Oito filmes que retratam o suicídio

A educadora e psicopedagoga Adriana Foz é taxativa em seu artigo É preciso falar com alunos e professores sobre o suicídio: “silenciar sobre o suicídio não ajuda a combater o problema. Informar, debater, ouvir e ser ouvido é o antídoto à ideia de que falar do assunto pode inspirar ondas de casos por imitação”. Para apoiar na condução do debate esses filmes que abordam o suicídio e podem servir de disparadores para a reflexão. CartaCapital

1. Um homem chamado Ove (2017)

Ove é um senhor amargurado, aposentado e viúvo. Aos 59 anos, alimenta a monótona rotina de visitar o túmulo de sua falecida esposa e descontar o mal-humor nas pessoas ao seu redor. Quando, enfim, decide interromper sua própria vida e vê seu plano dar errado, tem a chance de conseguir uma nova amizade.

2. Geração Prozac (2001)

Baseado no best-seller americano de Elizabeth Wurtzel, “Prozac Nation” retrata a vida de uma estudante de jornalismo ao ingressar em Harvard. A situação familiar frágil e as pressões das relações pessoais levam a jovem a desenvolver depressão e, com isso, pensamentos suicidas. As questões psicológicas levam a jovem a ser medicalizada com a droga Prozac.

3. Últimos dias (2005)

Em Last Days, filme inspirado nos últimos momentos de vida do cantor Kurt Cobain, o suicídio é trazido de maneira intimista. Cobain demonstra sentimentos de melancolia, vazio e procura de algo inatingível. No longa, a morte mostra-se como a única solução para tal agonia.

4. Garota Interrompida (1999)

A jovem Susanna Kaysen é encaminhada para um hospital psiquiátrico após ser diagnosticada como vítima de “Ordem Incerta de Personalidade” – uma aflição com sintomas tão ambíguos que qualquer garota adolescente pode ser enquadrada. No local, Susanna se depara com um mundo de garotas transtornadas com o aprisionamento.

5. Elena (2012)

Elena vai a Nova York para perseguir o sonho de se tornar atriz e deixa no Brasil uma infância vivida na clandestinidade, devido ao período da ditadura militar, e também a irmã mais nova, Petra, de sete anos. Duas década depois, Petra decide ir atrás da irmã. Ela segue as pistas que tem para encontrá-la, como cartas, diários e encontra em um lugar inesperado.

6. Gente como a gente (1980)

Conrad Jarrett tenta recuperar sua vida social após meses de internação em um hospital, fruto de uma tentativa de suicídio. No entanto a relação com os pais segue fria provocando conflitos ao longo do filme, que se centra na falta de comunicação familiar .

7. Uma razão para recomeçar (2017)

O amor de infância de Benjamin Morton por Ava é representado de maneira realista no filme, entre altos e baixos. Eles trafegam por tempos bons e ruins, até uma tragédia colocar em perigo o destino dos dois.

8. Uma vida com propósito (2016)

O filme narra a história da adolescente religiosa Rachel Jay Scott, que foi morta por dois adolescentes no colégio Columbine. O episódio, que vitimou um total de 13 pessoas, em 1999, e ficou conhecido como Massacre de Columbine, acendeu debates acerca do Bullying, das gangues do Ensino Médio e das leis de controle de armas. 

Viva: 188, gratuito para o suicídio, Algumas coisas podem esperar!, SUICÍDIO, por que ENTENDER?!?, Efeito Werther, Suicídio indígena, Love vigilantes, Depressão em idosos, CVV, Effortless Meditation ou Meditação Sem Esforço, spa day by home

Projeto Pardo vs. Projeto Branco

jansen_gringos_630

“Durante cinco meses fiquei documentando as consequências da Copa. Existem várias: remoções, forças armadas e PMs nas comunidades, corrupção, projetos sociais fechando. Eu descobri que todos os projetos e mudanças são por causa de pessoas como eu – um gringo – e também uma parte da imprensa internacional. Eu sou um cara usado para impressionar.

Em março, eu estive em Fortaleza para conhecer a cidade mais violenta a receber um jogo de Copa do Mundo até hoje. Falei com algumas pessoas que me colocaram em contato com crianças da rua, e fiquei sabendo que algumas estão desaparecidas. Muitas vezes, são mortas quando estão dormindo à noite em área com muitos turistas. Por quê? Para deixar a cidade limpa para os gringos e a imprensa internacional? Por causa de mim?”

brazil-prostitution
childhood

Veja também: Santo Padre José de Anchieta, Candelária, FIFA World Cup 2014 – THE REAL BRAZIL, Não Foi Acidente, Carta de um policial nos protestos de São Paulo, Symphony Of Destruction, Um Monte de mentiras, Viabilidade???, 2014, Ano do Pão e Circo, Ditadura da propaganda, Só isso!, O de Otário, Stanley Kubrick, Turismo sexual, Text Me Something Dirty, Violentamente pacífico, Eu, não, meu senhor, A Copa do Pinheirinho, A culpa é sua!

Instituto Alana

O Instituto Alana é uma organização sem fins lucrativos criada em 1994 que tem como missão fomentar e promover a assistência social, a educação, a cultura, a proteção e o amparo da população em geral, visando a valorização do homem e a melhoria da sua qualidade de vida, conscientizando-o para que atue em favor de seu desenvolvimento, do desenvolvimento de sua família e da comunidade em geral, sem distinção de raça, cor, posicionamento político partidário ou credo religioso.

logo-alana-200px-branco1

O Instituto persegue mudanças de paradigmas na sociedade, propondo alterações nas relações de consumo, fortalecendo valores humanísticos hoje tão menosprezados. A partir do Criança e Consumo introduz discussões sobre cidadania, participação social e qualidade de vida, levando informação crítica aos pais e educadores, instruindo-os sobre os malefícios do exagerado consumismo infanto-juvenil.

Instituto Alana (Alana Institute) is a non-profit organization created in 1994 with the mission of fostering and promoting social work, education, culture, protection and support for the population in general, and a view at dignifying human beings and improving their quality of life, turning them into conscious actors of their own development and that of their families and community in general, without distinction of race, color, political or religious beliefs.

Enxergue mais: Projeto Pardo vs. Projeto Branco, Criança, a alma do negócio (Brasil), O de Otário, Você é o que você come., Semana do Consumidor, Assédio moral (bullying, manipulação perversa, terrorismo psicológico)., Adoro essa parte da anatomia femimina., Deixa o menino brincar!