José Antônio

O deputado federal José Antonio Reguffe (PDT-DF), que foi, proporcionalmente, o mais bem votado do país com 266.465 votos(18,95% dos votos válidos do DF), estreou na Câmara dos Deputados fazendo barulho. 

De uma tacada só,  protocolou vários ofícios na Diretoria-Geral da Casa. Abriu mão dos salários extras que os parlamentares recebem (14°e 15° salários), reduziu sua verba de gabinete e o número de assessores a que teria direito (de 25 para apenas 9).

E tudo em caráter irrevogável (nem se ele quiser, poderá voltar atrás).

Além disso, reduziu em mais de 80% a cota interna do gabinete, o chamado “cotão”. reduzindo os R$ 23.030,00 que teria direito por mês, para R$ 4.600,00. Segundo os ofícios, abriu mão também de toda verba indenizatória, de toda cota de passagens aéreas e do auxílio-moradia, tudo também em caráter irrevogável.

Sozinho, vai economizar aos cofres públicos mais de R$ 2,3 MILHÕES (isso mesmo R$ 2.300.000,000) nos quatro anos de mandato.

Se os outros 512 deputados seguissem o seu exemplo, a economia aos cofres públicos seria superior a R$ 1,2 BILHÃO. 

“A tese que defendo e que pratico é a de que um mandato parlamentar pode ser de qualidade, custando bem menos para o contribuinte do que custa hoje. Esses gastos excessivos são um desrespeito ao contribuinte. Estou fazendo a minha parte e honrando o compromisso que assumi com meus eleitores”, afirmou Reguffe em discurso no plenário.

A dignidade deste Sr. José Antonio Reguffe é respeitável, louvável e exemplar. “ISTO É” : 

http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/104706_UM+HOMEM+FICHA+LIMPA

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Reguffe
Editado via celular.

Qual sua vestimenta?

*A ROUPA FAZ A DIFERENÇA?*
Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, 
quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida, pergunta: 

– Vocês sabem onde está o médico do hospital?
Com tranqüilidade o médico respondeu: 
– Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?
E ela, ríspida, retorquiu: 

– Será que o senhor é surdo? 
Não ouviu que estou procurando pelo médico?
Mantendo-se calmo, ele contestou: 
– Boa tarde, senhora! 

O médico sou eu, em que posso ajudá-la?!
– Como?! O senhor?! Com essa roupa?!… 
– Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta…
– Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que… 

Vestido assim, o senhor nem parece um médico…
– Veja bem as coisas como são… – disse o médico 
– … as vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpaticíssimo “boa tarde!”; 
como se vê, as roupas nem sempre dizem muito…
Um dos mais belos trajes da alma é a educação; 
Sabemos que a roupa faz a diferença, mas o que não podemos negar é que: 
falta de educação, arrogância, falta de humildade, pessoas que se julgam donas do mundo e da verdade, grosseria derrubam qualquer vestimenta. 
Basta às vezes, apenas 5 minutos de conversa para que o ouro da vestimenta se transforme em barro. 
Educação é tudo! 
A vida é feita de: agir, reagir, corrigir… mas o melhor mesmo é “sorrir”. 

Sorria sempre! 

A vida é bela!
“Desta vida nada se leva… 

Só se deixa!!! 

Então, te deixo o meu melhor: 

Meu melhor sorriso, 

Meu maior abraço, 

Minha melhor intenção.

Editado via celular.

Um Caranguejo Elétrico

Marília Gabriela entrevista Chico Science – Acervo Chico Science

No início do ano de 1991, Chico Science entrou em contato com o Lamento Negro, um bloco afro que trabalhava com educação popular no centro comunitário Daruê Malungo, periferia do Recife. O vigor da percussão chamou a atenção do cantor, que começou a trilhar rumo distinto, misturando num mesmo balaio black music e música de raiz, como maracatu e coco de roda – eis aqui o embrião do que se batizou manguebit. leofotoarte

Chico Science & Nação Zumbi – Programa Livre – 1993Acervo Chico Science & Nação Zumbi

Um dos grupos mais importantes do país, Da Lama ao Caos, álbum de estreia de Chico Science & Nação Zumbi saiu em abril de 1994. O trabalho foi um marco que desestabilizou o eixo da produção musical no Brasil, era o expressar sonoro dos caranguejos com cérebro, da parabólica na lama, e do manguebeat. José Julio do Espirito Santo

