Tabaco e álcool sim, Maconha não. Por que?!?

O principal argumento dos proibicionistas é que drogas prejudicam o indivíduo e a sociedade e que a proibição diminui o consumo. Ambos argumentos que a priori se sustentam: psicotrópicos realmente podem “fazer mal” e em geral as drogas proibidas são menos utilizadas do que as drogas legalizadas. nicolas teixeira cabral

Contudo, isso não justifica que o álcool seja legalizado, enquanto a maconha ou o LSD são proibidos; afinal, essas drogas se mostram menos maléficas para o indivíduo do que o álcool. Além disso, a “guerra às drogas” mostra um custo social muito grande, talvez maior do que os custos sociais do aumento do consumo advindo da legalização.

No fim, parece que a manutenção da proibição de algumas drogas se funda muito mais em moralismo do que em razões objetivas. “Usar droga é errado, logo, deve ser proibido”. Seria como, p. ex., proibir o adultério.

Mas por que proibir a maconha, e não o tabaco? Uma das teorias, a qual encaro com ceticismo, é que nessa época de Nixon a maconha era uma droga típica de negros e hispânicos, e que a proibição da substância legitimaria a perseguição a esses grupos.

A proibição das drogas no século XX pode ter sido motivada por interesses econômicos, moralismo e xenofobia; esses mesmos fatores, somados ao medo de que as drogas corrompam a sociedade, sustentam a proibição até hoje.
O cigarro, assim como o café, o chá e o cacau, é uma droga ao mesmo tempo muito prazerosa e pouco entorpecente. Você pode fumar um cigarro e dirigir ou trabalhar, como faz após tomar um café. Isso não é verdade com o álcool, a maconha, a cocaína nem o LSD. Ademais, o tabaco também é socialmente estimulante, o que lhe favorece ainda mais. Antes da década de 1950, o tabaco era até utilizado como remédio para doenças respiratórias! Não fazia sentido proibir!
O álcool é menos inocente a curto prazo do que o cigarro: ele altera importantemente nossa percepção, causa mortes no trânsito, violência doméstica, brigas de rua. Eu acho que não foi proibido simplesmente porque é uma droga mais querida (assim como o cigarro e o café) pelos humanos ou pelo menos pelos humanos ocidentais (países árabes têm muito maiores restrições ao consumo de álcool). Provavelmente tem a ver com o cristianismo também.

A tendência mundial tem sido legalizar ou tolerar o consumo da maconha, que não por coincidência é a droga ilícita mais utilizada ao redor do mundo. Temos exemplos na Holanda, EUA, Uruguai, Portugal etc.

Algumas anfetaminas são apenas controladas, e não proscritas, por oferecerem potencial terapêutico importante (como para TDAH). Outros psicotrópicos também entram nessa: alguns derivados de cannabis, metilfenidato, opioides etc.

Para a Organização Mundial da Saúde, podem ser consideradas drogas as substâncias naturais ou sintéticas com capacidade de modificar uma ou mais funções do organismo . As alterações dependem das características de composição da droga, formas de uso, quantidades e tempo e também das características de quem utiliza, pois a mesma droga pode provocar diferentes efeitos em cada indivíduo. nesp
Os tipos e efeitos são os mais variados, desde as lícitas como medicamentos para dormir ou emagrecer, álcool e tabaco, até as ilícitas como a maconha, cocaína, crack, ecstasy, entre outras.

As drogas fazem parte da história da humanidade, sendo consumidas em busca de prazer, socialização, alívio de dores e da ansiedade e outras alterações do nível de consciência.

Na adolescência, uma época da vida de experimentações e transformações, o consumo é especialmente preocupante, pois estão em busca da autonomia e não aceitam bem recomendações. A dependência química e social é um risco e pode prejudicar o desenvolvimento de jovens causando danos ao seu potencial intelectual, emocional e social.
Para prevenção ao uso de álcool e outras drogas, é importante considerar o tripé: indivíduo-substância-contexto social, político e econômico.

Libertize-se: Milton Friedman, TRAFICANTES DE POLÍTICAS, 15 MIND OPENING LSD QUOTES, #LAS TÉCNICAS #’MINDFULNESS’ AYUDAN AL #ENFERMO MENTAL A SER CONSCIENTE DE SUS #EMOCIONES Y A ESCUCHAR SUS NECESIDADES, FHC LEGALIZE, TIMOTHY LEARY, MACONHA NO SENADO, RICARDO LSD BOECHAT DOIDÃO

TRATAMENTOS PSICOLÓGICOS também INDICADOS PARA O ALCOOLISMO

A maioria dos tratamentos psicológicos indicados para o alcoolismo se baseia no modelo cognitivo-comportamental, no qual esta substância é assumida como um poderoso reforçador capaz de manter a autoadministração do álcool.

O modelo cognitivo-comportamental oferece uma alternativa à abordagem clássica do alcoolismo como doença e, portanto, ao modelo médico.

O objetivo final dos tratamentos psicológicos indicados para o alcoolismo é diminuir a preferência da pessoa pelo álcool. Assim, aumentam a sua preferência por outras atividades que permitam manter um funcionamento adaptativo a longo prazo.

O Treinamento em habilidades sociais ou autocontrole é utilizado em pacientes que não possuem habilidades interpessoais e intrapessoais adequadas ou que não conseguem controlar o seu estado emocional se não for através do álcool.

Os viciados consomem menos álcool se, em uma situação social estressante, dispuserem de uma estratégia de enfrentamento alternativa. O manual de Monti e colaboradores (2002), fornece estratégias sociais tanto para o paciente quanto para sua rede de apoio, sem recorrer ao consumo.

