Outras famílias

7 FAMILIAS MAIS ESTRANHAS E INCOMUNS DO MUNDO

O aumento surpreendente da desarmonia não pode continuar indefinidamente. Podemos participar da criação de novas relações baseadas em contribuições solidárias. Só assim seremos mais ricos: lutando contra as desigualdades. Negar a solidariedade seria um erro moral humanamente inconcebível. Heloisa LimaO sentido do ser

Daí, é possível pensar: “não consigo resolver todos os problemas; ninguém pode”.

Às vezes, esse sentimento de desamparo pode nos levar à paralisia. Sentimos que, individualmente, não podemos corrigir o que está errado ou não sabemos quem, onde ou como ajudar. Desta forma, então, é bem possível que não façamos nada.

Mas se todos se concentrassem nas pequenas coisas, nos gestos mais simples, capazes de nos fazer compartilhar o que temos de melhor a fim de aliviar a carga de outros, poderíamos mover montanhas.

E, assim, se revela o quanto precisamos cuidar uns dos outros.

Como crianças que percebem que podem assumir atitudes de grande impacto – mesmo sendo “apenas crianças”.

Ao longo dos recentes desastres naturais, fomos tocados por pessoas trabalhando lado a lado – não apenas os profissionais responsáveis por atender emergências, mas os cidadãos comuns que decidem cavar, através de escombros, um balde de cada vez. E por crianças que doam o conteúdo de seus cofrinhos na esperança de ver o outro sorrir.

Quando se trata de uma postura mais humana, isso é tudo o que podemos fazer – pequenas coisas edificadas individualmente que podem, coletivamente, fazer uma grande diferença.

É o que devemos fazer para aliviar o sofrimento (nosso e dos demais) – superando, desta forma, a paralisia e estendendo a mão para ajudar.

Familyze-se: Capitão Fantástico, Índio Educa, The Family: Democracia Ameaçada, 10 sites para aprender um pouco de tudo, Somos sobreviventes de nossos antepassados …, Thomas Malthus ou Thanos, Organizando a casa, Como enriquecer e educar licitamente falando!?!, Neon, Só Os Loucos Sabem, Quintais produtivos, Cine Belas Artes,

Chase Neyland-Square

Com apenas 13 anos, Chase Neyland-Square criou um armário colaborativo para seus colegas de escola. A ideia busca ajudar os alunos em situação de vulnerabilidade social. O menino também atua como voluntário em um lar de idosos na vizinhança. Em uma entrevista recente ao programa Good Morning America, o jovem explicou suas motivações.

Minha parte favorita é separar as roupas antes de fazer a doação aos meus colegas. Isso me faz sentir bem comigo mesmo, pois sei que posso fazer a diferença na minha escola”. Vivimetaliun

O armário fica disponível para que estudantes da escola secundária de Port Allen, no estado da Louisiana (EUA), possam ter acesso a roupas e outros itens indispensáveis, como material escolar ou desodorantes. Tratam-se de doações de vizinhos e da comunidade escolar.

13-year-old Chase Neyland-Square runs PAM’s Pantry to give clothes and supplies to students in need.

“I know that everybody doesn’t have things and I’m fortunate to have things that other people don’t have, and I look at it as sometimes, how would I feel in that situation?” Neyland-Square told CBS Baton Rouge affiliate WAFB.
“I’m going to come back and continue working on PAM’s Pantry,” Neyland-Square said. “I’m hoping one day I can turn it into a non-profit organization.” CBS News

Chaseze-se: Saudação ao Sol, Hortas e temperos, Deixa o menino brincar!, Adoro essa parte da anatomia femimina., Dia Mundial da Gentileza, World Kindness Day