Filme Chico Science – Um Caranguejo Elétrico ( Documentário Completo )

As antenas de Chico deixaram de captar os sinais afrociberdélicos que só ele era capaz de receber e decifrar como ninguém, suas letras cheias de rimas inteligentes, falando de um nordeste legendário e, mais ainda, do quão louca a cidade de Recife podia ser. Chico Science e Nação Zumbi falavam de mangue beat e de sua proposta cheia de parabólicas que miravam o infinito. Foi um grande salto do rock brasileiro, num diálogo constante com o samba, o maracatu e a música eletrônica. Renato Alessandro dos Santos – tertúlia

Chico Science & Nação Zumbi [feat. Gilberto Gil] Central Park SummerStage – NY – 1994

Mangroove! – Nessa palavra Chico expressa, pela primeira vez, um grande detalhe do manguebeat: em inglês, “man” significa “homem”, e “groove”, como uma gíria, significa “ritmo”, enquanto “mangrove” é o nome que se dá as árvores típicas do mangue em inglês. Então, essa simples palavra “mangroove” conceitua tudo que o movimento mangue representa, sendo o indivíduo o “homem com ritmo”, e o seu meio sendo o “manguezal”. Victor Mauricio Borba – Multiatômico

Criada em Olinda, no início do anos 1990, de uma união dos grupos Lamento Negro e Loustal, passou a se chamar Chico Science & Nação Zumbi. Ao lado da Mundo Livre S/A, criou o Movimento Manguebeat, a banda perdeu Chico Science, vocalista e principal compositor, num acidente de trânsito, em 1997, a banda voltou aos palcos como Nação Zumbi, com Jorge Du Peixe nos vocais principais e com a mesma formação instrumental, os músicos da banda desenvolvem projetos musicais paralelos como Maquinado, Combo X, Afrobombas, Los Sebosos Postizos e 3 na Massa. Sons de Pernambuco

A ideia era viver do mangue. Mas o que era o mangue? Chico dizia que “Recife foi construída dentro de um mangue, a gente vive do mangue desde que éramos crianças”. No caso, a ideia de mangue era ser um movimento para fincar espaço, divulgar ideias e mostrar senso de coletividade de pessoas. Music on the Run

Observe mais: MONÓLOGO AO PÉ DO OUVIDO / BANDITISMO POR UMA QUESTÃO DE CLASSECHICO MENDESCHICO XAVIERNAARA BEAUTY DRINK!!!CLARICE LISPECTOR DO SAMBA, CLARA NUNES.MANTRALUMINESCE™CAMARÃO QUE DORME A ONDA LEVADE TODOS OS LOUCOS DO MUNDOINSTANTLY AGELESS ™INEZITA BARROSOÍNDIO EDUCAVIDACELL®SAUDOSA MALOCAHO’OPONOPONOMANGUETOWNRESERVE™DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOLEMVA CIDADE

Ria se puder

Se você ficar gritando por 8 anos, 7 meses e cinco dias, terá produzido energia sonora suficiente para aquecer uma xícara de café. 

(Não parece valer a pena..) 
Se você peidar constantemente durante 6 anos e 9 meses, terá produzido gás suficiente para criar a energia de uma bomba atômica. 

(Agora sim!) 
O coração humano produz pressão suficiente para jorrar o sangue para fora do corpo a uma distância de 10 metros. 

(Uau!) 
O orgasmo de um porco dura 30 minutos. 

(Porque a natureza foi tão generosa logo com o Porco?) 
Uma barata pode sobreviver 9 dias sem sua cabeça até morrer de fome.. 

(Ainda não consegui esquecer o Porco, que inveja!!!) 
Bater a sua cabeça contra a parede continuamente é um gasto médio de 150 calorias por hora. 

(Não tente isso em casa; talvez no trabalho!) 
O louva-deus macho não pode copular enquanto sua cabeça estiver conectada ao corpo… A fêmea inicia o ato sexual arrancando-lhe a cabeça. 