A Abordagem de reforço comunitário orientada o paciente a mudar o estilo de vida relacionado ao consumo da substância, inclui técnicas como a resolução de problemas, terapia comportamental familiar, aconselhamento social e treinamento para a busca de emprego.

Também pode ser usada para a estratégia de beber de forma controlada.

A Terapia Comportamental Marital, consiste em fazer com que o consumo de álcool deixe de ser um reforçador para que a abstinência seja a meta, é necessário o envolvimento em atividades agradáveis, especialmente aquelas que não envolvem beber, juntamente com o companheiro.

O Programa Sisson e Azrin, visa ensinar aos membros não-alcoólatras maneiras de reduzir os abusos físicos, estimular a sobriedade e procurar tratamento.

Na Terapia aversiva, o objetivo é reduzir ou eliminar o desejo do indivíduo pelo álcool, por meio de estímulos ou imagens diferentes usados para que uma resposta condicionada negativa seja alcançada para os sinais relacionados à bebida (cor, cheiro…).

Diferentes estímulos aversivos foram usados, desde o clássico choque elétrico com Kantorovich em 1929 até a aversão química ou por meio da imaginação outro exemplo desse tratamento poderia ser a ‘sensibilização encoberta’ proposta por Cautela em 1970.

A Prevenção de recaídas, o método mais conhecido é o de Marlatt e Gordon, onde o cliente é desafiado a se responsabilizar pela sua mudança de comportamento e, portanto, pela manutenção da referida mudança, uma vez obtida, além de levar em consideração o aumento de suas estratégias de enfrentamento em situações de estresse de alto risco.

Os Tratamentos orientados para beber de forma controlada, são utilizados quando a pessoa não quer alcançar a abstinência completa ou não tem problemas físicos.

O Programa Sobell & Sobell visa garantir que os bebedores problemáticos não se tornem crônicos, numa abordagem de autogestão. O programa de Sobell & Sobell dura quatro semanas e é realizado em nível ambulatorial.

As recomendações incluem não consumir mais de 3 unidades de bebida por dia e não beber mais de 4 dias na semana, com o objetivo de reduzir o nível de tolerância ao álcool, assim como não beber em situações de alto risco, não beber mais de uma unidade de bebida por hora, e atrasar o tempo entre a decisão de beber e beber em 20 minutos.

O treinamento em resolução de problemas e prevenção de recaídas possibilita que a pessoa delimite as situações relacionadas com o consumo de álcool em sua vida e desenvolve estratégias para lidar com elas.

Aprendendo habilidades sociais para dizer não às pessoas que nos incentivam a beber, ou resolvendo com eficiência os problemas que, anteriormente, eram enfrentados com o álcool. É fundamental garantir que os jovens não se tornem bebedores patológicos e aprendam maneiras eficazes de administrar as suas vidas que não envolvam o uso de drogas.

Poetize-se: BEBER MENOS, TRAFICANTES DE POLÍTICAS, Milton Friedman, 15 MIND OPENING LSD QUOTES, #LAS TÉCNICAS #’MINDFULNESS’ AYUDAN AL #ENFERMO MENTAL A SER CONSCIENTE DE SUS #EMOCIONES Y A ESCUCHAR SUS NECESIDADES, naara beauty drink™, ROCKEFELLER, nevo™, FHC LEGALIZE, RELATÓRIO FIGUEIREDO, instantly ageless™, TIMOTHY LEARY, MACONHA NO SENADO, vidacell®, RICARDO LSD BOECHAT DOIDÃO, reserve™, SISTEMA NACIONAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS, JÁ NÃO ME SINTO EM CASA NESSE MUNDO

A. A. ou Bêbado Conhecido?!!?

O álcool afeta o cérebro e o sistema nervoso central, sua química, alterando níveis de neurotransmissores, age como um depressor de muitas ações no Sistema Nervoso Central (SNC).

Se você está preocupado com um problema com a bebida, deseja aprender mais sobre Alcoólicos Anônimos ou quer encontrar A. A. perto de você, clique aqui: Junta de Serviços Gerais de A.A. do Brasil

O Álcool estimula diretamente a liberação de outros neurotransmissores como a serotonina e endorfinas que parecem contribuir para os sintomas de bem-estar presentes na intoxicação alcoólica.

A.A. PRÓXIMO DE VOCÊ

Pensem nisso… e… se for dirigir, não beba.

Se for beber, *lembre-se: existe H2O*!

Dependentes do álcool sentem necessidade de beber como as outras pessoas sentem necessidade de comer, fazer sexo, respirar e, uma vez que começam, dificilmente conseguem parar.

😔+🍺=😊

😊+🍺🍺=😄

😄+🍺🍺🍺=😁

😁+🍺🍺🍺🍺=😝

😝+🍺🍺🍺🍺🍺=😖

😖+🍺🍺🍺🍺🍺🍺=😭

😭+🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺=😷

A maioria das pessoas pode curtir um copo de vinho no jantar ou uma cerveja com os amigos. Mas, para outras, um copo torna-se dois, dois se tornam quatro e assim sucessivamente. Elas são simplesmente incapazes de parar de beber. Monicavoxblog – A Luz é Invencível

Mude conceitos, você pode e deve: ALZHEIMERBEBER MENOSDIA DO VOLUNTARIADOSUA CARACASAS DE MEDIAÇÃOVIRTUDEINEZITA BARROSOPOR QUE PINGA?PROJETO VIBRAR PARKINSONA MEDITAÇÃO E SEU CERÉBRO