Mídia estão de luto, 69 com moral da história.