(Taí a origem do ditado: “Por uma boa … perde-se a cabeça!”) 
A pulga pode pular até 350 vezes o comprimento do próprio corpo. É como se um homem pulasse a distância de um campo de futebol. 

(Trinta minutos… que porco f.d.p.! Dá pra imaginar? Pq ñ EU?) 
O Bagre tem mais de 27 000 papilas gustativas. 

(O que é que pode haver de tão saboroso no fundo de um rio?) 
Alguns leões se acasalam até 50 vezes em um dia. 

(Porco f.d.p.! qualidade é melhor que quantidade!) 
As borboletas sentem o gosto com os pés. 

(Taí, isso eu sempre quis saber) 
O músculo mais forte do corpo é a língua. 

(Hummmmmmm…) 
Pessoas destras vivem em média 9 anos mais do que as canhotas. 

(E se a pessoa for ambidestra?) 
Os elefantes são os únicos animais que não conseguem pular. 

(E é melhor que seja assim!) 
A urina dos gatos brilha quando exposta à luz negra. 

(E alguém foi pago para descobrir isso?) 
O olho de um avestruz é maior do que o seu cérebro. 

(Conheço muita gente assim) 
As estrelas-do-mar não têm cérebros. 

(Conheço muita gente assim também!!!) 
Os ursos polares são canhotos.. 

(Se eles começarem a usar o outro lado, viverão mais) 
Seres humanos e golfinhos são as únicas espécies que fazem sexo por prazer. 

Editado via celular.

Fábula da galinha intrigueira

Esta é a fábula da galinha, que convida seus vizinhos para plantar trigo.
 E afirma aos outros animais: “Se plantarmos trigo, teremos pão para comer. Alguém quer me ajudar?”
 
– Eu não, disse a vaca.
– Nem eu, emendou o pato.
– Eu também não, falou o porco.
– Eu muito menos, disse o ganso. Faço parte de outro sindicato.
 
– Então eu mesma planto, falou a galinha. E plantou. O trigo cresceu e amadureceu em grãos dourados.
 
– Quem vai me ajudar a colher o trigo? Perguntou a galinha.
 
– Eu não, disse o pato.
– Não faz parte de minhas funções, disse o porco.
– Não, exclamou a vaca. É trabalho análogo ao de escravo.
– E o ganso? Não ajudo porque perderei o seguro desemprego.
 
– Então, falou a galinha, eu mesma colho. E colheu. E, com isso, chegou a hora de preparar o pão.
 
– Quem vai me ajudar a assar o pão? Indagou a galinha.
 
– Só se me pagarem hora extra. Falou a vaca.
– O pato disse não poder ajudar, por que tinha auxílio-doença.
– O ganso disse: se só eu ajudar, será discriminação.
– O porco disse enraivecido. Ô galinha, pare com essa insistência!Isso é assédio moral.
 
– Então eu mesma asso, disse a galinha. E assou cinco pães.
De repente, todo mundo queria pão. E a galinha disse:
 
– Não, agora eu vou comer os cinco pães sozinha.
 
– Lucros excessivos! Gritou a vaca.
– Sanguessuga capitalista! Exclamou o pato.
– Eu exijo direitos iguais! Bradou o ganso.
– E o porco partiu logo para a organização de um movimento com milhares de cartazes com dizeres: “Injustiça”, “discriminação”, “assédio”. Para a galinha, os mais ofensivos impropérios.
 
Instalada a confusão, chegou um agente do governo. Dele, a galinha ouviu o seguinte:
 
– Você não pode ser assim egoísta.
 
– Mas eu ganhei esse pão com meu próprio suor, defendeu-se a galinha.
 
– Exatamente, disse o funcionário. Essa é a beleza da livre empresa. Qualquer um neste país pode ganhar o quanto quiser, mas os mais produtivos têm que dividir o produto de seu trabalho com os que não fazem nada. Essa é a base dos nossos direitos humanos. País rico é país sem pobreza!
 
A galinha engoliu seco e se calou. Calou-se para sempre. E, os vizinhos perguntam até hoje por que, desde então, ela nunca mais fez absolutamente nada… Não é para menos. Destruiram a iniciativa, a criatividade e os empregos.
 
Assim chegamos ao final do ano de 2016. Precisamos reanimar a galinha. —
*Prof. José Pastore*.

Editado via celular.